Andarilho

Categoria: Comportamento


13:07 · 16.09.2016 / atualizado às 13:07 · 16.09.2016 por

Férias

Gente, eu hei de concordar: se o cérebro tivesse vida própria, sem dúvidas ele estaria descansando em uma bela praia do Caribe, pegando um pouco de sol ao invés de estar preso em um escritório diante da tela de um computador. certo? Mas afinal, por que 57% dos trabalhadores brasileiros terminam o ano sem tirar suas devidas folgas ou férias? Eu simplesmente não entendo.

O fato é que embora 92% trabalhe 40h por semana ou mais, quase 40% dessas pessoas acham que não têm como justificar o tempo de folga, mesmo quando o cérebro está precisando de férias.

Pois foi pensando nisso que a Expedia desenvolveu um infográfico – e um vídeo – com alguns motivos pelos quais tirar férias é uma necessidade vital e ajuda a aumentar a produtividade, a satisfação, a saúde e até a inteligência.

Como eu achei bem legal a iniciativa, compartilho agora com vocês. Confiram!

Férias Expedia

 

12:55 · 09.05.2016 / atualizado às 12:55 · 09.05.2016 por

turistas

Você aí que gosta e costuma viajar com frequência, se sente mais aberto às diferentes culturas e tem mais confiança em outras pessoas? Se a sua resposta foi afirmativa, você confirma o resultado de um estudo global realizado pelo buscador de passagens aéreas e reservas de hotéis Momondo. De acordo com o levantamento, aqueles que viajam com frequência se tornam mais abertos às diferentes culturas e tendem a ter mais confiança nos outros indivíduos.

O levantamento revela que, para 76% das pessoas, as viagens trouxeram uma visão mais otimista sobre diferenças e diversidade. A mesma porcentagem acredita que passou a olhar de maneira mais favorável para outras culturas em geral. Já 75% afirmaram que a forma como veem os indivíduos dos lugares que visitaram se tornou mais positiva.

Entretanto, na avaliação de 48% dos respondentes, hoje em dia as pessoas são menos tolerantes com as diferenças do que há cinco anos. Mas 61% acreditam que se as pessoas viajassem mais, haveria menos intolerância.

No estudo, intitulado “O Valor das Viagens”, foram entrevistadas mais de 7,2 mil pessoas. No total, 18 países participaram, entre eles Brasil, Austrália, China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Itália, México, Noruega, Portugal, Rússia, África do Sul, Espanha, Suécia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

Brasileiros amam fazer novas amizades nas viagens

E sabe aquela máxima de que todo mundo gosta de brasileiro? Pois bem, a receptividade do nosso povo, famosa em todo o mundo, pôde ser comprovada estatisticamente na pesquisa. A maioria dos brasileiros, 82%, já fez novos amigos durante as viagens, índice maior se comparado à média global, de 67%. Quando questionados se já viajaram com o objetivo principal de conhecer pessoas de outras culturas, 50% dos brasileiros responderam que sim. Considerando a média global, esse número foi de 30%.

Além disso, ao mesmo tempo em que são bastante abertos às outras culturas, os viajantes brasileiros mantém fortes raízes com os próprios costumes. Prova disso é que, dos entrevistados, 88% se enxergam como cidadãos do mundo, porém, 87% também se veem como parte de sua comunidade local.

Interessante, né? Se você quiser saber mais sobre o estudo basta acessar aqui.

14:48 · 30.03.2016 / atualizado às 14:48 · 30.03.2016 por
Refrescar-se com um sorvete na rua é algo que não se deve fazer, por exemplo, em Ruanda Foto: Divulgação
Refrescar-se com um sorvete na rua é algo que não se deve fazer, por exemplo, em Ruanda Foto: Divulgação

Tomar um sorvete no meio da rua, fazer sinal de positivo com o polegar para cima, mascar chicletes ou temperar muito a comida. Alguns gestos e comportamentos soam tão naturais para nós brasileiros que nem imaginamos que algumas culturas possam considerá-los mal-educados. Ao fazer uma viagem internacional, é sempre bom ficar atento a comportamentos que possam ser vistos como rudes ou ofensivos.

Pensando nisso, o post de hoje traz um material bem interessante divulgado pelo site de pesquisas de viagens online Kayak, com alguns hábitos que devem ser evitados ao visitar certos países. Confira!

Mascar chiclete em público – Singapura

Diga adeus às bolas de chiclete se estiver neste páis. Isso não é só considerado uma falta de educação por lá, como também é proibido por lei. A multa por cuspir a goma de mascar na rua e sujar as vias públicas pode passar de R$ 1000.

Fazer “joinha” – Países no Oriente Médio

Nessa região, fazer sinal de positivo com o polegar para cima equivale a mostrar o dedo médio para alguém. Se você quiser mostrar aprovação, talvez seja melhor simplesmente sorrir.

Dar gorjeta – Japão e Coreia do Sul

Ao visitar um bar ou restaurante nestes dois países, o simples ato de deixar uma gorjeta para o garçom pode gerar confusão. Na maioria dos casos, eles irão educadamente recusar, pois sentem orgulho em fazer seu trabalho bem feito e não acham que precisam de um incentivo extra além do salário que já recebem. Se você forçar, pode ser que seja até mesmo perseguido pelo garçom na rua para que ele possa lhe entregar o troco.

Aperto de mão firme – Filipinas

Cumprimentar alguém cdessa forma é mais do que normal no Brasil. Mas nas Filipinas, um aperto de mão forte é considerado agressivo e até desrespeitoso em certas ocasiões. Talvez você não curta, mas é melhor ir com calma e sem força ao cumprimentar alguém por lá.

Comer onde não sirvam comida – Ruanda

Por lá, é considerado rude comer em qualquer local que não seja um restaurante, bar ou hotel. Fazer um lanchinho no ônibus? Refrescar-se com um sorvete na rua? Pode esquecer. Melhor seguir a cultura local e curtir sua refeição com a calma devida. Afinal, é para isso que servem as férias.

Atrasar-se – Alemanha

Marcar de encontrar com os amigos às 19h e chegar às 20h não é nada raro no Brasil. Mas em países como a Alemanha, deixar os outros esperando passa a impressão de que você acha o seu tempo mais importante que o dos outros. Quando nesse país, faça como os germânicos e chegue na hora.

Encher a comida de tempero – Itália, Espanha e Japão

Em culturas gastronômicas como Itália, Espanha e Japão, pedir pelo molho de tomate, pimenta ou shoyu para colocar na refeição pode causar estranhamento. Antes de solicitar seu tempero favorito em um restaurante mais requintado, veja se ele já está na mesa; caso contrário, talvez seja um bom momento para ampliar o seu paladar.

“Limpar o prato” – Tailândia e China

Muita gente se lembra de não poder deixar a mesa de jantar até terminar toda a sua comida. Mas na China e na Tailândia, se você for convidado à casa de alguém e não deixar sobrar nada no prato pode causar a impressão de que o anfitrião não preparou uma quantidade suficiente. Pelo menos é uma boa desculpa para guardar espaço para a sobremesa.

No fim das contas, vai sempre haver alguma coisa para a qual não atentamos e que pode soar estranha a outros povos. O melhor a fazer é pesquisar sobre hábitos e costumes antes de pôr o pé na estrada e tentar ser o mais respeitoso possível quando estiver no destino e, claro, aproveitar a viagem para conhecer melhor uma nova cultura.

14:06 · 25.08.2015 / atualizado às 14:06 · 25.08.2015 por
É possível se acomodar gratuitamente na residência de outros membros onde e quando quiser

Um conceito que já há algum tempo vem se destacando nos Estados Unidos e na Europa – principalmente em países como França, Itália e Espanha -, a troca de acomodações, chega ao Brasil com uma versão do site 100% nacional. Trata-se do NightSwapping, que reinventa a prática apostando na troca de noites e não mais dinheiro.

Segundo os idealizadores, essa nova maneira de viajar, ou seja de turismo colaborativo, oferece a chance de particulares não mais pagarem pela acomodação durante as suas férias ou feriados, não importando o destino.

Funciona mais ou menos assim: você se cadastra e passa a hospedar viajantes no seu quarto de visita ou cede a residência inteira, com a sua presença ou não. Com isso há o acúmulo de noites. Daí, você pode se acomodar gratuitamente na residência de outros membros onde e quando quiser.

Até o momento, informa o site já existem 110 mil pessoas cadastradas em mais de 160 países.

Para saber mais acesse o site do NightSwapping.

Será que os brasileiros serão receptivos a essa nova forma de viajar?

10:48 · 09.07.2015 / atualizado às 10:48 · 09.07.2015 por

Fold-bag-bagaggio-mala

Vai viajar nestas férias? Já arrumou as malas? Independentemente da sua resposta, vale conferir as dicas preparadas Denis Katsuragi. Como ele é proprietário das lojas Bagaggio, um dos maiores fabricantes de malas do país, é especialista no assunto.

A princípio seus conselhos podem parecer simples, mas podem fazer toda a diferença se forem lembrados pelos viajantes na hora de preparar a bagagem.

Viagens em família

Como julho é recesso escolar, a maior parte das viagens feitas no meio do ano é realizada por famílias, sendo assim é recomendável que os pais escolham bagagens grandes, conjuntos de malas ou sacolas.

Viajando sozinho

Para quem viaja sozinho ou por um período curto, sua dica é: “use malas pequenas e leves contendo apenas o essencial, o que você vai realmente precisar”. E ele tem razão. Já senti isso na pele e sei o que é sair por aí carregando mais peso do que se necessita.

Organização

Para ter praticidade, Denis sugere a utilização de organizadores, que distribuem os objetos em espaços diferentes, assim fica mais fácil achar o que se precisa dentro da mala.

Bagagem de mão

Outra dica importante é sempre levar uma bagagem de mão contendo itens essenciais e de primeira necessidade como uma muda de roupa, dinheiro, medicamentos, eletrônicos e documentos. Assim, no caso de extravio das malas, você terá condições de prosseguir viagem.

Identificação dos volumes

Não se deve esquecer de colocar etiquetas com nome, endereço e telefone nas bagagens para facilitar a sua devolução, em caso de extravio.

Viagens de carro

Se for viajar de carro não exagere na hora de fazer as malas e arrume a bagagem no carro distribuindo o peso maior nas partes baixas e evitando volumes muito pesados no bagageiro do teto.

Boa viagem!

12:36 · 20.05.2015 / atualizado às 12:36 · 20.05.2015 por

Os brasileiros estão entre os turistas de cinco países que mais gastaram com hotel ao viajar para o exterior em 2014.É o que revela uma pesquisa realizada pelo site Hoteis.com, que avaliou o valor gasto em cerca de 510 mil estabelecimentos no mundo todo por pessoas de 29 nacionalidades.

Segundo o levantamento, os viajantes do Brasil desembolsaram, em média, R$ 400 em diárias de hospedagem ao visitar outros países no ano passado.

No topo do ranking vêm os argentinos, com média de gasto de R$ 425, seguidos pelos suíços (R$ 413), pelos noruegueses (R$ 408) e pelos norte-americanos (R$ 407).

Por outro lado, entre os viajantes que mais economizam com hotel estão os de Taiwan, com média de gasto de R$ 305 com diárias. Turistas da Holanda, Alemanha, Hong Kong e Espanha também figuram entre os mais econômicos do mundo.

Veja o ranking:

Quem mais gastou com hotel

1° – Argentina (gasto média de R$ 425 com diária)
2° – Suíça (R$ 413)
3° – Noruega (R$ 408)
4° – EUA (R$ 407)
5° – Brasil (R$ 400)

Os que menos gastaram

1° – Taiwan (R$ 305)
2° – Holanda (R$ 319)
3° – Espanha (R$ 324)
4° – Hong Kong (R$ 324)
5° – Alemanha (R$ 324)

Viagens domésticas

Já em viagens dentro do próprio país, aos brasileiros aparecem na 16ª posição da lista, com diária média de R$ 285. Os suíços e os noruegueses são os que mais gastam com hotéis dentro de seu território e os tailandeses e indianos, os que menos gastam.

Apesar de desembolsarem muito em viagens no exterior, os argentinos foram os que menos gastaram com hotéis em viagens domésticas, com uma média de R$ 241 por noite.

09:52 · 20.05.2015 / atualizado às 09:52 · 20.05.2015 por

Depois de alguns museus pelo mundo, é chegada a vez dos parques restringirem o uso do “pau de selfie”. Segundo o jornal americano Sentinel, o parque da Disney World, em Orlando, na Flórida (EUA), está pedindo aos seus visitantes que não usem o dispositivo nos brinquedos do parque.

Conforme publicado pelo Sentinel, um porta-voz do parque afirmou que os visitantes podem até levar o acessório para os brinquedos, mas devem guardá-lo de forma segura durante os passeios.

A política da Disney proíbe os turistas de usarem em seus brinquedos esse tipo de bastão que estende celulares e câmeras.

Recentemente, a Disney World colocou uma placa com os dizeres “No Selfie Sticks” (não usar paus de selfie) no brinquedo Thunder Mountain, no parque Magic Kingdom. Ele já teve que ser parado algumas vezes por causa do uso de paus de selfie em seu interior.

11:19 · 06.05.2015 / atualizado às 11:19 · 06.05.2015 por

O site YouthfulCities elegeu, por meio de uma pesquisa, as 55 cidades mais “jovens” do mundo. A grande vencedora deste ano foi Nova York, nos EUA, marcando pontos particularmente altos nas categorias música, filmes e estilo. Em seguida, vieram Londres, na Inglaterra, e Berlim, na Alemanha.

O estudo atribuiu pontos às cidades de acordo com 101 indicadores de juventude – entre eles, vida noturna, música, moda, acesso á internet e população jovem. O máximo possível de pontos é de 1.600 e Nova York obteve 1.024 pontos.

Cidades da América do Norte e da Europa dominaram o top 10. A primeira localidade fora desses continentes a figurar na lista é Tóquio, em 12º lugar.

Apenas duas cidades brasileiras entraram no ranking: o Rio, na 26ª colocação, com 759 pontos, e São Paulo, na 31ª posição.

Confira as Top 10:

1° – Nova York
2° – Londres
3° – Berlim
4° – São Francisco
5° – Paris
6° – Toronto
7° – Chicago
8° – Los Angeles
9° – Cidade do México
10° – Amsterdã

A pesquisa foi lançada no ano passado, mas a cidade vencedora da última edição, Toronto – que recebeu notas altas em empregos para jovens, acessibilidade digital, padrões de vida e outros fatores- caiu para sexto lugar na pesquisa deste ano. Nova York foi a terceira no índice do ano passado.

12:05 · 28.04.2015 / atualizado às 12:05 · 28.04.2015 por
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nos últimos anos, viajar aos Estados Unidos para comprar enxoval de bebê tornou-se uma febre entre os brasileiros. Mesmo como a oscilação do dólar, na opinião de muitos futuros pais ainda vale a pena fazer as compras lá fora.

Agora que tal contar com uma ajudinha a mais a fim de baratear a viagem? De olho nesse público, a loja Macrobaby, em Orlando (Flórida), está oferecendo estada e translado para clientes brasileiros.

O estabelecimento paga até quatro diárias de hospedagem, além do deslocamento entre o aeroporto e o hotel e deste para as dependências da Macrobaby, ida e volta. Para participar, basta fazer um depósito caução de US$ 400 e se comprometer a gastar, no mínimo, US$ 3 mil em produtos como carrinhos, roupas, mamadeiras, entre outros. Após atingir o montante, a quantia inicial é devolvida.

“Dessa maneira, garantimos que nossos clientes brasileiros continuem encontrando variedade e produtos mais baratos mesmo em um momento de crise”, explica Rachael Cunha, relações públicas da Macrobaby. Para ela, os impostos e a burocracia no Brasil são um empecilho para uma gama maior de itens e o resultado são preços até cinco vezes mais caros por aqui.

Diferenciais

Hoje, cerca de 30% dos clientes da marca são brasileiros. Para atender melhor a esse público, destaca Cunha, a loja criou alguns serviços especiais. A Mala de Enxoval, por exemplo, é uma embalagem única que permite despachar itens grandes, como um carrinho ou berço, o que facilita o embarque aéreo – o cliente sai da loja com a mala pronta. Também há a possibilidade de montar um enxoval pela internet, por Skype – na hora de buscar, todos os produtos já estarão embalados para o transporte.

A loja conta ainda com garantia estendida no Brasil e funcionários fluentes em português e espanhol – além, claro, do inglês.

Fica a dica para quem quiser conferir e ver se vale a pena!

09:56 · 26.03.2015 / atualizado às 09:56 · 26.03.2015 por

Em se tratando de viagens, o universo online está ganhando de vez mais a preferência dos viajantes. Em evento realizado na última terça-feira em São Paulo, o Fórum Panrotas, que reuniu representantes do turismo de todo o País para debater as tendências do setor diante da alta do dólar e da questão digital, apontou para esta perspectiva.

De acordo com o apresentado pelo presidente da Phocuswright, Tony D’Astolfo, empresa que pesquisa as tendências da indústria de viagens, o chamado turismo digital avança a olhos vistos com taxa da ordem de 90% na América do Norte, Ásia e Europa com o que ele denominou de “sharing” ou “renting economy”, por meio da qual qualquer pessoa pode alugar bens, desde carros a alojamentos por meio da internet.

Ele citou empresas como o Uber e o Airbnb, que não possuem um único equipamento e trabalham apenas com tecnologia, movimentando bilhões na indústria turística.

Ao mesmo tempo, chamou a atenção para a geração Y, ou geração da internet, público que procura fazer as coisas diferentes, buscando melhores preços e que gostam de confrontar as ofertas por meio dos sites comparadores modificando cada vez mais o cotidiano das empresas de viagens.

Com informações da Folha.

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o