Andarilho

Categoria: Dubrovnik


09:26 · 10.09.2013 / atualizado às 09:26 · 10.09.2013 por

A guerra que pôs fim ao comunismo foi positiva por uma série de fatores, entre eles o turismo. A extinta Iugoslávia, por exemplo, localizada na região dos Bálcãs – no sudeste da Europa -, ao ser dividida, resultou em países como Croácia, Eslovênia e Montenegro, que podem, e com certeza vão, surpreender os mais exigentes viajantes.

Acredite: explorar os segredos da Croácia, que, banhada pelo Mar Adriático, reúne baías, penínsulas e mais de mil ilhas, em uma costa toda recortada que em muitos pontos lembra a litoral da Grécia, é de deixar qualquer um de boca aberta. O país é puro encanto: reúne beleza natural e arquitetônica e muita história.

Um excelente ponto de partida é a sensacional Dubrovnik, no extremo sul, cidade para a qual o escritor inglês Lord Byron cunhou o título de “pérola do Adriático” e cuja parte antiga, envolta por uma muralha, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. E foi justamente por ela que comecei uma viagem pela região e que relato a partir desta semana.

A parte antiga da cidade, envolta por uma muralha, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco Foto: Anchieta Jr.
A parte antiga da cidade, envolta por uma muralha, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco Foto: Anchieta Dantas Jr.

 

As muralhas e a cidade antiga de outro ângulo Foto: Anchieta Dantas Jr.
As muralhas e a cidade antiga de outro ângulo Foto: Anchieta Dantas Jr.

 

A cor do mar, que varia do azul transparente ao verde esmeralda, é convidativa a nadar ou para um passeio de barco ou caiaque  Foto: Anchieta Dantas Jr.
A cor do mar, que varia do azul transparente ao verde esmeralda, é convidativa a nadar ou para um passeio de barco ou caiaque Foto: Anchieta Dantas Jr.

Ao longo da sua história, Dubrovnik foi uma cidade-estado, já que rivalizava com Veneza em riqueza e poder. Atingiu seu apogeu durante o século 15, atraindo os melhores escultores e arquitetos para decorá-la em estilo renascentista. Infelizmente, a idade de ouro terminou com o terremoto de 1667. Mas a cidade foi reconstruída, desta vez em estilo barroco. Em 1991, o bombardeio que a atingiu, com a guerra do Kosovo, chamou a atenção, e com ajuda internacional o dano foi reparado, com a cidade voltando a encantar com seu charme singular.

De fato, não há como não se render à beleza das ruas todas em mármore da parte histórica, alinhadas com edifícios barrocos pontuados por fontes e fachadas lindamente esculpidas. Além disso, os muros que envolvem Dubrovnik são os mais conservados e impressionantes em tamanho entre os que circundam outras cidades no Mar Adriático. Suas muralhas chegam a 25 metros de altura. O passeio é incrível, já que se anda dois quilômetros sobre o mesmo. É como uma avenida elevada: lá do alto vê-se a cidade, cercada pelo azul transparente do mar.

Stradun Placa, a rua principal - toda em mármore - e  as charmosas construções em pedra Foto: Anchieta Dantas Jr.
Stradun Placa, a rua principal – toda em mármore – e as charmosas construções em pedra Foto: Anchieta Dantas Jr.

Para entrar na Cidade Velha (Stari Grad), existem apenas duas entradas, dando acesso à Stradun Placa, a rua principal do lugar. Em uma delas, a grande Fonte de Onófrio, do século 13, convida os visitantes a conhecer a sua história. Desenhada por casas de pedra, a beleza é tanta que não dá mais vontade de ir embora.

Andando por Dubrovnik uma coisa é certa: você vai dar de cara com construções majestosas. Entre elas, o Palácio do Reitor, imponente exemplar da arquitetura do século 15, que abrigava a maior autoridade da república. Não deixe de conhecer também o Mosteiro Franciscano, com seu belo claustro e jardins. É lá onde fica, ainda, a mais antiga farmácia da Croácia e a terceira da Europa, datando de 1317.

Os edifícios barrocos pontuados fachadas lindamente esculpidas como o Palácio do Reitor são uma atração à parte Foto: Anchieta Dantas Jr.
Os edifícios barrocos pontuados fachadas lindamente esculpidas como o Palácio do Reitor são uma atração à parte Foto: Anchieta Dantas Jr.

 

Um teleférico nos leva ao alto de um morro de onde se tem uma vista deslumbrante de Dubrovnik e do Adriático Foto: Anchieta Dantas Jr.
Um teleférico nos leva ao alto de um morro de onde se tem uma vista deslumbrante de Dubrovnik e do Adriático Foto: Anchieta Dantas Jr.

 

Vamos experimentar a culinária local? Mexilhões e camarões são o que não faltam Foto: Anchieta Dantas Jr.
Vamos experimentar a culinária local? Mexilhões e camarões são o que não faltam Foto: Anchieta Dantas Jr.

No mais, caminhe admirando vitrines, passando pelo Palácio Sponza e a Catedral, perdendo-se por suas vielas, descobrindo charmosos restaurantes, até chegar ao mercado e apreciar o colorido do povo e da produção de frutas e legumes. Há também a opção de um teleférico que leva ao alto de um morro de onde se tem uma vista deslumbrante. Alternativa para admirar Dubrovink é pelo mar, em um passeio de barco ou, para os mais aventureiros, pilotando um caiaque. E quando o sol se põe a cidade fica toda iluminada. É hora de reservar um cantinho à beira-mar e admirar a lua, desejando nunca mais sair dali…

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o