Andarilho

Categoria: Fotografia


14:39 · 11.03.2016 / atualizado às 14:39 · 11.03.2016 por
Buenos Aires é um dos destinos internacionais contemplados pelo Phototrip.me Foto: Henderson Moret/Phototrip.me
Buenos Aires é um dos destinos internacionais contemplados pelo Phototrip.me Foto: Henderson Moret/Phototrip.me

Gente, em tempos em que as câmeras dos smartphones e os paus de selfie fazem sucesso entre os viajantes, um site lançado esta semana chega com uma proposta diferente para o registro de viagens: ter a viagem dos seus sonhos memorizada por fotógrafos? Isso é possível com o Phototrip.me, uma iniciativa criada por uma rede de profissionais especializados em turismo e fotografia em mais de 15 cidades do Brasil e do mundo.

Os principais conceitos dessa startup são a imersão cultural nas cidades e no cotidiano local, tudo registrado pela lente de profissionais, que também auxiliam com a curadoria de lugares de acordo com o gosto dos clientes. Com o Phototrip.me, a ideia é valorizar as experiências com a maior fidelidade possível.

“Muitas vezes o fotógrafo irá sugerir locais e pontos fora da rota turística tradicional para o ensaio”, explica o publicitário Túlio Pires Bragança, sócio-fundador do site. “A selfie ou uma foto de celular são válidos como um registro de viagem, mas acreditamos que a fotografia pode captar muito mais do que um simples frame. A nossa proposta é transformar estes momentos em souvenires que serão lembrados da mesma forma por anos e anos”, completa.

Onde o serviço está presente

Curitiba é uma das cidades brasileiras onde pode-se alugar um fotógrafo para registrar sua viagem Foto: Divulgação
Curitiba é uma das cidades brasileiras onde pode-se alugar um fotógrafo para registrar sua viagem Foto: Divulgação

Hoje, o serviço atende as seguintes cidades na Europa: Lisboa (Portugal), Londres (Inglaterra), Madri (Espanha), Paris (França) e Viena (Áustria). Já na América do Norte, trabalha com as duas principais cidades da costa leste e oeste dos Estados Unidos: Los Angeles e Nova York. Na América do Sul, o tour está presente em Buenos Aires, capital argentina, e deve atingir outras capitais até o fim do primeiro semestre. No Brasil, o Phototrip.me já existe em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Gramado, Ouro Preto, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Quanto custa

Segundo apurei, os preços variam de acordo com o destino e o tempo da sessão de fotos, que pode durar de uma a quatro horas. O ensaio geralmente custa entre R$ 250 e R$ 800 e pode incluir até quatro locações (o site fica com 20% do valor do serviço).

“Nosso diferencial é ser uma alternativa de turismo diferente e criativa. Pode ser uma tarde de um casal, um presente para os pais ou um dia legal com amigos. Fora que o preço, principalmente nas cidades brasileiras, é bem interessante”, afirma Henderson Moret, fotógrafo e também fundador do Phototrip.me.

A ideia nasceu como uma rede de fotógrafos brasileiros pelo mundo, mas o objetivo é logo incorporar profissionais que falam espanhol para atingir o restante da América Latina. Em uma segunda fase do projeto, pretende-se promover eventos como caminhadas e tours fotográficos, workshops de fotografia e exposições da equipe.

Muito legal, né?

16:52 · 27.07.2015 / atualizado às 16:52 · 27.07.2015 por

Bastao-de-selfie-viagem

Nos últimos meses, os populares (e às vezes odiados) paus de selfie, equipamentos retráteis que permitem tirar fotos com maior distância e melhores ângulos, foram proibidos em diversos pontos turísticos pelo planeta. A principal justificativa é de que eles são perigosos para a segurança dos visitantes.

No entanto, para ajudar os turistas que querem garantir boas imagens, um novo site indica em que lugares eles ainda são permitidos.

Trata-se do “Can I bring my selfie stick” (‘posso levar meu pau de selfie’, em português), onde é possível fazer a pesquisa por nome da atração, cidade ou país.

O site funciona em inglês – por isso, o nome das cidades, países e atrações devem ser pesquisados nessa língua.

Entre atrações populares ao redor do mundo onde o pau de selfie é proibido estão os parques da Disney nos Estados Unidos e diversos museus, como o Palácio de Versalhes, na França, a National Gallery, em Londres, e o Metropolitan Museum of Art, em Nova York.



12:00 · 03.07.2015 / atualizado às 10:32 · 03.07.2015 por
Michelle Obama anuncia fim da proibição a fotografias durante os tours para turistas na Casa Branca' (Foto: Reprodução/Instagram/Michelle Obama)
Michelle Obama anuncia fim da proibição a fotografias durante os tours para turistas na Casa Branca’ (Foto: Reprodução/Instagram/Michelle Obama)

Visitar lugares que admiramos e não poder fotografar não está com nada. O fato é que banidas por décadas, fotos, agora, serão permitidas nos passeios guiados feitos dentro da Casa Branca, sede da presidência dos Estados Unidos, em Washington-DC. O anúncio da liberação foi feito nesta quarta-feira (1º) pela primeira-dama do país, Michelle Obama, em um vídeo divulgado em sua conta no Instagram.

Na gravação, ela é vista rasgando ao meio um aviso que era exibido durante os horários das visitas turísticas, onde estava escrito “nenhuma foto ou mídia social permitida”.

Assista ao vídeo:

YouTube Preview Image

Nenhuma razão foi dada para a mudança. Visitantes poderão, a partir de agora, usar câmeras de celulares e máquinas fotográficas compactas nas visitas.

No entanto, quem ficou empolgado para fazer uma selfie vai ter que se adaptar – o uso de paus de selfie continua proibido, assim como as câmeras de vídeo, máquinas com lentes separadas, tablets, tripés e monopés. O uso de flash ao fazer as fotografias e realizar transmissões ao vivo também permanecem proibidos.

15:01 · 29.05.2015 / atualizado às 15:01 · 29.05.2015 por
As fotos revelam momentos únicos do cotidiano do local, suas belezas culturais e naturais Foto: Roberto Vieira/Divulgação
As fotos revelam momentos únicos do cotidiano do local, suas belezas culturais e naturais Foto: Roberto Vieira/Divulgação

Para quem gosta de viajar por meio de imagens, a pedida é conferir aqui em Fortaleza, a partir deste sábado (30), a Exposição Fotográfica Compartilhando o Mundo: Tailândia, do fotógrafo baiano, radicado no Ceará, Roberto Vieira. A mostra será aberta com um jantar temático assinado pela chef Liliane Pereira, exclusivo para convidados.

Instalada na Nova Acrópole Fortaleza, a exposição, que permanece aberta a visitação gratuita de 1º a 13 de junho, das 18h30 às 22h, reúne 17 fotografias. As fotos foram produzidas na última viagem realizada pelo artista e revelam momentos únicos do cotidiano do local, suas belezas naturais e culturais.

Roberto Vieira já participou de diversos salões de fotografia nacionais e internacionais em países como Eslovênia, Sérvia, Argentina, Inglaterra e Croácia, recebendo vários prémios.

Gastronomia

A exposição será aberta com uma mostra da gastronomia tailandesa. Com menu coordenado pela chef Liliane Pereira, os convidados poderão apreciar um típico jantar daquele país asiático.

Serviço:
Compartilhando o Mundo: Tailândia
Abertura: sábado, 30 de maio (apenas para convidados)
Visitação gratuita: 1º a 13 de junho de 2015
Horário: segunda à sexta, das 18h30 às 22h
sábado, das 15h às 19h.
Local: Nova Acrópole Fortaleza (Rua Vicente Leite, 2451, Dionísio Torres)
Mais informações: (85) 3257-2777 e 8833-3217
web: facebook.com.br/nafortaleza ou www.acropole.org.br

09:22 · 13.11.2014 / atualizado às 09:22 · 13.11.2014 por

Visitar Paris e não tirar uma foto da Torre Eiffel é como ir à Roma, como se diz popularmente, e não ver o Papa. Porém, a partir de agora, é bom tomar cuidado, pois se o registro for feito à noite, o turista corre o risco de ter que pagar multa. Supreso? Eu também!

É que uma lei diz que fotos noturnas da torre estão sujeitas à pagamento de direitos autorais ao artista responsável por posicionar os canhões de luz sobre a edificação. Isto porque, a iluminação é tecnicamente considerada uma obra de arte, então qualquer reprodução requer a permissão do artista.

Isso também significa que é ilegal compartilhar essas imagens nas redes sociais. Em seu site, a Torre Eiffel confirma que usos de fotografias estão sujeitas a certas restrições.

Já as fotos feitas durante o dia estão livres de questionamento, dado que a torre foi construída em 1889, ou seja, já caiu em domínio público.

O fato é que as diretrizes da União Europeia, datadas de 2001, indicam que fotografias de obras arquitetônicas em espaços públicos podem ser tiradas de forma gratuita, mas a cláusula é opcional, segundo informou o tabloide britânico Daily Mail. Países como Itália, Bélgica e França, por exemplo, optaram por não seguir essa indicação.

O que quase que a totalidade dos turistas não sabem é que muitos edifícios em toda a Europa estão protegidos por direitos autorais. Os visitantes devem pedir permissão do detentor dos mesmos para compartilhar suas fotos em locais públicos.

Na Romênia, Bulgária e Eslovênia, por exemplo, pode-se tirar fotos de edifícios públicos, desde que as imagens não sejam vendidas. Enquanto isso, no Reino Unido, Holanda e Alemanha, todos têm a liberdade de registrar e compartilhar imagens de prédios públicos por qualquer motivo.

Com informações de O Globo.

10:00 · 18.05.2011 / atualizado às 10:00 · 18.05.2011 por

A princípio, era o tipo da coisa que não chamava muito a minha atenção, mas depois de tanto andar por aí, percebi que pode dar um toque todo especial, divertido e bastante cultural ao álbum de viagens. O fato é que, hoje em dia, não abro mão de encontrar artistas de rua para observar suas peripécias e registrá-las, é claro!

Em vários locais, eles aproveitam o fato de a cidade ter muitos turistas, com dinheiro suficiente pra gastar, e assim ganhar alguns dólares, euros e até mesmo reais. E por que não? Afinal, aqui pelo Brasil eles também estão por toda parte, em troca da exibição dos seus dons.

As apresentações são das mais diversas possíveis: dança de rua, violão e voz, só voz, instrumentos curiosos, malabarismos, estátuas-vivas, personagens da história e o que mais a imaginação permitir. Então, munido da minha câmera, passei a registrar algumas dessas performances.

Acredito que não haja nada mais pitoresco, cheio de vida e que traduza mais a cultura e o hábito local do que essa turma. E aí, vamos adotar a ideia? Com, ou sem você na foto, aposto que seus amigos vão adorar e você vai ter várias historias pra contar e recordar. Vamos a elas?

Em Praga, na República Tcheca, por exemplo, muitos desses artistas se apresentam pela famosa “Charles Bridge”, ponte de pedestres que corta a Cidade. Seja de dia ou de noite, lá estão eles.

Simpático realejo em Praga
Interessante fazer música a partir de taças de vidro

Curioso é o fato de que, apesar de se estar em pleno leste europeu, o jazz norte-americano toma conta do pedaço. Não são poucas as pessoas que param para escutá-los.

Quarteto dá um show de jazz na Charles Bridge, em Praga

Como a Cidade guarda todo o clima medieval, legal também é bater uma foto com aqueles que se vestem com roupas de época e fingem guardar as torres nas extremidades da ponte. Olha só a que tirei!

Barrado pela guarda!

Berlim também reserva muitas experiências interessantes. Como uma das passagens da história que mais marcou a Capital alemã foi a Guerra Fria, desencadeada logo após a 2ª Guerra Mundial, quando Cidade foi dividida em quatro setores: americano, francês, britânico e soviético, só o que se vê são pessoas vestidas de soldados de algumas dessas potências militares, à época, dispostas a bater uma foto com você, para que leve como recordação. Em regiões como a Pariser Platz, onde fica o Portão de Brandenburger, e a Potsdamer Platz são mais fáceis de encontrá-los.

De uniformes militares, esses modelos nos remetem à época da Guerra Fria
Checkpoint Charlie: ponte de passagem mais famoso entre os lados ocidental e oriental de Berlim

Para os amantes da música clássica que tal uma foto com o célebre Mozart? Pois bem, a figura do compositor é amplamente explorada pelas ruas e praças tanto de Viena, capital da Áustria, como de Salzburg, sua terra natal. E olha, eles capricham no visual!

Performance de Mozart na Capital austríaca

Já em Bratislava, Capital da Eslováquia, observe a perfeição do guarda na trincheira! Imitando uma das várias estátuas de bronze espalhadas pela Cidade, ele se apresenta como uma das estátuas-vivas mais perfeitas que já encontrei.

À direita da foto, estátua-viva em Bratislava, na Eslováquia

Outra possibilidade é, uma vez em Londres, pedir para ser fotografado com os “punks” que proliferam por Candem Town ou nas redondezas de Convent Garden. Eles podem não parecer muito simpáticos, mas estão lá pra ganhar alguns trocados. Então, não perca tempo!

Punks em Londres: vai uma foto aí?

Da Escócia, acabei trazendo um pouco da cultura do lugar com a foto que tirei com um nativo vestindo o famoso “kilt” (aquela típica saia xadrez) e tocando uma gaita de fole. Muito bacana!

Nativo com trajes típicos e gaita de fole, em Edinburgh, na Escócia

Se você gostou da dica, use e abuse da criatividade. Para ajudar, não deixe de acessar também o post que fiz sobre fotografias, com alguns truques pra deixar suas fotos ainda mais interessantes. Boa sorte!

11:16 · 13.05.2011 / atualizado às 11:21 · 13.05.2011 por

Fins de semana, feriados prolongados, férias. Sempre há a oportunidade de sair por aí, aproveitar o que o mundo tem a oferecer e, claro, registrar esses momentos como recordação para depois mostrar para a família e para os amigos. Ainda mais em tempos de mídias sociais, quando podemos compartilhá-los em tempo real. Coisa boa, não? Eu, pelo menos, adoro!

Viagens sem fotos não têm graça!

Mas o que mais me chama a atenção é que, freqüentemente, observo álbuns de viagem em que a maioria das fotos mostra “eu no restaurante”, “eu na praia”, “eu na balada”, “eu e a galera” e nada de fotos da paisagem, da cidade, da estrada, de animais, da vegetação, ou de algo típico da região. Ou seja, as imagens não mostram nada que indique o local visitado! São fotos que poderiam ter sido feitas na própria cidade de origem. Na verdade, penso que fotografias devem contar histórias! Sobretudo em viagens.

Pessoal, nada mais legal do que, através das fotos, viajarmos junto com quem foi. Portanto, não economize nos “flashes”!

Assim, registre o caminho percorrido, os meios de transporte utilizados, os restaurantes e comida locais, os atrativos visitados, as pessoas do lugar, as lojas de artesanato, a arquitetura histórica, as paisagens mais bonitas, as atividades que marcaram o passeio, enfim, detalhes do local. E, obviamente, no meio disso tudo, você e a “galera”.

Detalhe de um dos santos que ornamentam a Charles Bridge em Praga, na República Tcheca
Pôr do sol em Berlim, Alemanha. Na foto, o Rio Spree. Observe o colorido das árvores no outono em contraste com a luz do sol...
Teto de uma das salas do Parlamento em Budapeste, Hungria. Valeu o registro!

Porém para tirar boas fotos existem alguns “truques”. Dicas que podem fazer toda a diferença e causar aquela sensação em quem vai ver: nossa, mas que fotos lindas! E, aqui pra nós, quem não fica envaidecido com um elogio desses, heim?!

Para ajudar a gente nessa tarefa, tornando nossos “cliques” mais interessantes, resolvi procurar uma amiga, que além de fotógrafa profissional, é, também, uma apaixonada por viagens. Ela se chama Juliana Vasquez.

Juliana Vasquez: fotógrafa profissional e apaixonada por viagens

Já trabalhamos juntos e sei do talento da moça. Portanto, caneta e papel na mão, porque os conselhos que ela me passou são bem legais. Em dez passos, veja o que ela recomenda:

1. Experimente deixar o assunto principal no canto da fotografia, direcionando o olhar do retratado para dentro da foto, assim você cria ambiente na cena;

2. Fique no mesmo nível do seu modelo, você vai ver como fica mais interessante do que se fosse tirada do alto;

3. Cuidado com o fundo do objeto a ser fotografado. Em algumas composições podem parecer que um galho ou um poste “nasce” da cabeça de alguém que está na foto;

4. Evite o uso do flash, use somente se necessário. Algumas câmeras possuem modo noturno, o que proporciona uma fotografia mais natural e quente;

5. Tenha sempre uma bateria (ou pilhas) reserva, pois ela vai te deixar na mão na hora que você mais precisar… (eu acrescentaria ainda um cartão de memória extra);

6. Lembre que os horários próximos ao nascer e pôr do sol, a luz é mais suave, proporcionado mais sombras, texturas e beleza para suas fotos;

7. Capture sentimentos espontâneos. Fotos posadas perdem toda a naturalidade;

8. Fotografe mais a cultura do lugar e menos você. Quando você voltar da viagem é isso que as pessoas e até mesmo você vai querer ver;

9. A fotografia é muito subjetiva, portanto não há regras;

10. O seu olhar é mais importante que sua câmera, então capriche no ângulo, nem que para isso você precise voar de parapente, subir em uma árvore, deitar no chão, correr ou esperar pacientemente o momento exato do clique.

E como ela mesma diz: enjoy e boa sorte!

Bacana não? Então que tal já começar a praticar? O fim de semana está aí!

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o