Andarilho

Categoria: Grécia


07:00 · 24.06.2014 / atualizado às 00:38 · 24.06.2014 por

O fato de a seleção grega vir jogar em Fortaleza me deixou muito feliz. A Grécia foi um dos lugares mais incríveis que já visitei. Pra começar, é a terra de Alexandre o Grande, Pitágoras, Sócrates, Platão e Aristóteles; lugar onde a Democracia foi concebida e ainda o local onde também se originaram as olimpíadas.

Este talvez seja o país mais importante para traçar a narrativa de formação da sociedade e do homem moderno. Nenhuma outra viagem, acredito, tenha ido tão longe ao berço da cultura, da história e da filosofia.

E uma prova disso a gente tem ao desembarcar em Atenas, a sua capital. A cidade, que se estende aos pés da Acrópole, que chega às águas do mar Egeu e ainda às planícies da Ática, possui locais e monumentos deslumbrantes. E é, de fato, uma metrópole, pois sua população chega aos quatro milhões, se contar os arredores.

Atenas Foto: Divulgação
Atenas Foto: Divulgação

Cercada pelas montanhas Parnitha, Pendeli e Hymettos, tem como montes mais proeminentes os da Acrópole e Lykavittos – este último o mais alto, e que são duas das principais referências na cidade e de onde se tem belas vistas da Capital grega.

A Acrópole de Atenas Foto: Divulgação
A Acrópole de Atenas Foto: Divulgação

A parte moderna está dividida em áreas, sendo que a Praça Syntagma – com o parlamento bem em frente, é o seu epicentro, com mais quatro bairros em seu redor. Tudo o que vale a pena ser visto situa-se a poucos minutos a pé deste ponto.

Praça Syntagma e o Parlamento Foto: Wikimedia Commons
Praça Syntagma e o Parlamento Foto: Wikimedia Commons

As principais atrações resumem-se em oito: a Acrópole, a Ágora Antiga (espécie de mercado da época do apogeu da civilização grega), o Teatro de Dionísio, o Teatro de Heródes Árticos, a Ágora Romana (edificada mais tarde pelos romanos), a Biblioteca de Adriano, o Templo de Zeus e o Arco de Adriano.

Teatro de Dionísio Foto: Divulgação
Teatro de Dionísio Foto: Divulgação
Templo de Zeus Foto: Divulgação
Templo de Zeus Foto: Divulgação

Não estão todas completamente de pé e em bom estado de conservação, é claro, mas já que a maioria data do século cinco antes de Cristo. Mas acredite, é impressionante estar lá!

Mas, além dos locais históricos clássicos de renome, a cidade abunda em monumentos bizantinos, medievais, do século XIX, e possui alguns dos melhores museus do mundo – neste quesito eu citaria o novo Museu da Acrópole (com objetos descobertos no local) e o Museu Arqueológico Nacional (o mais abrangente sobre a civilização grega).

Museu da Acrópole Foto: Divulgação
Museu da Acrópole Foto: Divulgação

Entre as áreas de Atenas a visitar a melhor escolha recai sobre Plaka, um encantador bairro com construções do século XIX, que se situa logo após as duas ágoras, a sudoeste da Acrópole, e que combina a arquitetura grega e otomana, em ruas estreitas, repletas de lojinhas, cafés, bares e restaurantes. Enfim, um lugar com vida intensa para ir de dia e de noite.

Bairro de Plaka Foto: Divulgação
Bairro de Plaka Foto: Divulgação

Ainda na lista do que ver e fazer na Capital da Grécia, vale assistir a troca da guarda em frente ao Parlamento, que acontece a cada hora (o uniforme dos guardas são uma atração a parte) e percorrer também os Jardins Nacionais logo ao lado; assim como o estádio olímpico Panathinaiko, que fica por trás.

Troca da Guarda Foto: Anchieta Dantas Jr.
Troca da Guarda Foto: Anchieta Dantas Jr.

Mas a Grécia não vive apenas de ruínas como muita gente pensa. De fato, o primeiro grande atrativo para quem aporta por lá é a sua história milenar, no entanto, outro forte motivo para conhecê-lo são suas ilhas cinematográficas.

Os inesgotáveis arquipélagos gregos são a pura tradução do paraíso. Pode ser o mar Egeu, Jônico ou o Mediterrâneo, a cor será sempre azul. A Grécia abrange mais de duas mil ilhas, das quais não muito mais que 100 chegam a ser habitadas. Elas dividem-se em seis grupos: Sarônicas, Cíclades, Jônicas, Espórades, do Dodecaneso e do Nordeste do Mar Egeu.

O arquipélago das Cíclades ostenta as ilhas mais populares, de maior beleza e agito. Entre as que visitei estão Mykonos e Santorini, as quais recomendo de olhos fechados. Veja só estas imagens pra saber porquê:

Mykonos Foto: Divulgação
Mykonos Foto: Divulgação
Little Venice, em Mykonos  Foto: Divulgação
Little Venice, em Mykonos Foto: Divulgação
Casas típicas de Mykonos Foto: Divulgação
Casas típicas de Mykonos Foto: Divulgação
Praia de Ornos Foto: Divulgação
Praia de Ornos Foto: Divulgação
Santorini Foto: Divulgação
Fira, capital de Santorini Foto: Divulgação
A imensidão azul do mar em Santorini Foto: Divulgação
A imensidão azul do mar em Santorini Foto: Divulgação
O famoso por do sol em Oia, segunda maior cidade da ilha Foto: Divulgação
O famoso por do sol em Oia, segunda maior cidade da ilha Foto: Divulgação

Se você ficou tão encantado com a Grécia quanto eu fiquei, que tal planejar uma viagem pra lá também?

Segue algumas informações básicas lhe ajudar a começar a organização:

Site do país – www.visitgreece.gr

Como chegar – não existem voos diretos do Brasil para a Grécia, no entanto todas as grandes companhias aéreas europeias que operam por aqui voam a Atenas, a partir de cidades como Lisboa, Madri, Londres, Paris, Roma e Frankfurt. Para os cearenses uma boa pedida é a TAP, que voa de Fortaleza a Lisboa e de lá à capital grega.

Melhor época para ir – de maio a outubro, com a alta temporada indo de julho e agosto.

Moeda – Euro

Idioma – Grego, mas o inglês é amplamente falado.

Vistos – brasileiros não precisam de vistos para viagens a turismo de até 90 dias.

Vacinas -não existem recomendações.

Leia mais sobre a Grécia:

Chegando a Atenas

O que ver e fazer na Capital grega

Mykonos: a mais badalada das ilhas da Grécia

Explorando Santorini: exotismo, beleza e sofisticação

Trocas da guarda atraem turistas mundo afora

 

 

 

10:32 · 28.06.2013 / atualizado às 10:32 · 28.06.2013 por

Nas diversas viagens que fiz, tive a oportunidade de assistir a várias trocas da guarda. Seja pela pompa, beleza ou pela curiosidade que despertam, tem algumas que não podem ficar de fora da programação de quem visita muitas cidades mundo afora. Assim, selecionei algumas para lhe indicar.

Para começar, eu não poderia deixar de citar a troca da Guarda Real Britânica, que acontece em frente ao Palácio de Buckingham, em Londres. Ela é uma tradição militar que hoje em dia tem apenas valor simbólico e cultural, sendo realizada para os turistas e visitantes interessados em participar da tradição local.A cerimônia é um desfile muito bonito e vibrante. Os famosos soldados vestem um uniforme de túnica vermelha e um gorro alto preto de pele de urso, que são marcas registradas do desfile, sem contar a cavalaria. Tudo dura aproximadamente 30 minutos e pode ser visto de graça. Começa às 11h30 da manhã todos os dias de maio a julho e em dias alternados no resto do ano.

Troca da Guarda Real Britânica Foto: Divulgação
Troca da Guarda Real Britânica Foto: Divulgação

Outra cerimônia que merece ser vista é a troca da guarda grega. Aliás, a mais divertida e curiosa que tive a chance de ver, e que acontece diariamente, de hora em hora, em frente ao Parlamento, em Atenas, capital do País. O que mais me chamou a atenção foi a farda, ou neste caso o melhor seria dizer a “fantasia”, usada pelos guardas, que somente pode ser comparada à da Guarda do Vaticano. Eles vestem uns tamancos ornados com uns pompons na ponta, uma calça justa coberta por uma saia, além de colete e uma boina vermelha com muito estilo. Tudo isto combinado a movimentos também muito engraçados, que são feitos vagarosamente, como se estivessem em câmera lenta e com uma sincronia absurda. Surpreendente!

Troca da guarda em frente ao Parlamento grego, em Atenas Foto: Anchieta Dantas Jr.
Troca da guarda em frente ao Parlamento grego, em Atenas Foto: Anchieta Dantas Jr.

Outra bem marcante é a que ocorre no Palácio La Moneda, sede da presidência da república, em Santiago, capital do Chile. Este é um dos eventos cívicos mais particulares da cidade devido a sua elegância, formosura e ordem, e porque têm se desenvolvido sem interrupção desde suas origens em meados do século 20. A troca da guarda chilena se realiza em dias pares dos meses de janeiro, abril, maio, agosto, novembro e dezembro; e em dias ímpares dos meses de fevereiro, março, junho, julho, setembro e outubro, entre as 10h e as 10h45.

Também recomendo a que ocorre de hora em hora no Castelo de Praga, na República Tcheca. Mas é ao meio dia que ocorre a cerimônia mais pomposa, onde os soldados vestidos em trajes de gala fazem a troca da bandeira, com direito inclusive ao acompanhamento da banda do exército. Assim como ocorre em alguns outros palácios, como o de Buckingham, em Londres, os soldados devem permanecer completamente imóveis em seus postos. Fica a dica. São todas imperdíveis!

15:27 · 04.10.2011 / atualizado às 15:27 · 04.10.2011 por

Acredite, você está na ilha mais bonita do planeta! Com paisagens de tirar o fôlego para onde quer que se olhe, Santorini, outra das ilhas Cíclades, como nenhuma outra no meio de um imenso azul, não vai lhe decepcionar, e se traduz no mais perfeito cartão postal das ilhas gregas.

Santorini: perfeito cartão postal das ilhas gregas Foto: Anchieta Jr.

A ilha é, na verdade, o que sobrou depois de uma erupção vulcânica há 3.600 anos, um evento ainda envolto em mitos e lendas.

Santorini fica a apenas 45 minutos de avião de Atenas, ou pode ser acessada pelo mar (ferries partem do Porto de Piraeus, também na Capital grega) em uma viagem que pode levar até oito horas, a depender do tipo da embarcação.

A paisagem é árida, mas tem inúmeras e charmosas vilas com casas com vista para a grande caldeira – enorme cratera de um vulcão ainda ativo -, quase caindo no precipício, que dão todo o charme e diferença ao lugar.

A principal cidade é Fira, ou Thira em grego, onde se concentra a maior parte da agitação, com comércio e vida noturna mais movimentada, ou seja, é nela onde está a maior parte dos bares e “discos” da ilha. É também de lá que saem ônibus para todas as praias e demais localidades de Santorini (as passagens chegam a no máximo a 2,20 euros o trecho). Se preferir, carros, motos e quadriciclos também podem ser alugados.

Fira é a principal cidade da ilha Foto: Anchieta Jr.

Merece destaque ainda Oia (se diz Ia), como o mais famoso pôr-do-sol da ilha; e Firostefani, mais calma, mas com restaurantes e pequenos hotéis super encantadores!

A bela Oia Foto: Anchieta Jr.
O mais bonito pôr-do-sol pode ser vislumbrado de Oia Foto: Anchieta Jr.
A charmosa e sofisticada vila de Firostefani Foto: Anchieta Jr.

Além das casinhas brancas de janelas azuis – pelo menos a maior parte delas – outro diferencial do lugar é suas praias de areias negras, para não dizer pedrinhas, devido a origem vulcânica. Dessa forma, curtir o sol vai pedir uma esteira ou uma toalha. É possível ainda estirar-se em confortáveis cadeiras com almofadas, mas isto pode lhe custar até sete euros…

Não espere ondas, afinal a ilha é banhada por um mar (o Egeu) e não por um oceano como as nossas praias. A água é bem fria, mas nada que depois de alguns minutos não vá lhe fazer relaxar em meio ao azul cristalino.

A Praia de Kamari é uma das mais visitadas Foto: Anchieta Jr.
A super cool orla de Kamari Foto: Anchieta Jr.
Perissa e sua areia negra Foto: Anchieta Jr.

As praias mais badaladas são Kamari (um luxo, com muitos bares e bistrôs à beira-mar), Perissa e Perívolos. Mas tem também as mais exóticas como The Red Beach (Praia Vermelha) e The White Beach (Praia Branca), que valem o passeio. Para chegar pegue um ônibus a partir de Fira (a passagem custa 1,6 euros) e caminhe da parada até a primeira. A segunda só é acessível de barco, que você toma próximo à parada de ônibus (sai por cinco euros). Gente, o visual é de babar!

Praia Branca Foto: Anchieta Jr.
O local é garantia de sossego Foto: Anchieta Jr.
Chegando à Praia Vermelha Foto: Anchieta Jr.
Exotismo e relax à beira-mar Foto: Anchieta Jr.

Outro “must to do” em Santorini é o tour até a caldeira, ou ilha do vulcão. As escunas (são lindas!) partem do porto antigo de Fira e o passeio pode ser estendido até a ilha vizinha, Palia Kameni, que tem águas termais, de cor avermelhada, onde se pode nadar.

Escunas levam até a cratera, um vulcão ainda ativo Foto: Anchieta Jr.
Ao todo são três crateras. A mais alta ainda está ativa Foto: Anchieta Jr.

Ao todo, o passeio leva três horas e vai lhe custar 20 euros. Detalhe: o barco para a cerca de 50 metros dessa ilha, o que significa que você terá que nadar até lá toda esta distância a uma profundidade de dez metros. Ufa! Eu fui… Uma aventura! Chegando lá, as águas são rasas.

Palia Kameni, que tem águas termais, de cor avermelhada, onde se pode nadar Foto: Anchieta Jr.

Uma coisa interessante é que, além de por meio de um teleférico, você desce até o porto de Fira no lombo de mulas (eu não me aventurei!) ou a pé, percorrendo 578 degraus. Para compensar o esforço, a vista faz por merecer.

Se não quiser ir à pé ou de teleférico, mulas te levam pelos 578 degraus do porto antigo até Fira Foto: Anchieta Jr.

Além das famosas iguarias gregas, que eu já citei nos posts anteriores, em Santorini, o destaque vai para o vinho. Fruto de uvas cultivadas abaixo do solo, que só existem por lá, a bebida é uma delícia. Prove o Santo! Se desejar, existe um museu do vinho que pode ser visitado e fica na metade do caminho para a praia de Kamari.

A melhor época para conhecer a ilha vai de maio a setembro, com a alta estação caindo entre julho e agosto, quando a ilha ganha lotação superior à que já recebe nos outro meses. Fora desse período esqueça! A temperatura não ajuda e hotéis e restaurantes chegam a fechar às portas até a próxima temporada.

Opções de hospedagem não faltam! Com vista para a caldeira a conta se torna bem mais salgada. Mas há hotéis e pousadas mais em conta se você dispensar esse mimo.

E é por tudo isso que Santorini é o destino mais procurado por turistas que vão à Grécia!

12:58 · 30.09.2011 / atualizado às 12:58 · 30.09.2011 por

A Grécia não vive apenas de ruínas como muita gente pensa. De fato, o primeiro grande atrativo para quem aporta por aqui é a sua história milenar, mas vamos combinar: antiguidades são magníficas, intrigantes… Mas uma hora cansa, e aí os olhos se voltam para outro forte motivo para dar uma voltinha por estas bandas. Estou falando das suas ilhas cinematográficas!

Os inesgotáveis arquipélagos gregos são a pura tradução do paraíso. Pode ser o mar Egeu, Jônico ou o Mediterrâneo, a cor será sempre azul. O País abrange mais de duas mil ilhas, das quais não muito mais que 100 chegam a ser habitadas. Elas dividem-se em seis grupos: Sarônicas, Cíclades, Jônicas, Espórades, do Dodecaneso e do Nordeste do Mar Egeu.

O arquipélago das Cíclades ostenta as ilhas mais populares, de maior beleza e agito. Então, não precisa nem dizer para onde eu fui, não é?! Mykonos e Santorini foram os meus destinos por quase uma semana, depois de três dias passeando por Atenas.

Mykonos é o incrível azul do Mar Egeu Foto: Anchieta Jr.

Mas vamos começar falando de Mykonos. Com praias lindas e agitadas e uma noite para ninguém colocar defeito, esta ilha tem um carisma único e que, segundo se ouve por aqui, consegue constantemente se reinventar, deixando seus visitantes sempre encantados.

A ilha fica a apenas meia hora de avião de Atenas Foto: Anchieta Jr.

Sua capital é Chora, em grego, ou Mykonos Town, em inglês, como é popularmente chamada. Fica a cerca de quatro horas de ferry do Porto de Piraeus, em Atenas; ou apenas meia-hora de avião. É famosa pela atmosfera cosmopolita, pelas lojas de griffe, pela movimentada vida noturna e pelas casas brancas e igrejas com cúpulas azuis.

A famosa arquitetura cíclade, com o predomínio do branco Foto: Anchieta Jr.
Mykonos e sua Little Venice Foto: Anchieta Jr.
Chora reúne bares e restaurantes cheios de charme Foto: Anchieta Jr.

As praias mais disputadas são Platys Gialos, a melhor para relaxar ao sol e aproveitar um banho de mar; Paradise, pelo agito, com DJs esquentando ainda mais as suas areias da tarde ao anoitecer; e Super Paradise, eu diria mais chique e exclusiva, com preços correspondentes ao que oferece. Esta tem também área para nudismo.

A relaxante Platys Gialos Foto: Anchieta Jr.
Paradise Beach: onde o povo bonito circula Foto: Anchieta Jr.
O colorido de Paradise ganha mais força ao som de DJs ao cair da tarde Foto: Anchieta Jr.
A exclusividade de Super Paradise Foto: Anchieta Jr.

Uma vez por aqui, não deixe de curtir ainda o pôr-do-sol em Lit
tle Venice, área de Chora onde a água bate nas construções, e que, pela leve semelhança a Veneza, resolveram dar este nome fazendo uma alusão à cidade italiana.

Sentar em um dos seus inúmeros cafés ou bistrôs para um bom vinho, ou um coquetel, a olhar os famosos moinhos de vento é o que há. Ao anoitecer, deixe-se levar pelos sabores dos diversos restaurantes ao redor e não perca a pose caindo em uma das badaladas pistas de dança que pipocam pelos bares e discos em suas ruelas. Um “must have to go”!

Moinhos de vento: cartão postal de Mykonos Foto: Anchieta Jr.

Mas um lembrete! A melhor época para vir é entre os meses de junho e setembro. Com a alta estação se concentrando nos meses de julho e agosto, auge do verão europeu. Nos outros meses a ilha praticamente fecha as portas…

Para melhor aproveitar todas as possibilidades do lugar, sugiro hospedar-se próximo à cidade, de onde partem ônibus para todas as praias a cada meia-hora (as passagens saem por 1,60 euros) e onde é possível curtir a balada e voltar com segurança para o hotel. Pode-se também alugar motos, quadriciclos ou mesmo carros, com diárias a partir de dez euros.

Outra dica bacana, e que seu bolso vai agradecer, é que, no centro de Chora, para ingressar nos locais onde se dança não é preciso pagar entrada; ao contrário do que acontece, por exemplo, no renomado Cavo Paradiso, em Paradise Beach.

Outra barbada, é que uma vez nas discos da Cidade, você pode consumir no bar local ou simplesmente adquirir sua bebida nos pequenos mercados das redondezas pagando a metade do preço e retornar para dançar! Não, eles não se importam com isso, se é o que você está imaginando.

E mais, se as reservas dos hotéis forem feitas com bastante antecedência, os preços parecerão bastante convidativos.
E aí, está esperando o que para vir para cá?!

10:06 · 28.09.2011 / atualizado às 10:06 · 28.09.2011 por

Atenas, a cidade que se estende aos pés da Acrópole, que chega às águas do mar Egeu e ainda às planícies da Ática, possui locais e monumentos deslumbrantes. E é, de fato, uma metrópole, pois sua população chega aos quatro milhões, se contar os arredores.

Cercada pelas montanhas Parnitha, Pendeli e Hymettos, tem como montes mais proeminentes os da Acrópole e Lykavittos – este último o mais alto, e que são duas das principais referências na cidade e de onde se tem belas vistas da Capital grega.

Acrópole: o pirncipal cartão postal da Cidade Foto: Anchieta Dantas Jr.

Atrações

A Atenas moderna está dividida em áreas, sendo que a Praça Syntagma – com o parlamento bem em frente, é o seu epicentro, com mais quatro bairros em seu redor. Tudo o que vale a pena ser visto situa-se a poucos minutos a pé deste ponto.

As principais atrações resumem-se em oito: a Acrópole, a Ágora Antiga (espécie de mercado da época do apogeu da civilização grega), o Teatro de Dionísio, o Teatro de Heródes Árticos, a Ágora Romana (edificada mais tarde pelos romanos), a Biblioteca de Adriano, o Templo de Zeus e o Arco de Adriano.

Teatro de Dionísio, com Atenas ao fundo Foto: Anchieta Dantas Jr.

Não espere vê-las todas completamente em pé e em bom estado de conservação, já que a maioria data do século cinco antes de Cristo. Mas acredite, é impressionante estar lá! Quase um ao lado do outro, é possível conhecer todas em um mesmo dia.

Para visitá-las comece pela Acrópole, pois com o ingresso (custa 12 euros) para a mesma é possível acessar as demais sem pagar nada mais por isso. Caso contrário, você corre o risco de pagar cada uma separadamente. O ingresso é válido por três dias, o que significa que pode percorrer tudo com calma.

Templo de Zeus e a grandiosidade de suas colunas Foto: Anchieta Dantas Jr.

Museus

Mas, além dos locais históricos clássicos de renome, a cidade abunda em monumentos bizantinos, medievais, do século XIX, e possui alguns dos melhores museus do mundo – neste quesito eu citaria o novo Museu da Acrópole (com objetos descobertos no local) e o Museu Arqueológico Nacional (o mais abrangente sobre a civilização grega grega), como os “must to visit”, e ainda áreas de uma surpreendente beleza natural.

Compras e vida noturna

Entre as áreas de Atenas a visitar a melhor escolha recai sobre Plaka, um encantador bairro com construções do século XIX, que se situa logo após as duas ágoras, a sudoeste da Acrópole, e que combina a arquitetura grega e otomana, em ruas estreitas, repletas de lojinhas, cafés, bares e restaurantes. Enfim, um lugar com vida intensa para ir de dia e de noite.

Também vale a visita

Ainda na lista do que ver e fazer na Capital da Grécia, vale assistir a troca da guarda em frente ao Parlamento, que acontece a cada hora (o uniforme dos guardas são uma atração a parte) e percorrer também os Jardins Nacionais logo ao lado; assim como o estádio olímpico Panathinaiko, que fica por trás.

Troca da guarda em frente ao parlamento: o uniforme e o ritual chamam a atenção Foto: Anchieta Dantas Jr.

O que comer

Na hora da fome, não deixe de provar o gyros, espécie de sanduíche no pão pita com carne fatiada com molhos e complementos a escolher; e ainda a moussaka, tipo de lasanha grega feita com berinjela. Para beber, a Grécia lhe presenteia com boa cerveja e excelentes vinhos. Outra bebida tradicional é o ouzo, típico licor da terra. Experimente também o cremoso yogurte grego e o mel, todos uma delícia!

Onde ficar

Para se hospedar, prefira hotéis ou albergues entre a Praça Monastiraki e a Acrópole, passando por Plaka.

Como chegar à Grécia, sugiro ler meu post anterior sobre o local “Chegando a Atenas”. No mais é só relaxar e aproveitar uma terra de pessoas acolhedoras, simpáticas e onde se come muito bem e barato.

Bem-vindo a Atenas e, claro, à Grécia!

16:04 · 23.09.2011 / atualizado às 16:04 · 23.09.2011 por

Para viajar para a Grécia não existem voos diretos partindo do Brasil. Para chegar ao destino é preciso tomar um avião até alguma capital européia e de lá pegar uma ou duas conexões até a Atenas.

A partir de Fortaleza tomei um voo da TAP até Lisboa (sete horas de duração) com uma conexão para Madrid (uma hora de vôo), também pela TAP, e outra de lá até Atenas (mais três e meia de duração) pela Aegean Airlines, membro da Star Alliance. Porém, a partir deste mês, a TAP iniciou uma ligação direta até a Capital grega, tornando o trajeto mais cômodo.

O Aeroporto da Cidade é o Eleftherios Venizelos . É um equipamento super moderno, apesar de inaugurado em 2001. Ele é a interseção mais importante para os Bálcãs e o Médio oriente. O aeroporto processa cerca de 13 milhões de viajantes por ano e fica a 33 quilômetros a sudeste de Atenas.

Aeroporto de Atenas

O bacana é que você não precisa gastar os tubos com táxi ou transfers para acessar as regiões de Plaka e Monostiraki, onde ficam os principais pontos turísticos, hotéis e albergues. Isto lhe custaria cerca de 50 euros. Porém, o metrô lhe leva por apenas oito euros à Praça Syntagma, uma das principais do local, e onde você pode cambiar de linha ou se desejar pegar um táxi a um valor mais acessível para qualquer parte de Atenas.

Outra opção é tomar o ônibus X95 que também sai do terminal aeroportuário e lhe deixa na Praça Syntagma, de onde se pode pegar o metrô ou, como já adiantei, um táxi.

Uma vez na Capital grega, não deixe de conferir as estações de metrô: são um show à parte! Quando das escavações, muitas antiguidades e resquícios arqueológicos foram encontrados. Expostos, eles tornam estes locais verdadeiros museus. Abaixo seguem imagens registradas na estação Syntagma.

15:00 · 20.09.2011 / atualizado às 14:48 · 19.09.2011 por

E a aventura se inicia! Esta é a primeira grande viagem que faço depois que criei o Andarilho. Os lugares que até hoje descrevi foram fruto de muitas andanças por aí. Momentos incríveis, que aqui resgatei para dividir com você.

Agora será diferente! A emoção será in loco. Quando você estiver lendo esse post, provavelmente já terei desembarcado no primeiro destino das minhas férias: Atenas! Capital da Grécia, berço da nossa civilização.

Pelos próximos 22 dias, vou desbravar outras terras e culturas e, sempre que possível, pretendo publicar algo sobre os lugares que passar, além de, é claro, muitas, mas muitas fotos! Assim, convido você a me acompanhar nesta jornada!

Para começar, apresento a terra de Alexandre o Grande, Pitágoras, Sócrates, Platão e Aristóteles; lugar onde a Democracia foi concebida e ainda o local onde também se originaram as olimpíadas.

A Acrópole, em Atenas, é dos cartões postais mundialmente conhecido. Ao seu redor, a Cidade florece, rodeada por uma ancestral aura mítica... Foto: Divuldgação

Este talvez seja o país mais importante para traçar a narrativa de formação da sociedade e do homem moderno. Nenhuma outra viagem, acredito, tenha ido tão longe ao berço da cultura, da história e da filosofia.

Outro forte motivo para conhecer a Grécia, além de sua história milenar, são suas ilhas cinematográficas, espalhadas pelos mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo. Elas são a perfeita tradução do paraíso! Dúvida? Pois, vamos lá?! E olha, a Grécia é só o começo…

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o