Andarilho

Categoria: Ilhas gregas


15:27 · 04.10.2011 / atualizado às 15:27 · 04.10.2011 por

Acredite, você está na ilha mais bonita do planeta! Com paisagens de tirar o fôlego para onde quer que se olhe, Santorini, outra das ilhas Cíclades, como nenhuma outra no meio de um imenso azul, não vai lhe decepcionar, e se traduz no mais perfeito cartão postal das ilhas gregas.

Santorini: perfeito cartão postal das ilhas gregas Foto: Anchieta Jr.

A ilha é, na verdade, o que sobrou depois de uma erupção vulcânica há 3.600 anos, um evento ainda envolto em mitos e lendas.

Santorini fica a apenas 45 minutos de avião de Atenas, ou pode ser acessada pelo mar (ferries partem do Porto de Piraeus, também na Capital grega) em uma viagem que pode levar até oito horas, a depender do tipo da embarcação.

A paisagem é árida, mas tem inúmeras e charmosas vilas com casas com vista para a grande caldeira – enorme cratera de um vulcão ainda ativo -, quase caindo no precipício, que dão todo o charme e diferença ao lugar.

A principal cidade é Fira, ou Thira em grego, onde se concentra a maior parte da agitação, com comércio e vida noturna mais movimentada, ou seja, é nela onde está a maior parte dos bares e “discos” da ilha. É também de lá que saem ônibus para todas as praias e demais localidades de Santorini (as passagens chegam a no máximo a 2,20 euros o trecho). Se preferir, carros, motos e quadriciclos também podem ser alugados.

Fira é a principal cidade da ilha Foto: Anchieta Jr.

Merece destaque ainda Oia (se diz Ia), como o mais famoso pôr-do-sol da ilha; e Firostefani, mais calma, mas com restaurantes e pequenos hotéis super encantadores!

A bela Oia Foto: Anchieta Jr.
O mais bonito pôr-do-sol pode ser vislumbrado de Oia Foto: Anchieta Jr.
A charmosa e sofisticada vila de Firostefani Foto: Anchieta Jr.

Além das casinhas brancas de janelas azuis – pelo menos a maior parte delas – outro diferencial do lugar é suas praias de areias negras, para não dizer pedrinhas, devido a origem vulcânica. Dessa forma, curtir o sol vai pedir uma esteira ou uma toalha. É possível ainda estirar-se em confortáveis cadeiras com almofadas, mas isto pode lhe custar até sete euros…

Não espere ondas, afinal a ilha é banhada por um mar (o Egeu) e não por um oceano como as nossas praias. A água é bem fria, mas nada que depois de alguns minutos não vá lhe fazer relaxar em meio ao azul cristalino.

A Praia de Kamari é uma das mais visitadas Foto: Anchieta Jr.
A super cool orla de Kamari Foto: Anchieta Jr.
Perissa e sua areia negra Foto: Anchieta Jr.

As praias mais badaladas são Kamari (um luxo, com muitos bares e bistrôs à beira-mar), Perissa e Perívolos. Mas tem também as mais exóticas como The Red Beach (Praia Vermelha) e The White Beach (Praia Branca), que valem o passeio. Para chegar pegue um ônibus a partir de Fira (a passagem custa 1,6 euros) e caminhe da parada até a primeira. A segunda só é acessível de barco, que você toma próximo à parada de ônibus (sai por cinco euros). Gente, o visual é de babar!

Praia Branca Foto: Anchieta Jr.
O local é garantia de sossego Foto: Anchieta Jr.
Chegando à Praia Vermelha Foto: Anchieta Jr.
Exotismo e relax à beira-mar Foto: Anchieta Jr.

Outro “must to do” em Santorini é o tour até a caldeira, ou ilha do vulcão. As escunas (são lindas!) partem do porto antigo de Fira e o passeio pode ser estendido até a ilha vizinha, Palia Kameni, que tem águas termais, de cor avermelhada, onde se pode nadar.

Escunas levam até a cratera, um vulcão ainda ativo Foto: Anchieta Jr.
Ao todo são três crateras. A mais alta ainda está ativa Foto: Anchieta Jr.

Ao todo, o passeio leva três horas e vai lhe custar 20 euros. Detalhe: o barco para a cerca de 50 metros dessa ilha, o que significa que você terá que nadar até lá toda esta distância a uma profundidade de dez metros. Ufa! Eu fui… Uma aventura! Chegando lá, as águas são rasas.

Palia Kameni, que tem águas termais, de cor avermelhada, onde se pode nadar Foto: Anchieta Jr.

Uma coisa interessante é que, além de por meio de um teleférico, você desce até o porto de Fira no lombo de mulas (eu não me aventurei!) ou a pé, percorrendo 578 degraus. Para compensar o esforço, a vista faz por merecer.

Se não quiser ir à pé ou de teleférico, mulas te levam pelos 578 degraus do porto antigo até Fira Foto: Anchieta Jr.

Além das famosas iguarias gregas, que eu já citei nos posts anteriores, em Santorini, o destaque vai para o vinho. Fruto de uvas cultivadas abaixo do solo, que só existem por lá, a bebida é uma delícia. Prove o Santo! Se desejar, existe um museu do vinho que pode ser visitado e fica na metade do caminho para a praia de Kamari.

A melhor época para conhecer a ilha vai de maio a setembro, com a alta estação caindo entre julho e agosto, quando a ilha ganha lotação superior à que já recebe nos outro meses. Fora desse período esqueça! A temperatura não ajuda e hotéis e restaurantes chegam a fechar às portas até a próxima temporada.

Opções de hospedagem não faltam! Com vista para a caldeira a conta se torna bem mais salgada. Mas há hotéis e pousadas mais em conta se você dispensar esse mimo.

E é por tudo isso que Santorini é o destino mais procurado por turistas que vão à Grécia!

12:58 · 30.09.2011 / atualizado às 12:58 · 30.09.2011 por

A Grécia não vive apenas de ruínas como muita gente pensa. De fato, o primeiro grande atrativo para quem aporta por aqui é a sua história milenar, mas vamos combinar: antiguidades são magníficas, intrigantes… Mas uma hora cansa, e aí os olhos se voltam para outro forte motivo para dar uma voltinha por estas bandas. Estou falando das suas ilhas cinematográficas!

Os inesgotáveis arquipélagos gregos são a pura tradução do paraíso. Pode ser o mar Egeu, Jônico ou o Mediterrâneo, a cor será sempre azul. O País abrange mais de duas mil ilhas, das quais não muito mais que 100 chegam a ser habitadas. Elas dividem-se em seis grupos: Sarônicas, Cíclades, Jônicas, Espórades, do Dodecaneso e do Nordeste do Mar Egeu.

O arquipélago das Cíclades ostenta as ilhas mais populares, de maior beleza e agito. Então, não precisa nem dizer para onde eu fui, não é?! Mykonos e Santorini foram os meus destinos por quase uma semana, depois de três dias passeando por Atenas.

Mykonos é o incrível azul do Mar Egeu Foto: Anchieta Jr.

Mas vamos começar falando de Mykonos. Com praias lindas e agitadas e uma noite para ninguém colocar defeito, esta ilha tem um carisma único e que, segundo se ouve por aqui, consegue constantemente se reinventar, deixando seus visitantes sempre encantados.

A ilha fica a apenas meia hora de avião de Atenas Foto: Anchieta Jr.

Sua capital é Chora, em grego, ou Mykonos Town, em inglês, como é popularmente chamada. Fica a cerca de quatro horas de ferry do Porto de Piraeus, em Atenas; ou apenas meia-hora de avião. É famosa pela atmosfera cosmopolita, pelas lojas de griffe, pela movimentada vida noturna e pelas casas brancas e igrejas com cúpulas azuis.

A famosa arquitetura cíclade, com o predomínio do branco Foto: Anchieta Jr.
Mykonos e sua Little Venice Foto: Anchieta Jr.
Chora reúne bares e restaurantes cheios de charme Foto: Anchieta Jr.

As praias mais disputadas são Platys Gialos, a melhor para relaxar ao sol e aproveitar um banho de mar; Paradise, pelo agito, com DJs esquentando ainda mais as suas areias da tarde ao anoitecer; e Super Paradise, eu diria mais chique e exclusiva, com preços correspondentes ao que oferece. Esta tem também área para nudismo.

A relaxante Platys Gialos Foto: Anchieta Jr.
Paradise Beach: onde o povo bonito circula Foto: Anchieta Jr.
O colorido de Paradise ganha mais força ao som de DJs ao cair da tarde Foto: Anchieta Jr.
A exclusividade de Super Paradise Foto: Anchieta Jr.

Uma vez por aqui, não deixe de curtir ainda o pôr-do-sol em Lit
tle Venice, área de Chora onde a água bate nas construções, e que, pela leve semelhança a Veneza, resolveram dar este nome fazendo uma alusão à cidade italiana.

Sentar em um dos seus inúmeros cafés ou bistrôs para um bom vinho, ou um coquetel, a olhar os famosos moinhos de vento é o que há. Ao anoitecer, deixe-se levar pelos sabores dos diversos restaurantes ao redor e não perca a pose caindo em uma das badaladas pistas de dança que pipocam pelos bares e discos em suas ruelas. Um “must have to go”!

Moinhos de vento: cartão postal de Mykonos Foto: Anchieta Jr.

Mas um lembrete! A melhor época para vir é entre os meses de junho e setembro. Com a alta estação se concentrando nos meses de julho e agosto, auge do verão europeu. Nos outros meses a ilha praticamente fecha as portas…

Para melhor aproveitar todas as possibilidades do lugar, sugiro hospedar-se próximo à cidade, de onde partem ônibus para todas as praias a cada meia-hora (as passagens saem por 1,60 euros) e onde é possível curtir a balada e voltar com segurança para o hotel. Pode-se também alugar motos, quadriciclos ou mesmo carros, com diárias a partir de dez euros.

Outra dica bacana, e que seu bolso vai agradecer, é que, no centro de Chora, para ingressar nos locais onde se dança não é preciso pagar entrada; ao contrário do que acontece, por exemplo, no renomado Cavo Paradiso, em Paradise Beach.

Outra barbada, é que uma vez nas discos da Cidade, você pode consumir no bar local ou simplesmente adquirir sua bebida nos pequenos mercados das redondezas pagando a metade do preço e retornar para dançar! Não, eles não se importam com isso, se é o que você está imaginando.

E mais, se as reservas dos hotéis forem feitas com bastante antecedência, os preços parecerão bastante convidativos.
E aí, está esperando o que para vir para cá?!

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o