Andarilho

Categoria: Meios de pagamento


07:55 · 27.03.2015 / atualizado às 08:09 · 27.03.2015 por

Oportunidade imperdível para quem está de viagem marcada e anda à espreita esperando qualquer baixa do dólar. De hoje até a próxima terça-feira, dia 21, a corretora de câmbio TOV, realiza um novo saldão de moedas estrangeiras. Chamado de “Sem racionamento de moedas”, esta promoção, segundo a empresa, venderá dólar americano, euro e libra pelo menor preço do Brasil.

Na aquisição de qualquer uma das divisas, clientes da Grande São Paulo e da cidade Poços de Caldas (MG) não precisarão sair de casa para receber o dinheiro em espécie. A entrega será realizada sem qualquer custo. Já para o restante do Brasil será vendido apenas o cartão pré-pago, TOV TRAVEL CARD. O mesmo será enviado via sedex e o crédito efetivado em até 48h após a confirmação do pagamento.

Para conferir basta acessar o site da TOV ou ligar para (11) 3105-6080.

Ainda de acordo com a empresa, o viajante poderá economizar até R$ 0,10 em cada dólar ou euro comprado em relação a outras casas de câmbio.

O horário de atendimento, por telefone, será realizado em horário comercial das 9h às 18h.

14:00 · 06.06.2013 / atualizado às 11:11 · 06.06.2013 por

Dólar3

O dólar até que vinha dando uma trégua, mas, de repente, aconteceu uma reviravolta e a moeda norte-americana voltou a subir. Ainda mais agora, com a proximidade das férias de julho, a notícia não é nada agradável para quem tem como destino o exterior.

Mas não desanime. A dica é: quem pretende viajar deve fracionar a compra. Como o momento é de incertezas no mercado de câmbio, ou seja, não se sabe ao certo por quanto tempo a valorização do dólar deve durar, o comprador deve buscar um preço médio, para obter alguma vantagem.Dependo do prazo da viagem, é uma maneira de não fazer um mau negócio.

Por exemplo: você compra um determinada quantia com a moeda valendo R$ 2,28, como agora. Depois, ao perceber que ela recuou um pouco, aproveita e adquire outro tanto com ela valendo R$ 2,20. Aí, mais próximo da viagem, vai que por sorte o dólar baixa ainda mais – tomemos como hipótese o valor de R$ 2,10 -, você então aproveita para comprar o que faltava. Fazendo as contas, em média o desembolso foi de R$ 2,19.

Resumindo, não vale a pena arriscar a viagem especulando sobre o câmbio. Vá comprando a moeda estrangeira sempre que tiver dinheiro disponível e colocando, por segurança, nos cartões pré-pagos, como o Visa Travel Money. Além de não pesar no orçamento, a antecedência trará mais vantagens. O mesmo raciocínio vale para o euro, a libra ou qualquer outra divisa.

 

11:10 · 10.06.2011 / atualizado às 11:10 · 10.06.2011 por

No planejamento das férias, como diversas vezes eu já abordei por aqui, há a necessidade de uma programação financeira, e parte dela diz respeito à quantia que você precisa levar para gastar durante o período que pretende ficar fora de casa. Aí vem a dúvida: como levar o dinheiro para pagar as despesas?

Quando a viagem é internacional, as opções mais comuns são: papel-moeda, cartão de crédito e débito, cartão pré-pago e cheques de viagem (traveller checks).

Carregar apenas dinheiro vivo não é uma boa ideia, obviamente por questão de segurança, mas é sempre bom ter uma quantia em papel em mãos, principalmente no início da viagem, ao chegar ao destino, para bancar pequenos gastos, como transporte, telefonemas ou mesmo um lanchinho.

Mas qual desses meios de pagamento é o mais indicado para levar? Em minha opinião, combiná-los é a forma mais adequada e segura de levar dinheiro enquanto você viaja. Assim, quando um não funciona você tem outras opções. Mas você sabe quais as características de cada um deles e como utilizá-los? Confira abaixo as dicas:

Papel-moeda (dinheiro vivo)

A compra geralmente é feita em casas de câmbio, pagando a cotação “turismo”. As moedas mais utilizadas por brasileiros que viajam para o exterior são o euro e o dólar. Mas é interessante pesquisar, já cheguei a encontrar diferença de até 3% entre um local e outro.

Ao comprar moedas estrangeiras pesquise a cotação entre as casas de câmbio

Mesmo que o país de destino trabalhe com outra divisa, não vale a pena comprá-las por aqui, sua cotação tende a ser elevada em razão da pequena oferta. Nesse caos, para comprar a moeda local, leve então o dólar ou o euro e troque, em cada país, à medida que precisar.

Mas atenção: fuja das casas de câmbio em aeroportos. Nesses locais, troque apenas a quantia necessária para as despesas iniciais. Lembre-se que lugares de grande circulação de turistas (um outro exemplo são os hotéis) não possuem uma boa cotação na hora da troca e você pode perder dinheiro.

Um outro ponto a considerar e pesquisar: as operações de câmbio incorrem em cobrança de taxa que varia entre cada instituição, podendo ser fixa ou um percentual sobre a operação. Há inclusive aqueles que não cobram nada, portanto é por elas que você deve optar.

Cartão de crédito

Já fiz um post bem extenso só sobre os mesmos. Clique aqui e confira!

Porém, uma dica importante: antes de sair do Brasil, avise o banco emissor. Para evitar fraudes e garantir a sua segurança, todas as transações que fogem do seu padrão tradicional de uso são analisadas com maior detalhe e podem demorar mais para serem liberadas, quando não bloqueadas.

Além disso, para evitar dor de cabeça durante a sua viagem é importante verificar alguns dados do cartão como, por exemplo, o limite e a data em que expira. Informe-se, também, sobre os números de atendimento de emergência e carregue-os sempre com você.

Procure se saber ainda sobre como proceder em caso de perda ou roubo do cartão. Dependendo da situação, o emissor pode enviar um novo em até 48 horas.

Cartão de débito

Atualmente, os bancos permitem o uso do cartão de débito para realizar compras no exterior, mas para isso pode ser cobrada uma tarifa de transação a critério de cada instituição. Assim, antes de sair de casa, verifique com o seu banco se este serviço está disponível.

Você também pode sacar dinheiro, em moeda local, com cartão de crédito ou débito, o que é sempre bom em uma eventualidade. No caso dos cartões de débito, é preciso pedir ao banco que habilite o serviço antes. Saiba que também pode ser cobrada uma taxa em cada operação.

Cartões de débito e crédito permitem saques no exterior

Mas fique atento, assim como acontece com os cartões de crédito, sobre o uso do cartão de débito no exterior também incide IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Dessa forma, vale fazer as contas, considerando a taxa do banco e a cobrança do imposto, para saber se compensa sacar.

A boa notícia é que o câmbio utilizado pela instituição para converter as compras ou saques, a serem debitados da sua conta aqui no Brasil em reais, é bem próximo da cotação comercial, mais em conta que a turismo.

Se informe também sobre o uso de senhas para não passar sufoco na hora de sacar.

Mesmo que você não vá usar, é importante saber que pode contar com esta alternativa em situações de aperto.

Assim como no cartão de crédito, procure se informar sobre como proceder em caso de perda ou roubo do cartão.

Cartão pré-pago

Trata-se de um cartão magnético, conhecido como Travel Money, que o viajante adquire aqui no Brasil, já carregado com a quantidade em dinheiro que pretende levar. Ao receber o cartão, você ganha uma senha, com a qual poderá fazer saques em diversos países, além de poder utilizá-lo para fazer compras. Estes cartões podem ser carregados em euros, dólares e, mais recentemente, em libras. A cotação utilizada é a “turismo”.

Os saques são feitos em caixas eletrônicos (geralmente com bandeira PLUS). Se a moeda local for diferente daquela carregada no cartão, a troca é feita pela taxa de câmbio do dia. Esse meio de pagamento é interessante porque proporciona segurança e evita o desconforto de estar levando dinheiro em papel-moeda.

Além disso, via de regra, ele oferece custos mais atrativos, pois não é cobrado IOF nas transações ou taxa por compra efetuada (apenas quando você carrega o cartão), com exceção do saque, para o qual debitada uma tarifa é de 2,50 (na moeda adquirida no cartão) por transação.

Se ao retornar o cartão ainda tiver saldo, este poderá ser mantido para uma próxima viagem ou sacado em reais, de acordo com as normas cambiais vigentes.

Cheques de viagem

Aqui pra nós: depois do surgimento dos cartões de débito, eles ficaram um pouquinho fora de moda. Porém, ainda são bastante comuns nas viagens ao exterior. Além do que é também uma forma segura de levar dinheiro para a viagem, pois seu valor só é reconhecido depois que é assinado.

Cheques de viagem também são uma forma segura de levar dinheiro

Quando você os adquire no banco (mediante a apresentação de RG, CPF, passagem aérea e passaporte) deve assiná-los e, na hora de trocá-los, no país de destino, é pedida uma nova assinatura. Os valores variam de acordo com a moeda escolhida, e atualmente é bem comum comprar cheques de viagem em euro ou libra, além do tradicional dólar. Nessa modalidade, a cotação também é a moeda “turismo”.

A desvantagem é que existe a cobrança de taxa sobre a operação, variável entre as instituições, e há também limitação do valor de compra. Na hora da troca por dinheiro, você fica ainda sujeito aos horários de funcionamento das instituições.

Por outro lado, se você for roubado, a emissora pode reembolsar o valor perdido, o que é um alívio a mais.

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o