Andarilho

Categoria: Saúde do viajante


15:21 · 24.08.2016 / atualizado às 15:21 · 24.08.2016 por

Vacina Febre Amarela

Além de passaporte, passagens aéreas, reservas de hotel e dinheiro, a vacina é um item importante exigido por alguns países e muitas vezes esquecido pelo turista que está de malas prontas. Uma das mais solicitadas – a da febre amarela – acaba de passar por uma revisão da Organização Mundial da Saúde (OMS), que entrou em vigor em julho deste ano. Sua validade, que antes era de dez anos, passou a ser de tempo indeterminado.

Portanto, se você tomou essa vacina pelo menos uma vez na vida, esta única dose garante imunidade para sempre, deixando de ser necessário renovação a cada dez anos, especialmente nos casos de viagem para áreas de risco, como era o procedimento.

Segundo o médico infectologista e coordenador do Núcleo de Medicina do Viajante do Instituto de infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, Jessé Reis Alves,a mudança se deve ao fato de a própria OMS pesquisar e reconhecer que não existe a necessidade da pessoa receber uma nova dose da vacina com tanta frequência.

Assim, os agentes que trabalham nas fronteiras não podem mais impedir a entrada de viajantes portando Certificados Internacionais de Vacinação, independente da validade. Mas, atenção: quem nunca recebeu nenhuma dose contra a febre amarela precisa tomar a sua.

Não lembra se tomou a vacina contra febre amarela?

Ah, mas você não se lembra se já tomou a vacina contra febre amarela ou não tem como comprovar, não se preocupe. Saiba que não existe problema algum em ser vacinado novamente dentro de um prazo menor do que dez anos – especialmente se não está no grupo de contraindicados. No caso, crianças abaixo de seis meses, pessoas com qualquer doença que afete o sistema imunológico – como câncer e HIV – ou que estejam tomando drogas que deprimam o sistema imunológico.

Fique atento: a vacina precisa ser tomada, no mínimo, dez dias antes.

13:38 · 23.02.2016 / atualizado às 13:38 · 23.02.2016 por

alimentos saudáveis

A cada dia, cresce o número de pessoas que buscam uma alimentação mais saudável. Porém, quem precisa comer fora de casa nem sempre encontra boas opções em estabelecimentos. Ainda mais quando a gente está viajando e não conhece bem o destino.

Pois foi motivados por essa dificuldade que o ex-professor e agora empreendedor George Wilson dos Santos Sturaro e a gestora Thais Scharfenberg decidiram criar um aplicativo (app) para celular e tablet que pudesse facilitar a vida de pessoas que, assim como eles, buscam uma alimentação mais saudável, e que neste post eu compartilho com você.

“Tínhamos dificuldade tanto no dia a dia quanto durante viagens. Em conversas com amigos e colegas de trabalho, constatamos que eles tinham o mesmo problema. Daí surgiu a ideia do Comidável. Rabiscamos o primeiro esboço do app há pouco mais de um ano”, explica George.

Conforme disse, o Comidável, que é gratuito, é o primeiro no país que contempla as principais necessidades e preferências dos adeptos da alimentação saudável e de quem precisa seguir uma dieta especial. “Não existe nenhum outro app que junte diversos serviços, como busca de restaurantes, feiras e delivery orgânico”, acrescenta Thais.

app comidavel

De acordo com os desenvolvedores, com apenas um clique é possível ter acesso às diversas categorias de estabelecimentos: restaurantes, cafés, lojas ou delivery de refeições.Depois basta informar a subcategoria desejada: fitness, funcionais, leves, naturais, orgânicos, sem açúcar, sem glúten, sem lactose, veganos ou vegetarianos. Com base nessas informações, o Comidável gera uma lista de opções, exibidas por ordem de proximidade.

app comidavel

“Clicando num dos estabelecimentos da lista, você acessa uma página com informações detalhadas: localização no mapa, dias e horários de funcionamento, faixa de preço, modo de pagamento etc. E, ao clicar no mapa, o app abre o Google Maps e insere automaticamente o endereço do estabelecimento escolhido”, explica George.

O aplicativo, que também permite a busca por feiras e serviços de delivery de alimentos orgânicos, já começou a cadastrar estabelecimentos de Curitiba e deve, em breve, estar disponível em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras capitais e grandes cidades. “Em menos de um mês, já estamos com mais de 60 estabelecimentos cadastrados, entre restaurantes, cafés, lojas, serviços de delivery e feiras. Até o fim de março a ideia é termos em torno de 100 apenas em Curitiba”, fala.

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente na App Store e na Google Play Store. Além disso, os estabelecimentos que quiserem cadastrar-se no aplicativo devem entram em contato pelo site www.comidavel.com.br  ou pela página no Facebook.

Parece interessante!

08:00 · 10.01.2012 / atualizado às 23:48 · 09.01.2012 por

Passagens compradas, hotéis reservados, malas arrumadas… Se você acha que já está tudo certo para poder embarcar rumo as tão merecidas férias seria bom atentar para mais um detalhe: antes de viajar é importante que alguns cuidados sejam adotados, especialmente com relação à sua saúde.

A atualização das vacinas e até mesmo a realização de exames médicos são recomendações do Ministério da Saúde, sobretudo, se o seu destino for ao exterior.

A boa notícia é que, para ajudar a quem pretende viajar, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela proteção da saúde do viajante em trânsito pelas áreas portuárias, aeroportuárias e de fronteiras no nosso País, lançou o Guia de Bolso da Saúde do Viajante. Nesta cartilha, estão disponibilizadas as informações necessárias para que a pessoa proteja a sua saúde e se adeque às exigências sanitárias internacionais.

Outra boa notícia é que, caso você precise, a rede pública do SUS disponibiliza, gratuitamente, vacinas em quatro calendários distintos: da criança; do idoso; do adolescente e do adulto; e ainda dos povos indígenas. Para saber mais, consulte os períodos no portal do Ministério da Saúde.

Febre Amarela

Em meio às exigências internacionais, a vacina contra febre amarela é a principal, pois como medida de controle da doença, alguns países exigem dos viajantes o “Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia” para o ingresso em seu território.

Confira a lista dos países que pedem a confirmação da vacina (“country list”). Infelizmente, o texto está em inglês.

Esta vacina deve ser administrada, pelo menos, dez dias antes da viagem e está disponível nos postos de vacinação. Não se esqueça de levar o Cartão Nacional de Vacinação, onde ela será registrada.

Para a emissão do “Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia” (CIVP), você deverá procurar os Centros de Orientação ao Viajante da Anvisa, levando o seu Cartão Nacional de Vacinação e um documento de identificação oficial com foto. Lembre-se que o certificado internacional só será válido para ingresso no país estrangeiro após 10 dias, a contar da data da vacinação.

A Anvisa alerta ainda para o fato de que outras vacinas podem ser recomendadas, como medida preventiva ao viajante que se desloca para áreas de risco. Nos Centros de Orientação ao Viajante é possível conferir se existe essa indicação ao destino da sua viagem. Como as vacinas, geralmente, têm um período, que varia entre 10 dias e seis semanas até atingir a proteção esperada, devem ser aplicadas com a devida antecedência à viagem.

Avaliação médica

Com relação a outros problemas de saúde, é importante consultar um médico para uma avaliação, principalmente no caso de pessoas que tenham doença pré-existente. Evite viajar na vigência de qualquer doença infecciosa aguda.

Medicação
Se precisar fazer uso de medicamentos sob prescrição médica, obtenha a receita e adquira os medicamentos na quantidade suficiente para toda a viagem.

Nem sempre é possível comprar remédios em outros países sem prescrição médica local ou levar medicamentos na bagagem, sem as respectivas receitas médicas.

Seguro saúde
Procure fazer o seguro saúde, embora alguns países mantenham acordos internacionais recíprocos com o Brasil, que permitem o atendimento de cidadãos brasileiros pelas redes públicas de saúde.

Se houver qualquer alteração no seu estado de saúde dentro da aeronave, navio ou transporte terrestre comunique o fato à equipe de bordo, que tomará as devidas providências e alertará os serviços de controle sanitário nos pontos de entrada.

Outras informações, consulte o Guia da Anvisa e boa viagem!

Leia mais sobre o assunto:

Turista brasileiro tem direito a assistência médica lá fora. Você sabia?

Para uma viagem mais tranquila: mais do que crédito, cartões também podem garantir proteção extra para quem viaja, inclusive achar sua mala!

Vai viajar para o exterior? Saiba que documentos você precisa

Pesquisar

Andarilho

Viagens e estilo de vida.
Posts Recentes

01h09mDescubra 12 motivos pelos quais o seu cérebro precisa tirar férias

11h09mConfira seis cidades brasileiras para quem quer conhecer as culinárias regionais

02h09mWi-Fi: conecte-se de graça em qualquer lugar do mundo

02h08mPromoção: confira passagens aéreas para a Europa por menos de R$ 1.600

03h08mVacina contra febre amarela tem nova regra

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs
Redes Sociais
Instagram Siga o