Busca

02:33 · 18.06.2018 / atualizado às 20:35 · 17.06.2018 por

Trocar de veículo não é uma tarefa simples e instantânea. A desvalorização do veículo, as constantes manutenções ou até mesmo o valor sentimental e apego pelo companheiro de estrada, são fatores que devem ser levados em conta na hora de pensar em colocar um novo carro na garagem

 

Mas como saber se chegou o momento de iniciar as pesquisas e consultas pelo carro novo? O Superintendente Comercial da Allianz Automotive Região Américas, Ricardo Sardagna, mostra alguns pontos comuns que devem ser avaliados e que podem ajudar o motorista nessa tomada de decisão.
Alta quilometragem
A quilometragem e a idade do carro podem ser os principais fatores de influência sobre os custos de manutenção e desvalorização do bem. Por mais revisões que o motorista faça, alguns desgastes podem ser irreversíveis. Ricardo Sardagna comenta: “À medida que o carro aumenta sua rodagem, as revisões programadas ficam ainda mais caras. Esse impacto começa a ser sentido a partir dos 40 mil quilômetros rodados. Esse pode ser um bom momento para começar a olhar um novo veículo”.
Os veículos mais modernos são capazes de atingir altas quilometragens sem grandes perdas de eficiência, mas Sardagna alerta: “É fundamental que as manutenções estejam sempre em dia, do contrário, o veículo será depreciado pelo mercado e a dificuldade de vendê-lo será maior. A existência de amassados, danos na pintura ou no interior do veículo, também prejudicam o seu valor”.

Depois de escolher o usado de sua preferência, examine com calma a parte mecânica do carro

Manutenções recorrentes
Se a visita à oficina mecânica se tornar frequente, isso pode ser um ponto de atenção. “É importante checar o real motivo das falhas. Há casos em que o veículo para por conta do uso de combustível adulterado ou até mesmo por defeito crônico do modelo, como falhas no câmbio ou barulho na suspensão. Nestas situações, mudar de fornecedor e verificar os trâmites com a revenda autorizada são as melhores opções”, comenta Sardagna.

Pneus novos ou seminovos valorizam na hora da venda

Tempo de uso
Outro bom indicador para saber se é hora de passar o carro para frente é o tempo de uso. “Em média, o consumidor brasileiro troca de carro a cada dois anos, um prazo inferior a países como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Espanha. Eu diria que a partir do terceiro ano de uso, ou aproximadamente 50 mil quilômetros rodados, é preciso ter mais atenção ao avaliar o custo das manutenções futuras em relação ao valor do veículo”, ressalta o executivo.
Planejamento financeiro
A troca do carro não deve ser feita em um momento de impulso. “O motorista deve avaliar seu momento financeiro e estar pronto para os novos gastos que a novidade trará, como licenciamento, um segundo IPVA no mesmo ano e emplacamento. É necessário ter uma avaliação cuidadosa em relação às taxas de juros e o custo efetivo total”, finaliza Sardagna.

20:58 · 17.06.2018 / atualizado às 19:01 · 17.06.2018 por

Tanto molas, bandeja, pivô, batente e barra estabilizadora, bem como amortecedor, podem ocasionar ruídos

Muitos motoristas levam o carro à oficina reclamando de barulho na suspensão e acreditam que é proveniente do amortecedor. No entanto, é preciso fazer uma avaliação completa do sistema de suspensão para identificar de onde vem o ruído. “Além dos amortecedores, todos os componentes da suspensão, entre eles, molas, braço oscilante ou bandeja, pivô, batente e barra estabilizadora, devem ser revisados, pois o sistema trabalha em conjunto e as peças estão em movimento constante para diminuir o impacto das irregularidades do solo”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.
Segundo Silva, muitos ruídos podem ser ocasionados pelas buchas de suspensão, pivô, terminal de direção, terminal axial, caixa de direção, suporte da barra do tensor, coxim do amortecedor e até mesmo ser provocado por protetor de cárter solto, objetos ou estepe soltos no porta-malas, fixação do escapamento comprometida. “todos os componentes que integram o sistema de suspensão e direção devem ser inspecionados para que seja identificados possíveis problemas, pois isto pode gerar ruídos e desgaste irregular dos pneus”, exemplifica. O batente também pode provocar barulho. “O batente impede que o amortecedor sofra batidas bruscas quando chega ao final do curso. Quando comprometido, gera ruídos e acelera o desgaste da mola e amortecedor”, ressalta.
Quando houver algum indício de desgaste ou se o veículo já estiver com mais de 40 mil quilômetros rodados é recomendável levar em uma oficina de confiança para revisão do conjunto de suspensão.

18:22 · 17.06.2018 / atualizado às 18:22 · 17.06.2018 por

· Audi e-tron integrado discretamente à casa conectada
· Recarga econômica via energia fotovoltaica
· Parceria com SMA Solar Tecnhnology e Hager Group
Marca alemã dá um passo além na mobilidade elétrica ao oferecer aos seus consumidores um sistema personalizado. A marca está se juntando a dois novos parceiros para conectar o modelo elétrico Audi e-tron à infraestrutura das casas de seus clientes. Interação inteligente com o sistema de gerenciamento de energia residencial da SMA Solar Technology e do Hager Group possibilita uma recarga econômica – utilizando energia sustentável fotovoltáica, quando desejado.


A Audi oferece várias soluções de recarga em casa, onde a maior parte das recargas é feita: O Sistema Convencional de Recarga Compacta possibilita o processo com uma potência de até 11kW. O Sistema Opcional de Conexão dobra a potência para 22 kW. Por esta razão, o Audi e-tron vem acompanhado de um segundo carregador opcional. O Sitema de Recarga de Conexão também conecta com a infraestrutura residencial via Wi-Fi e, em conjunto com o Sistema de Gerenciamento de Energia Residencial (HEMS), possibilita funções inteligentes de recarga.
“Para manter nossos pradões de qualidade premium, queremos que o carro elétrico se conecte discretamente à casa conectada, para oferecer um valor agregado genuíno ao consumidor. Por isso, nos juntamos a dois fornecedores líderes na área de Sistemas de Gerenciamento de Energia Residencial, o Hager Group e SMA Solar Technology. Essa parceria nos traz o melhor da conveniência no processo de recarga”, afirma Fermin Soneira, Chefe de Marketing do Produto da Audi.
Recarga otimizada
Com o Sistema de Recarga de Conexão e equipamento HEMS, o consumidor poderá usufruir de tarifas elétricas variáveis para recarregar o Audi e-tron. O sistema pode carregar a bateria quando a eletricidade é mais barata enquanto considera simultaneamente os requisitos de mobilidade do consumidor, como horário de partida e nível de bateria atual.
O Sistema de Recarga de Conexão recebe a quantia necessária de informação do HEMS ou da informação fornecida pelo consumidor via portal myAudi. Se a casa estiver equipada com um sistema fotovoltáico, o consumidor pode aperfeiçoar o processo de recarga ao escolher a eletricidade gerada pelo Sistema para recarregar o Audi e-tron. O SUV elétrico faz esse processo ao considerar a previsão de dias de sol e o fluxo momentâneo de energia entre a rede elétrica pública e a casa do cliente.
Proteção contra Blackout
A função de recarga inteligente também protege o consumidor contra eventuais blackouts. O Sistema de Recarga sempre considera os requisitos de energia de outros consumidores da região para evitar a sobrecarga do sistema elétrico das casas. O consumidor pode verificar as estatísticas individuais de recarga e o progresso do processo no portal myAudi e no aplicativo myAudi. Além do período de recarga e da quantia de eletricidade recarregada, o sistema também oferece informações detalhadas sobre os custos correspondentes. Esses dados são armazenados em um servidor seguro e o portal oferece a análise e exportação das funções.
O e-tron marca o amanhecer de uma nova era para a Audi. A empresa de manufatura clássica de automóveis está se transformando em um fornecedor de sistema de mobilidade. Graças ao leque compreensivo de opções de recarga com soluções inteligentes para casa e ‘na estrada’, clientes poderão aproveitar da direção elétrica sem preocupações.

13:09 · 15.06.2018 / atualizado às 13:09 · 15.06.2018 por

Chegou ao Brasil o novo Yaris, carro global da Toyota, sucesso de vendas em diversos países do mundo e sinônimo do autêntico QDR – Qualidade, Durabilidade e Confiabilidade da marca japonesa


O Yaris é o carro para um novo momento da indústria e do mercado automobilístico, onde as expectativas dos consumidores são cada vez mais altas e os automóveis são vistos como formas de expressão. Por isso, o Yaris foi pensado para cativar à primeira vista.
Com design harmonioso e cheio de estilo, excelente espaço interno e qualidade interior impressionante, o Yaris é um carro “One Class Above”, ou seja, digno de produtos de categoria superior, e foi feito para representar um novo momento na vida das pessoas.


Para isso, sua concepção levou em consideração cinco pontos importantes:
• Design avançado e emocional – tanto a versão hatch como a sedã possui desenho primoroso, elegante, digno de um veículo de próxima geração no segmento B premium.
• Conforto expansivo – interior espaçoso, onde todos os passageiros sentam-se confortavelmente. Destaque para a ausência do túnel traseiro, o que faz com que o assoalho seja completamente plano.
• Dirigibilidade e silêncio a bordo – Rodar silencioso e macio garantem uma experiência agradável para todos os ocupantes.
• Eficiência dinâmica – uma das principais características dos carros Toyota foi ainda mais aprimorada no Yaris.
• Tecnologia e Segurança – Controle de estabilidade e tração para todas as versões e sete airbags na versão topo de linha são os destaques.

Yaris Hatch top de linha, XLS

Disponível nas carrocerias hatch e sedã, o modelo conta com os motores 1.3 e 1.5 litro Dual VVT-i que já equipam o Etios e fazem do compacto um exemplo de conforto, dirigibilidade e economia de combustível; transmissão automática CVT e manual de seis velocidades, além de uma recheada lista de itens de conveniência, tecnologia e segurança em todas as versões, como vidros e travas elétricos, controle de estabilidade, tração e assistente de subida em rampa, faróis com regulagem elétrica e acendimento automático, roda de liga leve de 15” e faróis de neblina.
Os pedidos de vendas do novo Yaris têm início em 07 de junho, tanto para a versão hatch, como para a sedã, enquanto a produção iniciará em 15 de junho e 02 de julho, respectivamente.

Versão sedan

VERSÕES
Para atender às necessidades dos mais diferentes perfis de clientes, o novo Yaris chega ao Brasil em cinco versões.
Para o modelo hatch, são elas: XL manual e XL CVT, XL Plus Tech CVT (todas com motorização 1.3 litro), XS e XLS, estas com câmbio CVT e motor 1.5 litro.
A carroceria sedã possui as mesmas versões, somente com motorização 1.5 litro.
DESIGN EXTERNO
Ao desenhar o Yaris os projetistas da Toyota pensaram em criar um design do qual os clientes sentissem orgulho. Ao olhar os dois automóveis, hatch e sedã, nota-se uma sensação de dinamismo que vai desde o para-choque dianteiro, passando pelas laterais e chegando até a traseira, dando ao veículo um perfil elegante e rico em emoção.
Com relação às dimensões gerais, o novo Yaris possui 4.145 mm de comprimento (4.425 na versão sedã), 1.730 mm de largura, 1.490 mm de altura e 2.550 mm de distância entreeixos. A capacidade do porta-malas na versão hatch é de 310 litros, enquanto no sedã, 473 litros. Já o tanque de combustível comporta 45 litros.
Além de criar uma silhueta sofisticada, que transmite uma ótima sensação, a aparência moderna também é criada pela forma como os faróis se conectam diretamente a partir da grade dianteira, dentro do conceito de design global da marca, o Keen Look, que é uma expressão inspirada no olhar focado de um atleta de alto rendimento antes de uma competição.
Na dianteira, ainda é possível destacar a grade superior localizada entre os faróis. Nas versões XL e XL Plus Tech, ela é pintada na cor preta, enquanto nas versões XS e XLS, possui um friso cromado na parte de cima.


O para-choque pronunciado de design moderno possui vincos marcantes, além de armazenar os faróis de neblina de formato arredondado que são item de série desde a versão inicial. A grade inferior na cor preta conta com desenho em forma de colmeia na versão hatch, enaltecendo um caráter mais esportivo, enquanto no Yaris sedã, o formato é de linhas horizontais, dando um ar de classe e sofisticação ao modelo de três volumes.
Os elegantes faróis de perfil afilado estão em perfeita sintonia com o conjunto frontal formando uma relação de harmonia. Em todas as versões o perfil dos faróis acompanha o design frontal afilado, enquanto na versão XLS, topo de linha, o projetor com lâmpadas halógenas traz um ar de modernidade ao visual. O Yaris ainda conta, desde a versão de entrada, com função “Siga-me”, quando os faróis ficam acesos por certo tempo para que o motorista, após travar as portas, possa chegar ao seu destino com o trajeto iluminado; acendimento automático e ajuste elétrico dos faróis, sendo estes últimos exclusivos nesta categoria.
Na lateral, destaque para a linha de cintura elevada, o que confere fluidez ao conjunto. Os retrovisores pintados na cor do veículo com piscas integrados garantem maior visibilidade e modernidade ao visual do Yaris, enquanto nas versões XS e XLS há ainda rebatimento elétrico dos retrovisores. Todas as versões possuem maçanetas das portas pintadas na cor do veículo, com exceção da XLS, cromada.


A versão hatch do Yaris ainda conta com pintura “Total Black” da coluna “C” como detalhe exclusivo, dando um aspecto de integração às colunas e proporcionando um visual esportivo e único ao modelo.
Em todas as versões do Yaris, as rodas são de liga leve de 15” e os pneus são 185/60. As rodas das versões XS e XLS possuem design exclusivo com acabamento Dual Tone (preto e prata), dando mais sofisticação ao conjunto.
Olhando de trás, as lanternas compõem um visual harmônico e atual com as linhas das carrocerias, sendo que em ambas, o conjunto óptico invade o porta-malas, oferecendo excelente visibilidade. Na versão XLS, as lanternas são de LED.
A versão hatch ainda possui limpador e lavador do vidro traseiro desde a versão de entrada, além de um aerofólio exclusivo, que garante uma sensação de continuidade das linhas do teto e apelo esportivo ao modelo.
Os faróis de neblina em ambos os lados acoplados ao para-choque robusto, integrado na carroceria, permitem melhor visibilidade pelos outros veículos, trazendo segurança aos ocupantes do Yaris, mesmo em ambiente de neblina densa.
ACABAMENTO INTERNO
A qualidade superior do novo Yaris é demonstrada também em seu interior, unindo sofisticação e funcionalidade. Desde a versão de entrada XL, o acabamento interno é primoroso. Todas as versões contam com acabamento em preto, incluindo as colunas e o revestimento do teto (em cinza na versão sedã), transmitindo uma sensação de requinte e esportividade.
O painel de instrumentos se conecta do centro para as laterais, valorizando a central multimídia e os principais comandos. A parte superior se estende amplamente para ambos os lados acentuando a sensação de espaço. A parte inferior se conecta perfeitamente ao acabamento da porta para envolver gentilmente o motorista e o passageiro.
Uma das grandes novidades do Yaris é o teto solar elétrico disponível, de série, na versão XLS, garantindo aos ocupantes maior prazer ao dirigir e sensação de esportividade. Com movimentos de basculamento e retrátil, ele tem acionamento elétrico por um toque e função antiesmagamento.
Os bancos são de tecido nas versões XL e XL Plus Tech e de couro nas versões XS e XLS. Além disso, ele conta com apoio de braços com porta-copos central a partir da versão XL Plus Tech, oferecendo conforto e comodidade para quem senta nos bancos traseiros e apoio de braços central na frente em todas as versões. Outra característica do novo Yaris é o assoalho traseiro plano, que contribui para uma viagem mais confortável quando há três ocupantes nos bancos traseiros.
Para as versões XL e XL Plus Tech, o painel de instrumentos conta com display LCD de 2.7”. São três mostradores circulares que reúnem as informações de bordo: o do lado direito mostra o termômetro do motor e o indicador de combustível, o da esquerda exibe o conta-giros, enquanto no do meio é possível visualizar o velocímetro e o computador de bordo, com funções de hodômetro parcial A e B, consumo de combustível instantâneo e médio, autonomia, velocidade média e intensidade de brilho do painel.
Para as versõeso XS e XLS, o computador de bordo conta com uma tela de 4.2” com tecnologia TFT colorido e de alta resolução e mais funções, como histórico de viagem, de consumo a cada cinco minutos, de consumo mensal (km/l) versus distância e histórico mensal de valor (R$) versus consumo (litros); ranking de eficiência em que é possível elencar os três melhores períodos de economia de combustível e mais.
NÍVEL DE EQUIPAMENTOS
A Toyota recheou o novo Yaris com ampla lista de itens de conforto, conveniência, tecnologia e segurança, fazendo dele um dos modelos mais completos de sua categoria. Desde a versão de entrada XL de câmbio manual, a linha traz de série, computador de bordo, comandos no volante, descansa-braços dianteiro, controle de estabilidade (VSC), tração (TRC) e assistente de partida em rampa (HAC).
O modelo também possui direção eletroassistida progressiva (EPS), ar-condicionado, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico por um toque, travas elétricas, faróis com regulagem elétrica, faróis de neblina, retrovisor interno eletrocrômico, banco traseiro rebatido 40/60 (sedã), entre outros itens, além dos obrigatórios airbag duplo dianteiro e freios com sistema ABS de última geração com distribuição eletrônica de frenagem (EBD).
A versão XL com câmbio CVT adiciona os seguintes itens: controle de velocidade de cruzeiro e função Eco Driving do computador de bordo.
Já a versão XL Plus Tech passa a contar com descansa-braços traseiro, detalhes internos na cor prata, ar-condicionado automático e digital, chave inteligente presencial, Smart Entry e sistema de partida sem chave tipo Start Button, banco traseiro rebatido 40/60 na versão hatch e central multimídia com tela de 7” sensível ao toque com funções de rádio AM/FM, MP3, entrada USB, conexão auxiliar Bluetooth®, Toyota Play+, sistema que permite espelhamento de aplicativos por meio da tecnologia SDL e com tecnologia Harman e navegador Tom Tom para sistemas operacionais IOS e Android e Waze para sistema IOS.
A versão XS agrega todos os equipamentos da XL Plus Tech, e volante, manopla do câmbio e revestimento das portas em couro, grade com detalhes cromados, roda de liga leve de 15” Dual Tone (preto e prata), bancos de couro, retrovisor externo com rebatimento elétrico, câmera de ré, tapetes em carpete e computador de bordo com tela de 4.2” com tecnologia TFT.
Por fim, a versão topo de linha XLS ainda agrega teto solar, sensor de chuva, maçanetas cromadas, faróis projetores com lâmpadas halógenas, lanternas em LED e sete airbags, adicionando aos dois frontais, dois laterais, dois de cortina e um de joelhos para o motorista.
PERFORMANCE
A linha Yaris é equipada com a consagrada família de propulsores produzidos na planta de motores da marca, localizada em Porto Feliz (SP).
O Yaris está disponível nas motorizações 1.3L e 1.5L para a versão hatch e 1.5L para o sedã. Os motores 1.3L e 1.5L, ambos 16V Flexfuel, trazem a já consagrada tecnologia de duplo comando de válvulas variável Dual VVT-i da Toyota, que atua no gerenciamento dos sistemas de admissão e escape da câmara de combustão, otimizando a queima do combustível de maneira inteligente, refletindo em melhor desempenho e menor consumo.
Para equipar o Yaris, os engenheiros da Toyota trabalharam em melhorias nos propulsores que os fizeram render mais potência do que no Etios. Para isso, um novo sistema de exaustão foi exclusivamente redesenhado para o Yaris e um novo processo de recalibração para a carroceria e o novo trem de força foi realizado.
Sendo assim, temos:
– 1.3L Flexfuel, Dual VVT-i DOHC de 16 válvulas, que rende 101 cv a 5.600 rpm, quando abastecido com etanol, e 94 cv, a 5.600 giros, com gasolina. O torque máximo nesta configuração é de 12,9 kgfm (com etanol) e de 12,5 kgfm (com gasolina), sempre a 4.000 rpm. Em comparação com o Etios, o ganho foi de 3 cv e 0,2 kgfm de torque com etanol e de 6 cv com gasolina em comparação com o Etios.
– 1.5L Flexfuel, Dual VVT-i DOHC de 16 válvulas, que rende 110 cv de potência a 5.600 rpm, quando abastecido com etanol, e 105 cv, a 5.600 giros, com gasolina. O torque máximo nesta configuração, a 4.000 giros, é de 14,9 kgfm (com etanol) e de 14,3 kgfm (com gasolina). Para esta motorização, o ganho de potência também foi de 3 cv e 0,5 kgfm de torque com etanol e de 3 cv com gasolina em comparação com o Etios.
Ambos os propulsores são construídos com bloco e cabeçote de alumínio, e oferecem a combinação perfeita entre desempenho e durabilidade. Além disso, o sistema de propulsão do Yaris conta com sistema ETCSi de abertura da borboleta do acelerador, que corrige acelerações desnecessárias, garantindo máxima eficiência na combustão com maior economia e acelerações mais rápidas.
Ainda falando de motores, o sistema flex com aquecimento de combustível inteligente reconhece a necessidade e aquece o combustível para uma partida imediata e sem falhas.
A suspensão do Yaris foi pensada para atender ao gosto brasileiro. Na parte dianteira, temos a McPherson com batente hidráulico, que evita batidas secas quando a roda desce ao limite do curso do amortecedor.
Tanto o sistema de suspensão frontal quanto o traseiro tiveram a altura elevada em 13 mm em comparação com o projeto global do Yaris. Com isso, o carro está apto para encarar o perfil de solo brasileiro. Na traseira, foi adotado o eixo de torção com barra estabilizadora.
TRANSMISSÃO
O novo Yaris está equipado com dois tipos de transmissões. A manual de seis velocidades e a Multidrive de tecnologia CVT.
Na transmissão manual, derivada da mecânica confiável do Etios, a Toyota conta com o IMT – Monitor Inteligente de Aceleração –, que funciona como um auxiliar de arranque, minimizando que o motor “apague” assim que o motorista tira o pé da embreagem para colocar o carro em movimento. Além disso, para o Yaris os engates das marchas estão mais precisos.
Já a transmissão Multidrive CVT, já consagrada no Corolla, privilegia desempenho sem abrir mão do conforto e do baixo consumo de combustível. Seu diferencial é um software de gerenciamento que simula sete marchas, mesmo quando o motorista conduz o veículo com o câmbio na posição Drive.
O resultado é uma sensação agradável ao dirigir, com o benefício da percepção das trocas de marchas, mas de uma maneira suave, sem os choques característicos das transmissões automáticas convencionais.
A transmissão MultiDrive da Toyota oferece ao motorista, em todas as versões, a possibilidade de trocas manuais sequenciais, que podem ser feitas exclusivamente na alavanca de câmbio, nas versões XL e XL Plus Tech. Já para as versões superiores XS e XLS, as trocas sequenciais podem ser praticadas também por meio das borboletas localizadas atrás dos volantes.
Relação de marchas do Yaris com câmbio manual:

SEGURANÇA
Seguindo a tradição da Toyota de manter máxima atenção com a segurança de seus clientes, o novo Yaris chega para ser referência no mercado neste quesito. Começando pelo elevado nível de equipamentos de série em todas as versões, como controle de tração (TRC), estabilidade (VSC) e assistente de subida em rampa (HAC), freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e assistente de frenagem (BAS), cinto de segurança de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes, airbag duplo, faróis de neblina dianteiros e traseiros, faróis com regulagem elétrica, ISOFIX com ancoragem Top Tether de cadeiras infantis (uma alça é presa também no porta-malas do carro, reforçando ainda mais a segurança), função “Siga-me”, retrovisor interno eletrocrômico e alarme volumétrico com monitoramento dos vidros e janelas.
Além disso, o modelo ainda conta com melhor calibração dos freios, onde os componentes mecânicos do cilindro mestre foram ajustados para proporcionar uma curva de frenagem mais suave e melhor controle. Como resultado, aos 100 km/h, para atingir a completa imobilidade, o Yaris percorre 50,5 metros, a melhor marca de sua categoria, sendo testes realizados pelo Instituto Mauá de Engenharia.
A versão XS do modelo agrega câmera de ré, enquanto a XLS ainda conta com sensor de chuva e dois airbags laterais, dois de cortina e um de joelho, contabilizando ao todo sete bolsas.
ACESSÓRIOS
A extensa linha de acessórios genuínos para o Toyota Yaris, composta por mais de 40 itens, já poderá ser instalada no novo carro. Eles atendem aos mais diferentes gostos e necessidades dos clientes, dos que buscam design, conveniência, tecnologia e até segurança. Além disso, a grande novidade exclusiva para o Yaris é a garantia de três anos quando vendidos e instalados em uma concessionária Toyota com cobertura total da rede, oferecendo ainda mais segurança e comodidade aos clientes.
Alguns acessórios que já podem ser encontrados e instalados nas concessionárias da marca são:
• Design: itens esportivos, como rodas dual tone; saia traseira, lateral, frontal e apliques no farol de neblina; painel e descanso de braço; cromados como molduras da maçaneta, friso lateral inferior e ponteira de escapamento; também itens em aço inox escovado, como as soleiras de porta; entre outros;
• Segurança: itens como lâmpadas de condução diurna, que podem ser utilizadas em rodovias, substituindo o farol baixo; os sensores de estacionamento frontal e traseiro; lâmpadas brancas para faróis e em LED para os faróis de neblina, incrementando o visual esportivo e atendendo a legislação vigente; trava de segurança das rodas e do estepe; novos frisos laterais; protetor de para-choques com cinco peças; entre outros.
• Conveniência: bandeja de porta-malas; exclusivos tapetes traseiros; calhas-de-chuva; caixas organizadoras de porta malas; suporte para tablets e bolsas; refrigerador portátil; compressor de ar 12V; rede de porta-malas etc.
• Tecnologia: digital video recorder; alto falante frontal (tweeter) e central multimídia Toyota Play + tecnologia Harman etc.
Todos os acessórios genuínos são desenvolvidos pela engenharia global da Toyota exclusivos para o Yaris, seguindo as rígidas regras da marca e garantindo o alto nível de qualidade, durabilidade e confiabilidade Toyota.
CORES
As cores disponíveis para o novo Yaris são: Branco Polar (sólido), Branco Perolizado, Cinza Cosmopolita, Prata Lua Nova, Prata Premium, Preto Infinito, Vermelho Super (sólido) e a nova e exclusiva, Azul Titã.
CUSTO DE PROPRIEDADE E SATISFAÇÃO DOS CLIENTES
Os veículos Toyota são mundialmente reconhecidos pela qualidade construtiva, confiabilidade e credibilidade da marca Toyota e com o Yaris não é diferente.
Muito dessa credibilidade se deve ao custo de propriedade dos veículos. Para o Yaris, até os 60.000 km, o custo total com revisões dentro do programa “Revisão na Medida” da marca será de R$ 2.914,44. É o mais baixo da categoria.

PREÇOS
Hatch

XL 1.3L 16V manual R$ 59.590,00
XL 1.3L 16V CVT R$ 65.590,00
XL Plus Tech 1.5L 16V CVT R$ 69.590,00
XS 1.5L 16V CVT R$ 74.590,00
XLS 1.5L 16V CVT R$ 77.590,00

Sedan

XL 1.5L 16V manual R$ 63.990,00
XL 1.5L 16V CVT R$ 68.690,00
XL Plus Tech 1.5L 16V CVT R$ 73.990,00
XS 1.5L 16V CVT R$ 76.990,00
XLS 1.5L 16V CVT R$ 79.990,00

17:08 · 14.06.2018 / atualizado às 17:08 · 14.06.2018 por

Concessionárias Volvo de caminhões e ônibus nos estados do Ceará, Maranhão e Piauí passam para o controle do grupo que já administrava as casas da marca na região Norte do Brasil

Concessionária de Fortaleza Apavel

Com a aquisição, a Tracbel passa a ter nove concessionárias de caminhões e ônibus, além de mais 18 distribuidores de equipamentos de construção e motores industriais da marca Volvo. “Temos uma sólida relação de mais de 35 anos com o Grupo Volvo, distribuindo equipamentos da marca. Desde 2016, estamos também atuando com caminhões e ônibus nos estados do Pará, Amapá, Amazonas e Roraima. Agora damos mais um passo nessa parceria, assumindo as casas da tradicional Apavel”, afirma Luiz Gustavo Rocha de Magalhães Pereira, CEO do Grupo Tracbel.

Por dentro da concessionária

“A Tracbel tem uma experiência sólida na distribuição de máquinas e veículos. Estamos confiantes de que as casas Apavel continuarão a dar pleno suporte aos clientes Volvo em sua região, com a estrutura de um grupo premiado, que é referência em gestão no setor”, declara Adriano Merigli, diretor de desenvolvimento de concessionárias do Grupo Volvo América Latina.
As concessionárias Apavel estão estrategicamente distribuídas nas principais regiões de seus estados de atuação, com casas em Fortaleza (CE), Teresina (PI), Imperatriz e São Luiz (MA). Juntas, têm 240 funcionários e 78 boxes de atendimento. “Pela longa tradição, vamos manter o nome Apavel, uma grife Volvo na região Nordeste”, assegura Luiz Gustavo (foto abaixo).


Reconhecimento
Fundado em 1967, o Grupo Tracbel tem origem em Minas Gerais, com matriz em Contagem. De lá expandiu negócios para todo o País, com alto reconhecimento no mercado. Já foi reconhecido por seis vezes como a melhor Revenda de Máquinas e Insumos, no ranking “Maiores e Melhores Revista Exame”, um dos mais prestigiados do Brasil. Além disso, o Grupo também está na seleta lista das “100 empresas com melhor governança corporativa do Brasil”, no ranking da Revista Exame/Ibope/Merco. “Nossa trajetória é coroada de êxito, reconhecimento e crescimento.

Expandir negócios para caminhões e ônibus era um desejo antigo da Tracbel. Essa oportunidade surgiu com nosso tradicional parceiro Volvo, quando assumimos a representação da marca na região Norte do Brasil. Agora escrevemos mais um capítulo da nossa história, adquirindo as casas Apavel. Estamos muito orgulhos de estar crescendo também nesse segmento”, assegura Luiz Gonzaga de Magalhães Pereira, Presidente do Grupo Tracbel e um dos fundadores da empresa.
Além da aquisição da Apavel, o Grupo Tracbel mantém investimentos para expansão da rede nas regiões Norte e agora também no Nordeste do Brasil. Para os próximos meses há novas casas planejadas para as cidades de Itaituba (PA), Boa Vista (RR) e Balsas (MA).

16:27 · 14.06.2018 / atualizado às 16:27 · 14.06.2018 por

Programa é voltado para graduandos entre junho de 2019 a junho de 2020
A General Motors no Brasil está com inscrições abertas até o dia 22 de junho, para o seu Programa de Estágio. As oportunidades são para as áreas de vendas, marketing, pós-vendas, engenharia, comunicação, jurídico, GPSC, recursos humanos, entre outras. Com duração de até 2 anos, os estagiários serão responsáveis por projetos na área de atuação, e ainda haverá oportunidades de participar de ações desafiadoras dentro da General Motors. As inscrições devem ser feitas através do site www.careers.gm.com até o dia 22 de junho de 2018.

 

12:17 · 13.06.2018 / atualizado às 12:17 · 13.06.2018 por

A Bosch comemora os 40 anos do início da produção em série do Sistema Antibloqueio de Frenagem (ABS). A introdução do primeiro ABS do mundo em carros de passeio foi realizada pela empresa em 1978 e tornou-se um marco na área de segurança ativa

No entanto, as pesquisas da Bosch com foco em prevenir o travamento das rodas começaram muito antes – no início do século 20 – e a primeira patente do sistema foi registrada em 1936.
Evolução e funções adicionais
O trabalho da engenharia da Bosch para simplificar a primeira versão do ABS seguiu ano após ano. Em 1989, o design compacto da unidade de comando eletrônico permitiu que a mesma fosse montada diretamente no modulador hidráulico, o que diminuiu drasticamente o peso total do ABS geração 2E.
Usando novas válvulas solenoides, foram desenvolvidas a geração 5.0, em 1993, e nos anos seguintes as versões 5.3 e 5.7. Os principais benefícios novamente foram a redução de peso e a incorporação de funções adicionais, como a distribuição eletrônica da pressão de frenagem, que substituiu a válvula mecânica de corte da pressão hidráulica, anteriormente presente do eixo traseiro.


Em 2001, a Bosch iniciou a produção da geração 8 do ABS, que foi modificada e melhorada por diversas vezes, possibilitando o surgimento de outras tecnologias, como o Sistema de Controle de Tração (TCS) e Programa de Estabilidade Eletrônica (ESP®).
Atualmente a tecnologia está na geração 9. Entre os diferenciais em relação à versão anterior estão: o sistema menor e mais leve, além de apresentar maior capacidade de processamento e redução da vibração do pedal no momento da frenagem.
Linha de produção conectada
Os sistemas produzidos pela Bosch em todo o mundo são fabricados com o mesmo padrão de qualidade por meio de uma rede internacional de desenvolvimento e fabricação.
Isso significa que a produção de freios ABS nas 11 plantas da empresa ao redor do mundo, sendo uma delas em Campinas-SP, estão conectadas. Desta forma, as unidades fabris “se conversam” e qualquer ponto de melhoria identificado em uma planta é transmitido diretamente a todas as outras. Esse processo traz uma melhoria contínua e reflete na qualidade da produção e na produtividade.

Detalhe do ABS: tecnologia é marco na área de segurança ativa

ABS no Brasil
Desde janeiro de 2014, 100% dos automóveis novos vendidos no Brasil devem sair de fábrica equipados com freios ABS como item de série. Vale ressaltar, contudo, que em 2007 a Bosch já reforçava seu pioneirismo em oferecer tecnologias que visam proporcionar mais segurança e conforto aos motoristas brasileiros com a nacionalização do sistema. Desde então, foram produzidos mais de seis milhões de unidades no país.
De acordo com um estudo realizado pelo lnsurance lnstitute for Highway Safety (llHS), a utilização de freios ABS pode diminuir em até 37% o risco de acidentes fatais, já que impede o travamento das rodas em frenagens bruscas e permite que o motorista tenha total controle do volante e possa desviar de obstáculos.
O uso do ABS em motos também é um passo importante no intuito de salvar vidas. No Brasil, a resolução de 2014 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou o uso mandatório do dispositivo nas duas rodas para motos com cilindrada maior ou igual a 300 cc e em pelo menos uma das rodas para veículos menores que 300 cc. Neste último caso, o fabricante pode optar ainda pelo Sistema de Freios Combinados (CBS – Combined Braking System). A adoção do sistema passou a ser realizada de forma escalonada desde o ano passado e, a partir de janeiro de 2019, 100% dos modelos comercializados no país devem sair de fábrica seguindo a legislação.
40 anos de ABS Bosch – linha do tempo
1936: Bosch registra a patente para “o mecanismo que previne o travamento das rodas em veículo a motor”.
1970: Protótipo ABS 1 funcionou com todos as funções desejadas; contudo a durabilidade e confiança do sistema não eram suficientes.
1978: Produção em série do primeiro sistema de frenagem antitravamento, ABS 2, em carros da Mercedes-Benz e, logo após, da BMW.
1981: Bosch fabrica o ABS número 100 mil; o sistema passa a equipar também veículos comerciais.
1985: ABS Bosch é instalado nos veículos dos Estados Unidos pela primeira vez.
1986: Um milhão de ABS produzidos pela Bosch.
1987: Começa a produção em série do TCS – Sistema de Controle de Tração para carros de passeio.
1988: Primeiro ABS para motocicletas é lançado no mercado.
1989: O ABS 2E é o primeiro com a unidade de controle eletrônica montada diretamente no módulo hidráulico (unidade integrada).
1992: Bosch atinge a produção de 10 milhões de sistemas ABS.
1993: Produção em série do ABS 5.0 da Bosch.
1995: Produção em série do ABS 5.3 e do ABS para motocicletas. Introdução do ESP® – Controle Eletrônico de Estabilidade.
1998: Bosch começa a produção do ABS 5.7.
1999: 50 milhões de sistemas ABS Bosch.
2001: Produção em série do ABS 8.
2003: 100 milhões de sistema ABS Bosch.
2004: ABS é equipamento de série em 15 países membros da União Europeia.
2007: Primeira fábrica de freios ABS é inaugurada no Brasil.
2009: Bosch lança ABS geração 9 para motocicletas.
2014: Em Tochigi, no Japão, Bosch produz 1 milhão de ABS para motos. O ABS passa ser item obrigatório em todos os carros zero quilômetro no Brasil.
2016: Bosch lança ABS geração 10 para motocicletas.
2017: Produção nacional: 6 milhões de ABS produzidos no Brasil.
2018: 40 anos do Sistema Antibloqueio de Frenagem (ABS).

14:38 · 12.06.2018 / atualizado às 14:39 · 12.06.2018 por

Com total de 3.239 unidades emplacadas no mês, setor registra ligeira alta de 0,1% ante abril de 2018, mas aumento de 26,6% em relação a igual período de 2017. Participação dos veículos importados da Abeifa em maio foi de 1,66%; nos primeiros cinco meses do ano, o acumulado de 14.935 unidades licenciadas significou 39,8% mais se comparado com igual período de 2017. Entidade mantém estimativa de vendas para 2018 em 40 mil unidades
As dezesseis marcas filiadas à Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, com licenciamento de 3.239 unidades, anotaram em maio ligeira alta de 0,1% em relação a abril último, quando foram vendidas 3.237 unidades importadas. Ante igual período de 2017, o resultado de maio é 26,6% maior. Foram 3.239 unidades contra 2.558 veículos emplacados em maio do ano passado.
No acumulado, as associadas à Abeifa anotaram 14.935 unidades importadas licenciadas, alta de 39,8% em relação às 10.686 unidades emplacadas nos primeiros cinco meses de 2017.


O presidente da Abeifa, José Luiz Gandini, explica que “o desempenho de vendas em maio poderia ter sido melhor. Infelizmente, como aconteceu em vários setores da economia brasileira, por conta de paralisação dos caminhoneiros, os importadores de veículos automotores também foram prejudicados. O movimento na rede de concessionárias ficou comprometido. E as vendas negociadas na terceira semana de maio não foram concluídas por falta de produto a partir do dia 21”.
As cinco marcas que mais venderam, de janeiro a maio, foram a Kia Motors (5.237 unidades / +65,1%), Volvo (2.131/ +69,3%), Jac Motors (1.815/ +29%), Lifan (1.206/ +25,4%) e BMW (1.102/ +52,2%). No mês de maio, as posições se alteram: Kia Motors (1.122), Volvo (500), Jac (385), BMW (302) e Lifan (247).


Participações – Em maio último, o total de 3.239 unidades importadas da Abeifa significou 1,66% do mercado interno, que emplacou 194.922 automóveis e comerciais leves. Se considerado somente a importação total, as associadas à Abeifa responderam por 12,58% (do total de 25.748 unidades importadas).
Em outro cenário, de produtos nacionais fabricados por afiliadas à entidade mais o volume importado, as 16 empresas licenciaram 5.170 unidades licenciadas em maio. Com esse total, a participação das associadas à Abeifa subiu para 2,65% do mercado interno de autos e comerciais leves (194.922 unidades).
Produção local – Entre as associadas à Abeifa, que também têm produção nacional, BMW, Chery, Jaguar Land Rover e Suzuki fecharam o mês de maio com 1.931 unidades emplacadas, total que representou alta de 6,3% em relação a abril de 2018. Comparado a maio do ano passado, a alta é de 19,1%, quando foram emplacadas 1.622 unidades nacionais.

12:45 · 06.06.2018 / atualizado às 12:45 · 06.06.2018 por

A mais nova e mais avançada versão dos motores de 1,0 litro produzidos pela Volkswagen foi escolhida por um júri internacional
O motor de alta tecnologia com catalisador de quatro vias com filtro de partículas integrado atende à norma de emissão EU 6AG

O inovador 1.0 TSI do up! GTI1 foi escolhido International Engine of the Year 2018 (Motor Internacional do Ano 2018). Em outras palavras, o motor turbo de três cilindros conquistou um dos mais prestigiosos troféus no mundo da fabricação de motores. O prêmio foi concedido por um júri internacional constituído por jornalistas especializados. Para a edição deste ano, os especialistas examinaram motores divididos em 12 categorias, com o 1.0 TSI tendo que superar uma forte competição em sua categoria de cilindrada (abaixo de 1,0 litro) para vencer.
O propulsor da Volkswagen é um motor compacto, leve e de alta tecnologia. O motor de 85 kW / 115 cv movido a gasolina é o primeiro em sua categoria combinado a um catalisador de quatro vias e instalado no up!. Ele também vem com um filtro de partículas para gasolina. O tratamento posterior dos gases de escapamento aliado a itens inovadores no interior do motor permite que a fonte de força a bordo do up! GTI atenda ao novo padrão de emissões EU 6AG (Euro 6d-TEMP).
Uma visão detalhada do motor e do sistema de controle de emissões:
A versão 1.0 TSI do up! GTI, que começou a ser vendida na Europa este ano, é o mais novo membro da linha de motores EA211. O motor premiado de 999 cm³ possui um turbocompressor com válvula de alívio (wastegate), coletor de admissão com intercooler integrado e coletor de exaustão integrado ao cabeçote. A mistura de combustível é injetada diretamente nos cilindros sob uma pressão de 350 bar (muito elevada para um motor a gasolina).


Graças a esses itens, o motor leve e compacto de quatro válvulas por cilindro gera 115 cv entre 5.000 e 5.500 rpm. A partir de 2.000 rpm, o 1.0 TSI – que é equipado com dois eixos de comando de válvulas ajustáveis – transmite uma força de 200 Nm ao eixo de transmissão. O torque máximo permanece constante até 3.500 rpm.
Um objetivo-chave durante o desenvolvimento do novo TSI foi garantir o mínimo possível de emissões. Isto foi alcançado graças a inovações no interior do motor, como os novos injetores piezoelétricos de cinco orifícios, a alta pressão de injeção, um novo desenvolvimento do turbocompressor, novos pistões e um inovador sistema de pós-tratamento de emissões. A operação sustentável é assegurada dessa maneira graças às medidas adotadas no motor e no controle de emissões. Um elemento central do sistema de pós-tratamento das emissões é o novo catalisador de quatro vias com filtro de partículas de gasolina (OPF) integrado. O OPF reduz as emissões de partículas em 95%. Um segundo conversor catalítico de três vias, posicionado sob a carroceria, garante o cumprimento das exigências especificadas na norma EU 6AG – mesmo sob altas solicitações.


O padrão de emissões EU 6AG (Euro 6d-TEMP) inclui a medição de consumo de combustível de acordo com o novo Procedimento de Teste Mundial Harmonizado para Veículos Leves (WLTP) e o teste de Emissões de Condução Reais (RDE). As medidas são feitas em um dinamômetro e também em condições reais, na estrada.

16:30 · 05.06.2018 / atualizado às 10:32 · 06.06.2018 por

Design expressivo com a nova grade Singleframe e recursos do Audi quattro original
Interior amplo e elegante, operação tátil dos sistemas e navegação de alta tecnologia
Rodas traseiras direcionais e acionamento quattro para melhor dirigibilidade e tração


O Audi Q8 combina a elegância de um coupé de luxo com a versatilidade de um SUV de grande porte. Bastante equipado, amplo e resistente para percursos off-road, é um modelo confiável para negócios e lazer. O Q8 será lançado no mercado europeu no terceiro trimestre de 2018.
Versátil, esportivo e elegante: o conceito dimensional e espacial
O Q8 emana dinâmica esportiva e prestígio como nenhum outro SUV da marca. Com 4,99 metros de comprimento, 2 metros de largura e 1,71 metro de altura, o SUV-cupê é mais largo, mais curto e mais baixo que o “irmão” Q7. Com uma distância entre-eixos de quase 3 metros, oferece um interior espaçoso que supera a de seus concorrentes diretos nas dimensões mais relevantes, incluindo comprimento e altura internos. Há um sistema de três assentos na parte traseira com ajuste longitudinal. Com os encostos dos bancos rebatidos, o compartimento de bagagens comporta até 1.755 litros.


Nova presença para a família Q: o design externo
Com a imponente grade Singleframe com design octogonal, o Q8 traz a nova cara da família Q. A robusta grade vertical do radiador, o spoiler pronunciado e as grandes entradas de ar com contornos destacados realçam o visual dianteiro. O teto elegantemente inclinado termina em colunas D suavemente inclinadas que terminam sobre os arcos das rodas de 22 polegadas. Contornos fortes e superfícies com linhas tensas transmitem uma sensação de poder, sofisticação e a dinâmica especial da tração permanente nas quatro rodas. O spoiler, os acabamentos dos arcos das rodas e das portas e o difusor de ar trazem uma cor contrastante para destacar ainda mais a aparência off-road.


Os faróis de série são de LED, mas há a tecnologia HD Matrix LED disponível como opcional. Tanto a assinatura tridimensional das luzes diurnas quanto as luzes traseiras têm um caráter digital. Uma faixa, que tem como base uma faixa preta, conecta as lanternas, assim como no Audi quattro original. Os proprietários do Q8 podem usar o aplicativo myAudi no smartphone para ativar várias funções de iluminação e experimentá-las externamente.
Experiência de condução esportiva: suspensão e trem de força
Audi é quattro e quattro é Audi – isso aplica particularmente ao Q8, SUV de topo da marca. O diferencial central mecânico transfere as forças para o eixo dianteiro e traseiro na proporção de 40:60 em condições normais. Quando necessário, transfere a maior parte dessa força para o eixo com melhor tração. Isso somado aos 254 milímetros de vão livre do solo, balanços curtos e controle de descida em aclives resultam em desempenho superior mesmo quando o asfalto acaba. A suspensão com controle de amortecedor é de série, mas a Audi oferece como opcional a suspensão pneumática adaptativa com amortecimento controlado, que pode ser configurada nos modos conforto ou esportivo. O dispositivo ajusta a altura dependendo da situação de condução e da preferência do motorista em até 90 milímetros.


Além da direção progressiva, cuja relação se torna cada vez mais direta quanto mais o volante é girado, a Audi também oferece como opção as quatro rodas direcionais. O sistema pode girar as rodas traseiras em até 5 graus – na direção contrária da curva em baixas velocidades para aumentar a agilidade e na direção da curva em velocidades mais altas para melhorar a estabilidade.
Todos os sistemas de acionamento são particularmente eficientes graças à nova tecnologia híbrida leve (MHEV). O sistema elétrico primário de 48 volts incorpora dois importantes módulos de tecnologia: uma bateria de íons de lítio e uma partida de correia do alternador. Durante a frenagem, ele pode recuperar até 12 kW de energia e alimentar a bateria. A tecnologia MHEV permite longas fases de inércia com o motor desativado e uma faixa de partida e parada que começa a 22 km/h.
Arquitetura premium: o interior
Símbolos fáceis de entender são características da precisão digital da Audi e do alto nível de integração entre arquitetura e operação. O elemento central da cabine é a tela sensível ao toque do MMI. Todos os elementos referem-se logicamente um ao outro, desde a faixa de ventilação de ar até o largo console no túnel central onde se encontra a alavanca do câmbio tiptronic. No escuro, as luzes de contorno opcionais traçam as linhas de design distintas do interior e fornecem iluminação de fundo para o emblema quattro tridimensional acima do porta-luvas – um exemplo de carinho nos detalhes típico da Audi. A lista de opcionais inclui assentos com função de massagem e ventilação, ar-condicionado automático de quatro zonas e o pacote de qualidade do ar, que aprimora ainda mais o ambiente elegante.
Sensível e conciso: controles e displays
Com o conceito operacional MMI sensível ao toque do novo Q8, quase todas as funções podem ser acessadas por meio de dois grandes monitores. A tela superior de 10,1 polegadas é usada para controlar os sistemas de infotainment e navegação. O motorista usa o display de 8,6 polegadas abaixo para aquecimento e ar-condicionado, funções de conveniência e entrada de texto.
A operação é rápida e simples: um clique tátil e acústico confirma quando um dedo ativa uma função. Além disso, o controle de voz em linguagem coloquial transforma o Q8 em um parceiro de diálogo inteligente. Os motoristas podem expressar seus comandos livremente. O controle de voz pode, por exemplo, entender a frase “estou com fome” e, em resposta, sugerir restaurantes por perto.
Os instrumentos são mostrados no Audi virtual cockpit totalmente digital. Sua tela de alta resolução com 12,3 polegadas pode ser alternada entre duas visualizações por meio de um botão no volante multifuncional. A versão plus opcional inclui uma terceira visualização mais esportiva. O head-up display também projeta informações importantes no para-brisa, incluindo orientações detalhadas da pista para a navegação.
Rede inteligente: Audi connect e sistemas de assistência ao motorista
No mercado alemão, o Q8 vem de fábrica com o sistema de infotainment topo de linha, o MMI Navigation Plus, que inclui o módulo de transferência de dados Audi connect com o LTE Advanced e um hotspot Wi-Fi. O sistema de navegação reconhece as preferências do motorista com base em viagens anteriores e, portanto, pode fazer sugestões inteligentes. Os serviços online da Audi connect adicionam recursos preditivos ao processo de planejamento de rotas. Isso permite que os dois serviços Car-to-X de informações de sinalização de tráfego e informações de risco se beneficiem da inteligência de enxame da frota da Audi. A chave Audi connect (opcional) permite ao motorista bloquear/desbloquear o veículo e ligar o motor usando um smartphone compatível com Android. Perfis de usuários individuais permitem que até 400 configurações preferenciais sejam armazenadas para vários motoristas. Com o aplicativo myAudi, os clientes também podem transferir destinos especiais para o sistema de navegação, transmitir música ou transferir o calendário do smartphone para o MMI.
O Q8 é topo de gama em termos de qualidade de som e conexão graças ao Audi phone box e ao voice-over LTE. O mesmo se aplica ao sistema de som Bang & Olufsen, que oferece um som 3D. A música se desenrola exatamente como foi gravada na sala de concertos.
Seja estacionando, rodando na cidade ou em viagens longas – o Q8 dá suporte ao seu motorista em muitas situações. Entre os sistemas que contribuem para isso estão o adaptive cruise assist (controle de cruzeiro adaptativo), efficiency assist (assistente de eficiência), crossing assist (assistente de cruzamentos), lane change warning (alerta de mudança de faixas), curb warning (aviso de meio-fio) e as câmeras de 360 graus. Um dos destaques é o garage pilot, que será incluído na lista de equipamentos do modelo no início de 2019. Sob a supervisão do motorista, o sistema guia o SUV para uma garagem e de volta novamente de forma autônoma.
O motorista sai do carro e ativa o processo usando o aplicativo myAudi no smartphone. O piloto de estacionamento remoto oferece um nível semelhante de conveniência. Por trás de todos esses recursos está o controlador central de assistência ao motorista, que calcula continuamente um modelo diferenciado do ambiente e usa essas informações para gerenciar os sistemas de assistência. Os dados necessários são obtidos – dependendo dos opcionais selecionados – de até cinco sensores de radar, seis câmeras, doze sensores de ultrassom e um scanner a laser. Preço ainda não revelado. Deverá chegar no Brasil no segundo semestre de 2018.