Blog do Automóvel

Categoria: Abraciclo


16:34 · 18.01.2018 / atualizado às 16:34 · 18.01.2018 por

No ano passado, foram fabricadas 882.876 unidades, com forte evolução no último trimestre.
As exportações do setor deram um salto de 38,6%


As fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) apresentaram estabilidade nos volumes de produção de 2017 em relação ao ano anterior. Segundo dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, foram fabricadas 882.876 motocicletas nos 12 meses do ano passado, enquanto, em 2016, 887.653 unidades saíram das fábricas, ou seja, uma diferença de apenas 0,5%. A estimativa do setor é de crescimento de 5,9% no volume a ser produzido em 2018.
A produção de motocicletas no último mês de 2017 chegou a 69.008 unidades, representando um aumento de 110,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior, quando foram fabricadas 32.814 unidades. Em relação a novembro (83.106 unidades), no entanto, houve um recuo de 17%.


Os sinais de evolução nos negócios do setor são percebidos desde o último trimestre de 2017, quando foram produzidas 230.784 motocicletas, correspondendo a um crescimento de 32,1% sobre o volume de igual período de 2016 (174.654 unidades).
“Os números de 2017 fortalecem o cenário de retomada dos negócios da indústria de motocicletas, o que transmite confiança em um ano com resultados positivos. Com o contínuo lançamento de novos modelos e a melhoria do poder de compra dos consumidores, inclusive com mais acesso ao crédito, as vendas devem se intensificar ao longo de 2018”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Linha de montagem da Traxx

Vendas no Atacado e Exportações
As vendas realizadas no atacado – para as concessionárias – no acumulado de 2017 totalizaram 814.573 unidades, queda de 5,1% na comparação com igual período de 2016 (858.120). Apesar disso, o repasse às lojas em dezembro (68.534) aumentou 22% na confrontação com o mesmo mês do ano anterior (56.155). No entanto, o 12º mês de 2017 recuou 6,2% em comparação com o número de unidades repassadas às lojas em novembro: 68.534 unidades contra 73.069, respectivamente.
As exportações tiveram alta expressiva de 38,6% em 2017 (81.789) na comparação com os doze meses de 2016 (59.022). Na análise isolada de dezembro (7.107) foi calculado avanço de 11% sobre o mesmo mês de 2016, período em que foram exportadas 6.402 motocicletas. No entanto, na confrontação com novembro (7.677) houve uma queda de 7,4%.
A Argentina foi o principal destino das motocicletas embarcadas para outros países em 2017, com 56.847 unidades. Em seguida aparecem Colômbia (7.767) e Estados Unidos (5.129 unidades).

Ninja faz parte da linha de motos da Kawasaki

Emplacamentos
Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas para o varejo totalizaram 851.013 unidades ao longo de 2017, queda de 5,4% sobre as 899.793 motocicletas emplacadas no ano anterior*. Em dezembro foram licenciadas 77.437 motos, o que representa um recuo de 4,2% sobre o mesmo mês de 2016 (80.837). Já na comparação com novembro houve aumento de 18,6% (65.277).
Ainda segundo dados do Renavam, em dezembro a média diária de vendas (3.872 unidades) apresentou alta de 18,6% sobre novembro (3.264). Contudo, na comparação com o mesmo mês de 2016 houve redução de 5,4% (3.674 unidades).
(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

17:39 · 06.09.2017 / atualizado às 17:39 · 06.09.2017 por

Na comparação com julho o aumento foi de 12%. A média diária de emplacamentos ficou estável, com 3.319 unidades
Dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e similares, mostram que foram produzidas 80.192 motocicletas em agosto, o que representa alta de 12% sobre o mês de julho (71.582).

Apesar deste avanço, na comparação com o igual período de 2016 (92.725) houve recuo de 13,5%. Também ocorreu retração nos oito primeiros meses, quando saíram das linhas de produção 575.524 motos, queda de 9% na confrontação com o ano anterior (632.490).
O desempenho de vendas no atacado também foi superior a julho, com 72.778 motos enviadas às concessionárias, aumento de 12,3% com relação as 64.830 unidades do mês anterior. Contudo, houve queda de 12,6% na verificação com agosto do ano passado (83.236). No acumulado, a retração foi de 11,1%: 539.923 unidades de janeiro a agosto e 607.185 no mesmo período de 2016.
“Os resultados de produção e vendas de agosto são animadores, pois representam sinais concretos de estabilidade dos negócios no mercado nacional de motocicletas. Com base nestes indicadores, a indústria de duas rodas já considera a perspectiva do retorno de resultados mais animadores até o final do ano”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
Já as exportações totalizaram 7.239 unidades em agosto, alta de 60,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado (4.522). Entretanto, apresentaram redução de 13,6% sobre julho. No acumulado, o volume de motocicletas enviadas para outros países foi de 48.036 unidades, 21,8% superior aos 39.454 embarques registrados em 2016. O principal destino das motocicletas exportadas é a Argentina.
Emplacamentos
Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, as vendas para o varejo* totalizaram 76.336 unidades, alta de 8,6% sobre as 70.320 mil motocicletas emplacadas em julho. Na comparação com agosto do ano passado (76.460 unidades) foi verificada praticamente uma estabilidade, já que houve recuo de somente 0,2%. Nos oito primeiros meses de 2017 a redução foi de 7,5%: 573.854 licenciamentos em 2017 e 620.458 no ano passado. A média diária de vendas em agosto ficou estável, com 3.319 motocicletas, ou seja, apenas 0,9% menor na comparação com a média de 3.349 unidades registrada em julho.

15:58 · 10.08.2017 / atualizado às 15:58 · 10.08.2017 por

Na comparação com junho o aumento foi de 13,2%, porém, média diária de emplacamento caiu 2% no período
As vendas de motocicletas no atacado – para as concessionárias –deram um salto de 13,2% em julho, totalizando 64.830 unidades, ante as 57.294 unidades comercializadas em junho. Os dados são da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e similares

 

De acordo com informações da entidade, ainda em julho houve alta na produção em relação ao mês anterior. No período saíram das linhas de produção das associadas, todas instaladas em Manaus, 71.582 motocicletas, o que representa aumento de 42,4% na comparação com junho (50.259 unidades).
No entanto, os resultados de vendas e de produção na comparação com julho de 2016 e também no acumulado do ano estão em queda. As vendas no atacado registraram redução de 9,7% em relação ao mesmo mês do ano passado (71.760 unidades). Já o volume registrado de janeiro a julho retraiu 10,8%: 467.145 em 2017 e 523.949 unidades no ano anterior. Quando comparado o desempenho de produção com julho de 2016 verifica-se queda de 4,6% (75.033 unidades). No acumulado foram fabricadas 495.332 motocicletas, retração de 8,2% sobre as 539.765 unidades registradas em igual período de 2016.
As exportações continuam com desempenho positivo. Em julho foram embarcadas para outros países 8.380 motocicletas, alta de 9,5% sobre junho (7.650 unidades) e de 120,6% na comparação com o mesmo mês de 2016 (3.798 unidades). O comércio exterior de motocicletas segue também em crescimento no acumulado dos sete primeiros meses do ano com 40.797 unidades, o que significa aumento de 16,8% sobre o mesmo período do ano passado (34.932 unidades). A Argentina permanece como o principal destino no acumulado, seguida de Colômbia e Estados Unidos.

Além de super motos, super gatas estarão no evento

Emplacamentos
Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, as vendas para o varejo* totalizaram 497.518 unidades no acumulado, queda de 8,5% ante o mesmo período de 2016 (543.999 unidades). Pela comparação mensal, a redução foi de 5,5%, com 70.320 em julho deste ano e 74.417 unidades em julho de 2016. Com relação a junho, o recuo foi de 2% (71.734 unidades). A média diária de vendas em julho foi de 3.349 motocicletas, 2% menor na comparação com a média de 3.416 unidades, registrada em junho.
“Durante o mês de julho, os volumes de estoque de alguns modelos de motocicletas ficaram abaixo do ideal, gerando espera dos consumidores para a realização das compras e, consequentemente, impacto negativo nos negócios do varejo em geral.

Considerando-se os planos de produção das fabricantes, em agosto deverá ocorrer uma recuperação dos estoques, e isso poderá levar o varejo a um resultado mais positivo”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015

15:39 · 08.04.2016 / atualizado às 15:39 · 08.04.2016 por

Segundo levantamento divulgado pela ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, no primeiro trimestre deste ano foram fabricadas 227.426 motos, contra 360.187 unidades no mesmo período de 2015, correspondendo a uma redução de 36,9%.

Vendas de motos em queda no País
Vendas de motos em queda no País

O acumulado das vendas no atacado – das montadoras para suas concessionárias – apresentou queda de 37,4%, quando comparado aos primeiros três meses do ano anterior. Foram comercializadas 215.372 motocicletas frente a 343.817 unidades.
Em março, saíram das linhas de produção 80.410 veículos, ante 71.095 unidades, em fevereiro, e 127.301 unidades no mesmo mês de 2015. As vendas no atacado alcançaram 83.523 motos no terceiro mês de 2016, contra 73.048, em fevereiro, e 130.962 unidades registradas em março do ano anterior.
Sobre as exportações, o acumulado do primeiro trimestre alcançou alta de 116,5%, com 13.749 unidades exportadas, ante 6.351 no mesmo período de 2015. Já o comparativo mensal registrou 4.721 motocicletas exportadas em março, contra 5.692 unidades em fevereiro, e 1.686 unidades em março do ano passado.

Vendas No Varejo
Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, foram emplacadas 239.923 motocicletas de janeiro a março*, volume 26,6% inferior ao apresentado no mesmo período do ano anterior, com 326.960 unidades.
No comparativo mensal, março registrou 86.981 motos licenciadas, frente a 74.404 unidades em fevereiro, e 124.507 unidades em março de 2015. Apesar de registrar o mesmo número de dias úteis, a média diária de vendas ficou 30,1% abaixo da apresentada em março do ano passado, caindo de 5.659 unidades, em 2015, para 3.954 unidades, em 2016.
(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015

Fontes: Renavam e Associados
“Assim como outros setores da economia, que registram resultados negativos no período, o segmento de motocicletas também se enquadra no contexto atual da crise político-econômica. Diante deste cenário, a projeção de produção e vendas para o fechamento de 2016 é de uma retração de 9,7% e 10,1%, respectivamente”, comenta Marcos Fermanian, presidente da entidade.

10:03 · 07.10.2015 / atualizado às 10:03 · 07.10.2015 por

2D8A6046cgNo Salão Duas Rodas, cuja apresentação ao público começa hoje e vai até 12 de outubro, em São Paulo, a Honda apresentou O PCX 2016, que chega com nova carenagem, novo painel de instrumentos, faróis de led e nova lanterna com seta integrada, deixando o modelo mais robusto.

Outras novidades são: novo formato de banco, tomada 12V com entrada USB no porta luvas e compartimento para instalação do baú, o que permite fixar a peça sem necessidade de furar a carenagem.

Na parte mecânica o novo PCX 150 traz nova suspensão e recalibração do motor, que passou de 152,9 cc para 149,3 para atender a nova lei do Promot 4, que entra em vigor em janeiro de 2016.

A transmissão automática CVT e o sistema start-stop, que desliga o motor em paradas continuam equipando o scooter. O PCX 2016 está disponível em duas versões de acabamento e custa a partir de R$ 10,3 mil.

 

05:42 · 19.05.2015 / atualizado às 18:47 · 18.05.2015 por

A Abraciclo, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, divulgou levantamento com base nos licenciamentos do Renavam (Denatran), que indica que a primeira quinzena de maio registrou uma média diária de 5.449 motocicletas comercializadas. O dado é um volume estável em relação a abril, que contou com 5.453. Se comparado ao mesmo período de 2014 (6.089 motos), observa-se queda de 10,5%.
Os resultados também permanecem estáveis na comparação quinzenal. Em maio foram emplacadas 54.494 motocicletas (10 dias úteis), contra 54.531 unidades em abril (10 dias úteis). Já em relação ao mesmo período do ano passado, que totalizou 60.890 emplacamentos, o recuo foi de 10,5%.

MOTOSMERCADO
Setor de Duas Rodas
Com 39 anos de história e 12 associadas, a ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares representa, no país, os interesses dos fabricantes de transporte em duas rodas, além de investir fortemente em ações que tenham por objetivo a busca pela paz no trânsito e pilotagem defensiva.
Representativa, a fabricação nacional de motocicletas – majoritariamente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM) – está entre as seis maiores do mundo. Já no segmento de bicicletas, o Brasil se encontra na terceira posição entre os principais produtores mundiais. No total, o Setor de Duas Rodas gera em suas indústrias cerca de 18 mil empregos diretos.

13:18 · 13.05.2015 / atualizado às 13:18 · 13.05.2015 por

De acordo com os dados divulgados pela ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, a produção de motocicletas em abril totalizou 101.856 unidades, volume 20% inferior em relação a março (127.301). Em comparação com o mesmo mês de 2014 (146.902 unidades), a queda na produção atingiu 30,7%. No acumulado do ano, a retração foi de 17,4%, passando de 559.075 motocicletas, em 2014, para 462.043, em 2015

Vendas de motos em queda no País
Vendas de motos em queda no País

As vendas no atacado – para concessionárias – chegaram a 104.195 motocicletas em abril, correspondendo a um recuo de 20,4% em relação a março (130.962). Na comparação com o mesmo mês de 2014 (142.495 unidades), houve retração de 26,9%. Nos primeiros quatro meses do ano, a queda foi de 12,4%, com 511.694 unidades, em 2014, contra 448.012, em 2015.
No varejo, foram vendidas 108.167 motocicletas, o que representa uma queda de 13,1% ante o volume de março (124.507 unidades) e de 11,2% em relação a abril de 2014 (121.744). No acumulado do ano foram comercializadas 435.127 unidades, em 2015, contra 487.050, em 2014, um recuo de 10,7%. Com dois dias úteis a menos, a média diária de vendas no mês chegou a 5.408 unidades, volume inferior (4,44%) ao da média de março (5.659). Em relação à média de abril de 2014, a retração foi de 11,1%.
“O mercado reflete os sinais de incertezas do cenário macroeconômico. É um momento de cautela, uma vez que o consumidor se mostra apreensivo, diante do baixo crescimento da economia brasileira, aceleração da inflação e riscos à empregabilidade. Após as férias coletivas de meio de ano, esperamos uma melhora nos negócios em função de fatores que poderão estimular o mercado, como o Salão Duas Rodas, programado para o período de 7 a 12 de outubro e que contará com lançamentos e muitos atrativos para os consumidores de motocicletas”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
Já as exportações registraram 2.761 operações, o que representa um crescimento de 63,8% frente a março, com 1.686 unidades. Entretanto, na comparação com o mesmo mês de 2014 (6.958), as vendas externas caíram 60,3%, devido principalmente à redução de negócios com a Argentina. De janeiro a abril de 2015 foram comercializadas 9.112 motos, 72,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2014, com 33.577 unidades.

20:56 · 12.04.2015 / atualizado às 20:56 · 12.04.2015 por

Foram produzidas 127.301 motocicletas em março passado, ante 110.809 unidades em fevereiro, correspondendo a uma evolução de 14,9%

Estoques estão em alta
Estoques estão em alta

Em comparação com março de 2014, quando a produção havia totalizado 125.357 unidades, a alta ficou em 1,6%. O levantamento foi divulgado pela ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, que observou, ainda, que tanto em fevereiro de 2015 como em março de 2014 ocorreram festejos de Carnaval, com menos dias úteis de comercialização de veículos.
As vendas no atacado – para as concessionárias – alcançaram 130.962 motocicletas em março, significando elevações de 20,6% em relação ao mês anterior, que contou com 108.637 unidades, e de 3% sobre março de 2014 (127.184 unidades).
As exportações totalizaram 1.686 unidades em março, ante 2.491 unidades do mês anterior, o que corresponde a um recuo de 32,3%. Em comparação ao mesmo mês de 2014, houve uma retração de 80,6%.
Ainda em março, com base nos licenciamentos registrados pelo RENAVAM, foram emplacadas 124.507 motocicletas, volume 32,7% superior ao apresentado no mês anterior, com 93.806 unidades. Em relação a março de 2014 (112.212 unidades), houve alta de 11%. Mesmo com três dias úteis a mais, a média diária de vendas ficou 4,17% abaixo da apresentada no mesmo mês do ano passado, caindo de 5.906 unidades, em 2014, para 5.659 unidades, em 2015.

1º Trimestre
Pelos dados divulgados pela ABRACICLO, nos primeiros três meses do ano foram fabricadas 360.167 motocicletas, 12,6% a menos do que o volume registrado no mesmo período de 2014 (412.173 unidades).
As vendas no atacado atingiram 343.804 unidades de janeiro a março de 2015, volume 6,9% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado, que havia totalizado 369.199 motocicletas.
Foram comercializadas para o mercado externo 6.351 unidades nos três primeiros meses do presente ano, frente a 26.619 unidades, em 2014, representando um recuo de 76,1%.
No acumulado do primeiro trimestre deste ano foram emplacadas 326.960 unidades, o que representa uma queda de 10,5% em comparação com o mesmo período de 2014, que atingiu 365.306 unidades.

MOTOSMERCADO
Perspectivas
Diante deste cenário, as fabricantes revisaram suas projeções para 2015. A indústria de motocicletas projeta produção de 1.415.000 unidades para o ano, uma queda de 6,8%, em relação ao volume total de 2014. As vendas no atacado e varejo devem atingir 1.360.000 e 1.365.000 unidades, ficando, respectivamente, 4,9% e 4,5% abaixo do concretizado no ano passado.
Já sob o efeito das dificuldades econômicas da Argentina e com as incertezas de novos acordos internacionais, as exportações devem sofrer um recuo de 20,5% em 2015, passando de 88.056 unidades, em 2014, para 70.000 unidades no presente ano.

17:21 · 20.02.2015 / atualizado às 15:23 · 20.02.2015 por

De acordo com o levantamento divulgado pela ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam (Denatran), a média diária de vendas de motocicletas no mercado nacional teve crescimento de 1,9% na primeira quinzena deste mês, com 5.262 unidades comercializadas, em comparação com a média de igual período de janeiro, que havia ficado em 5.162 unidades.
Na comparação com base em 12 meses transcorridos, houve queda de 10,7%, considerando-se que na primeira quinzena de fevereiro de 2014 a média diária de vendas atingiu 5.893 unidades.
Com 10 dias úteis de vendas, os primeiros quinze dias de fevereiro totalizaram 52.617 motocicletas comercializadas, volume 1,9% superior ao de igual período de janeiro (51.616 unidades), porém 10,7% inferior em relação à quinzena inicial de fevereiro de 2014 (58.925 unidades).

08:17 · 09.02.2015 / atualizado às 20:20 · 08.02.2015 por

Segundo dados divulgados pela ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, devido aos ajustes de estoque, foram produzidas 122.037 motocicletas em janeiro, ante 146.557 unidades do mesmo mês de 2014, o que corresponde a uma queda de 16,7%. Em relação a dezembro (84.820), que teve menos dias úteis por conta de férias coletivas, o crescimento da produção foi de 43,9%.

Vendas no atacado

para as concessionárias – atingiram 104.185 motocicletas em janeiro, uma leve alta de 0,4% em relação ao mesmo mês de 2014. Na comparação com dezembro passado (114.104 unidades), houve queda de 8,7%.
“O mês de janeiro é sempre atípico, por conta do período de férias. Além disso, os fabricantes aproveitaram o início do ano para ajustarem os estoques nas fábricas e na rede. Na nossa avaliação, as medidas anunciadas no final de 2014, em especial a alteração na lei de retomada do bem em financiamentos, devem impactar positivamente no futuro no Setor de Duas Rodas. Desta forma, esperamos atingir os números de estabilidade projetados para 2015”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
As vendas externas, por conta do efeito Argentina, principal destino às exportações, recuaram 73,8% em relação a janeiro de 2014, chegando a 2.174 unidades. No comparativo com dezembro do ano passado, a queda foi de 64,1%, quando as comercializações atingiram 6.053 motocicletas. A retração, no entanto, está dentro das previsões da entidade.

Emplacamento
Os licenciamentos de janeiro registraram queda de 18,7%, com 108.647 motocicletas emplacadas, ante 133.632 unidades do mesmo mês de 2014. Com relação a dezembro (127.711), a queda foi de 14,9%.

Pesquisar

Blog do Automóvel

Blog da editoria Auto, do Diário do Nordeste, para coberturas em test drive, lançamentos de automóveis e salões e notícias sobre carros, motos e outros veículos.
Posts Recentes

12h10mNovo Camaro vai ser destaque no Salão do Automóvel de São Paulo 2018

11h10mAudi mostra sua linha de SUVs na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

02h10mConfira detalhes do primeiro carro elétrico feito no Brasil

10h10mSalão do Automóvel de São Paulo com novo lote de ingressos disponível

10h10mSetor de locação foi responsável por 1 em cada 4 veículos emplacados no primeiro semestre de 2018

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs