Blog do Automóvel

Categoria: Financiamento


12:32 · 15.05.2018 / atualizado às 12:35 · 15.05.2018 por

Representa o maior volume para o trimestre nos últimos cinco anos

O total de crédito liberado pelos bancos para o financiamento de veículos atingiu R$ 28,6 bilhões no primeiro trimestre, o maior valor dos últimos cinco anos. Os dados mais recentes do Banco Central citados no Boletim Mensal da Anef, associação dos bancos de montadoras, apontam que este total representou aumento de 27,6% na comparação com os recursos liberados em igual período de 2017, quando registrou R$ 22,4 bilhões. Este aumento pela procura e oferta de crédito reflete claramente a retomada das vendas de veículos no mesmo período.
Do total liberado no primeiro trimestre, R$ 28,1 bilhões foram destinados ao CDC, crédito direto ao consumidor, enquanto R$ 461 milhões sustentaram os negócios via leasing, crescimento de 27,7% e 24,5%, respectivamente, na comparação anual.
Em março, o saldo das carteiras somou R$ 176,4 bilhões, avanço de 9,1% no comparativo anual. Desse total, os financiamentos responderam por R$ 172,8 bilhões, alta de 9,6% no ano; os demais R$ 3,6 bilhões representaram as operações de leasing no mês.
Outro índice positivo é a inadimplência, que fechou março em 3,6%, queda de 0,9 p.p. sobre os 4,5% apurados em mesmo mês do ano passado, considerado pessoa física. Na carteira de leasing, a taxa foi de 2,2%, redução de 1,5 p.p. A taxa de inadimplência para PJ foi de 2,5% para financiamentos e 1,6% para leasing, queda de 2 p.p. em ambas.

10:41 · 04.04.2017 / atualizado às 10:41 · 04.04.2017 por

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores apurou, nesta segunda-feira, 3 de abril, o desempenho do setor automotivo no mês de março e do acumulado de 2017


Para o setor da distribuição de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) o mês de março apresentou crescimento de 37,91% em relação a fevereiro. Foram emplacadas 282.631 unidades em março, contra 204.933 no mês anterior. Já na comparação entre o mês de março 2017 e o mesmo período de 2016 (293.900 unidades), o setor registrou baixa de 3,83% nos emplacamentos este ano.
Na avaliação do acumulado do primeiro trimestre, houve retração de 10,81% para todos os setores somados (foram emplacadas 711.695 unidades, contra 797.967 no mesmo período de 2016).
Mesmo com queda acumulada, os emplacamentos demonstram sinais de recuperação, na avaliação da Fenabrave.
Os segmentos de automóveis e comerciais leves apresentaram alta de 38,86% em março, totalizando 183.850 unidades, contra 132.398 em fevereiro. Se comparado com março do ano passado (173.258 unidades), o resultado aponta um crescimento de 6,11%. No entanto, no acumulado do ano, esses segmentos caíram 1,12% (foram comercializadas 459.806 unidades de janeiro a março, contra 465.026 no mesmo período de 2016). Para o presidente da Fenabrave, a alta no mês de março foi fortemente impactada pelos cinco dias úteis a mais em relação a fevereiro, mas os sintomas de recuperação já começam a aparecer. “Na comparação, em dias úteis, a variação diária, em março, foi positiva em 8,53%, o que demonstra uma sinalização positiva. Apesar da manutenção das incertezas políticas e econômicas do País, acreditamos que a curva de queda no acumulado deverá arrefecer para que possamos ter um crescimento moderado até o final deste ano”, pondera Alarico Assumpção Júnior.
Na avaliação da entidade, uma possível recuperação deverá ocorrer no segundo semestre deste ano, dependendo dos rumos da política e economia do País.

Transações de Usados apresentam crescimento no trimestre
As transações de veículos usados, considerando todos os segmentos automotivos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos), apresentaram crescimento de 26,58% em março, na comparação com o mês anterior. Ao todo, foram transacionadas 1.193.544 unidades em março de 2017, contra 942.939 em fevereiro.
Na comparação com o mês de março/2016, o resultado geral de transações de usados apresentou alta de 10,07%, chegando a 1.084.387 unidades transacionadas no período. Também no acumulado do trimestre, o mercado de usados apresentou alta de 8,64% no comparativo com o mesmo período do ano passado. Ao todo, foram transacionadas 3.225.192 unidades em 2017, contra 2.968.577 unidades em 2016.
Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, as transações apresentaram alta de 25,61% em março sobre fevereiro. Ao todo, foram negociadas 891.554 unidades no terceiro mês deste ano, contra 709.805 em fevereiro. Em relação a março/2016 (799.248 unidades), houve crescimento de 11,55% nas transações destes veículos.
De acordo com o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o aquecimento deste mercado favorece o envelhecendo da frota de veículos do País. “A situação financeira de grande parte dos proprietários de veículos faz com que estes realizem as operações chamadas de ‘troca com troco’. Ao vender o seu veículo e comprar um outro de valor mais baixo, com idade mais avançada, cria-se o efeito do retardo da compra do 0 KM e o crescimento na comercialização de usados. Com isso, nota-se o aquecimento do mercado de veículos com até 3 anos assim como nos veículos de 4 a 6 anos. O resultado desta movimentação, torna o mercado de automóveis e comerciais leves usados 4,8 vezes maior que o mercado de veículos novos”, declara Assumpção Júnior.
Do total de automóveis e comerciais leves negociados, os usados (de 1 a 3 anos de fabricação) representaram 13,79% do total de março e 13,24% do acumulado do ano.
Acompanhe, na tabela a seguir, os dados de emplacamentos de veículos USADOS para cada segmento automotivo

18:54 · 26.03.2017 / atualizado às 18:54 · 26.03.2017 por

Em fevereiro, o Onix, da Chevrolet, manteve a liderança no ranking de automóveis leves novos mais financiados, com 7.024 unidades vendidas a crédito. Em segundo lugar aparece o HB20, da Hyundai, com 4.228 carros novos financiados, seguido pelo Ka, da Ford, com 3.018 unidades negociadas

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio (contemplados e não quitados).

O Palio, da Fiat, que em janeiro ocupava a 7ª posição no ranking dos mais financiados, caiu para o 11º lugar em fevereiro. Outra mudança no mês foi o Fox/CrossFox, da Volkswagen, que avançou uma posição, do 8º para o 7º lugar no levantamento.

Entre as marcas, a Chevrolet se manteve na liderança no ranking dos financiamentos de automóveis leves zero quilômetro. Em fevereiro, a marca financiou 13.319 unidades. Já o segundo lugar ficou com a Volkswagen, que ultrapassou a Fiat ao somar 9.707 carros novos financiados no mês.

12:11 · 20.02.2017 / atualizado às 12:16 · 20.02.2017 por

O financiamento de veículos novos registrou o seu mais fraco desempenho no ano passado. O total de recursos liberados foi R$ 80,2 bilhões, o que representa uma queda de 9,9% em doze meses. De acordo com levantamento da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras), até então o menor volume era de R$ 88,9 bilhões, alcançado em 2015. “O fraco desempenho da economia impactou fortemente na concessão de crédito ao consumidor. Ao mesmo tempo em que os bancos, em razão do aumento dos riscos, foram mais rigorosos, muitos consumidores optaram por adiar suas compras com medo de não quitar sua dívida. O ano de 2016 foi de muita cautela, tanto por parte das pessoas, como por parte das instituições financeiras”, avalia o presidente da entidade, Gilson Carvalho.
Na avaliação do executivo, 2017 deverá ser um pouco melhor. A expectativa é de que o saldo de financiamentos para a compra de veículos e motocicletas registre um pequeno aumento de 2,5% e alcance a marca de R$ 166,7 bilhões. Já o total de recursos liberados poderá crescer um pouco mais e somar R$ 86,7 bilhões, o que representa uma alta de 5,5%. “No primeiro semestre, o mercado deverá manter o ritmo, pois o nível de confiança da população ainda continua baixo e ninguém quer comprometer sua renda ou ficar inadimplente. Depois, nossa expectativa é de crescimento no volume de negócios, mas ainda muito inferior aos anos anteriores”, avalia Carvalho.


Inadimplência
Em 2016, a taxa de inadimplência nas operações de financiamento registrou aumento de 0,4 ponto percentual tanto para pessoas físicas como para jurídicas. Para o primeiro grupo, a taxa foi de 4,6%, enquanto para o outro, foi de 5.0%. Na carteira de leasing, o índice de não pagadores foi um pouco menor: 3,8% para as pessoas físicas e de 3,6% para as empresas. “Os índices de inadimplência ficaram abaixo da expectativa, o que é muito bom, mas estão crescendo. Em 2014, a taxa para as pessoas físicas era 3,9% e em 2015, foi de 4,2%”, explica o presidente da ANEF.

 

Presidente da ANEF, Gilson Carvalho

Modalidades de pagamento
O financiamento mantém a preferência do consumidor na hora de fechar a compra de um zero quilômetro. No ano passado, 49% dos negócios envolveram operações de CDC. As compras à vista registraram o melhor resultado desde 2008 e corresponderam por 44% das vendas efetuadas em 2016. O consórcio respondeu por 5% dos contratos e o leasing, por 2%.
No segmento dos veículos pesados, o Finame foi responsável por 62% das negociações, seguido pelo CDC (17%), compras à vista (14%), consórcio (5%) e leasing (2%). “Em veículos comerciais o financiamento via Finame sofreu retração de quatro pontos percentuais no ano passado, em relação ao mesmo período de 2015. Isso pode ser atribuído, em grande parte, à migração para modalidades de financiamento, como o consórcio e o CDC, e também para as vendas à vista”, afirma o vice-presidente setorial de veículos comerciais da ANEF, Bernd Barth. “Um dos prováveis fatores para essa mudança pode ser atribuído às condições pós-fixadas do Finame, que não se mostraram tão atrativas em relação às demais modalidades pré-fixadas, sinalizando preferência dos clientes por alternativas mais seguras e previsíveis de financiamento frente a um cenário econômico considerado ainda instável”, conclui.
Já a maioria dos compradores de motocicletas optou pelo consórcio. No ano passado, essa modalidade de crédito foi responsável por 36% dos contratos. Na sequência, estão os financiamentos com 34% das operações e as compras à vista, com 30%. “O consórcio evoluiu substancialmente no ano passado e passou a ser a primeira opção do consumidor, quando ele não tem recursos suficientes para fechar o negócio à vista. Podemos dizer que essa modalidade de crédito permanece sólida e é representativa no escoamento das motocicletas fabricadas no Brasil”, avalia o vice-presidente setorial de motocicletas da ANEF, Ricardo Tomoyose.

Recursos liberados
Dos R$ 80,2 bilhões liberados ao longo do ano passado para a compra de um veículo novo por meio do CDC (Crédito Direto ao Consumidor), R$ 71,4 bilhões foram destinados para as pessoas físicas e R$ 8,8 bilhões para as empresas. Esse montante é 10,2% e 7,0% menor na comparação com 2015.
A entrada do 13º salário e as promoções promovidas pelas redes de concessionárias ajudaram a alavancar os negócios em dezembro, que registrou o melhor resultado do ano nessa modalidade de crédito. O total liberado foi de R$ 8,0 bilhões, aumento de 10% em relação a novembro, e de 1,7% na comparação com o mesmo período de 2015. Para as pessoas físicas foram destinados R$ 7,2 bilhões, enquanto para as jurídicas, R$ 857 milhões.
Na carteira de leasing, no acumulado do ano, foram liberados R$ 2,0 bilhões, queda de 32,2% em doze meses. O maior volume, de R$ 1,4 bilhão, foi destinado para as pessoas jurídicas, e os R$ 631 milhões para as pessoas físicas. Na comparação com os negócios realizados em 2015, a queda foi de 25,7% e de 43,6%, respectivamente.
No último mês de 2016, as operações de leasing atingiram R$ 162 milhões, redução de 16,5% na comparação com novembro e de 50,3% em relação ao mesmo período de 2015. Para as pessoas jurídicas foram liberados R$ 124 milhões e para as pessoas físicas, R$ 38 milhões.
Saldo das carteiras
No acumulado do ano, o saldo das carteiras de financiamento foi de R$ 162,7 bilhões, uma diminuição de 11,4% em doze meses. Desse total, R$ 158,3 bilhões foram destinados para as operações de CDC e os restantes R$ 4,4 bilhões para o leasing. Esse indicador equivale a 2,6% do PIB (Produto Interno Bruto). No mesmo período de 2015, essa taxa era de 3,1%, o que representa uma queda de 0,5 pontos percentuais – isso representa 5,2% do total de crédito do SFN (Sistema Financeiro Nacional) e 10,5% do total das operações de crédito – recursos livres.
Taxa de juros
Na comparação com as instituições independentes, as taxas praticadas pelos bancos ligados às montadoras continuam mais atraentes. Em dezembro, as entidades associadas à ANEF cobraram juros de 23,14% ao ano e 1,76% ao mês, enquanto os independentes trabalharam com 25,70% e 1,92%, respectivamente. O prazo médio das concessões é de 42,4 meses. Já o prazo máximo oferecido pelos bancos é de 60 meses.

11:22 · 11.01.2017 / atualizado às 15:39 · 11.01.2017 por

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou a Resolução nº 655, que estrutura o Registro Nacional de Veículos em Estoque (Renave). A medida entrará em vigor em julho e foi publicada na edição desta quarta-feira (11), do Diário Oficial da União (DOU).

O Renave permitirá, por meio de sistema informatizado, o registro das entradas e saídas dos veículos novos e usados disponíveis nos estoques de concessionárias e revendedores. Tudo isso, segundo o Contran, de forma simplificada e segura, proporcionando mais transparência às operações de compra e venda de automóveis no país.

RENAVEregras
Infográfico mostra as mudanças com a aprovação do Renave

O novo sistema prevê o registro das transações com veículos em tempo real, que serão validadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), junto aos Departamentos de Trânsito (Detran), Receita Federal e Secretarias de Fazenda (Sefaz).

“O fundamental é que os cidadãos estarão mais seguros na hora de efetivar essas transações. Todos serão beneficiados com esse instrumento de controle, a ser efetivamente implantado”, afirma o diretor do Denatran, Elmer Vicenzi.

Outra questão relevante é que a ferramenta, em operação, contribuirá para fomentar a formalização de uma relação que atualmente ainda funciona, em grande parte, de modo informal e sem o devido registro, mapeando informações em todas as suas etapas.

A medida ajudará a eliminar inseguranças jurídicas e beneficiará os órgãos governamentais, que poderão ter acesso ao movimento real das revendas.

“Com o RENAVE, a população terá mais segurança nessa modalidade de relação comercial, além da garantia na legitimidade do emplacamento de veículos novos. Haverá também uma desburocratização na compra e venda de usados, uma vez que as transações eletrônicas simplificarão os procedimentos”, reitera Vicenzi.

Legislação – Para os estabelecimentos que vendem veículos, o Renave está amparado no § 6º do Artigo 330 do Código Brasileiro de Trânsito (CBT), que permite a substituição dos livros de registro de movimento de entrada e saída de veículos novos e usados por sistema eletrônico, na forma regulamentada pelo Contran.

O Sistema é dedicado aos estabelecimentos que comercializam automóveis novos e usados e não será utilizado, no primeiro momento, entre pessoas físicas.

11:25 · 21.12.2016 / atualizado às 13:22 · 21.12.2016 por

Em novembro, o Onix, da Chevrolet, manteve a liderança no ranking de automóveis leves novos mais financiados, com 8.581 unidades vendidas a crédito

No acumulado do ano, o Onix também segue na primeira posição, com 81.979 unidades negociadas. O volume representa 60,8% de todos os autos leves novos vendidos do modelo de janeiro a novembro. Segundo a Fenabrave, neste período, foram comercializados 134.941 Onix 0 km. O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip.

Onix-mais-vendido

Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio (contemplados e não quitados).

Gol sobe

Em novembro, o destaque no ranking dos modelos de autos leves novos mais financiados foi o Gol, da Volkswagen, que passou da 17ª para a 5ª posição no levantamento, com 3.464 unidades negociadas. No acumulado do ano, o modelo ocupa a 6ª posição.

Chevrolet lidera

Outro modelo que teve um bom desempenho foi o HB20S, da Hyundai, que passou da 12ª para a 8ª posição no ranking dos mais financiados, com 2.531 unidades vendidas a crédito.

Entre as marcas, a Chevrolet manteve a liderança em novembro, com 17.164 automóveis leves zero quilômetro negociados a prazo. No mês, a Volkswagen ultrapassou a Hyundai e a Ford e passou a ocupar a terceira posição do ranking, com 10.002 unidades, atrás da Fiat, que financiou 13.636 carros.

16:48 · 29.04.2016 / atualizado às 16:49 · 29.04.2016 por

O Chevrolet Onix atingiu a marca de modelo mais financiado no primeiro trimestre de 2016, com 24.230 unidades negociadas. O auto leve esteve à frente do HB20, da Hyundai, que acumulou 15.497 vendas a prazo e do KA, da Ford, que chegou a 12.554 negociações.

Onix, o carro mais financiado no País nos três primeiros meses do ano
Onix, o carro mais financiado no País nos três primeiros meses do ano

Em março, os três modelos – Onix (7.883 financiamentos), HB20 (5.702) e KA (5.138) – ocuparam as mesmas posições no ranking. Prisma, da Chevrolet, que chegou a 3.990 vendas a crédito, e Gol, da Volkswagen, com 3.535 unidades financiadas, fecham o top 5. Este último subiu duas posições em relação ao mês anterior, enquanto o Palio caiu da quinta para a nona colocação.

Hyundai HB20 ficou em segundo lugar
Hyundai HB20 ficou em segundo lugar

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio.
O Honda HR-V segue como um dos destaques de financiamentos. O veículo saiu da 15ª posição em janeiro para a oitava em março, com 2.629 unidades negociadas. No acumulado do ano, o modelo chegou a 6.297 negociações.

 

Honda HR-V também foi um dos mais financiados
Honda HR-V também foi um dos mais financiados

Entre as marcas, a Chevrolet continua na liderança, com 17.152 modelos financiados em março. No acumulado do ano, chegou a 49.012 operações, destacando-se como a montadora que mais vende a crédito. No trimestre, a Fiat, com 37.668 financiamentos, e a Volkswagen, com 37.112, completam os três primeiros lugares no ranking.

 

Ranking

1 – Chevrolet Onix

2 – Hyundai HB20

3 – Ford Ka

4 – Chevrolet Prisma

5 – Volkswagen Gol

10:17 · 16.03.2016 / atualizado às 10:21 · 16.03.2016 por

Em fevereiro, os financiamentos de veículos no Brasil somaram 350.046 unidades, sendo 134.745 novas e 215.301 usadas. O resultado representa queda de 4,8% em relação ao mês anterior. Em comparação com o mesmo período do ano passado a baixa foi de 12,3%. Os números levam em consideração automóveis de passeio, comerciais leves, motos e pesados. O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), base integrada de informações que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito em todo o Brasil. O SNG impede que o processo de financiamento de veículos seja suscetível a fraudes sistêmicas.

Vendas a prazo caíram em fevereiro, quando comparado ao mesmo período no ano passado
Vendas a prazo caíram em fevereiro, quando comparadas ao mesmo período no mês passado
16:30 · 18.01.2016 / atualizado às 16:30 · 18.01.2016 por

Autos leves foram responsáveis por 110.190 vendas a crédito
O Ceará encerrou 2015 atingindo 172.628 de veículos financiados, baixa de 12,9% em relação ao ano anterior. Os dados englobam autos leves, motos, pesados e outros. O estado apresentou a menor queda acumulada no número de financiamentos de veículos do ano na região Nordeste, ao lado do Maranhão.

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG).

Do total de financiamentos realizados em 2015, 110.190 foram de autos leves e 57.356 de motos. Automóveis leves apresentaram queda de 14,1% em relação a 2014 e motocicletas, apresentou baixa de 8%.

Somente em dezembro, 14.220 unidades foram vendidas a crédito no estado. Deste total, entre veículos novos e usados, 9.078 são de autos leves e 4.653 de motos.

No Nordeste, o total de veículos financiados em 2015 chegou a 984.006 unidades. É a região que mais observou a venda a crédito de motocicletas, com 312.962 unidades.

Em todo o Brasil, foram financiadas 465.520 unidades em dezembro, entre autos leves, motos, pesados e outros. No mês, 198.408 foram vendas a crédito de veículos novos e 267.112 de usados. O país encerrou 2015 com um volume total de 5.311.872 financiamentos.

O SNG é uma base privada de abrangência nacional que reúne as informações sobre restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de concessão de crédito. Essa base é consultada e atualizada em tempo real pelas instituições financeiras.

 

financiamentos

16:28 · 23.11.2015 / atualizado às 16:29 · 23.11.2015 por

Em outubro, o Onix, da Chevrolet, se manteve na liderança do ranking de automóveis leves novos mais financiados, com 8.403 unidades financiadas

financiados

Em segundo lugar aparece o HB20, da Hyundai, com 6.283 unidades, seguido do Palio, da Fiat, com 6.109.
O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio.

 

financiados2
O destaque do mês foi o Gol, da Volkswagen, que saiu da oitava para a quarta posição no levantamento. Com isso, o Fox/CrossFox, também da Volkswagen, passou a ocupar o oitavo lugar. A SUV Renegade, da Jeep também se destacou, avançando da 13º para a décima posição no mês de outubro, com 2.875 carros financiados.

 

financiados3
No acumulado do ano até outubro, o Onix foi o modelo mais financiado entre os automóveis leves novos no País, com 75.250 unidades negociadas a crédito. Mas em segundo lugar aparece o Palio, da Fiat, com 67.821 carros financiados.
Entre as marcas, a Chevrolet se manteve na liderança como a mais financiada de automóveis leves novos, com 20.730 unidades negociadas.

financiados4
No entanto, no acumulado do ano até outubro, a Fiat é líder no ranking de marcas mais financiadas de carros zero quilômetros, com 219.494 unidades negociadas.

financiados5

Pesquisar

Blog do Automóvel

Blog da editoria Auto, do Diário do Nordeste, para coberturas em test drive, lançamentos de automóveis e salões e notícias sobre carros, motos e outros veículos.
Posts Recentes

12h10mNovo Camaro vai ser destaque no Salão do Automóvel de São Paulo 2018

11h10mAudi mostra sua linha de SUVs na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

02h10mConfira detalhes do primeiro carro elétrico feito no Brasil

10h10mSalão do Automóvel de São Paulo com novo lote de ingressos disponível

10h10mSetor de locação foi responsável por 1 em cada 4 veículos emplacados no primeiro semestre de 2018

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs