Busca

Categoria: Harley-Davidson


07:55 · 04.07.2018 / atualizado às 16:04 · 03.07.2018 por

Para qualquer viagem de moto é preciso tomar diversos cuidados antes encarar uma estrada, no Brasil ou no exterior. Pensando na preparação completa que deve ser realizada pelos clientes, a Harley-Davidson do Brasil apresenta dicas importantes para quem pretende viajar com segurança e tranquilidade durante as férias escolares de julho


A segurança na pilotagem deve ser sempre a principal preocupação de todo motociclista e é um tema abordado constantemente pela H-DB, visando garantir sempre uma experiência completa com a marca. É sempre importante preparar o roteiro da viagem com muita atenção e utilizar as vestimentas apropriadas para a pilotagem – sem esquecer dos dias de frio, calor e chuva –, itens fundamentais para garantir o sucesso dessa aventura, além da manutenção adequada da motocicleta e um kit básico para qualquer emergência técnica.
1. EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA
Antes de ligar sua Harley-Davidson, verifique itens essenciais para a segurança pessoal, tais quais luvas, capacete (sem danos, com adesivos refletivos e selo de homologação do Inmetro), calçados apropriados, como botas resistentes, por exemplo, jaqueta com protetores internos e capa de chuva (dependendo das condições climáticas) para piloto e garupa. Esses equipamentos garantem que, em uma possível queda, os danos sejam minimizados.
2. REVISÃO
Este item, assim como o primeiro, é extremamente relevante. A motocicleta precisa estar com todas as revisões em dia, pneus em bom estado e calibrados seguindo as recomendações do manual do proprietário, tanque abastecido com combustível de alta octanagem, bom nível de óleo e todas as lâmpadas funcionando perfeitamente (faróis, lanternas, luzes de freio, sinalizadores de direção e luz da placa). Caso qualquer um desses itens não esteja em perfeitas condições, o destino escolhido não deve ser a estrada, mas sim a concessionária Harley-Davidson mais próxima.


3. LIMPEZA
Quando for cuidar da limpeza da sua H-D antes de sair em viagem, é importante garantir que o modelo será lavado com os produtos corretos. Na ausência deles, o uso de água e sabão neutro ajudam a resolver o problema. Desta maneira, nenhuma peça será danificada durante a limpeza por produtos abrasivos que podem causar danos às motocicletas.
4. FERRAMENTAS
É sempre bom estar preparado para quaisquer imprevistos. Por isso, é importante carregar um kit de ferramentas básicas para ajudar na realização de algum reparo de emergência durante o ride. Antes de qualquer coisa, é preciso verificar quanto espaço existe na motocicleta para carregar as ferramentas. Em alguns modelos, o espaço é limitado e isso pode afetar a seleção das ferramentas. Por outro lado, os motociclistas com baggers têm condições de carregar mais itens.
Vale ressaltar, também, que cada motocicleta é única e necessita de um conjunto diferente de ferramentas. Ou seja, não adianta carregar uma chave fixa de 5/8” se não houver nenhum parafuso correspondente na moto. Outro fator para determinar exatamente quais ferramentas levar é a familiaridade com o modelo e seus requisitos técnicos específicos, além, é claro, do conhecimento de quais ações tomar para um possível reparo de emergência.


5. MANUAL DO PROPRIETÁRIO
Conhecer muito bem o manual do proprietário pode fazer toda a diferença para o motociclista em algum momento inesperado. Ou seja, entender o máximo possível da operação de cada um dos componentes principais da motocicleta ajudará caso algo não saia como planejado. Desta forma, será mais fácil diagnosticar o problema para o reparo ou na hora de solicitar auxílio profissional para a moto. É possível também baixar uma cópia do manual do proprietário no celular para economizar um espaço valioso em sua motocicleta.
6. ROTAS
Verifique se existem postos de abastecimento e restaurantes em sua rota antes de pegar a estrada. Além do GPS, recomenda-se ter na mochila o mapa ou um roteiro impresso com as estradas e as saídas que serão utilizadas durante a viagem, caso o aparelho de GPS ou o celular fiquem sem bateria. É recomendável que o piloto faça uma parada a cada 90 minutos para poder esticar as pernas, alongar-se, movimentar os músculos e garantir a alimentação e hidratação. Isso ajuda a evitar os desconfortos de viagens longas e também auxilia na concentração de piloto e garupa, além de despertar em casos de fadiga.
7. LIMITES DE VELOCIDADE
Não é necessário ter pressa. Respeitar sempre os limites de velocidade da estrada garante que o trajeto escolhido poderá ser bem aproveitado e a viagem transcorrerá com tranquilidade e toda a segurança, fazendo com que boas histórias sejam contadas no retorno.
Durante o período de garantia, os clientes da Harley-Davidson têm acesso ao serviço do Rider Assistance, então é fundamental ter o número caso seja necessário: 0800 131 854

18:45 · 15.04.2018 / atualizado às 18:45 · 15.04.2018 por

Marca alerta que o uso correto da embreagem garante a durabilidade prevista no manual do proprietário, o bom funcionamento do sistema e a segurança ao rodar


Um dos principais mecanismos das motocicletas Harley-Davidson é o conjunto de embreagem, que em sua função mais básica, acopla e desacopla o câmbio ao motor, sendo um sistema mecânico básico e essencial. As motos da marca norte-americana são únicas e contam com singularidades técnicas, já que o conjunto da embreagem, na grande maioria das motocicletas H-D, localiza-se no compartimento primário, separado do motor e do câmbio, e a conexão ao motor é feita por meio de corrente.
As motocicletas Harley-Davidson contam com embreagens hidráulicas que utilizam o fluído DOT 4, desenvolvido especialmente para as necessidades técnicas e mecânicas desse sistema, e dos freios, em todos os modelos. A marca reforça que diversos mecanismos sofrem desgaste natural com o tempo e com a utilização, e deverão ser substituídos no momento correto, porém, a adoção de cuidados na hora da pilotagem garante a vida útil prevista.
A H-DB, visando sempre divulgar as melhores práticas do motociclismo seguro e para manter acesa a chama de união e amizade que só uma marca única e de 115 anos de existência possui, alerta para alguns erros que podem dar dor de cabeça aos proprietários, diminuir a vida útil e comprometer diversos sistemas da motocicleta.
As peças que sofrem mais desgaste são, normalmente, os discos e os chamados separadores, que trabalham em aderência constante quando são acoplados, por meio do óleo lubrificante. Os processos de deterioração podem acontecer por vícios de pilotagem como, por exemplo, o uso incorreto do manete de embreagem em arrancadas bruscas, manter a embreagem acionada por longos períodos durante as paradas com a motocicleta engatada ou conduzir e parar em aclives íngremes, o que superaquece o sistema e diminui a fricção. Também são fatores deteriorantes o uso de óleos lubrificantes com especificações técnicas inadequadas para as motos H-D ou excesso de temperatura.
Os sintomas iniciais podem ser percebidos com a perda de tração durante o acoplamento do conjunto de embreagem, ou seja, que o sistema não transmita a rotação do motor ao câmbio e, consequentemente, a tração não será transferida de forma adequada à roda traseira. A perda de força ou o não desenvolvimento da motocicleta ao acelerar também são sinais de desgaste, além da dificuldade na troca de marchas, principalmente nas primeiras.
Para a manutenção dos sistemas hidráulicos de embreagem são utilizadas técnicas similares às da manutenção do sistema de freio, já que o fluído deve ser inspecionado em relação ao nível do reservatório e a substituição deve acontecer a cada dois anos. Para os sistemas mecânicos, a manutenção inclui, também, a lubrificação do cabo de acionamento e ajuste do parafuso de regulagem, de acordo com a folga especificada no manual de serviço da H-D. Em ambos os casos, é necessária a substituição do óleo de todo o conjunto primário a cada 16 mil quilômetros.
Mesmo que os clientes não façam as substituições diretamente, é importante que saibam que a Harley-Davidson disponibiliza o óleo lubrificante “SYN3 20W50–sintético”, que foi desenvolvido para trabahar nos três compartimentos do conjunto de powertrain da motocicleta, ou seja, motor, primária e câmbio. Esse óleo garante as propriedades adequadas para o perfeito funcionamento dos sistemas, assegurando a redução de atrito no motor, a aderência na embreagem e a resistência à alta pressão no câmbio.


Durante a revisão, é substituído o lubrificante do conjunto primário, além de ajustado o parafuso de regulagem, lubrificado o cabo de acionamento e ajustada a folga ideal da alavanca de acionamento, nos sistemas mecânicos.
Portanto, a Harley-Davidson do Brasil incentiva todos os proprietários a realizarem as manutenções periódicas de acordo com a descrição da tabela de manutenção, que está no manual do proprietário. Também é importante adotar procedimentos seguros para condução da motocicleta. Descartar vícios de pilotagem e se atentar para uso constante da alavanca de embreagem ao parar em semáforos são ações que também fazem a diferença, assim como evitar “segurar” a motocicleta na embreagem em aclives ou arrancadas bruscas.
Para motocicletas de alto torque, como os modelos H-D, participar de treinamentos de pilotagem e condução segura promovidos pelos H.O.G.® Chapters podem ser grandes diferenciais para extrair o máximo desempenho e durabilidade da motocicleta.

04:57 · 10.02.2018 / atualizado às 13:00 · 09.02.2018 por

A Harley-Davidson do Brasil registrou em janeiro de 2018 o primeiro lugar entre as montadoras do segmento premium, no emplacamento de motocicletas acima de 601 cilindradas, com 408 unidades emplacadas em todo o País

Harley-Davidson Roadster conta com condição exclusiva no modelo 17/17

Os bons números de 2017 e o ótimo desempenho do início deste ano são reflexos da estratégia agressiva de longo prazo que a companhia adotou em todo o mundo.
A marca continua apostando no Brasil como um mercado forte e com grande potencial de crescimento no continente latinoamericano. A operação brasileira tem bases sólidas e garante que os desafios comerciais sejam enfrentados independentemente de qualquer adversidade.

Quem decidir comprar a Forty-Eight modelo 2018 também encontrará condição especial em fevereiro

No mês de fevereiro a H-DB preparou condições únicas de compra para a Forty-Eight® 2018, representante da família Sportster® e que também faz parte do movimento Dark Custom™, que tem foco nas novas gerações de motociclistas. O modelo sai de R$ 48,1 mil por R$ 43,9 mil até o dia 28 de fevereiro.
Novidade no Brasil este ano, a Softail® Slim® é um modelo que presta homenagem às bobbers custom do pós-guerra, com ângulo inclinado e suspensões traseira e dianteira aprimoradas. Ela conta com uma oportunidade única de compra em fevereiro, com valorização em uma seminova de até R$ 4 mil para quem comprá-la até 28 de fevereiro.
Já a Roadster™ ano / modelo 2017 / 2017 é para quem deseja começar o ano com o pé direito e muita atitude. A moto sai de R$ 48,6 mil por R$ 40,9 mil. Essas condições são válidas também até o último dia de fevereiro.

A Softail Slim é lançamento de 2018 e conta com boa condição no mês do carnaval

No fim de 2017, a Harley-Davidson Motor Company anunciou mundialmente o lançamento de 100 novos modelos de motocicletas em 10 anos, uma estratégia ousada a longo prazo, como parte das ações ligadas à nova linha de comunicação global da companhia, “All For Freedom, Freedom For All”, que é a expressão de como a H-D vê o futuro e com intuito de construir as próximas gerações de pilotos da marca.
HARLEY OWN™
O Harley Own™ é uma modalidade de compra exclusiva para as motocicletas da linha 2018, focada nos clientes que desejam adquirir uma motocicleta nova a cada dois ou três anos. É também o plano de compra com mais vantagens em relação aos métodos tradicionais, como financiamento e consórcio. O cliente paga uma entrada a partir de 30% do valor da moto e pode realizar o pagamento do restante em 23, 29 ou 35 parcelas iguais, sendo que a última equivale a 50% do valor da moto.
As parcelas do Harley Own™ chegam a ser até 45% menores que as de um financiamento tradicional e o plano oferece ainda recompra garantida em contrato, com pagamento de, no mínimo, 50% do valor da nota fiscal.
No final do contrato, o cliente pode escolher, entre as três opções possíveis, a que mais se enquadrar em seu estilo de vida. É possível quitar o valor e permanecer com a moto, continuar com a Harley-Davidson e refinanciar o saldo restante ou, também, trocar por um modelo novo, com garantia de recompra da atual pela concessionária, sendo a diferença do saldo restante, junto com o valor da recompra, o valor de entrada da nova motocicleta a ser adquirida.
A linha 2018 está disponível para test ride em toda a rede de concessionárias Harley-Davidson no Brasil, basta se inscrever no site https://harleydavidsonbr.secure.force.com/TestRide. Para consultar a concessionária mais próxima, basta acessar www.harley-davidson.com/br/pt/find-a-dealer.html.

15:59 · 12.01.2018 / atualizado às 15:59 · 12.01.2018 por

A Newroad Harley-Davidson juntamente com o HOG Fortaleza Chapter realizam neste sábado, 13 de janeiro, o primeiro passeio do ano de 2018 do tipo Bate/Volta (quando os motociclistas vão e voltam no mesmo dia) partindo da cidade de Fortaleza com destino a Beberibe-Ce.


Esse não será um passeio comum, pois ele entrará para a história da concessionária e do Fortaleza Chapter pelo fato de possuir mais de 120 Harleyros inscritos. Nos cinco anos da concessionária, nunca houve um passeio com tamanha proporção.

As inscrições foram realizadas em uma lista através dos grupos do Whatsapp e também através do App da Newroad que foi lançado já neste ano de 2018 e pode ser encontrado para download para Android e IOS.


No sábado, como tradição da Newroad, haverá um café da manhã especial às 8h para todos os motociclistas que comparecerão ao passeio. A concentração do comboio ocorrerá na própria concessionária, às 09h da manhã, onde haverá o apoio da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) que acompanhará o comboio até a CE-040 para organizar e manter o bom fluxo do trânsito e prezar pela segurança dos motociclistas e de terceiros.

13:01 · 11.10.2017 / atualizado às 13:01 · 11.10.2017 por

Nesta sexta-feira, dia 13 de outubro, o RioMar Fortaleza recebe etapa nacional do terceiro Encontro de Harleyros, que passa por Fortaleza, depois de estacionar em Natal e Maceió. O evento espera reunir mais de 300 amantes das motos Harley Davidson no Estacionamento Aberto da Lagoa do Papicu, a partir das 16h com entrada gratuita. Durante o evento, haverá a realização de provas de pilotagem e aula de ginástica com a R2.

Harley-Davidson
05:51 · 27.03.2017 / atualizado às 19:54 · 26.03.2017 por

As principais características dos fluidos de freio, revisão, manutenção e informações completas sobre o seu sistema de acionamento garantem uma pilotagem segura


Toda Harley-Davidson possui inúmeros componentes que requerem manutenção regular que garantem o ótimo desempenho da motocicleta de forma segura, conforme indicado no manual do proprietário e no manual de serviço de cada um dos modelos da marca. Porém, um dos principais componentes das motos acaba sendo ignorado ou até esquecido: os freios.
Parte da manutenção necessária nas motocicletas H-D que utilizam o fluido de freio DOT 4 em seus sistemas, consiste em trocá-lo a cada dois anos. Essa troca é necessária pois, conforme o fluido de freio envelhece, suas propriedades químicas se deterioram e, se não for substituído, pode ocasionar danos ao sistema de frenagem.
Os freios podem desenvolver uma enorme quantidade de calor, particularmente quando usados de maneira repetida ou dependendo do modo como são acionados. O calor pode aumentar muito a ponto de fazer com que o fluido no sistema entre em ebulição. Assim, outra coisa a ser considerada sobre o fluido de freio é o seu ponto de ebulição, que pode ser afetado pelo teor de água absorvido. O DOT 4 tem como base o glicol e é higroscópico, ou seja, absorve água. A ebulição converte qualquer água do fluido em gás. Como o gás pode ser mais comprimido e o líquido não, quando o fluido de freio entra em ebulição, pode fazer com que a alavanca ou o pedal do freio fiquem mais “soltos” e exija que o piloto bombeie os freios para criar pressão suficiente para, então , a velocidade da motocicleta.


Em última análise, a deterioração química e a absorção de água alteram as propriedades físicas do fluido de freio DOT 4, o que pode levar a problemas no seu desempenho, incluindo perda de frenagem dianteira ou traseira.
O fluido do freio (de qualquer tipo, não apenas o DOT 4) também deve ser reposto toda vez que uma das situações abaixo acontecer:
• depois que a tubulação do freio, o cilindro-mestre ou a pinça de freio forem desmontados;
• sempre que a alavanca ou o pedal do freio parecer “esponjoso”;
• a qualquer momento em que o sistema de freio tiver sido acionado em um estado “esponjoso”, provocado por fluido em ebulição, mesmo se o funcionamento tiver voltado ao normal.
Todas as concessionárias autorizadas Harley-Davidson têm uma ferramenta para medir, com precisão, o teor de água no fluido de freio DOT 4. Se um técnico especializado da H-D descobrir que o fluido de freio da motocicleta tem teor de água de 3,7% ou mais por volume, ele recomendará a troca do fluido, mesmo se a última tiver sido realizada a menos de dois anos. Com relação ao tempo empregado no serviço, geralmente o técnico especializado costuma fazer a troca do fuido de freio de meia hora a uma hora e meia (para freios não ABS).
As motocicletas H-D com ABS também precisam do uso de uma ferramenta específica de diagnóstico, chamada Digital Technician II, para “sangrar” o sistema adequadamente. É imprescindível saber que o fluido de freio pode ser corrosivo para a pintura, portanto, os técnicos da H-D são treinados para proteger todo o acabamento da motocicleta, no caso de espirros ou derramamentos.
“Recomendamos aos nossos clientes atenção constante para com suas motocicletas, e que no momento da revisão e da manutenção, procurem uma de nossas concessionárias autorizadas em todo o Brasil. Dessa forma, poderão tirar o máximo de proveito do desempenho de suas motos tanto nas ruas quanto nas estradas, além de desfrutarem de toda a experiência que a nossa marca proporciona”, destaca Flavio Villaça, gerente de marketing da Harley-Davidson do Brasil.
O site da H-DB possui informações completas de sua rede de concessionárias no País. A companhia recomenda o agendamento prévio dos serviços de oficina oferecidos a seus clientes, principalmente no que diz respeito a manutenção e revisão das motocicletas, de acordo com as especificações de fábrica e garantia de seus produtos.

09:51 · 15.02.2017 / atualizado às 09:51 · 15.02.2017 por

A Harley-Davidson do Brasil, durante o mês de fevereiro, apresenta surpresas para duas motocicletas da família Dyna®, uma linha que carrega em seu DNA o autêntico estilo custom e com desempenho Big Twin 96™. Para a marca, a Fat Bob® e a Street Bob® são motocicletas inspiradas na longa tradição de pilotagem das bobbers pós-guerra, criadas em 1960, e das choppers, construídas pelos soldados americanos na década de 1940, logo após a II Guerra Mundial. Ambas são motocicletas de uma época em que o lema era a pilotagem agressiva e a única regra era a não conformidade. O perfil é longo e baixo, construído para exibir abundância de força com o motor V-Twin de 45°. De acordo com seu conceito histórico, as bobbers são motos com design mais limpo, livres de pesos extras, paralamas pesados, e acessórios adicionais, onde todo o supérfulo é retirado exatamente para se tornarem mais leves e ágeis. Já as choppers foram criadas com o objetivo de adquirir mais estabilidade em altas velocidades, porém sem perder a estética típica dos modelos americanos.

Moto Fat Bob

E como típicas motocicletas desenvolvidas com base em desempenho, design simples e despojado, a Harley-Davidson possui, em seu lineup, duas autênticas representantes desse estilo. A Fat Bob® conta com acabamentos escuros, faróis dianteiros bullet duplos, escapamento no estilo Tommy Gun, lanterna traseira personalizada e pneus largos montados em rodas com acabamento usinado. Essa moto tem o visual agressivo sem abrir mão do conforto. Ela sai de R$ 59,9 mil por R$ 49,9 mil, com taxa de 0,99% ao mês e 50% de entrada, além da possibilidade de ter R$ 4 mil de valorização em uma seminova.

Modelo Street Bob

Já a Street Bob® é uma motocicleta focada em desempenho, uma verdadeira bobber. A moto tem assento individual, paralama traseiro cortado, manopla mini-ape com elevação (o conhecido estilo seca-sovaco) e o despojado estilo hardcore com raíz nos modelos originais de fábrica, agradando aos mais puristas e nostálgicos. Ela sai de R$ 55,8 mil por R$ 45,8 mil, também com taxa de 0,99% ao mês, 50% de entrada, saldo em 12 ou 24 vezes e um adicional de R$ 3 mil de valorização em uma seminova.

09:49 · 07.02.2017 / atualizado às 09:50 · 07.02.2017 por

Quem gosta das super motos Harley-Davidson e de muita animação deve ficar esperto para a primeira edição da Newroad Folia

Harley Road King

Será no próximo dia 11 de fevereiro (sábado), a partir das 17h, no Náutico Atlético Cearense. E as atrações prometem: Fran e Diego e Leo Frennesy. Os ingressos custam R$ 30,00 e podem ser adquiridos Newroad Harley-Davidson (procurar Renan de Freitas), endereço: Av. Senador Virgílio Távora, 554 – Meireles. Ou na Paddock – Detalhamento Automotivo, endereço: Av. Engenheiro Santana Jr., 2790 – Papicu.

19:20 · 15.01.2017 / atualizado às 19:20 · 15.01.2017 por

Há mais de 100 anos, os motores V-Twin da Harley-Davidson têm sido o coração das máquinas que inspiraram gerações de motociclistas no mundo todo a descobrir a sensação única de se pilotar uma motocicleta da marca. Mais do que meramente motores, os Big Twin da H-D possuem visual e som inconfundíveis, e se tornaram lendários ao longo da trajetória de sucesso da companhia, que recentemente divulgou os novos motores Milwaukee-Eight™ que equipam os modelos da linha Touring.

Motor 1909 V-Twin
Motor 1909 V-Twin

Os nove motores desenvolvidos pela Harley-Davidson ao longo dos anos retratam a evolução da marca em todos os aspectos que contribuem para o melhor desempenho de suas motocicletas. A timeline a seguir apresenta os principais detalhes que os diferenciam entre si.
ATMOSPHERIC V-TWIN (1909)
O primeiro motor de dois cilindros da Harley-Davidson surgiu em 1909, o Atmospheric V-Twin, que recebeu esse nome devido à atuação de suas válvulas pelo vácuo criado durante o curso de admissão do pistão. Ele ganhou um lugar especial na história da H-D por ser o elemento mais distintivo do design da motocicleta da marca: o motor V-Twin refrigerado a ar de 45 graus.

Motor Flathead
Motor Flathead

F-HEAD (1911 – 1929)
Em 1911, o cofundador e engenheiro-chefe Bill Harley tinha resolvido os problemas de seu design V-Twin com a criação do motor F-Head que tinha válvulas operadas mecanicamente. Até 1929 foi o principal motor da companhia até a introdução do V-Twin Flathead.
Disponível em deslocamentos de 45 e, posteriormente, de 74 e 80 polegadas, esses incríveis motores de válvula lateral provaram seu valor para a Harley-Davidson com longevidade incomparável. Gerações de motociclistas gostaram da simplicidade e confiabilidade do modelo Flathead que permaneceu em produção até o início dos anos 1970 em servicars de três rodas. Porém, até os anos 1930, os motociclistas já exigiam mais potência.
FLATHEAD (1929 – 1973)
A grande depressão foi um golpe para a indústria de motocicletas. Na tentativa de atender à demanda, Bill Harley testou várias novas opções de motor, até chegar ao incrível Flathead, incluindo os designs de quatro cilindros em linha e o “boxer”, de estilos opostos.

 

Motor Panhead
Motor Panhead

KNUCKLEHEAD (1936 – 1947)
Foi o primeiro motor da Harley-Davidson a ter componentes e superfícies deliberadamente estilizadas que, mais tarde, se tornaram um marco do desenvolvimento de produtos da marca. Ele recebeu este nome devido às tampas do cabeçote de alumínio polido brilhante, com dois grandes parafusos dos balancins em cada cilindro. Com o mesmo ângulo de cilindro de 45 graus que seus antecessores, o motor totalmente novo proporcionou mais potência, parcialmente devido às válvulas no cabeçote. Com ele, também foi lançado o primeiro sistema de óleo recirculante de circuito fechado H-D. Logo, todos os motores da companhia teriam o novo sistema de cárter de óleo seco e, junto a ele, o emblemático tanque em forma de ferradura em torno da bateria.
PANHEAD (1948 – 1965)
O Knucklehead definiu a aparência básica dos motores Big Twin que foram criados posteriormente pela Harley-Davidson e inspiraram muitos de seus concorrentes. Em 1948, mudanças importantes foram feitas para a criação de um novo motor com arquitetura básica e deslocamento semelhantes ao Knucklehead, logo lançado como Panhead. Ainda mais que o estilo do motor anterior serviu de estímulo para o Panhead, que também tinha cabeçotes de alumínio mais eficientes e tuchos de válvula hidráulicos que eram mais silenciosos e precisavam de menos manutenção.

 

Evolution
Evolution

SHOVELHEAD (1966 – 1984)
O Panhead foi seguido pelo Shovelhead para as motocicletas modelo/ano 1966 e apresentou, principalmente, uma melhoria na potência. As duas décadas seguintes viram uma proliferação de novos modelos que passaram a ser equipadas com motores Big Twin (como as motocicletas da família Dyna – Super Glide® 1971, o Low Rider® 1977, o Wide Glide® 1980 e muitas outras). Antes, os Big Twin só equipavam motos Touring.
EVOLUTION (1984 – 1999)
O motor Evolution® passou a integrar os modelos de 1984. Com 80 polegadas cúbicas, foi o maior salto no formato dos motores Big Twin até aquele momento. Tinha um design sem vazamento de óleo, com ruído mecânico reduzido e uma vida útil muito mais longa, entre outros avanços. Todos os recursos do Evolution® que os clientes prezavam foram mantidos no novo motor Twin Cam 88® que estreou nas motos de 1999.

MY17 107 Engine. Milwaukee Eight.
MY17 107 Engine. Milwaukee Eight.

TWIN CAM (1999 – Até hoje)
O novo motor oferecia comandos de válvulas impulsionados por corrente e aumento de deslocamento. O Twin Cam 88® foi novamente aumentado em 2007, para se tornar o Twin Cam 96™. Mudanças significativas vieram com os modelos 103 e 110, ambos disponíveis com ou sem a refrigeração Twin-Cooled no modelo ano 2014. Juntamente com as várias melhorias do Projeto RUSHMORE na família Touring, até então, o Twin Cam fez parte do maior projeto de desenvolvimento de produto da história da Harley-Davidson.
NOVO MOTOR MILWAUKEE-EIGHT™
Em 2016, a Harley-Davidson lançou Milwaukee-Eight™, o 9º motor da história da companhia e que marcou outro importante salto em termos de design de motores da marca. Com oito válvulas e cabeçotes refrigerados a água ou a óleo, o Milwaukee-Eight™ oferece o mais alto nível de desempenho de fábrica e leva o legado do Big Twin para o futuro.
A nova motorização recebeu esse nome para homenagear a cidade americana de Milwaukee em Wisconsin (EUA), o berço da Harley-Davidson, por apresentar quatro válvulas por cilindro (que totalizam oito) e também por que apresenta oito mudanças principais que refletem diretamente no desempenho inigualável das motocicletas da família Touring.
Os novos motores integram as Touring e são oferecidos em duas versões diferentes e com três variações:
Milwaukee-Eight™ 107 (107 polegadas cúbicas de deslocamento, 1750 cc): No Brasil, presente nos modelos Street Glide® Special e Road King® Classic.
Twin-Cooled™ Milwaukee-Eight™ 107 (107 polegadas cúbicas de deslocamento, 1750 cc): No Brasil, presente na Ultra Limited.
Twin-Cooled™ Milwaukee-Eight™ 114 (114 polegadas cúbicas de deslocamento, 1870 cc): No Brasil, presente nos modelos CVO™ Limited e CVO™ Street Glide®.

11:15 · 08.09.2016 / atualizado às 11:15 · 08.09.2016 por

A Harley-Davidson do Brasil comunica que foram identificadas mais 115 unidades dos modelos Electra Glide® Ultra Limited e Street Glide® Special, anos de fabricação 2015 e 2016, modelo 2016, fabricadas no Brasil. A empresa convoca os proprietários dessas motocicletas para comparecerem a uma concessionária da marca.
A iniciativa atinge 438 unidades (contando com a quantidade envolvida no recall anterior mais as contabilizadas na expansão da campanha) em todo o território nacional. Confira tabela abaixo:
Modelos
Ano de fabricação
Ano modelo
Chassi não sequencial
FLHTK – Electra Glide® Ultra Limited
2015 e 2016
2016
9321KELJ0GD605813 à 9321KELJ9GD679361
9321KELJXGD605799 à 9321KELJXGD677831
FLHXS – Street Glide® Special
2015 e 2016
2016
9321KRMJ0GD607289 à 9321KRMJ9GD682993
9321KRMJXGD605808 à 9321KRMJXGD683005
O objetivo da expansão dessa campanha é solicitar o encaminhamento das motocicletas envolvidas à rede de concessionárias Harley-Davidson em todo Brasil, para a desmontagem do cilindro mestre da embreagem hidráulica, lavagem com solução apropriada e posterior remontagem.
Tal medida é necessária devido a uma eventual reação química indesejada dentro do cilindro mestre da embreagem hidráulica que poderá impedir o desengate do sistema de embreagem após longos períodos de inatividade. Como consequência, ainda que a embreagem seja acionada pelo condutor ao ligar a motocicleta, o sistema continuará engatado, situação que poderá ocasionar a queda do motociclista, com eventuais danos físicos e materiais, inclusive a terceiros.
As motocicletas abrangidas no recall serão inspecionadas e, caso apresentem o problema, serão imediatamente reparadas. O serviço, é gratuito e tem duração estimada de 1h30. Para mais comodidade, recomendamos o agendamento prévio por meio do SAC. Para informações adicionais, basta consultar uma concessionária da marca em todo o Brasil, acessar a página eletrônica da empresa ou contatar o Serviço de Atendimento ao Consumidor.
Para certificar se o veículo deve ser direcionado a uma concessionária, a Harley-Davidson do Brasil disponibiliza informações aos clientes no site da empresa (www.harley-davidson.com.br), no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) – 0800 724 1188, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h (exceto feriados) – ou ainda por e-mail (sac@harley-davidson.com.br).
Esta iniciativa visa manter o compromisso de respeito aos consumidores e o foco da empresa em oferecer produtos com qualidade e segurança.