Blog do Automóvel

Categoria: Lançamento


11:40 · 11.10.2018 / atualizado às 11:41 · 11.10.2018 por

O Mercedes Classe C recebeu uma série de mudanças na linha 2019. Montado em Iracemápolis (SP), o sedan estará nas concessionárias em novembro em quatro versões, com preços entre R$ 187,9 mil e R$ 259,9 mil. A maior novidade é o C200 EQ Boost, de R$ 228,9 mil. Ele é equipado com um motor 1.5 turbo a gasolina que produz até 197 cavalos. Destes, 14 cv são fornecidos pelo alternador

Chamado BSG (do inglês Belt-driven Start Generator), esse sistema engenhoso faz com que o alternador armazene energia na bateria convencional de 12 volts (como fazem os alternadores comuns) e também em outro acumulador de 48 V durante desacelerações e frenagens. Quando é preciso ele devolve essa eletricidade em forma de força extra durante acelerações ou para ajudar a manter o carro em movimento. A tecnologia resulta em redução de consumo até 10%, segundo a montadora.

Essa característica fez com que o C200 EQ Boost fosse classificado como híbrido pelo governo, o que elevou seu IPI de 13% para 19% e resultou em um preço final cerca de R$ 10 mil mais alto. As versões C 180 Avantgarde e Exclusive mantiveram o motor flex 1.6 turbo, que produz 156 cavalos. No C 300 Sport, o 2.0 turbo passou de 245 para 258 cavalos. A linha 2019 é uma atualização da quinta geração do Classe C, que no Brasil representa 39% das vendas de automóveis Mercedes-Benz

Desde a versão C 180 Avantgarde, de entrada, o Classe C 2019 traz sistema ativo de frenagem, que ajuda a evitar impactos e acidentes em caso de distração do motorista. O câmbio automático tem nove velocidades e aletas para troca de marcha atrás do volante. Controles eletrônicos de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, volante multifuncional com novos comandos sensíveis ao toque e novo sistema multimídia com integração para Waze também estão no Avantgarde 2019.

A versão C180 Exclusive custa R$ 188,9 mil, apenas R$ 1 mil a mais que a Avantgarde. As principais diferenças estão na grade dianteira, que também oculta o radar, mas é inteiriça e substitui a grande estrela central por outa menor sobre sua moldura. Por dentro, o acabamento interno preto brilhante dá lugar à madeira. No C 300, além do motor mais potente, a Mercedes adotou novas rodas de cinco raios com fundo preto. O console central usa madeira preta e a grade tem acabamento com detalhes cromados.

 

Do lado de fora é fácil perceber a troca dos faróis, agora totalmente por LEDs. Em vez de canhões de luz ou parábolas há oito pequenos projetores, que direcionam a iluminação somente para onde ela realmente deve chegar.

O para-choque dianteiro também mudou. Outra alteração ocorreu na estrela do centro da grade. Ela era vazada, mas teve as aberturas fechadas para proteger o radar utilizado em conjunto com uma câmera no para-brisa em sistemas de segurança.

Desde a versão C 180 Avantgarde, de entrada, o Classe C 2019 traz sistema ativo de frenagem, que ajuda a evitar impactos e acidentes em caso de distração do motorista. O câmbio automático tem nove velocidades e aletas para troca de marcha atrás do volante. Controles eletrônicos de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, volante multifuncional com novos comandos sensíveis ao toque e novo sistema multimídia com integração para Waze também estão no Avantgarde 2019.

A versão C180 Exclusive custa R$ 188,9 mil, apenas R$ 1 mil a mais que a Avantgarde. As principais diferenças estão na grade dianteira, que também oculta o radar, mas é inteiriça e substitui a grande estrela central por outa menor sobre sua moldura. Por dentro, o acabamento interno preto brilhante dá lugar à madeira. No C 300, além do motor mais potente, a Mercedes adotou novas rodas de cinco raios com fundo preto. O console central usa madeira preta e a grade tem acabamento com detalhes cromados.

A Mercedes ainda não revela quando, mas é certo que o novo motor 1.5 será estendido a outros modelos em pouco tempo. É provável que algum anúncio desse tipo ocorra no Salão do Automóvel (de 8 a 18 de novembro no São Paulo Expo). A introdução da tecnologia flex no novo propulsor também é aguardada. A fábrica de Iracemápolis trabalha em um turno e monta tanto o Classe C como o GLA (utilitário esportivo). Os dois são fabricados no interior paulista, cada um em quatro versões. A unidade abastece apenas o mercado interno. O gerente senior de vendas da Mercedes, Dirlei Dias, afirma que não há planos atuais de exportar a partir dali, mas garante que a fábrica é moderna e flexível o bastante para atender eventuais demandas desse tipo.

 

12:45 · 24.09.2018 / atualizado às 12:45 · 24.09.2018 por

A Volkswagen passa a vender no início de outubro o Jetta 2019. Produzido sobre a plataforma modular MQB, o carro entrou em sua sétima geração. Vem do México em duas versões, Comfortline (R$ 109.990) e R-Line (R$ 119.990)

Ambas as versões utilizam o motor 250 TSI flex, um 1.4 turbo com 150 cavalos produzido em São Carlos (SP). O câmbio automático de seis marchas também é o mesmo para os dois. O público-alvo do carro é 90% masculino, com média etária de 46 anos e renda mensal de aproximadamente R$ 20 mil, ou seja, o “tiozão” que prefere a agilidade dos sedãs à posição elevada de dirigir dos SUVs. Em sua faixa de preço o Volkswagen vai brigar com as versões mais completas do Toyota Corolla, do Honda Civic e do Chevrolet Cruze.

Durante o ano de 2019, a estimativa do presidente e CEO da Volkswagen para o Brasil e América do Sul, Pablo Di Si, é vender cerca de 15 mil unidades se nada muito diferente ocorrer com a economia do País. É pouco quando se considera que o Cruze, terceiro sedã médio mais vendido, já teve 13 mil emplacamentos até agosto de 2018 e o Corolla, o líder, passou das 38 mil.
Como ficou a nova geração
O novo Jetta ficou um pouquinho que o da sexta geração. Mede agora 4,7 metros (4,3 centímetros a mais). A distância entre eixos aumentou em quase 4 centímetros e passou a 2,69 metros. Com isso melhorou o conforto no banco traseiro. O porta-malas tem a mesma capacidade, 510 litros. De acordo com a Volkswagen ele acelera de zero a 100 km/h em 8,9 segundos e atinge 210 de velocidade máxima.
Desde a versão Comfortline o Jetta tem controles eletrônicos de tração e estabilidade, seis airbags e recebe rodas de liga leve de 17 polegadas, ar-condicionado digital com duas zonas distintas de temperatura, iluminação ambiente com dez cores possíveis, revestimento dos bancos com couro sintético, volante multifuncional, chave presencial, botão de partida, sistema Start-Stop (que desliga e religa o motor em tráfego congestionado para economizar combustível), central multimídia compatível com Android Auto, Apple Car Play, Mirrorlink e recebe tela colorida sensível ao toque.


A partir de um aplicativo é possível controlar o sistema multimídia pelo smartphone ou tablet. Tanto as lanternas traseiras como os faróis principais usam LEDs. Câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, freio de estacionamento eletromecânico, assistente de partida em rampa, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico e seletor para o tipo de condução (mais econômico ou esportivo) também são de série.
A versão R-Line recebe detalhes de acabamento diferenciados, mais ACC (capaz de controlar a distância do veículo à frente em estradas, freando e reacelerando), painel digital ativo (que permite substituir por mapas ou outras informações a imagem do velocímetro e do conta-giros), detector de fadiga, que alerta o motorista ao perceber indícios de sonolência, comutador automático de farol alto/baixo e Front Assist com função Emergency Brake.
Este último usa um sensor por radar instalado na dianteira que monitora o tempo todo a distância dos veículos que estão à frente. O Front Assist ajuda o motorista em situações críticas, pré-condicionando o sistema de freios e alertando o condutor por sinais (visual ou sonoro) ou por um breve solavanco em um segundo estágio. Caso o motorista não freie forte o suficiente, o sistema automaticamente gera força de frenagem para tentar evitar a colisão. O teto solar é um item opcional tanto para o Comfortline como para o R-Line e eleva o valor em R$ 4.990.

17:04 · 21.09.2018 / atualizado às 17:04 · 21.09.2018 por

Completo, 1.6 SL Direct tem bem mais que câmbio automático e ar-condicionado


A Nissan criou para seu sedan Versa a opção 1.6 SL Direct, voltada aos portadores de necessidades especiais (PcD). Com as isenções legais de impostos o preço cai de R$ 68.840 para R$ 53.237. O carro será mostrado no evento Mobility & Show SP, que ocorre de 21 a 23 de setembro no Campo de Marte, na cidade de São Paulo.
Além do câmbio automático do tipo CVT (que substitui parte das engrenagens por polias variáveis), o Versa Direct traz banco do motorista com ajuste de altura, ar-condicionado automático digital, banco traseiro rebatível, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico e função um-toque para descida no lado do motorista.
A direção conta com assistência elétrica, regulagem de altura e o carro tem também bancos e volante com acabamento em couro, câmera traseira com imagem integrada no display do rádio, central multimídia Multi-App com CarPlay e Android Auto, computador de bordo, sistema de navegação GPS integrado ao painel, faróis de neblina, retrovisores externos elétricos e rodas de liga-leve de 16 polegadas.
Além do Versa, a Nissan tem opções Direct para o hatch March, o utilitário esportivo Kicks e o Sentra, sedã médio trazido do México.

04:26 · 15.09.2018 / atualizado às 15:31 · 14.09.2018 por

Fruto de um projeto inovador da Ducati, de estilo autêntico e assinatura versátil, a Supersport S é perfeita para o uso urbano, confortável para viagens e surpreendente no track day


Tem como característica principal a posição mais ergonômica e relaxada para o piloto e também para o passageiro. De visual leve e compacto, a Supersport S é dinâmica, de visual inspirado na linha Panigale e com o chassi Trellis, caracteristico de alguns modelos da marca.
A Ducati SuperSport S vem equipada com suspensão Öhlins totalmente ajustável, sistema de aumento/redução de marchas Ducati Quick Shift (DQS) e capa para o assento traseiro.
Ágil em ruas urbanas, confortável em estradas a SuperSport S é versátil. Posições relaxadas para piloto e passageiro, boa deflexão do fluxo de ar com o visor de Plexiglas com altura ajustável e a quilometragem permitida pelo tanque de combustível de 16 litros também fazem da nova Ducati SuperSport uma boa companhia para qualquer jornada.


A versão SuperSport S vem com suspensão Öhlins totalmente ajustável, sistema de aumento/redução de marchas Ducati Quick Shift (DQS) e capa para o assento traseiro.
A SuperSport S tem um motor de cilindro duplo de 937 cm3 Testastretta 11°. Ele produz 113 cv a 9.000 rpm e uma curva completa de torque linear com pico de 96,7 Nm a 6.500 rpm.
Graças aos três modos de pilotagem (Esportivo, Turismo e Urbano), o temperamento da SuperSport S pode ser adaptado para garantir o máximo de aproveitamento em qualquer condição de pilotagem. Cada modo de pilotagem pode ser customizado, permitindo que a moto seja ajustada rapidamente para atender preferências e níveis de pilotagem pessoais.


O quadro da SuperSport S é o último desenvolvimento do famoso design Trellis, que explora o motor como elemento de sustentação de carga. Compacto, leve e rígido, ele tem um papel fundamental em tornar a SuperSport ligeira, mas sem deixar de ser uma máquina instintiva que pode ser pilotada por qualquer um.
A configuração de quadro inteligente desempenhou uma função crucial em manter o peso úmido em volta de um máximo de 210 kg. Uma sensacional geometria do chassis, acime de tudo a distância de 1.478 mm entre os eixos e o pneu traseiro de 180/55, fazem da SuperSport S fácil de manusear tanto em ruas das cidades quanto em curvas montanhosas, maximizando a estabilidade nas curvas e em alta velocidade.


A Ducati SuperSport S pode ser equipada com toda uma linha de acessórios Ducati Performance (alguns estão incluídos nos pacotes Sport, Touring e Urban), que permitem aos proprietários configurar a motor de acordo suas necessidades pessoais.
A Ducati Performance criou uma série de pacotes e acessórios disponíveis individualmente para trazer à tona toda a versatilidade da moto e customizá-la de acordo com o gosto individual. Tanto a versão as versões da SuperSport podem ser aprimoradas com os pacotes Sport, Touring e Urban, que também podem ser montados juntos.

10:29 · 29.08.2018 / atualizado às 10:29 · 29.08.2018 por

Chevrolet está lançando a linha 2019 do Joy, versão de entrada do carro mais vendido do mercado brasileiro. Esta configuração chega para se juntar às recém-apresentadas LT, Advantage, Effect, LTZ e Activ, completando assim a atualização da gama Onix;  Onix Joy traz atualizações na parte interna e externa que ressaltam o caráter urbano do veículo e reforçam sua relação custo-benefício, por fora, as novidades começam pelo novo acabamento das lanternas e dos faróis


Enquanto os faróis adotam máscara negra com elementos cromados, as lanternas passam a ter detalhe fumê similar ao das configurações mais sofisticadas. As novas calotas seguem o mesmo princípio e se somam aos inéditos adesivos de coluna, agregando também um estilo mais contemporâneo ao conjunto.


Ofertado em configuração única de equipamentos, o Onix Joy foca no consumidor que busca um carro de entrada econômico, completo e, ao mesmo tempo, espaçoso para os padrões da categoria.
O modelo conta com equipamentos valorizados pelos usuários, como direção elétrica progressiva, transmissão de seis marchas, ar-condicionado, painel com velocímetro digital e conjunto elétrico para vidros dianteiros e para as travas das portas, tudo com acionamento remoto.
No interior as melhorias incluem novo revestimento dos bancos com costura pespontada, cinto de segurança de três pontos e apoio de cabeça traseiro centrais. A chave tipo canivete também é nova e passa a seguir o mesmo padrão estético da dos demais modelos de passeio da Chevrolet.
A preparação para sistema de áudio é outra novidade da linha 2019; inclui alto-falantes dianteiros, antena no teto e fiação com conectores tipo Plug&Play para a instalação de acessórios originais, como o novo multimídia, o Smart Media Joy. Conta com TV digital, tela Touch Screen, espelhamento para smartphone (Android e IOS) e entrada para câmera de ré.


A segunda versão mais emplacada da gama
A linha 2019 da versão de entrada da Chevrolet estreia nas lojas em agosto, mês em que o Onix atinge 36 meses consecutivos na liderança do mercado brasileiro – um recorde para o fabricante no país.
No ranking de vendas, o Joy é a segunda versão mais emplacada do Onix, atrás apenas da LT.
“Baixo custo de manutenção e alto valor de revenda reforçam a relação de atributos comerciais do Onix Joy, até por isso é muito procurado também por clientes frotistas”, destaca Rodrigo Fioco, diretor de Marketing de produto da Chevrolet.


O Onix Joy é equipado com motor 1.0 Flex de até 80 cavalos e transmissão manual de seis marchas com indicador de troca e monitoramento da pressão dos pneus para máxima eficiência energética. O modelo, aliás, figura entre os mais econômicos do país.

Consumo
De acordo com o Inmetro, o Chevrolet percorre, com gasolina, 15,2 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade. Com etanol, as médias são 10,5 km/l e 8,7 km/l, respectivamente.


Duplo airbag, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, alarme, sombreira do passageiro com espelho, cinto de segurança do motorista com regulagem de altura e aviso de não afivelamento completam a lista de itens de série.
O Onix Joy é ofertado em cinco opções de cores: Preto Ouro Negro, Branco Summit, Vermelho Chili, Cinza Graphite e Prata Shitchblade.

12:41 · 22.08.2018 / atualizado às 12:43 · 22.08.2018 por

Veículo faz 50 anos e ganha mudanças; lançamento para a imprensa em Fortaleza será dia 30 de agosto e alguns lançamentos regionais já estão acontecendo. Em setembro já estará nas lojas

Com design frontal renovado e uma extensa lista de equipamentos que destacam a robustez, a nova Hilux 2019 chega ao mercado. A Linha 2019 segue equipada com motores Diesel e Flex. As transmissões para os modelos diesel são automática de seis velocidades sequencial para as versões SRX, SRV e SR e manual de seis velocidades para as versões Standard Power Pack, Standard Narrow, Cabine Simples e Cabine Chassi.

As versões Flexfuel trazem motorização Dual VVT-i Flex 2.7L 16V DOHC, e desempenham 163 cv de potência a 5.000 rpm, quando abastecidos com etanol, e 159 cv, também a 5.000 giros, com gasolina.

E o grande diferencial é a tecnologia de duplo comando de válvulas variável (Dual VVT-i), que atua no gerenciamento dos sistemas de admissão e escape da câmara de combustão, otimizando a queima do combustível de maneira inteligente.

São três versões dotadas de transmissão automática de seis velocidades sequencial: SRV 4×4 Cabine Dupla, SRV 4×2 e SR 4×2. Há ainda opção de transmissão manual de cinco velocidades, que é a SR 4×2.


Modelo, Versão e Preço
DIESEL 4X4
– SRX 50th Anniversary AT – R$ 196.990
SRV AT – R$ 179.990
SR AT – R$ 160.490
– STD Power Pack MT – R$ 140.490
– STD Narrow MT – R$ 138.010
– Cabine Simples MT – R$ 125.560
– Chassi e Cabine – R$ 121.530


FLEXFUEL
– SRV 4×4 AT – R$ 140.990
– SRV 4X2 AT – R$ 129.990
– SR 4X2 AT – R$ 117.990
– SR 4X2 MT – R$ 111.990

11:36 · 14.08.2018 / atualizado às 11:36 · 14.08.2018 por

– Inspirada em conquistas nas pistas e no que há de melhor na Família Ninja, novo modelo se destaca pela relação peso x potência, já que ficou 8 kg mais leve e 9 cv mais potente
– Esportiva estará disponível na rede de concessionárias a partir da segunda quinzena de setembro com Preço Público Sugerido de R$ 23.990

Ninja 400 ABS KRT

Há 10 anos a Kawasaki dava vida a um produto que criaria um novo segmento de mercado. O ícone Ninja passaria a estar disponível para um número maior de consumidores com o lançamento de uma versão de entrada. Na época, a Ninja 250R não era apenas a única de seu tipo, mas oferecia um interessante pacote para pilotos iniciantes e até aos mais experientes: esportividade no estilo e na performance advinda de uma linhagem mais que consagrada, com uma pegada divertida e amigável. Estava então lançado um movimento mundial que, mais uma vez, reforçava a atitude inovadora da marca.
Nesta última década, o número de motos esportivas carenadas concorrentes cresceu consideravelmente, fazendo com que fosse uma das categorias mais disputadas do mercado de duas rodas no mundo. Nesse período, a Kawasaki impulsionou novamente a evolução do segmento, primeiro com o lançamento da versão de 300 cm3 em 2012, que trouxe à época várias novidades, entre elas a embreagem deslizante disponível apenas em motos de alta cilindrada, e, agora, em 2018, com mais um novo capítulo chamado Ninja 400.
Como não poderia ser diferente, a 400 cc mantém o estilo esportivo que é assinatura da Família Ninja com uma pilotagem fácil e ao mesmo tempo emocionante, características importantes para uma motocicleta dessa categoria. O desempenho é superior graças aos novos motor e chassi, trazendo mais potência com menos peso, elevando o nível da categoria. Afinal, agora são 8 kg a menos do que na Ninja 300 (similar ao peso de uma monocilíndrica) com 9 cv a mais.
O bicilíndrico de 399 cm3 é totalmente novo e foi projetado visando evolução na performance, otimização de tamanho e peso e eficiência de consumo. Houve mudanças no design, incluindo nova admissão de ar, e inúmeros outros esforços para redução de peso, apesar da capacidade cúbica maior. O resultado é um motor compacto e leve (equivalente a um 250cc) que apresenta equilíbrio entre performance e controle, oferecendo maior desempenho em todas as faixas de rotações em comparação à Ninja 300, com uma entrega de potência linear e suave e bom torque desde baixas rotações.
DETALHES TÉCNICOS
MOTOR
• O deslocamento de 399 cm³ da Ninja 400 vem de um diâmetro de 70,0 mm e curso de 51,8 mm.
• Coletor de admissão fornece um caminho mais curto e mais direto para a entrada de ar no cilindro, melhorando a eficiência de enchimento e contribuindo para o aumento da potência do motor, especialmente em altas rotações. Ajuda também no layout do chassi, liberando espaço sob o assento, o que resulta num design que oferece fácil acesso ao solo.
Uma caixa de ar maior (5,8 litros conta 4,7 litros da antecessora) e mais alta garante espaço suficiente para o sistema de admissão. Os funis possuem alturas diferentes, contribuindo para a resposta suave do motor, permitindo melhor refinamento da entrega de torque. Esse novo design melhora a eficiência na admissão e elimina ruídos indesejados, permitindo que piloto e passageiro ouçam com mais nitidez a nota de admissão do motor durante a aceleração.
• Válvula do corpo de borboleta maior (32 mm) ajuda a fluir mais volume de ar, contribuindo para um forte desempenho em altas rotações.
• Graças ao potencial de uma moderna injeção e à experiência da Kawasaki, os sub-aceleradores usados na antecessora da Ninja 400 puderam ser eliminados, economizando peso na nova versão.
• Injetores de atomização fina contribuem para a eficiência da combustão. Foram posicionados mais próximos dos dutos de admissão para permitir que borrifem combustível diretamente na câmara de combustão, contribuindo para o aumento da eficiência da queima e uma resposta linear do acelerador.
• Árvore do comando de válvulas forjada – normalmente vista apenas em motos de maior cilindrada – contribui para a redução de peso, economizando outros 200g.
• Jatos de óleo arrefecem a parte inferior dos pistões, permitindo um design compacto.
O volante do motor mais leve permite uma resposta mais imediata e direta do acelerador. Isso também contribui para a economia de peso.
• Um sistema de escape simplificado, que traça agora uma linha mais reta e que possui espessura de apenas 0,8 mm, contribui ainda mais para a redução de peso.
• A nova capa da ventoinha localizada atrás do radiador direciona o ar quente para os lados, ajudando a afastá-lo do piloto, reduzindo assim o desconforto em tráfego pesado. Redirecionar o ar também ajuda a manter o tanque, o chassi e outras partes que entram em contato com o motociclista mais resfriadas.
Design Compacto
• A realocação de componentes como a corrente de comando ajudou a manter o propulsor mais baixo e a deslocar volume para a frente.
• O cilindro é inclinado para frente em um ângulo de 20 graus, resultando em um motor mais curto.
• O projeto revisado do cárter permite um direcionamento mais direto dos tubos de escape, também contribuindo para a economia de peso.
• O layout do sistema de arrefecimento foi completamente revisado realocando components para economizar peso e reduzir a tubulação externa.
As mudanças que contribuem para a redução de peso do motor incluem:
– Eliminação dos sub-throttles
– Rota mais simples para o sistema de arrefecimento, com menos líquido
– Embreagem mais compacta
– Paredes mais finas do sistema de escape
– Redução de conexões do escapamento
– Volante mais leve e virabrequim revisado
– Comando de válvulas forjado
TRANSMISSÃO E EMBREAGEM
• As relações de marcha mais próximas promovem trocas suaves.
• Embreagem assistida deslizante mais compacta (de 139 mm para 125 mm) oferece uma alavanca 20% mais leve.
• Quando o motor está acelerando normalmente a embreagem funciona com assistência; já quando ocorrer freio-motor excessivo como resultado de reduções de marcha rápidas o efeito deslizante entra em ação, evitando que o pneu traseiro derrape.

CHASSI
• Com novos motor e chassi, o posicionamento do propulsor pode ser otimizado. O chassi da Ninja 400 agora tem um estilo supersport com entreeixos curto e um braço oscilante longo.
• Entreeixos mais curto (de 1.405 mm para 1.370 mm) contribui para uma pilotagem leve e fácil.
• A posição otimizada do pivô do braço oscilante contribui para uma condução realmente derivada de uma superesportiva.
• Além de contribuir para a redução de peso, o uso do motor como parte estrutural ajuda a obter a rigidez ideal para estabilidade.
• O design mais leve dos novos motor e chassi, além de grandes esforços para minimizar o peso, resultam em uma Ninja 400 de apenas 164 kg (8 kg a menos que a Ninja 300), ou seja, na mesma faixa de peso de modelos monocilíndricos.
• Além dos novos motor e quadro, outras mudanças que contribuem para a redução de peso do chassi incluem:
– Fixação do motor
– Entreeixos mais curto
– Novo design de roda
– Pneus radiais
SUSPENSÃO
• Garfo de suspensão de 41 mm mais rígido (antes 37 mm) proporciona uma ação mais eficiente e precisa. A roda dianteira parece realmente “plantada” na trajetória, as mudanças de direção são feitas facilmente.
• O ângulo de inclinação mais acentuado do cáster contribui para o manuseio leve.
• Os links revistos e os ajustes da suspensão traseira contribuem para a sensação de condução de alta qualidade.
• 5 ajustes de pré-carga permitem que o piloto regule a rigidez e o deslocamento para adequar a configuração ao peso corporal ou quando estiver com garupa.
FREIO, RODAS E PNEUS
• O disco dianteiro semi-flutuante maior (310 mm) tem o mesmo tamanho do utilizado na Ninja ZX-14R.
• Recém-projetado, o cilindro mestre do freio dianteiro ajuda a eliminar o curso morto, contribuindo para o controle.
• Na traseira, o disco de 220 mm é acionado por uma pinça com dois pistões maiores (de 25,4 mm para 27 mm).
• As dimensões e o material da mangueira de freio foram cuidadosamente selecionados para oferecer precisão e uma sensação mais direta.
• Rodas de cinco pontas semelhantes às da Ninja 650 contribuem para o baixo peso, enquanto a rigidez lateral otimizada beneficia o manuseio, aumentando a estabilidade nas curvas.
• Pneus radiais oferecem leveza, excelente aderência e colaboram para o manejo ágil e o conforto na pilotagem. Além disso, o pneu traseiro de 150 mm contribui para o design mais imponente.
ERGONOMIA
• A carenagem de maior volume da Ninja 400 oferece excelente proteção contra o vento, contribuindo ainda mais para o conforto na estrada. Mas em vez de bloquear completamente o vento, a carenagem promove um fluxo de ar constante em torno do piloto. O design também ajuda a extrair ar quente para fora do compartimento do motor.
• Os comandos do guidão estão posicionados mais próximos do que na Ninja 300, contribuindo para o conforto.
• O tanque de combustível é mais estreito onde ficam posicionadas as pernas do piloto, proporcionando bom contato com a moto.
• A altura do assento é a mesma da Ninja 300, mas graças ao design estreito está mais fácil para os pés do motociclista alcançarem o solo.
• As pedaleiras estão posicionadas ligeiramente mais à frente, colaborando para uma posição de pilotagem confortável, e estão fora do caminho quando o motociclista quiser colocar os pés no chão.
ESTILO
• O corpo mais volumoso da Ninja 400 a faz ter a aparência de uma moto de maior cilindrada, enquanto o design da nova carenagem frontal reflete o aspecto de desempenho esportivo da moto e a identifica instantaneamente como autêntica Kawasaki.
• Spoilers na parte inferior da carenagem dianteira foram inspirados na Ninja H2 e na Ninja ZX-10R.
• Os espelhos com novos suportes estão posicionados mais afastados, oferecendo maior campo de visão.
• As luzes de direção dianteiras são embutidas, para uma aparência elegante e unificada.
• O compacto design do pára-lama dianteiro, assim como o tanque de combustível mais inclinado à frente, adicionam esportividade ao visual da Ninja 400.
• A rabeta apresenta o mesmo estilo da Ninja H2, com luzes de direção mais afiladas. O design da lanterna em LED vem da Ninja ZX-10R.
PAINEL
• O painel conta com tela de LCD em display negativo que, além do velocímetro digital e do indicador de marcha, inclui as seguintes funções: hodômetros total e dois parciais, autonomia restante, consumos médio e instantâneo, temperatura externa, temperatura do líquido de arrefecimento, relógio e indicador de pilotagem econômica.
• O cuidado no cabeamento dos fios resulta em uma área de painel clean e sem interferências.
ALGUNS RECURSOS DE CONVENIÊNCIA
• O assento dianteiro pode ser facilmente removido puxando um cabo localizado sob o banco traseiro, facilitando o acesso à bateria.
• O espaço de armazenamento sob o banco tem dois níveis para um uso mais eficiente do local, suficientemente grande para acomodar uma trava de segurança em “U”.
• Pontos de fixação nos suportes de pedaleira traseiros e na parte de baixo da rabeta facilitam a amarração da bagagem.

12:26 · 13.08.2018 / atualizado às 12:26 · 13.08.2018 por

Visando aumentar o market share no mercado automotivo do Norte e do Nordeste, a Total Lubrificantes do Brasil, uma filial do Grupo Total – quarta maior companhia de petróleo e gás do mundo – participa, pela primeira vez, da “Autop Ceará – Feira Nacional de Autopeças, Motopeças, Acessórios, Equipamentos e Serviços”. Entre 15 e 18 de agosto, no Centro de Eventos da capital Fortaleza, a empresa aposta no ELF Moto 4 Cruise, seu mais recente lançamento, e na linha Total QUARTZ, para ampliar sua notoriedade entre os visitantes.
De acordo com Adriana Bracale, gerente de Marketing, a presença em feiras do segmento integra o plano de crescimento da Total. “Queremos expandir a nossa participação em todo o país, mas principalmente nestas regiões. Eventos de negócios como esse, que atraem fornecedores da indústria automotiva local, são estratégicos para isso, pois conseguimos mostrar os nossos diferenciais às empresas do segmento”, garante.

Lubrificação do veículo é fundamental para o bom desempenho

Além de apresentar o amplo e diversificado portfólio de produtos ao lado do seu distribuidor e parceiro no estado, Auto Peças Padre Cícero, a companhia também marca presença na “Autop Ceará 2018” com a palestra “A Nova Era da Lubrificação”. A partir das 17h do dia 17 de agosto, na Arena 2, Rafael Carvalho, assistente Técnico da Total, vai abordar a evolução dos óleos lubrificantes da empresa, que estão adaptados ao novo mercado automobilístico, bem como aos motores mais modernos e de alta performance por conta da tecnologia exclusiva Fuel Economy e Low SAPS.
SERVIÇO: 16ª Autop 2018
Data: de 15 a 18 de agosto de 2018
Horários: de quarta a sexta-feira, das 16h às 22h e no sábado das 11h às 18h
Local: Centro de Eventos do Ceará (Av. Washington Soares, nº 999 – Edson Queiroz – Fortaleza/CE)
Estande: número 94
Mais Informações: www.autopceara.com.br

15:32 · 03.07.2018 / atualizado às 15:42 · 03.07.2018 por

T-Cross vai expandir o programa de SUVs na Europa
Com espaço inovador, compartimento de passageiros oferece excelente espaço
Graças à MQB, T-Cross traz diversos sistemas de assistência de classes de veículos superiores para o segmento compacto

 

O T-Cross está pronto para inaugurar um novo formato de SUV da marca Volkswagen. Apresentado em 2016 no Salão de Genebra como um estudo antecipado, a versão de série está agora trilhando o seu caminho em direção à produção. Com o T-Cross, a Volkswagen está expandindo o portfólio de Sport Utility Vehicles, incluindo um modelo menor. “I am more than one thing” – essa é a abordagem com a introdução do T-Cross.

Assim, “more” é para ser entendido como um benefício: oferecer mais, mas sem custar mais. A World Première do novo T-Cross acontecerá no segundo semestre deste ano (outono europeu). Até lá, a Volkswagen encurtará o tempo de espera com um primeiro olhar para o futuro SUV compacto da marca.

T-Cross, T-Roc, Tiguan, Tiguan Allspace e Touareg serão agora os cinco formatos de SUVs da marca na Europa. Mas o novo T-Cross vai enriquecer também o portfólio de SUVs na China e na América do Sul. O comprimento do T-Cross europeu é de 4.107 mm, enquanto o T-Cross desenvolvido para a América do Sul mede 4.192 mm. O desenho é carismático, sempre dirigido à frente, funcionalmente conceituado e com construção inteligente. Compatível com o uso na cidade, o T-Cross é preparado para as pequenas e grandes aventuras da selva urbana.

A matriz modular transversal (MQB) possibilita um surpreendente espaço interno. A influência positiva da matriz modular transversal revela-se em todas as áreas. Assim, o T-Cross está entrando no mercado como um dos veículos mais seguros de sua classe – o que é garantido pela alta resistência a impactos e uma ampla gama de sistemas de assistência. No Brasil deve chegar até o final deste ano, mas nada oficial foi divulgado.

Jürgen Stackmann, membro do Board da Marca VW responsável por Vendas e Marketing, e Klaus Bischoff, designer chefe da Marca VW, explicam o novo T-Cross, veja o vídeo

02:51 · 01.07.2018 / atualizado às 16:55 · 29.06.2018 por

· Visual mais marcante na dianteira e traseira
· Pacote de equipamento ultradinâmico S line competition


A Audi torna ainda mais atraente seu modelo médio de sucesso: o A4 Sedan e o Avant ano-modelo 2019 receberam para-choques redesenhados que, junto ao novo design das rodas, acentuam as características esportivas dos veículos. A nova linha de equipamentos S line competition oferece destaques dinâmicos adicionais.
No novo ano-modelo, o A4 ganha uma dianteira mais marcante, proveniente das linhas de design e esportivas superiores. Contornos pentagonais poderosos envolvem as entradas de ar externas – barras de alumínio estruturam seu interior. O pacote S line traz novos para-choques com um visual mais esportivo – seu design pronunciado em forma de cunha os torna ainda mais atraentes. Aberturas separadas nas entradas de ar guiam uma parte do fluxo de ar para as caixas de rodas.


A grade Singleframe ajuda a diferenciar as linhas de equipamentos. No pacote S line, a grade agora também apresenta frisos com visual 3D. Uma lâmina dá o acabamento final na parte inferior da dianteira. O para-choque traseiro também chega redesenhado. Dois canos largos de escape trapezoidais substituem os escapamentos redondos anteriores e a área do difusor é agora mais estreita. As rodas, que estão disponíveis em versões de 16 a 19 polegadas, também ganharam novo design.


O pacote de equipamentos S line competition faz sua estreia na linha A4. Ele inclui uma série de novas funcionalidades exclusivas – a lâmina no para-choques dianteiro e a faixa de proteção na cor cinza, um spoiler traseiro RS no A4 Avant e, entre outros detalhes, a nova pintura Turbo Blue. O logotipo da marca fica agora na parte inferior das portas traseiras, nas cores prata ou preta, dependendo da pintura externa. O pacote de equipamentos também fornece aos clientes recursos de tecnologia esportiva, como rodas de 19 polegadas Audi Sport, pinças de freio vermelhas, suspensão esportiva e faróis de LED.


No interior, o S line competition baseia-se no pacote black S line, complementado por detalhes de fibra de carbono da linha RS, volante multifuncional de três raios e bancos esportivos parcialmente forrados com couro. Como alternativa, os clientes também podem optar por assentos esportivos S na tonalidade vermelho magma ou em outras cores.
Na Alemanha, as pré-vendas dos A4 Sedan e Avant ano-modelo 2019 serão iniciadas no terceiro trimestre de 2018. No Brasil apenas no final do ano.

Pesquisar

Blog do Automóvel

Blog da editoria Auto, do Diário do Nordeste, para coberturas em test drive, lançamentos de automóveis e salões e notícias sobre carros, motos e outros veículos.
Posts Recentes

12h10mNovo Camaro vai ser destaque no Salão do Automóvel de São Paulo 2018

11h10mAudi mostra sua linha de SUVs na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

02h10mConfira detalhes do primeiro carro elétrico feito no Brasil

10h10mSalão do Automóvel de São Paulo com novo lote de ingressos disponível

10h10mSetor de locação foi responsável por 1 em cada 4 veículos emplacados no primeiro semestre de 2018

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs