Blog do Automóvel

Categoria: Manutenção


12:57 · 26.06.2018 / atualizado às 12:57 · 26.06.2018 por

Amarelamento dos faróis pode diminuir a eficiência de iluminação e prejudicar a segurança do veículo; lentes amareladas são indícios de baixo desempenho do conjunto e provocam a redução da visibilidade proporcionada pelo farol e afetam a segurança do veículo


Com a evolução tecnológica da indústria de autopeças, que utiliza cada vez mais materiais termoplásticos, os faróis automotivos ganharam novo destaque, além da função como dispositivos de segurança veicular, tornaram-se itens essenciais no que diz respeito ao impacto visual, garantindo designs arrojados que a engenharia de iluminação é capaz de viabilizar tecnicamente.
Egidio Vertamatti, Gerente Executivo de Produtos da Arteb, uma das principais fabricantes mundiais de sistema de iluminação automotiva, explica que o material amplamente utilizado na lente dos faróis é o policarbonato por equilibrar boas propriedades mecânicas, como a resistência a impactos, e ópticas, como a alta transmitância dos raios luminosos. “As lentes de vidro de fato quebram com muito mais facilidade em comparação às lentes de policarbonato. No entanto, algumas características pouco conhecidas e exclusivas das lentes plásticas precisam ser consideradas neste tipo de comparação”, comenta.
O engenheiro revela que as lentes plásticas dos faróis, apesar de receberem durante o processo produtivo uma camada de verniz, responsável por proteger a lente e, consequentemente, prolongar a sua durabilidade, tendem a sofrer um processo gradual de amarelamento. Isto se dá pela ação dos raios ultravioletas, presentes na luz solar.
O tom amarelado promove certa opacidade na lente e provoca a perda transmitância da luz e, consequentemente, as propriedades ópticas são depreciadas. Na prática, a iluminação promovida pelo farol é reduzida. Quando o desgaste dos faróis atinge este nível de criticidade, no qual a segurança veicular é posta em risco, o mais adequado é efetuar a troca do par de faróis que equipam o veículo.
“É mais que um problema estético, pois compromete a segurança do condutor do veículo. As tentativas amadoras de clarear as lentes, invariavelmente, ocultam provisoriamente o problema em vez de resolvê-lo, pois promovem desgastes pela da retirada da camada de verniz, o que torna a superfície da lente mais vulnerável a riscos e, principalmente, novo amarelamento, comenta. Esses artifícios, segundo Vertamatti, são paliativos, surtem efeito por um breve intervalo, mas não impedem o retorno do problema justamente porque provocam a perda da proteção à radiação UV e pode danificar os componentes internos do farol.”
O Gerente destaca que o motorista acaba se acostumando com a perda da eficiência da iluminação, justamente porque isso ocorre paulatinamente, mas dependendo do caso pode ser muito prejudicial, sobretudo em situações que exigem muito da visibilidade do motorista no trânsito.
Para o motorista não colocar em risco a sua segurança e a de sua família, o engenheiro faz a seguinte recomendação: “Ao notar o amarelamento dos faróis, o melhor é substituir por um novo par. Este é o único procedimento seguro para ter faróis novos por um tempo realmente compatível com a sua expectativa de consumidor”.

20:58 · 17.06.2018 / atualizado às 19:01 · 17.06.2018 por

Tanto molas, bandeja, pivô, batente e barra estabilizadora, bem como amortecedor, podem ocasionar ruídos

Muitos motoristas levam o carro à oficina reclamando de barulho na suspensão e acreditam que é proveniente do amortecedor. No entanto, é preciso fazer uma avaliação completa do sistema de suspensão para identificar de onde vem o ruído. “Além dos amortecedores, todos os componentes da suspensão, entre eles, molas, braço oscilante ou bandeja, pivô, batente e barra estabilizadora, devem ser revisados, pois o sistema trabalha em conjunto e as peças estão em movimento constante para diminuir o impacto das irregularidades do solo”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.
Segundo Silva, muitos ruídos podem ser ocasionados pelas buchas de suspensão, pivô, terminal de direção, terminal axial, caixa de direção, suporte da barra do tensor, coxim do amortecedor e até mesmo ser provocado por protetor de cárter solto, objetos ou estepe soltos no porta-malas, fixação do escapamento comprometida. “todos os componentes que integram o sistema de suspensão e direção devem ser inspecionados para que seja identificados possíveis problemas, pois isto pode gerar ruídos e desgaste irregular dos pneus”, exemplifica. O batente também pode provocar barulho. “O batente impede que o amortecedor sofra batidas bruscas quando chega ao final do curso. Quando comprometido, gera ruídos e acelera o desgaste da mola e amortecedor”, ressalta.
Quando houver algum indício de desgaste ou se o veículo já estiver com mais de 40 mil quilômetros rodados é recomendável levar em uma oficina de confiança para revisão do conjunto de suspensão.

18:45 · 15.04.2018 / atualizado às 18:45 · 15.04.2018 por

Marca alerta que o uso correto da embreagem garante a durabilidade prevista no manual do proprietário, o bom funcionamento do sistema e a segurança ao rodar


Um dos principais mecanismos das motocicletas Harley-Davidson é o conjunto de embreagem, que em sua função mais básica, acopla e desacopla o câmbio ao motor, sendo um sistema mecânico básico e essencial. As motos da marca norte-americana são únicas e contam com singularidades técnicas, já que o conjunto da embreagem, na grande maioria das motocicletas H-D, localiza-se no compartimento primário, separado do motor e do câmbio, e a conexão ao motor é feita por meio de corrente.
As motocicletas Harley-Davidson contam com embreagens hidráulicas que utilizam o fluído DOT 4, desenvolvido especialmente para as necessidades técnicas e mecânicas desse sistema, e dos freios, em todos os modelos. A marca reforça que diversos mecanismos sofrem desgaste natural com o tempo e com a utilização, e deverão ser substituídos no momento correto, porém, a adoção de cuidados na hora da pilotagem garante a vida útil prevista.
A H-DB, visando sempre divulgar as melhores práticas do motociclismo seguro e para manter acesa a chama de união e amizade que só uma marca única e de 115 anos de existência possui, alerta para alguns erros que podem dar dor de cabeça aos proprietários, diminuir a vida útil e comprometer diversos sistemas da motocicleta.
As peças que sofrem mais desgaste são, normalmente, os discos e os chamados separadores, que trabalham em aderência constante quando são acoplados, por meio do óleo lubrificante. Os processos de deterioração podem acontecer por vícios de pilotagem como, por exemplo, o uso incorreto do manete de embreagem em arrancadas bruscas, manter a embreagem acionada por longos períodos durante as paradas com a motocicleta engatada ou conduzir e parar em aclives íngremes, o que superaquece o sistema e diminui a fricção. Também são fatores deteriorantes o uso de óleos lubrificantes com especificações técnicas inadequadas para as motos H-D ou excesso de temperatura.
Os sintomas iniciais podem ser percebidos com a perda de tração durante o acoplamento do conjunto de embreagem, ou seja, que o sistema não transmita a rotação do motor ao câmbio e, consequentemente, a tração não será transferida de forma adequada à roda traseira. A perda de força ou o não desenvolvimento da motocicleta ao acelerar também são sinais de desgaste, além da dificuldade na troca de marchas, principalmente nas primeiras.
Para a manutenção dos sistemas hidráulicos de embreagem são utilizadas técnicas similares às da manutenção do sistema de freio, já que o fluído deve ser inspecionado em relação ao nível do reservatório e a substituição deve acontecer a cada dois anos. Para os sistemas mecânicos, a manutenção inclui, também, a lubrificação do cabo de acionamento e ajuste do parafuso de regulagem, de acordo com a folga especificada no manual de serviço da H-D. Em ambos os casos, é necessária a substituição do óleo de todo o conjunto primário a cada 16 mil quilômetros.
Mesmo que os clientes não façam as substituições diretamente, é importante que saibam que a Harley-Davidson disponibiliza o óleo lubrificante “SYN3 20W50–sintético”, que foi desenvolvido para trabahar nos três compartimentos do conjunto de powertrain da motocicleta, ou seja, motor, primária e câmbio. Esse óleo garante as propriedades adequadas para o perfeito funcionamento dos sistemas, assegurando a redução de atrito no motor, a aderência na embreagem e a resistência à alta pressão no câmbio.


Durante a revisão, é substituído o lubrificante do conjunto primário, além de ajustado o parafuso de regulagem, lubrificado o cabo de acionamento e ajustada a folga ideal da alavanca de acionamento, nos sistemas mecânicos.
Portanto, a Harley-Davidson do Brasil incentiva todos os proprietários a realizarem as manutenções periódicas de acordo com a descrição da tabela de manutenção, que está no manual do proprietário. Também é importante adotar procedimentos seguros para condução da motocicleta. Descartar vícios de pilotagem e se atentar para uso constante da alavanca de embreagem ao parar em semáforos são ações que também fazem a diferença, assim como evitar “segurar” a motocicleta na embreagem em aclives ou arrancadas bruscas.
Para motocicletas de alto torque, como os modelos H-D, participar de treinamentos de pilotagem e condução segura promovidos pelos H.O.G.® Chapters podem ser grandes diferenciais para extrair o máximo desempenho e durabilidade da motocicleta.

04:33 · 04.04.2018 / atualizado às 15:34 · 02.04.2018 por

Falha no catalisador, componente responsável por converter até 98% dos gases tóxicos da combustão, pode acionar o alerta
A preocupação com a redução da poluição proveniente dos carros é fundamental para a saúde da população, especialmente em um país como o Brasil, onde circulam mais de 50 milhões de veículos. O que muitos motoristas desconhecem é que o acendimento da luz de Diagnóstico a Bordo no painel, também conhecida como OBD (On Board Diagnostics), pode ser um sinal de que o carro está poluindo acima dos limites legais. O alerta é da Umicore, empresa referência em tecnologias contra emissões tóxicas.

Responsável por converter até 98% dos gases tóxicos da combustão, o catalisador precisa de revisões periódicas

De acordo com Cláudio Furlan, gerente Comercial da Umicore, essa diagnose avalia todos os componentes que influenciam nas emissões do carro, tendo, inclusive, um código de falha específico para o desgaste acentuado do catalisador.
O catalisador transforma até 98% dos poluentes em substâncias inofensivas, como água, nitrogênio e gás carbônico, e, como qualquer outro componente, precisa passar por revisões periódicas. “O acendimento da luz de OBD pode ser uma indicação de que a peça está degradada e precisa de substituição urgente, pois não realiza a conversão de forma eficiente, fazendo com que o carro libere mais gases tóxicos, elevando a poluição atmosférica”, explica o gerente da Umicore.
A falta de manutenção adequada de outros itens do carro, assim como o abastecimento com combustível de má qualidade e o consumo elevado de óleo lubrificante, reduzem a vida útil do catalisador e, consequentemente, prejudicam o meio ambiente e saúde da população. “Por esse motivo, é importante destacar que os condutores não devem esperar o acionamento da luz do painel para inspecionar o catalisador e outros componentes, respeitando sempre a orientação das montadoras”, alerta o especialista da Umicore.

 

11:59 · 27.03.2018 / atualizado às 11:59 · 27.03.2018 por

Às vezes por falta de tempo não conseguimos fazer a manutenção necessária para manter a pintura do nosso veículo em bom estado. Mas, é importante lembrar que quando um veículo apresenta danificações na lataria, fica mais difícil de ser revendido. Seu estado de conservação estético é um dos fatores mais importantes na hora da venda.
Existem no mercado três tipos de pinturas automotivas: perolizadas, metálicas e sólidas, mas, independentemente do tipo, é necessário tomar alguns cuidados para evitar manchas e oxidações. Estas podem ser irreversíveis e reduzem o valor do seu veículo na hora da revenda.
Então, preste atenção nas dicas de Marcos, criador da AcquaZero, rede de franquias especializada na área de limpeza e conservação automotiva, que tem mais de 240 unidades espalhadas pelo país.


Estacionar o carro embaixo de árvores é ruim
Outro elemento que devemos considerar para conservar a pintura dos veículos é o local onde estacionamos. Parar embaixo de uma árvore, por exemplo, pode não ser o melhor lugar. As flores e folhas podem liberar um tipo de resina que é prejudicial à pintura do veículo. São substâncias ácidas que danificam a pintura do carro caso não sejam removidas logo. Se esses resíduos ficarem por muito tempo na lataria e ficarem expostos ao sol, o processo pode ser acelerado.

Um Fiat 500 Barbie, com pintura especial

Insetos danificam a pintura de forma irreversível
Se você anda com seu carro em rodovias freqüentemente, principalmente no período noturno, fatalmente ele será vítima dos insetos. Os bichos grudam nos faróis, grades e pintura do veículo. Seus fluídos podem danificar a pintura de forma irreversível caso não sejam removidos em até três dias.

Cuidado com a gasolina na lateral do carro após abastecer, ela mancha

Derramamentos acidentais de gasolina
Quando ocorrem derramamentos acidentais de gasolina na pintura é necessário que o local atingido seja lavado com água imediatamente. Se isso não for feito, o verniz pode ser danificado de forma irreversível. Por isso, recomenda-se, também, um enceramento na parte atingida.
As fezes de pássaros
As fezes dos pássaros são muito ácidas e comuns. Elas podem causar danos irreversíveis na pintura do seu carro caso não haja uma intervenção rápida. Portanto, ao identificá-las, lave o local rapidamente.


Vitrificação de Pintura
A vitrificação é um serviço muito recomendado para a preservação da pintura do veículo. Além do brilho, o serviço traz uma excelente proteção para o verniz, protegendo contra males do tempo e todos os itens citados acima. Ela funciona como uma película de celular. É uma camada de vidro aplicada sobre o verniz, protegendo e aumentando a vida útil da pintura do seu carro. Além disso, com função de hidrorepelência (a água não fica parada na lataria do veículo), seu carro permanece limpo por mais tempo e facilita a limpeza do mesmo. É muito importante tomar cuidado na compra deste serviço no mercado, pois hoje muitos selantes são vendidos como vitrificadores, porém não trazem o mesmo resultado.
Limpeza ecológica
Se preocupar com a forma como o seu veículo é limpo faz toda a diferença. Muitas vezes, por falta de conhecimento, a limpeza é feita de forma incorreta, o que pode causar danos na pintura. É recomendado, para carros de uso diário, que o serviço seja feito semanalmente. A utilização do composto (de cera) é interessante, pois quando removido não prejudica a pintura. Além de ser totalmente biodegradável ele deixa a pintura menos abrasiva.

05:40 · 18.02.2018 / atualizado às 14:46 · 16.02.2018 por

As férias escolares acabaram e o Carnaval já passou. Porém, mesmo com a volta à rotina do dia a dia é necessário não se esquecer da importância de manter a pintura do veículo conservada. Para ajudar a preservar o brilho e a cor original, o Supervisor de Desenvolvimento da PPG, Ricardo Vetorazzi, dá dicas de como manter tudo em ordem

Esportivo Dodge Dart com pintura fosca

Confira a seguir os detalhes:
Lavagem
“Ao realizar a lavagem em casa, use um sabão de pH neutro. Não utilize gasolina, álcool ou outros solventes na superfície pintada”, alerta Vetorazzi. No caso de eventual queda do sabão, lembra o especialista, é importante lavar a área afetada imediatamente com água. Também é importante secar o carro para evitar o acúmulo de novas sujeiras e manchas na pintura.
Outro cuidado relevante é evitar a utilização de métodos automáticos, caso o veículo esteja recém-pintado. É recomendável recorrer ao método somente 30 dias após o serviço. A mesma lógica vale para a aplicação de cera, mas neste caso depois de 90 dias.


Materiais utilizados
Produtos que utilizam água como base e os de alto sólidos garantem uma durabilidade superior aos convencionais de mercado.
O especialista pondera que o conhecimento do profissional na preparação e aplicação dos produtos é essencial. O ideal é que ele seja qualificado para fazer o melhor uso de um produto com desempenho superior. Boas práticas e conservação da limpeza do ambiente também contribuem para a prolongação da vida-útil da pintura ou repintura.

Um Fiat 500 Barbie, com pintura especial

Evitar maus hábitos
Ainda sobre a vida-útil da pintura e repintura, Vetorazzi afirma que uma boa maneira de preservá-la é não exagerar nos polimentos. Segundo ele, a frequência deles não ajuda tanto na conservação da pintura ou repintura, quanto se imagina. E ainda garante: estes cuidados valem para veículos de todas as cores, inclusive brancos.
“Apesar de, atualmente, as tecnologias de aplicação original serem iguais, a montadora varia a cor do carro, utilizando o mesmo verniz como camada de proteção final da cor, o que nem sempre assegura sua durabilidade”, explica o especialista.
Ele destaca que, caso ocorra algum problema na pintura do veículo, o proprietário deve procurar um profissional qualificado, que fará uma avaliação do reparo que deverá ser feito. Muitas vezes, o reparo é um simples polimento e em outros é necessário remover a tinta e o tratamento começar na chapa do carro.

15:10 · 31.01.2018 / atualizado às 15:10 · 31.01.2018 por

Coordenador dos Centros Automotivos Porto Seguro ressalta principais itens de segurança


Os meses de janeiro e fevereiro, no Ceará, são acompanhados de uma mudança climática. A pré-estação é caracterizada por chuvas ocasionais em diversas regiões do Estado. Assim, é necessário que os condutores fiquem atentos à manutenção do carro, em busca de aumentar a segurança e evitar transtornos no caminho. Com o objetivo de auxiliar os condutores em seus trajetos diários, o coordenador dos centros Automotivos Porto Seguro, Ronaldo Espindola, destaca algumas dicas para uma condução segura.


Fique atento aos limpadores
Ter uma boa visibilidade é essencial para manter a segurança na época de chuvas, por isso, o limpador de para-brisa deve estar em perfeito estado. Riscos de borracha no vidro e o som emitido pela peça são indícios de que está na hora de mudar a peça.
Verifique os faróis e lanternas
Dias chuvosos requerem o farol aceso, porque tendem ser naturalmente mais escuros. Por isso e por uma questão de segurança, o motorista deve estar atento na revisão das luzes dos faróis e lanternas.


Os pneus devem estar em perfeito estado
A aquaplanagem é um fenômeno conhecido por muitos motoristas, que praticamente perdem o controle do carro devido à falta de contato entre o pneu e o chão. Assim, é essencial que o condutor confira sempre o estado dos pneus, medindo a profundidade dos sulcos dos pneus (ranhuras na borracha) do veículo, pois são eles que apontam a condição atual da borracha.


A manutenção dos freios deve estar em dia
Manter o sistema de freios, que inclui discos, cilindros, etc, em boas condições é essencial para o bom funcionamento do veículo e para garantir a segurança do motorista. Por isso, é importante que o motorista se atente a ruídos ou demora ao frear, pois são alguns indícios da necessidade de manutenção.
Verifique o sistema de circulação de ar
É necessário realizar manutenção das entradas de ar e do sistema de ventilação, independente do veículo possuir ou não ar condicionado, já que, em casos de opacidade do vidro, eles resolvem o problema de maneira mais rápida, evitando que o motorista corra riscos.


E se entrar água no veículo? Em casos de enchentes, não é recomendável que o motorista ligue o carro. Isso porque, a invasão da água pode causar a paralisação e até a perda do motor. O recomendável é que o motorista mantenha a calma e acione o guincho. Após a retirada do veículo com segurança, o motorista deve levá-lo para uma revisão geral.

06:11 · 13.01.2018 / atualizado às 16:12 · 12.01.2018 por

O verão e as férias levam muitos motoristas às estradas. Entretanto, esse período é acompanhado também de chuvas em diversas regiões brasileiras. Por isso, é necessário que os condutores fiquem atentos à manutenção do carro, em busca de aumentar a segurança e evitar transtornos no caminho. Com o objetivo de auxiliar os condutores que vão viajar, o coordenador dos centros Automotivos Porto Seguro, Ronaldo Espindola, destaca algumas dicas para uma viagem segura.


Fique atento aos limpadores
Ter uma boa visibilidade é essencial para manter a segurança na época de chuvas, por isso, o limpador de para-brisa deve estar em perfeito estado. Riscos de borracha no vidro e o som emitido pela peça são indícios de que está na hora de mudar a peça.
Verifique os faróis e Lanternas
Dias chuvosos requerem o farol aceso, porque tendem ser naturalmente mais escuros. Por isso e por uma questão de segurança, o motorista deve estar atento na revisão das luzes dos faróis e lanternas.
Os pneus devem estar em perfeito estado
A aquaplanagem é um fenômeno conhecido por muitos motoristas, que praticamente perdem o controle do carro devido à falta de contato entre o pneu e o chão. Assim, é essencial que o condutor confira sempre o estado dos pneus, medindo a profundidade dos sulcos dos pneus (ranhuras na borracha) do veículo, pois são eles que apontam a condição atual da borracha.


A manutenção dos freios deve estar em dia
Manter o sistema de freios, que inclui discos, cilindros, etc, em boas condições é essencial para o bom funcionamento do veículo e para garantir a segurança do motorista. Por isso, é importante que o motorista se atente a ruídos ou demora ao frear, pois são alguns indícios da necessidade de manutenção.
Verifique o sistema de circulação de ar
É necessário realizar manutenção das entradas de ar e do sistema de ventilação, independente do veículo possuir ou não ar condicionado, já que, em casos de opacidade do vidro, eles resolvem o problema de maneira mais rápida, evitando que o motorista corra riscos.


E se entrar água no veículo?
Em casos de enchentes, não é recomendável que o motorista ligue o carro. Isso porque, a invasão da água pode causar a paralisação e até a perda do motor. O recomendável é que o motorista mantenha a calma e acione o guincho. Após a retirada do veículo com segurança, o motorista deve levá-lo para uma revisão geral.

15:09 · 04.01.2018 / atualizado às 15:09 · 04.01.2018 por

Cuidar da pintura e do estofado do carro é a melhor forma de prevenir danos causados pela exposição solar. O especialista Eduardo Sampel de empresa especializada em estética automotiva, recomenda fazer uma boa limpeza e a prevenção, aplicando alguma proteção na pintura que pode ser cera ou outros produtos com ação mais duradoura contra ação das condições climáticas, como selante, revestimento cerâmico e revestimento cerâmico autorregenerativo. Ele explica que a cera protege por 1 mês, a ação do selante é de seis meses, o revestimento cerâmico dura 1 ano e o autorregenerativo conserva por cinco anos a pintura e tem como diferencial a capacidade de eliminar microrriscos com ação do calor, temperatura acima de 60 Cº, o mais novo tratamento que chega ao mercado brasileiro que usa nanotecnologia.


Outro detalhe importante é não usar água de reuso para lavar o carro, pois possui várias substâncias que mancham a pintura e depois só saem com polimento.
Nos estofados do carro que podem sofrer com a ação do sol, areia e roupa molhada, Sampel revela que é importante aplicar uma proteção que impermeabiliza com duração de 1 ano. Nas partes de plástico, como painel e laterais das portas e para-choque, o ideal é passar um revitalizador que previne o ressecamento causado pelo sol. No caso do vidro do para-brisa, é recomendado fazer cristalização para ajudar a repelir a água com mais facilidade.

05:13 · 29.12.2017 / atualizado às 14:16 · 28.12.2017 por

A partir deste mês a Mercedes-Benz apresenta um novo programa para a rede de concessionários de automóveis em todo o Brasil, o MB Oil Care. Com o objetivo de aprimorar as alternativas de atendimento e tornar a experiência do cliente ainda mais completa, o serviço consiste em um contrato de manutenção exclusivo para troca de óleo em veículos com mais de cinco anos de uso

 


Como parte do programa, a marca oferece pacotes que incluem entre duas a cinco trocas de óleo, além de filtro, mão de obra, leitura com o Star Diagnosis (check up eletrônico do veículo) e garantia de utilização dos produtos genuínos Mercedes-Benz.
“Nós, da Mercedes-Benz, temos o compromisso constante de promover a melhor experiência desde o momento da compra do automóvel, acompanhando de perto todo o processo de pós-venda. Atualmente, contamos com pacotes que oferecem previsibilidade e confiança ao consumidor que adquire um veículo zero quilômetro. Com o MB Oil Care, nossa estratégia é proporcionar o melhor serviço também para modelos seminovos, atraindo clientes e mantendo uma relação de longo prazo com quem já faz parte da marca”, afirma Alexandre Ayres, gerente sênior de Pós-Venda Automóveis.
O MB Oil Care é um complemento à estratégia da Mercedes-Benz para ampliar suas ferramentas que otimizam o tempo do cliente no concessionário, oferecem mais transparência e diagnósticos mais precisos em cada manutenção realizada. Ele está disponível para os modelos Classe A, Classe B, Classe C, CLA e GLA.
Portfólio de pós-venda
Durante o ano de 2017, a Mercedes-Benz investiu massivamente em programas de pós-venda, lançando novidades que, agora juntamente com o MB Oil Care, compõem um portfólio de serviços de manutenção que se complementam. São eles: o Expess Service, o XENTRY Portal Pro e o MB Oil.
O primeiro deles consiste em execução de revisões em até 1 hora. O XENTRY Portal Pro é uma plataforma que centraliza vários sistemas em uma nuvem on-line, oferecendo informações mais detalhadas sobre cada veículo. Lançado no mês de abril, o MB Oil passou a fazer parte do portfólio de serviços de pós-venda a fim de aumentar a vida útil do motor e seus componentes. Além disso, o produto diminui os custos de manutenção, uma vez que segue fatores específicos dos motores da marca, garantindo qualidade e segurança.
Adicionalmente a esses serviços, a Mercedes-Benz expandiu o portfólio de automóveis que fazem parte do programa de Revisão Declarada, permitindo ao cliente antecipar o custo de manutenção para os modelos Classe A, Classe B, Classe C, CLA, GLA e GLC.
A marca oferece, ainda, um contrato de manutenção (Mercedes Service Care) possibilitando que o cliente adquira até cinco revisões (ou 50 mil quilômetros) no momento da compra do automóvel.

Pesquisar

Blog do Automóvel

Blog da editoria Auto, do Diário do Nordeste, para coberturas em test drive, lançamentos de automóveis e salões e notícias sobre carros, motos e outros veículos.
Posts Recentes

12h10mNovo Camaro vai ser destaque no Salão do Automóvel de São Paulo 2018

11h10mAudi mostra sua linha de SUVs na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

02h10mConfira detalhes do primeiro carro elétrico feito no Brasil

10h10mSalão do Automóvel de São Paulo com novo lote de ingressos disponível

10h10mSetor de locação foi responsável por 1 em cada 4 veículos emplacados no primeiro semestre de 2018

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs