Busca

Categoria: Motos


04:26 · 15.09.2018 / atualizado às 15:31 · 14.09.2018 por

Fruto de um projeto inovador da Ducati, de estilo autêntico e assinatura versátil, a Supersport S é perfeita para o uso urbano, confortável para viagens e surpreendente no track day


Tem como característica principal a posição mais ergonômica e relaxada para o piloto e também para o passageiro. De visual leve e compacto, a Supersport S é dinâmica, de visual inspirado na linha Panigale e com o chassi Trellis, caracteristico de alguns modelos da marca.
A Ducati SuperSport S vem equipada com suspensão Öhlins totalmente ajustável, sistema de aumento/redução de marchas Ducati Quick Shift (DQS) e capa para o assento traseiro.
Ágil em ruas urbanas, confortável em estradas a SuperSport S é versátil. Posições relaxadas para piloto e passageiro, boa deflexão do fluxo de ar com o visor de Plexiglas com altura ajustável e a quilometragem permitida pelo tanque de combustível de 16 litros também fazem da nova Ducati SuperSport uma boa companhia para qualquer jornada.


A versão SuperSport S vem com suspensão Öhlins totalmente ajustável, sistema de aumento/redução de marchas Ducati Quick Shift (DQS) e capa para o assento traseiro.
A SuperSport S tem um motor de cilindro duplo de 937 cm3 Testastretta 11°. Ele produz 113 cv a 9.000 rpm e uma curva completa de torque linear com pico de 96,7 Nm a 6.500 rpm.
Graças aos três modos de pilotagem (Esportivo, Turismo e Urbano), o temperamento da SuperSport S pode ser adaptado para garantir o máximo de aproveitamento em qualquer condição de pilotagem. Cada modo de pilotagem pode ser customizado, permitindo que a moto seja ajustada rapidamente para atender preferências e níveis de pilotagem pessoais.


O quadro da SuperSport S é o último desenvolvimento do famoso design Trellis, que explora o motor como elemento de sustentação de carga. Compacto, leve e rígido, ele tem um papel fundamental em tornar a SuperSport ligeira, mas sem deixar de ser uma máquina instintiva que pode ser pilotada por qualquer um.
A configuração de quadro inteligente desempenhou uma função crucial em manter o peso úmido em volta de um máximo de 210 kg. Uma sensacional geometria do chassis, acime de tudo a distância de 1.478 mm entre os eixos e o pneu traseiro de 180/55, fazem da SuperSport S fácil de manusear tanto em ruas das cidades quanto em curvas montanhosas, maximizando a estabilidade nas curvas e em alta velocidade.


A Ducati SuperSport S pode ser equipada com toda uma linha de acessórios Ducati Performance (alguns estão incluídos nos pacotes Sport, Touring e Urban), que permitem aos proprietários configurar a motor de acordo suas necessidades pessoais.
A Ducati Performance criou uma série de pacotes e acessórios disponíveis individualmente para trazer à tona toda a versatilidade da moto e customizá-la de acordo com o gosto individual. Tanto a versão as versões da SuperSport podem ser aprimoradas com os pacotes Sport, Touring e Urban, que também podem ser montados juntos.

11:36 · 14.08.2018 / atualizado às 11:36 · 14.08.2018 por

– Inspirada em conquistas nas pistas e no que há de melhor na Família Ninja, novo modelo se destaca pela relação peso x potência, já que ficou 8 kg mais leve e 9 cv mais potente
– Esportiva estará disponível na rede de concessionárias a partir da segunda quinzena de setembro com Preço Público Sugerido de R$ 23.990

Ninja 400 ABS KRT

Há 10 anos a Kawasaki dava vida a um produto que criaria um novo segmento de mercado. O ícone Ninja passaria a estar disponível para um número maior de consumidores com o lançamento de uma versão de entrada. Na época, a Ninja 250R não era apenas a única de seu tipo, mas oferecia um interessante pacote para pilotos iniciantes e até aos mais experientes: esportividade no estilo e na performance advinda de uma linhagem mais que consagrada, com uma pegada divertida e amigável. Estava então lançado um movimento mundial que, mais uma vez, reforçava a atitude inovadora da marca.
Nesta última década, o número de motos esportivas carenadas concorrentes cresceu consideravelmente, fazendo com que fosse uma das categorias mais disputadas do mercado de duas rodas no mundo. Nesse período, a Kawasaki impulsionou novamente a evolução do segmento, primeiro com o lançamento da versão de 300 cm3 em 2012, que trouxe à época várias novidades, entre elas a embreagem deslizante disponível apenas em motos de alta cilindrada, e, agora, em 2018, com mais um novo capítulo chamado Ninja 400.
Como não poderia ser diferente, a 400 cc mantém o estilo esportivo que é assinatura da Família Ninja com uma pilotagem fácil e ao mesmo tempo emocionante, características importantes para uma motocicleta dessa categoria. O desempenho é superior graças aos novos motor e chassi, trazendo mais potência com menos peso, elevando o nível da categoria. Afinal, agora são 8 kg a menos do que na Ninja 300 (similar ao peso de uma monocilíndrica) com 9 cv a mais.
O bicilíndrico de 399 cm3 é totalmente novo e foi projetado visando evolução na performance, otimização de tamanho e peso e eficiência de consumo. Houve mudanças no design, incluindo nova admissão de ar, e inúmeros outros esforços para redução de peso, apesar da capacidade cúbica maior. O resultado é um motor compacto e leve (equivalente a um 250cc) que apresenta equilíbrio entre performance e controle, oferecendo maior desempenho em todas as faixas de rotações em comparação à Ninja 300, com uma entrega de potência linear e suave e bom torque desde baixas rotações.
DETALHES TÉCNICOS
MOTOR
• O deslocamento de 399 cm³ da Ninja 400 vem de um diâmetro de 70,0 mm e curso de 51,8 mm.
• Coletor de admissão fornece um caminho mais curto e mais direto para a entrada de ar no cilindro, melhorando a eficiência de enchimento e contribuindo para o aumento da potência do motor, especialmente em altas rotações. Ajuda também no layout do chassi, liberando espaço sob o assento, o que resulta num design que oferece fácil acesso ao solo.
Uma caixa de ar maior (5,8 litros conta 4,7 litros da antecessora) e mais alta garante espaço suficiente para o sistema de admissão. Os funis possuem alturas diferentes, contribuindo para a resposta suave do motor, permitindo melhor refinamento da entrega de torque. Esse novo design melhora a eficiência na admissão e elimina ruídos indesejados, permitindo que piloto e passageiro ouçam com mais nitidez a nota de admissão do motor durante a aceleração.
• Válvula do corpo de borboleta maior (32 mm) ajuda a fluir mais volume de ar, contribuindo para um forte desempenho em altas rotações.
• Graças ao potencial de uma moderna injeção e à experiência da Kawasaki, os sub-aceleradores usados na antecessora da Ninja 400 puderam ser eliminados, economizando peso na nova versão.
• Injetores de atomização fina contribuem para a eficiência da combustão. Foram posicionados mais próximos dos dutos de admissão para permitir que borrifem combustível diretamente na câmara de combustão, contribuindo para o aumento da eficiência da queima e uma resposta linear do acelerador.
• Árvore do comando de válvulas forjada – normalmente vista apenas em motos de maior cilindrada – contribui para a redução de peso, economizando outros 200g.
• Jatos de óleo arrefecem a parte inferior dos pistões, permitindo um design compacto.
O volante do motor mais leve permite uma resposta mais imediata e direta do acelerador. Isso também contribui para a economia de peso.
• Um sistema de escape simplificado, que traça agora uma linha mais reta e que possui espessura de apenas 0,8 mm, contribui ainda mais para a redução de peso.
• A nova capa da ventoinha localizada atrás do radiador direciona o ar quente para os lados, ajudando a afastá-lo do piloto, reduzindo assim o desconforto em tráfego pesado. Redirecionar o ar também ajuda a manter o tanque, o chassi e outras partes que entram em contato com o motociclista mais resfriadas.
Design Compacto
• A realocação de componentes como a corrente de comando ajudou a manter o propulsor mais baixo e a deslocar volume para a frente.
• O cilindro é inclinado para frente em um ângulo de 20 graus, resultando em um motor mais curto.
• O projeto revisado do cárter permite um direcionamento mais direto dos tubos de escape, também contribuindo para a economia de peso.
• O layout do sistema de arrefecimento foi completamente revisado realocando components para economizar peso e reduzir a tubulação externa.
As mudanças que contribuem para a redução de peso do motor incluem:
– Eliminação dos sub-throttles
– Rota mais simples para o sistema de arrefecimento, com menos líquido
– Embreagem mais compacta
– Paredes mais finas do sistema de escape
– Redução de conexões do escapamento
– Volante mais leve e virabrequim revisado
– Comando de válvulas forjado
TRANSMISSÃO E EMBREAGEM
• As relações de marcha mais próximas promovem trocas suaves.
• Embreagem assistida deslizante mais compacta (de 139 mm para 125 mm) oferece uma alavanca 20% mais leve.
• Quando o motor está acelerando normalmente a embreagem funciona com assistência; já quando ocorrer freio-motor excessivo como resultado de reduções de marcha rápidas o efeito deslizante entra em ação, evitando que o pneu traseiro derrape.

CHASSI
• Com novos motor e chassi, o posicionamento do propulsor pode ser otimizado. O chassi da Ninja 400 agora tem um estilo supersport com entreeixos curto e um braço oscilante longo.
• Entreeixos mais curto (de 1.405 mm para 1.370 mm) contribui para uma pilotagem leve e fácil.
• A posição otimizada do pivô do braço oscilante contribui para uma condução realmente derivada de uma superesportiva.
• Além de contribuir para a redução de peso, o uso do motor como parte estrutural ajuda a obter a rigidez ideal para estabilidade.
• O design mais leve dos novos motor e chassi, além de grandes esforços para minimizar o peso, resultam em uma Ninja 400 de apenas 164 kg (8 kg a menos que a Ninja 300), ou seja, na mesma faixa de peso de modelos monocilíndricos.
• Além dos novos motor e quadro, outras mudanças que contribuem para a redução de peso do chassi incluem:
– Fixação do motor
– Entreeixos mais curto
– Novo design de roda
– Pneus radiais
SUSPENSÃO
• Garfo de suspensão de 41 mm mais rígido (antes 37 mm) proporciona uma ação mais eficiente e precisa. A roda dianteira parece realmente “plantada” na trajetória, as mudanças de direção são feitas facilmente.
• O ângulo de inclinação mais acentuado do cáster contribui para o manuseio leve.
• Os links revistos e os ajustes da suspensão traseira contribuem para a sensação de condução de alta qualidade.
• 5 ajustes de pré-carga permitem que o piloto regule a rigidez e o deslocamento para adequar a configuração ao peso corporal ou quando estiver com garupa.
FREIO, RODAS E PNEUS
• O disco dianteiro semi-flutuante maior (310 mm) tem o mesmo tamanho do utilizado na Ninja ZX-14R.
• Recém-projetado, o cilindro mestre do freio dianteiro ajuda a eliminar o curso morto, contribuindo para o controle.
• Na traseira, o disco de 220 mm é acionado por uma pinça com dois pistões maiores (de 25,4 mm para 27 mm).
• As dimensões e o material da mangueira de freio foram cuidadosamente selecionados para oferecer precisão e uma sensação mais direta.
• Rodas de cinco pontas semelhantes às da Ninja 650 contribuem para o baixo peso, enquanto a rigidez lateral otimizada beneficia o manuseio, aumentando a estabilidade nas curvas.
• Pneus radiais oferecem leveza, excelente aderência e colaboram para o manejo ágil e o conforto na pilotagem. Além disso, o pneu traseiro de 150 mm contribui para o design mais imponente.
ERGONOMIA
• A carenagem de maior volume da Ninja 400 oferece excelente proteção contra o vento, contribuindo ainda mais para o conforto na estrada. Mas em vez de bloquear completamente o vento, a carenagem promove um fluxo de ar constante em torno do piloto. O design também ajuda a extrair ar quente para fora do compartimento do motor.
• Os comandos do guidão estão posicionados mais próximos do que na Ninja 300, contribuindo para o conforto.
• O tanque de combustível é mais estreito onde ficam posicionadas as pernas do piloto, proporcionando bom contato com a moto.
• A altura do assento é a mesma da Ninja 300, mas graças ao design estreito está mais fácil para os pés do motociclista alcançarem o solo.
• As pedaleiras estão posicionadas ligeiramente mais à frente, colaborando para uma posição de pilotagem confortável, e estão fora do caminho quando o motociclista quiser colocar os pés no chão.
ESTILO
• O corpo mais volumoso da Ninja 400 a faz ter a aparência de uma moto de maior cilindrada, enquanto o design da nova carenagem frontal reflete o aspecto de desempenho esportivo da moto e a identifica instantaneamente como autêntica Kawasaki.
• Spoilers na parte inferior da carenagem dianteira foram inspirados na Ninja H2 e na Ninja ZX-10R.
• Os espelhos com novos suportes estão posicionados mais afastados, oferecendo maior campo de visão.
• As luzes de direção dianteiras são embutidas, para uma aparência elegante e unificada.
• O compacto design do pára-lama dianteiro, assim como o tanque de combustível mais inclinado à frente, adicionam esportividade ao visual da Ninja 400.
• A rabeta apresenta o mesmo estilo da Ninja H2, com luzes de direção mais afiladas. O design da lanterna em LED vem da Ninja ZX-10R.
PAINEL
• O painel conta com tela de LCD em display negativo que, além do velocímetro digital e do indicador de marcha, inclui as seguintes funções: hodômetros total e dois parciais, autonomia restante, consumos médio e instantâneo, temperatura externa, temperatura do líquido de arrefecimento, relógio e indicador de pilotagem econômica.
• O cuidado no cabeamento dos fios resulta em uma área de painel clean e sem interferências.
ALGUNS RECURSOS DE CONVENIÊNCIA
• O assento dianteiro pode ser facilmente removido puxando um cabo localizado sob o banco traseiro, facilitando o acesso à bateria.
• O espaço de armazenamento sob o banco tem dois níveis para um uso mais eficiente do local, suficientemente grande para acomodar uma trava de segurança em “U”.
• Pontos de fixação nos suportes de pedaleira traseiros e na parte de baixo da rabeta facilitam a amarração da bagagem.

07:55 · 04.07.2018 / atualizado às 16:04 · 03.07.2018 por

Para qualquer viagem de moto é preciso tomar diversos cuidados antes encarar uma estrada, no Brasil ou no exterior. Pensando na preparação completa que deve ser realizada pelos clientes, a Harley-Davidson do Brasil apresenta dicas importantes para quem pretende viajar com segurança e tranquilidade durante as férias escolares de julho


A segurança na pilotagem deve ser sempre a principal preocupação de todo motociclista e é um tema abordado constantemente pela H-DB, visando garantir sempre uma experiência completa com a marca. É sempre importante preparar o roteiro da viagem com muita atenção e utilizar as vestimentas apropriadas para a pilotagem – sem esquecer dos dias de frio, calor e chuva –, itens fundamentais para garantir o sucesso dessa aventura, além da manutenção adequada da motocicleta e um kit básico para qualquer emergência técnica.
1. EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA
Antes de ligar sua Harley-Davidson, verifique itens essenciais para a segurança pessoal, tais quais luvas, capacete (sem danos, com adesivos refletivos e selo de homologação do Inmetro), calçados apropriados, como botas resistentes, por exemplo, jaqueta com protetores internos e capa de chuva (dependendo das condições climáticas) para piloto e garupa. Esses equipamentos garantem que, em uma possível queda, os danos sejam minimizados.
2. REVISÃO
Este item, assim como o primeiro, é extremamente relevante. A motocicleta precisa estar com todas as revisões em dia, pneus em bom estado e calibrados seguindo as recomendações do manual do proprietário, tanque abastecido com combustível de alta octanagem, bom nível de óleo e todas as lâmpadas funcionando perfeitamente (faróis, lanternas, luzes de freio, sinalizadores de direção e luz da placa). Caso qualquer um desses itens não esteja em perfeitas condições, o destino escolhido não deve ser a estrada, mas sim a concessionária Harley-Davidson mais próxima.


3. LIMPEZA
Quando for cuidar da limpeza da sua H-D antes de sair em viagem, é importante garantir que o modelo será lavado com os produtos corretos. Na ausência deles, o uso de água e sabão neutro ajudam a resolver o problema. Desta maneira, nenhuma peça será danificada durante a limpeza por produtos abrasivos que podem causar danos às motocicletas.
4. FERRAMENTAS
É sempre bom estar preparado para quaisquer imprevistos. Por isso, é importante carregar um kit de ferramentas básicas para ajudar na realização de algum reparo de emergência durante o ride. Antes de qualquer coisa, é preciso verificar quanto espaço existe na motocicleta para carregar as ferramentas. Em alguns modelos, o espaço é limitado e isso pode afetar a seleção das ferramentas. Por outro lado, os motociclistas com baggers têm condições de carregar mais itens.
Vale ressaltar, também, que cada motocicleta é única e necessita de um conjunto diferente de ferramentas. Ou seja, não adianta carregar uma chave fixa de 5/8” se não houver nenhum parafuso correspondente na moto. Outro fator para determinar exatamente quais ferramentas levar é a familiaridade com o modelo e seus requisitos técnicos específicos, além, é claro, do conhecimento de quais ações tomar para um possível reparo de emergência.


5. MANUAL DO PROPRIETÁRIO
Conhecer muito bem o manual do proprietário pode fazer toda a diferença para o motociclista em algum momento inesperado. Ou seja, entender o máximo possível da operação de cada um dos componentes principais da motocicleta ajudará caso algo não saia como planejado. Desta forma, será mais fácil diagnosticar o problema para o reparo ou na hora de solicitar auxílio profissional para a moto. É possível também baixar uma cópia do manual do proprietário no celular para economizar um espaço valioso em sua motocicleta.
6. ROTAS
Verifique se existem postos de abastecimento e restaurantes em sua rota antes de pegar a estrada. Além do GPS, recomenda-se ter na mochila o mapa ou um roteiro impresso com as estradas e as saídas que serão utilizadas durante a viagem, caso o aparelho de GPS ou o celular fiquem sem bateria. É recomendável que o piloto faça uma parada a cada 90 minutos para poder esticar as pernas, alongar-se, movimentar os músculos e garantir a alimentação e hidratação. Isso ajuda a evitar os desconfortos de viagens longas e também auxilia na concentração de piloto e garupa, além de despertar em casos de fadiga.
7. LIMITES DE VELOCIDADE
Não é necessário ter pressa. Respeitar sempre os limites de velocidade da estrada garante que o trajeto escolhido poderá ser bem aproveitado e a viagem transcorrerá com tranquilidade e toda a segurança, fazendo com que boas histórias sejam contadas no retorno.
Durante o período de garantia, os clientes da Harley-Davidson têm acesso ao serviço do Rider Assistance, então é fundamental ter o número caso seja necessário: 0800 131 854

10:09 · 02.07.2018 / atualizado às 10:09 · 02.07.2018 por

A expectativa é que o número de visitantes vindos dos estados nordestinos superem a edição passada

Falta pouco menos de dois meses para o X Salão Nacional e Internacional das Motopeças. O único evento do segmento voltado exclusivamente para negócios acontece de 15 a 18 de agosto, no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, em São Paulo. São fabricantes, atacadistas, lojistas, oficinas mecânicas, entidades de classe, imprensa especializada, todos reunidos em um mesmo ambiente.
Pela importância que representa ao setor, visitantes se deslocam de todos os Estados brasileiros e fora dele para conferir de perto tudo o que acontece no Salão das Motopeças. Sem considerarmos os visitantes de São Paulo, onde o evento é realizado, na edição passada o Nordeste foi bem representado pelo Ceará, quinto maior Estado em número de visitantes.


Enquanto organização e expositores estão preparando cada detalhe para receber o público, quem vai visitar o evento ou fazer parte dele já se antecipa em providenciar passagens aéreas e hospedagem. A novidade para quem busca este serviço é a parceria firmada com a Interbusiness Tour. São tarifas especiais com as companhias aéreas e hotéis parceiros, que foram negociados exclusivamente para o Salão das Motopeças. Para aproveitar as tarifas especiais, as reservas e cotações devem ser feitas diretamente com a empresa de turismo: (11) 5585-3874 | 3500-5916.
X Salão Nacional e Internacional das Motopeças (Salão das Motopeças)
Data: 15 a 18 de agosto de 2018 (quarta, quinta, sexta-feira e sábado).
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo.
Endereço: Av. Otto Baumgart, 1000, São Paulo, SP.
Horário: das 14h às 21h (de quarta à sexta-feira) e das 15h às 20h30 (sábado).
Entrada: franca aos profissionais do setor (fechada ao consumidor final).
Credenciamento (profissionais do setor): goo.gl/Lyo6iy
Site: www.salaodasmotopecas.com.br
Hospedagem e passagem aérea (Interbusiness Tour – Argemiro Villaça): (11) 5585-3874 | 3500-5916 | www.interbusinesstour.com

12:34 · 21.06.2018 / atualizado às 12:34 · 21.06.2018 por

Fique esperto para a segurança de uma criança em uma moto

14:25 · 08.05.2018 / atualizado às 14:29 · 08.05.2018 por

Praia de Iracema se consolida como encontro de motociclistas de Fortaleza
A 3ª edição do Encontro Moto Iracema reunirá cerca de 200 motociclistas no Largo dos Tremembés
A Praia de Iracema recebe a 3ª edição do Encontro Moto Iracema nesta quarta-feira (09/05), a partir das 18 horas. Aberto ao público, o encontro reunirá cerca de 200 motociclistas expondo suas motos no Largo dos Tremembés. O Moto Encontro Iracema tem como organizadores a União Motociclista do Ceará e Caveiras Confraria.
Compondo a programação da Quarta Iracema, o evento também conta com feira gastronômica com churrasco, acarajé, tapioca, sanduíche natural, sucos, doces, crepe gourmet, coquetel e cerveja, feira criativa com bazar, acessórios, crochê, roupas infantis, vinis e artigos para motociclistas, além de show de rock com a banda “A Mais Pedida”. O Moto Encontro Iracema acontece nas segundas quartas-feiras do mês e reuniu mais de 700 pessoas nas últimas edições.


Outras atrações de esporte e lazer estarão acontecendo na Praia de Iracema. Confira toda a programação abaixo.
Programação gratuita
3ª EDIÇÃO MOTO ENCONTRO IRACEMA
Horário: 18h às 22h
Local: Largo dos Tremembés
– Concessionárias (Terra Yamaha, New Road HD, Crasa Yamaha, Nikkei Kawassaki, Auge Honda)
– Banda A Mais Pedida
– Feira Gastronômica (churrasco, acarajé, tapioca, sanduíche natural, sucos, doces, crepe gourmet, coquetel e cerveja)
– Feira Criativa (bazar, acessórios, crochê, roupas infantis, vinis e artigos para motociclistas)
17h às 18h – Aula de Ginástica com Heliane Lopes para a terceira idade
ESPORTE E BEM-ESTAR
Local: Aterrinho
16h – Beach Soccer (Projeto Atleta Cidadão)
19h – Racha Meia Linha com veteranos e convidados
Local: Espaço Viva Capoeira Viva
18h às 21h – Roda de capoeira
Rua: José Avelino, 555

05:10 · 11.03.2018 / atualizado às 13:12 · 09.03.2018 por

O número de mulheres habilitadas para pilotar motocicletas cresceu 50,1% nos últimos seis anos. Segundo dados do Denatran – Departamento Nacional de Trânsito – em 2012 existiam no País 4.512.755 pessoas do gênero feminino com carteira nacional de habilitação “A” e este número subiu para 6.771.933 em 2017. Com este avanço, elas passam a representar 22% dos que possuem habilitação


“Praticidade de locomoção e sensação de liberdade são alguns dos motivos pelos quais elas estão sendo atraídas para este mundo”, explica Marcos Fermanian, presidente da ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).
Segundo Fermanian, as fabricantes de motocicletas têm desenvolvido produtos que se encaixam nas necessidades destas mulheres, como o Scooter. É um modelo que possui transmissão automática tipo CVT, o que torna a pilotagem mais simples por não exigir troca de marcha. Além disso, possui uma série de outros atributos que proporcionam conforto e praticidade, como o espaço sob o banco, porta-trecos espalhados e uma proteção oferecida pelo escudo frontal que ajuda a limitar os efeitos da chuva, sujeira e frio nos pés do condutor. “Embora elas prefiram este tipo de moto, também pilotam motos de média e alta cilindrada”, diz o presidente da entidade.
Idade e Região
No que diz respeito à faixa etária, as mulheres acima de 50 anos foram as que mais tiraram carteira “A” nos últimos seis anos, com crescimento de 135,3% de novas motociclistas no período. De acordo com dados do Denatran, em 2012 eram 209.975 habilitadas e em 2017 o número saltou para 493.994. Em seguida aparecem as que têm idade de 41 a 50 anos e, neste caso, o avanço foi de 73,3% – evoluindo de 659.260 para 1.142.812 no período.
Quando analisado o avanço de mulheres habilitadas por região entre 2016 e 2017 – nota-se que o Nordeste aparece na frente, com evolução de 8,4% (de 860.659 para 932.978). Depois vem o Norte com crescimento de 7,7% passando de 537.405 em 2016 para 579.012 em 2017.

04:57 · 10.02.2018 / atualizado às 13:00 · 09.02.2018 por

A Harley-Davidson do Brasil registrou em janeiro de 2018 o primeiro lugar entre as montadoras do segmento premium, no emplacamento de motocicletas acima de 601 cilindradas, com 408 unidades emplacadas em todo o País

Harley-Davidson Roadster conta com condição exclusiva no modelo 17/17

Os bons números de 2017 e o ótimo desempenho do início deste ano são reflexos da estratégia agressiva de longo prazo que a companhia adotou em todo o mundo.
A marca continua apostando no Brasil como um mercado forte e com grande potencial de crescimento no continente latinoamericano. A operação brasileira tem bases sólidas e garante que os desafios comerciais sejam enfrentados independentemente de qualquer adversidade.

Quem decidir comprar a Forty-Eight modelo 2018 também encontrará condição especial em fevereiro

No mês de fevereiro a H-DB preparou condições únicas de compra para a Forty-Eight® 2018, representante da família Sportster® e que também faz parte do movimento Dark Custom™, que tem foco nas novas gerações de motociclistas. O modelo sai de R$ 48,1 mil por R$ 43,9 mil até o dia 28 de fevereiro.
Novidade no Brasil este ano, a Softail® Slim® é um modelo que presta homenagem às bobbers custom do pós-guerra, com ângulo inclinado e suspensões traseira e dianteira aprimoradas. Ela conta com uma oportunidade única de compra em fevereiro, com valorização em uma seminova de até R$ 4 mil para quem comprá-la até 28 de fevereiro.
Já a Roadster™ ano / modelo 2017 / 2017 é para quem deseja começar o ano com o pé direito e muita atitude. A moto sai de R$ 48,6 mil por R$ 40,9 mil. Essas condições são válidas também até o último dia de fevereiro.

A Softail Slim é lançamento de 2018 e conta com boa condição no mês do carnaval

No fim de 2017, a Harley-Davidson Motor Company anunciou mundialmente o lançamento de 100 novos modelos de motocicletas em 10 anos, uma estratégia ousada a longo prazo, como parte das ações ligadas à nova linha de comunicação global da companhia, “All For Freedom, Freedom For All”, que é a expressão de como a H-D vê o futuro e com intuito de construir as próximas gerações de pilotos da marca.
HARLEY OWN™
O Harley Own™ é uma modalidade de compra exclusiva para as motocicletas da linha 2018, focada nos clientes que desejam adquirir uma motocicleta nova a cada dois ou três anos. É também o plano de compra com mais vantagens em relação aos métodos tradicionais, como financiamento e consórcio. O cliente paga uma entrada a partir de 30% do valor da moto e pode realizar o pagamento do restante em 23, 29 ou 35 parcelas iguais, sendo que a última equivale a 50% do valor da moto.
As parcelas do Harley Own™ chegam a ser até 45% menores que as de um financiamento tradicional e o plano oferece ainda recompra garantida em contrato, com pagamento de, no mínimo, 50% do valor da nota fiscal.
No final do contrato, o cliente pode escolher, entre as três opções possíveis, a que mais se enquadrar em seu estilo de vida. É possível quitar o valor e permanecer com a moto, continuar com a Harley-Davidson e refinanciar o saldo restante ou, também, trocar por um modelo novo, com garantia de recompra da atual pela concessionária, sendo a diferença do saldo restante, junto com o valor da recompra, o valor de entrada da nova motocicleta a ser adquirida.
A linha 2018 está disponível para test ride em toda a rede de concessionárias Harley-Davidson no Brasil, basta se inscrever no site https://harleydavidsonbr.secure.force.com/TestRide. Para consultar a concessionária mais próxima, basta acessar www.harley-davidson.com/br/pt/find-a-dealer.html.

16:34 · 18.01.2018 / atualizado às 16:34 · 18.01.2018 por

No ano passado, foram fabricadas 882.876 unidades, com forte evolução no último trimestre.
As exportações do setor deram um salto de 38,6%


As fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) apresentaram estabilidade nos volumes de produção de 2017 em relação ao ano anterior. Segundo dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, foram fabricadas 882.876 motocicletas nos 12 meses do ano passado, enquanto, em 2016, 887.653 unidades saíram das fábricas, ou seja, uma diferença de apenas 0,5%. A estimativa do setor é de crescimento de 5,9% no volume a ser produzido em 2018.
A produção de motocicletas no último mês de 2017 chegou a 69.008 unidades, representando um aumento de 110,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior, quando foram fabricadas 32.814 unidades. Em relação a novembro (83.106 unidades), no entanto, houve um recuo de 17%.


Os sinais de evolução nos negócios do setor são percebidos desde o último trimestre de 2017, quando foram produzidas 230.784 motocicletas, correspondendo a um crescimento de 32,1% sobre o volume de igual período de 2016 (174.654 unidades).
“Os números de 2017 fortalecem o cenário de retomada dos negócios da indústria de motocicletas, o que transmite confiança em um ano com resultados positivos. Com o contínuo lançamento de novos modelos e a melhoria do poder de compra dos consumidores, inclusive com mais acesso ao crédito, as vendas devem se intensificar ao longo de 2018”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Linha de montagem da Traxx

Vendas no Atacado e Exportações
As vendas realizadas no atacado – para as concessionárias – no acumulado de 2017 totalizaram 814.573 unidades, queda de 5,1% na comparação com igual período de 2016 (858.120). Apesar disso, o repasse às lojas em dezembro (68.534) aumentou 22% na confrontação com o mesmo mês do ano anterior (56.155). No entanto, o 12º mês de 2017 recuou 6,2% em comparação com o número de unidades repassadas às lojas em novembro: 68.534 unidades contra 73.069, respectivamente.
As exportações tiveram alta expressiva de 38,6% em 2017 (81.789) na comparação com os doze meses de 2016 (59.022). Na análise isolada de dezembro (7.107) foi calculado avanço de 11% sobre o mesmo mês de 2016, período em que foram exportadas 6.402 motocicletas. No entanto, na confrontação com novembro (7.677) houve uma queda de 7,4%.
A Argentina foi o principal destino das motocicletas embarcadas para outros países em 2017, com 56.847 unidades. Em seguida aparecem Colômbia (7.767) e Estados Unidos (5.129 unidades).

Ninja faz parte da linha de motos da Kawasaki

Emplacamentos
Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas para o varejo totalizaram 851.013 unidades ao longo de 2017, queda de 5,4% sobre as 899.793 motocicletas emplacadas no ano anterior*. Em dezembro foram licenciadas 77.437 motos, o que representa um recuo de 4,2% sobre o mesmo mês de 2016 (80.837). Já na comparação com novembro houve aumento de 18,6% (65.277).
Ainda segundo dados do Renavam, em dezembro a média diária de vendas (3.872 unidades) apresentou alta de 18,6% sobre novembro (3.264). Contudo, na comparação com o mesmo mês de 2016 houve redução de 5,4% (3.674 unidades).
(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

15:45 · 16.01.2018 / atualizado às 15:45 · 16.01.2018 por

Com o crescimento da frota de motocicletas nas grandes cidades, fica evidente a importância da moto no deslocamento e mobilidade urbana. No entanto, ao mesmo tempo em que o número de motociclistas aumenta, os acidentes no trânsito envolvendo os mesmos também crescem

Motosound proporciona ao motociclista uma viagem segura e sem interrupções no trajeto, fazendo com que o motociclista não tenha de parar no acostamento para atender uma ligação e que possa com tranquilidade usar o celular enquanto está parado no trânsito

Conversamos com especialistas e realizamos um levantamento de atitudes perigosas, que aumentam o risco de acidentes em vias e que os motociclistas infelizmente costumam colocar em prática. Também buscamos uma solução para ajudar a solucionar estas demandas. Confira!
1- Deixar o celular dentro do capacete
Esta prática tira a eficácia do acessório, que não é capaz de proteger adequadamente a cabeça do usuário. Além disso, pode ocorrer o superaquecimento do aparelho, ou acarretar uma multa de 191,54 reais, e a perda de sete pontos na carteira, pela infração ser considerada gravíssima segundo o Código de Trânsito Brasileiro
2- Usar fones de ouvido durante a viagem
Os fones de ouvido atrapalham a audição do que está acontecendo no trânsito e são proibidos por lei.
3 – Parar no acostamento para atender uma ligação
Com o corre-corre do dia a dia, uma parada pode atrasar o trajeto. Considerando que muitos motociclistas utilizam o veículo para trabalhar, isso pode acarretar desperdício de tempo e de dinheiro.


4 – Tentar usar o celular enquanto pilota
Esta prática é considerada extremamente perigosa porque, além de tirar a atenção do trânsito, o motociclista perde o controle da direção, colocando em risco sua vida e de outros.
5 – Usar o celular enquanto está parado no farol
Atender o telefone no farol aumenta as chances de assalto.
Conforto e mobilidade sem perigo
Líder no segmento de som automotivo, a Bomber Speakers traz ao mercado o Motosound, um aparelho multimídia exclusivamente para motos, com o objetivo de descomplicar a vida do motociclista e reduzir o número de acidentes. O aparelho é acoplado ao capacete e é possível ter acesso via bluetooth das funções do aparelho celular como ouvir música, atender ligações, ter acesso GPS com conforto e segurança. E o mais importante: o produto foi desenvolvido 100% de acordo com as regras do Código Brasileiro de Trânsito.
Entendendo as demandas do mercado nacional, o Motosound proporciona ao motociclista uma viagem segura e sem interrupções no trajeto, fazendo com que o motociclista não tenha de parar no acostamento para atender uma ligação e que possa com tranquilidade usar o celular enquanto está parado no trânsito. O display é altamente intuitivo e com botões de fácil acesso. O aparelho é leve e discreto, o pode evitar ocasionais casos de roubo.
Fazendo do capacete uma concha acústica, o dispositivo reproduz alertas de trânsito do GPS, músicas e ligações, com excelente qualidade de volume de som para chamadas e músicas. Seu design é resistente a humidade e chuva leve, é de fácil instalação e pareamento, sendo compatível com qualquer dispositivo bluetooth.
Sobre a Bomber Speakers
A Bomber Speakers, que teve início como Blauline, atua no mercado de alto-falantes no Brasil desde 1993, desenvolvendo soluções e produtos inovadores para o mercado automotivo, subwoofers, alto-falantes para competição, headfones e produtos para montadoras. Certificada ISO14001 Gestão Ambiental, a empresa é referência mundial no mercado em que atua. Em 2017, a empresa foi reconhecida com o Prêmio Q1 Preferred Quality Status da Ford, graças aos altos índices de qualidade internacional, estando habilitada a fornecer alto-falantes para qualquer automóvel da Ford no mundo todo.