Busca

Categoria: Pesquisa


16:26 · 08.08.2018 / atualizado às 15:31 · 08.08.2018 por

A Mercedes-Benz do Brasil recebeu o prêmio pela liderança em satisfação nos serviços de pós-venda. Fruto do Customer Service Index (CSI) StudySM Brasil 2018, estudo desenvolvido anualmente pela empresa de consultoria J.D. Power, a marca atingiu a maior pontuação (849 de 1.000) na estreia do índice que analisa o segmento premium


“Padrões extremamente rígidos de qualidade estão entre os principais pilares da Mercedes-Benz e temos em nosso DNA o compromisso de promover a melhor experiência desde o momento da compra do automóvel, acompanhando de perto todo o processo de pós-venda”, afirma Holger Marquardt, managing director Marketing e Vendas Automóveis América Latina e Caribe.
A análise destaca, entre outros elementos, a atenção que marcas de luxo oferecem para a entrega do veículo após a realização de um serviço no concessionário. Nesse contexto, por exemplo, 73% dos clientes afirmam terem recebido de volta o automóvel mais limpo do que quando o deixaram para execução do serviço. Em relação ao contato do concessionário após o serviço finalizado, 77% dos proprietários de automóveis premium foram acionados. O estudo mostra, ainda, que 82% dos clientes de marcas de luxo tiveram o carro entregue com ajustes originais, como sistema de áudio configurado, posição do volante, espelhos e altura de banco.
“Ter esse esforço reconhecido pelos nossos clientes em uma pesquisa já tão consolidada no mercado ratifica o investimento constante da companhia em serviços que garantam ainda mais robustez para o atendimento de pós-venda”, afirma Alexandre Ayres, Head de Serviços ao Cliente Automóveis Mercedes-Benz.
O estudo foi realizado à luz das avaliações de 4.887 proprietários de veículos novos no Brasil, registrados entre fevereiro de 2017 e março de 2018. Seu principal objetivo é examinar a satisfação dos clientes com serviços de manutenção e reparação em concessionários de novos veículos. O Customer Service Index (CSI) StudySM Brasil 2018 é focado em cinco critérios da experiência com serviços: iniciação do serviço; retirada do veículo; instalações do concessionário; qualidade do serviço e consultor técnico.


Portfólio de pós-venda
Nos últimos anos, a Mercedes-Benz investiu massivamente em programas de pós-venda, lançando novidades que compõem um amplo portfólio de serviços de manutenção que se complementam. São eles: o Expess Service, o XENTRY Portal Pro, o MB Oil e, a partir desse mês, também o MB Tires.
O primeiro deles consiste em execução de revisões em até 1 hora possibilitando que o cliente aguarde no próprio concessionário o término da manutenção. Durante essa espera, ele poderá acompanhar todos os processos realizados em seu veículo e esclarecer dúvidas com a equipe técnica do concessionário. O XENTRY Portal Pro é uma plataforma que centraliza vários sistemas em uma nuvem on-line, oferecendo informações mais detalhadas sobre cada veículo. Lançado no início do ano passado, o MB Oil passou a fazer parte do portfólio de serviços de pós-venda a fim de aumentar a vida útil do motor e seus componentes. Além disso, o produto diminui os custos de manutenção, uma vez que segue fatores específicos dos motores da marca, garantindo qualidade e segurança.
O complemento mais recente a esse portfólio é a linha MB Tires de pneus originais Mercedes-Benz. Esse novo produto é desenvolvido em cooperação com os fabricantes de pneus premium especialmente para os modelos da marca, dentro de padrões extremamente rigorosos de qualidade, otimizando a segurança, mobilidade e conforto.
Adicionalmente a esses serviços, a Mercedes-Benz expandiu o portfólio de automóveis que fazem parte do programa de Revisão Declarada, permitindo ao cliente antecipar o custo de manutenção para os modelos Classe A, Classe B, Classe C, CLA, GLA e GLC.
A marca oferece, ainda, um contrato de manutenção (Mercedes Service Care) possibilitando que o cliente adquira até cinco revisões (ou 50 mil quilômetros) no momento da compra do automóvel.

11:59 · 20.06.2018 / atualizado às 12:02 · 20.06.2018 por

Ao menos um décimo de todos os acidentes com fatalidades é causado por motoristas distraídos
O álcool tem sido considerado uma das mais perigosas causas de falta de aptidão dos motoristas, mas as distrações causadas pela tecnologia, incluindo celulares e GPS, provam que agora também representam um grande risco. Cerca de 74% dos motoristas admitem distrair-se enquanto dirigem

Olhar o celular: causa de muitos acidentes

Um novo estudo do Centro de Tecnologia Allianz (AZT) mostra que o risco de um acidente cresce drasticamente quando os motoristas dividem a atenção entre o trânsito e a tecnologia. Os destaques do estudo fazem uma correlação entre altos índices de acidentes e o uso de dispositivos de informação, comunicação e entretenimento disponíveis nos veículos.
Por exemplo, 60% dos motoristas que tiveram um acidente nos últimos três anos afirmaram que estavam usando o telefone celular enquanto dirigiam. Apenas 37% dos motoristas que afirmaram fazer o mesmo não se envolveram em acidentes.
“Isso não é nenhuma surpresa”, diz Jochen Haug, diretor de Sinistros da Allianz Alemanha. “Quanto mais itens de tecnologia no veículo e mais complexa a operação, mais distraído estará o motorista em relação ao trânsito”, conta.

Tão nocivo quanto o álcool
De acordo com os especialistas, um décimo dos acidentes de trânsito com fatalidade é causado por motoristas distraídos. Em 2016, mais de 3.200 pessoas morreram nas estradas da Alemanha – 256 deles porque uma das vítimas envolvidas estava bêbada. Significativamente mais pessoas, por volta de 350, morreram devido distrações ao volante.
Até os anos 70, era aceitável um motorista beber muitas taças de vinho e ainda sim dirigir, afirma Haug. Mais de 20 mil pessoas morreram nas rodovias em 1970 e o governo respondeu introduzindo limites de velocidade nas estradas do País e estabelecendo o nível máximo de álcool no sangue em 0,8 em 1971. “O comportamento em relação à bebida alcoólica mudou. Não é mais socialmente aceitável beber e dirigir. Nós precisamos adotar a mesma atitude em relação ao uso do celular no volante”, diz Haug. “Nosso estudo é claro, o motorista que usa o celular enquanto dirige coloca outras vidas em risco”.
De acordo com a pesquisa, a todo momento o motorista comete alguma infração em relação ao celular enquanto dirige. Três quartos dos entrevistados admitiram distrair-se regulamente com as tecnologias disponíveis no veículo, enquanto 39% afirmaram que opera manualmente o sistema de navegação ao mesmo tempo em que dirige.
Um em quatro motoristas afirmaram que leem mensagens de texto enquanto dirigem e 15% afirmaram que as respondem. Isso é mais comum em motoristas acima de 24 anos: mais de 27% lê mensagens e 23% as respondem enquanto conduzem o veículo.
Os resultados convergem com pesquisas internacionais. Um estudo de 2015, que entrevistou 1.211 motoristas nos Estados Unidos, apontou que quase 60% dos entrevistados leem mensagens no celular com o veículo em movimento. Um mês depois foi encontrada uma forte correlação entre os resultados e os índices de colisões.
Além disso, as colisões com veículo motorizado são responsáveis por aproximadamente um quarto de todas as mortes de adolescentes e jovens adultos (entre 15 e 24 anos) nos Estados Unidos. Mais de um terço (36%) de todos os motoristas distraídos envolvidos em acidentes fatais tinham entre 15 e 29 anos, de acordo com as estatísticas da U.S. National Highway Traffic Safety Administration de 2015.
Ação necessária
O AZT defende há muito tempo que a distração seja incluída como uma causa oficial nas estatísticas de acidentes e regulamentações de trânsito. O governo da Alemanha recentemente estendeu a definição de celulares para incluir tablets e dispositivos similares.
A Allianz também defende medidas adicionais, como desabilitar a navegação ou acesso à internet nas telas disponíveis no carro enquanto o veículo está em movimento. Determinados sistemas avançados de assistência, como assistentes de frenagem de emergência, podem ajudar evitando ou reduzindo o impacto dos acidentes causados por distrações.

12:54 · 09.02.2018 / atualizado às 13:10 · 09.02.2018 por

Aproximadamente, 1 em cada 4 motoristas brasileiros admite dirigir, ainda que raramente, após consumir bebida alcoólica, aponta a pesquisa de comportamento no trânsito realizada pela Arteris, uma das maiores companhias de concessões rodoviárias do País


“Esse comportamento imprudente dos motoristas é ainda mais comum durante o Carnaval, período mais festivo para muitos brasileiros. Infelizmente, a tolerância dos usuários para algumas infrações de trânsito aumenta nestas datas comemorativas, como o consumo de bebida alcoólica antes de dirigir e uso do celular ao volante”, afirma Elvis Granzotti, gerente de Operações da Arteris.

Por conta disso, durante a Operação de Carnaval, que se iniciará nesta quinta-feira, dia 08, e seguirá até a quarta-feira, 14 de fevereiro, o Grupo Arteris promoverá campanha de conscientização “Neste Carnaval, seja um super-herói. Você tem o poder de evitar acidentes”. Estão previstas ações educativas nas praças de pedágio das rodovias, em bloquinhos de carnaval de cidades dos trechos sob concessão da companhia e pela internet.

Máscaras com mensagens de conscientização serão distribuídas em blocos carnavalescos de Ribeirão Preto (SP), Niterói (RJ), Florianópolis (SC) e Belo Horizonte (MG) e peças de comunicação eletrônicas serão divulgadas nas redes sociais da Arteris e das concessionárias, com mensagens que reforçam a segurança no trânsito por meio do slogan “Entre para o #blocodaseguranca”. E-mail marketing, banners em sites de interesse entre outros materiais reforçarão a campanha.

Além disso, frases de efeito serão utilizadas durante todo o feriado nos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs) das rodovias, como “Viva o bloco da segurança”, “Não use celular ao volante” e “Se beber, não dirija”.

Imagens como essa poderiam ser evitadas se a prudência fosse constante no trânsito

A Arteris também reforçará as equipes de atendimento aos usuários durante o período, com reposicionamento de viaturas operacionais e reforço no efetivo para prestar atendimento rápido e eficiente ao usuário.

O movimento “Neste Carnaval, seja um super-herói. Você tem o poder de evitar acidentes” está alinhado com a campanha #Carnavalnãoédesculpa do Governo Federal, Ministérios do Transporte, Cidades e Saúde e da Polícia Rodoviária Federal.

Pesquisa de comportamento Arteris

Ao se analisar o levantamento feito pela Arteris, com mais de mil motoristas em todo o território brasileiro, as razões que levam as pessoas a conduzirem os seus veículos depois de consumirem bebidas alcoólicas são curiosas e críticas.

Por exemplo, 26,3% dos entrevistados admite dirigir, ainda que raramente, após consumo de álcool por estar sozinho ou ser o único que dirige. Outros 20,9% deste público argumenta que a quantidade de álcool consumida não altera sua condição de dirigir. A famosa desculpa: “estou bem, não bebi tanto”. Por fim, 13,9% dos entrevistados afirma dirigir após consumo de bebida alcoólica quando os trajetos são curtos, achando que isso reduz as chances de acidentes.

Os motivos alegados para a direção sob efeito do álcool são: Falta de opção de transporte (7,8%), Falta de planejamento (5,4%), Imprudência (5,3%), Hábito (2%) e Comodidade (1,6%). Outros motivos somaram 0,7%.

Entre 26 e 30 anos, 29,5% dos entrevistados confessam que mesmo que raramente, dirige após consumir bebida alcoólica. E o Sudeste é a região que tem a maior tolerância com a infração: 31,3% entrevistados do Sudeste confessam que mesmo que raramente, dirige após consumir bebida alcoólica.

Carnaval 2017

Os dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) corroboram com necessidade de atenção redobrada no período. A PRF registrou 1.696 acidentes de trânsito durante o carnaval 2017, sendo 323 acidentes graves e 140 mortes. Foram fiscalizadas 222.801 pessoas em 205.137 veículos, 98.920 testes por etilômetro que resultaram em 2.019 pessoas multadas e 214 presos; 108.267 motoristas flagrados trafegando acima da velocidade máxima; quase 12 mil registros de ultrapassagens indevidas e quase seis mil pela falta do cinto de segurança.

15:47 · 06.02.2018 / atualizado às 15:47 · 06.02.2018 por

Marca é a primeira montadora a conquistar o selo máximo RA1000 em todas as categorias no site, que mede qualidade de atendimento ao cliente

Um dos destaques da marca é a picape L200 e o enfoque em rallys

A Mitsubishi Motors alcançou uma marca positiva e inédita no site Reclame Aqui, o principal canal da internet sobre atendimento ao cliente. A montadora conquistou o RA1000, selo de máxima qualidade, em todas as categorias: últimos seis meses, últimos 12 meses, 2017, 2016 e Geral. É a primeira vez que uma fabricante de veículos recebe uma classificação positiva tão alta.
“Esse resultado é a consequência de um trabalho muito grande que fazemos, em conjunto com a nossa rede de concessionárias, para que nossos clientes tenham o melhor atendimento possível”, explica Julio Fiorin, diretor de pós-venda da Mitsubishi Motors do Brasil.

Por dentro da Outlander

A Mitsubishi Motors já havia alcançado uma marca importante na área de atendimento ao cliente em 2016, quando se tornou a primeira montadora a receber o selo RA1000. “Temos como objetivo solucionar quaisquer problemas dos consumidores, bem como atendê-los pronta e rapidamente para sanar dúvidas”, afirma Fiorin.
O Reclame Aqui é, hoje, uma das mais importantes ferramentas para medir o relacionamento entre as empresas e os clientes e avaliar a satisfação com o atendimento de marcas de todas as categorias. O site tem mais de 15 milhões de pessoas cadastradas e cerca de 42 milhões visualizações por mês.

20:58 · 30.01.2018 / atualizado às 16:00 · 30.01.2018 por

Piauí registra alta de quase 6% no preço do etanol; Alagoas tem a gasolina mais cara da região
Os motoristas do Piauí foram os que mais sentiram o aumento no preço do etanol em dezembro, segundo o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), que traz dados de 36 mil postos credenciados de todo o País. O combustível aumentou 5,86% no Estado, com o litro cotado em média a R$ 3,20. Contudo, o resultado ainda não foi suficiente para bater o Ceará, que segue com o maior valor do Nordeste: R$ 3,41. Para os maranhenses, uma boa notícia: o etanol caiu 5,24% e o preço médio foi de R$ 3,41 em dezembro, quase R$ 0,20 a menos em relação a novembro, quando o Estado registrou o maior índice do Nordeste.
O litro mais barato de gasolina foi encontrado na Paraíba, pelo segundo mês consecutivo, com preço médio de R$ 3,94. Em Pernambuco, o valor médio do diesel foi R$ 3,30, o menor do Nordeste.
Confira abaixo a tabela para consulta de cada combustível no Nordeste

13:45 · 04.01.2017 / atualizado às 13:45 · 04.01.2017 por

Relatório desenvolvido pela Ambev em parceria com a consultoria Falconi mostra que mais de 13 mil pessoas perderam suas vidas nas ruas e estradas na região em um ano

Imagens como essa poderia ser evitadas se a prudência fosse constante no trânsito
Imagens como essa poderia ser evitadas se a prudência fosse constante no trânsito

A região Nordeste tem o segundo maior número de óbitos em acidentes de trânsito no país, atrás apenas do Sudeste. Segundo os dados mais recentes disponíveis, em 2014, foram 13.430 vítimas fatais na região, sendo que mais da metade das mortes – 6.849 – envolveram motociclistas. Esse número representa 41,6% do total de mortes em acidentes de moto em todo o país. Além disso, das quatro cidades com maiores índices de óbitos por 100 mil habitantes no Brasil, três estão no Nordeste: Presidente Dutra (MA), Sobral (CE) e Barbalha (CE). Os dados são do relatório “Retrato da Segurança Viária”, feito pela Ambev em parceria com a consultoria Falconi. O estudo também mostra que, entre 2003 e 2014, a frota de motocicletas no Nordeste aumentou 414%, saltando de 1,2 milhão para 6,2 milhões, representando 44% dos veículos da região.

INDIATRANSITO
Com o objetivo de auxiliar a elaboração de políticas efetivas de combate aos acidentes de trânsito, o material oferece um cruzamento inédito de dados de entidades como Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), Datasus (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde), Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), além da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Queremos e podemos ser parte da solução por um trânsito mais seguro para todos. Temos uma das maiores frotas do país e desenvolvemos tecnologias e treinamentos exclusivos capazes de mapear e mudar comportamentos de risco para garantir a segurança de toda nossa força logística. Além disso, também atuamos na prevenção o uso indevido da bebida alcoólica que, quando associada à direção, também se torna um fator de risco no trânsito”, esclarece Pedro Mariani, vice-presidente de relações corporativas da Ambev.
Com um dos trânsitos mais violentos do mundo segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil vivencia um aumento de 3,2% no número total de mortes em decorrência de acidentes em um ano, segundo os dados mais recentes, referentes a 2014. O crescimento volta a ser constatado, depois de uma queda de 5,7% entre 2012 e 2013, que reverteu a tendência de aumento que já durava quatro anos. Em 2014, 44.471 brasileiros perderam suas vidas em acidentes viários e o número absoluto de feridos cresceu 5,9% em relação a 2013, chegando a mais de 203 mil. No mesmo período, os feridos por 100 mil habitantes aumentaram 5%. De 2003 a 2014, mais de 477 mil brasileiros morreram nas ruas, avenidas e estradas e mais de 1,7 milhão ficaram feridos.
O estudo mostra ainda que, nos 12 anos analisados, os acidentes com motos passaram a ser a principal causa de morte no trânsito, subindo de 19% para 37% do total de vítimas fatais. Enquanto isso, o número de feridos entre motociclistas quase quadruplicou: de 31.073 para 119.846. Em 2003, os acidentes fatais com pedestres eram a maioria, representando 43% do total. Os carros de passeio apareciam na sequência, 29%. De acordo com os dados mais recentes, 24% dos acidentes que levam a óbito são com pessoas a pé e 32% com carros.

transito
Há bastante tempo, a Ambev realiza ações, como doação de bafômetros e campanhas de conscientização para promover a segurança no trânsito. Com o Retrato de Segurança Viária, a cervejaria resolveu ir além para construir uma base de dados consolidada sobre essa questão. “São inúmeras as ações para que mudanças efetivas aconteçam e o trabalho em rede, aliado a uma base de dados confiável e sólida como a desse retrato, é fundamental para que elas sejam levadas à prática”, pontua Mariani. A partir daí, a Ambev liderou a formação de uma coalizão com agentes privados, públicos e da sociedade civil. O primeiro fruto dessa coalizão nasceu do engajamento do Governo do Estado de São Paulo, que articulou e vem executando o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Recentemente, o Governo do Distrito Federal também iniciou, com apoio da cervejaria, um projeto semelhante com o programa Brasília Vida Segura.
Óbitos por região
A região Sudeste concentrou o maior número de mortes em 2014, com 15.603 vítimas, um crescimento de 4,5% em relação a 2013. O Nordeste vem em seguida, com 13.430 mortes, 3,1% a mais que no ano anterior. No Centro Oeste, o total de vítimas foi de 4.725 (aumento de 2,7%) e no Norte, 3.768 (crescimento de 3,9%). No Sul, foram 6.945 mortes em 2014, um aumento mínimo de 0,8% na comparação com 2013.
Ao analisar o número de óbitos por 100 mil habitantes, o Sudeste é a região mais segura, com taxa de 18,3. Em seguida vem a região Norte, com 21,9. Com taxas semelhantes estão as regiões Nordeste e Sul, ambas com 23,9. Por último, fica a região Centro-Oeste, com uma taxa elevada: 31 mortes a cada 100 mil habitantes.
A análise por região também revela que no Nordeste e Norte, os usuários de moto representam o grupo predominante entre as vítimas. No Nordeste, foram 6.849 vítimas fatais de acidentes com moto (51% do total), mais que o dobro das 3.223 vítimas de acidentes com carro (24%). Em 2003, as motos representavam 25% das mortes no trânsito na região Nordeste. Desde então, a frota de motos nos estados nordestinos saltou de 1,2 milhão para 6,2 milhões, um aumento de 414%. O usuário de automóvel lidera o ranking de óbitos nas regiões Sudeste (34% do total de acidentes), Sul (39%) e Centro-Oeste (37%).

18:57 · 13.07.2016 / atualizado às 18:57 · 13.07.2016 por

A Easy Carros, startup que conecta donos de carro a profissionais de serviços automotivos, desvendou uma questão histórica. De acordo com a pesquisa realizada por meio do banco de dados, com análise do comportamento dos usuários do aplicativo no recorte por gênero, as mulheres se preocupam menos do que os homens com o cuidado com o carro

 

mulher-dirigindo
Segundo a Pesquisa Easy Carros de Comportamento, os homens fazem 25% mais pedidos de serviços automotivos do que as mulheres durante um ano, seja uma simples lavagem ecológica, um polimento, uma troca de óleo, ou outros serviços oferecidos pela startup. “O perfil dos nossos serviços são mais de cuidados do que de manutenção, dessa forma, fica claro que os homens têm uma preocupação maior com o carro” comenta Bernardo Franco, Head de Business Intelligence da Easy Carros.

pesquisa
Os dados são calculados pela mediana da frequência com que os pedidos são realizados por gênero. Dessa forma, de acordo com a base de dados da Easy Carros, os homens possuem uma frequência de 8,9 pedidos de serviços automotivos em um ano, o que significa, praticamente 1 serviço a cada mês e meio, enquanto as mulheres somam 7,1 no mesmo período. A Pesquisa Easy Carros de Comportamento foi realizada com levantamento do banco de dados da empresa, que conta com cerca de 25 mil pessoas de 32 cidades e 4 estados brasileiros cadastradas.
Fundada em 2015, a Easy Carros tem como missão mudar a forma de como os brasileiros se relacionam com seu veículo. Em apenas alguns cliques, o usuário pode solicitar, através de site ou aplicativo, os serviços oferecidos pela empresa de maneira rápida, prática e segura, em qualquer lugar e a qualquer hora.

homem-dentro-do-carro2
“Nascemos para ser a maneira mais conveniente e segura para contratação de serviços automotivos, como lavagem de carro ecológica e troca de óleo, por exemplo. Queremos prover cada vez mais mobilidade e facilidade ao cliente que não tem tempo para parar sua rotina corrida no escritório para achar um profissional confiável, levar seu carro até o local e aguardar o carro ficar pronto. Além disso, conectamos uma série de empreendedores do setor automotivo aos seus clientes, ajudando-os a crescerem seus negócios”, explica Fernando Saddi, CEO da Easy Carros.

15:51 · 01.03.2016 / atualizado às 15:51 · 01.03.2016 por

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou nesta terça-feira, 1 de março, o desempenho do setor automotivo no mês de fevereiro e do acumulado do primeiro bimestre de 2016

 

MensalFev2016
As vendas de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros) apresentaram queda de 6,83% em fevereiro, no comparativo com janeiro. Ao todo, foram emplacadas 243.064 unidades, ante as 260.894 registradas no mês anterior. Se comparado ao mesmo período do ano passado (290.193 unidades), a queda foi de 16,24%. No acumulado, a retração foi de 24,01% na comparação com o primeiro bimestre de 2015.
Na avaliação da Fenabrave, o mês de fevereiro foi afetado pelo menor número de dias úteis (18 dias), contra 20 dias úteis em janeiro, devido ao feriado de Carnaval. Ainda assim, foram emplacados, em média, no mês passado, 13.503 unidades de veículos por dia útil, contra 13.044 unidades em janeiro. “Apesar da retração registrada em dias corridos, vale ressaltar que, em fevereiro, na comparação dos dias úteis, foi observada uma alta de 3,52% nos emplacamentos, com relação ao mês anterior. Este crescimento é importante, ainda que já esperado, pois o mês de janeiro é, historicamente, prejudicado pelas antecipações de compras realizadas em dezembro e pelas despesas escolares e decorrentes de impostos no início do ano”, comentou o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Fabrica da Nissan
Fabrica da Nissan

Apesar do resultado positivo na média diária de vendas, a Fenabrave não prevê alteração do cenário para o ano, que deve se manter negativo no acumulado de 2016. “Os fatores prevalecem os mesmos já mencionados anteriormente, como a baixa atividade econômica, atrelada à alta da inflação, alto índice de endividamento das famílias, aumento do desemprego e a consequente perda de confiança da população”, argumentou Assumpção Júnior.
No volume geral, os segmentos de automóveis e comerciais leves apresentaram retração de 5,09%, totalizando 142.068 unidades em fevereiro, contra 149.680 em janeiro. Se comparado com fevereiro do ano passado (178.799 unidades), o resultado aponta uma queda de 20,54%. No bimestre, esses segmentos caíram 30,98% se comparados a igual período de 2015.

11:31 · 26.01.2016 / atualizado às 11:31 · 26.01.2016 por
Onix e o modelo Chevrolet mais vendido do pais
Chevrolet Onix

Não é surpresa, visto o resultado dos mais emplacados, que o Onix liderou entre os financiados. Porém, até o último momento, foi uma briga acirrada com o Palio. Com 92.123 unidades financiadas, o modelo da Chevrolet fechou como o novo mais financiado. O representante da Fiat seguiu em segundo, com 82.413. Na terceira colocação está o HB20, da Hyundai, com 68.204 vendas a crédito.

2Além dos três do pódio, o destaque de dezembro ficou por conta do Prisma, da Chevrolet, que voltou a ser o quarto modelo mais financiado no período, com 5.487 mil unidades, ultrapassando o Ford Ka, com 5.367 unidades, que completa o top 5.

Em termos de marca, a norte-americana além de ter o seu representante no topo do ranking, também conquistou o primeiro lugar das mais financiadas em 2015, somando 259.652 unidades. A Fiat vem logo atrás, com 258.370 unidades. A Volkswagen encerrou o ano na terceiro posição, com 215.297. As três montadoras também se destacaram como as marcas que mais financiaram em dezembro, mantendo as mesmas posições.

1Entre os usados, foram 8.641.659 vendidos ao longo do ano. Só em dezembro foram 820.249 unidades, sendo 96.348 só do modelo VW Gol. Inclusive, ele foi o mais financiado, com um total de 234.267 no acumulado e 21.050 no mês passado.

3Uma curiosidade na apuração é que dois utilitários esportivos estiveram entre os modelos mais financiados do País: o Renegade, da Jeep, fechou dezembro na décima posição, com 3.468 unidades financiadas, totalizando 20.372 em 2015; já a HR-V, da Honda, ficou em 14º no mês, com 2.850 vendas a crédito, atingindo 21.327 no ano. A pesquisa foi feita pela Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio.

09:31 · 20.01.2016 / atualizado às 09:31 · 20.01.2016 por
Ford Focus Red Edition
Ford Focus Red Edition

A mesma cor de carro pode remeter a significado diferente entre homens e mulheres. Foi o que constatou um recente estudo da Ford Europa. Ao todo, foram entrevistadas 204 pessoas de 25 a 65 anos no Reino Unido, por meio do método NEO PI-3, um instrumento de avaliação da personalidade. Para mostrar qual cor de veículo mais combina com cada pessoa, a marca disponibilizou um questionário on-line que traz também algumas descrições de personalidade.

Os carros pretos, no caso das mulheres, remete a uma personalidade criativa e centrada na realização de tarefas, podendo ficar descontentes rapidamente se as coisas não acontecem como querem. Já os homens fãs dessa cor de automóvel se dizem desorganizados, facilmente distraídos e dependentes de outros para completar projetos.

Com azul, os homens seguem mais a emoção do que a razão quando precisam tomar decisões. Já as mulheres buscam harmonia nos relacionamentos, evitam conflitos e têm grande força de vontade.

Homens que dirigem carros azul escuro, e aqueles que usam ternos dessa tonalidade, tendem a ser mais conservadores. Os que preferem carros vermelhos tendem a ser mais organizados pessoalmente, metódicos e objetivos. Já o público masculino que gosta de carros da cor prata acha mais fácil manter a calma em momentos de estresse. Para as mulheres, as cores de carros prata, azul escuro e vermelho não tiveram claramente indicados os seus traços marcantes de personalidade.

Eu já fiz o teste, para fazer você também, é só clicar aqui (e ver o teste em inglês).