Busca

Categoria: Serviço


07:55 · 04.07.2018 / atualizado às 16:04 · 03.07.2018 por

Para qualquer viagem de moto é preciso tomar diversos cuidados antes encarar uma estrada, no Brasil ou no exterior. Pensando na preparação completa que deve ser realizada pelos clientes, a Harley-Davidson do Brasil apresenta dicas importantes para quem pretende viajar com segurança e tranquilidade durante as férias escolares de julho


A segurança na pilotagem deve ser sempre a principal preocupação de todo motociclista e é um tema abordado constantemente pela H-DB, visando garantir sempre uma experiência completa com a marca. É sempre importante preparar o roteiro da viagem com muita atenção e utilizar as vestimentas apropriadas para a pilotagem – sem esquecer dos dias de frio, calor e chuva –, itens fundamentais para garantir o sucesso dessa aventura, além da manutenção adequada da motocicleta e um kit básico para qualquer emergência técnica.
1. EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA
Antes de ligar sua Harley-Davidson, verifique itens essenciais para a segurança pessoal, tais quais luvas, capacete (sem danos, com adesivos refletivos e selo de homologação do Inmetro), calçados apropriados, como botas resistentes, por exemplo, jaqueta com protetores internos e capa de chuva (dependendo das condições climáticas) para piloto e garupa. Esses equipamentos garantem que, em uma possível queda, os danos sejam minimizados.
2. REVISÃO
Este item, assim como o primeiro, é extremamente relevante. A motocicleta precisa estar com todas as revisões em dia, pneus em bom estado e calibrados seguindo as recomendações do manual do proprietário, tanque abastecido com combustível de alta octanagem, bom nível de óleo e todas as lâmpadas funcionando perfeitamente (faróis, lanternas, luzes de freio, sinalizadores de direção e luz da placa). Caso qualquer um desses itens não esteja em perfeitas condições, o destino escolhido não deve ser a estrada, mas sim a concessionária Harley-Davidson mais próxima.


3. LIMPEZA
Quando for cuidar da limpeza da sua H-D antes de sair em viagem, é importante garantir que o modelo será lavado com os produtos corretos. Na ausência deles, o uso de água e sabão neutro ajudam a resolver o problema. Desta maneira, nenhuma peça será danificada durante a limpeza por produtos abrasivos que podem causar danos às motocicletas.
4. FERRAMENTAS
É sempre bom estar preparado para quaisquer imprevistos. Por isso, é importante carregar um kit de ferramentas básicas para ajudar na realização de algum reparo de emergência durante o ride. Antes de qualquer coisa, é preciso verificar quanto espaço existe na motocicleta para carregar as ferramentas. Em alguns modelos, o espaço é limitado e isso pode afetar a seleção das ferramentas. Por outro lado, os motociclistas com baggers têm condições de carregar mais itens.
Vale ressaltar, também, que cada motocicleta é única e necessita de um conjunto diferente de ferramentas. Ou seja, não adianta carregar uma chave fixa de 5/8” se não houver nenhum parafuso correspondente na moto. Outro fator para determinar exatamente quais ferramentas levar é a familiaridade com o modelo e seus requisitos técnicos específicos, além, é claro, do conhecimento de quais ações tomar para um possível reparo de emergência.


5. MANUAL DO PROPRIETÁRIO
Conhecer muito bem o manual do proprietário pode fazer toda a diferença para o motociclista em algum momento inesperado. Ou seja, entender o máximo possível da operação de cada um dos componentes principais da motocicleta ajudará caso algo não saia como planejado. Desta forma, será mais fácil diagnosticar o problema para o reparo ou na hora de solicitar auxílio profissional para a moto. É possível também baixar uma cópia do manual do proprietário no celular para economizar um espaço valioso em sua motocicleta.
6. ROTAS
Verifique se existem postos de abastecimento e restaurantes em sua rota antes de pegar a estrada. Além do GPS, recomenda-se ter na mochila o mapa ou um roteiro impresso com as estradas e as saídas que serão utilizadas durante a viagem, caso o aparelho de GPS ou o celular fiquem sem bateria. É recomendável que o piloto faça uma parada a cada 90 minutos para poder esticar as pernas, alongar-se, movimentar os músculos e garantir a alimentação e hidratação. Isso ajuda a evitar os desconfortos de viagens longas e também auxilia na concentração de piloto e garupa, além de despertar em casos de fadiga.
7. LIMITES DE VELOCIDADE
Não é necessário ter pressa. Respeitar sempre os limites de velocidade da estrada garante que o trajeto escolhido poderá ser bem aproveitado e a viagem transcorrerá com tranquilidade e toda a segurança, fazendo com que boas histórias sejam contadas no retorno.
Durante o período de garantia, os clientes da Harley-Davidson têm acesso ao serviço do Rider Assistance, então é fundamental ter o número caso seja necessário: 0800 131 854

14:05 · 03.07.2018 / atualizado às 14:05 · 03.07.2018 por

Kia Motors do Brasil convoca os proprietários do veículo Grand Carnival, ano/modelo 2016 a 2019, com finais de chassi entre 113707 e 437433, a agendarem o comparecimento a uma das concessionárias Kia para que seja atualizado o software da unidade eletrônica do comando das portas deslizantes automáticas. A campanha de chamamento será iniciada nesta quarta-feira (4), sem qualquer custo aos clientes


A fabricante sul-coreana Kia Motors Corporation detectou que, ao ser acionado, o comando de fechamento da porta deslizante automática da minivan pode não obedecer ao sistema de reversão, mesmo em caso de eventual obstáculo na rota do trilho. Embora não haja conhecimento de quaisquer falhas que acometeram os veículos no País, a Kia Motors do Brasil optou por promover, gratuitamente, a atualização deste software nas unidades afetadas.
Para realizar o serviço, os clientes devem agendar a inspeção do componente em qualquer unidade da Rede Autorizada de Concessionárias. Os endereços e contatos de todas as lojas podem ser obtidos no site www.kia.com.br e pelo telefone 0800 77 11011. O tempo previsto de reparo é de aproximadamente uma hora.
Com esta medida, a Kia Motors do Brasil tem o objetivo de garantir a satisfação de seus clientes, assegurando a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos veículos da marca.

02:25 · 20.06.2018 / atualizado às 16:32 · 29.06.2018 por

As férias escolares estão chegando. Roteiro fechado, hotel reservado, vouchers na mão. Mas, antes de pegar a estrada para curtir um merecido descanso vale conferir esses oito cuidados básicos sugeridos pela Continental Pneus:
Calibragem – é importante checar a pressão do ar semanalmente e sempre com o pneu frio. Rodando com a calibragem correta você economiza combustível e amplia a vida útil do seu pneu. Para saber a calibragem correta para os pneus de seu carro basta consultar o manual do proprietário, as etiquetas afixadas nas portas, no batente das portas ou, ainda, no bocal de abastecimento de combustível


Balanceamento e alinhamento – devem ser realizados a cada 10 mil km. O mesmo vale para a medição e o ajuste da cambagem. Além de ser um importante item de segurança, o perfeito alinhamento e balanceamento garante um excelente comportamento dinâmico do veículo, preservando a vida útil dos pneus
Rodízio – é recomendável que seja efetuado a cada 10.000 km, mesmo que os pneus não apresentem sinais de desgaste. A inversão de posição entre os pneus que rodam nos eixos dianteiro e traseiro contribui para manter o desgaste uniforme, proporciona melhor estabilidade, especialmente em curvas e freadas, colaborando também para uma melhora no desempenho global do veículo

Calibrar semanalmente o pneu é fundamental

Sulcos – verificar se eles já atingiram o limite legal de 1,6 mm, momento em que os pneus devem ser substituídos. Vale lembrar que transitar com pneu careca pode resultar em multa e adição de cinco pontos no prontuário do motorista
Válvula – deve passar por uma análise visual, pois se estiver desgastada ou trincada pode causar o esvaziamento gradativo do pneu
Bolhas – observar se há bolhas nas paredes. Um pneu que apresente bolhas está initulizado, pois corre o risco de se romper a qualquer momento causando uma perda súbita de pressão. Nessas condições, deve ser imediatamente substituído;
Excesso de peso – procure não sobrecarregar seus pneus conferindo antes da viagem a capacidade da carga que eles podem transportar
Estepe – lembre-se de checar seu estado e também de calibrá-lo corretamente

11:44 · 30.04.2018 / atualizado às 11:44 · 30.04.2018 por

A obrigatoriedade de todos os estados oferecerem a versão da CNH Digital foi prorrogada para 1º de julho, mas os motoristas de todo o Brasil já podem usufruir da versão eletrônica

Veja mais informações sobre essa novidade.
1. Em quais estados é possível obter a versão digital?
O serviço já está disponível em todos os 27 estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.
2. Como solicitar a CNH Digital?
A primeira coisa a ser feita, é pesquisar a disponibilidade em seu estado. Se houver, é possível solicitar de duas maneiras: realizando o cadastro no site do Denatran e finalizando o processo pessoalmente em um local de atendimento do Detran ou fazendo todo o processo no site. Porém, é preciso ter Certificado Digital para isso e o motivo é simples: “O Certificado Digital identifica inequivocamente no meio eletrônico, garantindo a autenticidade das informações, por isso ele é exigido nesse e em demais processos em que a garantia da identidade é imprescindível”, explica Leonardo Gonçalves, diretor de Varejo e Canais da Certisign, Autoridade Certificadora e especialista em Identificação Digital.
3. Vale investir no Certificado para solicitar a CNH Digital?
O investimento é válido, uma vez que o Certificado Digital pode ser usado em outras aplicações(são mais de duas mil) e tem valores acessíveis – por exemplo, o Certificado Digital e-CPFpode ser adquirido por menos de R$ 1 por dia na Certisign. No caso específico da CNH Digital, o motorista deve fazer a conta de quanto vale a hora do dia dele e a comodidade de poder realizar o processo on-line, sem se preocupar com o trânsito e filas.
4. Todo motorista pode solicitar a CNH Digital?
Não. É preciso ter a versão impressa da CNH com QR Code,que começou a ser emitida em maio de 2017.
5. Há algum custo para requisitar a versão digital?
Segundo informações do Portal de Serviços do Denatran, a cobrança de possíveis taxas para emissão da versão eletrônica fica a cargo dos DETRANs de cada estado.
6. A CNH Digital é segura?
Sim, pois possuí elementos de segurança iguais aos da versão impressa, como o QR Code. Além disso, a nova versão é assinada digitalmente por um Certificado Digital ICP-Brasil do Detran e exige o cadastro presencial ou o uso do Certificado Digital do titular e senhas de acesso – forte, para a atualização cadastral no Portal de Serviços do Denatran, e simples, para a visualização e exportação das informações.
Sobre a Certisign
A Certisign é a Autoridade Certificadora líder da América Latina e especialista em Identificação Digital. Com mais de 1.800 locais de atendimento por todo o Brasil, ao longo dos seus 21 anos, já emitiu mais de 10 milhões de Certificados Digitais, possui em seu portfólio de clientes as companhias mais representativas do País e está entre as empresas mais inovadoras do Brasil, de acordo com as pesquisas “Inovação Brasil 2016”, da Strategy& – consultoria estratégica do Network PwC-, e “50 Empresas Mais Inovadoras do País”, da DOM StrategyPartners. Para mais informações acesse: www.certisign.com.br.

18:30 · 04.03.2018 / atualizado às 18:31 · 04.03.2018 por

Durante a gravidez a mulher precisa tomar várias decisões e preparar muitas coisas para a chegada do novo membro da família. Muitas vezes, a necessidade faz com que ela precise dirigir, mas sempre fica aquela pontinha de dúvida: Será se eu posso fazer isso? Será se é seguro para o meu bebê?


Antes de responder a pergunta, queremos alertar que o uso do cinto de segurança é extremamente eficaz para a PROTEÇÃO da mamãe e do bebê. Nós entendemos que durante a gravidez, utilizar o cinto de segurança pode trazer algum desconforto à mamãe, exatamente por todas as transformações pela qual o corpo está passando. Entretanto, se você não usar o cinto de segurança, vai correr o risco de machucar ou até mesmo matar o seu bebê em caso de acidente ou freada brusca. Você está preparada para carregar essa culpa pelo resto da sua vida? Imagino que não.


Portanto, nada de dirigir sem usar o cinto de segurança, mesmo se você estiver grávida. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, não existe NENHUMA proibição quanto ao fato de dirigir grávida. Entretanto, a grande maioria de especialistas obstetras orientam a dirigir até, no máximo, o oitavo mês de gestação.


Isso se dá por questões de segurança, pois no oitavo mês a barriga já está bem desenvolvida. Dessa forma, o espaço entre você e o volante praticamente não vai mais existir e, em caso de uma colisão ou freada brusca, você pode bater a barriga no volante, mesmo utilizando o cinto de segurança ou então o airbag pode machucar ao ser acionado, pois o mesmo não terá mais espaço para expandir.
Outra questão é que durante a condução do veículo, você pode passar por algum susto ou alguma situação que possa antecipar o parto e seu bebê nascer prematuro.
Converse com o seu obstetra pois cada gravidez é diferente uma da outra. Apesar de legalmente não existir uma proibição formal, pode ser que seu bebê precise de mais cuidados durante sua gestação.
RESUMO
1- A legislação não proíbe que mulher grávida dirija.
2- A maioria dos obstetras recomendam dirigir, no máximo, até o oitavo mês de gravidez.
3- Converse com seu obstetra para saber até quando você pode dirigir.
4- Use o cinto de segurança também se estiver no carro como passageira, mesmo que seja no banco de trás.

09:11 · 24.02.2018 / atualizado às 13:13 · 23.02.2018 por

Boletim Técnico, desenvolvido pelo CESVI/MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária) sobre sinalização do trânsito, confira arte abaixo

15:10 · 31.01.2018 / atualizado às 15:10 · 31.01.2018 por

Coordenador dos Centros Automotivos Porto Seguro ressalta principais itens de segurança


Os meses de janeiro e fevereiro, no Ceará, são acompanhados de uma mudança climática. A pré-estação é caracterizada por chuvas ocasionais em diversas regiões do Estado. Assim, é necessário que os condutores fiquem atentos à manutenção do carro, em busca de aumentar a segurança e evitar transtornos no caminho. Com o objetivo de auxiliar os condutores em seus trajetos diários, o coordenador dos centros Automotivos Porto Seguro, Ronaldo Espindola, destaca algumas dicas para uma condução segura.


Fique atento aos limpadores
Ter uma boa visibilidade é essencial para manter a segurança na época de chuvas, por isso, o limpador de para-brisa deve estar em perfeito estado. Riscos de borracha no vidro e o som emitido pela peça são indícios de que está na hora de mudar a peça.
Verifique os faróis e lanternas
Dias chuvosos requerem o farol aceso, porque tendem ser naturalmente mais escuros. Por isso e por uma questão de segurança, o motorista deve estar atento na revisão das luzes dos faróis e lanternas.


Os pneus devem estar em perfeito estado
A aquaplanagem é um fenômeno conhecido por muitos motoristas, que praticamente perdem o controle do carro devido à falta de contato entre o pneu e o chão. Assim, é essencial que o condutor confira sempre o estado dos pneus, medindo a profundidade dos sulcos dos pneus (ranhuras na borracha) do veículo, pois são eles que apontam a condição atual da borracha.


A manutenção dos freios deve estar em dia
Manter o sistema de freios, que inclui discos, cilindros, etc, em boas condições é essencial para o bom funcionamento do veículo e para garantir a segurança do motorista. Por isso, é importante que o motorista se atente a ruídos ou demora ao frear, pois são alguns indícios da necessidade de manutenção.
Verifique o sistema de circulação de ar
É necessário realizar manutenção das entradas de ar e do sistema de ventilação, independente do veículo possuir ou não ar condicionado, já que, em casos de opacidade do vidro, eles resolvem o problema de maneira mais rápida, evitando que o motorista corra riscos.


E se entrar água no veículo? Em casos de enchentes, não é recomendável que o motorista ligue o carro. Isso porque, a invasão da água pode causar a paralisação e até a perda do motor. O recomendável é que o motorista mantenha a calma e acione o guincho. Após a retirada do veículo com segurança, o motorista deve levá-lo para uma revisão geral.

15:09 · 04.01.2018 / atualizado às 15:09 · 04.01.2018 por

Cuidar da pintura e do estofado do carro é a melhor forma de prevenir danos causados pela exposição solar. O especialista Eduardo Sampel de empresa especializada em estética automotiva, recomenda fazer uma boa limpeza e a prevenção, aplicando alguma proteção na pintura que pode ser cera ou outros produtos com ação mais duradoura contra ação das condições climáticas, como selante, revestimento cerâmico e revestimento cerâmico autorregenerativo. Ele explica que a cera protege por 1 mês, a ação do selante é de seis meses, o revestimento cerâmico dura 1 ano e o autorregenerativo conserva por cinco anos a pintura e tem como diferencial a capacidade de eliminar microrriscos com ação do calor, temperatura acima de 60 Cº, o mais novo tratamento que chega ao mercado brasileiro que usa nanotecnologia.


Outro detalhe importante é não usar água de reuso para lavar o carro, pois possui várias substâncias que mancham a pintura e depois só saem com polimento.
Nos estofados do carro que podem sofrer com a ação do sol, areia e roupa molhada, Sampel revela que é importante aplicar uma proteção que impermeabiliza com duração de 1 ano. Nas partes de plástico, como painel e laterais das portas e para-choque, o ideal é passar um revitalizador que previne o ressecamento causado pelo sol. No caso do vidro do para-brisa, é recomendado fazer cristalização para ajudar a repelir a água com mais facilidade.

15:17 · 26.12.2017 / atualizado às 15:18 · 26.12.2017 por

Habilitação de plástico e com chip é mais uma novidade em um processo que conta, por exemplo, com o simulador de direção e aulas mais modernas
O brasileiro que deseja habilitar-se para dirigir vem acompanhando importantes mudanças nesse processo ao longo dos últimos anos.  No último dia 23 de dezembro foi celebrado o Dia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e as atualizações anunciadas no formato do documento no início deste mês – que será de plástico e trará um chip – são apenas algumas delas. Isso porque, no caminho para obtê-la, evoluções também ocorreram em cada uma das etapas. A começar pelo estágio teórico, que hoje pode contar com aulas mais interativas e com elementos digitais, tornando-se mais atraentes aos alunos, chegando até o momento pré-prático, com tecnologia de ponta utilizada em todo o Brasil com o simulador de direção veicular.
De acordo com o Governo Federal, a transformação da CNH facilitará a fiscalização, podendo ser feita usando um celular, por exemplo. Os órgãos de trânsito terão até 1º janeiro de 2019 para adequar seus sistemas e emitir o novo documento.
“Estamos acompanhando um momento de transformação na formação do motorista brasileiro. Depois de termos o simulador de direção, o monitoramento por câmeras nas aulas práticas, a tecnologia já levada ao processo de habilitação, não poderíamos deixar a CNH em si de fora. Com isso, esse modelo é uma proposta de inovação. Quem ganha é a sociedade, pois passa a ter condutores com uma preparação mais eficiente e um modelo de documento alinhado ao que há de mais moderno”, comentou a especialista em segurança e educação no trânsito, Roberta Torres. Segundo dados da Associação Nacional dos Detrans (AND), o Brasil tem cerca de 60 milhões de motoristas.
CNH Digital
Antes mesmo do anúncio da nova CNH de plástico e com chip, Goiás e Distrito Federal são dois exemplos que aderiram ao formato digital do documento. O modelo traz um QR Code para acessar as informações do condutor– o que é possível via celular.
Sobre a ProSimulador
A ProSimulador faz parte do Grupo Tecnowise, que atua há 30 anos no mercado de tecnologia, infraestrutura e desenvolvimento de soluções para os segmentos de trânsito, veículos, simulação e mobilidade humana, e é responsável pela produção de equipamentos de simulação, como os simuladores de direção veicular. A empresa integra a Associação Nacional de Fabricantes de Simuladores Profissionais (ANFASP) e é apoiadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa do Governo do Estado de São Paulo que busca reduzir pela metade o número de vítimas nos acidentes de trânsito no estado até 2020 – e do Observatório Nacional de Segurança Viária.

 

15:27 · 18.09.2017 / atualizado às 15:27 · 18.09.2017 por

Veículos devem ter mais de 30 anos e manter, pelo menos, 80% da originalidade
Um veículo das décadas de 1970, 1980 ou 1990, que não é mais fabricado, pode ser considerado antigo. Esses modelos considerados “clássicos” são relembrados por motoristas apaixonados pelo seu design, desempenho e até charme. Contudo, para quem é fã e pretende investir nesse mercado, conseguir a permissão de transitar com a famosa ‘placa preta’ exige que o proprietário siga alguns critérios de avaliação. Por isso, o CESVI BRASIL/MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária) preparou algumas orientações que podem ajudar o futuro empreendedor nesse processo.

Por atuar nesse mercado, Gerson Burin, coordenador técnico do CESVI/MAPFRE, reuniu algumas dicas simples que podem auxiliar na preservação e cuidados do veículo. “De acordo com a Federação Brasileira dos Veículos Antigos (FBVA), para que qualquer modelo se encaixe na categoria ‘placa preta’ é necessário que ele tenha, no mínimo, 30 anos. Além do tempo de fabricação do carro, é preciso manter pelo menos 80% da originalidade, ou seja, o motorista deve realizar o mínimo de modificações, reparos internos e repintura para garantir o Certificado de Originalidade”, comenta.
Além de ficar atento a esses dois aspectos principais, vale lembrar que, antes de apostar em ter um veículo antigo, o condutor deve estar preparado para encarar muito trabalho, aumentar os seus gastos e conhecer um pouco mais do mercado automotivo. Por isso, todo cuidado com as peças e a pintura quem mantém o ar vintage do carro é essencial.

Carros de antigomobilistas cearenses

De acordo com o especialista, é comum que carros antigos fiquem expostos às condições do tempo por longos períodos, sem atividade. “O importante é colocar o carro para andar com frequência, movimentar os fluidos, óleos e combustível para evitar o ressecamento de peças, mangueiras e até do sistema de freios e embreagem”, finaliza Burin.
Confira abaixo algumas dicas rápidas de cuidados com carros antigos:
Manutenção – Carro antigo é composto de muitas peças raras e que geralmente são caras. É por isso que bancar um modelo desses não costuma ser uma tarefa das mais baratas para o colecionador. Antes de sair com o carro, faça uma revisão da parte mecânica e elétrica.
Pneus – Até podem estar novos e brilhando, mas caso estejam fora da data de validade (DOT com mais de 5 anos), sua segurança pode estar comprometida enquanto dirige. Fique atento.
Palhetas – Falta de uso causa ressecamento. Neste estágio, elas perdem eficiência na limpeza e podem riscar o para-brisa por conta do acúmulo de sujeira. E, em carros antigos, para-brisas raros são mais caros e difíceis de encontrar em caso de troca ou reparação.
Pintura – Quando original, a pintura por ser de componentes inferiores às pinturas automotivas atuais acabam ficando foscas e, com o tempo, perde o brilho, principalmente se o carro fica exposto ao sol e sereno. Para lavar o seu modelo antigo em casa, use detergentes neutros com um pano macio e evite aplicar cera ao sol para evitar manchas na pintura.
Para mais informações sobre o CESVI/MAPFRE, basta acessar o site www.cesvibrasil.com.br.
Sobre o CESVI BRASIL/MAPFRE
Fundado em 1994, o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), pertencente ao Grupo MAPFRE, é o único centro de pesquisa brasileiro dedicado à segurança viária e veicular e à disseminação de informação técnica para o setor e também para a sociedade. Foi o primeiro centro da América Latina e é membro do RCAR (Research Council for Automobile Repairs), uma associação internacional de centros de pesquisas de seguros com os mesmos objetivos. Para conhecer as atividades do CESVI, acesse www.cesvibrasil.com.br, e também acompanhe as novidades pelo Twitter, Facebook, e YouTube em: www.twitter.com/cesvibrasil, www.facebook.com/cesvibrasil, www.youtube.com/user/cesvibrasil. Mais informações sobre reparação automotiva também podem ser acessadas no blog: www.clubedasoficinas.com.br