Blog do Automóvel

Categoria: Serviço


15:10 · 31.01.2018 / atualizado às 15:10 · 31.01.2018 por

Coordenador dos Centros Automotivos Porto Seguro ressalta principais itens de segurança


Os meses de janeiro e fevereiro, no Ceará, são acompanhados de uma mudança climática. A pré-estação é caracterizada por chuvas ocasionais em diversas regiões do Estado. Assim, é necessário que os condutores fiquem atentos à manutenção do carro, em busca de aumentar a segurança e evitar transtornos no caminho. Com o objetivo de auxiliar os condutores em seus trajetos diários, o coordenador dos centros Automotivos Porto Seguro, Ronaldo Espindola, destaca algumas dicas para uma condução segura.


Fique atento aos limpadores
Ter uma boa visibilidade é essencial para manter a segurança na época de chuvas, por isso, o limpador de para-brisa deve estar em perfeito estado. Riscos de borracha no vidro e o som emitido pela peça são indícios de que está na hora de mudar a peça.
Verifique os faróis e lanternas
Dias chuvosos requerem o farol aceso, porque tendem ser naturalmente mais escuros. Por isso e por uma questão de segurança, o motorista deve estar atento na revisão das luzes dos faróis e lanternas.


Os pneus devem estar em perfeito estado
A aquaplanagem é um fenômeno conhecido por muitos motoristas, que praticamente perdem o controle do carro devido à falta de contato entre o pneu e o chão. Assim, é essencial que o condutor confira sempre o estado dos pneus, medindo a profundidade dos sulcos dos pneus (ranhuras na borracha) do veículo, pois são eles que apontam a condição atual da borracha.


A manutenção dos freios deve estar em dia
Manter o sistema de freios, que inclui discos, cilindros, etc, em boas condições é essencial para o bom funcionamento do veículo e para garantir a segurança do motorista. Por isso, é importante que o motorista se atente a ruídos ou demora ao frear, pois são alguns indícios da necessidade de manutenção.
Verifique o sistema de circulação de ar
É necessário realizar manutenção das entradas de ar e do sistema de ventilação, independente do veículo possuir ou não ar condicionado, já que, em casos de opacidade do vidro, eles resolvem o problema de maneira mais rápida, evitando que o motorista corra riscos.


E se entrar água no veículo? Em casos de enchentes, não é recomendável que o motorista ligue o carro. Isso porque, a invasão da água pode causar a paralisação e até a perda do motor. O recomendável é que o motorista mantenha a calma e acione o guincho. Após a retirada do veículo com segurança, o motorista deve levá-lo para uma revisão geral.

15:09 · 04.01.2018 / atualizado às 15:09 · 04.01.2018 por

Cuidar da pintura e do estofado do carro é a melhor forma de prevenir danos causados pela exposição solar. O especialista Eduardo Sampel de empresa especializada em estética automotiva, recomenda fazer uma boa limpeza e a prevenção, aplicando alguma proteção na pintura que pode ser cera ou outros produtos com ação mais duradoura contra ação das condições climáticas, como selante, revestimento cerâmico e revestimento cerâmico autorregenerativo. Ele explica que a cera protege por 1 mês, a ação do selante é de seis meses, o revestimento cerâmico dura 1 ano e o autorregenerativo conserva por cinco anos a pintura e tem como diferencial a capacidade de eliminar microrriscos com ação do calor, temperatura acima de 60 Cº, o mais novo tratamento que chega ao mercado brasileiro que usa nanotecnologia.


Outro detalhe importante é não usar água de reuso para lavar o carro, pois possui várias substâncias que mancham a pintura e depois só saem com polimento.
Nos estofados do carro que podem sofrer com a ação do sol, areia e roupa molhada, Sampel revela que é importante aplicar uma proteção que impermeabiliza com duração de 1 ano. Nas partes de plástico, como painel e laterais das portas e para-choque, o ideal é passar um revitalizador que previne o ressecamento causado pelo sol. No caso do vidro do para-brisa, é recomendado fazer cristalização para ajudar a repelir a água com mais facilidade.

15:17 · 26.12.2017 / atualizado às 15:18 · 26.12.2017 por

Habilitação de plástico e com chip é mais uma novidade em um processo que conta, por exemplo, com o simulador de direção e aulas mais modernas
O brasileiro que deseja habilitar-se para dirigir vem acompanhando importantes mudanças nesse processo ao longo dos últimos anos.  No último dia 23 de dezembro foi celebrado o Dia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e as atualizações anunciadas no formato do documento no início deste mês – que será de plástico e trará um chip – são apenas algumas delas. Isso porque, no caminho para obtê-la, evoluções também ocorreram em cada uma das etapas. A começar pelo estágio teórico, que hoje pode contar com aulas mais interativas e com elementos digitais, tornando-se mais atraentes aos alunos, chegando até o momento pré-prático, com tecnologia de ponta utilizada em todo o Brasil com o simulador de direção veicular.
De acordo com o Governo Federal, a transformação da CNH facilitará a fiscalização, podendo ser feita usando um celular, por exemplo. Os órgãos de trânsito terão até 1º janeiro de 2019 para adequar seus sistemas e emitir o novo documento.
“Estamos acompanhando um momento de transformação na formação do motorista brasileiro. Depois de termos o simulador de direção, o monitoramento por câmeras nas aulas práticas, a tecnologia já levada ao processo de habilitação, não poderíamos deixar a CNH em si de fora. Com isso, esse modelo é uma proposta de inovação. Quem ganha é a sociedade, pois passa a ter condutores com uma preparação mais eficiente e um modelo de documento alinhado ao que há de mais moderno”, comentou a especialista em segurança e educação no trânsito, Roberta Torres. Segundo dados da Associação Nacional dos Detrans (AND), o Brasil tem cerca de 60 milhões de motoristas.
CNH Digital
Antes mesmo do anúncio da nova CNH de plástico e com chip, Goiás e Distrito Federal são dois exemplos que aderiram ao formato digital do documento. O modelo traz um QR Code para acessar as informações do condutor– o que é possível via celular.
Sobre a ProSimulador
A ProSimulador faz parte do Grupo Tecnowise, que atua há 30 anos no mercado de tecnologia, infraestrutura e desenvolvimento de soluções para os segmentos de trânsito, veículos, simulação e mobilidade humana, e é responsável pela produção de equipamentos de simulação, como os simuladores de direção veicular. A empresa integra a Associação Nacional de Fabricantes de Simuladores Profissionais (ANFASP) e é apoiadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa do Governo do Estado de São Paulo que busca reduzir pela metade o número de vítimas nos acidentes de trânsito no estado até 2020 – e do Observatório Nacional de Segurança Viária.

 

15:27 · 18.09.2017 / atualizado às 15:27 · 18.09.2017 por

Veículos devem ter mais de 30 anos e manter, pelo menos, 80% da originalidade
Um veículo das décadas de 1970, 1980 ou 1990, que não é mais fabricado, pode ser considerado antigo. Esses modelos considerados “clássicos” são relembrados por motoristas apaixonados pelo seu design, desempenho e até charme. Contudo, para quem é fã e pretende investir nesse mercado, conseguir a permissão de transitar com a famosa ‘placa preta’ exige que o proprietário siga alguns critérios de avaliação. Por isso, o CESVI BRASIL/MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária) preparou algumas orientações que podem ajudar o futuro empreendedor nesse processo.

Por atuar nesse mercado, Gerson Burin, coordenador técnico do CESVI/MAPFRE, reuniu algumas dicas simples que podem auxiliar na preservação e cuidados do veículo. “De acordo com a Federação Brasileira dos Veículos Antigos (FBVA), para que qualquer modelo se encaixe na categoria ‘placa preta’ é necessário que ele tenha, no mínimo, 30 anos. Além do tempo de fabricação do carro, é preciso manter pelo menos 80% da originalidade, ou seja, o motorista deve realizar o mínimo de modificações, reparos internos e repintura para garantir o Certificado de Originalidade”, comenta.
Além de ficar atento a esses dois aspectos principais, vale lembrar que, antes de apostar em ter um veículo antigo, o condutor deve estar preparado para encarar muito trabalho, aumentar os seus gastos e conhecer um pouco mais do mercado automotivo. Por isso, todo cuidado com as peças e a pintura quem mantém o ar vintage do carro é essencial.

Carros de antigomobilistas cearenses

De acordo com o especialista, é comum que carros antigos fiquem expostos às condições do tempo por longos períodos, sem atividade. “O importante é colocar o carro para andar com frequência, movimentar os fluidos, óleos e combustível para evitar o ressecamento de peças, mangueiras e até do sistema de freios e embreagem”, finaliza Burin.
Confira abaixo algumas dicas rápidas de cuidados com carros antigos:
Manutenção – Carro antigo é composto de muitas peças raras e que geralmente são caras. É por isso que bancar um modelo desses não costuma ser uma tarefa das mais baratas para o colecionador. Antes de sair com o carro, faça uma revisão da parte mecânica e elétrica.
Pneus – Até podem estar novos e brilhando, mas caso estejam fora da data de validade (DOT com mais de 5 anos), sua segurança pode estar comprometida enquanto dirige. Fique atento.
Palhetas – Falta de uso causa ressecamento. Neste estágio, elas perdem eficiência na limpeza e podem riscar o para-brisa por conta do acúmulo de sujeira. E, em carros antigos, para-brisas raros são mais caros e difíceis de encontrar em caso de troca ou reparação.
Pintura – Quando original, a pintura por ser de componentes inferiores às pinturas automotivas atuais acabam ficando foscas e, com o tempo, perde o brilho, principalmente se o carro fica exposto ao sol e sereno. Para lavar o seu modelo antigo em casa, use detergentes neutros com um pano macio e evite aplicar cera ao sol para evitar manchas na pintura.
Para mais informações sobre o CESVI/MAPFRE, basta acessar o site www.cesvibrasil.com.br.
Sobre o CESVI BRASIL/MAPFRE
Fundado em 1994, o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), pertencente ao Grupo MAPFRE, é o único centro de pesquisa brasileiro dedicado à segurança viária e veicular e à disseminação de informação técnica para o setor e também para a sociedade. Foi o primeiro centro da América Latina e é membro do RCAR (Research Council for Automobile Repairs), uma associação internacional de centros de pesquisas de seguros com os mesmos objetivos. Para conhecer as atividades do CESVI, acesse www.cesvibrasil.com.br, e também acompanhe as novidades pelo Twitter, Facebook, e YouTube em: www.twitter.com/cesvibrasil, www.facebook.com/cesvibrasil, www.youtube.com/user/cesvibrasil. Mais informações sobre reparação automotiva também podem ser acessadas no blog: www.clubedasoficinas.com.br

12:50 · 08.08.2017 / atualizado às 12:50 · 08.08.2017 por

O Caripeças 2017 – Feira do Setor Automotivo do Cariri promete esquentar os negócios no setor de autopeças, motopeças, acessórios, refrigeração, serviços e reparação automotiva na região;
Promovida pelo Sistema Sincopeças/Assopeças (CE), o evento acontece pela sétima vez, em Juazeiro do Norte, reunindo a cadeia produtiva do setor para o lançamento de produtos, serviços e tecnologias. A expectativa é reunir 4 mil pessoas, a partir desta quarta (9) até sexta (11 de agosto), das 18h às 22h, no Pavilhão de Eventos do Sebrae/Juazeiro

 


O objetivo é estabelecer e aprimorar o mercado, promover o relacionamento, formalizar parcerias e gerar negócios, além de promover atualização e conhecimento para os participantes, empresários, comerciantes e demais profissionais do setor.
Consolidando-se no calendário de eventos da região do Cariri, o Caripeças proporciona maior integração entre as empresas varejistas e a rede distribuidora de peças, para levar conhecimento, atualização e potencializar negócios em uma das principais áreas do Nordeste.


Dentre as empresas expositoras: Auto Norte, Bezerra Oliveira/Nosso Estoque, Cacique Lubrificantes/Ipiranga, Columbia, Eletroparts, Gerardo Bastos, Jota Motos, Lubnorte, Mobensani, Padre Cícero, Pellegrino, Pneus Canteiros, Primos Motos, SD Pneus e SK Automotive.
Centro Técnico Modelo
Um dos destaques da programação é o Centro Técnico Modelo, espaço direcionado ao conhecimento onde a indústria tem a oportunidade de repassar aos profissionais do setor automotivo as aplicações, tecnologias e novas informações.
Com mini palestras técnicas e demonstrações práticas, o CTM promove a reciclagem do conhecimento e capacitação da mão de obra da região. Serão montadas também neste espaço, salas de aulas onde deverão ser ministrados minicursos durante os dias de evento.
No espaço, a Pellegrino promove no dia 10/08 palestra sobre “Sistema de Arrefecimento”, abordando os tipos de suspensão e seus componentes e os problemas no campo. No dia 11/08, a empresa abordará outros dois temas: “Sistema de Suspensão” e “Sistema de Transmissão Componentes de Cardan. Todas serão ministradas por Eduardo Pereira, da Nakata.


Também na sexta, 11/8, a Lubnorte promove palestra sobre “Combustíveis e Lubrificantes” mostrando como aumentar a vida útil do motor, intervalo de troca e economia de combustível, dentre outros. O palestrante é Robson Montenegro, da Texaco.
As inscrições já estão abertas. Para participar, basta efetuar sua inscrição online pelo site www.ssa-ce.com.br/caripecas.


Mais informações: 85 3206-6191 ou no site www.ssa-ce.com.br
I

05:51 · 27.03.2017 / atualizado às 19:54 · 26.03.2017 por

As principais características dos fluidos de freio, revisão, manutenção e informações completas sobre o seu sistema de acionamento garantem uma pilotagem segura


Toda Harley-Davidson possui inúmeros componentes que requerem manutenção regular que garantem o ótimo desempenho da motocicleta de forma segura, conforme indicado no manual do proprietário e no manual de serviço de cada um dos modelos da marca. Porém, um dos principais componentes das motos acaba sendo ignorado ou até esquecido: os freios.
Parte da manutenção necessária nas motocicletas H-D que utilizam o fluido de freio DOT 4 em seus sistemas, consiste em trocá-lo a cada dois anos. Essa troca é necessária pois, conforme o fluido de freio envelhece, suas propriedades químicas se deterioram e, se não for substituído, pode ocasionar danos ao sistema de frenagem.
Os freios podem desenvolver uma enorme quantidade de calor, particularmente quando usados de maneira repetida ou dependendo do modo como são acionados. O calor pode aumentar muito a ponto de fazer com que o fluido no sistema entre em ebulição. Assim, outra coisa a ser considerada sobre o fluido de freio é o seu ponto de ebulição, que pode ser afetado pelo teor de água absorvido. O DOT 4 tem como base o glicol e é higroscópico, ou seja, absorve água. A ebulição converte qualquer água do fluido em gás. Como o gás pode ser mais comprimido e o líquido não, quando o fluido de freio entra em ebulição, pode fazer com que a alavanca ou o pedal do freio fiquem mais “soltos” e exija que o piloto bombeie os freios para criar pressão suficiente para, então , a velocidade da motocicleta.


Em última análise, a deterioração química e a absorção de água alteram as propriedades físicas do fluido de freio DOT 4, o que pode levar a problemas no seu desempenho, incluindo perda de frenagem dianteira ou traseira.
O fluido do freio (de qualquer tipo, não apenas o DOT 4) também deve ser reposto toda vez que uma das situações abaixo acontecer:
• depois que a tubulação do freio, o cilindro-mestre ou a pinça de freio forem desmontados;
• sempre que a alavanca ou o pedal do freio parecer “esponjoso”;
• a qualquer momento em que o sistema de freio tiver sido acionado em um estado “esponjoso”, provocado por fluido em ebulição, mesmo se o funcionamento tiver voltado ao normal.
Todas as concessionárias autorizadas Harley-Davidson têm uma ferramenta para medir, com precisão, o teor de água no fluido de freio DOT 4. Se um técnico especializado da H-D descobrir que o fluido de freio da motocicleta tem teor de água de 3,7% ou mais por volume, ele recomendará a troca do fluido, mesmo se a última tiver sido realizada a menos de dois anos. Com relação ao tempo empregado no serviço, geralmente o técnico especializado costuma fazer a troca do fuido de freio de meia hora a uma hora e meia (para freios não ABS).
As motocicletas H-D com ABS também precisam do uso de uma ferramenta específica de diagnóstico, chamada Digital Technician II, para “sangrar” o sistema adequadamente. É imprescindível saber que o fluido de freio pode ser corrosivo para a pintura, portanto, os técnicos da H-D são treinados para proteger todo o acabamento da motocicleta, no caso de espirros ou derramamentos.
“Recomendamos aos nossos clientes atenção constante para com suas motocicletas, e que no momento da revisão e da manutenção, procurem uma de nossas concessionárias autorizadas em todo o Brasil. Dessa forma, poderão tirar o máximo de proveito do desempenho de suas motos tanto nas ruas quanto nas estradas, além de desfrutarem de toda a experiência que a nossa marca proporciona”, destaca Flavio Villaça, gerente de marketing da Harley-Davidson do Brasil.
O site da H-DB possui informações completas de sua rede de concessionárias no País. A companhia recomenda o agendamento prévio dos serviços de oficina oferecidos a seus clientes, principalmente no que diz respeito a manutenção e revisão das motocicletas, de acordo com as especificações de fábrica e garantia de seus produtos.

14:57 · 09.01.2017 / atualizado às 14:57 · 09.01.2017 por

O governador Camilo Santana inaugura, nesta terça-feira (10), a unidade de atendimento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no Shopping Iguatemi, Fortaleza. A solenidade acontece às 10h30 na Alameda de Serviços do Iguatemi Expansão.
Serviço:
Inauguração da nova sede do Detran no Shopping Iguatemi
Data: 10 de janeiro de 2017
Hora: 10h30
Local: Alameda de Serviços/Subsolo Expansão – Shopping Iguatemi Av. Washington Soares, 85 – Edson Queiroz. Fortaleza/Ceará

12:04 · 21.12.2016 / atualizado às 12:04 · 21.12.2016 por

Meu Detran garante aos serviços online mais segurança e praticidade
O Ceará tem 2 milhões e 900 mil veículos registrados, destes 1 milhão e 100 deles estão nas ruas e avenidas da grande Fortaleza. E para facilitar a vida dos proprietários e motoristas cearenses, o Detran CE vem investindo na ampliação dos seus serviços online

No último dia 22 de novembro foi anunciado a disponibilização do primeiro emplacamento e da transferência de veículo pela página oficial do orgão na internet. O que muita gente esquece é que, desde 2011, o Detran criou um dos mais interessantes serviços disponíveis para o cidadão, o “Meu Detran”. Também disponível no site oficial, o “Meu Detran” permite que cada pessoa tenha o seu próprio cadastro acessível a qualquer momento, como uma página pessoal, que registra o histórico do relacionamento do cidadão com o Detran e ainda oferece os seguintes serviços:
Habilitação:
– Alertas sobre a validade da CNH
– Quantidade de pontos da CNH
Veículo
– Novas multas de trânsito( aguardando consistência).
– Veículo com comunicação de venda.
– Alerta sobre o vencimento do licenciamento do veículo.
– Alerta sobre inspeção GNV
– Quantidade de multas ativas.
– Alerta de débito de IPVA.
– Alerta de débito de licenciamento.
Transporte
– Quantidade de autuações ativas ou não.
– Alerta de documentação/ vistoria vencidos ou há vencer.
Vale ressaltar que ao cadastrar-se no “Meu Detran”, a pessoa passa também a contar com um importante dispositivo de segurança, pois qualquer que seja a movimentação que ocorra envolvendo nome ou veículo cadastrado, gerará um alerta para o usuário. Atualmente, apenas 43.993 pessoas utilizam o “Meu Detran”.

10:40 · 21.11.2016 / atualizado às 10:40 · 21.11.2016 por

Para evitar fraudes relacionadas à adulteração do hodômetro é importante investir no serviço de vistoria veicular, garante o perito automobilístico e diretor da Procemax, Matheus de Almeida
O setor de automóveis usados está aquecido. Segundo dados recentes da Cetip, a compra a prazo desses veículos (com 9 a 12 anos de uso) avançou 6,9% de janeiro a junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Com o mercado em alta, cresce também o número de pessoas que tentam camuflar os defeitos do carro para conseguir vendê-los. Uma prática comum é a adulteração do hodômetro, equipamento utilizado para medir a distância percorrida por um veículo.

Fique atento ao golpe do hodômetro adulterado
Fique atento ao golpe do hodômetro adulterado

Existem dois tipos de hodômetro: os analógicos e os digitais. Os hodômetros digitais, em substituição aos analógicos, são muito mais utilizados nos dias de hoje, principalmente porque diminuem as probabilidades de adulteração do aparelho. No entanto, nem a tecnologia impede a fraude. “A adulteração dos hodômetros digitais é feita de maneira bem simples e não leva mais do que 20 minutos. Vale lembrar que a adulteração somente ocorre no painel de instrumentos deixando, muitas vezes, a central eletrônica do veículo ainda registrando a quilometragem original. Dessa forma, a detecção da fraude se dá pela leitura da central eletrônica, e não do painel de instrumentos”, explica o perito automobilístico e diretor da Procemax, Matheus de Almeida.
A prática da adulteração do hodômetro não segue um padrão. “Geralmente veículos adulterados são aqueles que são bem conservados, mas que possuem alta quilometragem. Veículos que trafegam mais em rodovias tendem a sofrer um desgaste 4x menor do que um veículo que trafega mais no trânsito urbano. Ao contrário do que muitos pensam, o que vale para determinar o desgaste dos componentes mecânicos de um veículo é o número de horas de trabalho e não sua quilometragem”, salienta Almeida.

Digital ou analógico, o hodômetro pode ter fraudes para aumentar o valor do veículo no mercado
Digital ou analógico, o hodômetro pode ter fraudes para aumentar o valor do veículo no mercado

Para ajudar as pessoas a efetuarem uma compra segura, evitando que caiam em armadilhas como a do hodômetro adulterado, a empresa mineira Procemax oferece um serviço especializado em vistoria veicular, avaliando mais de 150 itens do carro. Na vistoria completa, por exemplo, é realizada a leitura da central eletrônica do veículo em busca de divergências com os dados apresentados no manual de manutenção e no hodômetro. Além disso, é verificada a causa para o desgaste acentuado de componentes mecânicos que se mostram incompatíveis com a quilometragem informada no hodômetro.

Serviço:
Procemax
Endereço: Av. Guarapari, 37, sala 20 – Santa Amélia – Belo Horizonte/MG
Site: www.procemax.com.br

11:18 · 17.08.2016 / atualizado às 11:18 · 17.08.2016 por

Manter a manutenção do veículo em dia é uma garantia de segurança para condutores e passageiros, além de prolongar a vida útil de diversos componentes do automóvel.Veja dez dicas fundamentais para aumentar a vida  seus pneus, numa cortesia da Gerardo Bastos, empresa de Fortaleza e associada à ABRAPNEUS (Associação Brasileira de Revendedores de Pneus)

pneus
1 – Pressão dos pneus respeitando o manual do fabricante
Pesquisas apontam que 25% dos motoristas circulam com pressão dos pneus abaixo do recomendado pelo fabricante. Estudos indicam que 0,2 bar (aprox. 3 libras) abaixo da pressão recomendada pelo fabricante reduz em até 10% a vida útil do pneu. Se a pressão ficar 0,4 bar (aprox.5,8 libras) abaixo do recomendado, a vida útil do pneu pode cair até 25%. Rodar com 0.4 bares (aprox. 5,8 libras) abaixo da pressão recomendada aumenta em 2% o consumo de combustível.

Calibrar semanalmente o pneu é fundamental
Calibrar semanalmente o pneu é fundamental

2 – Pneus com desenho diferente no mesmo eixo: errado
Os pneus estão cada vez mais tecnológicos e nos últimos anos isto tem ajudado muito em sua durabilidade. Por outro lado, há novos fatores que devem ser considerados no momento da montagem, como por exemplo, o sentido de giro do pneu, lado de montagem, uso em estrada pavimentada ou terra e outros. Quando são instalados pneus com desenho de bandas diferentes no mesmo eixo, há uma perda considerável dos benefícios técnicos do pneu como, por exemplo, a diferença de aderência entre os lados, a capacidade de escoar água diferente entre os lados, geração de ruído diferente, resistência a rolagem diferente entre os lados e etc. Estas diferenças de performance entre os lados pode, em situações extremas, desestabilizar o veículo e colocar o motorista numa situação de risco.

Pneus novos ou seminovos valorizam na hora da venda
Pneus novos ou seminovos valorizam na hora da venda

3 – Respeitar a capacidade máxima de carga do veículo
Todo pneu possui um limite de carga estipulado pelo fabricante e informado na lateral do próprio pneu. Exceder este limite pode tornar o pneu muito suscetível a falhas, além de danificar sua estrutura e acelerar o desgaste da banda de rodagem. Uma combinação perigosa é pneu com baixa pressão e carga excessiva.

Mantenha sempre o alinhamento dos pneus: no volante você percebe a diferença se o carro puxar mais para um lado
Mantenha sempre o alinhamento dos pneus: no volante você percebe a diferença se o carro puxar mais para um lado

4 – Alinhamento correto para uma direção segura
Veículos desalinhados provocam diversos prejuízos e, entre os principais, destaca-se o desgaste prematuro de pneus e componentes da suspensão, além do aumento do consumo de combustível. Por se tratar de uma medição precisa de ângulos e tolerâncias milimétricas, a Gerardo Bastos mantem rigorosa manutenção e calibração de seus equipamentos. O técnico que executa a medição e correções necessárias precisa ser treinado frequentemente e ter amplo conhecimento da geometria de um veículo.
5 – Balanceamento em dia, direção sadia
O balanceamento consiste na correção de uma má distribuição de massas ao longo do conjunto pneu e roda e deve ser executado através da adição de pequenas massas (chumbinho) que compensarão esta irregularidade e deixarão equilibrado o conjunto pneu/roda. A falta de balanceamento causa desgaste irregular nos pneus e antecipa a troca do componente.
6 – Manter as válvulas de segurança protegidas
A falta da tampinha na válvula de segurança (bico de encher) pode gerar acúmulo de sujeira no seu interior e/ou danificar o núcleo da válvula e, em ambos os casos, haverá a perda de pressão dos pneus. A válvula de segurança resseca e trinca com o passar do tempo, e o principal motivo é a incidência do sol na borracha. É recomendada a troca das válvulas sempre que houver a troca dos pneus.
7 – Realizar o rodízio periodicamente
Os pneus dianteiros e traseiros dos veículos trabalham em situações diferentes mas que ocasionam em desgastes desiguais. Para aumentar a vida útil e o desempenho dos pneus mantendo um nível equivalente de desgaste entre todos com benefício à segurança, é essencial fazer o rodízio dos pneus do veículo conforme recomendação do fabricante. O ideal é realizar o rodízio a cada dez mil quilômetros, além de alinhamento e balanceamento a cada cinco mil quilômetros.
8 – Câmara de ar em pneus sem câmara é errado sim
A maioria dos pneus dos veículos leves atuais é de construção radial e não usam câmara de ar, ao contrário dos pneus de décadas atrás que eram majoritariamente de construção diagonal e utilizavam câmaras de ar. Instalar câmaras de ar em pneus originalmente sem câmaras pode provocar superaquecimento do pneu e deixa-lo numa situação de risco quanto à segurança.
9 – Continue com a mesma medida estabelecida pelo fabricante
A montadora, em conjunto com a fabricante do pneu, projeta a melhor especificação de pneu para cada veículo. Além disto, todo conjunto de suspensão e freio sofre influência do desempenho dos pneus, e vice versa. Alterar as medidas originais de fábrica pode colocar o veículo numa condição de dirigibilidade e estabilidade diferente do que ele foi projetado e, consequentemente, gerar uma condição de insegurança para o motorista.
10 – Direção agressiva é um perigo
Acelerações e frenagens bruscas, além de representarem um perigo para a vida do condutor, ocasionam um desgaste irregular e acentuado dos pneus.

Pesquisar

Blog do Automóvel

Blog da editoria Auto, do Diário do Nordeste, para coberturas em test drive, lançamentos de automóveis e salões e notícias sobre carros, motos e outros veículos.
Posts Recentes

12h10mNovo Camaro vai ser destaque no Salão do Automóvel de São Paulo 2018

11h10mAudi mostra sua linha de SUVs na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

02h10mConfira detalhes do primeiro carro elétrico feito no Brasil

10h10mSalão do Automóvel de São Paulo com novo lote de ingressos disponível

10h10mSetor de locação foi responsável por 1 em cada 4 veículos emplacados no primeiro semestre de 2018

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs