Busca

10:29 · 29.08.2018 / atualizado às 10:29 · 29.08.2018 por

Chevrolet está lançando a linha 2019 do Joy, versão de entrada do carro mais vendido do mercado brasileiro. Esta configuração chega para se juntar às recém-apresentadas LT, Advantage, Effect, LTZ e Activ, completando assim a atualização da gama Onix;  Onix Joy traz atualizações na parte interna e externa que ressaltam o caráter urbano do veículo e reforçam sua relação custo-benefício, por fora, as novidades começam pelo novo acabamento das lanternas e dos faróis


Enquanto os faróis adotam máscara negra com elementos cromados, as lanternas passam a ter detalhe fumê similar ao das configurações mais sofisticadas. As novas calotas seguem o mesmo princípio e se somam aos inéditos adesivos de coluna, agregando também um estilo mais contemporâneo ao conjunto.


Ofertado em configuração única de equipamentos, o Onix Joy foca no consumidor que busca um carro de entrada econômico, completo e, ao mesmo tempo, espaçoso para os padrões da categoria.
O modelo conta com equipamentos valorizados pelos usuários, como direção elétrica progressiva, transmissão de seis marchas, ar-condicionado, painel com velocímetro digital e conjunto elétrico para vidros dianteiros e para as travas das portas, tudo com acionamento remoto.
No interior as melhorias incluem novo revestimento dos bancos com costura pespontada, cinto de segurança de três pontos e apoio de cabeça traseiro centrais. A chave tipo canivete também é nova e passa a seguir o mesmo padrão estético da dos demais modelos de passeio da Chevrolet.
A preparação para sistema de áudio é outra novidade da linha 2019; inclui alto-falantes dianteiros, antena no teto e fiação com conectores tipo Plug&Play para a instalação de acessórios originais, como o novo multimídia, o Smart Media Joy. Conta com TV digital, tela Touch Screen, espelhamento para smartphone (Android e IOS) e entrada para câmera de ré.


A segunda versão mais emplacada da gama
A linha 2019 da versão de entrada da Chevrolet estreia nas lojas em agosto, mês em que o Onix atinge 36 meses consecutivos na liderança do mercado brasileiro – um recorde para o fabricante no país.
No ranking de vendas, o Joy é a segunda versão mais emplacada do Onix, atrás apenas da LT.
“Baixo custo de manutenção e alto valor de revenda reforçam a relação de atributos comerciais do Onix Joy, até por isso é muito procurado também por clientes frotistas”, destaca Rodrigo Fioco, diretor de Marketing de produto da Chevrolet.


O Onix Joy é equipado com motor 1.0 Flex de até 80 cavalos e transmissão manual de seis marchas com indicador de troca e monitoramento da pressão dos pneus para máxima eficiência energética. O modelo, aliás, figura entre os mais econômicos do país.

Consumo
De acordo com o Inmetro, o Chevrolet percorre, com gasolina, 15,2 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade. Com etanol, as médias são 10,5 km/l e 8,7 km/l, respectivamente.


Duplo airbag, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, alarme, sombreira do passageiro com espelho, cinto de segurança do motorista com regulagem de altura e aviso de não afivelamento completam a lista de itens de série.
O Onix Joy é ofertado em cinco opções de cores: Preto Ouro Negro, Branco Summit, Vermelho Chili, Cinza Graphite e Prata Shitchblade.

11:15 · 28.08.2018 / atualizado às 11:15 · 28.08.2018 por

· Protótipo com design e tecnologia
· Desenvolvido como um monoposto para a pista de corrida


Pela primeira vez, a Audi apresenta um conceito tecnológico e de design na Semana Automotiva de Pebble Beach, em Monterey, Califórnia. O modelo totalmente elétrico Audi PB18 e-tron traz uma visão radical do superesportivo de alta performance de amanhã. Amplo e plano, visivelmente inspirado em túneis de vento e nas pistas de corrida, sua presença sinaliza que o carro está destinado a ultrapassar limites. Seu conceito e linhas excitantes foram criados no novo estúdio de design da Audi em Malibu, na Califórnia – onde o estilo da marca está sendo constantemente atualizado para o futuro. As características técnicas do PB18 e-tron se beneficiaram dos muitos anos em que a Audi venceu a série de corridas de Le Mans. Os especialistas da Audi Sport GmbH foram responsáveis pela implementação. O nome PB18 e-tron se refere tanto ao local de Pebble Beach, escolhido para a estreia, quanto ao DNA tecnológico compartilhado com o bem-sucedido protótipo LPM1 R18 e-tron.
Conceitos consistentemente focados para o uso
À primeira vista, o PB18 e-tron mostra seu parentesco com outro carro-conceito espetacular da marca – o Aicon, de 2017. Isso é mostrado não apenas pelos elementos de design característicos, como as janelas laterais que se inclinam para dentro e os aros de roda extremamente estendidos. Os dois carros-conceito de 2017 e de 2018 compartilham ainda o sistema de condução elétrico com bateria em estado sólido para armazenamento de energia.
Mas seus respectivos conceitos focados para o uso os colocam em extremos opostos. Enquanto o Aicon foi projetado como um veículo de luxo totalmente autônomo para longas distâncias – um jato comercial para a estrada – os criadores do PB18 e-tron o projetaram como uma máquina automotiva radical para a pista de corrida e para a estrada. Dinamismo e emoção estão no topo da lista de especificações. Parâmetros como potência, aceleração lateral e ergonomia perfeita determinam cada detalhe. E a orientação ao motorista fica em uma dimensão totalmente nova.
O nome provisório para o projeto piloto era “Level Zero” – em uma forma explícita de diferenciá-lo dos Níveis 3, 4 e 5 de condução autônoma atualmente em foco na Audi. No PB18 e-tron, o motorista é quem conduz e pisa no acelerador e no freio. Dessa forma, não há sistemas complexos de direção pilotada a bordo ou equipamentos de conforto para deixar o carro mais pesado. Em vez disso, há um banco e um cockpit que estão integrados a um chassi monocoque interno que desliza lateralmente. Quando pilotado sozinho, o monocoque pode ser posicionado no centro do interior como em um monoposto – posição perfeita para uma pista de corrida. Isso foi possível graças ao design da direção e dos pedais, sem a necessidade de uma conexão mecânica entre os elementos de controle.
Gael Buzyn é o diretor do Audi Design Loft em Malibu – onde o PB18 e-tron nasceu. Ele descreve o item mais importante nas especificações: “Queríamos oferecer ao condutor uma experiência que seria possível apenas em um carro de corrida como no R18. Por isso desenvolvemos o interior em torno da posição de dirigir ideal no centro. Além disso, nosso objetivo também foi dar ao PB18 e-tron um alto grau de usabilidade diária, não apenas para o condutor, mas também para um eventual passageiro”.
Quando o monocoque do condutor desliza para a lateral, de onde o PB18 e-tron pode ser dirigido como um veículo convencional, há espaço para um passageiro. Um assento adicional pode ser acessado do outro lado, integrado bem próximo do piso e equipado com um cinto de segurança de três pontos. O condutor também se beneficia ao entrar e sair do veículo pela posição facilmente acessível do monocoque, que pode ser deslocada quando a porta estiver aberta até o limite.


Inspiração no automobilismo
O PB18 e-tron segue a arquitetura tradicional de um carro esportivo de motor central com uma cabine posicionada para frente. O centro de gravidade é localizado atrás dos assentos e na frente do eixo traseiro – o que auxilia na dinâmica de direção. Isso não envolve a unidade de transmissão do motor, como em um carro com sistema convencional, mas sim o conjunto de baterias.
Uma combinação de alumínio, carbono e compostos multimateriais garante que a carroceria do PB18 e-tron tenha um baixo peso. Não menos importante é a inovadora e leve bateria em estado sólido, que faz com que um peso de menos de 1.550 kg seja esperado.
O PB18 e-tron tem 4,53 metros de comprimento, 2m de largura e apenas 1,15m de altura. Apenas essas dimensões já configuram em um carro esportivo clássico. A distância entre eixos é de 2,7m e os balanços dianteiro e traseiro são compactos. Visto de lado, o olhar é atraído para a linha do teto levemente inclinada, que é puxada para trás, e para as colunas C robustas. Junto com a larga e quase vertical janela traseira, esse design lembra um conceito de shooting brake – a síntese de um cupê com a traseira de uma station wagon. O resultado é não apenas uma silhueta distinta, mas com seus 470 litros, um ótimo bônus em termos de espaço de porta-malas – quase sempre um problema em carros esportivos. Um conjunto exclusivo de malas personalizado para ser acomodado no espaço de carga ajuda a otimizar o uso do porta-malas – mesmo quando a bagagem deste carro seja apenas um capacete e um macacão de corrida.

Emoção sem emissões: três motores elétricos e tração quattro
O conceito usa três potentes motores elétricos – um na dianteira e dois na traseira. Os últimos estão localizados centralmente entre as juntas de direção, cada um acionando diretamente uma roda por meio de semieixos. Eles entregam potência de até 150 kW para o eixo dianteiro e 350 kW para o eixo traseiro – o PB18 e-tron é um legítimo quattro. A potência máxima é de 500 kW, mas com o overboost, o motorista pode ter à disposição até 570 kW temporariamente. O torque combinado de até 830 Nm permite uma aceleração de 0 a 100 km/h em pouco mais de dois segundos – uma velocidade extremamente próxima à de um protótipo atual da série LMP1.
No tráfego rodoviário, o motorista pode limitar a velocidade máxima em favor da autonomia. Essa limitação é fácil de desativar na pista e pode ser adaptada às condições locais.
O foco não está apenas no desempenho poderoso, mas também na eficiência máxima. Ao ser conduzido, o PB18 e-tron recupera grandes quantidades de energia: em uma frenagem moderada, os motores elétricos são os únicos responsáveis pela desaceleração do veículo. Os freios hidráulicos só entram em ação para frenagens pesadas.
O conceito de motores elétricos separados no eixo traseiro oferece grandes vantagens quando se fala de dirigibilidade esportiva. O Gerenciador de Controle de Torque, que trabalha em conjunto com o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), distribui ativamente a potência para as rodas dos eixos dianteiro e traseiro conforme a necessidade. Esse controle de torque fornece máxima dinâmica e estabilidade. Graças à resposta praticamente instantânea dos motores elétricos, as ações de controle são extremamente rápidas. O conceito de direção do PB18 e-tron se adapta perfeitamente a todas as situações, envolvendo dinâmicas transversais ou longitudinais.
A bateria em estado sólido com refrigeração líquida tem uma capacidade de energia de 95 kWh. Uma carga completa fornece uma autonomia de mais de 500 km no ciclo WLTP. O PB18 e-tron foi desenvolvido para ser carregado com uma tensão de 800 volts. Isso significa que a bateria pode ser totalmente recarregada em cerca de 15 minutos.
O PB18 e-tron também pode ser carregado sem fio via indução com o Audi Wireless Charging (AWC). Isso é feito colocando-se uma estação de carga com bobina integral no chão, onde o carro deve ser estacionado, e conectando-o à fonte de alimentação. O campo magnético alternado induz uma tensão alternada na bobina secundária instalada no piso do carro, por meio da saída de ar.
Alta tecnologia do esportivo LMP1: a suspensão
A dianteira e a traseira são equipadas com suspensões independentes nos braços transversais inferiores e superiores e, como comumente encontrado em carros de corrida, um sistema de haste no eixo dianteiro e um sistema de tração na traseira – em ambos os casos com amortecedores magnéticos adaptativos. A suspensão do R18 e-tron quattro serviu de modelo para a arquitetura básica.
As rodas medem 22 polegadas de diâmetro e são calçadas com pneus 275/35 na frente e 315/30 na traseira. Grandes discos de freio de carbono com 19 polegadas, em conjunto com o freio elétrico, desaceleram de forma firme e segura o PB18 e-tron até mesmo em condições de pista desafiadoras.

15:31 · 27.08.2018 / atualizado às 15:31 · 27.08.2018 por

Luxuosos de décadas do automobilismo são opções para coleção ou investimento

Alfa Romeo Spider

Um espetáculo de gerações sobre rodas. O encontro Brazil Classics Show deste ano, além de reunir uma série de automóveis antigos, também vai possibilitar o casamento entre os amantes dos carros de época com as máquinas que atravessaram décadas. Está aberto o leilão com as unidades elegantes que serão disputadas no evento que começa no próximo dia 5 de setembro na cidade de Araxá, em Minas Gerais. Na internet os lotes já estão disponíveis para lances no site da BRbid.
Dentre os lotes estão desde um Alfa Romeo Spider com lance inicial a partir de R$ 10 mil, um Rolls Royce com lance inicial em R$ 50 mil e até um De Soto Six de 1930 com lance inicial de R$ 35 mil. São quase 100 carros antigos em ótimo estado, com venda de ingressos limitados para o leilão presencial da noite do dia 7 de setembro.

Cadilac Eldorado
Fusca conversível

Os carros disponíveis para leilão não têm débitos e o novo dono terá apenas que transferir o veículo para o próprio nome. O catálogo também inclui Fusca de 1967 com primeiro valor em R$ 5,5 mil, Fusca Beeatle Conversível 1979 em R$ 11 mil, Cadilac Eldorado Custom Biarritz Classic 1971 em lance de R$ 11 mil, Kombi STD 1968 em R$ 21,5 mil e uma Mercedes Benz dos anos 90 em R$ 10,7 mil.

Fusca 1967

”O leilão de carros antigos ainda é uma novidade no Brasil, sendo uma prática mais comum no Estados Unidos. Alguns estudos de mercado apontam que os modelos antigos valorizam de ano em ano e são excelentes opções para colecionadores, investidores e entusiastas aplicarem dinheiro”, destaca o responsável pelo leilão José Paulo Parra, responsável pela organização do Circuito de Leilões de Veículos Antigos e Clássicos.

Kombi 1968
Rolls Royce

O leilão faz parte da programação do Brazil Classics Show que vai até o dia 9 de setembro. O evento tradicional está na 23ª edição e faz parte do calendário nacional do antigomobilismo. “É a oportunidade de aproximar as pessoas a esse universo incrível de automóveis antigos que foram ícones de suas épocas, marcaram gerações e carregam histórias únicas”, convida o CEO da BRbid, Acir Costa Filho.

12:41 · 22.08.2018 / atualizado às 12:43 · 22.08.2018 por

Veículo faz 50 anos e ganha mudanças; lançamento para a imprensa em Fortaleza será dia 30 de agosto e alguns lançamentos regionais já estão acontecendo. Em setembro já estará nas lojas

Com design frontal renovado e uma extensa lista de equipamentos que destacam a robustez, a nova Hilux 2019 chega ao mercado. A Linha 2019 segue equipada com motores Diesel e Flex. As transmissões para os modelos diesel são automática de seis velocidades sequencial para as versões SRX, SRV e SR e manual de seis velocidades para as versões Standard Power Pack, Standard Narrow, Cabine Simples e Cabine Chassi.

As versões Flexfuel trazem motorização Dual VVT-i Flex 2.7L 16V DOHC, e desempenham 163 cv de potência a 5.000 rpm, quando abastecidos com etanol, e 159 cv, também a 5.000 giros, com gasolina.

E o grande diferencial é a tecnologia de duplo comando de válvulas variável (Dual VVT-i), que atua no gerenciamento dos sistemas de admissão e escape da câmara de combustão, otimizando a queima do combustível de maneira inteligente.

São três versões dotadas de transmissão automática de seis velocidades sequencial: SRV 4×4 Cabine Dupla, SRV 4×2 e SR 4×2. Há ainda opção de transmissão manual de cinco velocidades, que é a SR 4×2.


Modelo, Versão e Preço
DIESEL 4X4
– SRX 50th Anniversary AT – R$ 196.990
SRV AT – R$ 179.990
SR AT – R$ 160.490
– STD Power Pack MT – R$ 140.490
– STD Narrow MT – R$ 138.010
– Cabine Simples MT – R$ 125.560
– Chassi e Cabine – R$ 121.530


FLEXFUEL
– SRV 4×4 AT – R$ 140.990
– SRV 4X2 AT – R$ 129.990
– SR 4X2 AT – R$ 117.990
– SR 4X2 MT – R$ 111.990

11:10 · 20.08.2018 / atualizado às 11:10 · 20.08.2018 por

· Roadshow vai percorrer o país até fevereiro de 2019
· R8 Coupé V10 plus, RS 6 Avant performance e TT RS são alguns dos modelos disponíveis para test-drive
· Johannes Roscheck, CEO da Audi do Brasil: “Nossos clientes de todo o país poderão sentir na pele toda a potência da nossa linha de superesportivos”

Em uma ação inovadora que ocorre pelo segundo ano consecutivo, o Audi Sport Experience (ASE) vem percorrendo desde junho concessionárias da marca em pontos estratégicos do país para oferecer test-drives de sua linha de esportivos. O evento contempla no total 20 cidades brasileiras nas quais a Audi está presente.
Seis modelos estarão disponíveis para que os clientes possam ter a experiência de dirigir os carros mais potentes da marca vendidos no Brasil: R8 Coupé V10 plus, RS 6 Avant performance, TT RS, RS 3 Sedan, RS Q3 e SQ5. Outros modelos da linha Audi Sport também deverão ser incorporados ao evento conforme forem lançados no Brasil, como o RS 4 Avant.
Cada cidade sedia o evento por três dias, e os test-drives são feitos por clientes e por convidados das concessionárias de cada localidade. As avaliações são acompanhadas por uma equipe oficial da empresa, que dá suporte para toda a operação.
“Nossa experiência com o Audi Sport Experience foi bastante positiva no ano passado e temos certeza que será um sucesso novamente. Os clientes podem sentir na pele toda a potência da nossa linha de superesportivos, que reúne não apenas um desempenho espetacular, mas ainda muito luxo, conforto e tecnologia, que são marcas registradas da Audi”, afirma Johannes Roscheck, presidente e CEO da Audi do Brasil.
Neste final de semana, o Audi Sport Experience está sendo realizado na Audi Center Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. O evento já passou por Alphaville e Itaim, na capital paulista, Campinas e Rio de Janeiro. A caravana seguirá então para Porto Alegre, Caxias do Sul, Blumenau, Santos, São Jose do Rio Preto, Campo Grande, Cuiabá, Goiânia, Brasília, Juiz de Fora, Salvador, Recife, João Pessoa, Fortaleza, Teresina e o encerramento será em Manaus, em fevereiro de 2019. O evento já percorreu três cidades desde junho, quando passou por São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro.

Audi R8 V10 Plus, uma das estrelas

O R8 Coupé V10 plus está entre os carros que participam da ação. O superesportivo tem desempenho de tirar o fôlego: é equipado com motor 5.2 V10 de 610 cv e acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,2 segundos. Já o RS 6 Avant performance tem motor 4.0 V8 TFSI com 605 cv de potência, e chega aos 100 km/h em apenas 3,7 segundos, considerado o station wagon mais rápido do mundo. Além destes modelos participam do roadshow o TT RS e o RS 3 Sedan, ambos equipados com o poderoso motor 2.5 de cinco cilindros com 400 cv, e os SUVs “apimentados” RS Q3 e SQ5 que, mesmo sendo carros familiares, entregam uma performance surpreendente.

Confira o cronograma do evento:
2018
16 a 18/8 – Ribeirão Preto
23 a 25/8 – Porto Alegre
30/8 a 1/9 – Caxias do Sul
13 a 15/9 – Blumenau
20 a 22/9 – Santos
27 a 29/9 – São José do Rio Preto
4 a 6/10 – Campo Grande
1 a 3/11 – Cuiabá
8 a 10/11 – Goiânia
14 a 17/11 – Brasília
22 a 24/11 – Juiz de Fora
29/11 a 1/12 – Salvador
2019
10 a 12/1 – Recife
17 a 19/1 – João Pessoa
24 a 26/1 – Fortaleza
31/1 a 2/2 – Teresina
21 a 23/2 – Manaus

08:43 · 20.08.2018 / atualizado às 21:48 · 19.08.2018 por

O novo T-Cross já está esquentando os motores para o lançamento. Dimensões de SUV e uma construção inteligente. Compatível com o uso na cidade, preparado para as pequenas e grandes aventuras da selva urbana e além. A estreia mundial oficial do T-Cross acontecerá no segundo semestre deste ano

Enquanto isso, a Volkswagen revela os primeiros detalhes deste SUV, que está quase pronto para a produção em série. Com este novo modelo, a Volkswagen irá expandir a gama de Sport Utility Vehicles (SUV). T-Cross, Tiguan Allspace e Touareg – estes são, até agora, os formatos de SUV da marca no Brasil. O T-Cross possui um design carismático, sempre com tração dianteira, conceito funcional e configurações personalizáveis. O T-Cross oferece mais, sem precisar ser mais caro por isso.
“Prático, descolado, intuitivo e seguro”. Essas são as quatro principais características do T-Cross: “Prático” – mais espaço e flexibilidade; “Descolado” – design marcante e personalização; “Intuitivo” – digital e conectado; “Seguro” – um dos automóveis mais seguros do seu segmento. O novo SUV da Volkswagen, que será produzido na fábrica de São José dos Pinhais (PR), mede 4.192 mm de comprimento e 1.568 mm de altura (10 mm mais alto que o T-Cross europeu). A distância entre eixos do modelo que será produzido no Brasil é a maior do segmento: 2.649 mm (86 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu). Sendo assim, o T-Cross é consideravelmente maior do que o Novo Polo.

O T-Cross e o Novo Polo agregam variedade ao segmento, fragmentado em dois tipos de veículos independentes. Esta fragmentação torna a oferta mais variada e a mobilidade mais rica em experiências. O T-Cross demonstra isso – um SUV prático e, ao mesmo tempo, estiloso, com uma condução intuitiva e segura. Equipada com rodas de até 17 polegadas, a gama T-Cross dispõe de duas opções de motores com turbocompressor e injeção direta de combustível. O motor 1.0 TSI Total Flex atinge uma potência de até 128 cv (94 kW) com etanol. Já o motor 1.4 TSI Total Flex gera uma potência de até 150 cv (110 kW), também com etanol.


“Prático.” O novo SUV oferece um espaço surpreendente. Um dos elementos responsáveis por isso é a Estratégia Modular MQB. Esta base inovadora puxa o eixo dianteiro bastante para a frente, garantindo uma distância adicional entre os eixos, maior espaço interno e volume de carga. Assim, a capacidade do porta-malas é excelente (390 litros). O encosto dobrável do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade. Típica de um SUV é a posição elevada dos assentos no T-Cross. O ângulo de visão elevado do T-Cross é obtido graças a uma maior altura livre do solo e ao sistema de bancos.
“Descolado.” O design é marcante. A parte dianteira destaca-se por sua altura; o design é carismático, com uma grade ampla e faróis de LED integrados. Também responsável por esta altura acentuada é a tampa do compartimento do motor. A região inferior da parte dianteira distingue-se por detalhes como os faróis de neblina inseridos de modo marcante.

Nas versões do T-Cross com faróis halógenos, a luz de condução diurna é integrada no módulo dos faróis de neblina; já no caso de faróis full-LED, a luz de condução diurna encontra-se acima, na carcaça do farol. Nas laterais, uma linha característica acentuada divide os espaços. Atrás, ela forma uma seção dos ombros impactante, e assinala na traseira um novo elemento de design da Volkswagen: a faixa de refletores estendida transversalmente na parte traseira e emoldurada por um painel preto. Dash pads integram o estilo jovial e as oito cores do exterior (opcionalmente também bicolor) com o interior do veículo projetado de forma explicitamente generosa para esta classe. A música do smartphone ou dos serviços de streaming pode ser reproduzida pelo sistema de som “Beats”, com sete alto-falantes e qualidade de som premium.
“Intuitivo.” Ainda é cedo demais para revelar todos os novos detalhes técnicos do interior. Porém, já é claro: o T-Cross inclui, opcionalmente, um sistema de Infotainment com tela sensível ao toque (touchscreen) de 8 polegadas e um cockpit digital “Active Info Display” (painel de instrumentos) de última geração. A operação é intuitiva. Quatro entradas USB (duas na frente, duas atrás) garantem a conexão ideal e energia suficiente para os smartphones. O sistema opcional de travamento e partida “Keyless Access” torna o acesso ao T-Cross mais confortável, enquanto os faróis full-LED proporcionam mais eficiência e precisão na iluminação.
Seguro

A influência positiva da Estratégia Modular MQB revela-se em todas as áreas do T-Cross. Graças à MQB, o SUV já entrará na concorrência como um dos veículos mais seguros de sua classe – o que é garantido pela alta resistência a impactos, seis airbags e uma gama especialmente ampla de sistemas de assistência. Além de sensores dianteiro e traseiro para estacionamento, o T-Cross também está equipado com o sistema “Park Assist 3.0”, que permite o estacionamento autônomo em vagas paralelas e transversais – e agora com a função de freio de manobra. Entre os outros sistemas de assistência estão o sistema de “Frenagem Automática Pós-Colisão” (aciona automaticamente os freios do veículo em caso de acidente) e o “Detector de fadiga” (detecta a perda de concentração do motorista e o sistema recomenda uma pausa para descanso). Além disso, o T-Cross poderá ser equipado com o “Seletor do perfil de condução”, para o motorista ajustar a experiência de direção entre os modos normal, ecológico, esportivo ou individual.
Uma dúzia de novos SUVs da Volkswagen entre 2016 e 2020
Com o novo T-Cross, a Volkswagen reforça sua campanha mundial de produtos SUV, iniciada em 2016 com o atual Tiguan. Em 2017, na Europa, vieram o Tiguan Allspace, com até sete assentos, e o T-Roc, mais compacto. Paralelamente, a Volkswagen lançou no mercado em 2017, no segmento acima, o Atlas, desenvolvido para os Estados Unidos, e o Teramont, seu correlato chinês – ambos com sete assentos.
O ano de 2018 começou novamente com um verdadeiro show de SUVs: em Nova York, a Volkswagen of America apresentou dois protótipos do Atlas: o Cross Sport (cinco assentos, próximo da versão de série) e o Tanoak (picape). Já na China, a Volkswagen mostrou no mesmo mês, em estreia mundial, o novo Touareg – o SUV topo de linha da marca. No contexto da estreia do Touareg, a empresa também apresentou em Pequim dois futuros SUVs para a China: o Powerful Family SUV (protótipo de um veículo versátil concebido para famílias) e o Advanced Midsize SUV (equivalente do protótipo Atlas Cross Sport).
O futuro mais distante também já revela fatos muito concretos: em 2020, chegará ao mercado europeu o primeiro SUV totalmente elétrico da Volkswagen: o I.D. CROZZ. Com a gama do T-Cross até o I.D. CROZZ, a Volkswagen oferecerá um dos maiores catálogos de SUV do mundo, cobrindo quase todos os segmentos.

04:55 · 20.08.2018 / atualizado às 20:58 · 19.08.2018 por

Durante as férias, muitos veículos se deslocaram para diferentes destinos do país. As longas viagens rodoviárias, o estado de conservação das estradas e as frenagens bruscas, geralmente ocasionam desgastes desiguais nos pneus, itens decisivos para uma boa aderência do veículo e, consequentemente, para a segurança do motorista e dos passageiros.


A primeira avaliação que o motorista deve fazer é a da conferência das pressões dos pneus, sempre seguindo as indicações do manual do proprietário do veículo. Em seguida, é necessário que seja verificado se não há desgaste desiguais, corte ou deformações, bem como nenhum prego ou elemento cortante que esteja danificando o composto.

Pneus: alinhamento e balanceamento após viagens

Para finalizar esta primeira etapa, o motorista deve avaliar a profundidade do sulco, que sempre deve estar acima de 1,6 mm. As consequências de rodar com os pneus abaixo desta medida estão no maior risco de furos e na ocorrência de possíveis instabilidades em pistas molhadas, aumentando assim a probabilidade de derrapagens e elevando a necessidade de um espaço maior para frenagens. Caso continue em dúvida, a Goodyear recomenda que o motorista leve o carro em uma loja especializada para a realização de uma revisão mais aprofundada.
Posso mudar um único pneu?
A Goodyear não recomenda, as diferenças dos desgastes dos compostos podem gerar instabilidade nas frenagens, afetar a leitura dos sensores do ABS e do controle de tração.
Mudança dos dois pneus
No caso da troca dos dois pneus, eles devem manter o tamanho dos outros dois, porém podem ter melhor desempenho e qualidade. Eles devem ser colocados no eixo traseiro, pois isso ajuda o motorista a manter mais facilmente o controle sobre superfícies molhadas e curvas.
Mudança dos quatro pneus
No caso de mudar os quatro pneus, as possibilidades são vastas, e você pode trocar os pneus de tamanho diferente, melhor qualidade, ou mesmo adequá-los ao tipo de condução ou terreno em que o veículo é geralmente conduzido. No entanto, lembre-se sempre de que você deve cumprir as especificações do fabricante do veículo.

Outra dica
Além das verificações básicas já mencionadas, outra dica importante para o prolongamento da vida útil dos pneus é fazer a manutenção de alinhamento e balanceamento logo ao chegar de uma viagem. O alinhamento é o processo necessário para manter a maior estabilidade e correção dos ângulos da suspensão e a direção do carro. Já o balanceamento é a maneira de equilibrar o peso do pneu diante das irregularidades da roda, eliminando as vibrações no volante e consequentemente o desgaste prematuro dos pneus. É recomendado fazer o alinhamento e o balanceamento a cada 6 meses ou a cada 5 mil quilômetros.

20:15 · 19.08.2018 / atualizado às 20:15 · 19.08.2018 por

O equipamento número 1 continua em pleno funcionamento em Curitiba
A velocidade é a maior causa de acidentes de trânsito e, portanto, conter os apressadinhos é uma tarefa que precisa ser realizada em conjunto com órgãos de trânsito e campanhas de conscientização. Somada a isto, a tecnologia reforça aos motoristas a necessidade de manter o ponteiro do velocímetro dentro do permitido nas vias.
No dia 20 de agosto de 1992, a primeira lombada eletrônica do mundo foi instalada na cidade de Curitiba (PR). Inventada pela Perkons, ela trouxe um novo conceito para promover a redução da velocidade de forma menos abrupta do que com uma lombada física. O primeiro equipamento foi instalado na Rua Francisco Derosso, em frente a uma escola, no bairro Xaxim. Esta já era uma das vias mais movimentadas do bairro, e a lombada permanece lá, até os dias de hoje, ajudando a salvar vidas.

Curitiba foi a primeira cidade a contar com a lombada eletrônica. Em sete anos, a capital paranaense reduziu em 40% o número de acidentes

Ao longo de quase três décadas e atualmente utilizada em larga escala no Brasil e no mundo, a lombada eletrônica colabora para resultados importantes no trânsito. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec-Rio), cada um desses dispositivos evitam cerca de três mortes e 34 acidentes por ano. “Passam pelos nossos equipamentos mais de 4 bilhões e meio de veículos todos os anos. O índice de respeito à velocidade nos trechos fiscalizados é de 99,93%. Isso é motivo de muito orgulho para a Perkons, que desde a invenção da lombada eletrônica contribui para a segurança no trânsito e para a redução dos acidentes”, relata Luiz Gustavo Campos, diretor da empresa.
Reconhecimento ao vanguardismo
A invenção da lombada eletrônica rendeu premiações à Perkons, como o Prêmio Destaque Indústria, realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), em 1994, pela criação e desenvolvimento tecnológico do dispositivo. No mesmo ano, a criação também foi premiada no VIII Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito. Ela também ganhou destaque no livro 101 Inovações Brasileiras, que tem o objetivo de valorizar a criatividade e o empreendedorismo nacional.
Além dos prêmios, os números também certificam a revolução que a lombada eletrônica causou nas vias e ruas. De acordo com o Detran-PR, sete anos após o início da utilização do equipamento, Curitiba teve uma redução de 40% no número de acidentes de trânsito.
“Ser reconhecida, desde os primórdios, por promover inovação e segurança no trânsito é uma grande honra. A cada ano que passa o resultado do nosso trabalho mostra que nos mantemos no caminho certo, e também nos desafiam a aperfeiçoar nossas tecnologias e serviços”, afirma Campos.

Futuro
Os aparelhos de fiscalização eletrônica de trânsito estão cada vez mais modernos e registram muitas situações além do excesso de velocidade, tais como: avanço de sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestres, conversão ou retorno em locais proibidos, transitar no acostamento ou contramão, ultrapassagem em local proibido, e transitar em locais e horários não permitidos ou em pistas de circulação exclusiva.
Também monitoram múltiplas faixas e podem ser instalados em diferentes configurações: com ou sem display, em postes ou outras estruturas pré-existentes. As câmeras são de altíssima resolução para capturar imagens cada vez mais nítidas, sendo ideais para o monitoramento e registro automático de infrações em rodovias, trechos expressos, vias arteriais, coletoras e locais.

11:49 · 16.08.2018 / atualizado às 11:49 · 16.08.2018 por

Com óculos de realidade virtual, visitantes da feira conhecem modelo 3D de oficina mecânica que atende a certificação Selo Verde; o Instituto da Qualidade Automotiva (IQA) apresenta a Oficina Verde Virtual na Autop 2018, a 16ª Feira Nacional de Autopeças, Motopeças, Acessórios, Equipamentos e Serviços, que está sendo realizada até sábado, 18 de agosto, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza
Promovida pelo Sistema Sincopeças Assopeças Assomotos (SSA), a AUTOP é reconhecida pelo setor automotivo das regiões Norte e Nordeste como importante feira para realização de negócios, networking e capacitação, com média de 30 mil visitantes por edição.


No estande Oficina Verde, o IQA apresentará a Oficina Verde Virtual, modelo 3D de um centro automotivo. “Convidado pelo SSA como apoio técnico, o IQA mostrará de forma digital os processos de uma oficina ambientalmente correta. A proposta foi aplicar a tecnologia virtual à expertise do IQA na certificação Selo Verde, voltada para o setor de reparação automotiva”, conta Sérgio Fabiano, gerente de Serviços Automotivos do IQA.
Com o uso de óculos de realidade virtual, os visitantes poderão observar o funcionamento de uma oficina que se preocupa com o meio ambiente e, assim, conhecer quais são os processos adotados e os equipamentos utilizados em layout produtivo adequado ao negócio. “Eles farão um passeio por uma estrutura montada virtualmente com os devidos cuidados ao meio ambiente para o atendimento das legislações”, resume o engenheiro.


Além de conscientizar sobre os benefícios da certificação Selo Verde, o IQA visa disseminar a preocupação que diversos empresários da reparação automotiva já demonstram com o meio ambiente, ao seguirem com os seus negócios de forma sustentável nos âmbitos financeiro e ambiental. “Queremos divulgar informações para a melhoria do meio onde vivemos e a garantia de um ambiente saudável para as futuras gerações”, afirma.


Além de apresentar a Oficina Verde Virtual, o IQA participará do Seminário Autop Verde, que será realizado dia 16, das 16h às 19h, no Auditório Foyer. Sérgio Fabiano, gerente de Serviços Automotivos do IQA, irá ministrar a palestra “Como Transformar Seu Estabelecimento em Oficina Verde”, seguida por painel de debates, que também contará com a participação de Evandro Betto, gerente de Marketing da Luk Diesel, empresa certificada com o Selo Verde.
Autop 2018
16ª Feira Nacional de Autopeças, Motopeças, Acessórios, Equipamentos e Serviços
Data: 15 a 18 de agosto de 2018
Horário: quarta à sexta-feira, das 16h às 22h; e sábado, das 11h às 18h.
Local: Centro de Eventos do Ceará – av. Washington Soares, 999, Edson Queiroz, Fortaleza

10:31 · 16.08.2018 / atualizado às 10:52 · 17.08.2018 por

A edição 16 da Autop teve início na tarde de quarta-feira (15), com boa presença de autoridades e um público atento às novidades. São 200 expositores, expectativa de público de 30 mil pessoas e geração de mais de R$ 80 milhões em negócios

Solenidade de abertura com presença de autoridades

Na solenidade de abertura, o presidente do Sistema Sincopeças Assopeças Assomotos, Ranieri Leitão, ressaltou os destaques deste ano, dentre elas a Oficina Verde, palestras técnicas e muitas novidades em autopeças. A Autop prossegue até sábado, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. De quinta a sexta, das 16h às 22h. No sábado, de 11h às 18h. Entrada franca, bastando se credenciar. Seguem cenas da abertura. (Fotos: Paulo Geovanni/Divulgação)

Presidente do Sistema Sincopeças Assopeças Assomotos, Ranieri Leitão, declara aberta a Autop 2018
Estandes da Autop vistos de cima
Mito Mustang marcou presença em um estande
Público conferiu tendências em tecnologia e autopeças
Evento prossegue até sábado, dia 18 de agosto