Belas no Esporte

Busca


Cristiane Dias e o amor pelos esportes

Publicado em 09/04/2011 - 7:43 por | 3 Comentários

Categorias: Entrevista, Geral

  • Enviar para o Kindle

Após sucesso da entrevista realizada pela Bela Íkara Rodrigues com a presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Patrícia Amorim, o Belas no Esporte traz, hoje, bate-papo com a jornalista e apresentadora do Globo Esporte, a gaúcha Cristiane Dias.

Cris Dias se mostrou super solícita, quando entrei em contato com a assessoria do Globo Esporte, para participar desse bate-papo descontraído – que pode ser conferido também, em parte, no Zoeira de hoje.

Cristiane Dias, durante participação no programa "Mais Você", da Ana Maria Braga (Crédito: TV Globo)

Belas no Esporte -  Você começou, no jornalismo, nas áreas de economia, cidade e assessoria de imprensa. Já pensava em trabalhar com esportes?

Cristiane Dias – Não pensava em trabalhar com esportes, apesar de o esporte estar muito presente na minha vida. Fiquei cerca de dois meses estagiando em uma assessoria; um ano trabalhando na área de Economia e outro um ano em Cidade. Foi bom para saber do que realmente gostava de fazer. Me convidaram pra trabalhar na editoria de Esporte da TV Brasil, na época. Mas, na faculdade, por exemplo, queria ir na contramão do esporte porque tinha muita concorrência nessa área.

BE - O seu primeiro emprego como jornalista esportiva foi no programa “Stadium”, (na TVE), no qual tinha um quadro de esportes radicais, o “Extremo”. Quais as lembranças do período?

CD - Lembro que realizei todas as minhas vontades radicais. A única coisa que não fiz foi paraquedismo. De resto, tudo. Foi um período incrível, era pura diversão:  eu sendo paga pra fazer todos os esportes radicais que sempre quis fazer! E eu me jogava, fiz bungee jump; aprendi a surfar, voei de asa delta e parapente algumas vezes. Foi uma época muito bacana.

BE - Nessa época (ano de 2004, certo?) você sentia que já existia uma boa aceitação da mulher no mundo dos esportes radicais? Como é agora?

CD – Nunca rolou preconceito, sempre fui bem aceita nos radicais. Claro que no futebol, que tenho tido mais contato agora, naturalmente, o universo é mais masculino. Eles entendem mais, afinal, desde bem pequenos já estão ligados a esse mundo. É uma questão de cultura futebolística que as meninas não têm, ou têm menos que os meninos. Agora corro atrás conversando com os sábios do futebol daqui da Globo. Alex Escobar é um que dá altas informações. Os meninos que trabalham na nossa Redação também. Na verdade, quando preciso, tenho uma consultoria e tanto!

 
 

Cris Dias e o amigo, o jornalista Luis Ernesto Lacombe (Crédito: TV Globo)

BE - Em 2007, após receber um telefonema de Luís Ernesto Lacombe pedindo para que gravaasse um piloto, você passou a dividir com ele a apresentação do “Esporte Espetacular”. Lacombe foi uma espécie de padrinho para você?

CD - Ele é, sem dúvida, meu anjo, meu padrinho e eu costumo falar isso para ele. Além de grande colega, virou um grande amigo. o Lacombe é uma pessoa incrível, tem um coração gigante e é um gentleman. Super educado além de tudo.

BE - É verdade que você foi convidada para o Globo Esporte Nacional, após Dani Monteiro ter negado a vaga?

CD – Não sei de onde vocês tiraram isso…(risos). Teve isso não.

BEComo divide a rotina do Globo Esporte com os cuidados com o filho, Gabriel?

CD – É mais fácil do que na época do Esporte Espetacular, quando eu viajava muito mais e geralmente não tinha folga nos fins de semana. Agora tenho uma rotininha e isso é ótimo pra quem tem filho pequeno. Dá tempo de buscar na escola, malhar à tarde e ainda aproveitar a folga de fim de semana. É uma rotina bem agradável.

BE - Você já procura ensinar, ao seu filho, a importância dos esportes?

CD – Acaba sendo natural, pois eu e o pai dele adoramos esporte, vivemos esse universo. Ele já gosta desde bebezinho. Inclusive agora, com um ano e nove meses, ele chuta a bola de um jeito que eu nunca vi nenhum bebê fazer igual. Super habilidoso, acho que vou investir (risos). Esporte é muito legal porque te ensina a ter disciplina, te ensina a respeitar os outros, o espaço de cada um, então, claro, através do esporte pretendemos passar todos esses valores pro Gabriel.

BE - Você é filha de César Oliveira, ex-jogador de base do Grêmio, mas, ironicamente, torce pelo Internacional. Sabe-se que, em terras gaúchas, existe uma rixa grande entre gremistas e torcedores do Internacional. Como é, na sua casa?

CD – Quem disse que torço para o Inter? Meu time é uma incógnita…(risos). Na verdade, prefiro não explanar o time, apesar de já ter dado bandeira, mas como a rivalidade é muito grande no Sul, prefiro ser discreta. Meu pai jogou no Grêmio, é gremista doente. Já a minha família por parte de mãe é toda colorada. Meu “paidrasto” também é gremista e a minha irmã também, então você pode imaginar como eram as coisas lá em casa…

BE - Desde a adolescência, você é adepta dos esportes. Antes de sair do RS, praticava handebol, vôlei e futsal. Nesta última modalidade, conquistou títulos defendendo a Faculdade Dom Bosco. Nunca pensou em seguir carreira no esporte?

CD – Ah, não…eu jogava por puro prazer, pra estar com as amigas, pra defender, na minha época, o Colégio Dom Bosco (agora Faculdade), já que fomos tricampeãs no futsal por lá. Já experimentei tanto esporte, acho que por isso nunca foquei profissionalmente em nenhum.

BE - Hoje em dia, sente saudades daquela época, em que o esporte congregava amigas e significava apenas a brincadeira na hora do intervalo da aula?

CD – Sem dúvida, não só pelo esporte. Nostalgia de quem tá ficando velhinha…(risos). Foi uma época muito boa da minha vida. Sinto saudade das amigas de infância, que ainda são amigas, mas ficaram no Sul. E, claro que, nessa nostalgia toda, minhas lembranças com elas vêm muito num contexto esportivo.

BE – Você foi uma das incentivadoras da Seleção de Famosas, time de futebol feminino treinado por Guaracy “Gaúcho” Valente, que comandou o time vencedor da Copa do Mundo de Atores em 2007. Quem participava dessa seleção? A ideia não existe mais?

CD – Ah, participava eu, Fani, Carol Sampaio, Nanda Costa e mais algumas atrizes. Mas a falta de tempo e de empenho feminino em se reunir para jogar uma pelada (isso eu admiro nos homens) acabou fazendo com que o nosso futebol terminasse em pizza. Mas já estou botando pilha para voltarmos. Vamos ver se rola. Sinto muita falta de bater uma bolinha aqui no Rio.

BE – Em 2008, você sofreu um acidente de carro ao cair no canal de uma avenida. Que lembranças têm de uma situação como essa de desespero, em que a sua vida ficou por um fio?

CD – Um ônibus bateu em mim. Quando vi, estava dentro de um canal com água até o pescoço. Apaguei na hora do acidente e me lembro a partir dessa cena. Foi muito difícil e agradeço a Deus por estar viva. Poderia ter sido pior.

BE - Como é, hoje em dia, o seu relacionamento com o seu ex, Thiago Rodrigues?

CD – Olha, prefiro manter alguma discrição na minha vida pessoal. O que posso dizer é que agora está tudo bem entre nós…

Apresentadora Cristiane Dias, no estúdio do Globo Esporte (TV Globo)

Tags: , ,

Comentários

Emanuelle Lobo

em 9 de abril de 2011

Tici, parabéns pela entrevista. A Cristiane Dias mostrou de tudo um pouco: família, trabalho, lazer… muuuuuuito legal! Os fãs da moça vão adorar!

aparecido amorim ramos

em 29 de janeiro de 2012

Sensacional entrevista com essa espetacular apresentadora,Cris ,além de ser a mais bela das belas do jornalismo esportivo é super inteligente e merece todo o destaque que conquistou,nota mil.

JAIR

em 11 de maio de 2012

Por onde anda Cristiane dias?foi demitida da globo?


Autores

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999

teste