Busca

Tag: Alemanha


11:38 · 01.06.2012 / atualizado às 18:48 · 06.08.2012 por

A notícia não é das melhores e reflete a falta de investimentos no futebol feminino no país. A Fifa divulgou novo ranking da modalidade e o Brasil caiu da quarta posição para a quinta. Isso mesmo. As derrotas nos amistosos para Canadá, EUA e Japão, além da derrota no Panamericano foram os fatores de queda do Brasil. OS Estados unidos continuam no topo, seguido pela Alemanha, Japão, e Suécia. abaixo do Brasil, em sexta colocação está a França, que vem investindo no futebol feminino e demonstrando nos último anos evolução. O canadá ocupa a sétima colocação.

Não é à toa que jogadoras como Érika, da seleção brasileira e do Centro Olímpico criticou, mais uma vez, a falta de apoio que o futebol feminino tem no país. “O futebol feminino no Brasil é muito ruim. Na Alemanha, por exemplo, elas fazem amistosos contra a seleção do Japão. Já nós enfrentamos a seleção sub-15 do Bangu”, detonou.

O Brasil se prepara para as Olimpíadas de Londres. A seleção feminia ficou no grupo da Grã-Bretanha, Nova Zelândia e Camarões. A estreia verde e amarela será no dia 25 de julho, em Cardiff, contra a seleção de Camarões. Depois, volta a jogar na cidade galesa no dia 28, contra a Nova Zelândia. O time do técnico Jorge Barcellos encerra a sua participação na fase de grupos em 31 de julho, no Estádio de Wembley, em Londres, contra a Grã-Bretanha.

Atacante Ériká aponta a falta de investimentos como sendo fator na queda de rendimento da equipe

Os dois primeiros colocados de cada um dos três grupos e dois melhores terceiros lugares se classificam para as quartas de final do torneio olímpico de futebol feminino.Caso avance na liderança, o Brasil vai enfrentar no primeiro mata-mata um dos melhores terceiros colocados. Se a equipe se classificar na segunda posição, duelará com o segundo colocado do Grupo F, que conta com Japão, Canadá, Suécia e África do Sul. A medalha de ouro será disputada no dia 9 de agosto, no Estádio de Wembley.
Boa sorte para as nossas meninas!

13:14 · 25.10.2011 / atualizado às 13:14 · 25.10.2011 por

Brasil X México e Canadá x Colômbia são os dois jogos de hoje válidos pelas semifinais do futebol feminino dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. As quatro seleções estiveram no último mundial disputado na Alemanha, onde o Japão conquistou o título. Das equipes, apenas o Brasil não levou suas principais estrelas como Marta, Érica, Cristiane e Aline. Tanto México, como Canadá e Colômbia apostam numa equipe mais experiente e com jogadoras que se destacaram na Alemanha. No caso do México, por exemplo, adversário da Canarinha de hoje, está com o time completo e conta com o apoio da torcida. Já o Brasil entra em campo ainda sob impacto da morte do pai da lateral Maurine. A partida será disputada no no Estádio Omnilife, às 20 horas de Brasília. A outra partida, entre Canadá e Colômbia começa às 23 horas.
Boa sorte, Brasil!

11:08 · 26.08.2011 / atualizado às 11:08 · 26.08.2011 por

Enquanto o Brasil caminha a trancos e barrancos no futebol feminino, o Paraguai dar o exemplo a ser seguido e é destaque no site da Fifa. O vizinho país começa a investir pesado na modalidade.

A ideia é simples e vem ganhando espaço. A Associação Paraguaia de Futebol (APF), com o apoio da FIFA, lançou um plano estratégico estabelecendo as bases de um programa de desenvolvimento e consolidação do esporte no país. O objetivo das atividades propostas é fazer com que meninas de diferentes realidades sociais comecem a praticar futebol desde cedo a partir das escolas.

Maninas do Paraguai começam desde cedo a treinar o futebol nas escolas. Foto: arquivo/FIFA

O projeto teve início em 2010, quando o primeiro Seminário Com-Unity da FIFA foi realizado em Assunção com a presença de um surpreendente número de participantes, o que demonstrou o real interesse pelo futebol feminino na nação sul-americana. O curso Com-Unity consistiu em um programa de três dias com sessões de trabalho abertas a toda a comunidade local nas quais foram aprofundadas técnicas de desenvolvimento, comunicação e marketing no futebol feminino. Meses depois, uma consultoria foi organizada para avaliar o impacto do seminário e seus resultados.

Desde então, as atividades só aumentaram. No dia 18 de agosto último teve início o primeiro Campeonato Intercolegial de Futebol Feminino do Paraguai no estádio do Club Fernando de la Mora. O evento contou com a presença do presidente da APF, Juan Ángel Napout, que destacou o novo momento do esporte no país durante o discurso de abertura da competição.

Napout informou ainda que a APF dará prioridade aos campeonatos estudantis e, no ano que vem, estenderá o torneio ao nível universitário, com a firme convicção de que o futuro do futebol feminino está nos colégios e universidades. Segundo o presidente, esse sistema se inspira no modelo dos países onde o esporte se encontra mais desenvolvido, como México, Estados Unidos, Canadá, França, Japão e China e Alemanha.

Vamos continuar lutando para que o futebol feminino no Brasil tenha os investimentos necessários para o seu desenvolvimento. Por enquanto, a gente só conta com a garra e o talento de jogadoras como a Marta, Cristiane, Formiga, entre outras.

08:21 · 18.08.2011 / atualizado às 08:21 · 18.08.2011 por

Um clássico do volei feminino: Brasil e Cuba farão a estreia na terceira fase do Grand Prix nesta sexta-feira, no ginásio Keelawes 1, em Bangcoc, na Tailândia, às quatro horas (horário de Brasília). A rivalidade entre as duas seleções é histórica. Na década de 90 brasileiras e cubanas fizeram duelos épicos que marcaram a história do esporte. Teve até bata boca e troca de ofensas.

Cuba e Brasil formam com Tailândia e Argentina, o grupo K do torneio. Na competição, as equipes estão em situações distintas. Enquanto as brasileiras estão invictas e ocupam a segunda colocação na classificação geral, com 18 pontos, as cubanas aparecem na modesta 11ª colocação, com uma vitória, cinco derrotas e seis pontos.

Para o técnico do Brasil, José Roberto Guimarães, Cuba será sempre um adversário a ser respeitado. “Cuba tem um time jovem que mudou um pouco nos últimos anos. A Carcaces é uma grande jogadora que merece atenção. É uma equipe que tem tradição e muita força física. Cuba não está fazendo uma boa campanha, mas será sempre um time perigoso”, afirma o treinador.

Nos outros jogos:

Ainda pelo grupo do Brasil, a Tailândia receberá a Argentina diante da sua torcida, às 6h30.

Pelo grupo I, a Polônia enfrentará o Cazaquistão, às 8h, em Hong Kong. Já a China jogará com a República Dominicana, às 10h30.

No grupo J, a Itália medirá forças com o Peru, às 2h, em Hong Kong, enquanto os Estados Unidos duelará com a Alemanha, às 4h.

No grupo L, a Rússia terá como adversário a Coreia do Sul, às 2h, no Japão. No outro jogo do grupo, as donas da casa, enfrentarão a Sérvia, às 5h.

08:14 · 02.08.2011 / atualizado às 08:16 · 02.08.2011 por

Quem gosta de volei feminino começa a preparar a torcida. Afinal não é para menos, a seleção brasileira inicia nesta sexta-feira, 5 de agosto, luta para conquistar, pela nona vez, o Grand Prix de Vôlei Feminino. A competição acontece até o dia 28 de agosto, na cidade de Busan, na Coreia do Sul.

O jogo de estreia de nossas meninas será contra a forte seleção do Japão. O Brasil está no Grupo B e, nessa primeira fase, joga contra as nipônicas, alemãs e as donas da casa, o selecionado da Coreia do Sul. A partida acontece em horário bem complicado para a torcida brasileira: 2 horas, no horário de Brasília. Mas, nada que nos desanime, não é mesmo?

As jogadoras relacionadas para defender o Brasil  foram as levantadoras Fabíola e Dani Lins, as opostas Sheilla e Tandara, as ponteiras Mari, Natália, Paula Pequeno, Fernanda Garay e Sassá, as centrais Thaísa, Adenízia, Fabiana e Juciely, além da líbero Fabi.

Meninas do Brasil recebem instrução do técnico José Roberto. Foto: Alexandre Arruda/CBV

O técnico José Roberto conta que o time ainda está se acostumando ao fuso horáriode 12 horas a mais em relação a Brasília. Nos primeiros treinos com bola, as brasileiras fizeram uma série de exercícios que buscavam o esforço mental de cada uma. Na avaliação de José Roberto, a adaptação ao fuso dura em média três dias. Ele  também chamou atenção para o perigo de contusões.  “Nos primeiros dias aqui, fizemos muita mexida de fundamento e trabalhamos um pouco de saltos. Aos poucos vamos acrescentando mais exercícios quando os reflexos forem voltando ao normal. Os problemas de contusão acontecem, normalmente, nessas situações, pois a musculatura está mais contraída. Por isso temos que tomar muito cuidado nesses primeiros dias”, afirma o treinador.

Nossa seleção está muito bem. As brasileiras venceram todos os 10 jogos que disputaram até agora em 2011. Neste período, a seleção sagrou-se campeã da Copa Pan-Americana e da Copa Internacional, disputada em Brasília.

As Belas no Esporte vão acompanhar a competição junto com a torcida brasileira. Boa sorte, Brasil!

07:51 · 27.07.2011 / atualizado às 08:06 · 27.07.2011 por

Mesmo sem vencer uma competição internacional faz tempo, o Brasil subiu uma posição no ranking da Fifa de futebol masculino. Antes da Copa América estávamos em quinto lugar, perdendo para a Espanha (1º), Holanda (2º), Alemanha (3º) e Inglaterra (4º). Agora, depois de penarmos e sem conseguir nem marcar nos penaltis, a seleção brasileira ganha mais 72 pontos, soma 1202 pontos e ocupa a quarta posição. O Uruguai, campeão das Américas, pulou da 13ª posição para a quinta, com 1156 pontos. O novo ranking da Fifa foi divulgado nesta quarta-feira  no site oficial da entidade.

Entre os 50 países melhores listados, os uruguaios foram os que mais pontuaram: 247. A Venezuela também se deu. Subiu 26 posições e recebeu 177 pontos depois de sua brilhante atuação na Copa América e é agora a 40ª melhor seleção masculina do mundo.

Confira a relação dos dez primeiros colocados

1. Espanha – 1588 pontos

2. Holanda – 15 42 pts

3. Alemanha – 1305 pts

4. Brasil – 1202 pts

5. Uruguai – 1156 pts

6. Inglaterra – 1145 pts

7. Portugal – 1076

8. Itália – 1059 pts

9. Croácia – 1033 pts

10. Argentina – 1013 pts

14:50 · 24.07.2011 / atualizado às 14:50 · 24.07.2011 por

A seleção brasileira de futebol feminino não se deu bem na Copa do Mundo, realizada recentemente, mas as meninas que representaram o país Jogos Mundiais Militares lavaram nossa alma! Elas ganharam da Alemanha por 5 X 0 e conquistaram ouro para o Brasil. O jogo aconteceu neste domingo, em São Januário, no Rio de Janeiro e foi muito merecido. A equipe verde-amarela fechou a competição invicta em quatro jogos, com 24 gols, 11 deles marcados pela artilheira Kátia Cilene. Contra as alemãs, a camisa 9 deixou mais dois para garantir o título brasileiro. Dani Batista, que esteve na Copa do Mundo da Alemanha no início do mês, fez mais dois gols e Bárbara também marcou.

Kátia Cilene comemora gol do Brasil contra a Alemanha nos Jogos Militares. Foto: Photocâmera

Preocupada com o ataque brasileiro, a Alemanha entrou em campo com a proposta de se defender. Durante os 10 minutos iniciais, o time europeu se manteve todo em seu campo, sem dar muitos espaços para o ataque do Brasil, que dominava a posse de bola. Aos 13 minutos, a primeira chance clara da seleção surgiu nos pés de Maycon, que chutou por cima. Dois minutos depois, foi a vez de Kátia Cilene acertar o travessão ao completar cruzamento de Michele.

Aos 20 minutos, as brasileiras sofreram o primeiro susto, quando Vanessa Skrodde recebeu sozinha pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou na frente do gol e ninguém completou. Bastou para acordar o Brasil: aos 23 minutos, Kátia Cilene recebeu lançamento na direita, driblou a zagueira e chutou no canto esquerdo, anotando seu 10º gol na competição. Na comemoração, a centroavante perfilou as companheiras, que bateram continência e arrancaram aplausos da plateia. Um minuto depois, a artilheira deixou sua marca novamente, desta vez cabeçando cruzamento de Dany Barbosa.

Aos 30, a seleção quase ampliou com um chute cruzado de Maycon, que passou raspando na trave direita. Depois disso, o ritmo do jogo pareceu diminuir junto com a chuva fina que começou a cair no estádio, que inclusive afastou a pequena torcida alemã nas arquibancadas – a seleção masculina do país e a equipe feminina dos EUA estavam presentes para apoiar o time de vermelho e se transferiu para as cadeiras cobertas.

O Brasil seguiu dominando o jogo no segundo tempo. Com 13 minutos, Cida quase fez de cabeça. Um minuto depois, Bárbara driblou a goleira e tocou para o gol, mas a zagueira Nina Mittrop evitou o gol. Aos 25 minutos, a arqueira Barbara Legrand evitou o que seria o terceiro gol de Kátia Cilene. A seleção brasileira marcou pela terceira vez aos 27, quando Dani Batista foi derrubada na grande área. Pênalti que a própria atacante vascaína cobrou com maestria, no canto direito. Aos 31, a lateral Michele quase deixou o seu, mas Legrand pegou. Ainda houve tempo para Bárbara deixar o seu, completando cruxamento de Maycon aos 42. Fatura liquidada e os gritos de “É campeão!” começaram a soar na arquibancada. Dani Batista encerrou o jogo com um gol em contra-ataque, driblando a goleira e tocando pro gol vazio.

– O time delas estava bem compactado no começo, mas conseguimos fazer um bom trabalho, botar a bola no chão e lançar na hora certa para a Kátia Cilene fazer os gols – disse Batista

Na decisão de terceiro lugar, a Holanda derrotou a França por 2 a 0 e ficou com a medalha de bronze.

Parabéns para as nossas meninas.

13:15 · 22.07.2011 / atualizado às 13:15 · 22.07.2011 por

Segundo o site da Fifa, divulgado nesta sexta-feira, a Copa do Mundo Feminina  2011 deixou a sua marca na edição mais recente do ranking mundial feminino da FIFA/Coca-Cola. Porém, apesar de alterações na pontuação, não houve ultrapassagens entre as cinco primeiras seleções — os Estados Unidos seguem no topo, seguidos da Alemanha, Brasil, Japão e Suécia.

A derrota das japonesas diante da Inglaterra na fase de grupos impediu que as novas campeãs mundiais subissem mais na classificação. Por sua vez, as inglesas deram um grande salto, ganhando quatro posições e chegando ao sexto posto.

Duas seleções que saíram da Copa do Mundo Feminina da FIFA sem vitórias tiveram movimentações para baixo: o Canadá está em oitavo após cair duas posições e a Coreia do Norte despencou quatro postos e chegou ao 12º lugar.

Depois das três vitórias na fase de grupos e da derrota dos Estados Unidos diante da Suécia, a Alemanha chegou a ocupar provisoriamente a liderança do ranking, mas a eliminação nas quartas contra o Japão e a chegada das americanas à final restabeleceram a ordem — os EUA estão no topo desde março de 2008.

As brasileiras estão em melhor posição do que o selecionado masculino, atualmente, o quinto no ranking mundial. O país, pentacampeão mundial, viu países como Espanha, Holanda, Alemanha e Inglaterra nos superaram no ranking. E depois de tantos penaltis perdidos numa só partida, sei não…É preciso melhorar e muiiito!

20:01 · 17.07.2011 / atualizado às 20:30 · 17.07.2011 por
Meninas japonesas levantam a taça do Mundial. Foto: Fifa

Não teve norte-americanas, alemãs, suecas, brasileiras. A seleção japonesa é a grande campeã mundial  de futebol feminino 2011. Foi um verdadeiro exemplo de que o talento, a força de equipe e de vontade, equilíbrio emocional fazem a diferença! Sem tanta tradição na modalidade, as nipônicas foram derrubando uma a uma as favoritas e conquistaram o tão sonhado título mundial. Venceram um jogo incrível contra os EUA na tarde deste domingo, que ficou para a história do futebol feminino.

Se em sua trajetória rumo à final da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011, os Estados Unidos eliminaram o Brasil de maneira quase impossível, levando o jogo das quartas de final aos pênaltis com um gol no segundo minuto de acréscimo do segundo tempo da prorrogação. Na decisão contra o Japão, as valentes norte-americanas acabaram sofrendo um baque semelhante. Liderando o jogo por 2 a 1, a equipe sofreu um empate aos 117 minutos e acabou derrotada nas penalidades. E é isto: a seleção nipônica é campeã mundial pela primeira vez.

As japonesas saíram atrás no placar duas vezes, uma no tempo normal e outra na prorrogação, mas Miyama e Sawa foram buscar a igualdade. Na disputa por pênaltis, as americanas perderam três cobranças, e Kumagai garantiu o título, o primeiro do país na história das Copas.

Parabéns para as meninas japonesas! Sem dúvida, elas lavaram a alma da torcida brasileira que penou com a eliminação de nossa seleção exatamente para o time da goleira Solo.

Em outro jogo eletrizante, a Suécia ganhou da França por 2×1 e ficou com o bronze.

As Belas no Esporte parabenizam não só a seleção japonesa, mas a todas as equipes e, em especial, a Alemanha, pelo brilhantismo e organização da Copa do Mundo Feminino.

15:44 · 10.07.2011 / atualizado às 15:45 · 10.07.2011 por

Tem aquele ditado popular certissímo: quem não faz leva. E isso ficou provado hoje, quando a seleção brasileira perdeu para as norte-americanas nos penaltis, depois de estar ganhando por 2X1 na prorrogação. Os gols das americanas foram duas falhas ridículas da defesa e meio-campo brasileiros. O primeiro, logo no primeiro minuto de jogo, a zagueira Daiane faz contra. O segundo, já nos acréscimos da prorrogação, faltando dois minutos, o meio de campo do Brasil não soube segurar a bola, mesmo estando com 11 jogadoras, contra 10 americanas. Foi uma pena!

Mais uma vez, Marta fez a diferença, com dois gols, um deles, logo no primeiro minuto da prorrogação, um golaço. Pena para o Brasil. Agora, os EUA jogam uma semi-final contra a França, enquanto as suecas enfrentam as japonesas, a sensação a competição, que derrubaram a gigante do futebol feminino, a Alemanha.

Para nós, fica a reflexão sobre a falta de investimentos no futebol feminino. Viva as americanas, bicampeãs mundiais e que agora, sem o Brasil e Alemanha, podem conquistar o tricampeonato. Isso é resultado de trabalho, de um país que aposta no futebol feminino. Parabéns as quatro equipes. Uma delas, no próximo domingo, dia 17, será a nova campeã mundial de futebol de mulheres.