Busca

Tag: Japão


07:51 · 07.08.2012 / atualizado às 09:33 · 07.08.2012 por

A craque Marta, camisa dez e capitã, pede mais investimentos nas categorias de base da categoria para revelar novos talentos
O ex-técnico da seleção brasileira de futebol feminino e atual diretor técnico do São Paulo Futebol Clube, Renê Simões, escreveu artigo sobre a eliminação das meninas para o Japão. Ele faz uma avaliação sobre mais essa derrota e diz ter projeto para tirar a categoria do atual marasmo e falta de investimentos. Leia a seguir o que Renê escreveu: Ao ver o nosso futebol feminino ser eliminado dos Jogos Olímpicos, lembrei de uma passagem que tive em 1993, quando fui campeão nacional do Qatar com o Arabi Sports Club. Naquele ano, as eliminatórias para a Copa de 94 foram em Doha, capital do Qatar, e o jornal esportivo A Bola de Portugal me convidou para fazer a cobertura do jogo entre Japão e Iraque.

Para resumir, até o último minuto de jogo, o Japão ganhava e se classificava quando o Iraque empatou e acabou com as possibilidades japonesas. Na coletiva de imprensa quem falou foi o presidente da federação e não o treinador. E ao contrário de explicar a derrota, ele falou sobre o super projeto que tinham para os próximos quatro anos. Segundo ele, não interessava o jogo, não interessava que faltava um minuto e estavam classificados, e não importava quem eram os culpados. O passado servia de lição e aprendizado, e o que importava era o futuro. Conclusão, o Japão nunca mais ficou fora de uma Copa.

Renê Simões quer mais investimentos
Hoje, me atrevo a ter a mesma atitude do presidente, não me interessa o jogo, o passado, os culpados. Me interesso pelo futuro. Em 2004 desenvolvi um projeto para o ciclo olímpico de 2008 e entreguei em mãos do presidente da CBF. Até hoje aguardo a reunião para discutí-lo. Há seis meses, o ministro dos esportes Aldo Rebelo reuniu alguns representantes do futebol, entre os quais fui incluído e solicitou um projeto eficiente para o futebol feminino. Fui nomeado relator e junto com a Michael Jackson, coordenadora de futebol, tivemos a respondsabilidade de juntar as ideias e finalizar o projeto. Abaixo segue o texto de apresentação do projeto, e aos poucos irei comentando-o com vocês.

Apresentação

Sempre discriminada e relegada a segundo plano, a mulher vem mantendo sua dignidade e perseverança ao longo do tempo. Rotulá-la como sexo frágil depois de tantas lutas, sofrimentos, derrotas temporárias e conquistas brilhantes em diversos setores e países, não faz sentido, como também, não existe maior maldade do que a perda de um talento por falta de oportunidade.

Já passou da hora de nosso país pensar mais do que seriamente na criação de fábricas de talentos em diferentes setores. Os países mais evoluídos criam essas oficinas nas escolas desde a Classe de Alfabetização até a universidade, socializando as oportunidades. Os meninos e meninas se descobrem e tem a chance de colocar suas aptidões e talentos em exposição, em feiras, desfiles, desafios, campeonatos, etc. Eles são estimulados e oportunizados a mostrarem no que são bons.

Temos que construir a mansão do futebol feminino de forma diferente da construção de qualquer casa, onde se começa pela fundação. Esta mansão terá que ser construída do telhado para a fundação, pois temos que observar o ciclo olímpico. É importante que descubramos e formemos já, uma seleção capaz de trazer as medalhas do Mundial 2015 e das Olimpíadas de 2016, e construamos ao mesmo tempo, bases duradouras na descoberta, formação e aperfeiçoamento de atletas e profissionais.

O Brasil, país dito livre de preconceitos de todos os tipos, vem demonstrando que a verdade em relação ao futebol feminino, passa bem longe de ser real nesse aspecto. Nada foi feito de forma a se tornar perpétuo, permitindo que novas gerações de futebolistas se beneficiem dessas iniciativas, quer públicas ou privadas.

Pela primeira vez uma presidente do Brasil demonstra interesse pela modalidade e pede ao seu ministro dos esportes, que é apaixonado pela modalidade, que coloque um sistema que possibilite os nossos canarinhos fêmeas, conquistar voos tão altos como os canarinhos machos, penta campeões do mundo para que se mantenham no ar. Ou fazemos agora, com a Copa do Mundo e as Olimpíadas em nosso solo ou perderemos o trem da oportunidade.

Objetivos específicos

1 – Definir as ações do Ministério dos Esportes em relação ao futebol feminino;
2 – Estimular à CBF na criação de parcerias com o Ministério dos Esportes e o COB;
3 – Estabelecer prática do futebol feminino nas aulas de Educação Física no Ensino Fundamental I, II e Médio (de acordo com o artigo 217 da Constituição Federal);
4 – Dobrar o número de praticantes brasileiras até 2015 (29 milhões de mulheres no mundo segundo dados da FIFA e 400 mil praticantes regulares de acordo com levantamento feito em 2006 pelo Atlas do Esporte);
5 – Aumentar o número de clubes que possuem futebol feminino em 50% até 2015;
6 – Inserir o futebol feminino nos JEBS e JUBS;
7 – Incluir o futebol feminino nos jogos escolares municipais em todo território nacional;
8 – Criar programas de capacitação de profissionais para trabalhar com o futebol feminino;
9 – Criar cinco (5) centros olímpicos regionais (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste) de formação e capacitação de atletas e profissionais para o futebol feminino. (De acordo com o artigo 217 da Constituição Federal);
10 – Elaborar junto à CBF o novo calendário anual do futebol feminino, respeitando-se os anos de Olimpíadas e campeonatos mundiais;
11 – Subsidiar diretamente ou através de patrocínios privados e obrigar as Federações a realizarem os campeonatos estaduais, dentro do calendário definido pela CBF;
12 – Criar o campeonato nacional (NFB, novo futebol feminino) de equipes, respeitando-se o calendário elaborado pela CBF;
13 – Incentivar a criação e adoção permanente (4 anos) da seleção brasileira principal de futebol feminino, atendendo ao ciclo olímpico para 2016;
14 – Criar condições para a realização de quatro torneios internacionais por ano, sendo dois no Brasil e dois no exterior;
15 – Exigir que os contratantes (clubes) registrem em carteira profissional de trabalho as contratadas (jogadoras) de acordo com o art. 29 da Lei 9.615/98 – Lei Pelé;
16 – Criar a Ouvidoria dentro da Coordenaria Geral do Futebol Feminino do Ministério dos Esportes;
17- Criar o piso salarial nacional da atleta de futebol profissional.

É isso aí, gente.

11:38 · 01.06.2012 / atualizado às 18:48 · 06.08.2012 por

A notícia não é das melhores e reflete a falta de investimentos no futebol feminino no país. A Fifa divulgou novo ranking da modalidade e o Brasil caiu da quarta posição para a quinta. Isso mesmo. As derrotas nos amistosos para Canadá, EUA e Japão, além da derrota no Panamericano foram os fatores de queda do Brasil. OS Estados unidos continuam no topo, seguido pela Alemanha, Japão, e Suécia. abaixo do Brasil, em sexta colocação está a França, que vem investindo no futebol feminino e demonstrando nos último anos evolução. O canadá ocupa a sétima colocação.

Não é à toa que jogadoras como Érika, da seleção brasileira e do Centro Olímpico criticou, mais uma vez, a falta de apoio que o futebol feminino tem no país. “O futebol feminino no Brasil é muito ruim. Na Alemanha, por exemplo, elas fazem amistosos contra a seleção do Japão. Já nós enfrentamos a seleção sub-15 do Bangu”, detonou.

O Brasil se prepara para as Olimpíadas de Londres. A seleção feminia ficou no grupo da Grã-Bretanha, Nova Zelândia e Camarões. A estreia verde e amarela será no dia 25 de julho, em Cardiff, contra a seleção de Camarões. Depois, volta a jogar na cidade galesa no dia 28, contra a Nova Zelândia. O time do técnico Jorge Barcellos encerra a sua participação na fase de grupos em 31 de julho, no Estádio de Wembley, em Londres, contra a Grã-Bretanha.

Atacante Ériká aponta a falta de investimentos como sendo fator na queda de rendimento da equipe

Os dois primeiros colocados de cada um dos três grupos e dois melhores terceiros lugares se classificam para as quartas de final do torneio olímpico de futebol feminino.Caso avance na liderança, o Brasil vai enfrentar no primeiro mata-mata um dos melhores terceiros colocados. Se a equipe se classificar na segunda posição, duelará com o segundo colocado do Grupo F, que conta com Japão, Canadá, Suécia e África do Sul. A medalha de ouro será disputada no dia 9 de agosto, no Estádio de Wembley.
Boa sorte para as nossas meninas!

10:03 · 20.04.2012 / atualizado às 10:03 · 20.04.2012 por

Jogadora Érika é uma de nossas esperanças na briga pelo ouro em Londres
A jogadora Erika, do Centro Olímpico e da Seleção Brasileira feminina de futebol, durante entrevista coletiva, afirmou que as japonesas, atuais campeãs do mundo, são as melhores na atualidade e a seleção a ser batida nos Jogos Olímpicos de Londres.Para ela, o time asiático estará na final da Olimpíada sem a menor dúvida, e os brasileiros precisam dar mais valor à medalha de prata. “A seleção feminina do Japão é comparável ao Barcelona, não podemos negar”, reconhece.
Nos Jogos de Pequim 2008, lembra a atleta, o Brasil perdeu para os Estados Unidos e voltou para a casa com a medalha de prata. “Os torcedores não costumam dar o verdadeiro valor para a conquista da segunda colocação. Isso tem que mudar. Claro que vamos brigar pelo ouro, mas temos que reconhecer que estamos abaixo de uma equipe quase perfeita como a do Japão”, detona.
Depois da tristeza de vê o fim da equipe das Sereias da Vila, a atacante, que atua como zagueira, foi contratada pelo Centro Olímpico e voltou a sorrir. “A equipe é forte concorrente ao título da Copa do Brasil feminina. Estou confiante sobre isso”.
Além de Érika, a lateral Maurine foi outro reforço que saiu do Santos direto para o time paulista.

09:45 · 08.04.2012 / atualizado às 18:36 · 09.04.2012 por

A polemica está aí: a seleção brasileira feminina de futebol mudou o técnico (saiu Kleiton Lima e entrou Jorge Barcellos) e mudou o esquema tática (3-5-2 para o 4-4-2) e faltando tão pouco para as Olimpíadas de Londres, o time se perdeu completamente e corremos um risco danado de passar vergonha da competição mais importante do ano. Depois das derrotas para Canadá (2×1), EUA (3×0) e Japão (4×1) ficou claro uma coisa: ou as atletas não assimilaram no novo esquema tático ou “desaprenderam” a jogar futebol. As meninas parecem “baratas tontas” em campo e, na minha opinião, nenhuma se salvou nessas partidas. Assistimos, alarmadas, a uma marcação pra lá de frouxa e erros crassos de passes. Tomamos gol de bola parada, fizemos gol contra. Uma confusão tremenda.

A seleção não pode contar apenas com a Marta, que não participou de todos os amistosos. Ela também cobra mais empenho do time. Foto: Fernanod Pilatos

A lateral Maurine, por exemplo, faz tempo de deixou de jogar. A má fase da jogadora está durando um tempão. A Cristiane é outra que não faz nada em campo. Talvez, a única que se salva é a Érika, mas a teimosia do Barcellos de deixá-la lá atrás, quando todo mundo sabe que ela é excelente mais para a frente, complique o time.

Sei que não podemos só contar com talentos individuais e quando estão em péssima fase, o resto sofre e não produz nada. É preciso disciplina tática, mas um time que saiba jogar nele e não sei, sinceramente, que às portas de Londres, ainda tenhamos tempo de assimilar o novo esquema do Barcellos. Nada contra ele, mas ultimamente tenho sentido uma saudade danada do Renê Simões.

O Brasil parece que parou no tempo e no espaço. Enquanto vemos seleções como a japonesa, que um esquema tático certinho, o Canadá, a França, a Suécia evoluindo a cada competição, sem falar nos EUA e Alemanha, assistimos com tristeza a involução da seleção brasileira. E logo agora que temos uma preparação mais profissional e séria, com amistosos importantes e convocações e treinos mensais…Temos que abrir os dois olhos, senão…

O Brasil ainda vai fazer mais dois amistosos em maio, contra França e Portugal, com datas e locais ainda não definidos. Em junho, o grupo se reunirá para um período de treinos na Granja Comary e, o técnico Jorge Barcellos definirá as 18 convocadas para a Olimpíada. Até agora, 33 atletas estão pré-listadas.

10:03 · 05.04.2012 / atualizado às 18:34 · 09.04.2012 por

É complicado para as meninas da seleção brasileira de futebol. Nos três amistosos que disputaram, três derrotas e a última para o Japão por goleada por 4 x 1. É, o sinal vermelho foi acionado. É preciso mais do que o esforço e força de vontade das jogadoras para o desenvolvimento da categoria no Brasil.

Na partida disputada nesta quinta-feira, as brasileiras passaram vergonha e saíram de campo depois de tomar 4 do Japão.O amistoso realizado na cidade de Kobe. A equipe verde e amarela jogou mal e até marcou dois gols contra.

Essa partida foi preparatória para a Olimpíada de Londres. Mais uma vez o desfalque brasileiro foi Marta. As japonesas são as atuais campeãs do mundo. Até agora, a equipe perdeu os três jogos que disputou: Canadá (2 a 1), Estados Unidos por 3 a 0 na última terça-feira, em Chiba, e agora Japão. A única vitória do ano foi no jogo-treino contra o time universitário de Frankling Pierce, em goleada por 8 a 0.

De acordo com a CBF, o Brasil ainda vai fazer mais dois amistosos em maio, contra França e Portugal, com datas e locais ainda não definidos. Em junho, o grupo se reunirá para um período de treinos na Granja Comary e, o técnico Jorge Barcellos definirá as 18 convocadas para a Olimpíada. Até agora, 33 atletas estão pré-listadas.

08:25 · 02.04.2012 / atualizado às 18:36 · 09.04.2012 por

É com gosto de revanche que a seleção feminina de futebol entrará em compo nesta terça-feira, 3, para jogar contra os EUA. A partida está marcada para às 20 horas (8 horas de Brasília), no Fukuda Denshi Arena, em Chiba (Japão) e é válida como amistoso preparatório para os Jogos Olímpicos. Desde a Copa do Mundo da Alemanha, quando as brasileiras perderam nos penaltis a vaga para as quartas-de-final da competição, que as americanas estão “entaladas” na garganta das jogadoras.

Segundo as informações da CBF, neste domingo, as jogadoras que atuam na Europa, Rosana, Aline Pellegrino, Cristiane e Ester, que não foram liberadas por seus clubes para a etapa de preparação em Boston, nos Estados Unidos, se juntaram ao grupo.

A rotina das jogadoras brasileiras no Japão será corrida. Hoje, pela manhã, o preparador físico Vinicius Munhoz comandará um treino leve para recuperar a musculatura na academia do hotel.

Às 19h30 (7h30 de Brasília), a Seleção fará o treino de reconhecimento do Fukuda Denshi Arena, em Chiba, onde enfrentará as americanas na terça-feira.
Antes do treino, às 17 horas (5 horas de Brasília), o técnico Jorge Barcellos e a capitã Bagé darão uma coletiva de imprensa, no hotel The New Otani Makuhari, onde a delegação brasileira está hospedada.

Depois das americanas, a seleção Canarinha enfrentará as donas da casa, as japonesas, no dia 5, às 19h45 (7h45 de Brasília), no Holmes Stadium, em Kobe.
Lembrando que, no primeiro desses três amistosos, perdemos para o Canadá por 2X1.

Boa sorte para as meninas brasileiras!

09:05 · 26.03.2012 / atualizado às 14:59 · 31.03.2012 por

Gente, o fim de semana não foi bom e nem ruim de todo para o futebol feminino do Brasil. Digo isso, em razão dos resultados que alcançamos: mais uma derrota para o Canadá e um título sul-americano conquistado pela seleção sub-17.

A vitória brasileira aconteceu contra um adversário tradicional no futebol masculino: o Uruguai. O jogo foi realizado no domingo, na Bolívia. A capitã Andressinha marcou o gol da vitória brasileira, do título, com um belo chute de fora da área aos 11 minutos da primeira etapa. E ficou nisso: Brasil 1 X Uruguai 0.

O Brasil já tinha conquistado a vaga no Mundial Feminino Sub-17, que será realizado no Azerbaijão, de 22 de setembro a 13 de outubro. Faltava apenas o troféu do Sul-Americano para fechar com chave de ouro a campanha da Seleção na competição. E nisso, prevaleceu o melhor futebol.

A delegação brasileira sai de Sucre nesta segunda-feira, às 16 horas (17 horas de Brasília). E, amanhã, viaja de Santa Cruz de la Sierra para São Paulo às 11 horas (12 horas de Brasília). A chegada no Brasil está prevista para paras as 14h45. Parabéns, meninas!

Jogadoras e comissão técnica rezam antes da partida contra o Canadá. Foto: CBF

O outro lado da moeda, a derrota, aconteceu contra as canadenses, por 2×1, no sábado. A partida ocorreu no Gillette Stadium, em Boston (EUA). A gente continua com elas entaladas na nossa garganta desde a final do pan-americanos e, pelo visto, vai demorar para engolir com uma vitória.

O Brasil começou melhor, teve mais oportunidades, mas foi o Canadá que abriu o placar, aos 12 minutos do primeiro tempo, com Christine Sinclair. Depois do gol, a Seleção acordou para o jogo e voltou a pressionar as canadenses.

No final do primeiro tempo, no cruzamento, Andreia Suntaque teve um choque com a camisa 2 do Canadá e desmaiou. Barbara entrou no lugar da camisa 1 brasileira.

A Seleção voltou para o segundo tempo com a melhor do mundo: Marta entrou e mudou a cara do jogo. Apesar das boas chances brasileiras, a primeira oportunidade de gol foi canadense. Em um escanteio, a camisa 2 do Canadá subiu sozinha, mas Maurine tirou a bola antes de ela entrar.

A melhor chance da Seleção na segunda etapa veio dos pés de Gabi, que cruzou na cabeça de Marta, a bola bateu no travessão e a sobra foi canadense. Mas foi o Canadá voltou a marcar. Sinclair sobrou sozinha na pequena área e ampliou o placar.

O Brasil ainda diminuiu. Em bela jogada de Erika pelo lado direito, quando chegou cara a cara com a goleira LeBlanc, a zagueira canadense fez pênalti. Gabi cobrou rasteiro no canto direito da goleira e diminuiu para o Brasil.
Agora, é trabalhar para os outros dois amistosos programados como preparação para as Olimpíadas de Londres 2012, que serão disputadas de 27 de julho a 12 de agosto. No dia 3 de abril, a Seleção enfrentará os Estados Unidos, às 20 horas (8 horas de Brasília), no Fukuda Denshi Arena, em Chiba, e, depois, no dia 5, o Japão, às 19h45 (7h45 de Brasília), no Holmes Stadium, em Kobe.

08:15 · 23.03.2012 / atualizado às 15:00 · 31.03.2012 por

Neste sábado, às 14 horas (horário de Brasília), a seleção brasileira feminina de futebol faz o primeiro dos três amistosos programados como preparação para as Olimpíadas de Londres. O time enfrenta as canadenses, nossas algozes na final do Pan-Americano. A partida será realizada no Gillette Stadium, em Boston (EUA) e é cercada de grande expectativa pelas jogadoras e comissão técnica do Brasil.

Joge Barcellos conversa com as jogadoras brasileiras durante treino visando jogo contra as canadenses. Foto: CBF

O treinamento aconteceu no Babson College, uma das mais importantes universidades de economia da cidade.

Na primeira parte do treino, uma corrida leve para aquecer. Em seguida, um trabalho nos cones, corrida ora com passadas largas, ora elevando os joelhos, laterais e de costas. Depois do aquecimento, Vinicius entregou as jogadoras “nas mãos” do técnico Jorge Barcellos e de seu auxiliar Eduardo Oliveira.

A segunda etapa do treinamento foi de posse de bola. As meninas da Seleção foram divididas em duas equipes: azul e branca. Em metade do campo, trocavam passes mas sem tentando não perder a posse de bola. Enquanto isso, na outra metade do campo, o preparador de goleiras Celio Rossi fazia um trabalho específico com Bárbara e Andreia Suntaque.

A partida contra o Canadá é o primeiro amistoso preparatório para as Olimpíadas de Londres 2012, que serão disputadas de 27 de julho a 12 de agosto. No dia 3 de abril, a Seleção enfrentará os Estados Unidos, às 20 horas (8 horas de Brasília), no Fukuda Denshi Arena, em Chiba, e, depois, no dia 5, o Japão, às 19h45 (7h45 de Brasília), no Holmes Stadium, em Kobe.
Boa sorte para a nossa seleção!

08:50 · 21.03.2012 / atualizado às 13:39 · 31.03.2012 por

Com uma preparação mais profissional, a seleção brasileira feminina de futebol embarcou ontem para os Estados Unidos, onde no próximo sábado, 24, enfrenta, em partida amistosa, o Canadá que, sejamos sinceras, ficou “entalado” na nossa garganta depois de nos vencer nos jogos Panamericanos. A partida será disputada às 13 horas (14 horas de Brasília), no Gillette Stadium. O jogo é um dos três amistosos que fazem parte dos treinamentos visando às Olimpíadas de Londres.

Jogadoras brasileira se mostram confiantes e apostam na conquista do tão sonhado ouro nos jogos olímpicos

Em Boston, a delegação brasileira feminina ficará hospedada no Westin Hotel, localizado na 70 Third Avenue – Waltham, Massachusetts – 02451. Ainda nessa quarta-feira, a Seleção fará um treino técnico, às 16 horas (17 horas de Brasília).

Depois, no dia 31, a Seleção viajará para o Japão, onde enfrentará os Estados Unidos, no dia 3 de abril, às 20 horas (8 horas de Brasília), no Fukuda Denshi Arena, em Chiba. Por último o Japão, no dia 5, às 19h45 (7h45 de Brasília),no Holmes Stadium, em Kobe.

09:12 · 05.12.2011 / atualizado às 09:12 · 05.12.2011 por

Nossa camisa dez da seleção, Marta, quer o título de melhor do ano pela sexta vez

A camisa dez da Seleção Brasileira Feminina de Futebol, Marta, concorre mais uma vez ao prêmio de melhor jogadora do planeta. Ela, que já conquistou o título cinco vezes, disputa com outra camisa dez, a da seleção campeã do mundo, o Japão, Homare Sawa, e da norte-americana, Abby Wambach. Do trio de craques, a japonesa liderou sua equipe na campanha da Copa do Mundo da Alemanha e é apontada como a grande favorita ao prêmio.
A japonesa Sawa é considerada a grande favorita ao prêmio da Fifa

No lado masculino, Cristiano Ronaldo (Portugal), Lionel Messi (Argentina) e Xavi (Espanha) foram os escolhidos. O santista Neymar ficou de fora da lista tríplice. No entanto, ele poderá ganhar na categoria gol mais bonito do ano. Junto com o craque brasileiro, Messi (Argentina) e Wayne Rooney (Inglaterra) também concorrem ao prêmio.
Além dos troféus apresentados ao melhor jogador e à melhor jogadora, aos melhores técnicos e ao autor do gol mais bonito do ano, três outros prêmios serão entregues durante a cerimônia em Zurique: a Seleção Mundial da FIFA/FIFPro, o Prêmio Presidencial e o Prêmio FIFA Fair Play.
Todos os prêmios serão entregues durante a cerimônia de gala da Bola de Ouro FIFA a ser realizada no Kongresshaus de Zurique, cidade onde se localiza a sede da FIFA, no dia 9 de janeiro.

Boa sorte, Marta!