Busca

Tag: surf


11:26 · 27.09.2011 / atualizado às 14:47 · 27.09.2011 por

 
 
 
 
 
 
 

A cada dia mais atletas tem procurado o Treinamento Funcional para melhoria de seu desempenho. Fotos: Sérgio Sampaio (Divulgação)

 

O Treinamento Funcional,  ‘boom’ do momento nas academias de todo o País, vem conquistando, a cada dia, novos e mais preparados adeptos. Além daquelas pessoas que buscam praticar uma  atividade física ou experimentar uma modalidade diferente, atletas  de corrida, natação, voleibol, basquete, ginástica, surf, jiu-jitsu e até de futebol, estão buscando esta atividade para desfrutarem dos inúmeros benefícios que ela proporciona.  

 Como o próprio nome diz, essa atividade física tem como finalidade fazer com que o treinamento se desenvolva buscando a funcionalidade e semelhança de gestos de uma determinada prática esportiva ou de movimentos relacionados as atividades da vida diária (AVDs). No caso dos atletas de corrida, por exemplo, não é diferente, já que trata-se de uma combinação de gestos motores que podem ser aperfeiçoadas e treinadas com a prática do Treinamento Funcional.

 

 
 
 
 

Atletas de diversas categorias, como surf, corrida e jiu-jitsu, tem melhorado sua performance com treinos funcionais.

 

 Sérgio Sampaio, educador físico e preparador de atletas da academia Funcional Work, explica como isso acontece. “O Treinamento Funcional pode ser aplicado visando a melhoria de todas as valências físicas e, dentre elas, estão a velocidade e resistência, essenciais para os corredores. Na realidade são dois tipos de sistemas energéticos trabalhados: anaeróbico e aeróbico. No caso dos corredores, principalmente os fundistas, ambos estão diretamente interligados. No Treinamento Funcional a resistência é amplamente trabalhada quando aplicamos intervalos os quais chamamos de “repouso ativo”. São intervamos entre-séries em que a frequência cardíaca, através de exercícios, permanece dentro de uma zona-alvo pré-calculada de acordo com os objetivos do atleta. Nesses exercícios incluem-se deslocamentos, saltos e isometrias. A velocidade pode ser desenvolvida com a aplicação de exercícios específicos para cada gesto motor. Nesses exercícios pode-se trabalhar inclusive o aperfeiçoamento do movimento e/ou um trabalho específico de força e resistência para o grupo muscular envolvido“.

Isso tem ocorrido principalmente porque mesmo aqueles atletas com altos níveis de preparação e performance precisam treinar de forma periodizada e sistemática.  “Isso faz com que, fisiologicamente, o corpo mantenha-se em condições de absorver novas cargas de treino e adaptações no que diz respeito a manutenção e melhoria do desempenho. É o que chamamos, no Treinamento Desportivo, de Princípio da Continuidade“, explica  Sérgio Sampaio.

O grande diferencial do Treinamento Funcional aplicado aos atletas que praticam a corrida está no cuidado com as lesões. “O treino não só evita lesões mas também as trata. Quanto mais fortalecido ou trabalhado um grupo muscular ou articulação menos propenso a lesões ele está. No caso dos atletas é primordial um trabalho não só aeróbico mas também que o corpo seja treinado de forma integral“, esclarece o personal trainner.

 Outra categoria que vem buscando a modalidade como ‘reforço’ para a performance é a de atletas de luta, especialmente jiu-jitsu. “O treinamento ajuda na medida em que é aplicado visando o aperfeiçoamento e prática dos movimentos relativos ao esporte. Esse treinamento tem como objetivo fazer com que o atleta execute movimentos que simulem os gestos da uma determinada luta e até mesmo situações que imitem a própria competição. Vale a pena ressaltar que esse treinamento deve ser realizado trabalhando o atleta como um todo, já que a os segmentos corporais são interligados em cadeias musculares. Os trabalhos realizados em superfícies instáveis também tem proporcionados excelentes resultados“.

 Uma dúvida constante de quem se interessa pela atividade é se o treinamento funcional substitui a musculação. Sérgio Sampaio esclarece que  termo ‘complementa’ é o mais adequado, dependendo dos objetivos. “O Treinamento Funcional é aplicado com melhores resultados em indivíduos que buscam trabalhar o corpo de forma integral com ganhos de condicionamento aeróbico, atletas que buscam resultados em um esporte específico. Pessoas em fase reabilitação e com alguns tipos de assimetrias também podem obter bons resultados com treinos de propriocepção. Outro fator importante a ser ressaltado são os ganhos proporcionados quanto ao equilíbrio e consciência corporal“.

 Legal, não é? E os atletas confirmam que a comprovação prática disso está nos resultados obtidos em um reduzido período de tempo. Até os grandes clubes de futebol do Brasil já incluíram o Treinamento Funcional como parte de sua preparação física. Atletas que optam por esse tipo de treinamento relatam uma rápida melhoria de rendimento após o início dessa prática.

As Belas no Esporte já aderiram ao Treinamento Funcional! E você?

 SERVIÇO:

Sérgio Sampaio – personal trainner (sergiodesampaio@gmail.com)

Telefones: 85.99000828 e 85.8661.3788

Indicado até para idosos, o Treinamento Funcional evita e trata lesões.
08:26 · 16.08.2011 / atualizado às 21:48 · 26.10.2011 por

Quando o assunto são fotos de surf de dentro d’água, um nome logo vem à mente: Natinho Rodrigues. O fotógrafo é praticamente o único no Ceará que se aventura a fazer, profissionalmente, esse tipo de registro em alto mar, munido apenas de um pé de pato e de suas poderosas objetivas. E, como se não bastasse as excelentes fotos de surf, o cara ainda é fera em registros subaquáticos. Faz fotos de mergulho, kit-surf, windsurf, bodyboard, surf e natação. Além de ser repórter fotográfico, onde faz registros de jogos de futebol, esportes radicais e dos acontecimentos históricos de nossa cidade.

São muitas as histórias para contar, uma mais adrenalizante que a outra. Algumas delas Natinho Rodrigues compartilha com as Belas no Esporte. Portanto, se você é apaixonado por surf, fotografia ou simpatiza com alguma dessas atividades, essa entrevista certamente irá lhe oferecer algumas dicas preciosas.

Foto: Natinho Rodrigues

Belas no Esporte: Como começou sua carreira como fotógrafo?
Natinho Rodrigues: Desde 1997 que fotografo surf. Comecei minha carreira registrando surf. No início por necessidade, como não tinham fotógrafos, sempre que aparecia uma câmera a galera me dava. Começaram a perceber que elas saiam bem feitas e assim comecei. Depois de um tempo consegui comprar o meu equipamento e, logo em seguida, vieram as viagens. Em 1998, participei de um jornal de surf, um dos primeiros do Ceará. A partir de então, passei a viajar pelo Nordeste inteiro e a ir para Fernando de Noronha todos os anos. Foi quando senti a necessidade e vontade de fazer fotos de dentro d’água. Em 2001, com ajuda do amigo Marcelo Bibita, construí a minha primeira caixa estanque e viajei, com um grupo de surfistas, para uma surf trip à praia do Francês, em Alagoas.

Na época, as fotos ainda eram analógicas, com filme. Lá eu consegui fazer uma foto que acabou sendo a primeira capa colorida de uma foto de surf de dentro d’água do Ceará. Depois disso, estou em Fernando de Noronha todos os anos, me dedicando. Fui melhorando as caixas estanques e, em seguida, passei para a câmera digital. Fiz outras caixas estanques e estou trabalhando até hoje. No Ceará, sou o único que atua profissionalmente com esse tipo de trabalho. Faço fotos de mergulho, kit-surf, windsurf, bodyboard, surf, natação e fotojornalismo. Mas a minha especialidade mesmo é o surf. Sou surfista há mais de 15 anos.

(mais…)

20:05 · 28.06.2011 / atualizado às 20:09 · 28.06.2011 por

No Campeonato Cearense de Rally, em maio último, Mariana tirou o primeiro lugar na categoria "Estreantes". Foto: Arquivo pessoal

Mariana Sasso já mergulhou em Fernando de Noronha, correu rally, dançou, fez pilates e treinamento funcional. Ela curte caminhada, mas se realiza sobre as ondas, surfando, nos fins de semana. Ficou cansado (a) só de ler? Pois é! A nossa musa da telinha é toda esportes!

Com muita simpatia, Mariana aceitou estrear nossa categoria “Meu ídolo e seu esporte”. Afinal, quem tem mais de 1.850 seguidores no Twitter tem um bocado de fãs, não é? A bela Mariana Sasso foi escolhida pelas Belas no Esporte para ser a primeira entrevistada por uma série de razões. A principal: ela arrasa na apresentação do Globo Esporte, na TV Verdes Mares. Deixa a marmanjada de boca aberta quando começa a falar sobre tudo o que é modalidade esportiva.

Mariana e seu ídolo, o lutador Minotauro. Foto: Arquivo pessoal

E como é que é ser uma mulher, no meio de tantos homens, falando sobre esportes? “No começo não foi fácil. Tem que trabalhar dobrado, mostrar competência em dobro. O preconceito era muito forte, hoje está melhor. Falar de futebol com homem, eu adoro!  Passamos o dia falando sobre esporte. É divertido. Respiro esporte na Redação e, em casa, tenho um irmão, um pai e um namorado apaixonados por esporte…  Aí já viu, né?! Agora, quando o assunto é futsal, surf e MMA, eles fogem. Poucos, na minha roda de amigos, sabem falar bem e comentar com inteligência e conhecimento sobre outro esporte que não seja o futebol. Amo isso! Falar de jiu-jítsu? Só mesmo com amigos lutadores“.

Alegria e bom humor” são os ingredientes da jornalista para manter a forma nessa rotina corrida de apresentadora de TV. “Sem um astral bom é impossível dar bons frutos. A paixão pelo trabalho tem que existir, principalmente na nossa profissão, porque a loucura é grande (risos)”. E para quem quer conhecer um pouquinho da rotina de Mariana, aí vai: “Acordo cedinho, às cinco da manhã. Vou caminhar no Cocó. Passo uma hora caminhando, cantando e conversando com minha amiga Sinara, minha companheira de caminhada. Ela já conseguiu perder 30kg. Pense numa inspiração pra mim?!  Bem… Depois, sigo para a  TV. Entro às sete da manhã, todos os dias. Quando chego ao trabalho, começa a correria que eu amo! À tarde, vou pra casa. Brinco e ensino as tarefas da Marian Clara, minha irmã de oito anos“. (mais…)

20:06 · 15.05.2011 / atualizado às 20:16 · 15.05.2011 por
Silvana Lima derrota aussie Tyler Wright e vai à semifinal do Billabong Rio Pro. Foto: ASP/Cestari

Não teve para ninguém. A havaiana Carissa Moore faturou o  Billabong Rio Pro 2011, quinta etapa do World Tour Feminino encerrada neste domingo na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ). Ela levou a melhor sobre a  a australiana Sally Fitzgibbons e a brasileira Silvana Lima, que ficou em terceiro lugar. Silvana é cearense e atual campeã brasileira  profissional de surf.

Na terceira final entre as atletas nesta temporada, Carissa soube aproveitar melhor as ondas de até 1 metro e formação regular para vencer pelo placar de 14.87 a 13.80 e conquistar a sua segunda vitória seguida no tour, a terceira em 2011.

Em uma bateria equilibrada, Carissa, 18, abusou das pauladas de backside para conseguir notas 8.10 e 6.77 em duas esquerdas, enquanto Sally, 20, preferiu as direitas de frontside para fazer 7.30 e 6.50 em suas melhores ondas.

Com o resultado, a havaiana dispara na liderança do circuito mundial e leva para casa o cheque de US$ 25 mil. Já Sally se mantém na segunda posição do ranking e fatura US$ 9 mil.

A brasileira Silvana Lima e a australiana Stephanie Gilmore acabaram a disputa em terceiro lugar e somaram 6.500 pontos cada, além de engordarem a conta bancária em US$ 7,5 mil.

Restam apenas duas etapas para o final do circuito mundial feminino: Biarritz, França, entre os dias 11 e 17 de julho, e Huntington Beach, Califórnia (EUA), de 1 a 6 de agosto.

Resultado do Billabong Girls Pro Rio 2011
1 Carissa Moore (Haw)
2 Sally Fitzgibbons (Aus)
3 Silvana Lima (Bra)
3 Stephanie Gilmore (Aus)
5 Tyler Wright (Aus)
5 Courtney Conlogue (EUA)
5 Pauline Ado (Fra)
5 Laura Enever (Aus)
9 Paige Hareb (Nzl)
9 Alana Blanchard (Haw)
9 Coco Ho (Haw)
9 Sofia Mulanovich (Per)

Ranking do ASP Women’s World Tour 2011 depois de 5 etapas

1 Carissa Moore (Haw) – 47.000 pontos
2 Sally Fitzgibbons (Aus) – 41.650
3 Tyler Wright (Aus) – 30.620
4 Stephanie Gilmore (Aus) – 29.350
5 Silvana Lima (Bra) – 27.920
6 Coco Ho (Haw) – 25.300
7 Courtney Conlogue (EUA) – 24.000
8 Sofia Mulanovich (Per) – 23.750
9 Chelsea Hedges (Aus) – 20.550
10 Pauline Ado (Fra) – 20.325
11 Laura Enever (Aus) – 17.125
12 Paige Hareb (Nzl) – 17.100
13 Melanie Bartels (Haw) – 13.720
14 Rebecca Woods (Aus) – 11.175
14 Jessi Miley-Dyer (Aus) – 11.175
14 Jacqueline Silva (Bra) – 11.175
14 Alana Blanchard (Haw) – 11.175
18 Claire Bevilacqua (Aus) – 7.175
13:16 · 15.04.2011 / atualizado às 13:17 · 15.04.2011 por

Uma nova seção do Belas no Esporte vai dar o que falar… e ver! É que nela, a “Quem procura… acha!”, você poderá achar e mostrar os craques desconhecidos mundo a fora. Se você tiver talento para algum esporte e quer ser visto (principalmente por um “olheiro”, empresário ou diretor de clube ou organização esportiva), este é o seu espaço.

Para divulgar no Belas no Esporte é bem fácil: faça um vídeo bem legal, publique em algum site e nos envie o link, caso não seja possível pode enviar direto pra gente. Nosso e-mail é: belasnoesporte@gmail.com. Lembrando: não é só futebol! Os esportistas de vôlei, basquete, judô, handebol, atletismo, bodyboarding, bilhar, bicicross, ginástica, xadrez, boxe, skate, surf,  kitesurf e as outras mil e uma atividades também terão espaço garantido.

No “Quem procura… acha!” publicaremos, além de novos talentos, fatos curiosos e divertidos, como este aí embaixo:

Golaço no estilo Cirque du Soleil

Este aí já tem time! E você??? Manda o vídeo e divulgaremos seu talento esportivo.

09:31 · 07.04.2011 / atualizado às 11:52 · 08.04.2011 por

Após conquistar o título de campeã mundial de bodyboard no ano passado, a surfista cearense Isabela Sousa não pensa em outra coisa, a não ser levar novamente o título em 2011. Em uma conversa informal com este blog, a bodyboarder revela que teve um início de ano um tanto difícil pois, após conquistar o título máximo que tanto almejava, se sentiu um pouco perdida, sem saber o que fazer. Foi quando decidiu, no início do ano, mudar o foco e fazer um filme.

Não seria um documentário, a ideia é de um vídeo voltado para os atletas, com imagens de surf. Porém, após ter ficado em 9º lugar na primeira etapa do Circuito Mundial de 2011, realizado no mê de fevereiro em Pipeline, no Hawaí, a surfista mudou novamente o foco e garante que agora só quer saber do mundial.”Não era o resultado que eu queria, porque eu sempre almejo o primeiro lugar. Essa nona colocação me deu uma acordada, voltei para casa focada em ganhar, ao invés de fazer filmagem”.

A surfista justifica o ruim desempenho, contando que foi para Pipe preparada, psicologicamente, para pegar a “bomba”, “nem que se quebrasse toda”. Contudo, o que encontrou foi um mar pequeno, com vento, bem parecido com o Brasil. “Estava o Ceará bom”, define. Seu próximo desafio será em Búzios, no Rio de Janeiro, onde acontece no final de maio a segunda etapa do mundial feminino e a única realizada no Brasil.

A praia, a bodyboarder conhece bem. Foi lá que, em maio do ano passado, ela venceu a primeira etapa do Búzios Bodyboard 2010, primeira etapa do mundial, e iniciou a trajetória que resultaria na conquista do título máximo da categoria: a de campeã mundial. “Estou muito, mas muito mesmo motivada para ir para esse evento e recuperar o meu desfoco”.