Busca

11:05 · 21.09.2016 / atualizado às 11:05 · 21.09.2016 por
Carlos Barbosa, Rosania Ramalho e Eugênia Carneiro na abertura do curso de atualização
Carlos Barbosa, Rosania Ramalho e Eugênia Carneiro na abertura do curso de atualização

O Bem-Estar Animal (BEA) é um dos temas do Curso de Atualização para cerca de 1.800 agentes de endemias de Fortaleza, iniciado dia 12 de setembro último. A capacitação é realizada pela Secretaria de Saúde do Município, por meio da Célula de Vigilância Ambiental e Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza (CCZ). A convite da coordenadora do CCZ Fortaleza, médica veterinária Rosania Ramalho, a editora deste blog, Valéria Feitosa, também editora da Revista Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, apresenta a temática do BEA no curso.

Valéria Feitosa apresenta o tema Bem-Estar Animal para os agentes de endemias de Fortaleza
Valéria Feitosa apresenta o tema Bem-Estar Animal para os agentes de endemias de Fortaleza

Também integram a programação os temas Leishmaniose e Diagnóstico da Doença, apresentados pelo médico veterinário do CCZ, Sérgio Franco, e pelo Biólogo, Alex Medeiros, igualmente do Centro de Zoonoses; e Raiva Silvestre, sob responsabilidade do Dr. Francisco Barroso, também do CCZ.

Na abertura do evento, o coordenador dos agentes de endemias, Carlos Barbosa, e a coordenadora do CCZ, Rosania Ramalho, falaram da importância da capacitação. Segundo Rosania, a meta é capacitar os profissionais de forma a qualificá-los no trabalho de informar, sensibilizar e auxiliar a população que cria animais sobre todas essas endemias. “Eles devem estar informados não só sobre dengue, chikungunya ou zica, mas também sobre raiva, leishmaniose e bem-estar animal”, destaca ela.

Alex Medeiros aborda o tema Diagnóstico de Leishmaniose para os participantes
Alex Medeiros aborda o tema Diagnóstico de Leishmaniose para os participantes

Participam da capacitação todos os agentes de endemias e mais os servidores dos Núcleos de Educação em Saúde e Mobilização (Nesms), totalizando cerca de 1.800 profissionais. A programação segue até outubro, com dois encontros semanais para turmas de 50 pessoas por dia.

A organizadora do evento, Eugênia Carneiro, do CCZ, afirma que, como os agentes atuam diariamente visitando casa a casa dos moradores da Capital, a atualização nas temáticas do curso torna-se fundamental. Eles serão os multiplicadores dos temas junto à população, conforme ressalta.

O Bem-Estar Animal integra o curso de atualização dos agentes da Capital
O Bem-Estar Animal integra o curso de atualização dos agentes da Capital

Mais informação: Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza, Rua Betel, 2980, Itaperi, (85) 3131.7849

 

11:01 · 16.09.2016 / atualizado às 11:01 · 16.09.2016 por

Uma das maiores autoridades mundiais em Leishmaniose Visceral Canina (LVC), Dr. Vitor Márcio Ribeiro (PUC/MG), estará em Fortaleza para participar neste domingo, 18, do ciclo de palestras sobre esta enfermidade, conhecida popularmente como calazar. “A liberação do tratamento da Leishmaniose Visceral Canina, quais os próximos passos?” é o tema central do evento, que acontece de 9 às 12 horas, no Auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa do Ceará, numa promoção da Associação Nacional de Clínicas Veterinárias de Pequenos Animais-Ceará (Anclivepa-CE).
leishmaniose arteA presidente da Anclivepa-CE, Dra. Alice Gonçalves, justifica a importância do evento, uma vez que os Ministérios da Agricultura e da Saúde já liberaram o uso do medicamento Milteforan (Laboratório Virbac) no tratamento dos cães acometidos pela LVC. A Nota Técnica Conjunta n° 001/2016 – MAPA/MS foi a que permitiu que o Ministério da Agricultura emitisse o registro final do produto para a Virbac.
A nota enviada para a Virbac comunica o seguinte: “A sua solicitação para REGISTRO DE PRODUTO foi DEFERIDA. Comunico registro do produto denominado MILTEFORAN 2% SOLUÇÃO ORAL PARA CÃES informando que a emissão do registro além de baseada nos Pareceres de Fiscais Federais Agropecuários foi corroborada pelo Ministério da Saúde em cumprimento ao que determina o Art. 3° da Portaria Interministerial 1426, de 11 de julho de 2008, através da Nota Técnica Conjunta n° 001/2016 – MAPA/MS”.
O Brasileish (Grupo de Estudos sobre Leishmaniose Animal) esteve à frente dos trabalhos para liberação do medicamento no Brasil. O Milteforan é uma das drogas mais utilizadas na Europa para o tratamento da Leishmaniose em cães.
leishmaniose o cão não é o vilao 334740_203376449796504_781077148_o1Após décadas de discussão, o grupo de pesquisas da Brasileish, liderado pelos médicos veterinários Vitor Márcio Ribeiro, Fábio dos Santos Nogueira e Ingrid Menz, com o apoio do laboratório Virbac, anunciou no último dia 28 de agosto que conseguiu a aprovação do Ministério da Saúde e da Agricultura para a comercialização do Milteforan. O medicamento foi testado no Hospital Veterinário Mundo Animal, em Andradina (SP), com resultados eficazes.
A Sociedade Brasileira de Medicina Tropical divulgou em seu site que “durante os quase 103 anos da história da Leishmaniose Visceral nas Américas, a Medicina Veterinária evoluiu bastante, principalmente no diagnóstico e na prevenção. O encontro de uma medicação de uso exclusivamente veterinário, com registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com eficácia clínica, laboratorial e, sobretudo que bloqueia a transmissão representa um marco importante para encerrar uma discussão que já dura mais de 60 anos. O medicamento será comercializado a partir de janeiro de 2017”.
A Anclivepa-CE é prioneira no Brasil na promoção do ciclo de palestras sobre a LVC, após a decisão dos Ministérios da Agricultura e Saúde. As palestras têm como moderador o médico veterinário Nélio Batista de Morais, especialista em Saúde Pública. Dr. Vitor Márcio vai falar sobre “A Leishmaniose Visceral Canina, Clínica e Tratamento e Responsabilidade Técnica do Clínico”. Em seguida, o também veterinário, Dr. Francisco Anilton Alves Araújo (Faciplac/Hertape), abordará a temática “A Leishmaniose Visceral Canina, como visão de animal e responsabilidade social do proprietário e clínico veterinário”.
leishmaniose matar naimais nao resolveA presidente da Anclivepa, Alice Gonçalves, afirma que a entidade encaminhará ofício ao Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), solicitando orientações sobre como a classe veterinária deverá se comportar após essa decisão dos Ministérios.
O presidente do CRMV, Célio Pires, diz que tanto os Conselhos Regionais como o Federal de Medicina Veterinária (CFMV) são órgãos que têm obrigação de cumprir a legislação vigente no País. Segundo ele, no momento, ainda está em vigor a portaria interministerial dos Ministérios da Agricultura e da Saúde que proíbe o tratamento da LVC com medicação humana, bem como a importação de produtos veterinários para esse fim. Sobre a liberação do Milteforan, disse saber que falta os Ministérios regulamentarem a importação.
A presidente do Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza (CCZ), Rosânia Ramalho, disse que, agora, aguarda-se o posicionamento dos Conselhos Federal e Regional de Medicina Veterinária para que o CCZ possa definir um protocolo de ação. “A liberação do Milteforan abre um leque de possibilidades, nas conversas com as ONGs e protetores de animais sobre como proceder diante dos animais acometidos pela Leishmaniose”, afirma ela.
Mais informações: Anclivepa-CE – Ciclo de Palestras sobre Leishmaniose Visceral Canina / inscrições gratuitas no anclivepa-ce@hotmail.com

16:59 · 15.09.2016 / atualizado às 16:59 · 15.09.2016 por
Handler Pablo Henrique (ao centro) é um dos palestrantes do curso, que tem Stefenson Marinheiro (à direita) como coordenador Foto: Bruno Santana
Handler Pablo Henrique (ao centro) é um dos palestrantes do curso, que tem Stefenson Marinheiro (à direita) como coordenador Foto: Bruno Santana

Um curso imperdível para quem gosta de cães! Sim, estamos falando do Curso Básico para Apresentação de Cães, promovido pelo Conselho Brasileiro do Labrador – Seção Ceará (CBL), com apoio do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), no sábado, 17, e domingo, 18. O coordenador do evento, Stefenson Marinheiro, diz que o Curso tem como um dos principais objetivos  preparar  o Estado para a nova tendência da cinofilia no Brasil,  que é os criadores e proprietários  apresentarem seus próprios cães nas exposições cinófilas. Stefenson e o veterinário Victor Madeira, criadores de Labradores, são os representantes do Estado junto ao CBL.

“Essa tendência já chegou em quase todo Brasil, e recentemente no Nordeste, no Estado da Bahia. E por que não trazer para o Ceará ? Este é o primeiro passo do CBL para preparar criadores e proprietários para participarem da cinofilia, incentivando, educando e preparando as pessoas para desenvolver a cinofilia no nosso Estado”, diz ele.

Handler Oiram Filho também será palestrante no curso Foto: Nilton Novaes
Handler Oiram Filho também será palestrante no curso Foto: Nilton Novaes

O curso será ministrado pelos handlers profissionais Pablo Henrique e Oiram Filho. Eles vão falar sobre o que é e como funciona uma exposição cinófila, divisão básica dos grupos de raças e classes, noções básicas da apresentação de cães e simulação de uma exposição de cinofilia. No sábado, 17, acontece na Unip-Faepe a palestra interativa dos dois handlers, de 8 às 17h. Eles estarão abertos às perguntas dos participantes, tirando as principais dúvidas.

No domingo, o curso continua com a parte prática, de 8 às 12h, quando haverá a simulação de uma exposição cinófila, na Ada Hotel e Escola de Adestramento, de propriedade do handler e adestrador André Damasceno.

Stefenson Marinheiro explica que o Conselho Brasileiro do Labrador vem desenvolvendo um trabalho no Ceará para desenvolvimento da cinofilia e da criação de Labradores. “Sempre contamos com o apoio do KCEC e dos grupos locais, tais como Labrador Retriever Ceará, Labradores Brasil, Marinheiro Labs & Zuo’s, entre outros. Nosso objetivo é divulgar, fortalecer e desenvolver a raça Labrador e a cinófila no Estado do Ceará”, diz ele.

“Já realizamos uma palestra sobre a raça Labrador e tivemos um público recorde no Brasil para este tipo de evento (57 presentes). Agora, dando continuidade ao trabalho, estamos realizando este curso de  Apresentação de cães de raça, e, dessa vez, o evento será para cães de todas as raças. Em três dias de inscrição, já estamos com 90% das vagas confirmadas”, comemora ele. O curso tem vagas limitadas a 50 participantes.

MAIS INFORMAÇÕES: Curso Básico para Apresentação de Cães, dias 17 e 18 de setembro, na Unip-Faepe, Av. 13 de Maio, 389, Bairro de Fátima, Fortaleza (parte teórica); e na ADA Hotel e Escola de Adestramento, Rua das Violetas, 501, Mangabeira, Eusébio (parte prática). Inscrições pelos fones  99869.1121/ 98902.9307/ 98185.4881.

Stefenson Marinheiro curso handler 14344905_1264194593612425_1258806776824679438_n

 

19:58 · 13.09.2016 / atualizado às 19:58 · 13.09.2016 por

O Movimento ProParque começa nesta quarta-feira, 14, uma ação para organizar o trabalho da proteção animal no Parque Rio Branco. Em parceria com a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza (CCZ) e Secretaria de Serviços Urbanos, realiza a partir das 8 horas a Manhã Verde. De acordo com os coordenadores do ProParque, Ademir Costa e Luisa Vaz, o objetivo é levar orientações sobre como melhor cuidar dos animais abandonados naquele logradouro, especialmente gatos, bem como divulgar o Ecoponto do local, para coleta seletiva do lixo seco.

Gato em estado de abandono no Parque Rio Branco
Gato em estado de abandono no Parque Rio Branco

De acordo com Luísa, o Parque Rio Branco vive, atualmente, dois grandes problemas: o acúmulo de lixo e o aumento de animais abandonados, principalmente gatos. Ela estima que cerca de 15 protetores voluntários atuam no parque, levando ração, água e cuidados básicos. Porém, pessoas irresponsáveis, confiando que no local há protetores, abandonam cada vez mais gatos nas alamedas. Já outros cidadãos, por verem os animais sem lar, jogam restos de comida pelo parque, mas os alimentos estragados acabam virando “ração” para ratos, baratas, pombos e mosquitos. Forma-se então um verdadeiro problema ambiental, segundo constata a coordenadora do Movimento.

A Manhã Verde do Movimento ProParque vai contar com orientações de veterinários e vacinação pública de animais, promovidas pelo CCZ, que têm a médica veterinária Rosania Ramalho como coordenadora. O CCZ realiza o programa CCZ Extra Muros em praças e demais logradouros da cidade que “abrigam” animais em estado de abandono. No âmbito da atual administração de Fortaleza já atua o Grupo de Trabalho de Proteção e Bem-Estar Animal, para definir políticas públicas em favor dos bichos em situação de abandono na Capital.

Rottweiler "Joni", do Canil Dunas Rott Fortaleza, foto de Nilton Novaes, é destaque na Capa da edição de lançamento da Revista Bem-Estar Animal
Rottweiler “Joni”, do Canil Dunas Rott Fortaleza, foto de Nilton Novaes, é destaque na Capa da edição de lançamento da Revista Bem-Estar Animal

Como parte da Manhã Verde, a Revista Bem-Estar Animal, nova publicação do Diário do Nordeste, estará presente com alguns exemplares de cortesia para os presentes. A edição de lançamento traz reportagem especial sobre o crescimento da cinofilia no Ceará, bem como sobre a nova atuação dos voluntários protetores de animais em Fortaleza. A Revista já está à venda nas principais bancas da Cidade (A Capa da Revista traz o Rottweiler “Joni”, do Canil Dunas Rott Fortaleza, numa foto de Nilton Novaes).

A programação no Parque Rio Branco também contará com palestra de Albert Gradvohl, da Secretaria de Serviços Públicos, sobre o perigo do lixo nas ruas e o risco para a saúde das pessoas. O Movimento ProParque quer incentivar os moradores a levarem mais para o Ecoponto o lixo seco. Elas poderão ter descontos na conta de energia elétrica com este gesto de educação ambiental.

O Movimento ProParque atua há 21 anos em defesa do Parque Rio Branco.

Mais informações: Luisa Vaz e Ademir Costa, Movimento ProParque – (85) 9999.949052 / gritepelavida@gmail.com

13:56 · 11.09.2016 / atualizado às 13:56 · 11.09.2016 por

Vocé é apaixonado por animais de estimação? Ótimo! Nós do Diário do Nordeste também! E como prova deste amor, te oferecemos a primeira edição da Revista Bem-Estar Animal, uma publicação que aquece o trabalho inédito do jornal, iniciado nos idos de 2009, quando lançou página homônima. Agora, em formato de revista, o ineditismo continua! A edição de lançamento já está nas principais bancas de revista da cidade, em pet shops e clínicas veterinárias.

E para abrir com chave de ouro, a revista traz como reportagem principal o crescimento da cinofilia do Ceará. As exposições do Kennel Clube do Estado (KCEC) são recorde no País em número de cães inscritos. Para mostrar este potencial, a publicação apresenta reportagem especial com alguns dos principais cinófilos cearenses, criadores das raças Rottweiler, Chihuahua, Fila Brasileiro, Golden Retriever, Maltês, Spitz Alemão, Australian Shepherd.

Rottweiler "Joni", do Canil Dunas Rott Fortaleza, foto de Nilton Novaes, é destaque na Capa da edição de lançamento da Revista Bem-Estar Animal
Rottweiler “Joni”, do Canil Dunas Rott Fortaleza, foto de Nilton Novaes, é destaque na Capa da edição de lançamento da Revista Bem-Estar Animal

E a Capa da revista traz o grande Rottweiler “Joni”, do Dunas Rott Fortaleza, numa imagem do fotógrafo Nilton Novaes. Confiram a íntegra da entrevista feita com o responsável técnico do canil, Henrique Silva, e com o médico veterinário Daniel Couto Uchoa.

“Dunas Rott Fortaleza – Rottweilers com genética de campeões”
Os Rottweilers que venceram o maior número de exposições especializadas no Norte/Nordeste são criados no Ceará. Mais precisamente nas dunas do Beach Park. Sim, estamos falando do Dunas Rott, canil que mais investiu na importação de cães da Alemanha e Leste Europeu e que figura entre os cinco maiores da raça no País.
São do Dunas, os Rotts que fizeram a história da raça no NO/NE, brilhando com títulos de campeões nas exposições cinófilas. O responsável técnico do canil, Henrique Silva, dá nome aos tops que iniciaram todas as vitórias em pista: Gitano Von Kummelsse, importado da Alemanha, que conquistou os títulos de Grande Campeão Nacional, vencedor de várias especializadas e de Best in Show em várias exposições; Bea Von Kalacberg, importada da Sérvia, tornou-se Grande Campeã Nacional, Bi-Campeã do Nordestão (Especializada que acontece em Recife-PE); e Joni Earl Antonius, também importado da Sérvia, detentor dos títulos de Campeão do Nordestão e vencedor de várias exposições especializadas. O canil também já possuiu um cão que foi Bi-Campeão Mundial, Santo Von Kalenborn.
O médico veterinário do canil, Daniel Couto Uchoa, conta que a paixão dos proprietários pela raça começou quando um casal de cães foi adquirido para fazer proteção e guarda da família. O primeiro Rott foi “Falcon”, que viveu 15 anos, tempo recorde em se tratando de raça canina de grande porte. “Aqui os cães tem alta longevidade, pois são muito bem cuidados. A criação começou com a necessidade de segurança para a casa e família. Depois, isto foi aliado à paixão pelo esporte da cinofilia”.

Henrique Silva e Daniel Uchoa exibem Rottweilers adulto e filhotes com DNAs de excelência do Dunas Rott Fortaleza / Foto: LC Moreira
Henrique Silva e Daniel Uchoa exibem Rottweilers adulto e filhotes com DNAs de excelência do Dunas Rott Fortaleza / Foto: LC Moreira

Iniciado há 8 anos, o Dunas Rott não parou mais no propósito de garantir um plantel de excelência genética. A importação de exemplares da Alemanha, país de origem da raça, e do Leste Europeu, que vem se destacando na cinofilia mundial, atesta ao Dunas resultados incomparáveis nas exposições. “O canil serviu de parâmetro para melhoramento genético da raça no Norte e Nordeste”, diz Daniel, lembrando que, já nas primeiras participações do Dunas nas especializadas de Recife, o Nordestão, os Rotts “Bea” e “Gitano” já se sagraram campeões. Os olhos dos criadores de todos os Estados se voltaram para o Ceará, desde então.
Atualmente, o plantel é formado por cinco machos (três importados da Alemanha), 14 fêmeas (sete importadas da Alemanha e Sérvia) e 20 jovens e filhotes. “Todos os reprodutores e matrizes têm radiografia que atestam a isenção da displasia. Temos total controle na reprodução da raça”, destaca Daniel. Não é à toa que o Dunas tem hoje exemplares de sua criação em praticamente todo o País, (Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste) e na América Latina (Argentina, Bolívia), conforme aponta Henrique.
Eles atestam que os descendentes de Bea e Gitano são cães tranquilos e de temperamento equilibrado. A maioria convive em harmonia com a família criadora. Para tanto, além da genética de excelência, os cães vivem em total conforto ambiental. O Dunas é estruturado com 35 canis (cinco deles reservados para a maternidade), pátios com gramados e piscina. No dia a dia, segundo Henrique, os cães tem uma rotina de exercícios físicos como natação, puxar peso e brincadeiras em grupo para garantir a socialização da matilha.
Mais informações: Dunas Rott, www.dunasrottfortaleza.com.br (85) 98705.5279 (Cleiton)/ 99922.4500 (Henrique) Facebook Dunas Rott Fortaleza