Busca

18:25 · 07.08.2016 / atualizado às 18:25 · 07.08.2016 por
Criadores e simpatizantes da raça se encontraram no Parque Adahil Barreto - Fotos: Nilton Novaes
Criadores e simpatizantes da raça se encontraram no Parque Adahil Barreto – Fotos: Nilton Novaes

Aumenta o interesse por cães da raça Pastor Branco. Como forma de conscientizar os novos criadores sobre a importância de preservar o padrão técnico desta raça, aconteceu na Capital cearense o I Encontro dos Amigos do Pastor Branco, com a participação de 25 criadores e interessados.

A programação se desenvolveu ao longo da manhã do domingo, 7, e constou de palestras sobre criação e origem da raça, como selecionar os cruzamentos, alimentação e doenças hereditárias. O encontro foi organizado pelos criadores da raça Nilton Novaes, Nicole Novaes, Anderson Carneiro e Bárbara Monteiro. Os três primeiros foram os palestrantes da temática.

Nicole Novaes e Anderson Carneiro, entre os organizadores do evento
Nicole Novaes e Anderson Carneiro, entre os organizadores do evento

Segundo explica Nicole Novaes, proprietária do Dunas Brancas Kennel, é fundamental os novos criadores estarem conscientes sobre como desenvolver um plantel sério, voltado para o melhoramento genético da raça. Desta forma, fica garantida a preservação do Pastor Branco, evitando problemas verificados em raças como pequinês, poodle e até pinscher, que perderam as características raciais devido a criações indiscriminadas e irresponsáveis.

pastor branco 13921065_1166294983436708_3491318157504956119_nNicole afirma que este primeiro encontro teve uma particularidade: homenagear o cão “Ares” (2005-2016), criação do Dunas Brancas, de propriedade de Flávio e Cristiane Holanda. Em vida, “Ares” teve participação especial entre os Pastores Brancos do País. Por três vezes foi eleito o Melhor da Raça no Brasil e figurou como um dos maiores campeões da raça em Best in Show (Melhor das exposições cinófilas).

“Ares” deixou filhos e netos que brilham nas pistas de cinofilia. No ano passado, a Bicampeã Mundial da raça, “Ataka”, do Canil Iz Beloy Brigade, da Rússia, veio ao País especialmente para cruzamento com “Ares”, diante de sua qualidade excepcional. “Nesta primeira edição do encontro, quisemos homenagear Ares e seus proprietários Flávio e Cristiane Holanda, que investiram e se dedicaram à raça”, afirma Nicole.

Nicole Novaes é criadora e handler desde os 6 anos de idade
Nicole Novaes é criadora e handler desde os 6 anos de idade

Além de criadora, Nicole é handler e apresenta o Pastor Branco desde os 6 anos de idade. Hoje, aos 25 anos e formada em Arquitetura, prossegue nas pistas de cinofilia, conduzindo campeões da raça.

O evento teve o apoio da Sociedade Cearense de Criadores de Cães Pastores Alemães, que cedeu a sua pista, no Parque Adahil Barreto, para realização do encontro.

Mais informações:  Facebook Nilton Novaes; Facebook Nicole Schlaepfer; Bárbara Monteiro (85) 98892.3537; pastor branco 13906748_1167902616609278_909399166848795526_npastor branco 13882242_1167903053275901_3933526392906243841_nAnderson Carneiro, (85) 9 8405.6200pastor branco 13935122_1167903683275838_3952606882539546685_n

pastor branco 13886290_1167902886609251_6093242841343174465_n

12:21 · 17.07.2016 / atualizado às 12:21 · 17.07.2016 por
A pedido do Blog Bem-Estar Pet, o Grupo Amigos da Praça fizeram um "test drave" no cachorródromo do Joaquim Távora. Eles aprovaram o equipamento/ Fotos cedidas pelo Amigos da Praça
A pedido do Blog Bem-Estar Pet, o Grupo Amigos da Praça fez um “test drive” no cachorródromo do Joaquim Távora. Eles aprovaram o equipamento/ Fotos cedidas pelo Amigos da Praça

Para alegria dos criadores de cães, Fortaleza já está entre as Capitais que ampliam suas políticas de Bem-Estar Animal. E uma das medidas que comprovam isto é a ampliação de áreas de lazer para cães em praças públicas, os famosos cachorródromos. O prefeito Roberto Cláudio abraçou a causa de coração. Sua administração já construiu seis cachorródromos na Capital cearense, em três Regionais da Cidade (2,3 e 6). E já está programado mais um, no Polo de Lazer da Av. Sargento Hermínio.

cachorrodromo Página-cachorródromo-11138132_1051925651486382_6443693136883473759_n (1)O Diário do Nordeste foi o primeiro jornal do Estado a divulgar movimento em favor da instalação do cachorródromo, por meio de mobilização de criadores de cães na Praça da Ceart, na então Página de Bem-Estar Animal. Na edição do dia 29 de setembro de 2015, o Grupo Amigos da Praça, integrado por Fernanda Soares, Aloísio Jr., Hedlanne Filgueiras e outros criadores lançaram o movimento pelo cachorródromo na Capital. Na ocasião, a vereadora Toinha Rocha se manifestou porque também já tinha projeto nesse sentido. Foi então que depois houve a reunião com o prefeito Roberto Cláudio para definição de políticas públicas em favor dos animais e, agora, a primeira medida já está sendo concretizada, com este novo cachorródromo.

Agora, atendendo um pedido do Blog Bem-Estar Pet, o grupo Amigos da Praça fez um “test drive” no mais novo cachorródromo da cidade, na Praça Joaquim Távora (Regional, II), na Rua Fiscal Vieira/Avenida Pontes Vieira. Os coordenadores Fernanda Soares, Antony Alencar, Hedlane Filgueira, Aloísio Jr. e Isabela Castro, juntamente com os membros do grupo Clarisse Albuquerque, Fabiana Machado, Aline Figueira, Victoria Brígido, entre outros, visitaram a nova área de lazer com seus lindos cães.

Amigos da Praça no cachorródromo da Praça Joaquim Távora: Fernanda Soares, Antony Alencar, Hedlane Filgueira e Isabela Castro
Amigos da Praça no cachorródromo do Joaquim Távora: Isabela Castro, Antony Alencar, Fernanda Soares e Hedlane Filgueira

“A estrutura é muito boa, no que se refere a piso, tamanho e equipamentos. A estrutura e tamanho são maravilhosos”, afirma Fernanda Soares. No entanto, ela admite que a praça ainda não está muito bem frequentada pela população, o que dará mais urbanidade e segurança para os criadores de cães que utilizarem o cachorródromo. O Grupo Amigos da Praça continua a mobilização para instalação de um cachorródromo na Praça Luíza Távora (Praça da Ceart, entre as Avenidas Santos Dumont e Costa Barros), sob administração do Governo do Estado. Eles querem marcar uma audiência junto ao Gabinete da Primeira-Dama do Estado, para viabilizar a reivindicação. Enquanto isso, o Amigos da Praça, com cerca de 30 cães, visita os cachorródromos quando pode, ou uma área próxima à Praça da Ceart, cedida por uma imobiliária.

Uma das grandes entusiastas dos cachorródromos é a coordenadora do Centro de Controle de Zoonose de Fortaleza (CCZ), médica veterinária Rosania Ramalho. Ela observa que a população criadora de cães bem como os grupos de proteção animal devem utilizar mais esses novos espaços de lazer. “Como os cachorródromos são espaços criados relativamente em curto espaço de tempo, as pessoas ainda não estão utilizando adequadamente. As pessoas, hoje em dia, estão morando em apartamentos e os animais pets estão cada vez presentes no cotidiano delas. Então, esses novos espaços de lazer se tornam muito seguros para os cães e para os frequentadores das praças el geral, tanto criadores como não criadores. Lá, eles podem correr livres, leves e soltos, gastarem a energia acumulada durante o dia de clausura. E principalmente em segurança, sem correr risco de serem atropelados”, explica Rosania.

Coordenadora do CCZ, Rosania Ramalho/ Foto: Nilton Novaes
Coordenadora do CCZ, Rosania Ramalho/ Foto: Nilton Novaes

“Convido a todos os proprietários, tutores de cães, ONGs, adestradores para conhecerem os cachorródromos,  planejados e pensados especialmente para os cães e seus proprietários. Podemos desenvolver diversas atividades, tais como aulas de adestramento; Agility Show; encontros de várias raças; ponto estratégico para vacinação contra a raiva e exame para calazar em datas definidas; palestras para os criadores, tutores e interessados; e feira de adoção de cães abandonados. O espaço é de todos, vamos usar com responsabilidade!”, conclama a coordenadora do CCZ de Fortaleza.

Ela explica que o papel primordial do CCZ é trabalhar a prevenção e controle das zoonoses. Os cachorródromos são frequentados por todos os tipos de cães. Tem doenças que podem ser transmitidas por carrapatos, pulgas, vermes e mosquitos, tais como Erliquiose, Babesiose, Leishmaniose Visceral Canina ( calazar) e verminoses. Porém, para prevenir que esses espaços sejam focos dessas doenças, o CCZ, em parceria com as Regionais e com sua equipe especializada da UBV, fará semanalmente borrifação com produtos apropriados, seguros e eficientes para quebrar o ciclo das parasitoses e endemias.

“Em acordo com as Regionais, os cachorródromos serão fechados uma vez por semana para a realização desses trabalhos. Essa política de Bem-Estar Animal, criando esses espaços nas praças de Fortaleza, é uma iniciativa pioneira do prefeito Roberto Claudio, priorizando e reconhecendo a necessidade da atividade física dos animais, o que refletirá na convivência saudável entre os cães e seus tutores”, diz Rosania Ramalho.

cachorrodromo 13695225_1321212794560049_1706027399_n“Os cães e gatos são considerados como entes da família, e como nós, eles também têm suas necessidades físicas e psicológicas que devem ser mantidas em bom estado. A importância desses espaços para desenvolver varias atividades físicas traz inúmeras vantagens, tais como: aceleração do metabolismo, evitando e combatendo a obesidade, aumento da resistência respiratória, auxílio na digestão dos alimentos, prevenção e combate ao estresse, melhoria no tônus muscular e na flexibilidade das articulações, entre outros. Cada cão apresenta características e resistências individuais nas atividades, por isso, é fundamental os limites e os horários adequados nas visitas aos cachorródromos”, observa ela.

Confira os locais com cachorródromos em Fortaleza:

cachorrodromo 13705132_1321215494559779_1420984430_nRegional II

– Praça Joaquim Távora, Rua Fiscal Vieira com Avenida Pontes Vieira

Regional VI

-Praça da Igreja da Gloria (da Assunção), Avenida Oliveira Paiva esquina com Desembargador Gonzaga,  Cidade dos Funcionários

-Praça do Guajiru, Rua Socorro Gomes esquina com Estrada do Guajeru

– Praça Deputado Paulo Benevides, Rua Guarujá esquina com Luiz Carlos Lopes Ribeiro, Messejana

– Praça Ubiratan Aguiar, Rua Jacarandá esquina com Rua B, Cajazeiras

Regional III

– Praça da Regional III, Pássaros Livres, Jóquei Clube

No cachorródromo do Joaquim Távora, há saquinhos para os criadores apanharem as fezes dos animais e descartarem nas lixeiras
No cachorródromo do Joaquim Távora, há saquinhos para os criadores apanharem as fezes dos animais e descartarem nas lixeiras

Dicas importantes aos frequentadores:

– Somente levas os cães sadios, que não apresentem sintomas de doenças infecto-contagiosa, como vômito, diarreia, febre e falta de apetite.

– Evitar levar cães agressores; cães não socializados para ficar em grupo devem sempre usar focinheiras.

– Sempre apanhar as fezes deles e colocar em lixeiras.

– Evitar levar cães com carrapato e pulgas. Utilizar antes produtos no cão que combatem esses parasitas.

Mais informações: CCZ de Fortaleza, Rua Betel, nº 2980, Maraponga, Fones: (85) 3131.7849/ 7848/
3467.6112 / Facebook CCZ de Fortaleza / Grupo Amigos da Praça, Fernanda Soares (85) 996352200cachorrodromo 13689763_1321214741226521_1199498021_ncachorrodromo 13735182_1321215384559790_1224617232_n

Os cães podem praticar agility show nos cachorrodomos
Os cães podem praticar agility show nos cachorródromos
10:06 · 16.07.2016 / atualizado às 10:07 · 16.07.2016 por
O Canil Faruck do Maranguape tem Fila Brasileiro de alta linhagem. Está com filhotes de excelente cruzamento - Fotos: Nilton Novaes
O Canil Faruck do Maranguape tem Fila Brasileiro de alta linhagem. Está com filhotes de excelente cruzamento – Fotos: Nilton Novaes

O Ceará é referência em Fila Brasileiro, raça canina originária do nosso País, caracterizado pela resistência e rusticidade. Está no grupo de cães de guarda mas é um excelente amigo da família. Sua fidelidade aos donos e o carinho com crianças da casa são pontos fortes em seu temperamento.

O Canil Faruck do Maranguape, de propriedade de Sueli Cordeiro e Alexsandro Cordeiro, é referência nacional e internacional na criação de Filha Brasileiro. No plantel há cães de alta linhagem, com título de campeões nas exposições de cinofilia. É com muita responsabilidade que os dois criadores desenvolvem a raça há mais de 20 anos.

Sueli e  Alexsandro entendem bem quando o assunto é Fila Brasileiro, pois são estudiosos desta raça que encanta muitas famílias em diferentes países. Os cães do Faruck do Maranguape, além de terem alta linhagem, se prestam muito bem tanto para o trabalho de segurança da propriedade, bem como para companhia da família. O que é melhor, também têm talento para brilhar nas pistas de exposições da cinofilia nacional e mundial.

É fundamental em toda raça canina, especialmente animais de grande porte, conhecer a procedência do cão, e os cruzamentos dos quais foi gerado. Isto evita que o cachorro apresente distúrbios de comportamento e problemas na convivência com os membros de sua família humana.

Faruck Maranguape 13346753_10209418609166888_5896489312051289452_nO Faruck do Maranguape está apresentando mais uma ninhada de excelência. “Estou muito feliz por essas maravilhas”, comemora Sueli. Os interessados em conhecer mais sobre o Fila Brasileiro e ver a beleza dos filhotes podem manter contato com os dois criadores.

História – Originário do Brasil, o Fila Brasileiro está no grupo de cão de guarda. De grande porte, tem altura média de 75cm e peso de 70kg. Na sua origem, é uma mistura de cães pastores, Mastiffs, Bulldogs e Bloodhounds, trazidos por colonizadores portugueses. Eram usados para pastorear gado, proteger casas (cães de guarda), caçar grandes felinos e ajudar as autoridades de segurança.
Faruck Maranguape 13423742_10209420724819778_7184697510442616752_nÉ um cão determinado e corajoso. Com estranhos, mostra autoridade e se impõe pelo medo, devido ao porte imponente. Este é um dos seus pontos forte: a aversão a estranhos. Por isso são excelentes cães de guarda. No entanto, pode ser bem dócil e obediente com seus donos e familiares, chegando a ser muito tolerante com crianças. É um cachorro que adora a companhia do dono e sempre tenta estar junto.

Os Filas são protetores da matilha (ou seja, a família que o cria). O adestramento desde cedo é fundamental. Por volta dos 7 meses de idade, eles já começam a mostrar potencial para guarda. Como são cães muito grandes e fortes, é importante que os donos tenham pulso firme e mostrem liderança desde muito cedo, para que o cão se torne obediente e respeite os criadores. Eles são muito inteligentes e tendem a aprender facilmente os ensinamentos dos donos.

 

Faruck Maranguape 13435583_10209420724779777_1045549599066546780_nMais informações: Canil Faruck do Maranguape, Rua Miguel Cândido Vitorino, 51, bairro Luzardo Viana. Maracanau (CE) – (85) 3383.2446 ou 98967.2446KCEC Fila Brasileiro Sueli Cordeiro 11188403_907518932647649_7283915751025855816_n

20:15 · 12.07.2016 / atualizado às 20:15 · 12.07.2016 por

Abrace3Diversos grupos, ONGs e afins fazem o trabalho de proteção animal na Região Metropolitana de Fortaleza, especialmente na Capital cearense. Ainda assim, não para de crescer a quantidade de cães e gatos, principalmente estes felinos, abandonados nas ruas e praças das cidades. Um dos grupos merece destaque, a Abrace – Uma Causa Animal, coordenado pela professora Cristiane Angélica.

Diariamente os voluntários da Abrace estão realizando atividades em favor dos peludinhos abandonados. Eles são resgatados, tratados, vacinados, castrados e colocados para adoção. A entidade mantém um abrigo com capacidade limitada, mas muito bem organizado (não vamos divulgar o endereço, para evitar que pessoas irresponsáveis joguem animais lá dentro – como ocorre em alguns abrigos já conhecidos na Capital, o que inviabiliza um trabalho ordenado).Abrace6

A Abrace está com alguns filhotinhos para adoção. Os cães prometem ficar com porte médio quando adultos. Os interessados podem manter contato com a entidade ou com Cristiane Angélica em suas páginas no Facebook.

Abrace8Mais informações: Facebook Cristiane Angélica/ Facebook Abrace Uma Causa Animal

13:56 · 05.07.2016 / atualizado às 13:56 · 05.07.2016 por
Quase 75% dos donos classificaram a resposta do cachorro como boa ou excelente, isto é, os animais não ficaram perturbados.
Quase 75% dos donos classificaram a resposta do cachorro como boa ou excelente, isto é, os animais não ficaram perturbados.

É fato. Cães sofrem com ansiedade provocada por ruído de fogos de artifício e trovões com casos de animais apavorados empreendendo fuga a ponto de correr quilômetros em linha reta.

“É muito sério. É um verdadeiro distúrbio de pânico com uma resposta de fuga completa”, afirma a Dra. Melissa Bain, professora adjunta de comportamento animal da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia ao NY Times.

Este mês foi aprovada a primeira medicação pela Agência Norte-Americana Reguladora de Alimentos e Medicamentos para aversão canina ao barulho – de desconforto a casos de fobia. Trata-se da Sileo, da empresa finlandesa Orion, que inibe a norepinefrina, composto químico do cérebro associado a ansiedade e reação ao medo.

O Sileo tem também uma quantidade mínima de sedativo para pequenos procedimentos veterinários, que é colocado entre a bochecha e a gengiva do cachorro, sendo absorvido em meia hora.

Em testes com remédio, 75% dos cachorros reagiram bem 

A medicação foi testada em centenas de cães com aversão a ruído durante a sessão de fogos de artifício do réveillon durante dois anos seguidos. Quase 75% dos donos classificaram a resposta do cachorro como boa ou excelente, isto é, os animais não ficaram perturbados. A medicação dura várias horas, quando outra dose pode ser administrada.

A seringa com Sileo custa hoje US$ 30 e contém várias doses baseadas no peso. O principal efeito colateral do Sileo, em 4,5% dos cães, é o vômito.