Busca

Categoria: Dr. Disciplina


11:13 · 21.07.2017 / atualizado às 11:13 · 21.07.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel,  Henrique Silva e Priscila Furlan se revezam na participação, tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #14: Chihuahua pegador de sandálias! O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta de criadores de Chihuahua. “Criadores do Grupo Chihuahuas Fortaleza CE, tais como Romário Carvalho e Angélica Miranda, comentam que seus cãezinhos têm mania de pegar os chinelos deles. Se descuidar, as sandálias somem e quando eles vão procurar, o calçado está no cantinho dos cães. Por que isso acontece? Por que os cães gostam de pegar objetos dos donos? O que fazer para modificar este comportamento?

Dr. Disciplina, Henrique Silva: “Olá, Romário e Angélica! Vamos lá entender este problema. O Chihuahua é uma raça excelente de se criar. Muito amiga, muito amável e também uma raça bem esperta. Vamos lá entender porque os cãezinhos estão levando os chinelos para o cantinho deles. Um aspecto básico a entender: eles fazem isso para chamar atenção. Os chinelos têm o cheiro de seus donos, daí sabem que este objeto, de uso pessoal deles, vai chamar atenção dos “papais”. Isto também vale para todos os outros objetos que têm o cheiro da pessoa, tais como roupas, bolsas, livros, móveis. Então a primeira coisa a fazer para evitar este comportamento é enriquecer o ambiente com brinquedos apropriados, tipo os brinquedos inteligentes da Kong, que você pode colocar petiscos dentro e o cão vai passar um bom tempo naquela brincadeira tentando tirar o alimento. Quando mais enriquecido o ambiente estiver, mais os cães vão se concentrar em seus próprios brinquedos e ignorar os objetos da casa. Outra coisa importante são as relações de liderança na casa. As pessoas têm que se colocar mais como líderes de seus cães. E para isso é necessário, durante o aprendizado, os cães ficarem mais em seus locais, evitando aquela relação muito “grudada”, que geralmente se tem com as raças de pequeno porte. Isto causa muita ansiedade no cão quando ele fica longe do dono, daí eles compensam a separação pegando as coisas de seus “papais” e “mamães”. Reduzir mais os “mimos”, quando o cão fica colado demais no dono ao ponto de o cão se sentir o líder. É o cão dono do ser humano, quando deve ser o contrário. O ser humano é quem deve liderar a relação. Não é só porque é um pequeno Chihuahua, que ele não deve se colocar em seu lugar, ou seja, o lugar do cão. Ele não é um ser humano, uma criança. Ele deve aprender a se comportar como um cão, brincando com outros cães, com brinquedos de animais. Ele tem que passear, pisar no chão, ver outros ambientes, outros animais, sentir cheiros diferentes. Isso é importantíssimo para ter um cão equilibrado. Tudo isso vai fazer com que ele pare de querer se apropriar dos objetos de sua família humana. Outra coisa a fazer para evitar de vez a atração pelos objetos do dono, é utilizar alguns produtos com cheiros fortes, como cânfora, ou outras fórmulas da linha pet. Daí coloca nos chinelos e o cão vai evitar imediatamente. E ainda, adotar um comportamento de líder: toda vez que ver o cão indo pra pegar os chinelos, dar uma bronca nele, alguma forma de punição, leve mesmo, mas que ele entenda que está sendo chamado a atenção. E quando o cão corresponder com o bom comportamento, ou seja, ver as sandálias sem pegar, recompensá-lo com um petisco, um carinho. Isto sinalizará para o cão que este é o comportamento correto. E para um trabalho mais eficiente, os interessados podem recorrer às orientações de um especialista em comportamento canino, que vai melhor avaliar e identificar as causas, a raiz do problema. Com isso, modificará de vez aquelas atitudes indesejadas. Boa sorte a todos!”.

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog;  e também Priscila Furlan, adestradora e franqueada da Cão Cidadão, empresa de comportamento e adestramento animal que também atua em Fortaleza. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog nos comentários ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

 

11:01 · 19.06.2017 / atualizado às 11:09 · 19.06.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães. E a partir desta semana, contaremos também com a participação da Priscila Furlan, adestradora e franqueada da Cão Cidadão, empresa de comportamento e adestramento animal que também atua em Fortaleza.

Tira-dúvida #13: Cadelinha adotada é agressiva! O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta da Ana Luísa Costa. “Minha cadelinha fica olhando fixamente para meu rosto. Assusta! E ela pula para morder minha boca se eu falo. Ela foi colocada na minha porta, não imagino qual sua idade. Mas é novinha. O que fazer?”

Dr. Disciplina, Priscila Furlan: “Olá, Ana Luísa. Como vai? Lindo seu ato de acolher e dar o amor que eles tanto precisam. Os comportamentos dos animais que, de alguma forma, são recompensados, tendem a se repetir, tanto os bons quanto os ruins. Por isso, é necessário perceber se os pets não estão sendo beneficiados pelos comportamentos que não queremos. No seu caso, quando sua cadelinha está te olhando fixamente, só de olhar de volta você está recompensando-a, pois, assim a peluda consegue a interação que deseja e, mais que isso, tem esse ato como uma disputa. Ao retirar o olhar, você faz com que ela se sinta vitoriosa, recompensada. O importante é evitar que ela fixe o olhar em você. A melhor maneira é distraindo-a com alguma coisa que ela goste muito. Por exemplo, brincar com seu brinquedo favorito, jogar bolinha, oferecer algo propício para que ela possa roer. Outra maneira eficaz é ignorá-la. No momento em que ela começar a te encarar, você deve se levantar e se afastar. Assim, você mostra e recompensa os comportamentos que você quer que ela apresente e ignora os indesejáveis. Isso fará com que os comportamentos indesejáveis diminuam e acabem se extinguindo, passando a interagir de uma maneira sadia e divertida. Em relação aos pulos, a dica é frustrar esse comportamento no ato em que ela o fizer. Pode-se utilizar uma coleira e/ou peitoral com guia para te ajudar. Dedique um tempo para fazer esse treino, simule exatamente a situação em que ela pula e esteja atenta ao movimento. Quando ela insinuar que vai pular, você frustra essa ação, não permitindo que ela a faça. Utilize também a palavra “Não” no mesmo instante que você impedir o pulo. Repita esse exercício algumas vezes e quando ela passar a não pular, recompense-a com muito carinho, elogios e uma coisa gostosa, como petiscos ou biscoitos próprios para cães. Lembre-se, recompensar o comportamento que queremos que o animal apresente vale muito mais a pena do que só repreendê-los pelos comportamentos incorretos. Dessa forma, você e sua cachorrinha vão construir uma relação muito mais prazerosa”.

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog;  e também Priscila Furlan, adestradora e franqueada da Cão Cidadão, empresa de comportamento e adestramento animal que também atua em Fortaleza. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Priscila Furlan é adestradora e franqueada da Cão Cidadão

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog nos comentários ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

12:21 · 09.06.2017 / atualizado às 12:21 · 09.06.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #12: Pastor Alemão medroso!  O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta de Matheus Henrique. “Eu tenho uma cadela da raça Pastor Alemão. Ela é muito medrosa! O que eu posso fazer para ela perder esse medo?”

Dr. Disciplina, Henrique Silva: “Vamos lá, respondendo à pergunta do Matheus. Em primeiro lugar, o que ele deve fazer é não forçá-la a ter contato com ele. Deixar ela vir naturalmente para ele. E para isso ele pode treinar utilizando o alimento (ração ou petiscos). Quando ela sentir fome, o alimento deve estar com ele, de forma que a Pastora vá até ele para comer. Ele vai ganhar a confiança dela devagarinho, colocando a ração (ou petisco) no chão de forma a atraí-la para ele. Quando esta confiança for conquistada, já poderá partir para outros treinamentos. Por exemplo: passear com ela na rua, evitando lugares muito movimentados. Assim, o Matheus vai conquistar mais a confiança dela. A partir de mais essa nova confiança conquistada, ele poderá partir para passear com ela em locais mais movimentados. O que ele pode fazer é sempre alimentá-la na rua. Com isso, ela vai gostar de ir para ambientes externos. Daí sempre quando ela forma se alimentar, será em locais diferentes. Assim, ela vai associar a rua como algo agradável. Tudo isso estará fortalecendo o vínculo entre o Matheus e sua Pastora. Isso vai dar mais confiança a ela e ele poderá andar com ela em mais locais diferentes. Outra dica importante: levá-la para escolinhas de cães, que tem o day care, onde ela poderá brincar solta com outros cães. Também ter contato com pessoas diferentes, além dele. A meta é deixá-la se soltar da forma mais natural possível, no ritmo dela. Uma coisa a observar é evitar cães com temperamento forte perto dela. Por que isso? Porque vai reforçar nela o temperamento submisso, e não é essa a nossa meta. O treino deve ser para ela se soltar, ganhar confiança como Pastor Alemão. O cão com temperamento forte sempre vai deixá-la mais assustada, mais medrosa. Então ela deve estar entre cães tranquilos, com temperamento mais equilibrado. Outra coisa a destacar, a alimentação também pode ser feita com petiscos variados. Então quando chegar uma pessoa diferente em casa, é bom ter petiscos em mãos, para motivá-la a se comportar com confiança. A pessoa pode dar para ela. Não precisa colocar na boca dela, basta jogar no chão e esperar ela vir buscar. Esses exercícios vão fazer com que ela melhore muito o comportamento medroso. E para um trabalho mais eficiente, o Matheus pode buscar o trabalho de um profissional especializado em comportamento canino. Boa sorte!”

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog nos comentários ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

09:57 · 25.05.2017 / atualizado às 09:57 · 25.05.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #11: Poodle é agressivo e morde! O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta de Helena de Sousa Lima. “Meu poodle tem um comportamento estranho. Morde, às vezes, com muita agressividade. Dá até medo dele. Mas, ao mesmo tempo, ele quer carinho. Ele não gosta de tomar banho e nem de ser tosado. É preciso colocar focinheira quando ele vai no pet shop. Me ajude, Dr. Disciplina!

Dr. Disciplina, Jackson Maciel: “Vamos lá, respondendo à pergunta da Elsa. Seu cachorrinho precisa de um trabalho de dessensibilização com associação positiva. Na hora de tocar nele, procure sempre trocar um toque por um petisco. Comece devagar e vá aumentando a intensidade e o tempo do toque. Quanto ao banho, primeiro procure levá-lo ao pet shop e lá ofereça comida e coisas boas como brinquedos e petiscos. Vá tentando conduzi-lo até a focinheira com a ajuda de petiscos. Problemas de agressividade devem sempre ser tratados com a ajuda de um profissional para que não haja riscos no treinamento. Lembre-se: todo cão precisa entender quem é o líder na sua família humana. Você deve procurar se colocar nesta posição de liderança, para ele aprender a ter respeito por você e jamais ser agressivo. O trabalho com adestramento para os comandos de obediência (“junto”, “fica”, “senta”, “deita” e “aqui”) é bem eficaz para o cão saber se comportar e respeitar a liderança de seu tutor, no caso, você, como mamãe dele. O ideal é você procurar um profissional habilitado em comportamento canino. Também pode buscar livros sobre a temática, para entender mais um pouco como funciona a mente de um cão. Os cachorros são extremamente inteligentes e sensíveis. Mas nós, como seres humanos, precisamos saber como os cães percebem o mundo, para sabermos agir diante de comportamentos indesejados. Espero ter lhe auxiliado.  Grande abraço! Boa sorte!”

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

 

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

09:03 · 18.04.2017 / atualizado às 09:03 · 18.04.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #09: cão para de latir após perder amigo? O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta de Amara Santos: “Eu tenho um cachorro de 5 meses que latia bastante mas não late desde que um outro cachorro da família morreu. Eles eram muito grudados, brincavam, comiam, dormiam juntos. Nem com os outros cachorros ele brinca, só fica quieto no canto, chora várias vezes, principalmente nas horas em que eles costumavam brincar. Às vezes brinca com as pessoas, mas logo para e vai pro cantinho dele, e sem latir. Estou muito preocupada com ele. Isso é normal? Ele vai voltar a latir?”
.

Dr. Disciplina, Jackson Maciel: “Olá Amara! Seu caso me lembra um outro que já atendi, muito parecido. É normal quando em uma casa que existem dois cães muito unidos isso acontecer. Sempre quando o cãozinho tem uma mudança brusca de comportamento, a primeira coisa que sugiro é um exame clínico para checar se não há nada de errado com a saúde do seu bichinho. Daí procure o médico veterinário de sua confiança. Descartada essa opção, vamos para as dicas. Os cães também vivem seu luto e devemos respeitar o tempo deles. Deixe-o à vontade para lhe procurar e não fique insistindo. Enriqueça o ambiente dele com novos brinquedos e, se possível, junte-o com outros cães menores. Outra dica importante: Leve-o para passear , para ele ter contato com outros animais e pessoas diferentes. É muito importante observar se ele se alimenta e bebe água. Ele irá levar um tempo para se adaptar a nova rotina sem seu coleguinha, mas irá voltar ao comportamento normal, com certeza! Espero ter ajudado com as dicas. E lembre-se: para um melhor desempenho dos exercícios, sugiro sempre a orientação de um profissional em comportamento canino. Grande abraço! Boa sorte!”

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

21:47 · 03.04.2017 / atualizado às 21:47 · 03.04.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda semana esta seção Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #08: cães machos podem conviver bem no mesmo ambiente? O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta de Max Carvalho, de Fortaleza (CE). “Tenho dois animais, um de médio porte e o outro de pequeno porte. Os dois são machos. Posso colocar os dois pra conviver em um mesmo ambiente? Quais precauções devo tomar?”

Dr. Disciplina, Henrique Silva: “Olá Max ! Vamos à sua pergunta. Olha, pode colocar sim os dois cães machos no mesmo ambiente. Porém, deve seguir algumas regras. Vamos às dicas para se ter uma boa convivência entre eles. Primeiramente, aconselho castrá-los, pois esta medida diminuirá muito a disputa de território e dominância entre dois. Esta é uma dica que serve para machos e fêmeas. Para mais esclarecimentos, pode falar com o veterinário de sua confiança. A castração é um procedimento simples, de rápida recuperação. Faz parte das medidas para a criação responsável de animais. É de total competência do médico veterinário. Outras dicas importantes: o primeiro contato entre eles sempre deve ser em um território neutro para os dois, fazendo um pouco de exercício e, em seguida, colocando em contato. É importantíssimo você, como tutor dos dois, sempre se colocar na postura de líder deles, se antecipando e inibindo para que um não venha querer dominar o outro. Em casa, você deve manter sempre a postura de líder, principalmente quando for dar carinho ou alimentá-los. Sempre se vigiar para não dar atenção diferenciada aos cães, para que não venha ocorrer ciúmes entre eles. Outra dica: garantir um enriquecimento ambiental para seus cães, oferecendo vários brinquedos apropriados. Daí eles vão aprender a dividir os brinquedos. Tem que ter paciência nesse trabalho de mudança comportamental. Talvez você tenha que mudar toda a rotina dos dois, para que consiga liderá-los, garantindo uma boa convivência entre todos. E mais uma vez, sempre se coloque no lugar de líder dos seus cães! Outra dica é fazer treinos de obediência com seus cães. Isto lhe ajudará a ter uma melhor postura de liderança sobre eles. E, é sempre bom destacar: para um melhor desempenho na convivência com os animais, sugiro a orientação de um profissional em comportamento canino. Grande abraço!”

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda semana, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

21:41 · 13.03.2017 / atualizado às 22:04 · 13.03.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda segunda-feira esta seção semanal Dr. Disciplina. Os consultores caninos Jackson Maciel e  Henrique Silva, a cada quinzena, se revezam tirando dúvidas sobre o comportamento de cães.

Tira-dúvida #07: o cão têm mania de cavar terra? O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta do criador Sebastião José Feitosa, de Foz do Iguaçu (PR): “Tenho um casal de cães SRD (sem raça definida). Eles têm 11 anos, mas ambos são ainda bem ativos. Correm, brincam, passeiam e têm ampla área de lazer. Na minha casa, onde eles ficam, tem uma parte com brita por cima da terra, um barro vermelho, típico aqui da região. Eles têm mania de cavar a brita até chegarem no barro. Daí ficam sujos, focinhos, patas, peito. Fico bem bravo com isso, porque, às vezes, é logo após o banho, quando estão bem limpos. Com essa mania, ficam bem sujinhos de barro. O que fazer para eles pararem de cavar? Me ajude, Dr. Disciplina!”.

Dr. Disciplina, Henrique Silva: “Olá, Sebastião, tudo bem? Vamos dar algumas dicas. Primeiro, vamos verificar se os cães estão fazendo isso para chamar a sua atenção. Se você der bronca quando eles fazem isso, confirma que é uma forma de eles chamarem sua atenção, nem que seja de forma negativa. Não adianta dar bronca. Tem que resolver o problema. Primeira coisa a fazer é passear com os cães, de forma bem tranquila, sem deixar eles ficarem agitados. Uma caminhada tranquila, sem precisar puxá-los. O ideal é que o passeio seja diário, mas se puder fazer duas vezes ao dia, fica ainda melhor. Você disse que eles cavam às vezes após o banho. Então é bom passear também logo após os banhos, daí eles vão ficar mais tranquilos. Outra dica importante: o ambiente em que eles ficam deve ser enriquecido com petiscos, brinquedos, ossinhos. Os brinquedos que se pode colocar petiscos dentro são ideais. Sobre o local onde eles cavam, uma dica é enterrar as fezes deles nos buracos cavados. Deve-se fazer isso de forma persistente, até eles desistirem. A área cavada também pode ser borrifada com tabletes de cânfora diluídos em água. O cheiro forte vai afastá-los do local. Também pode ser usada borra de café, outro item com cheiro forte. Tem ainda a pimenta em pó. Seu cheiro forte afasta os cães do local. Essas são algumas dicas que você pode ir variando até eles modificarem o comportamento. Nos casos de maiores dificuldades de aprendizado, o certo é procurar um profissional em comportamento canino. Boa sorte!”

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

09:55 · 20.02.2017 / atualizado às 09:55 · 20.02.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda segunda-feira esta seção semanal Dr. Disciplina. Hoje, estamos iniciando com a participação do consultor canino Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. A cada quinzena, ele reveza o Dr. Disciplina com o nosso também consultor Jackson Maciel.

Tira-dúvida #05: seu cão é destruidor de jardim? O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta do Ênio Lima de Sousa: “Tenho uma Labradora de 1,3 ano. Ela é muito obediente em algumas coisas, mas percebo que quando ela fica sozinha em casa, tende a destruir as plantas do jardim e qualquer outra coisa que mexa. Ela também pula muito nas visitas quando chegam em minha casa. Como faço para ela melhorar esse comportamento?”.

Dr. Disciplina: “Olá, amigo Ênio. Vamos lá às nossas dicas.  Vamos iniciar pela raça que você cria. Labrador é uma raça muito brincalhona e às vezes exagera nessas brincadeiras. Mas nada que uma boa rotina de atividades não possa resolver esses comportamentos. Primeiro vamos enriquecer o ambiente em que ela vive, com brinquedos apropriados e ossos, para ela ocupar a mente. Esses brinquedos podem ser aqueles em que podemos colocar petiscos e alimentação dentro. Na hora da refeição dela, pode usar aquelas bolas em que colocamos a ração dentro. Isso vai deixar a sua cadela bem concentrada nesse tipo de atividade. Ela brinca e, ao mesmo tempo, se alimenta, enquanto fica tentando tirar a ração de dentro do brinquedo. Nas lojas de pet shop tem essas bolas. Também você pode colocar ossos e outros brinquedos com petiscos. Essas atividades você pode ir revezando durante os dias, brinquedos com petiscos, com rações e os ossinhos. Isso vai ocupar bastante a atenção dela, e evitar que ela destrua as plantas. Vamos agora para outra dica: é importante ter uma rotina de passeios de 20 a 30 minutos todos os dias. Um passeio controlado e tranquilo, com ela lhe vendo como o líder da atividade. Você controla a caminhada. Em relação aos pulos nas visitas, você deve inicialmente treinar com ela os comandos “senta” ou “deita”. Toda vez em que ela obedecer, deve premiar com petiscos ou brinquedos. Essa premiação sempre vai ser jogada para longe de você. Assim ela vai buscar e aprender a se distanciar de você sob comando. Depois de alguns treinos, ela vai aprender a se manter distante para receber a recompensa. Este é o reforço positivo do adestramento. No começo, caso ela venha a pular, dê às costas para ela e ignore esse comportamento. Quando ela se afastar, você dá a recompensa. Daí ela vai entender que só ganhará o petisco ou brinquedo quando se afastar, obedecendo ao seu comando. Lembre-se: o bom comportamento deve ser premiado, recompensado. O mau comportamento deve ser corrigido. Depois que ela estiver entendendo bem esse aprendizado, você pode repetir os treinos na frente das visitas. Você vai ver que ela repetirá o bom comportamento aprendido. Nos casos de maiores dificuldades de aprendizado, o certo é procurar um profissional em comportamento canino. Boa sorte!”

.

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação dos consultores em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem); e também de Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog. Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Henrique Silva, da Adestramento e Comportamento Edukdog

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

09:36 · 13.02.2017 / atualizado às 09:36 · 13.02.2017 por

O Diário do Nordeste publica toda segunda-feira esta seção semanal Dr. Disciplina. 

Tira-dúvida #04: os cães brigam por ciúmes? O que fazer?

Hoje vamos responder a pergunta da Maria Aline da Silva Santos: “Tenho dois pets,  um Pequinês e outro Sem Raça Definida (SRD). O problema agora e que meu Pequinês deu pra avançar no outro. Acredito que seja por ciúmes e não sei o que fazer!”.

Dr. Disciplina: “Olá Maria Aline, tudo bem? Seu caso é muito comum quando temos mais de um cão. Este problema está relacionado à posse, que nós batizamos como ciúmes. O que você deve fazer é criar uma série de rotinas como, por exemplo, comida no horário certo, exercícios físicos e mentais e estabelecer uma hierarquia no grupo. O cãozinho mais velho deve ser o mais favorecido em todas as situações, como carinho e premiações. Já o outro deve aprender a respeitar esse momento, entendendo que na matilha você será a líder. Um bom exercício para evitar as brigas é sempre socializar a presença um do outro a situações positivas, assim o cachorrinho mais dominante irá ver o outro como algo extremamente importante para sobrevivência dele. Espero ter ajudado e sugiro sempre que procure ajuda de um profissional qualificado. Grande abraço!”.

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação do consultor em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem). Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.

10:35 · 30.01.2017 / atualizado às 10:35 · 30.01.2017 por

Captura de Tela 2017-01-16 às 12.34.09O Diário do Nordeste publica toda segunda-feira esta seção semanal Dr. Disciplina. 

Tira-dúvida #03: meu Labrador se lambe até ferir? O que fazer?

Hoje vamos responder à pergunta da internauta Daniele, que mora em São Gonçalo do Amarante (CE). Ela quer saber: “Li a matéria publicada no blog do Diário do Nordeste, e preciso da ajuda do Dr. Disciplina. Bom, tenho uma Labradora, de 8 meses e, recentemente, notei uma pequena ferida em uma de suas patas traseiras. Ao observar melhor, notei que ela rói e lambe sua pata até ferir. Como faço para ela parar de fazer isso?”

Dr. Disciplina: “Olá Daniele! Tudo bem? Este comportamento pode estar relacionado a vários problemas. Primeiro você deve levá-la ao médico veterinário para ver se não é nenhum problema de saúde. Após descartada essa hipótese, vamos aos problemas de comportamentos. Podemos relacionar este comportamento a alguns problemas entre eles: estresse, ansiedade ou tédio por falta de exercício físico e mental. Agora, vamos a algumas dicas de exercícios para serem feitos no intuito de resolver ou amenizar a ansiedade. Vamos lá! Para começar, você deve enriquecer o ambiente dela com brinquedos interativos. Pode fazer, por exemplo, cubinhos de gelo com pedaços de carne ou use petiscos para colocar dentro dos brinquedos para que ela tente tirar de dentro e se auto-premiar. Também você pode dar ossos para ela roer e passar o tempo. Essas técnicas ajudam a trabalhar a mente do seu cão. Não podemos deixar de fora também os exercícios físicos; passeios, pelo menos, por duas vezes ao dia que ajudam bastante a controlar a ansiedade e diminuem o estresse. Com essas dicas, tenho certeza que você vai conseguir reduzir bastante o nível de ansiedade da sua filha canina. Para um resultado mais eficaz, sugiro sempre o acompanhamento de um profissional. Abraço!”.

O que é o Dr. Disciplina?

A seção conta com a participação do consultor em comportamento canino Jackson Maciel  e sua esposa Kátia Saraiva, sócios no trabalho de adestramento de cães e proprietários do Casa Hotel (pet service e hospedagem). Toda segunda-feira, eles dão dicas e recomendações sobre o que fazer com cães com distúrbios de comportamentos, tais como:

  • latidos excessivos;
  • ataques caninos a móveis, calçados, roupas e demais objetos em casa;
  • ciúme ou possessividade em relação a algum membro da família, brinquedos, alimento ou móveis da casa;
  • auto-mutilação, lambendo patas ou mordendo a cauda até ferir;
  • mesmo sendo cães de companhia, se comportam como se fossem cães de guarda, atacando visitas;
  • entre outros distúrbios que comprometem uma convivência pacífica com a família
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães
Jackson Maciel é especializado em comportamento de cães

Vale destacar que as dicas são orientações gerais. Para casos mais graves de distúrbios de comportamento, tais como agressividade extrema, o correto é contratar um profissional especializado para um trabalho semanal ou, até mesmo, diário. Boa sorte!

TEM SUGESTÃO PARA ALGUM TEMA? OU DÚVIDA? Se você tem alguma dúvida sobre o comportamento canino, envie pergunta para este blog através do email dr.disciplina@gmail.com ou ainda pelo WhatsApp (85) 9 9996.9946.