Bem-Estar Pet

Busca


Royal Canin lança alimento exclusivo para cães muito pequenos

Publicado em 13/02/2013 - 9:02 por | Comentar

São Paulo. Os donos de cães muito pequenos, com até 4kg quando adultos, agora contam com um importante aliado para manter seu amigo ainda mais saudável. A Royal Canin, empresa especialista na alimentação de Gatos e Cães e comprometida com a saúde animal há mais de 40 anos, desenvolveu uma linha completa de alimentos para todas as fases da vida dos cães muito pequenos, como, por exemplo, Pinscher, Chihuaua, Papillon, Spitz Alemão Anão, Cão da Crista Chinês, Pequinês, Greyhound Italiano, entre outros. X-Small é um programa nutricional completo para cães com até 4kg quando adultos e conta com 4 alimentos precisos para as necessidades destes cães.

“A população de cães muito pequenos está em pleno crescimento devido a fatores relacionados ao estilo de vida nas grandes cidades. Por terem necessidades nutricionais específicas, a Royal Canin desenvolveu uma linha de alimentos precisa para eles”, afirma Eduardo Kroth, Médico Veterinário e Gerente de Produto das Linhas Cães da Royal Canin do Brasil. X-Small está disponível nas versões Junior, Adult, Adult 8+ e Ageing 12+.

Por terem uma mandíbula muito pequena, os cães miniaturas podem ter dificuldade para preender os croquetes. Por isso, os croquetes de todos os alimentos da Linha X-Small são adaptados e possuem tamanho reduzido. Além disso, em qualquer idade, os cães muito pequenos precisam de cuidados com a saúde dental. Já a partir dos 6 meses de idade, podem começar a sofrer com acúmulo de tártaro e, para isso, os croquetes de X-Small auxiliam na limpeza mecânica dos dentes e são enriquecidos com tripolifosfato de sódio, um quelante de cálcio que auxilia na redução da formação do tártaro.

Além de filhotes terem o sistema digestivo ainda imaturo, os cães muito pequenos têm um menor tempo de trânsito intestinal. Sendo assim, um alimento que contribua para a digestão adequada é muito importante. X-Small Junior possui ingredientes que proporcionam uma boa digestão, como FOS (prebiótico), Psyllium e Proteína LIP (proteína de alta digestibilidade). São cães que nascem com apenas alguns centímetros e crescem rapidamente, alcançando seu tamanho adulto aos 10 meses de idade, por isso, precisam de um alimento com teor energético elevado, além de nutrientes que estimulem a defesa natural de seu organismo. O croquete do produto X-Small Junior é de fácil reidratação, facilitando o consumo dos cães miniaturas filhotes durante a fase de transição do desmame para o alimento seco.

Para os cães adultos jovens, X-Small Adult oferece nutrientes que favorecem o trânsito intestinal saudável. Por uma predisposição genética, estes cães são mais propensos a cálculos urinários. Esta condição é agravada uma vez que os cães pequenos bebem pouca água e produzem um volume pequeno de urina, o que faz com que a concentração de minerais seja maior. Por isso, X-Small Adult oferece um balanço mineral adequado, que é importante para auxiliar na manutenção do pH urinário ideal, favorecendo a saúde do trato urinário. Por fim, as vitaminas e Ômegas 3 e 6 presentes em X-Small Adult auxiliam na manutenção de uma pele saudável e pelagem brilhante.

Enquanto a expectativa de vida de um cão de raça gigante, como São Bernardo, é de 9 anos, um cão muito pequeno pode chegar aos 14 anos ou mais. Pensando nisso, a Royal Canin desenvolveu dois alimentos que contribuem para o envelhecimento saudável dos cães miniaturas. A partir dos 8 anos, o processo de envelhecimento se inicia. Para esta fase, além dos benefícios anteriores, X-Small Adult 8+ possui antioxidantes, como o complexo CELT e polifenóis da uva e chá verde, que ajudam a manter a vitalidade. Para os cães miniaturas mais idosos, o alimento indicado passa a ser X-Small Ageing 12+, que contém nutrientes que favorecem o envelhecimento saudável e auxiliam na manutenção da saúde cardíaca e dental. O croquete do produto X-Small Ageing 12+ é de fácil reidratação, facilitando o consumo dos cães miniaturas com mais de 12 anos, momento no qual é comum surgirem dificuldades para preender e mastigar o alimento.

Os alimentos X-Small Junior, Adult, Adult 8+ e Ageing 12+ estão disponíveis em clínicas veterinárias e pet shops em embalagens de 1kg e 3kg.

A base do trabalho da Royal Canin é o respeito pelos animais, desenvolvendo produtos que promovam a saúde, qualidade de vida, bem-estar e a longevidade de Gatos e Cães. Conheça mais em www.royalcanin.com.br.
SAC: 0800 703 5588

Sobre a Royal Canin do Brasil
A Royal Canin do Brasil é subsidiária da multinacional francesa Royal Canin, uma das maiores fabricantes mundiais de alimentos de alta qualidade para Gatos e Cães, com 13 fábricas no mundo e presente em 92 países.
A unidade brasileira está instalada em Descalvado, interior de São Paulo, desde 1990 e conta com o apoio logístico de 36 distribuidores exclusivos. Seus produtos estão disponíveis em canais especializados, entre os quais, clínicas veterinárias e pet shops, em mais de 15 mil pontos de vendas no Brasil.

Dr. Vet: cão com ferida nos testículos

Publicado em 05/02/2013 - 14:12 por | Comentar

Categorias: Dr. Vet, Saúde Animal

Caros leitores, esta será a última vez que a Coluna Dr. Vet será publicada neste formato, a partir de perguntas do leitor. A parceria que mantemos com a Faculdade de Veterinária da Uece passará por modificação, para melhor lhe atender. Aguardem as novidades!

O criador Alan Nery percebeu uma ferida no testículo de seu cão, Toby. Ele acredita que o ferimento foi em decorrência do animal ficar lambendo demais. “Queria que me ajudassem com esta situação”, pede ele.

 

Médica veterinária Annice Cortez, daFaculdade de Veterinária da Uece

Dra. Annice Cortez*: “Caro leitor, a primeira providência a ser adotada é encaminhar seu animal para a avaliação de um médico veterinário, que poderá examinar fisicamente o seu cão e diagnosticar de uma forma mais precisa a origem do problema dermato-lógico no saco escrotal do seu animal, a fim de prescrever um tratamento adequado e eficaz.

Apesar da foto enviada está muito nítida, há a necessidade do exame físico completo do animal, bem como o exame específico do órgão afetado. A palpação e a inspeção do saco escrotal e dos testículos são fundamentais para avaliar a extensão e profundidade da lesão, a consistência e tamanho dos testículos, se o animal apresenta sensibilidade dolorosa no exame, se existe algum tipo de secreção (sanguinolenta, purulenta, translúcida) ou indício de nódulos testiculares ou outras alterações anatômicas.

O exame clínico completo do animal, como aferição de temperatura, avaliação de mucosas, linfonodos, frequência cardíaca e respiratória, bem como busca de outras alterações dermatológicas devem ser avaliados a fim de constatar se é uma patologia localizada ou secundária para uma doença de origem sistêmica.

Lesões dermatológicas no saco escrotal podem ser decorrentes de uma dermatite alérgica de contato, doenças infecciosas como a Brucelose, a Ehrlichiose (doença do carrapato) e Leishmaniose (calazar), doenças estas que podem ocasionar edema testicular e dermatite na bolsa escrotal.

Além das doenças infecciosas, as neoplasias testiculares também podem provocar aumento do volume testicular, edema e dor local. O animal pode lamber a bolsa escrotal com o reflexo de dor e provocar uma dermatite secundária. As neoplasias testiculares são frequentes na espécie canina, principalmente em animais idosos.

Além de realizar um exame clínico detalhado, o médico veterinário poderá solicitar alguns exames complementares como hemograma, sorologia para Leishmaniose, Ehrlichiose e Brucelose, ou uma biopsia de pele na tentativa de definir o diagnóstico da causa da lesão escrotal”.

* Professora da Favet-Uece. Esta coluna é uma parceria com a Favet-Uece.

Tags: , , ,

Água limpa e fresquinha para os pets a todo o momento

Publicado em 05/02/2013 - 13:50 por | Comentar

Para deixar a rotina dos cães e gatos mais prática e saudável, a Amicus apresenta as fontes de água corrente Aqua Cube e Aqua Falls

Essencial para a vida e vital para a saúde, a água é um dos nutrientes mais importantes para o nosso corpo e também para o corpo dos nossos cães e gatos. E para manter a ingestão hídrica dos pets, é necessário deixar água limpa e potável ao alcance dos bichinhos.

Para facilitar a rotina, a Amicus, empresa referencia no desenvolvimento de produtos eletrônicos para cães, apresenta a Fonte Aqua Cube e Aqua Falls.
Desenvolvida e indicada por veterinários, a linha de fontes americanas Aqua fornece água fresca e corrente ao seu cão ou gato a toda hora, evitando o risco  de contaminações e proliferações de bactérias.

O produto possui filtro de carvão, que é responsável pela purificação de impurezas e elimina o gosto ruim e possíveis odores da água.  A circulação e queda d’ água das fontes Aqua são responsáveis por uma adição natural de mais oxigênio fazendo com que o pet beba mais água. Além disso, os bebedouros possuem design moderno e funcional que evitam respingos e ruídos.

Silenciosa, fácil de limpar, a fonte Aqua já vem com um filtro de carvão ativado que garante água limpa por até quatro semanas.  Disponível em dois modelos: Aqua Cube, para cães pequenos e gatos, e Aqua Falls, para cães e gatos médios e grandes.

Bebedouro Aqua Cube – Preço: R$ 179,90
Fonte Bebedouro Aqua Falls – Preço: R$ 197, 91

Onde encontrar: www.americanas.com.br
Saiba mais através do site www.amicus.com.br

Tags: , ,

Araras híbridas tornam-se atração no Zoológico de Canindé

Publicado em 29/01/2013 - 9:00 por | 1 Comentário

O colaborador do Diário do Nordeste, em Canindé, Antônio Carlos Alves, traz excelente reportagem sobre as araras híbridas do zoológico daquela cidade. Está na Página de Bem-Estar Animal, publicada toda terça-feira no Caderno Regional do Diário. Confiram:

 

As araras foram apreendidas pelo Ibama em criatório ilegal e levadas para o Zoológico de Canindé FOTOS: ANTÔNIO CARLOS ALVES

Canindé. O Zoológico de São Francisco, mantido pela Igreja Católica, neste município, está com uma atração para os visitantes. É um casal de araras híbridas, resultado do cruzamento de duas espécies da ave. O veterinário do zoológico, Henrique Weber, explica que uma é a arara catalina, resultado do cruzamento das variações canindé e piranga; a outra é a arara piranga, fruto da união da canindé com a vermelha.
“As aves se adaptaram muito bem à nova morada”, afirma ele, complementando que elas foram trazidas ao município, após apreensão em criação ilegal no Rio Grande do Norte.
Ele explica que nem todos os animais híbridos são estéreis. “Pesquisas afirmam que o processo de hibridação pode ocorrer de forma natural e espontânea na própria natureza. Porém, a maior parte dos híbridos existentes foi criada em cativeiro, mas a criação propositada de híbridos em cativeiro é muito discutida e no Brasil não é permitido´´, explica o veterinário.

Veterinário Henrique Weber e estudantes de Veterinária da Paraíba fazem manejo na ave acolhida pelo Zoológico de Canindé FOTOS: ANTÔNIO CARLOS ALVES

As aves foram apreendidas no Rio Grande do Norte de um criador ilegal. O Ibama decidiu mandou para Canindé, porque o zoológico do município é cadastrado na instituição e cumpre todas as regras do Instituto na criação de animais apreendidos.
“As aves são hoje o xodó dos tratadores, dos visitantes e todos aqueles que conhecem um pouco desse processo. É um casal de araras saudável e que se entendem muito bem. Fico feliz em poder cuidar dessa espécie rara no Ceará´´, diz o veterinário.
O zoológico de Canindé é uma referência em reintrodução de animais no Brasil. Foi inaugurado em 1991, pelo ex-vigário da Paróquia do município, frei José Batista. Realiza trabalho exemplar no tratamento de animais e aves que chegam ao local em estado crítico.

Veterinário Henrique Weber diz que o Brasil proibe a hibridização de aves. Só criadores ilegais cometem o crime

Muitas espécies foram doadas por romeiros. O local possibilita um criatório que se assemelha aos ambiente natural das espécies que são socorridas.
Os estudantes de Medicina Veterinária do Instituto Federal de Campina Grande, Davi Emanuel e Beatriz Barbosa Correia, viajaram vários quilômetros para conhecerem de perto a vida dessas aves. “É importante esse conhecimento. Na Paraíba, a referência do Zoológico de Canindé é muito boa. Todos os estudantes da área têm vontade de vir conhecer de perto esse processo readaptação dos animais e das aves que é feito aqui´´, disse Davi.
Veterinários e estudantes da área fazem o manejo nas aves. O zoológico é referência na recuperação de animais vítimas de maus-tratos
O estágio dos alunos tem a finalidade de fortalecer o intercambio entre o Instituto Federal e o Zoológico de Canindé.
O local é um dos mais modernos do Estado do Ceará. Mantêm 287 animais, sendo 14 espécies de répteis, 32 aves e 18 mamíferos que recebem tratamento especial durante 24 horas. Para manutenção dos criatórios, a Paróquia gasta cerca de R$ 18 mil por mês, sem contar com o pagamento dos cinco tratadores que se revezam todos os dias.
De acordo com Henrique Weber, o termo híbrido pode ser entendido como o resultado do cruzamento entre duas variedades da mesma espécie de aves. Na natureza, o híbrido é uma ocorrência rara que acontece na maior parte das vezes pela ação do homem ao degradar o meio ambiente, ou seja, os habitat de determinadas espécies”, diz ele.
“A capacidade reprodutiva dos híbridos classifica-se como fértil quando machos e fêmeas têm 100% da possibilidade de se reproduzir. Já nos estéreis, não há capacidade de reprodução. Nos semi férteis ou parcialmente fecundos, somente os machos ou as fêmeas têm capacidade de se reproduzir. Os híbridos, quando não férteis, não são registrados como espécie nova, pois não têm possibilidade de se reproduzir e criar uma população´´, explica o veterinário.
Os híbridos apresentam coloração diversa, sendo uma composição da coloração dos pais. Podem trazer tons esverdeados nas penas da parte superior da asa (manto), entre outras partes do corpo também coloridas

Mais informações

Zoológico de São Francisco
Praça do Romeiro – Centro
Telefone: (85) 3343. 1811
Aberto de 8h às 17h, ao preço de
R$ 1,00. É gratuito para crianças

ANTÔNIO CARLOS ALVES
COLABORADOR

Tags: , , ,

Reportagem do Bem-Estar Animal tem recorde de compartilhamentos no Facebook

Publicado em 23/01/2013 - 14:40 por | Comentar

Que legal! O fotógrafo Nilton Novaes, também criador de Pastor Branco, e o criador de Dogue Alemão, Odijas Frota, grandes colaboradores em recente reportagem na nossa Página de Bem-Estar Animal (toda terça-feira no Diário do Nordeste), me avisa do recorde de compartilhamentos da referida matéria no Facebook. Já são mais de 1.300 pessoas que compartilharam a reportagem “Crianças que convivem com cães têm melhor socialização”. É isso aí, minha gente! É a prova de que cada vez mais pessoas descobrem a paixão por cães! Muito bom!!!

Tags: , ,

Jumentos do Ceará recebem apoio da ONG da França, One Voice

Publicado em 22/01/2013 - 7:45 por | 3 Comentários

Animais apreendidos nas rodovias são levados para as currais mantidos pelo Detran no Interior. Em Santa Quitéria, há a Fazenda Paula Rodrigues FOTOS: EDUARDO APARÍCIO

A nossa Página de Bem-Estar Animal, toda terça-feira no Diário do Nordeste, reportagem apresenta acordo entre a One Voice, Uipa e Detran, que vai permitir a doação de milho para animais apreendidos nas rodovias. Documentário premiado sobre jumentos faz homenagem a este animal. Confira a íntegra do documentário
“JUS – um filme sobre jumentos”, de Marcelo Dídimo, no endereço do Portal Verdes Mares http://svmar.es/XsLxrQ

Fortaleza. Os jumentos da Fazenda Dr. Paula Rodrigues, mantida pelo Detran, em Santa Quitéria, estão recebendo apoio internacional da Organização Não Governamental One Voice, sediada na França. Uma parceria da ONG foi firmada com a União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), em Fortaleza, para o repasse de recursos financeiros a serem aplicados na compra de milho para os animais.

Segundo a presidente da Uipa. Geuza Leitão, a Uipa liderou movimento no Brasil inteiro com repercussão mundial em favor dos jumentos

A presidente da Uipa, Geuza Leitão, já recebeu a primeira parcela, no valor de R$ 12 mil, que possibilitará a compra de cerca de 15 toneladas de milho. O voluntário da entidade, Eduardo Aparício, também diretor do Departamento de Cultura de Limoeiro do Norte, está intermediando a aquisição dos grãos, que serão transportados pelo Detran até a fazenda. O alimento poderá chegar ao destino ainda nesta semana. “Queremos agilizar a entrega”, afirmou ele.
Na última semana, houve uma reunião entre os dois representantes da Uipa, com o novo superintendente do Detran, Igor Vasconcelos Pontes, e o gerente do Núcleo de Supervisão de Regionais do Departamento, João Carlos Macedo Costa. Ficou definido que o Detran dará todo o apoio logístico no transporte de todas as remessas de milho. Depois desta primeira, deverão ser entregues mais três ao longo do semestre, ou o mais breve possível, tão logo o restante da verba da One Voice seja liberada.
“Essa doação de alimentos é muito importante. O milho servirá como suplemento alimentar e é de grande valia principalmente para os animais mais debilitados. Nós vamos selecionar aqueles que precisam mais para receber o alimento”, afirma ele, complementando que são cerca de 3.500 jumentos na fazenda, entre machos e fêmeas (adultos e filhotes).
Ele disse que o Detran continua apreendendo animais abandonados nas rodovias do Estado, por meio de 13 caminhões, coordenados por Regionais do Departamento. São cerca de 800 apreensões por mês, 90% deles jumentos. Os demais são cavalos, bovinos, caprinos e ovinos. Os proprietários dos animais têm um prazo de 10 dias para resgatá-los. A procura maior é por cavalos e bovinos.
Os ovinos e caprinos que não reclamados pelos donos, são doados a entidades beneficentes, como o Programa Cabra Nossa e a Santa Casa de Misericórdia, em Sobral, o Hospital do Câncer e o Iprede. Antes da doação, os animais recebem atestado veterinário comprovando o estado de saúde e vacinas.
Já os jumentos, como são abandonados, vão para a Fazenda Paula Rodrigues. Com a seca de 2012, o Detran precisa comprar ração para os bichos. São cerca de 5kg por animal por dia. A fazenda tem 500 hectares e três açudes.
Praticamente não há pasto suficiente para a alta demanda. João Carlos disse que o Detran pretende fazer parcerias com Faculdades de Veterinária, para levar projetos de melhoria à fazenda. A Faculdade de Veterinária do Inta, em Sobral, já manifestou interesse em realizar estudos sobre saúde animal.
A presidente da One Voice, Arnal Muriel, disse que a ONG defende os animais em todo o mundo. Para isso, decidiu apoiar a Uipa, e sua presidente Geuza Leitão em favor dos jumentos do Ceará.
Geuza relembra que tudo começou quando a Uipa decidiu, no ano passado, protestar contra a exportação de jumentos pelo Governo Brasileiro à China. Naquele país, os animais seriam matéria-prima na indústria alimentícia. O caso teve repercussão internacional, com adesão de seis países, inclusive a França. A atriz Brigitte Bardot aderiu à causa. Enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff pedindo clemência, que não permitisse a venda dos burros. A One Voice ficou sabendo do movimento e iniciou os contatos com Geuza Leitão, por meio de seu colaborador Paul Dos Santos-Stewenson.
“A One Voice defende os animais numa globalidade dos combates para eles, para o planeta e para os humanos. Trabalha com ética não violenta para o respeito de qualquer vida. Efetua campanhas na França, mas também em parcerias com associações no estrangeiro”, explica Arnal.
Ela diz que em todo o mundo há muito trabalho a fazer em defesa dos animais. “É importante alterar o olhar do público sobre os animais. Mostrar a doçura, a beleza e a grande sensibilidade dos jumentos, por exemplo. Eles têm direito ao respeito, a serem tratados com dignidade e compaixão. Esperamos que mais moradores da região se juntem à nossa causa em prol dos jumentos. Que abram o seu coração e seus olhos para estes animais que já vivem na região há tantos anos”, defende a presidente da One Voice.
Ela diz que a entidade atua em diversas frentes de proteção animal, tais como em defesa dos animais de laboratório, nos circos, matadouros e nas criações. A associação tem projetos na França em defesa dos gatos, cães e também cavalos. Geuza Leitão lembra que o movimento feito no ano passado permitiu a suspensão da venda dos jumentos desde então.

Documentário premiado faz homenagem aos animais

Eduardo Aparício é voluntário da Uipa e diretor do Departamento de Cultura de Limoeiro do Norte

O produtor do documentário, Eduardo Aparício, visitou a Fazenda do Detran e fez diversas fotografias, como parte do trabalho para o curta-metragem
O voluntário da Uipa, Eduardo Aparício, foi produtor no documentário “JUS – um filme sobre jumento”, dirigido pelo professor do Curso de Cinema e Audiovisual e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcelo Dídimo. Em 18 minutos, o documentário mostra a história deste animal que já teve grande utilidade na história do Nordeste, mas hoje é abandonado como objeto descartável e inútil.
“JUS nasceu da ideia de homenagear esse animal que foi tão importante na construção da história, da economia e da cultura do Nordeste do Brasil, em particular o Ceará, e que hoje se encontra esquecido, abandonado”, conta Dídimo.
Ele explica que o filme foi realizado em 2011 e finalizado no início de 2012. No Ceará, além de Fortaleza, a equipe – formada por dez pessoas – percorreu várias cidades do interior (Várzea Alegre, Santa Quitéria, Iguatu, Boa Viagem, Quixeramobim, Canindé, dentre outras), onde colheu entrevistas e depoimentos, além de diversas imagens para compor o filme e imagens de arquivo reunidas durante o processo. Foram cerca de 30 dias de filmagem e 50 horas de material bruto. O filme foi premiado no VIII Edital Prêmio de Cinema e Vídeo da Secretaria de Cultura do Governo do Estado, além de recursos captados através da Lei Rouanet.
O filme já contabiliza algumas premiações, tais como o Prêmio de Melhor Curta Cearense no 22º Cine Ceará; o Prêmio de Melhor Curta Júri Popular, no Festival Brasileiro de Cinema e Vídeo de Tocantins; e no VII Festival de Campina Grande.

Mais informações: União Internacional Protetora dos Animals (Uipa)
Geuza Leitão – (85) 3261.3330
Detran – Fortaleza
(85) 310158/13/ 5819

Tags: , , ,

Cão precisa de apoio para internação

Publicado em 17/01/2013 - 7:14 por | 1 Comentário

O cão mestiço adulto está abandonado nas ruas e muito doente

O amigo Reginaldo Vieira continua o seu trabalho de proteção animal junto aos cães abandonados em obras do Metrofor, em Fortaleza (CE). Desta vez, ele socorreu um cão mestiço adulto, que está com conjuntivite e ferimentos pelo corpo. Devido ao quadro de saúde, ainda não pode conviver com os outros animais do Abrigo São Lázaro. Também não pode ser levado à Clínica Pet’s, onde trabalha a exemplar veterinária Dra. Camila, porque lá já há outros cães em tratamento,   socorridos das ruas, e que não podem se misturar com outro animal doente.

O cão chegou a ser medicado, mas teve que voltar às ruas. Precisa de internamento urgente!

O Reginaldo está precisando de apoio para internar o cachorro em outra clínica. Quem puder auxiliar, pode entrar em contato com ele, pelo fone (85) 9964.9786. Por enquanto, ele aplica os medicamentos receitados pela Dra. Camila, um colírio e antibióticos. Porém, o cãozinho ainda está na rua.

O cão foi medicado pela Dra. Camila, uma veterinária exemplar em trabalho beneficente

Vale destacar a atuação da Dra. Camila, da Clínica Pet’s, na Av. Imperador, 1615, Benfica. Ela é uma veterinária que consegue conciliar o atendimento particular com o trabalho beneficente em prol dos inúmeros animais abandonados nas ruas. Precisamos de mais veterinários assim, que também façam isto. O mundo animal e seus protetores agradecem! Parabéns, Dra. Camila! Quando todos forem iguais a Sra. será maravilhoso!

Tags: ,

Dr. Vet: Doença do carrapato em cão

Publicado em 09/01/2013 - 8:56 por | 2 Comentários

Na Coluna Dr. Vet desta semana, o médico veterinário, Dr. Paulo Sérgio Barbosa, responde dúvida sobre doenças causadas pelo carrapato. Confiram:

“Meu cachorro foi diagnosticado com Babesia e Erlíquia. Ele é muito ativo e, de um dia para outro, ficou mais quieto e sem querer se alimentar, aparecendo manchas arroxeadas por todo o corpo, inclusive na língua. O exame de sangue constatou uma enorme baixa nas plaquetas, e logo foram tomadas as devidas providências. Ele não chegou a ficar muito abalado, logo voltou a comer e mantém um comportamento relativamente ativo. Porém ele ainda está bastante pálido, e, ultimamente, chora quando eu o pego no braço, ou quando ele vai subir no sofá por exemplo, como se estivesse machucado, embora aparentemente não tenha notado nada. Isso é normal? Essa dor vai com o tempo passar? E qual a melhor alimentação para fornecê-lo neste momento?”, pergunta o criador Renato.

Médico veterinário Paulo Sérgio Barbosa também é professor da Favet-Uece

Dr. Paulo Sérgio Barbosa*: “Pelo visto seu animal foi contaminado por uma Rickettsia no caso a Ehrlichia e por protozoário no caso Babesia, ambos são transmitidos pelo carrapato. Na nossa região, o mais comum é Rhipicephalus sanguineus, aquele carrapatinho vermelho que geralmente nós encontramos em nossos animais em inspeção diária. Pelo que o senhor descreve o seu animal apresenta a fase crônica da Erliquiose. Nesta fase, o animal pode apresentar os seguintes achados clínicos: depressão, perda de peso, palidez das mucosas, dor abdominal, evidência de hemorragia (sangramento nasal, cegueira com olhos vermelhos e manchas arroxeada na pele, como descrito na sua carta), linfoadenopatia (aumentos dos linfonodos), hepatomegalia, esplenomegalia (aumento do Baço) e rigidez com ou sem inchaço com ou sem dor articular. Nesta fase o animal apresenta o quadro de pancitopenia que é a diminuição de todas as células sanguíneas ou, raramente, a diminuição de uma delas.A mais comum e observada pelos clínicos é a diminuição de plaqueta chamada de trombocitopenia que, em conjunto com a anemia que eu estou pressupondo devido a palidez do seu animal, vem a confirmar o quadro da doença.

Quanto à Babesia a segunda infecção no quadro clínico apresenta o seguinte quadro: anemia com mucosas pálidas, febre, icterícia, petéquias, hepatomegalia e esplenomegalia. No hemograma pode apresentar um quadro de trombocitopenia associado a uma anemia. Com se vê, as duas doenças apresentam muitos achados clínicos semelhantes ao descrito na sua carta. Associação de Babesia com Ehrlichia é muito comum em cães e que esse tipo de caso não é raro e aparece com frequência em nossa casuística. Infelizmente aconteceu com o seu cachorro.

Quanto ao tratamento que foi escolhido pelo seu médico veterinário, não posso falar muita coisa, pois não sei qual a injeção que foi aplicada, mas pela prescrição feita pelo colega, o tratamento parece estar correto. A medida que os valores sanguíneos forem aumentando e o baço e fígado voltarem ao seu tamanho normal, as dores abdominais irão desaparecer e o senhor poderá pegá-lo naturalmente. Quanto á vontade dele em se alimentar, normalmente isso leva algum tempo, com certeza mais de 30 dias. Por isso aconselho paciência e acompanhamento do mesmo com o seu veterinário.

* Paulo Sérgio Barbosa: Professor da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Favet-Uece). Esta coluna é uma parceria com a Favet-Uece. Dúvidas sobre animais devem ser enviadas para o anavaleria@diariodonordeste.com.br ou (85) 3266.9790, ou ainda para o blog Bem-Estar Pet Fale

Tags: , ,

Estudante produz sabonete de nim contra pulgas e carrapatos em cães

Publicado em 08/01/2013 - 7:13 por | 1 Comentário

Esta é da Página de Bem-Estar Animal, publicada toda terça-feira no Caderno Regional do Diário do Nordeste. A correspondente do jornal no Vale do Jaguaribe, Ellen Freitas, é autora da reportagem. Confiram:

Testes realizados em 50 cães comprovam a eficácia do sabonete de nim, em 100% dos casos, como carrapaticida natural

Jéssica Martins fez a pesquisa no laboratório do IFCE de Limoeiro do Norte - Fotos: ELLEN FREITAS

Limoeiro do Norte. Aluna do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (Ifce), neste município, produziu um sabonete carrapaticida com extrato de nim (Azadirachta indica). As pesquisas realizadas pela estudante Jéssica Martins obtiveram resultados positivos com 100% de eficiência. A estudante pesquisa as propriedades da árvore desde o Ensino Médio, e possui uma invenção patenteada pelo Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Federal (NIT Ifce).

Aluna do curso de Saneamento Ambiental, Jessica é natural de Itaiçaba. Desde que trabalhava como auxiliar administrativa na Prefeitura de Limoeiro em 2008, na época cursando o Ensino Médio, ela observou em viagens ao campo que agricultores utilizavam o nim para eliminar algumas pragas da cultura do milho e do feijão.

O conhecimento popular dava conta de que o chá das folhas também eliminava pulgas e carrapatos de cães. Partiu daí o interesse pela pesquisa, buscando descobrir outras formas de utilizar no dia a dia a árvore, que é bem comum na região.

“Quando eu entrei no Instituto, fiz um estudo bibliográfico para aprofundar o que eu conhecia, como o nim é popularmente conhecido como inseticida. Tentei criar um sabonete para cães a partir do extrato da folha, que fosse mais eficiente no combate a pulgas e carrapatos”, explica. Segundo ela, a substância azadiractina é responsável pela repelência de vários insetos.

Durante seis meses, a estudante desenvolveu o produto e realizou testes em 50 cães. Os resultados foram surpreendentes, indicando eficiência de 100% como carrapaticida natural. Foi observado que o sabonete também auxilia no processo de cicatrização de ferimentos nos cachorros. Nenhum dos cães que utilizaram a amostra apresentou reações alérgicas ao produto. O sabonete é feito de forma simples, qualquer pessoa pode produzi-lo em casa.

“Nós utilizamos a metodologia mais simples. Ao invés de ser colocada a fragrância e o princípio ativo do sabonete convencional, a gente substituiu pelo extrato de nim, que é misturado à glicerina derretida e ao sabão de coco. A gente visou a utilização desse produto por pessoas que não tem tanta condição financeira e pudessem produzir em casa”, explica.

No período da pesquisa e criação do sabonete, ela trabalhou como voluntária no laboratório de Química do Ifce, sob a orientação da doutora em Bioquímica, Renata Chastinet, que incentivou as pesquisas da aluna. Ela também é autora do projeto que utiliza a cinza da folha do nim como agente de absorção de metais pesados em amostras sintéticas. Ela escreveu o projeto a partir de seus estudos.

Explica que o lançamento indevido de metais no ambiente causa contaminação no corpo hídrico, atingindo plantas e peixes, podendo também contaminar seres humanos através da ingestão de alguns alimentos. “Quando o peixe se alimenta naquele meio em que a quantidade de metais foi aumentada, ele fica contaminado. Quando nós consumimos esse peixe, a taxa de metais em nosso organismo também aumenta, podendo causar sérios danos à saúde como problemas no fígado, rins, doenças degenerativas como Alzheimer e a destruição de algumas funções enzimáticas no organismo”, explica.

Os metais são lançados no ambiente principalmente através de algumas indústrias metalúrgicas, que despejam a água utilizada para resfriar os metais sem nenhum tratamento. A estudante criou um pó que possui um alto poder de absorção destes metais para combater essa problemática. A invenção foi patenteada em outubro do ano passado e foi licenciada pelo Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Federal.

O nim é uma árvore originária da Índia e é utilizada há séculos na medicina humana e animal. Na agricultura, é utilizada no controle de pragas (insetos), devido ao seu poder repelente, atuando também sobre alguns fungos e bactérias.

É utilizada na fabricação de cosméticos, fertilizantes e no reflorestamento. Muito popular na Região do Baixo Jaguaribe, a árvore é utilizada principalmente na arborização urbana.

Algumas pesquisas recentes dão conta de que uma mistura de extrato de nim com uma determinada quantidade de detergente pode ocasionar o mesmo efeito dos pós químicos utilizados para combater a larva do Aedes aegypti, popularmente conhecido como mosquito da Dengue. Outra pesquisa mostra que a azadiractina impede que as larvas do mosquito-palha, principal vetor da leishmaniose visceral no Brasil, complete seu ciclo de desenvolvimento, atingindo a fase adulta.

Mais informações:

Laboratório de Química do IFCE
Campus Limoeiro do Norte
Rua Estevam Remígio, 1.145
Centro
Telefone: (88) 3447.6400 (Ramal da Coordenação de Cursos)

UPAC dá notícias da Duquesa

Publicado em 04/01/2013 - 9:43 por | 1 Comentário

Começando 2013 com ótimas notícias. O amigo Bruno Alves, da União Protetora dos Animais Carentes (Upac), nos envia notícias de como está a Duquesa, uma cadelinha que foi socorrida pela entidade e agora está precisando de voluntários para auxiliar na recuperação. Vamos lá, gente! Quem puder e quiser, é só entrar em contato com a entidade. Confiram o que o Bruno nos relata:

Duquesa recebe tratamento na Etave

“Antes de mais nada, queremos agradecer a todos que nos ajudaram nas despesas da Duquesa ateh agora!
A Duquesa continua internada na Etave. A cirurgia não pode ser feita dia 24 porque ela estava com diarreia. Nesse período foi feito uma imobilização da pata que está fraturada, na tentativa de fazer o osso voltar ao local certo e iniciar uma cicatrização, mas não deu certo, ela terá que passar pela cirurgia mesmo. O veterinário fará a cirurgia até segunda-feira.
Agora temos um grande problema e precisamos da ajuda de vocês. Semana que vem a Duquesa vai ter alta e precisa sair da clínica. Ela precisa se movimentar, precisa fazer exercícios, precisa de alguém que possa estimular seus movimentos, para que ela possa voltar a andar. Foi indicado até natação para ela. Enquanto estiver na clinica, ela não vai recuperar os movimentos e quanto mais o tempo passa, pior para ela. Ela tem grandes chances de recuperar os movimentos, mas precisa de estímulos. De tanto ficar na mesma posição, ela criou 2 escaras que só vão conseguir cicatrizar totalmente se ela sair da clínica. Ela faz as necessidades normalmente e come bem também, e sozinha.
Precisamos da ajuda de vcs para conseguir um lar temporário para a Duquesa. Um local onde alguém possa dar atenção para ela, estimular ela a se movimentar. A Upac se responsabiliza pela fisioterapia dela, que vai ajudar bastante na sua recuperação. Nos comprometemos a receber a Duquesa no nosso abrigo quando ela estiver, pelo menos, se movimentando sozinha. Sem se movimentar ela não pode ir para o abrigo, não temos uma pessoa que possa dar atenção apenas para ela.
Nos ajude a conseguir alguém de bom coração e com disponibilidade para cuidar da Duquesa por, pelo menos, um mês. Entre em contato conosco: contato@upac.org.br A Duquesa conta com a sua ajuda!”, afirma o Bruno Alves.

UPAC
(União Protetora dos Animais Carentes)
http://www.upac.org.br

Página 10 de 35« First...89101112...2030...Last »

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999

X Fechar

Desejas compartilhar o conteúdo do Diário do Nordeste?

Utilize o link da notícia ou as ferramentas presentes na página.