Busca

Cinofilia brasileira tem novo regulamento para exposição de cães

12:56 · 20.10.2017 / atualizado às 12:56 · 20.10.2017 por
Exposições do Kennel Clube do Estado do Ceará. Cães são avaliados em estrutura e beleza. Foto: Nilton Novaes

Está previsto para janeiro, a Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) e o Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) lançarem o Edital de inscrições para o grande evento cinófilo Américas e Caribe, a se realizar em maio de 2018 em Fortaleza, no Centro de Eventos do Ceará, com a participação de mais de mil cães de cerca de 100 raças. Com o evento, a cinofilia nacional já está passando por adequações para se aproximar, cada vez mais, das normas da Federação Cinológica Internacional (FCI), à qual a CBKC é filiada. No dia 14 de outubro, aconteceu em Atibaia (SP), o lançamento do novo regulamento das exposições pelo presidente do Conselho de Árbitros da CBKC, Ricardo Torres Simões, para os juízes brasileiros. O vice-presidente do KCEC, Luiz Eduardo Matos Mendes, representou a entidade no evento.

O presidente do KCEC, Roberto Bezerra, explica que as adequações feitas ao Regulamento resultou de trabalho conjunto entre o Conselho de Árbitros e o Conselho Cinotécnico (o qual preside), sob a coordenação do vice-presidente da CBKC, Fábio Amorim. Ontem, 19, a diretoria do KCEC se reuniu mais uma vez para tratar da logística da Américas e Caribe, no que se refere a hotéis, traslados e hospedagem para cães.

Luiz Eduardo destaca as principais mudanças no novo Regulamento das Exposições da CBKC. A Classe Inicial para o cão competir, que é opcional, passa para a idade de 4 meses e 1 dia a seis meses de idade. Também opcional, a Classe Filhote abrange cães de 6 meses e 1 dia a 9 meses de idade. Iniciando as Classes de competição obrigatória, vem a Classe Jovem, para cães de 9 meses e 1 dia a 18 meses.

Vice-presidente do KCEC, Luiz Eduardo Matos Mendes, também é juiz cinófilo. Foto: Bruno Santana

Foi instituída a Classe Intermediária, para cães de 15 meses e 1 dia a 24 meses. Ficando a Classe Aberta para cães de 15 meses e 1 dia  sem idade idade máxima para participar. Outra mudança relevante, em todas as categorias, os machos passam a entrar primeiro em pista, depois vem o julgamento das fêmeas. Na final da cada raça, concorrem macho e fêmea jovens, adultos e veteranos (se houver), podendo disputar até seis cães, o que deixa a exposição mais participativa, segundo avalia Luiz Eduardo.

Antes, somente os melhores cães de cada grupo de raça iam para a final seguinte. Agora, vão todos os melhores de grupo das Classes Filhote, Jovem e Adulto (somente neste poderá haver reserva de grupo). Isto também aumentará a competição.

Luiz Eduardo também destaca que a Classe Intermediária vai facilitar a participação para os criadores que levam vários cães para pista. Por exemplo, irmão de uma mesma criação, para não concorrerem juntos, um pode ir na Classe Intermediária, e o outro na Classe Aberta, podendo ambos, a depender do julgamento, irem para a final de raça. “A ideia é aumentar a concorrência, ampliado a participação”, explica Luiz Eduardo.

“A motivação para as mudanças no Regulamento é também a realização da Américas e Caribe. Mas não somente. A meta é nos aproximarmos cada vez mais das normas da FCI. Considero estas adequações um avanço para a cinofilia brasileira. Antes, muitos juízes de outros países sentiam certa dificuldade de julgar aqui devido às diferenças no Regulamento. Agora, a CBKC está facilitando o intercâmbio da cinofilia nacional com os cerca de 90 países membros da FCI”, afirma Luiz Eduardo.

Saiba mais sobre as Exposições Américas e Caribe

Segunda edição da Revista Bem-Estar Animal será distribuída durante o 3º Festival de Cães neste domingo

A segunda edição da Revista Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, traz reportagem especial sobre as Exposições Américas e Caribe. Confira alguns trechos da matéria:

“O presidente da CBKC, Sérgio de Castro, foi o grande responsável pela decisão de trazer para Fortaleza esta edição das Américas e Caribe no Brasil. E de acordo com o vice-presidente da CBKC, Fábio Amorim, a Capital cearense foi escolhida para sediar o evento porque possui instalações e logística adequadas. “Além do fato do KCEC estar realizando exposições caninas com excelente número de cães e elevado profissionalismo há bastante tempo”, destaca ele.

Da mesma forma, o presidente do KCEC, Roberto Bezerra, destaca que a realização destas exposições em Fortaleza é um marco para a cinofilia do Ceará e do País. “Esta é a primeira vez que um Estado do Nordeste sedia evento do porte das Américas e Caribe. Para Fortaleza e o Ceará como um todo, é uma oportunidade ímpar de divulgar a nossa vocação turística, bem como consolidar ainda mais a cinofilia estadual, no contexto nacional e mundial”, aponta ele.

Serão quatro dias de exposições: 31 de maio, 1,2 e 3 de junho. A avaliação dos cães deverá ser feita por cerca de 40 juízes, nacionais e estrangeiros procedentes de diferentes países. Está prevista para o próximo mês de dezembro, a definição pela CBKC das raças que contarão com exposições especializadas e nacionais, bem como os nomes dos juízes cinófilos convidados, segundo afirma Fábio Amorim. “Esta edição das Américas e Caribe marcará os 96 anos da CBKC”, ele ressalta.

MAIS INFORMAÇÕES: Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), (85) 3265.5040. O novo Regulamento das Exposições pode ser conferido em CBKC

 

 

 

 

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *