Bem-Estar Pet

Busca


Dr. Vet: o que fazer com cão agressivo

Publicado em 19/07/2012 - 9:15 por | 12 Comentários

Categorias: Antrozoologia, cinofilia, Comportamento Animal, Eu e meu pet, Geral, Saúde Animal

  • Enviar para o Kindle

Na Coluna Dr. Vet desta semana, o médico veterinário, Paulo Barbosa, da Favet-Uece, tira dúvidas sobre comportamento animal. A pergunta é da criadora Diná Barbosa.

Foto meramente ilustrativa

“Gostaria de saber se existe a possibilidade da agressividade no cachorro ser alguma doença e se sim, o que faço para descobrir? Minha cadelinha é uma Poodle e tem sido impossível mantê-la limpa, penteada, tosada. Obrigada”, Diná Barbosa.

Paulo Barbosa: “Pelo que posso perceber pela descrição da criadora, é que estamos diante de um problema um pouco complicado. Sem ver o animal fica difícil um diagnóstico preciso. Em primeiro lugar, precisamos saber que o ato de abocanhar refere-se ao contato oral com pressão da mandíbula inibida, de modo a não causar qualquer tipo de ferimento.

Dr. Paulo Barbosa, da Favet-Uece

A brincadeira de morder refere-se ao uso da boca quando envolvido em contato com um outro ser, ainda sem intenção de infligir ferimentos. A brincadeira agressiva abrange uma grande variedade de manobras exuberantes e agressiva, esta última seria a maneira que a cadela estar utilizando.

Quando falamos em agressividade de um cão, envolve um gama de opções como brincadeira agressiva, citada inicialmente, agressão quando o animal está comendo, agressões dirigidas a humanos familiares ou as pessoas estranhas, agressão entre cães estranhos ou familiares, agressão idiopática, agressão medo defensiva, agressão no consultório médico veterinário, agressão possessiva, agressão redirecionada e agressão territorial. Destes tipos de agressão o que mais parece com o seu animal seria a possessiva.

Neste tipo de quadro, o animal guarda coisas agressivamente como vasilha de comida, courinho para roer, ossos de verdade, vários itens achados ou roubados e, quando se veem ameaçados, costumam destruir as suas posses.

Os sinais clínicos incluem, inicialmente, às respostas do proprietário, que podem ter sido punitivas e, então, o comportamento agressivo aumenta, dirigindo-se tanto para as pessoas da casa como para as pessoas estranhas.

Nesta queda de braço entre o animal e o proprietário, ele pode rosnar, levantar os lábios superior, latir, morder o ar, avançar e morder de fato.

A punição excessiva agrava o quadro. O animal modifica a postura corporal e aprende que as resposta agressivas são eficazes. Quadro este que seu Poodle parece ter chegado.

Para esse tipo de patologia, não existe um tratamento medicamentoso e somente o tratamento adaptativo.

Em Fortaleza, existem Médicos Veterinários com especificação em adestramento e comportamento animal, que poderiam ajudar a sua cadelinha com um diagnóstico preciso de qual o comportamento agressivo a sua cadela se encontra.

Assim, com este diagnóstico preciso, pode-se então instituir uma terapêutica eficaz.

Paulo Sérgio Barbosa*
Professora da Faculdade de veterinária da Universidade Estadual do Ceará. Esta coluna é uma parceria com a Favet-Uece. Dúvidas sobre animais devem ser enviadas para o anavaleria@diariodonordeste.com.br  ou (85) 3266.9790, ou ainda para o blog Bem-Estar Pet

 

Comentários

jackson dr disciplina

em 20 de julho de 2012

neste caso a criadora tem de se tornar lider da cadela com pequenas atitudes como passar por portas e portoes sempre na frente da cadelinha e sempre andar na frente da cadela porquer em um grupo de caes sempre quem andar na frente é o lider e pode a vir a se mostra agressivo quando se ver contrariado ou desafiado do ponto de vista do lider . certamente esta cadelinha foi criado com pouca disciplina e como lider da familia .agora tem de tratar os atos agressivos dela sempre associados a açoes positivas .por exemplo para penteala mostre primeiro o petisco e depois passe a escova no momento que ela estiver pegando o petisco como se fosse uma troca . isso vai melhorar bastante o comportamento.VEJA MAIS DICAS NO BLOG BEM ESTAR PET COM O DR. DISCIPLINA.

Diná Barbosa

em 16 de agosto de 2012

olá,doutor, obrigada por ter me respondido sobre a agressividade. Mas na verdade acredito que o problema da minha cadela seja por medo, pois, não tenho problema algum em tirar um alimento da boca dela por exemplo. Alem disso ela não esconde ou tem ciume dos ossinhos, brinquedos… o problema e quando tento encostar no dorso ou patas, coloca o rabinho entre as pernas e as vezes fica tremendo)… até um carinho na orelha ela aceita tranquilamente, mas o banho e muito complicado, quando alguem tenta pentea-la(o que e necessario por ser poodle) ela ataca mesmo… morde de arrancar pedaço. Morde tão forte que nem luva de couro resolveu o problema dos ferimentos. Quando ela vai para o banho e tosa sempre vomita de nervoso. Contratei um adestrador que tem feito um trabalho com ela há 3 meses. ela senta, deita, rola, finge de morta, da patinha…. mas, continua mordendo. Assim, busco urgentemente uma solução, pois é impossivel viver com um cachorro dentro de casa sem higieniza-lo. Há… outro detalhe importante, ela não apanha nunca aqui em casa e nem recebe castigos, geralmente depois dos ataques ela corre p debaixo da cama e fica ate se acalmar.
Um abraço.

Diana

em 29 de agosto de 2012

Tinha duas cadelinhas SRD de 5 meses e a mãe delas (7 anos), em meados do mes passado um dos filhotes apresentou uma conjuntivite que meu vet. disse ser conjuntivite que sumiu em poucos dias, uma vez que foram vacinadas. Passados uns dias a mãe delas começo a apresentar uma tosse aguda e alguns engasgos. Novamente meu vet a diagnosticou como sendo Tossi dos Canis, e receitou um xarope, dois dias após ela estava bem e o outro filhote começou a apresentar os mesmos sintomas da mãe, a conjuntivite e umas fezes escuras (manteve o apetite normal). Tomou o xarope por 4 dias e não melhorou, no retorno foi indicado Sinulox 50 mg. a cada 12 horas por cinco dias, passado os cinco dias não obteve nenhuma melhora no quadro respiratório e começou a ter dificuldade em mastigar alimentos secos (ração), passou a se alimentar de ração umidecida, arroz com frango e carne. O vet trocou o medicamento pelo Doxyciclina 50mg. a cada 12 horas, no mesmo dia que iniciei a Doxy, percebi que as almofadas das patas estavam secas e duras e a primeira cadelinha que apresentou a conjuntivite começou a apresentar muito esporadicamente uma falta de ar (como se tivesse inspirado pó), pesquisei na internet e vi que se encaixava na cinomose, no dia seguinte levei em outro veterinário que diagnosticou a cadelinha que estava mais grave com cinomose, neste dia ela estava começando a apresentar os primeiros espasmos (muito leve), o vet. aplicou uma injeção de pentabiótico e receitou Biofluxacim, cort-trat, vitamina C e complexo B, a cada 24 horas para as duas que não estavam apresentando sintomas e para as duas que não apresentavam nenhum sintoma e para ela a mesma medicação a cada 12 horas. E assim se segui para por nove dias… ela melhorou, começou a ficar mais ativa, voltou a comer alimentos secos e as fezes voltaram ao normal, apenas os espamos continuaram, até está madrugada, por volta das 00:14 hrs escutei um barulho estranho na caminha delas e qndo fui ver o que era, percebi que ela estava convulsionando, a peguei rápidamente e segurei firme (indicação do meu vet), isso demorou menos de 1 minuto e passou, a coloquei no chão, ela andou normal, foi comer e dei 3 ml de paracetamol (liquido infantil), para diminuir a febre e o mal estar, após uns 15 minutos ela pareceu normal, até pulou em mim brincando e banando o rabo, por volta das 3:00 hrs da manhã voltei para ve-la e vi que estava largada na cama com dificuldade para respirar, a peguei novamente e ela começo a repuxar a boca (como se estivesse rosnando) e começou a convulsionar novamente, desta vez demorou cerca de 6 min para passar, coloquei ela no chão e andou normal e foi comer, a levei num vet 24 hrs, que aplicou uma injeção de diazepan nela, para relaxar os músculos e chegar de manhã sem maiores complicações, no caminho de volta a casa ela ficou meio largadinha mais não dormiu, começou a chorar alto(latido fino e agudo), várias vezes em curtíssimos período (parecia convulsionar, mas sem as contrações musculares), de manhã ela ficou de pé na cama dela, mas estava largada, comeu ração, arroz com carne, tomou os medicamentos. Trouxe ela no vet dela que disse que agora não teríamos, mais o que fazer por ela, que se eu quisesse tentar mais um pouco, seria meu risco e o único medicamento que aumentaria no tratamento seria o Gardenal, disse ainda que todo o sistema nervoso e respiratório estava comprometido e que dificilmente sobreviveria, mas iria sofrer bastante, pois as convulsões iriam aumentar e a respiração ficaria cada vez pior. Diante deste quadro horrível de sofrimento, podendo optar por ele não piorar, autorizei a eutanásia da minha filhinha peluda de 5 meses. Desculpe a extensão, mas gostaria de saber se houve uma sucessão de erros e o mais importante agora, o que farei com as duas que estão em casa ? Elas estão bem, não apresentam nenhum sintoma da cinomose, mas segundo o meu vet ela estão com o virus e tenho que terminar o tratamento com o antibiótico e aguardar, para depois de uns dias podermos avalia-las. Não sei o que fazer ou em quem confiar, pois faço tudo que é recomendado a elas e tenho medo que a história possa se repetir. Tem algum outro exame que posso agora ? Algum outro medicamento ? Fiz a ele essas mesmas perguntas, ele me disse que pelo simples fatos das duas não terem apresentado nenhum sintoma fora os iniciais relatados no inicio, elas serão curadas com antibióticos e não teram sequelas seguindo o acompanhamento correto e estando fora de perigo terei de vacina-las novamente. Confere as informações ?
Obrigada, e desculpe a exteção.
Diana

Valéria Feitosa

em 4 de setembro de 2012

OLá, Diana

veja, seus cães já estão com acompanhamento veterinário. Não precisa ficar com tantas dúvidas. Mas se ainda tem, o seu médico é a pessoa mais indicada para dar a mais corretas orientação. Na Coluna Dr. Vet não podemos confrontar procedimentos entre os médicos. Daí, o mais correto é confiar no seu veterinário, ok?

joao correa

em 21 de setembro de 2012

dr eu tenho uma podle e ela nao se da bem com ninguem so comigo nem com meu filho de 3anos sempre quer morder o que eu faco.gosto muito do seu blog.

NETE MENEZES

em 16 de novembro de 2012

TENHO UMA CADELA DE 3 ANOS,É MUITO AGRESSIVA,GOSTARIA DE SABER SE POSSO DA DIAZEPAN 9COMPRIMIDO) PARA ELA NO DIA QUE FOR VACINAR?

Valéria Feitosa

em 20 de novembro de 2012

OLá, Nete

Casos de agressividade em cão devem ser resolvidos com adestramento, não é com medicamento. Procure contratar um adestrador e algumas aulas podem resolver, ok?
Boa sorte!

Diná barbosa

em 23 de março de 2013

Diná Barbosa
em 16 de agosto de 2012
olá,doutor, obrigada por ter me respondido sobre a agressividade. Mas na verdade acredito que o problema da minha cadela seja por medo, pois, não tenho problema algum em tirar um alimento da boca dela por exemplo. Alem disso ela não esconde ou tem ciume dos ossinhos, brinquedos… o problema e quando tento encostar no dorso ou patas, coloca o rabinho entre as pernas e as vezes fica tremendo)… até um carinho na orelha ela aceita tranquilamente, mas o banho e muito complicado, quando alguem tenta pentea-la(o que e necessario por ser poodle) ela ataca mesmo… morde de arrancar pedaço. Morde tão forte que nem luva de couro resolveu o problema dos ferimentos. Quando ela vai para o banho e tosa sempre vomita de nervoso. Contratei um adestrador que tem feito um trabalho com ela há 3 meses. ela senta, deita, rola, finge de morta, da patinha…. mas, continua mordendo. Assim, busco urgentemente uma solução, pois é impossivel viver com um cachorro dentro de casa sem higieniza-lo. Há… outro detalhe importante, ela não apanha nunca aqui em casa e nem recebe castigos, geralmente depois dos ataques ela corre p debaixo da cama e fica ate se acalmar.
Um abraço.

SIMONE

em 15 de maio de 2013

Ola. Tenho 5 caes em ksa, tentei ajudar um cao que estava doente levei para casa para trata-lo e foi detectado que estava com cinomose, ele morreu, agora quatro dos meus caes apresentaram sintomas fui ao veterinario e medicamos, inclusive tem uma gravida que não mostrou sintoma algum, mas tenho um que esta muito ruim e nao conseguimos dar medicamento a eles pois ele nos morde de verdade e esta cada dia pior, eu gostaria de saber se caes de porte pequeno 8 kilos aguenta tomas doxiclina injetavel, pois é o unico meio que conseguirmos dar medicamento a ele mesmo assim é bem dificil. Espero resposta.

Valéria Feitosa

em 17 de maio de 2013

Olá, Simone

O Dr. Vet não repsonde pergunta deste tipo. Neste caso, vc deve levar a uma consulta veterinária urgentemente, ok? Boa sorte! E seja prudente!

gideão lima

em 17 de outubro de 2013

como faço para a orelha do meu pit bull ficar em pé sem a cortala?

Amanda Macedo Zavarize

em 22 de outubro de 2013

Ola, estou com um problema com meu cãozinho,ele e um Cocker spaniel inglês de 4 meses, sempre foi bem agitado, mas nunca agressivo, tenho outro cachorro um viara-lata de poodle com pinscher de 1 ano, muito tranquilo também que o recebeu muito bem. Ate que ele teve gastroenterite e ficou internado por 2 dias, ficou muito mal, mas graças a Deus melhorou e voltou para casa. agora tem tido reações estranhas que nunca tinha tido, por exemplo: coloco a ração para em dois potes diferentes e um pouco afastados como sempre foi feito, e o Cocker spaniel inglês não deixa mas o vira-lata comer quer os dois potes para ele e quando vamos mexer ele rosna e ate nos morde! sendo que isso nunca tinha acontecido.. pelo contrario, eles antes dividiam o mesmo pote e mexíamos nele a qualquer momento sem nenhuma reação agressiva!! gostaria que me ajudasse a resolver essa situação da melhor forma!! desde já agradeço, att.


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999