Bem-Estar Pet

Busca


Dr. Vet: cão com respiração ofegante

Publicado em 22/11/2012 - 7:49 por | 2 Comentários

  • Enviar para o Kindle

Na Coluna Dr. Vet desta semana, o médico veterinário Paulo Sérgio Ferreira Barbosa, da Favet-Uece, tira dúvidas do criador Humberto Vidal. Confira:

Dr. Paulo Sérgio Barbosa, da Favet-Uece

“Gostaria de saber por que meu cachorro, de uns dois meses pra cá, esta com a respiração muito ofegante. Estava querendo fazer um exame do coração nele. Também os olhos dele estão remelando muito. Pode ser verme?”, pergunta o criador Humberto Vidal.
Dr. Paulo Sérgio Ferreira Barbosa: “Dispneia é a respiração difícil ou forçada, ofegante. Isto pode ser fisiológica, devido ao exercício, calor, ansiedade, ou patológica. A respiração ofegante pode ser causada por necessidade adicional de oxigênio, compensação de uma acidose metabólica causada, por exemplo, por uma doença renal crônica, anormalidade cardíaca, dentre outra situações como o calor ambiental excessivo que pode ocasionar quadro de dispneia, já que cães dissipam calor através do sistema respiratório.
Vivemos em Estado quente e se ele vive em canil fechado, como os cães de guarda costumam ficar, estes canis geralmente são, nesta época de clima quente e abafado, responsáveis por casos de dispneias.
Outra causa menos provável de dispneia é que seu animal tenha alguma lesão no centro respiratório no sistema nervoso central, mas acho que pelo que o senhor escreveu não é ocaso. Debilidades dos músculos respiratórios ou disfunção dos nervos motores da respiração. Dor nas estruturas envolvidas na respiração e em outro órgãos ( traumatismo, inflamação  ou tumores). Como se vê, o que foi mencionado até agora foram de situações em que o animal que pode apresentar quadro dispneicos.
No entanto, vamos falar de causas mais prováveis que podem estar afetando o seu animal: infecção do trato respiratório superior como renite e sinusite, no caso do animal de pequeno porte; e braquicefálico colapso de traquéia, massa e corpo estranhos, quando falamos de vias aéreas inferiores; podemos falar de pneumonias bacterianas, verminóticas, fúngica, edema pulmonar causado por insuficiência cardíaca ou hipoproteinemia, embolismos pulmonar com pouco comprometimento do tecido pulmonar; e finalmente podemos falar da deficiência de oxigênio causado por anemias verminótica (ancytostomas spp), deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico, ou doenças crônicas como a doença renal crônica.
A anemia verminótica geralmente causa remela nos olhos, como o senhor se refere na carta, mas, no entanto, outras patologias como a ceratoconjuntivite seca devem ser descartadas. Sugiro que o senhor leve o seu animal a um médico veterinário para uma consulta, para que seja feito um exame clínico mais detalhado, além de solicitação de exames complementares como Raio X, hemograma e bioquímicos, podendo chegar a um diagnóstico definitivo e instituir a terapêutica adequada para uma melhor qualidade de vida do seu animal. Quanto ao exame do coração do seu cão, provavelmente poderá ser solicitados por ocasião da consulta”.
* Professor doutor da Favet-Uece. Dúvidas sobre animais podem ser enviaadas para o anavaleria@diariodonordeste.com.br (85) 3266.9790/ blog Bem-Estar Pet

Nova aula-show gratuita sobre adestramento de cães será nos Mercadinhos São Luiz do Crato

Publicado em 20/11/2012 - 6:44 por | 2 Comentários

  • Enviar para o Kindle

Para participar do evento, o criador de cão deve ligar para a redação do jornal e garantir a inscrição

André Saretta vai falar sobre "Como ser líder do cão"

Fortaleza. Sucesso de público no primeiro semestre do ano na Capital, a Aula-show gratuita sobre adestramento de cães será realizada no próximo sábado, dia 24, a partir das 9h30, no estacionamento dos Mercadinhos São Luiz do Crato. Trata-se de uma promoção aberta ao público, preferencialmente criadores de cães, promovida pelo Diário do Nordeste (Página de Bem-estar Animal/Blog Bem-Estar Pet). As inscrições podem ser feitas por telefone. Os 50 primeiros participantes vão ganhar amostras de brindes da Guabi. 15 criadores vão poder levar seus cães para participar da aula.
A promoção é resultado de parceria entre o Diário do Nordeste, Guabi, Mercadinhos São Luiz, J.A. Comercial Ltda, Grande Cariri Kennel Clube (GCKC) e Associação de Proteção à Vida (Aprov). A aula-show contará com palestra do criador de cães e integrante do GCKC, André Saretta, que falará sobre “Como ser líder do cão”. Ele estará com seu rottweiler Kiron, para demonstrações de obediência canina.
Para participar da aula-show, os cães serão selecionados conforme os seguintes critérios: devem ser dóceis, socializados e com a saúde em dia, no que se refere à vacinação, vermifuga-ção e controle de pulgas e carrapatos. Após a palestra de Saretta, o microfone será aberto ao público para perguntas sobre comportamento canino.
A programação começa com palestra da Editora do Caderno Regional e de Bem-Estar Animal deste jornal, Valéria Feitosa. Ela falará sobre o que é bem-estar animal e as cinco liberdades que norteiam este conceito. Em seguida, a veterinária da Guabi, Renata Meneses, abordará o tema “Nutrição Animal”, apresentando as linhas da ração da indústria. “Sempre na busca de qualidade de vida e bem-estar animal, a Guabi incentiva estes eventos e apoia o trabalho das ONGs na retirada de animais de rua e adoção com responsabilidade”, afirma ela.

Jornalista Valéria Feitosa, Editora de Regional/Bem-Estar Animal do Diário do Nordeste, e Gil Ponte, da Guabi, durante aula-show já realizada em Fortaleza

Também estará no evento a presidente da Aprov, Antônia Ferreira Lima. Ela vai apresentar o trabalho de proteção animal feito pela entidade no Cariri, com destaque para a guarda responsável de cães e gatos.
Para o gerente dos Mercadinhos São Luiz no Crato, João Alberto de Oliveira, a aula-show é um evento destinado não só para criadores de cães mas para todas as famílias, uma vez que o crescimento do setor pet é uma realidade. “Estamos promovendo um evento interessante não só para nossos clientes e seus animais domésticos, mas para toda a família”, afirma, comprovando que, cada vez mais, verifica nas lojas da rede o número crescente de opções para os animais domésticos, tanto em alimentos como rações, biscoitos e patês, como em brinquedos, coleiras e acessórios.
O diretor comercial da J. A., Jocélio Parente, destaca que a empresa é distribuidora exclusiva da Guabi para todo o Ceará. Dos 7 mil pontos de vendas/mês mantidos no Estado, cerca de 30% vendem a marca de rações. “Isto com potencial de crescimento. Sem dúvida, o setor pet está em plena expansão, especialmente com ao aumento do poder aquisitivo das classes C e D, que antes davam alimentação humana para seus animais e hoje passaram a dar ração. E a Guabi tem uma linha de excelente qualidade, variada e com preços acessíveis aos diferentes perfis de criadores”, diz ele.
Em 2011, a J.A. Comercial vendeu 96 toneladas de rações e a previsão é fechar este ano com 230 toneladas comercializadas, um crescimento de 140%. A distribuidora está no mercado há 19 anos, com atuação voltada para os pequenos atacados e varejos de pequeno, médio e grande portes, hotéis, restaurantes, hospitais, indústrias e outros, com produtos de higiene e limpeza, bebidas, alimentos e rações.
Por meio da página de Bem-Estar Animal, o Diário do Nordeste, em parceria com a Guabi, já vem promovendo eventos gratuitos destinados a criadores de cães. Em 2011, realizou no Parque Adahil Barreto aulas para obediência canina com o adestrador Jackson Maciel, o Dr. Disciplina do Blog Bem-Estar Pet. No primeiro semestre deste ano, realizou oito aulas-shows em diferentes locais de Fortaleza, ministradas pelo adestrador e especialista em comportamento canino, Olivier Soulier, para um público de mais de 200 criadores.
MAIS INFORMAÇÕES: Aula-show gratuita, sábado, dia 24, às 9h30, nos Mercadinhos São Luiz do Crato. Isncrições com Valéria Feitosa (85) 3266.9790 e com André Saretta, (88) 9928.4100

Tags: , , , ,

Dr. Vet: reprodução em gatos

Publicado em 14/11/2012 - 7:06 por | Comentar

Categorias: Dr. Vet, Geral, Saúde Animal
  • Enviar para o Kindle

Na Coluna Dr. Vet de hoje, confira resposta da Dra. Ticiana Franco sobre dúvidas em reprodução de gatas do criador Fernando Cysne.

“Tenho duas gatas a Frida Carla Maria Rita com 8 anos, (mestiça -angora com persa). Esta não cruzo mais, mas a filha dela, Charlotte, (o pai é um persa com pedigree), com 3 anos, estou levando para cruzar desde janeiro e não está mais ficando prenha. Já mudei o macho, e nada acontece, e os mesmos machos já cobriram outras fêmeas que ficaram prenhas. A Charlotte já teve três ninhadas, e agora não fica mais prenha. O que devo fazer? Elas só se alimentam de ração, Royal Canin Fit 32 desde de pequenas”, pergunta o criador Fernando Cysne.

Médica veterinária Ticiana Franco, da Favet-Uece

Dra. Ticiana Franco*: “Se você diz que está levando para cruzar, creio que esteja verificando cio na Charlotte. Os cios devem aparecer a cada 15 a 50 dias, considerando que ela pode ovular ou não, dependendo dos acontecimentos. É válido observar qual o intervalo entre estes cios. Quando ela entra no cio, tecnicamente denominado de proestro e estro, ela cruza efetivamente com o macho, ou seja: ela grita, bate no macho, bufa e lambe-se após a cópula? Quantas vezes por dia? Em que intervalo? Quantos dias? Estas perguntas são importantes, pois somente cruzar não é suficiente.

A gata ovula de forma induzida pelas espículas penianas. Não para machucá-la ou fazê-la sangrar, que é um mito, mas para um estímulo neuroendócrino de desencadeamento de uma descarga de um importante hormônio da reprodução, o hormônio luteinizante ou LH. Desde que liberado em uma concentração adequada, age em cerca de 24 a 36h após uma cópula efetiva, ou seja, com penetração completa, traduzida pelos sinais de gritar, bater, bufar e lamber-se da fêmea pós-cópula. Para sua liberação em uma concentração adequada, o casal de gatos precisa realizar cópulas em curtos intervalos.

Sugere-se pelo menos quatro cópulas em intervalos de 1h, 2X/dia (manhã e final de tarde, por exemplo), pelo menos três a quatro dias seguidos. Caso Charlotte não esteja cruzando desta forma, ela pode ter cios normais, mas não estar emprenhando por ausência de ovulações, ou pequeno número de ovulações que não garantem boa quantidade de oócitos para a fecundação.

Outro ponto a ser investigado é o real momento do ciclo e o estado do útero. Para isto a Charlotte deve ser avaliada clinicamente por um veterinário, a fim de realizar análise de secreções (citologia vaginal) e também avaliação de imagem ultrassonográfica do útero, pois algumas patologias uterinas, mesmo com a presença do cio, permanecem em uma ou mais porções do útero assintomáticas, como hidrometras e piometras e comprometem a capacidade do embrião de fixar-se ao útero e garantir a gestação. A ração que ela come é excelente, mas sugiro a ração da mesma marca desenvolvida para fêmeas em reprodução (Royal Canin Queen) que, por possuir na fórmula antioxidantes importantes para a fase pré-gestacional, pode melhorar o quadro da suposta infertilidade.

Ticiana Franco Pereira da Silva*
Médica veterinária e professora da Favet-Uece. Dúvidas sobre animais enviar para o anavaleria@diariodonordeste.com.br ou (85) 3266.9790

 

Tags: , , , ,

Criadouros de aves batalham por conservação e cuidado de animais no Brasil

Publicado em 13/11/2012 - 7:12 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Essencial para a preservação e fortalecimento de algumas espécies, criação e exportação brasileira ainda engatinha. Europa e EUA detém liderança de venda legal de animais tropicais.

Aves mantidas nos criadouros comerciais têm condições de bem-estar asseguradas FOTO: Criadouros Freepower

São Paulo. Os criadores de pássaros legalizados e que seguem as normas para manter a higiene e o bem-estar desses animais são atores essenciais na manutenção de espécies nativas e exóticas no Brasil. A Abinpet – Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação – apoia a atuação dos 5.457 criatórios de animais presentes no Brasil e também entende que esses estabelecimentos atuam como perpetuadores de espécies ameaçadas de extinção, fonte de emprego e de divisas para o setor pet em todo o País.
Para o criador gaúcho Flávio Sousa Jr., de Porto Alegre, trata-se da chance de manter espécies cujo habitat já foi extremamente modificado pelo homem. “As populações dessas espécies se manterão em número razoável e com diversidade genética suficiente. Muitos animais têm diversidade genética tão pequena que a suscetibilidade a doenças é muito grande. O criador desenvolve mecanismos pra que a sobrevivência seja possível”.
Na cidade do Rio de Janeiro, no Criadouro Passaredo, Lélio Heliodoro cria psitacídeos, como papagaios e araras, e ramphastídeos, popularmente conhecidos como tucanos, tanto nacionais como exóticos. Heliodoro explica que zoológicos e criadouros podem ser considerados “reservas genéticas sob condições controladas: desenvolvemos técnicas de reprodução que poderão, eventualmente, servir para reposição de animais ex situ, com a possibilidade de se refazer, na natureza, até mesmo espécies extintas. É o caso do mico-leão-dourado, que somente conseguiu se fixar no Brasil depois que um zoológico norte-americano nos enviou espécimes, e nos passou o know-how de reprodução”.

Aves conservadas pelo Criadouro Lagopas, um dos 5.457 estabelecimentos que atuam no País preservando as espécies ameçadas de extinção FOTO: Criadouro Lagopas

Heliodoro atenta também para o hábito e capacidade de voô dos animais. “As aves não acordam pela manhã, olham para o céu e pensam ´lindo dia, vou dar uma voadinha´. Ledo engano. As aves somente voam por quatro únicos motivos: procurar comida, procurar acasalamento, fugir do predador e, finalmente, voam para voltar para o ninho. Voar é gastar energia, que é reposta somente através da alimentação”. As constatações desmistificam também a ideia do pássaro “triste” na gaiola, pois em um ambiente controlado, o animal passa a ter à disposição condições ideais para a vida.
Cuidados médicos e profissionais qualificados são outros requisitos importantes, frisados por Waldir Pereira da Silva, do Criadouro Realengo, de Goiânia (GO). “Manejo sanitário, como limpeza, desinfecção e a aplicação de antiparasitários, antibióticos nas aves são medidas que tomamos e proporcionam boas condições de saúde”. Silva também cita o acompanhamento diário das aves, por tratadores treinados e com aptidão no manejo, além de acompanhamento veterinário constante. No Realengo, o criador disponibiliza sabiás-da-mata, curiós e bicudos. Segundo ele, a importância dos criadouros no caso de espécies como o bicudo é crucial, pois o animal encontra-se praticamente extinto em habitat natural.
Números vindos do exterior revelam também quão urgente se faz uma transformação nas condições para criação e comercialização legal no Brasil. Em 2007, de acordo com dados da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Silvestres, a quantidade de araras exportadas pelo Brasil foi de 52 espécimes, entre 2000 e 2006. Nos Estados Unidos, o número de aves dessa espécie, exportado, foi de 683 no mesmo período. Na Holanda os papagaios exportados contabilizaram 2.213, enquanto o Brasil exportou 100 animais.

As aves têm acompanhamento diário, por tratadores treinados com aptidão ao manejo especial FOTO: Criadouros Freepower

Não se trata apenas de uma questão das aves. Outros animais nativos de origem silvestre do Brasil são criados, com pesquisa e alto padrão de tratamento, em grande escala no exterior. Como consequência, hoje é mais fácil comprar animais como saguis e jiboias em terras europeias do que em nações de clima tropical. Os dados da convenção revelam que, na Inglaterra, o número de saguis exportados, entre 2000 e 2006, chegou aos 520. No Brasil, foram 61 animais enviados para fora. Mas o caso das jiboias e das iguanas é o mais emblemático: na República Checa o número de jiboias criadas e exportadas foi de 12.531, enquanto no Brasil, foram seis. No caso das iguanas, os Estados Unidos exportaram 13.486 animais – e o Brasil, nenhum.
Sousa Jr. explica que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) possui uma visão “preservacionista”, diferente do que uma postura conservacionista poderia representar para animais, fauna nativa e criadores. “Claro que o certo seria preservar o mundo como está e deixar que os próprios animais cuidassem de si. Essa filosofia é muito popular e vê com maus olhos o nosso trabalho, mas a criação em ambientes controlados é essencial para a sobrevivência dos animais. Esse é o legítimo processo e prática do uso sustentado da biodiversidade. Soltar as aves, à revelia, também é prejudicial”, conclui o criador.
Sobre a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) representa a indústria Pet, com associados de toda a cadeia produtiva. A entidade congrega os segmentos alimento, medicamentos veterinários, serviços e pet care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene e beleza). A Abinpet promove e fortalece o setor Pet, por meio de ações que contribuam para o desenvolvimento dos associados. Além disso, a entidade busca ser referência internacional ao incentivar a conscientização do consumidor e o fortalecimento do setor por meio da sustentabilidade do mercado Pet no Brasil.

Fonte: Abinpet

Tags: , , ,

Upac promove feira de adoção de animais

Publicado em 08/11/2012 - 7:48 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

A Polianna Uchoa, da União Protetora dos Animais Carentes (Upac), me envia email comunicando este importante evento. Vamos apoiar e participar! Se você ainda não tem um bichinho de estimação em casa, não sabe o que está perdendo. Eu vou te dizer: está perdendo amor incondicional, carinho infinito, fidelidade à toda prova, mil momentos ilários, spa anti-estresse na própria casa e muito mais. Só vendo, ou melhor, só vivendo para crer!

O email da Poliana diz o seguinte: “Voluntários fazem a diferença em ONG Cearense. A União Protetora dos Animais Carentes – Upac realizará no próximo dia 10 de novembro, mais um EVENTO de adoção de cães e gatos. O evento acontece no Shopping Pátio Arvoredo de 15 às 19 horas. Para adotar um bichinho é só levar seu CPF, RG e comprovante de residência e passar por uma entrevista.  Ao todo, mais de 330 animais estão sob os cuidados da ONG que é administrada por voluntários. Todo o trabalho é mantido através das doações. Ração, medicamentos, recursos para as despesas veterinárias e produtos para o bazar. Para saber mais sobre como ajudar, acesse: http://upacfortaleza.wordpress.com/voluntariado
O trabalho é contínuo e a Upac está sempre em busca de voluntários. A ONG faz recrutamento de voluntários a cada seis meses, mas quem deseja ajudar pode fazer isso a qualquer momento. As atividades são várias: ajuda com o trato dos animais nos abrigos, diagramação de artes, arrumação de bazares, contagem de notas fiscais, transporte de animais, etc. Segundo a Raphaele Pinheiro, “a maior doação é o tempo da pessoa”.

Se você deseja ajudar, acesse o site da ONG: http://www.upac.org.br  ou pelo
facebook:

http://www.facebook.com/ongupac

Maiores Informações:
contato@upac.org.br

Tags: , ,

Dr. Vet: cachorro com olhos inflamados

Publicado em 06/11/2012 - 9:37 por | 2 Comentários

  • Enviar para o Kindle

Confirma o Dr. Vet deste semana. Médico veterinário Paulo Babosa tira dúvidas do criador Adson Júnior.

“Oi, faz algum tempo, os olhos do nosso cachorro remelam sem parar. O que ele tem? Qual o remédio recomendado?”, pergunta o criador Adson Junior.

Dr. Paulo Sérgio Barbosa é veterinário e professor da Favet-Uece

Dr. Paulo Sérgio Barbosa: “Prezado senhor, o que provavelmente seu cachorro apresenta, pela pergunta, seria ceratoconjunvite seca. Essa doença é causada pela deficiência da parte aquosa do filme lacrimal, ou seja, o seu animal não está produzindo lágrima suficiente para lubrificar os olhos, provocando mudanças inflamatórias progressivas na córnea e na conjuntiva.
Quanto à sua etiologia, ela pode ser primária ou secundária. A cereratoconjuntivite seca primaria é causada por uma falta congênita na produção de lágrima ou por atrofia espontânea da glândula lacrimal; enquanto a secundária, que provavelmente seja a que está causando a remela descrita na carta, é causada por uma variedade de doenças como cinomose, erlichiose, hipotireoidismo, hiperadrencorticismo, diabetes, sarna e medicamento como pré anestésicos, atropina e também sulfa.
O senhor não menciona na carta qual a raça do seu animal. Existem algumas raças que são predisposta a essas doenças.
As principais raças predispostas são: Cocker spaniel, Beagle, Chihuahua, Dachshund, Bulldog inglês, Lhasa apso, Pug, Schnauzer miniatura,Pequinês, Shih tzu, Yorkshire terrier e Rottwailer, além de todos os animal que são mestiço destas raças.
Quanto a sintomatologia, a doença pode ser aguda, causando inicialmente a descarga mucoide descrita na carta como remela, dando aos olhos uma aparência seca, progredindo para uma conjuntivite. Em caso de não tratamento específico, a enfermidade evolui para uma úlcera na córnea.
Após este estágio, ela se torna crônica, com o aparecimento de novos vasos invadindo essa córnea, que chamamos de neovascularização, e aparecimento de mancha preta conhecida no meio clínico veterinário como melanose.
Como se vê, se faz necessário que o senhor leve este animal a um médico veterinário com especialização em Oftalmologia, para que este faça o diagnóstico desta patologia.
No caso da ceratoconjuntivite seca deve ser feito com o teste lacrimal de Shirner e, se necessário, fazer exames complementares para saber a causa secundária e chegar há um diagnóstico preciso para o seu animal.
Enquanto o senhor não leva o seu animal ao médico veterinário para uma consulta, utilize soro fisiológico várias vezes ao dia e retire o animal da presença do sol para melhorar a qualidade de vida dele.
Isto é só um paliativo e não vai resolver o problema. Lembre-se: dentro das doenças citadas anteriormente como causa secundária, existe o calazar que é uma doença grave de saúde pública que acomete o ser humano também.
* Professor e médico veterinário da Faculdade de Veterináruia da Uece. Esta coluna é uma parceria com a Favet-Uece. Dúvidas sobre animais devem ser enviadas para o anavaleria@diariodonordeste.com.br ou (85) 3266.9790, ou ainda para o blog Bem-Estar Pet

Tags: , ,

Animais de advogada assassinada precisam de um novo lar urgente!

Publicado em 05/11/2012 - 7:18 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

A protetora Cristiane Angélica, do Grupo  Protetores Independentes de Fortaleza, nos envia este apelo mais do que justo. Vamos auxiliar, quem puder e quiser! É sobre a advogada Danielle Ximenes, que foi assassinada aqui em Fortaleza. Ela também socorria animais abandonados. Agora, os bichinhos não têm mais quem socorra. Vamos auxiliar, gente!

Confiram o apelo da Cristiane Angélica: “Danielle Ximenes era uma cidadã que acolhia animais da rua, doentes, vítimas de maus tratos e abandonados.
Dava-lhes tratamento com seus próprios recursos ,e após, encaminhava-os para adoção. Além do seu amor público e notório pelos animais, era uma advogada militante nos auditórios forenses. Foi assassinada em junho deste ano e recebeu uma homenagem da OAB-CE, cuja sala dos advogados da cida-
de Chorozinho tem o seu nome. Depois de sua morte, os seu estimados cachorros ficaram sob os cuidados de sua família que atualmente, tem
se recusado a dar assistência aos animais, apesar de receberem R$ 4.000,00 de aluguéis oriudos de imóveis deixados pela nossa Dani, como era conhecida carinhosamente. Os bichos estão passando fome e pedem socorro, URGENTE!
ADOTE UM CÃO! TEMOS PRESSA e PRECISAMOS SALVÁ-LOS”.

Os contatos da Cris são profacrisangel@gmail.com e no Facebook é Protetores Independentes de Fortaleza

Tags: , ,

Hotel hospeda cães e seus donos e renda vai para proteção animal

Publicado em 05/11/2012 - 7:04 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

ME Cancun recebe hóspedes e seus pets em grande estilo

Ana Vancini e Bela

Hotel no Caribe Mexicano oferece mimos e atividades especiais para cães
Com conceito pet friendly, o hotel ME Cancun, resort de luxo contemporâneo localizado no Caribe Mexicano, recebe em grande estilo os hóspedes que desejam desfrutar de alguns dias de férias junto com seu animal de estimação.

Logo no check-in, o pet é recepcionado com um kit de boas-vindas contendo shampoo, perfume, bola, minitoalha e escova de dente, cama para cachorro, tigela de água e de comida e uma placa de porta personalizada com seu nome.

Para garantir a melhor experiência para os bichinhos, o hotel entrega um formulário para o dono preencher com os gostos e preferências do animal. Há um menu com serviços que inclui passeios, massagens, entre outras atividades.

Tania e Teodoro

Fim de semana especial. Recentemente, o ME Cancun ofereceu uma festa especial para os cachorrinhos e seus donos com várias atividades para os mascotes, como manicure, pedicure, massagens e um buffet gourmet aprovado por veterinários, que incluiu biscoitos, muffins, croquetes, entre outros.

Wendy Plaza e Antonella Gallo

Os adultos que quiseram aproveitar o hotel puderam deixar seus cachorros no VIP Club, onde os bichinhos se entreteram com brinquedos, escorregadores, camas e monitores especializados. Além disso, houve um desfile para cachorros e um DJ animou a noite com muita música e os sofisticados sets típicos do ME Cancun.

Amanda e Cindy Lu

Uma parte do dinheiro arrecadado com esta ação foi doada para o Instituto Tierra de Animales (www.tierradeanimales.org).

Tags: , ,

Premier Pet faz concurso com premiação de um ano de plano de saúde para o cão

Publicado em 30/10/2012 - 10:09 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

A PremieR pet, especialista em nutrição de cães, e a Petplan, o maior seguro de saúde animal do mundo, se unem para realizar um concurso cultural inédito: “Meu cão merece um ano de plano de saúde”.

Preocupada com o bem-estar, a qualidade de vida e a longevidade dos pets, a empresa realiza um concurso no Facebook, que oferecerá dois planos de saúde completos para cães, pelo período de um ano. De 26 de outubro a 4 de novembro, os participantes devem enviar uma frase contendo as seguintes palavras: PREMIERPET, SAÚDE E PETPLAN que demonstrem o carinho e o cuidado do proprietário pelo seu melhor amigo. Serão escolhidas as duas frases mais criativas para receberem o prêmio.

A assistência veterinária da Petplan possui cobertura nacional e abrange consultas, exames, procedimentos ambulatoriais, vacinas e urgências, além de internações, exames e cirurgias.

Para participar basta acessar o Facebook da PremieR pet e conferir o regulamento completo (www.facebook.com/premierpet). Conheça a área de cobertura da PetPlan (http://www.petplan.com.br/AreaDeCobertura.aspx).

Sobre a PremieR pet: A PremieR pet é pioneira na fabricação de alimentos Super Premium para cães e gatos no Brasil.  Há 16 anos no mercado,  possui uma das fábricas mais modernas da América Latina, detentora da certificação ISO 9001, e realiza investimentos constantes em Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos. É hoje especialista em nutrição de alta qualidade para cães e gatos, sempre à frente do mercado com novidades tecnológicas e de produtos.

Sua missão é fazer com que a relação das pessoas e seus animais de estimação seja a mais próxima, prazerosa e longa possível. Ciente de seu papel social, apoia projetos como o Cão Guia de Cego do DF e o Pró Carnívoros.

Mais informações pelo Pet Fone: 0800 55 66 66 ou no site www.premierpet.com.br

Tags: ,

Aumenta a incidência de câncer em cães

Publicado em 30/10/2012 - 8:53 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Qualquer nódulo que surgir fora da anatomia normal do corpo do cão deve ser examinado por um médico veterinário

Veterinário Márcio Vasconcelos examina a poodle Kiara, da criadora Cida Lemos. O animal apresentou um nódulo na mama e está em tratamento FOTOS: Fabiane de Paula

Fortaleza. Com o aumento da expectativa de vida dos cães, há também uma maior incidência de enfermidades nas fases adulta e idosa dos animais. Entre estas doenças, preocupa o crescimento dos casos de câncer, conforme atesta o médico veterinário Márcio Vasconcelos, referência em Oncologia Veterinária no Ceará. Segundo ele, as ocorrências da doença em cães tornam-se comuns e com grande incidência do câncer de mama.
Ele diz que, de cada dez pacientes com câncer, seis são em mamas. Já as neoplasias cutâneas vêm em segundo lugar no registro da doença. Ele confirma que os cães de meia idade a idosos, na faixa etária de 6 a 7 anos até 12 anos, estão no grupo de risco. Porém, explica que a doença não apresenta predileção por sexo ou raça.
Mesmo assim, admite que algumas raças caninas apresentam maior predisposição. Por exemplo, as neoplasias mamárias têm sido mais comuns em cadelas de pequeno porte, como poodle, yorkshire e outras. Já cães de grande porte como dog alemão, fila e outros têm mais predisposição para neoplasias em tecidos ósseos. Já os tumores cutâneos são mais comuns de ocorrência em raças como boxer, labrador e golden. O veterinário faz questão de deixar claro que trata-se apenas de uma predisposição, não significando que tais raças, obrigatoriamente, vão apresentar a doença.
Sintomatologia
O veterinário alerta os criadores de cães para os sinais da doença. Com qualquer indício, o cão deve ser levado, imediatamente, para a consulta veterinária.

Cida Lemos e sua poodle Kiara

O primeiro sinal é o nódulo, ou o chamado “caroço”, que pode surgir em qualquer parte do corpo, fora da anatomia normal do animal. Outros sintomas são a fraqueza, a indisposição e a falta de apetite, acompanhadas de febre.
Todos esses sintomas foram observados pela criadora Cida Lemos, em sua poodle Kiara, de 12 anos. Há dois anos, a cadela apresentou um caroço numa das mamas, que foi crescendo. Atualmente, o nódulo já está em tamanho aproximado de um “limão grande”. Na última semana, ela iniciou o tratamento com Márcio Vasconcelos.
“Em 2012, quando ela apresentou o caroço, não foi diagnosticado câncer. Só agora. O veterinário anterior só tinha dado de dois a seis meses de vida para a Kiara, daí recomendou procurar o dr. Márcio Vasconcelos”, conta a dona de casa Cida.
Além do nódulo, a cadelinha também apresentou manchas na pele e muita dor ao longo do corpo. A poodle está usando um curativo na região afetada e um macacão cirúrgico para evitar ficar lambendo e coçando a mama. Está aguardando a cirurgia para retirada do nódulo.
Márcio Vasconcelos observa, entretanto, que nem todo nódulo é maligno. Uma vez identificado, o diagnóstico correto é fundamental para o sucesso do tratamento. Segundo ele, o aprimoramento da Medicina Veterinária favorece o diagnóstico precoce da doença, aumentando as chances de cura.
Os métodos de diagnóstico atuais são exames de citopatologia (análise das células); histopatologia (exame do tecido afetado); e exames de imagens (ultrassonografia, ressonância magnética e Raio X).
Após o diagnóstico, o tratamento consiste numa combinação de procedimentos. Entre eles, estão cirurgia, quimioterapia, radioterapia, criocirurgia, hormonioterapia e imunoterapia. Conforme Márcio, geralmente, são feitas mais de uma conduta terapêutica: cirurgia mais quimioterapia, ou cirurgia combinada com a radioterapia, entre outras associações. As chances de cura são altas, se o diagnóstico for precoce e o tratamento começar na fase inicial da doença, obedecendo as combinações terapêuticas.
Márcio Vasconcelos fala em cura ou controle da doença. Neste último caso, o cão tem melhor qualidade de vida e aumento da sobrevida por até um ano. “O importante é o criador saber que câncer não é sinônimo de eutanásia”, adverte o veterinário.

Márcio Vasconcelos examina a poodle Kiara, da criadora Cida Lemos

FIQUE POR DENTRO: O médico veterinário Márcio Vasconcelos, atualmente, está com 49 cães em tratamento de câncer. Destes, apenas dois estão internados. Segundo o veterinário, os números provam que, uma vez diagnosticada com antecedência e tratada na fase inicial, a doença tem altas chances de cura. Se for uma neoplasia mamária em fase inicial e sem metástase, casos curados chegam a 60%. Se for do tipo tumor venéreo transmissível (TVT), cerca de 100% dos cães podem ficar curados. O mesmo percentual é observado em casos de tumores de pele. O médico recomenda que o criador deve ficar atento aos sintomas da doença (nódulos, indisposição, febre e falta de apetite). Uma vez observados alguns deles, o animal deve ser levado imediatamente ao veterinário, para facilitar o diagnóstico precoce e o tratamento na fase inicial.

Mais informações:
Oncologia Veterinária
VetClinic – Márcio Vasconcelos
Avenida José Bastos, 6360
Jóquei Clube – Fortaleza
Telefone: (85) 3232.5108

 

Tags: , , ,

Página 15 de 56« First...10...1314151617...203040...Last »

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999