Busca

17:55 · 09.03.2015 / atualizado às 17:55 · 09.03.2015 por

regionalO Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) definiu normas para garantir o bem-estar dos animais em situações de vendas, exposições, estética e outras. Confira abaixo o que diz o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda, e a presidente da União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), advogada Geuza Leitão.

Fortaleza. Uma boa notícia para quem gosta de animais: o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) baixou a Resolução 1.069/2014 que vem coibir os abusos e maus-tratos dos bichos em pontos de comercialização, como pet shops, entre outras providências. Em vigor desde janeiro, a determinação dispõe que os responsáveis técnicos de estabelecimentos comerciais de exposição, manutenção, higiene, estética, venda ou doação de animais deverão seguir a Resolução que estabelece diretrizes pela saúde, segurança e bem-estar dos animais.

“A Resolução CFMV 1.069/2014 vem para padronizar a forma de atuação desses profissionais em todo o País. Desde o dia 15 de janeiro, quando a resolução entrou em vigor, os responsáveis técnicos estão respaldados por uma norma nacional para que possam orientar os estabelecimentos comerciais de exposição, manutenção, higiene, estética, venda e doação de animais, e exigir deles as adequações necessárias”, explica o presidente do Conselho Federal, o médico veterinário Benedito Fortes de Arruda.

A medida é festejada pelos protetores de animais. “A Resolução nº 1069/14, do Conselho Federal de Medicina Veterinária, é o instrumento jurídico que estava faltando para coibir os abusos e maus-tratos praticados contra os animais que são comercializados em pet shops”, afirma a presidente da União Internacional Protetora de Animais (Uipa), advogada Geuza Leitão. Segundo ela, no Reino Unido e em países do chamado Primeiro Mundo, onde os direitos dos animais são respeitados, não há essa venda de animais nesses estabelecimentos. geuza100geuza100

bemestarpet“Infelizmente, no Brasil prolifera pet shops que exploram a comercialização destes seres indefesos e os proprietários donos de pet shops mantêm os animais por dias e até meses presos em minúsculas gaiolas, não obstante estarem cientes de que os animais não podem permanecer presos por muito tempo. Nestas prisões, muitas vezes, os animais são acometidos de doenças por estarem expostos ao contato com outros animais levados por seus donos para tratamento no estabelecimento. Está na hora de nós, cidadãos cônscios e amantes dos animais, exigirmos a aplicação dessa Resolução”, afirma Geuza Leitão.

O CFMV justifica que, considerando que a exposição, a manutenção, a venda e a doação de animais em estabelecimentos comerciais são práticas comuns no Brasil, a entidade decidiu estabelecer princípios e normas que garantam a segurança, a saúde e o bem-estar dos animais que estiverem sob o cuidado de pet shops, parques de exposição e feiras agropecuárias, por exemplo. “O objetivo é garantir que os serviços sejam prestados de acordo com as boas práticas da Medicina Veterinária”, afirma o presidente do Conselho.

Relacionadas também a procedimentos de higiene e estética, as diretrizes devem ser seguidas pelos veterinários que atuam como responsáveis técnicos nos estabelecimentos que exercem atividades peculiares à Medicina Veterinária. De acordo com as novas diretrizes, uma das orientações do médico veterinário deve ser pela restrição do acesso direto da população aos animais disponíveis para comercialização.

“O contato deve acontecer somente nos casos de venda iminente. Essa medida pode evitar, por exemplo, que os animais em exposição sejam infectados por possíveis doenças levadas nas roupas das pessoas”, exemplifica Arruda. Segundo ele, os filhotes submetidos a algum tipo de estresse podem ter sua imunidade comprometida, tornando-os vulneráveis a diversos tipos de doenças. Os donos dos estabelecimentos comerciais também sabem que os animais necessitam de espaço suficiente para se movimentarem.

“Há casos em que vários animais são alojados em espaços pequenos, sem cama para deitar nem água suficiente para beber, sem alimentação adequada. É bom lembrar que situações de maus-tratos não são apenas um ato doloso, mas também culposo”, esclarece Arruda.

cao2Ferir, mutilar, cometer atos de abuso e maus-tratos aos animais podem acarretar em detenção de três meses a um ano, além de multa. É o que prevê a Lei de Crimes Ambientais, de nº 9.605/1998. Por isso, a importância dos médicos veterinários, já que somente eles têm condições técnicas para prestar os devidos esclarecimentos que garantam a saúde e a segurança dos animais.

“Em casos de descumprimento da Resolução CFMV 1.069/2014, os profissionais devem comunicar o fato ao Conselho Regional de Medicina Veterinária, que tomará as providências necessárias” finaliza. O secretário-geral do CFMV, o médico veterinário Marcello Roza, também destaca outro ponto importante da Resolução 1.069/2014.

“De acordo com as novas regras, os responsáveis técnicos deverão assegurar que os animais a serem comercializados estejam vacinados, de acordo com os programas de imunização”, afirma. Segundo ele, muitas vezes, acontece de uma ninhada ser comercializada sem estar vacinada. “Esses são animais muito jovens e, se não estiverem imunizados, podem acabar se contaminando (com algum tipo de doença)”, esclarece.

FIQUE POR DENTRO

Garantias para o bem-estar dos animais

De acordo com a Resolução 1.069/14, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), os responsáveis técnicos também devem assegurar nos estabelecimentos comerciais de exposição, manutenção, higiene, estética, venda ou doação de animais que:

– Os animais com alteração comportamental decorrente de estresse sejam retirados de exposição;

– os aspectos sanitários dos estabelecimentos devem estar de acordo com as normar legais, principalmente para evitar a presença de animais com potencial zoonótico ou doenças de fácil transmissão para as espécies envolvidas;

– que não ocorra a venda ou doação de fêmeas gestantes e de animais que tenham sido submetidos a procedimentos proibidos pelo CFMV, como a onicectomia em felinos (cirurgia realizada para arrancar as garras); a conchectomia e a cordectomia em cães (para levantar as orelhas e retirar as cordas vocais, respectivamente); e a caudectomia em cães (cirurgia realizada para cortar a cauda dos animais);

– que as instalações e locais de manutenção de animais sejam livres de excesso de barulho ou qualquer situação que cause estresse a eles; – que esses locais tenham um plano de evacuação rápida em caso de emergência; – a inspeção diária obrigatória que garanta a saúde e o bem-estar dos animais.

Mais informações

Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) www.cfmv.org.br/ União Internacional Protetora dos Animais – Facebook Geuza Leitão

Valéria Feitosa

Editora

11:58 · 14.02.2015 / atualizado às 12:21 · 14.02.2015 por

1Lembre-se, cachorro não é ser humano. Mas adora de ser tratado com respeito, carinho e muito amor. Neste feriadão, se quer vestir fantasia no seu amiguinho, saiba que ele não é palhaço! Escolha modelos confortáveis, que não apertem e ele se sinta à vontade. 22

Se vai viajar e não pode levar junto seu peludinho, escolha um bom hotel pet ou a casa de um amigo ou familiar responsável para ficar com ele. Deixe todo o kit hospedagem que ele gosta: brinquedos, petiscos, a ração usual, colchão, caixa de transporte etc.

Se vai ficar com ele em casa e receberá visitas para o feriadão, reserve um lugar para ele ficar tranquilo, sem estresse com tanta movimentação diferente.

Curta o feriadão e não esqueça de dar atenção ao seu quatro patas. Ele te ama incondicionalmente e merece retribuição do amor em dobro!

19:29 · 11.02.2015 / atualizado às 19:29 · 11.02.2015 por

A BioDog lançou as linhas Clássico e Gourmet de petiscos naturais, saudáveis e gostosos para cães. Confiram as novidades:

Biodog -Dog-Biscuit_1São Paulo. Ossos, bifinhos e outras guloseimas são importantes para interagir, agradar, educar e adestrar seu pet. Mas atenção: será que o petisco pode prejudicar a alimentação e deixá-lo mal nutrido e obeso? Você sabia que tem muitas opções de produtos no mercado com excesso de ingredientes processados, sódio, gorduras e conservantes que podem colocar em risco o organismo de cães e gatos, desencadeando diversas complicações?

“Muitos petiscos industrializados são ricos em farinhas de cereais, açúcar, sal, além de flavorizantes, aromatizantes, corantes e conservantes”, explica o médico veterinário Dr. Giorgio Pasetto,
responsável técnico da BioPet.  Esses ingredientes estão associados a problemas gastrointestinais, sobrepeso e alergia. Por isso, é sempre indicado olhar no verso da embalagem a composição para saber se o produto adquirido não fará mal para o seu pet.

Outro alerta que o veterinário faz é sobre os ossinhos de couro: “Os ossos de raspa de couro podem, inclusive, conter produtos químicos fortes, que são utilizados no processo de clareamento do couro. Isso pode causar danos digestivos ao animal de estimação”, explica Dr. Giorgio Pasetto.

Sempre atenta ao crescimento desse mercado de nutrição mais natural para os cães, a BioDog oferece ao consumidor a Linha Clássicos e a Linha Gourmet, ambas naturais e sem conservantes artificiais.

Biodog 71574fe4-2a1d-44ce-9714-cd5e7fb7f57d_biodog-sushiA Linha Clássicos é composta pelos produtos Misto, Mistão, Palito, Orelha e Beiju, todos naturais e saudáveis, ricos em proteína e elaborados com carne bovina desidratada.

A Linha Gourmet é feita com carne de frango desidratada, com baixos teores de gordura e colesterol. É indicada inclusive para cães em dietas, uma vez que possui baixa quantidade de calorias. A linha conta com os produtos: Steak, Soft Steak, Soft Strips, Sushi, que são deliciosos rolinhos de filé de frango e o Biscuit, biscoitos crocantes e sortidos envoltos com tiras de filé de frango e toques de chá verde.

Ambas as linhas foram desenvolvidas para cachorros de todas as idades e tamanhos. Os produtos da BioDog divertem e distraem os cães de forma saudável, além de promover a limpeza mecânica dos dentes, auxiliando na prevenção do tártaro.

Aposte em petiscos naturais, saudáveis e gostosos, além de exercícios físicos para manter a saúde do seu pet. E lembre-se de consultar regularmente o médico veterinário.

Sobre a BioDog: A BioDog é uma marca da BioPet, empresa do Grupo Adeste que tem mais de 60 anos de tradição e mais de dois mil colaboradores. A BioPet foi inaugurada em 2003 em Botucatu (SP) e fabrica snacks para pets com rígido padrão de qualidade e a mesma segurança exigida na indústria alimentícia humana, sob controle permanente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento / SIF 3188. Em seu portfólio, há ossos, snacks de carne desidratada e bifinhos que ajudam no bem-estar e saúde bucal dos cães e que podem ser oferecidos para agradar ou recompensar o pet nos momentos de lazer ou adestramento.

Mais informações: biodog.com.br / facebook.com/BioDogBrasil.

 

13:11 · 06.02.2015 / atualizado às 13:11 · 06.02.2015 por

A Agência da Boa Notícia divulga I Bazar para Todos, em favor dos animais assistidos pela Associação Protetora dos Animais para Tratamento e Adoção (Apata).

“A Associação Protetora dos Animais para Tratamento e Adoção (Apata) promove no próximo sábado (7), das 8h às 17h, o I Bazar para Todos. O evento ocorrerá na Estação PET (Rua José de Barcelos, 155 – Parque Araxá). O objetivo da iniciativa é arrecadar recursos para a castração de animais necessitados.

apata 10942534_960464193977758_422045422_nEstarão à venda roupas, sapatos, bolsas, livros, brinquedos, chaveiros, perfumes e também comidas veganas. Na ocasião, os organizadores receberão doações de medicamentos e ração para cães e gatos, além de materiais de limpeza e notas fiscais”.

Mais informações: apatace@hotmail.com

– http://www.boanoticia.org.br/agenda_detalhes.php?cod_compromisso=2168

15:48 · 05.02.2015 / atualizado às 18:05 · 05.02.2015 por

Uma fêmea da raça Exótico foi eleita o “Gato do Ano” de 2014 pelo  Clube Brasileiro do Gato (CBG). Confiram:

Daruma Mika, de Alex Martins, é a melhor do ano de 2014 - Fotos:  Silvia Pratta/Divulgação Facebook
Daruma Mika, de Alex Martins, é a melhor do ano de 2014 – Fotos: Silvia Pratta/Divulgação Facebook

São Paulo. Uma fêmea da raça Exótico foi eleita o “Gato do Ano” de 2014 pelo Clube Brasileiro do Gato (CBG), maior clube felino da América Latina. O anúncio foi feito durante uma celebração do CBG em São Paulo. “A gatinha Daruma Mika é a 1ª. colocada no ranking brasileiro de felinos do CBG e encerrou a temporada com uma coleção de títulos, entre eles “melhor filhote”, “melhor fêmea” e “melhor exemplar” de sua categoria (persas e exóticos). As premiações são resultado de seu ótimo desempenho nas exposições ao longo dos últimos 12 meses, que acumularam pontos que a colocam nessa posição de “Gato do Ano” de 2014″, afirmou o presidente do CBG,  Gerson Alves.

Daruma Mika tem um ano de idade e aspecto de gatinha de pelúcia. Representa perfeitamente sua raça. Fiel, companheira e apegada, ela cativa os especialistas com sua beleza, distribuição de cores e temperamento doce. “Mika me faz hoje a pessoa mais feliz do mundo”, afirma seu dono, Alex Martins dos Santos, do Gatil Daruma. “Como criador, considero que este é apenas o primeiro degrau de uma série de próximos desafios”, revela.

gato do ano 10968250_10200465846485396_2689687_nOrgulhoso, Alex diz que ainda não pensou em como vai comemorar a conquista. Mas garante que, em casa, a gatinha Mika continua sendo sua “bebê de colo” e que terá novidades em 2015: “Seu próximo grande passo é ser mamãe”, anuncia.

Além da excelente genética, Mika é privilegiada por receber a dedicação exemplar de seu dono. Ela atingiu seu pleno desenvolvimento graças a cuidados diários, que incluem, como ponto chave, uma nutrição de altíssima qualidade.  “Mika é alimentada com PremieR pet desde filhote. Tenho certeza que o fato de receber os nutrientes exatamente na medida de suas necessidades permitiu que ela atingisse essa condição de saúde plena. Isso se reflete, por exemplo, numa pele e pelagem exuberante nas competições”, afirma Alex.

Além do “Gato do Ano”, uma série de outros bichanos foram premiados em diversas categorias  na celebração anual do  Clube Brasileiro do Gato. A temporada felina de 2015 promete ser um sucesso e o primeiro evento já tem data marcada: 28 de fevereiro e 1º. de março.

MAIS INFORMAÇÕES: www.premierpet.com.br/