Bem-Estar Pet

Busca


Adote um gatinho: é tudo de bom!

Publicado em 18/04/2013 - 9:16 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

O abandono de gatos nas ruas de Fortaleza (CE) é assustador! É um crime previsto na Lei de Crimes Ambientais. Enquanto os poderes públicos não fazem nada, a sociedade civil organizada tenta amenizar este grave problema. Vejam feira de adoção de gatos que acontecerá no sábado!

Evento de adoção

 

Tags: ,

Cães e gatos precisam de alimentação diferenciada

Publicado em 18/04/2013 - 9:09 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

A Guabi, empresa de nutrição animal, nos envia orientações sobre alimentação de cães e gatos. Confiram reportagem, também publicada na Página de Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, nesta semana.

Guabi guia-FilhotesSão Paulo. Animais de estimação são preferência nacional, mas muitos donos de cães e gatos ainda têm dúvidas sobre a alimentação adequada. Para quem tem os dois animais a principal dica é: nunca dê alimentos de cães para gatos e vice-versa. Estes bichos possuem metabolismos diferentes, necessidades nutricionais específicas e alguns nutrientes que são essenciais em determinadas quantidades para um podem comprometer a saúde do outro. É necessário ficar alerta e fornecer apenas a nutrição recomendada de acordo com o animal (cão ou gato) e fase (filhote, adulto, idoso, gestante e lactante).

Alimentação de cães:

Assim como a dieta humana, a saúde dos cães depende de uma alimentação correta e balanceada que contenha um amplo conjunto de nutrientes para suprir todas as necessidades diárias, são eles: nutrientes como proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas, minerais, água. É importante também a adição de ingredientes funcionais como prebióticos, fibras especiais, auxiliadores da saúde articular, entre outros, que promovem a saúde, bem-estar e contribuem para uma maior longevidade.

Outro fator que se deve levar em conta na dieta dos cães é a idade e o estilo de vida, com o objetivo de promover um equilíbrio nutricional nas diferentes fases. Uma alimentação adequada ao cão filhote, por exemplo, propicia boas condições para sua saúde e consequentemente para seu desempenho futuro. A falta ou excesso de nutrientes pode desequilibrar o sistema fisiológico do animal e predispor o organismo ao mau desenvolvimento corporal e constituição óssea, obesidade, alterações reprodutivas, dentre outros. Os cães atletas ou muito agitados geralmente necessitam de alimentos ricos em nutrientes com alto valor energético, já os castrados e sedentários precisam ter a dieta adaptada ao estilo de vida. O nível reduzido de atividade física precisa ser equilibrado com uma alimentação de baixo teor calórico e de nutrientes especiais para apoiar esta condição.

É importante saber qual a melhor forma de fornecer o alimento e quanto este deve ser fornecido. Para atender estes dois requisitos é necessário levar em conta o comportamento alimentar natural desta espécie ao longo da sua evolução. Os cães domésticos são descendentes dos lobos, animais que caçam em grupos e abatem presas maiores do que eles em um trabalho coordenado. Desta forma, apresentam competição no momento da refeição e por isso comem rapidamente – o que acarreta na ingestão excessiva de alimentos. Este comportamento é visto com frequência até hoje, principalmente, no caso de donos que têm mais de um cão em casa.

Cães domésticos devem ter horário, tempo e quantidade de ração controlada. No caso de filhotes, o ideal é fornecer a quantidade diária de alimento, indicada pelo fabricante da ração, dividida em no mínimo três refeições, para adultos duas e idosos também três. Cada refeição deve durar aproximadamente 15 minutos.

Alimentação de gatos:

Os gatos descendem de uma espécie selvagem que viveu em regiões desérticas da África onde tinham hábitos solitários e caçavam várias vezes ao dia pequenas presas como pássaros e ratos. Este fato explica o fato destes animais apresentarem ingestão mais lenta do alimento e grande número de pequenas refeições ao longo do dia. A melhor opção para esta espécie é deixar o alimento a vontade e a quantidade controlada conforme a indicação da embalagem.

Estes pets possuem características peculiares em relação ao manejo e dieta, portanto, é importante atenção especial quanto à alimentação para garantir uma melhor saúde e bem-estar. Devido ao metabolismo específico, estes animais têm necessidades nutricionais diferentes dos cães, como: maior exigência proteica;  assim como  do aminoácido arginina,  da vitamina B6 e  da niacina (respectivamente cerca de duas, três e quatro vezes maiores em relação aos cães); ingestão de vitamina A pré-formada na dieta e dificuldade em digerir carboidratos. Vale frisar que os gatos não conseguem sintetizar o ácido araquidônico (um ácido graxo da família ômega 6) e o aminoácido taurina, sendo fundamental que estejam presentes na dieta.

oracao9A alimentação na fase filhote é de suma importância, pois é o período em que acontece o desenvolvimento de todos os tecidos e órgãos. Na fase adulta é necessário oferecer um alimento que contenha todos os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento e manutenção do animal. Os gatos castrados exigem uma alimentação diferenciada, pois a castração promove algumas alterações como a redução da necessidade de calorias para manter o peso ideal, favorecendo o aumento de peso e até a obesidade.

Os cuidados com o manejo alimentar também são importantes, tendo em vista o trato urinário dos felinos e a propensão da concentração de urina, o que favorece a formação de cálculos urinários. Deve ser estimulada a ingestão de água limpa, colocada à disposição em um local calmo e seguro, observando a preferência dos animais. Por exemplo, alguns gatos preferem água corrente: como uma torneira ou fonte ou em uma bacia ampla.  Uma dieta completa e balanceada é fundamental para garantir a ingestão equilibrada de minerais, reduzindo as chances de formação de cristais e cálculos.

Um fenômeno relativamente comum em gatos é a formação das bolas de pelos, também conhecida como hairballs, consequência dos hábitos higiênicos, que consiste no ato de se lamber. A língua destes animais apresenta estruturas que funcionam como uma lixa e retiram os pelos soltos na superfície da pele. Neste processo, na maioria das vezes, muitos pelos são engolidos pelo gato e acabam se misturando com restos de alimentos e secreções, formando bolas de pelos, que podem passar para o intestino ou permanecer no estômago Na tentativa de eliminar este acúmulo de pelos retidos, muitos animais vomitam ou eliminam juntamente com as fezes. Situações como estas são comuns em animais que apresentam pelagem longa e vistosa, como as raças angorá, persa e maine coon.

É importante ressaltar que estes mecanismos naturais são maneiras saudáveis que o gato encontrou para eliminar os pelos, pois em algumas situações podem ficar acumulados no intestino, promover prisão de ventre e em casos extremos levar a obstrução (entupimento) intestinal. Evitar as bolas de pelos depende em grande parte da atitude dos proprietários. A principal delas consiste em escovar diariamente e frequentemente os gatos (principalmente os de pelo longo) e tosar a cada três ou quatro meses. É aconselhável o fornecimento de alimentos de boa qualidade, que apresentem em sua composição algumas fibras especiais como o psyllium e a polpa de beterraba, estes formam uma espécie de gel no intestino, que facilita a eliminação dos pelos ingeridos.

oracao2Dicas para proprietários de cães e gatos:

Nem tudo o que comemos pode ser oferecido aos cães e gatos, pois os animais apresentam um metabolismo diferente dos humanos. O alimento mais oferecido aos pets e que pode resultar em sérios transtornos é o chocolate. Ele possui em sua composição a teobromina: uma substância que não é bem processada pelo organismo destes animais. Os chocolates mais escuros, normalmente, os amargos, são os que contêm uma quantidade maior deste componente. Os sintomas mais comuns de intoxicação por teobromina são: vômito, diarréia, falta de ar, inquietude, perda de controle urinário e aumento da produção de urina. Para evitar estas situações é recomendável não oferecer chocolate e guardar sempre em lugares inacessíveis aos cães e gatos.

Outros alimentos não recomendados são cebola e alho, quando ingeridos em grandes quantidades podem ser tóxicos. Estes condimentos promovem alterações nas células vermelhas do sangue e consequentemente o desenvolvimento de anemia. Muitas vezes, a cebola e o alho podem estar presentes em algum alimento e passam despercebidos pelos proprietários. É o caso das papinhas prontas (destinadas aos bebês), que podem conter em sua composição estes temperos na forma desidratada.

Não é aconselhável a uva natural e em sua versão desidratada (uva passa). A fruta contém uma substância que pode causar danos aos rins e acarretar sérios prejuízos à saúde.

É possível que hajam outras comidas destinadas aos humanos, que apresentam substâncias potencialmente tóxicas para os animais. Portanto, o ideal é ter muita cautela quando oferecer e lembrar sempre que eles nunca devem substituir ou compor de maneira significativa a dieta usual de cães e gatos. A nutrição deve ser realizada sempre com uma ração de qualidade para atender às necessidades específicas de cada animal.

Com 38 anos no mercado, o Grupo Guabi é hoje um dos maiores produtores de rações e suplementos do país e conta com oito unidades fabris localizadas em Campinas (SP), Bastos (SP), Sales Oliveira (SP), Pará de Minas (MG), Anápolis (GO), Além Paraíba (MG), Goiana (PE) e São Gonçalo do Amarante (CE).

Informações para a imprensa:

LN Comunicação

Lucia Nunes – diretora e jornalista responsável

Danielly Garcia – jornalista

(11) 4332-3704 / 4332-4120 /9968-4105

luciacomunicacao@uol.com.br

Tags: , , , ,

KCEC bate recorde de cães em exposições

Publicado em 14/04/2013 - 19:00 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Foto-0796Sempre é bom lembrar: Os cães de exposição não se classificam como pets. Estão numa categoria especial, com padrões de raça invejáveis. Muitos são verdadeiras estrelas de primeira grandeza nas pistas e classificam-se como campeões. Merecem toda a nossa consideração, pois seus donos levam muito a sério a arte de criar animais. Exemplos assim foram vistos nas exposições do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) deste fim de semana. Mais uma vez, o KCEC bate recorde: 215 cães inscritos!

Presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra

Presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra

O presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra, foi só sorrisos! Motivos não faltam. “O KCEC vem liderando, tradicionalmente, as exposições no Norte e Nordeste”, me disse ele. E completou: “Nossas exposições primam pela organização. O sucesso deve-se ao trabalho exemplar da equipe do KCEC e ao apoio integral das Organizações Farias Brito na realização dos eventos”. Ele também me disse que, em 2012, o KCEC destacou-se no Norte e Nordeste com o maior número de registro de cães. Vem crescendo o número de novos canis no Ceará.

Foto-0801Passei a manhã de domingo nas quadras do Farias Brito (FB Central) me deliciando com a beleza das raças caninas: Boxer, Bulldog Francês, Golden Retriever, Labrador, Rottweiler, Beagle, Bulldog Inglês, Cocker Spaniel e tantos outros. É bonito ver como muitas pessoas cuidam de seus animais com amor, dedicação e respeito. Os cães são as “estrelas da festa”. Eles mostram-se muito felizes em desfilar para os juízes, que são muito competentes em suas avaliações.

Encontrei dois professores universitários que levaram seus alunos para “aulas de campo” nas exposições do KCEC. O professor Antônio Cavalcante, do Curso de Veterinária das Faculdades Inta, em Sobral, levou seus alunos para a parte prática da disciplina de Cinotecnia. Já o professor Marcus Muniz, que ministra a disciplina de Psicologia da Aprendizagem e Memória na FIC-Estácio de Sá, levou seus alunos também para uma aula de campo. Os universitários pesquisaram sobre quais as estratégias utilizadas para a aprendizagem animal. Fantástico tudo isso! Adorei!

Alexandre Rodrigues, do Canil Urbana Legio, e o professor Antônio Cavalcante, da Veterinária/Inta

Alexandre Rodrigues, criador de Cocker, e o professor Antônio Cavalcante, do Curso de Veterinária das Faculdades Inta

Tags: , , , ,

Exposições de cães de raça: eles não são pet

Publicado em 09/04/2013 - 6:55 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Os cães de exposição não são apenas animais de companhia (pet). Eles vão além, são verdadeiros atletas em beleza, estrutura e obediência. Desfilam muito bem nas pistas, para atender às exigências dos juízes especializados nas diversas raças. Confiram texto abaixo e nas imagens do fotógrafo Nilton Novaes, especializado em cães e também criador de Pastor Branco.

Para quem gosta de apreciar a beleza das raças caninas, acontecem desfiles de animais no próximo fim de semana

Fila Brasileiro "Boré", de Harrison Pinho, que promete sucesso nas pistas FOTOS: NILTON NOVAES

Fila Brasileiro “Boré”, de Harrison Pinho, que promete sucesso nas pistas FOTOS: NILTON NOVAES

Fortaleza. Criadores de cães de raça têm encontro marcado no próximo fim de semana, nesta Capital, durante as Exposições Panamericanas promovidas pelo Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC). Cerca de 180 animais das mais variadas raças deverão desfilar nas pistas que integram as edições 81ª, 82ª e 83ª das provas. No primeiro dia, acontecerão julgamentos especializados para Golden Retriever e Rottweiler. O evento é aberto ao público e reflete o crescimento da cinofilia no Ceará.

De acordo com o veterinário do KCEC, Daniel Uchôa, participarão cães de todo o Brasil, especialmente do Nordeste. A partir deste ano, só estão aptos às provas os animais com idades acima de seis meses. Esta é uma determinação da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), como forma de preservar o bem-estar dos filhotes a partir quatro meses. Antes, estes já podiam participar na classe inicial, que não existirá mais nos eventos.

Preferência

Ele também explica que as duas exposições especializadas para as raças Golden e Rottweiler respondem a uma demanda dos próprios criadores junto ao KCEC. Aumenta no Estado a preferência pelos dois tipos de cães, especialmente o primeiro.

Golden, "Kaiser", de Ivna Fontenele, originário do Canil Falcão Dourado (CE) - Nilton Novaes

Golden, “Kaiser”, de Ivna Fontenele, originário do Canil Falcão Dourado (CE) – Nilton Novaes

Recentemente, chegou ao Ceará um grupo de dez novos exemplares da raça, vindo de um grande canil de São Paulo, com linhagem de campeões. Os animais foram adquiridos por diferentes criadores cearenses.

A preferência pelo Golden não é à toa. Segundo Daniel, é uma raça de extrema beleza, inteligência e sociabilidade. Também figura, ao lado do Boxer e do Labrador, como “o cão da família”, por se adaptar muito bem a pessoas de diferentes idades, sejam crianças ou adultos. “Das especializadas devem participar cerca de 35 Goldens e 40 Rottweilers”, afirma Daniel.

O Ceará também destaca-se na cinofilia nacional com a criação de Fila Brasileiro. O exemplar da raça “Atan”, do criador Harrison Pinho, classificou-se entre os 10 melhores do Brasil em 2012. Neste ano, o mesmo criador traz o Fila “Boré”, que promete repetir o sucesso nas pistas.

Categorias

O evento assegura premiações nas categorias Melhores de Raça; de Exposição; Filhotes; e Jovens. Os árbitros dos desfiles são Eugênio Gonzalez Aguilo (Chile), Fernando Macri (Uruguai), Jayme Martinelli, Roberto Lauria e Vânia Regina Haga, todos estes do Brasil.

A classificação dos animais considera critérios como beleza, estrutura e estado geral dos concorrentes. Daniel afirma que além da estética, é observado também o bem-estar geral do cão durante as apresentações.

Carrapatos ou feridas são incompatíveis aos animais de exposição, uma categoria que busca classificar o exemplar como “top de linha”.

Rottweiler Doc Jecki Black Champion, do canil Rednas Rott (AM), originário do Canil Black Champion (MG), de Germano Soths - Nilton Novaes

Rottweiler Doc Jecki Black Champion, do canil Rednas Rott (AM), originário do Canil Black Champion (MG), de Germano Soths – Nilton Novaes

Mais informações

Exposições do KCEC, sábado (14h) e domingo (8h), no Colégio Farias Brito (FB Central), Rua Barão do Rio Branco, 2.680, Fortaleza
Entrada gratuita

VALÉRIA FEITOSA
EDITORA

Maltratar animais é crime: abaixo os “cachorreiros”!

Publicado em 05/04/2013 - 13:41 por | 1 Comentário

  • Enviar para o Kindle

285155_519612181386460_231687599_nAtenção, amigos, não comprem animais de estimação dos chamados “cachorreiros”, ou seja, aquelas pessoas que criam cães somente para vender os filhotes. Os “cachorreiros”  ignoram o bem-estar dos bichinhos e fazem das fêmeas verdadeiras máquinas de procriação. Uma covardia! O voluntário da União Protetora de Animais Carentes (Upac), Bruno Alves, diz que há uma pessoa desse tipo que mora em um condomíno de luxo em Fortaleza (CE). Ela tem dezenas de Yorkshires e vive da venda dos filhotes. O sofrimento dos animais é lastimável!

Bruno Alves disse que vai procurar a advogada Geuza Leitão, presidente da União Internacional Protetora de Animais (Uipa), para obter orientações jurídicas sobre como denunciar o caso às autoridades competentes. Maltratar animais é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais. Qualquer cidadão pode denunciar nas Delegacias de Polícia. Não fique omisso! Se você também conhece algum “cachorreiro”, denuncie!

Para quem quer adquirir um animal de estimação, há muitas opções de compra ou adoção. As entidades protetoras de animais têm muitos cães e gatos para adoção, na maioria SRDs (Sem Raça Definida). Se a preferência é por cão de raça, o mais correto é procurar o Kennel Clube do Estado do Ceará, onde há muitos canis registrados. Nestas criações, o objetivo é preservar a pureza da raça e, acima de tudo, o bem-estar dos animais.

Tags: ,

Calopsitas são pets muito amorosos

Publicado em 04/04/2013 - 14:20 por | Comentar

Categorias: Eu e meu pet, Geral
  • Enviar para o Kindle

A jornalista Íkara Rodrigues, do Caderno Jogada, do Diário do Nordeste, também é apaixonada por pets. Mas o seu bichinho de estimação não late nem mia, como a maioria deles. Mesmo assim, é uma forfura! Ela tem dois pássaros  calopsitas, a Lolita e o Kaká, ambos muito amorosos! Confiram:lolita_6

Os pássaros foram adquiridos em loja pet de Fortaleza (CE). Como estão na categoria de aves exóticas, podem ser comercializadas no País.lolita_2

A Lolita e o Kaká ainda não geraram filhotes, mas a Íkara conta que eles são super amorosos um com o outro. Quem sabe neste ano, a criação terá surpresas!Lolita_8

Tags:

Dr. Disciplina: como educar um cão ciumento

Publicado em 02/04/2013 - 7:17 por | 3 Comentários

  • Enviar para o Kindle

Nesta semana, o Dr. Disciplina dá orientações sobre como resolver conflitos entre cachorros ciumentos. Jackson Maciel, o adestrador deste Dr. Disciplina, responde com competência. Confiram:

” Olá,Dr. o que eu posso fazer, tenho uma cadelinha (Chiquinha) de 1 ano e 4 meses, e também tenho uma Labrador (Princesa), de 9 meses. Ela está conosco desde um mês e meio e depois que a Princesa chegou, a Chiquinha tem tido muito ciúmes. Quando elas entram na sala, a Chiquinha começa a rosnar e eu digo não e espirro água nela. É assim desde então. Queria saber se estou agindo certo e o que poderia fazer para melhorar o relacionamento delas já que a Chiquinha é dominante”, pergunta a criadora Franciele Freitas.

O adestrador de cães, Jackson Maciel, como o Dr. Disciplina

O adestrador de cães, Jackson Maciel, como o Dr. Disciplina

Jackson Maciel: “Sim, você está bloqueando o comportamento dela. Agora, você tem de associar a presença da outra a coisas boas do tipo comida e brincadeiras. Faça assim com a Chiquinha na guia para ter controle sobre ela. Chame a outra para a sala ou quarto onde você e a Chiquinha vão estar. Quando a outra for entrando, você deve mostrar que tem algo muito bom pra ela e ficar lhe dando enquanto a outra se aproxima. Assim ela vai associas a presença da outra com coisas boas . Se ela reagir agressivamente com rosnados e latidos, você deve bloquear com um não firme e forte sem gritar, e com o spray de água. Em seguida, mostre a recompensa pelo comportamento correto. Para reforçar a liderança, sempre dê comida e fale primeiro com a líder, que você ja deve saber qual é . Quando estiver com a mais submissa, não deixe que a líder exija seus carinhos ou fiquei no meio. Faça exercícios de liderança do tipo quando for dar a refeiçao dela, peça um comportamento em troca, ou seja, peça um “senta” ou um “deita” e depois libere a comida pra ela, colocando no chão. Nunca, deixe elas ficarem trocando de vasilha na sua frente, pois isto vira uma disputa nada saudável para organização do grupo de caes e nosso também . Ela tem de entender que, na verdade, o líder deste grupo não é ela e sim você e os outros da família. Faça alguns exercícios de obediência básica para ter controle sobre elas e melhorar sua liderança . Um abraço e bom treino! Boa sorte! Se não funcionar, procure um profissional em comportamento canino.”

 

 

Tags: ,

Boa ação na Semana Santa: adote um animal!

Publicado em 28/03/2013 - 14:33 por | 2 Comentários

  • Enviar para o Kindle

A ONG Abrace – Uma Causa Animal promoverá feira de ação de animais no sábado, dia 30. Pratique uma boa ação nesta Semana Santa. Adote um animalzinho e conquiste o amor incondicional!

Abrace54

Tags: , ,

Dr. Vet: controle de vacinação em cães

Publicado em 26/03/2013 - 15:50 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Na coluna Dr. Vet de hoje, médica veteriária Annice Cortez, da Favet-Uece, orienta sobre o calendário de vacinação em cães. Confiram!

 

Dra. Annice Cortez é médica veterinária e professora da Favet-Uece

Dra. Annice Cortez é médica veterinária e professora da Favet-Uece

Annice Cortez: “Ao trazer um filhote para casa, o novo proprietário deve levar seu animal a uma consulta com um médico veterinário, que irá realizar o exame clínico completo do animal e instituir o esquema de vacinação e vermifugação do filhote.

A primeira vacina que é aplicada ao filhote é a polivalente, conhecida popularmente como “Óctupla” ou “Déctupla”. O filhote pode receber está primeira vacina já com 45 dias de vida. Esta vacina protege contra as doenças infecciosas de maior risco para os cães: cinomose, parvovirose, coronavirose, hepatite infecciosa, influenza, parainfluenza e leptospirose. A vacina “Óctupla” protege contra dois sorovares de leptospirose: Leptospira canicola e Leptospira icterohaemorrhagiae. Já a vacina “Déctupla” é mais completa por possuir mais dois sorovares de leptospirose: Leptospira grippotyhosa e Leptospira pomona.

No filhote são realizadas três aplicações de vacina polivalente em intervalos de 21 a 31 dias. Cães adultos e idosos deve receber o reforço anual da vacina polivalente.

Esse intervalo vacinal é determinado pelo médico veterinário, de acordo com a necessidade de cada animal.

Antes da aplicação da dose, o animal é examinado pelo profissional veterinário que irá avaliar se o cão está clinicamente saudável para receber a vacina e ser capaz de apresentar resposta imune adequada para produzir anticorpos vacinais.

Animais doentes, com febre, subnutridos ou apresentando sinais clínicos discretos não devem ser vacinados.

Vale ressaltar que somente o médico veterinário é capacitado para atestar a saúde de um cão e realizar o processo de vacinação do mesmo com total segurança.

Não é indicada a aplicação da vacina pelo proprietário ou por funcionários de pet shops ou balconistas.

Além disso, algumas medidas de conservação da vacina devem ser adotadas, como a sua manutenção em temperatura de 4º a 8º C que deve ser monitorada dentro de uma geladeira utilizada somente para conservação das vacinas.

Desta forma, deve-se evitar o transporte das vacinas do ponto de venda até a residência do proprietário, já que não há segurança de manutenção da temperatura adequada para a conservação da vacina.

Além da vacina polivalente, os cães devem ser obrigatoriamente vacinados contra a raiva. Os municípios realizam campanhas antirrábicas anualmente, entretanto, esta vacina também pode ser realizada em clínicas veterinárias da rede particular.

Atualmente, outras doenças infecciosas como a tosse dos canis, giárdia e leishmaniose visceral canina também podem ser evitadas com esquemas de vacinação específicos formulados pelo veterinário”.

*Médica veterinária e professora da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Favet-Uece), da área de pequenos animais. Esta coluna é uma parceria com a favet-Uece. Dúvidas sobre animais podem ser enviadas pelo (85) 3266.9790 (manhã) ou pelo anavaleria@diariodonordeste.com.br

Tags: , ,

Cearenses rendem-se à paixão pelo Bulldog Francês

Publicado em 26/03/2013 - 15:27 por | 1 Comentário

Categorias: cinofilia, Geral
  • Enviar para o Kindle

Muitos consideram a raça da moda, mas os criadores sabem que as vantagens do “French” ultrapassam modismos

Boris, de Daniel Uchoa, do Canil Grande Canafístula FOTO: NILTON NOVAES

Boris, de Daniel Uchoa, do Canil Grande Canafístula FOTO: NILTON NOVAES

Fortaleza Ele é baixinho, gordinho e tem cara de mau humorado. Ainda assim, vem conquistando número ascendente de fãs por todo o mundo. No Ceará, não poderia ser diferente. Na Capital, um grupo de apaixonados jaz faz até encontros especiais. E No Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), está entre as raças que mais têm registro. Ele é o famoso Bulldog Francês. O cão que vale a máxima: ame-o ou deixe-o. Porém, entre todos que dele se aproximam, só a primeira decisão tem se confirmado.

Dois criadores cearenses levam a raça muito a sério. O veterinário do KCEC, Daniel Uchoa, do Canil Grande Canafístula; e o empresário Leonardo Arnaud Marino, do Canil La Dolce Vita, são unânimes em apontar as vantagens da raça.

“Amiga, tranquila, silenciosa. O seu peso, entre 8 e 14kg, facilita o transporte de carro”, afirma Daniel. “Não late, não necessita de muito espaço ou muito exercício. Não tem aquele cheirinho de cachorro”, confirma Leonardo, conhecido como Leo.

Joy, do Leo Arnoud, do Canil La Dolve Vita FOTO: Nilton Novaes

Joy, do Leo Arnoud, do Canil La Dolve Vita FOTO: Nilton Novaes

Excelente cão de companhia, se adapta a diferentes perfis de pessoas. “Tem grande capacidade de adaptação a todos os integrantes da família, sejam idosos, crianças ou adultos”, aponta Leo. “A raça é maravilhosa. No meu caso, foi amor à primeira vista, nunca criei outra raça”.

Já Daniel, falando também como veterinário, observa que uma criança ou idoso que conviver com o Bulldog Francês terá bem mais qualidade de vida sem riscos de acidentes. “Parece muito com o temperamento do Boxer, grande amigo, com a vantagem de ter o porte pequeno”.

O Boxer é outra raça que Daniel também conhece muito bem. O Canil Grande Canafístula existe desde 1987. Em 2002, foi o melhor criador de Boxer do Brasil. Em 2006, iniciou a criação de Bulldog Francês. A maioria destes exemplares veio do Canil Slaviero Bull. Recentemente, trouxe um macho do Canil Avigdors, da Rússia.

O “Avigdors Bouquet des Passion Tendres Boris” tem os títulos de Campeão Inicial, Filhote e Melhor Promissor Importado do Brasil em 2012; Reserva de Best in Show Inicial e 4º de Best in Show Filhote.

Registros

Dados mais recentes de criação da raça apontam 4.727 registros no Brasil, ficando na sexta posição nacional; e 134 registros no Ceará, (7º lugar) – ano 2011. “É uma das raças que mais cresceram nos últimos anos, estando entre as dez mais no Ceará e no Brasil”, afirma Daniel.

Já o plantel do La Dolce Vita soma 11 fêmeas e três machos. “Temos animais importados da Europa, com resultado do trabalho em pouco tempo de criação. Há cães LDV (La Dolce Vita) em todas as regiões do Brasil, sendo eles para companhia, reprodução e participando de exposições caninas. O Joy, padreador do canil, já foi classificado duas vezes para exposição mundial nos EUA. Temos campeões em todas as classes, finalistas e ganhadores de especializadas”, comemora Leo.

Bulldogs do Canil La Dolce Vita, de Leo Arnoud

Bulldogs do Canil La Dolce Vita, de Leo Arnoud

Mas não basta apenas paixão para uma boa criação dos bulls franceses. A raça requer cuidados especiais. “Por ser um braquicefálico, ou seja, ter o focinho curto em relação ao crânio, o Bulldog está sujeito a um superaquecimento do corpo. Requer cuidados nos passeios. É recomendável somente em horas frias, andar no carro com ar condicionado ligado e ter atenção ao exercitá-lo, respeitando bem a hora da alimentação”, recomenda Daniel Uchoa.

Filhotes do Canil La Dolce Vitsa

Filhotes do Canil La Dolce Vitsa

Leo também adverte sobre os passeios. “Não é uma raça para quem quer um companheiro para ir à praia. São altamente sensíveis ao calor. Apesar de muito brincalhões, os frenchies possuem massa muscular compacta e pesada, as pernas curtas e o focinho achatado, o que impede que se prolonguem nas brincadeiras e caminhadas”.

A também criadora, Régia Germano, coordena encontro de criadores. O próximo está marcado para o dia 27 de abril, às 16h na praça do Ceart.

Vantagens

daniel“É a raça de pequeno porte mais assídua nas exposições do Ceará, com uma média de 20 cães

em cada evento”

Daniel Uchoa

Canil Grande Canafístula

 

 

 

 

 

 

Leonardo Marino Leo“A raça é maravilhosa. No meu caso, foi amor à primeira vista. Se adapta a todos os integrantes

da família”

Leonardo Arnoud (Leo)

Do Canil La Dolce Vita

Mais informações

Canil Grande Canafístula

Daniel Uchoa – (85) 88591014

Canil La Dolce Vita

Leonardo Marino (Leo)

(85) 8898.8931

VALÉRIA FEITOSA
EDITORA

Tags:

Página 15 de 61« First...10...1314151617...203040...Last »

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999

X Fechar

Desejas compartilhar o conteúdo do Diário do Nordeste?

Utilize o link da notícia ou as ferramentas presentes na página.