Busca

Tag: Antrozoologia


12:35 · 08.09.2018 / atualizado às 12:35 · 08.09.2018 por
Dra. Rosania Ramalho está entre os homenageados na Câmara Municipal de Fortaleza (CMF)

Neste domingo, 9 de Setembro, comemora-se o Dia do Médico Veterinário! Este profissional que tanto faz bem aos nossos amados animais. Sem eles, o que seriam de nossos bichinhos? A atuação do “Dr. Veterinário” é ampla e vem crescendo cada vez mais, com a explosão do chamado “fenômeno pet” em todo o mundo, bem como com os avanços das novas áreas científicas, tais como o Bem-Estar Animal e a Antrozoologia.

Com as pesquisas científicas comprovando cada vez mais que os animais, especialmente os mamíferos, são seres sencientes, ou seja, têm capacidade de sentir sensações e sentimentos de forma consciente (dor, prazer, alegrias e tristezas), aumentam as nossas responsabilidades para com as espécies, muitas consideradas “anjos de quatro patas” por todos nós. E o que será dessa responsabilidade, se não tivermos os valorosos serviços dos médicos veterinários? Eles conhecem, como ninguém, os seus clientes, nossos amados bichinhos, sejam de grande ou pequeno porte, peludos ou com penas, quatro ou duas patas.

E para destacar esta data tão importante no calendário nacional, a Câmara Municipal de Fortaleza, por iniciativa do vereador Márcio Martins, realizará na terça-feira, 11, às 19h, Sessão Solene para homenagear alguns nomes da categoria veterinária. São eles: Rosania Ramalho, Marilac Alencar, Alexandre Rodrigues, Marcone Sampaio, Érica Lage, Maria Nilza Saraiva, José Carlos Cruz, Antônio Sérgio Pessoa, Karina Roberta da Silva, Marcondes Chaves e Flora Dutra.

Dr. Alexandre Rodrigues também ilustra a lista de homenageados pelo Dia do Médico Veterinário

Alguns destes homenageados são parceiros de nosso trabalho em favor do Bem-Estar Animal. Entre eles, a Dra. Rosania Ramalho. A homenagem é um reconhecimento nacional e internacional dos trabalhos que ela vem realizando na vida profissional, tanto na saúde pública como no bem-estar animal. Como reconhecimento internacional, ela foi indicada como profissional em destaque ao 2° Prêmio de Bem-Estar Animal pela World Veterinary Association (WVA), a maior Associação de Veterinários do mundo, representando mais de 500 mil veterinários através de 95 associações de membros veterinários em seis continentes.

“Sinto-me muito honrada pela indicação, principalmente pela parte profissional através do trabalho que exerci no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e agora na Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-Estar Animal (Coepa), como também pelo reconhecimento social e dos colegas de profissão. Quero muito agradecer não apenas à Câmara Municipal de Fortaleza, pela indicação de meu nome, mas também à minha família, amigos, Prefeito Roberto Cláudio, Dr. Nélio Moraes, Toinha Rocha e a todos que tornam possível que eu realize meu trabalho da melhor maneira possível”, afirma Dra. Rosania Ramalho.

No requerimento para a Sessão Solene, o vereador Márcio Martins trouxe esta bela poesia em homenagem ao médico veterinário, de autoria de Sandra Mamede! Confiram:

Dra. Marilac Alencar é mais um nome dos profissionais veterinários a receberem homenagem na Sessão Solene da CMF

Profissionais dedicados
Dos animais muito amigos
Conhecem a sua realidade
E também quando estão em perigo
Não tem galo ou papagaio
Periquito ou cachorro
Todos são seus pacientes
E tratados como gente
Como amor e afeição
Carinho e muita atenção.
Cuidando dos nossos “bichinhos”
Eles também cuidam de nós
Pois quando os vemos sadios
Ficamos felizes lambem
É uma profissão linda
E também abençoada
E a sua clientela
É um pouco complicada
Pois não sabem falar
Muito menos escrever
Mas nem por isso eles deixam
De se fazer compreender.
Parabéns veterinários
Pela sua profissão
Pelo seu dom divino
E a sua dedicação.

 

MAIS INFORMAÇÕES: Câmara Municipal de Fortaleza – (85) 3444.8300.

11:22 · 07.02.2017 / atualizado às 12:48 · 07.02.2017 por
Alexandre Rossi é especialista em comportamento animal, palestrante e apresentador de programas de TV e rádio brasileiros / Fotos: Divulgação

O especialista em comportamento Animal, Alexandre Rossi, nos concede esta entrevista exclusiva sobre Antrozoologia, a nova área da ciência que estuda a, cada vez mais crescente, interação entre seres humanos e animais. Ele também fala sobre o que chamo de “Fenômeno Pet” e outros assuntos de grande interesse para nós, apaixonados por peludinhos de quatro patas e por outros bichinhos de estimação. Confiram esta exclusiva!

Valéria Feitosa– Por que a criação desta nova área da Ciência, a Antrozoologia?

Alexandre Rossi – A Antrozoologia é a ciência que estuda a interação entre seres humanos e animais, com foco no vínculo que existe entre eles e suas consequências. Trata-se de um ramo que vem acompanhando justamente o fenômeno da vinculação afetiva cada vez maior dos seres humanos com os animais (especialmente os domésticos), e as influências e consequências que surgem dessa relação.

– Em que o fenômeno pet influencia nos estudos nessa área?

Com o crescimento das cidades e a diminuição do tamanho das residências, a convivência entre as pessoas e seus animais de estimação tem ficado cada vez mais próxima. Além disso, a configuração das famílias mudou e os animais de estimação estão sendo cada vez mais vistos como membros dessas famílias. E isso gera consequências fisiológicas e psicológicas tanto para os homens, quanto para os animais. Por isso os estudos que pretendem analisar as consequências desse vínculo têm avançado cada vez mais.

– Pelas suas viagens pelo mundo, como você avalia o Fenômeno Pet? (Chamo de Fenômeno Pet o crescimento mundial das famílias em convivência com um animal de estimação em seus lares, considerando-os como membros familiares, especialmente cães e gatos).

Que bacana você ter nomeado de “Fenômeno Pet”! É exatamente o que respondi na pergunta anterior. Pelo que pude verificar nos congressos e eventos que participei recentemente, há uma crescente preocupação com o bem-estar do animal de estimação. Por exemplo, no final do ano estive em um evento da Associação Americana de Veterinários Comportamentalistas, onde foram ministradas algumas palestras com o objetivo de provocar o menor estresse possível aos animais de estimação quando vão às clínicas veterinárias.

,Alexandre Rossi fundou a Cão Cidadão em 1998. Ele é formado em Zootecnia e cursa Medicina Veterinária

– Como a Antrozoologia pode auxiliar as pessoas a entenderem mais o comportamento animal?

Eu acredito que entender um pouco melhor as consequências desse vínculo homem-animal pode ajudar as pessoas a olharem para seus pets com outro foco, ou seja, entendê-los como uma espécie diferente da nossa, e procurar adequar a rotina e atividades às necessidades dele enquanto cão e gato, por exemplo.

– Com o Fenômeno Pet, as pessoas tendem a querer tratar os animais como humanos. Quais as consequências disto?

Do ponto de vista do ser humano, a ciência já sugeriu que há consequências boas ao tratar pets como bebês, pois temos uma necessidade natural de cuidar de algum outro ser. Mas, do ponto de vista do animal, esse tipo de tratamento pelo ser humano pode até levar a problemas de comportamento, já que as necessidades comportamentais dele são diferentes das de um bebê humano. O ideal é entender as necessidades do animal como espécie e cuidar dele com esse enfoque.

– Que conselhos você pode dar para que as famílias humanas tenham animais equilibrados e obedientes?

Entender quais são as necessidades comportamentais do animal como espécie (cão, gato, ave) e como indivíduo (mais energia, menos energia, etc), e procurar adequar a rotina e o ambiente com base nesses elementos. Além disso, adestrar com base em reforço positivo ajuda a criar um canal de comunicação muito eficaz entre humanos e animais.

Leia mais

Pets famosos da internet

Mais informações: Alexandre Rossi  / www.megafonecomrunicacao.com.br

14:46 · 16.09.2013 / atualizado às 14:46 · 16.09.2013 por

A professora da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Adriana Pessoa, postou em seu Facebook este artigo muito interessante! Originalmente, é da Revista Época e foi reproduzido em algumas sites como o www.petrede.com.br

Confiram que maravilha de pesquisa, com fotos de meus gatinhos Lunar, Chiquinha (em memória) e Mimi!

Em Felinos por Alexandre Domingues

Foto-0067O tipo de relacionamento mantido entre homens e gatos pode estar mais próximo da relação inter-humana do que se pensava. É o que descobriram pesquisadores da Universidade de Viena. Segundo o estudo, publicado na revista especializada Behavioural Processes, a ligação entre gatos e seus donos depende diretamente da personalidade, sexo e idade de ambos, dos sentimentos pontuais e do tempo de convivência entre os dois – características verificadas nos relacionamentos entre seres humanos.

A pesquisa, desenvolvida na cidade de Viena entre 2005 e 2006, observou a relação entre 39 donos e seus gatos. Foram escolhidos todos os tipos de “amizades”: entre donos homens e gatos machos, mulheres e gatas, gatos e mulheres e homens e gatas. A maioria dos animais passava grande parte de seu tempo em casa, convivia bastante com o dono, e o tipo de relação era forte – “os gatos eram considerados amigos, membros da família ou ainda ‘filhos’ de seus donos”, diz o resultado de um questionário preenchido por cada participante.

Foto-0372Os pesquisadores descobriram que a relação entre os gatos e seus donos é baseada em um verdadeiro jogo de interesses; são relações complexas, em que há contribuições emocionais de ambos os lados. Por exemplo, se um dono faz carinho no seu gato quando este pede, depois terá “créditos” com o bicho, quase como se um devesse a retribuição do afago ao outro. E o gato irá recompensá-lo mais tarde.

Também constatou-se que o humor e a personalidade dos donos afetam a forma como o gato reage. Os animais conseguem sentir as variações de humor dos donos, e se recolhem ou se aproximam dependendo disso. Mas só dos donos. “Em nossos estudos, descobrimos que fatores como a abertura do gato às pessoas não são independentes”, diz a pesquisa. Embora não pareça, os bichos reagem de formas diferentes quando com estranhos.

Foto-0425Outros resultados mostraram que, curiosamente, gatos parecem se dar melhor com mulheres. “Nos relacionamentos com uma dona, o número de gatos que iniciam o contato físico é maior que nos relacionamentos de gatos com homens”, independente do sexo do animal. O estudo também aponta que donos neuróticos tendem a ter contato mais distante com seus bichos, ou seja, têm uma relação fria em que o gato sabe que aquela pessoa serve como provedor de alimento e não necessariamente o respeita. A idade e a personalidade do animal também influenciam a relação.

Os pesquisadores de Viena pretendem aprofundar os estudos após constatarem que os mesmos tipos de comportamento não são observados em gatos que são criados mais livres – animais que vivem em casas com jardins, por exemplo, e que passam mais tempo longe dos donos. Nesses casos, não foi constatado que fatores temporais, como o humor momentâneo do dono, pudessem ser levados em consideração pelo bicho. Ainda assim, eles estão seguros de que a relação entre dono e gato envolve certos tipos de interação que fazem um, de fato, entender o que o outro está sentindo, como antes só tinha sido verificado entre humanos.”
Fonte: Revista Época/ via www.petrede.com.br

06:31 · 29.10.2010 / atualizado às 12:21 · 29.10.2010 por
Filhos humanos e animais surgem no novo modelo de família/Foto: Fábio Lima

Se você trata seu bichinho peludo de quatro patas como um dos filhos mais queridos da casa não se preocupe. Você não é anormal. Assim como você, milhões de pessoas em todo o mundo se comportam igual.

Tendência verificada em todo mundo dá conta de que, cada vez mais, as famílias humanas ganham nova configuração. Se antes era pai, mãe e filhos, agora é: pai, mãe, filhos e bichinhos de estimação, especialmente cães e gatos.

Não é à toa que estudiosos reveem o novo conceito de família. Se antes, o principal critério era laços de sangue, hoje, são os laços afetivos que unem pais, filhos e pets.

Para compreender a mudança na família atual, já existe até uma nova área da ciência. Trata-se da Antrozoologia, que estuda a crescente interação entre seres humanos e animais.