Busca

Tag: boxer


12:42 · 01.05.2018 / atualizado às 12:42 · 01.05.2018 por

Contagem regressiva meesmoo! As inscrições de cães para o grande evento cinófilo Américas e Caribe 2018 terminam sexta-feira, dia 4. O evento acontecerá de 31 de maio a 3 de junho no Centro de Eventos do Ceará, com mais de 1.000 cães de 100 raças em média.

O grande evento cinófilo é promovido pela Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), presidida por Sérgio de Castro, e Federação Cinológica Internacional (FCI), que tem Rafael De Santiago como presidente, com apoio logístico do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), tendo na presidência Roberto Bezerra. A Américas e Caribe, presidida por José Luiz Payró, é uma das Seccionais da FCI.

O presidente da CBKC, Sérgio de Castro, foi o grande responsável pela decisão de trazer para Fortaleza a Américas e Caribe 2018. E, de acordo com o vice-presidente da CBKC, Fábio Amorim, a Capital cearense foi escolhida para sediar o evento porque possui instalações e logística adequadas. “Além do fato de o KCEC estar realizando exposições caninas com excelente número de cães e elevado profissionalismo há bastante tempo”, destaca ele.

Segundo adianta o vice-presidente do KCEC, Luiz Eduardo Matos Mendes, a programação do evento traz muitas novidades. Já contará com as mudanças de acordo com o novo Regulamento de Exposições da CBKC, uma forma de adequação ao modelo da FCI. E terá, entre outras inovações, a competição em Classes Opcionais (Parelhas ou Duplas; Grupo de Criação; Progênie).

A terceira edição da Revista Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, a ser lançada durante o grande evento cinófilo, trará reportagens especiais sobre o evento, com entrevistas exclusivas com as presidências da FCI, CBKC, Américas e Caribe e KCEC. Também apresenta todas as novidades da programação.

Luiz Eduardo garante que o público conferirá ampla programação de desfiles de cães, em pistas gerais e especializadas de raças; apresentações de adestramentos nas modalidades Dog Show (Border Collie) e Segurança (Pastores Alemão e Belga de Malinois) nos intervalos das competições, além de  contar com uma completa infraestrutura de arquibancadas com 600 lugares; área para acampamento dos handlers e cães; três praças de alimentação; atendimento veterinário de urgência 24h para os cães participantes; e muito mais. Tudo isso em ambiente climatizado 24h.

Os criadores e proprietários de cães terão seus animais avaliados por um quadro de árbitros da FCI, de alta excelência, oriundos de países como Estados Unidos, Suíça, China, Bulgária, México,  Argentina, Costa Rica, Peru, Uruguai, Chile, entre outros.

Podem participar cães com pedigree, a partir de 4 meses e um dia de idade. Cerca de 12 raças já confirmaram presença para as Exposições Especializadas: Akita, Australian Cattle Dog, Boxer, Buldogue Campeiro, Buldogue Francês, Chihuahua, Dálmata, Fila Brasileiro, Mastiff, Pastor Alemão, Rottweiler, Spitz Alemão e Staffordshire Bull Terrier.

Entre as novidades da programação, será o anúncio da criação do Conselho Brasileiro da Raça Chihuahua (CBRC), oficializado recentemente pela CBKC, tendo como presidente a criadora e juíza cinófila, Paloma Pegorer, e na vice-presidência o criador e diretor do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), Benon Linhares.

A Confederação Brasileira de Cinofilia está priorizando a criação de Conselhos de Raças no País. Recentemente também instituiu a Coordenadoria dos Conselhos de Raças, que tem como titular o árbitro e presidente do Doberman Clube de São Paulo, Renato Almada.

Com todas essas novidades, é impossível ficar fora deste grande evento. E se você quer apresentar o seu próprio cão durante as exposições, o Kennel Clube do Ceará promoverá nova edição do Curso Básico para Apresentação de Cães, com certificado do KCEC. Será nesse fim de semana, dias 5 e 6, ministrado pelos handlers Pablo Henrique e Oiram Filho. A aula teórica acontecerá na Universidade Paulista (Unip), na Av. Treze de Maio, 389, no sábado, 5; ficando a parte prática para o domingo, 6, no Hotel Dog Fortaleza, bairro Lagoa Redonda.

Então é correr para as inscrições do Curso e das Américas e Caribe!

MAIS INFORMAÇÕES: Exposições Américas e Caribe (Inscrições no site). Curso Básico para Apresentação de Cães, KCEC 3265.5040. contato@kcec.com.br

 

MAIS INFORMAÇÕES:

14:09 · 19.01.2018 / atualizado às 14:24 · 19.01.2018 por

Atenção cinófilos e apaixonados por cães!! A partir de 1º de fevereiro começam as inscrições pelo Kennel Clube do Estado do Ceará para o grande evento internacional Américas e Caribe, que acontecerá em Fortaleza de 31 de maio a 3 de junho, no Centro de Eventos do Ceará. A programação geral já pode ser conferida no site do evento.

A Exposição das Américas e Caribe é um dos maiores eventos da cinofilia mundial, que após 15 anos volta a se realizar no Brasil. Está prevista a participação de mais de mil cães de 100 raças em média. Serão 8 pistas simultâneas de julgamento, 27 exposições especializadas de raças, 41 juízes convidados e uma estimativa de público de 15 mil pessoas nos quatro dias de evento.

A Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), presidida por Sérgio de Castro, a Federação Cinológica Internacional (FCI), que tem Rafael de Santiago como presidente, e a Seção Américas e Caribe da FCI, com José Luiz Payro na presidência, realizam as exposições, com apoio logístico do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC), presidido por Roberto Bezerra.

O vice-presidente do KCEC, Luiz Eduardo Matos Mendes, explica que as principais mudanças no regulamento da CBKC já são válidas para todas as exposições a partir deste ano são: Machos entram antes das fêmeas; volta da Classe Inicial; Filhote e Jovem tiram grupo antes do BIS; Filhote não pode mas ganhar a raça; Jovem agora é até 18 meses (antes era até 15 meses); e criação da Classe Intermédia (que vai de 15 a 24 meses).

Entre as pistas especializadas, estão das raças Akita, American Staffordshire, Basenji, Boxer, Buldogue Francês, Buldogue Campeiro, Chihuahua, Dálmata, Dogue Alemão, Golden Retriever, Pastor Alemão, Pug, Schnauzer Miniatura, Spitz Alemão Anão e Staffordshire Bull Terrier. Cinco raças das Especializadas são chanceladas por seus Conselhos na CBKC. São elas: Australian Cattle Dog, Dachshund, Fila Brasileiro, Rottweiler e Terrier Brasileiro.

Juízes de diferentes países da Ásia, Europa e das Américas foram convidados. Entre eles Barbara Muller (Suíça), David Miller (EUA), Denis Kuzelj (Bulgária), Franki Leung (China), Augusto Benedicto Santes (Filipinas), Gopi Krishnan (Malásia), Ilaria Ciabati (Peru), José Luis Payro (México), Miguel Angel Martinez (Argentina), Eugenio Aguiló (Chile) e os brasileiros Sergio de Castro, Jayme Martinelli, Clarice Oliveira e Gutenberg Soares.

Sobre as inscrições, Luiz Eduardo informa que o KCEC está desenvolvendo um sistema em separado que será acessado por meio do site do evento. “Começará em fevereiro. Vale lembrar que até o dia 4 de abril, a inscrição tem preço menor. Outra coisa importante é a data de encerramento, 4 de maio. Portanto, quatro semanas antes do evento”, ressalta ele.

A Exposição Américas e Caribe tem a Royal Canin como patrocinadora oficial, e a Prefeitura de Fortaleza e Honda Cidade Luz como apoiadores. Outros patrocínios serão divulgados brevemente.

A segunda edição da Revista Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, já trouxe reportagem especial no ano passado sobre o evento. A terceira Revista será uma edição especial com os principais cinófilos, para circulação dentro do evento.

A infraestrutura do evento contará com 1.200m² de áreas de competição, 350m² de arquibancadas, duas áreas de alimentação, uma praça de convivência, ambulância, brigadistas, seguranças, entre outros equipamentos de infraestrutura, como o ambulatório veterinário, sob responsabilidade do Dr. Daniel Couto Uchoa, que funcionará 24 horas.

Uma novidade realizada pelo KCEC são as aulas gratuitas com os handlers Oiram Filho, Cláudio Cruz e Pablo Henrique, para os proprietários interessados em apresentar os próprios cães nas exposições.

“As aulas gratuitas são uma iniciativa do Kennel com apoio dos handlers. Queremos potencializar a participação dos cães, pois se os proprietários apresentarem também aumenta a possibilidade de participação. Além do que os handlers têm um limite de número de cães que conseguem apresentar”, explica Luiz Eduardo. A primeira aula será no dia 28 de janero, 17h, na Praça da OAB, para todos os Bulls (Inglês, Francês, Campeiro etc).

MAIS INFORMAÇÕES: Exposição Américas e Caribe, de 31 de maio a 3 de junho, Centro de Eventos do Ceará. contato@kcec.com.br / Aberto ao público.

 

 

 

 

americasyelcaribe2018.com.br

13:50 · 15.08.2014 / atualizado às 13:51 · 15.08.2014 por

Fortaleza. Em contagem regressiva para os seus 50 anos de fundação, a serem comemorados em novembro, o Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) realiza amanhã e domingo, nesta Capital, as penúltimas exposições cinófilas de 2014. A novidade deste evento é que acontecerão sete competições especializadas, para cães das raças American Pit Bul Terrier, American Staffordshire Terrier, Buldogue Francês, Fila Brasileiro, Golden Retriever, Pinscher Miniatura e Rottweiler.

Roberto C.F. Bezerra é presidente do KCEC
Roberto C.F. Bezerra é presidente do KCEC

Segundo o presidente do KCEC, Roberto C.F. Bezerra, devem participar do evento cerca de 250 cães de 55 raças nas pistas especializadas (sábado), e nas gerais (domingo). “Esse número de cães representa um aumento nas inscrições médias dos anos anteriores”, afirma ele.

Segundo adianta, as raças que deverão ter o maior número de cães inscritos são as que estarão sendo avaliadas nas pistas especializadas do sábado, no caso, American Staffordshire, Bulldogue Francês, Fila Brasileiro, Golden Retriever, Pinsher Miniatura, Pitbull e Rottweiller. “O KCEC vem tentando, em caráter experimental, concentrar as especializadas em um único dos três eventos realizados anualmente aqui em Fortaleza, por questões logísticas e organizacionais”, explica ele.

Para isto, conforme aponta, a escolha das raças que deverão fazer parte de exposições especializadas é antecedida por uma negociação prévia entre criadores, expositores e “handlers” com a diretoria do KCEC. “Nessa negociação é levado em conta a garantia de que, no mínimo, 15 cães de cada raça deverão ser inscritos no evento a ser realizado”, diz Roberto Bezerra.

As exposições do fim de semana vão contar com os juízes Enrique Graziano, Fernando Bretas, Flávio Ramos, João Luiz Lopes Machado, Luiz Francisco Tiradentes Abreu, Ricardo Oliveira Dias (todos do Brasil), e também Jorge Luis Patiño Fernandez  e Maritza de La Vega Herandez (ambos do México). Tem o Dr. Daniel Couto Uchôa como médico veterinário e Luiz Eduardo Matos Mendes como superintendente da Exposição.

Com o crescimento da cinofilia no Ceará, o perfil de expositores está mais variado. O presidente do KCEC diz que abrange desde canis de pequeno porte, onde apenas uma raça é mantida, até os grandes canis, onde são criadas diferentes raças, com um número bem maior de exemplares.

“O que vem estimulando a organização das exposições por parte do KCEC é a participação de cães de praticamente todos os Estados do Nordeste, do Pará e do Amazonas e, em alguns eventos, cães do Sul e Sudeste. Vale destacar que a cinofilia cearense vem apresentando um regular crescimento com cerca de 3/4 das inscrições sendo do nosso Estado”.

Handlers

As exposições cinófilas têm um show à parte com o trabalho dos handlers, profissionais que apresentam e preparam os cães para as competições em pista. Dois deles já fazem história no Estado e no País. Há 25 anos na atividade, Wladyr Uchoa já apresentou cães em eventos no Brasil, Argentina e Estados Unidos.

Handler Wladyr Uchoa, com cão campeão  do Sunland Boxers
Handler Wladyr Uchoa, com cão campeão do Sunland Boxers FOTO: Bruno Santana

Neste fim de semana, ele levará 15 cães das raças Boxer, Mastiff, Bulldog Inglês, Schnauzer, Yorkshire, Dachshund, Spitz, Beagle, Cocker Inglês, Golden Retriever, Bulldog Francês, Pitbull. “Para as exposições do KCEC, as expectativas são sempre boas, pois sempre são organizadas, com bom número de cães e em local apropriado para o evento”, afirma ele, que estará com exemplares de grandes e renomados canis, mas também cães de novos criadores em busca de reconhecimento.

Para quem quer iniciar na cinofilia, Wladyr orienta buscar um criador com experiência e qualidade para adquirir o filhote e seguir a orientação de pessoas mais experientes, além de “amar os cães acima de tudo”.

Outro handler de reconhecimento nacional é Pablo Henrique Studart. Ele está há 15 anos na atividade, e já participou de exposições por todo o Brasil e América do Sul. Dentre as viagens, esteve na Exposição Mundial na Argentina.

Handler Pablo Henrique Studart, com campeão "Legend" e equipe Samyr Pinto e Melk Santiago
Handler Pablo Henrique Studart, com campeão “Legend” e equipe Samyr Pinto e Melk Santiago

Para o evento do KCEC do fim de semana, Pablo vai levar cerca de 40 cães para as exposições gerais e especializadas, exemplares de cerca de 12 raças, tais como Australian Shepherd, Mastino Napolitano, Pinscher, Shar Pei, Schnauzer, American Staff, Bull Terrier, Akita Americano, Golden Retriever, Labrador, Poodle, Chihuahua, Pitt Bul, dentre outras.

“Acho uma iniciativa excelente do KCEC, uma forma de os cães serem melhor reconhecidos pelos juízes especializados. Como sempre, as expectativas são as melhores, pois as exposições aqui do Kennel, sempre estão dentre as melhores do Brasil.

Handler Jean Carnib,  com a Fila Brasileiro campeã "Glória", do Canil Singular, de Harrison Pinho
Handler Jean Carnib, com a Fila Brasileiro campeã “Glória”, do Canil Singular, de Harrison Pinho

O handler  Jean Carnib também figura entre os destaques. Está há mais de 20 anos está na atividade. Ele vai levar 11 cães, das raças Fila Brasileiro, Buldogue Francês e Australian Catle Dog. “A expectativa é sempre muito boa, pois o evento de Fortaleza é o melhor e o maior do Norte e Nordeste, e um dos maiores e mais organizados do Brasil.A qualidade dos cães é muito boa, sem dúvida uma atração para famílias, crianças e adultos”, afirma ele.
Mais informações

Exposições do KCEC – cães de raça

Sábado e domingo (16 e 17/11)

Colégio Farias Brito Central

Rua Barão do Rio Branco, 2680

Fortaleza – entrada gratuita

07:55 · 23.03.2014 / atualizado às 07:55 · 23.03.2014 por

Cerca de 200 cães de mais de 40 raças estarão desfilando em pistas, para avaliação de juízes e apreciação do público. São cães de alta linhagem, que servem não somente de companhia mas, principalmente, destinam-se às provas de cinofilia.

Valéria Feitosa – Editora

Nas provas, os cães são avaliados por juízes quanto à estrutura e beleza / Fotos: Nilton Novaes
Nas provas, os cães são avaliados por juízes quanto à estrutura e beleza / Fotos: Nilton Novaes

Fortaleza. Para quem quer conhecer as variedades de raças caninas, uma boa oportunidade são as exposições do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) que acontecem hoje, a partir das 9h, no Colégio Farias Brito (FB Central), na Capital. O evento abre a temporada 2014 de exposições da cinofilia cearense, que ainda prevê mais duas realizações, em agosto e em novembro, quando o Kennel estará comemorando seus 50 anos de fundação.

Presidente do KCEC, Roberto C.F. Bezerra
Presidente do KCEC, Roberto C.F. Bezerra

O presidente do KCEC, Roberto C.F. Bezerra, destaca a participação de mais de 200 cães de cerca de 40 raças, em todos os grupos de classificação. Ele afirma que as exposições do Kennel do Ceará estão entre as maiores do País em participação de cães e é recorde nacional em presença de público. “Os eventos são verdadeiras festas de confraternização entre criadores, handlers, juízes e público em geral, formado por pais e filhos”, diz ele.

Segundo considera, as exposições destinam-se não somente para os criadores terem os seus cães avaliados pelos melhores juízes do Brasil e de outros países, mas também para divulgar a cinofilia entre as pessoas que pretendem iniciar na atividade.

A criação de cães de raça no Ceará vem se tornando referência no Brasil e também em países da Europa e Estados Unidos. São exemplares de alta linhagem de raças como Boxer, Pastor Alemão, Fila Brasileiro, Dogue Alemão, Rottweiler, Golden Retriever, Bulldog Francês e outros.

Seminários

A programação do KCEC começou ontem, às 17h, quando aconteceu o Seminário de Raças do Grupo V e Técnica de Julgamento,  ministrado pelo juiz Luiz Otávio de Nóvoa Cavalcante. O grupo V são do tipo Spitz e Primitivos tais como Husky Siberiano e Samoiedo.

A realização de seminários de formação para cinófilos em geral é uma das novidades da gestão do presidente do KCEC, Roberto Bezerra. No ano passado, o juiz Ricardo Simões ministrou seminário antecedendo as competições, sobre a temática “Ética e Técnica de Julgamento de Cães”, aberto aos criadores e handlers. Hoje, acontecem três exposições panamericanas, avaliadas pelos juízes Abel Takeda e Adriano Rosa (ambos da Argentina) e pelos brasileiros Luiz Otávio de Nóvoa e Márcio Massohiko Morikawa.

Daniel Uchoa é médico veterinário do KCEC
Daniel Uchoa é médico veterinário do KCEC

osé Alberto Braz Thiers fica como árbitro reserva. O médico veterinário do evento é o cearense Daniel Couto Uchôa e o superintendente da exposição é Rafael Moreno. Os acampamentos para os canis se organizarem foram liberados a partir das 16 horas de ontem. As competições são válidas para os rankings da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) e Dog Show.

Nas competições, os cães são avaliados conforme o padrão para cada raça, estabelecido pela Federação de Cinofilia Internacional (FCI), bem como pela beleza do animal no que se refere à pelagem, peso e apresentação no desfile.

Os cães são classificados por idade nas categorias inicial; filhote; jovem; e depois nas três classes – aberto (para animais sem nenhum título); campeonato (quando o cão já tem título de campeão); e grande campeonato (para animais com título de campeonato e grande campeonato). “Queremos que as exposições sejam satisfatórias para todos os participantes”, afirma Roberto Bezerra.

Mais informações: Exposições de Cães de Raça organizadas pelo KCEC, hoje, a partir das 9h. Colégio Farias Brito (FB Central), Rua Barão do Rio Branco, Centro, Fortaleza.

14:46 · 06.01.2014 / atualizado às 14:46 · 06.01.2014 por

Os pets são animais de companhia, que adoramos sem muitas exigências. Mas existem muitos cães que, além de companhia, se adequam às exposições cinófilas, pois têm pedigree (registro de raça pura) e atendem às exigências do padrão da raça definido pela Federação Cinológica Internacional. Para estes, acontecem as competições organizadas pelo Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC). Confiram abaixo, com fotos de Nilton Novaes!

Valéria Feitosa
Editora

Jean Carnib apresenta o Fila Brasileiro como raça principal, mas também estará com cães de outros grupos. Diz que tem orgulho da cinofilia cearense, pelo profissionalismo do Kennel Clube do Estado FOTOS: Nilton Novaes
Jean Carnib apresenta o Fila Brasileiro como raça principal, mas também mostra cães de outros grupos. Diz que tem orgulho da cinofilia cearense, pelo profissionalismo do Kennel Clube do Estado FOTOS: Nilton Novaes

Fortaleza. Um grande show de talentos pode ser visto durante as exposições do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC). Nestes eventos, cerca de 270 cães de alta linhagem são avaliados por juízes de referência nacional e internacional. Mas não só isso. As competições cinófilas reservam uma atração a mais.
Trata-se do espetáculo de competência dos handlers, profissionais que preparam os cães para as provas, e os conduzem nas pistas. Eles têm participação direta no bom desempenho do animal perante os juízes, e podem contribuir, decisivamente, para a classificação e vitória do exemplar. No Ceará, três nomes são expoentes: os handlers Wladyr Uchoa, Jean Carnib e Pablo Henrique Studart.

O presidente do KCEC, Roberto Claudio Frota Bezerra, diz que o número de cães em pista sempre supera a quantidade de exposição anterior. “A nossa previsão de 270 cães é um pouco acima da nossa última exposição e maior que todas já realizadas em 2013 nas regiões Norte e Nordeste”, comemora ele.

Na sua avaliação, a cinofilia cearense prossegue em fase ascendente. “Confirmamos o aumento continuado de registro de cães de raça pura, participação maciça de nossos criadores nas exposições, com vinda cada vez mais intensa de expositores coirmãos de outros Estados, o nível de organização e profissionalismo de nossos dirigentes durante as exposições, o esforço coletivo dos cinófilos cearenses, entre criadores, expositores, handlers e dirigentes para o desenvolvimento da nossa cinofilia”, afirma.

São cerca de quatro exposições realizadas ao longo do ano pelo KCEC. Nas últimas, realizadas em dezembro, as exposições tiveram como árbitros Osvaldo Raspa e Teresa Serantes (ambos da Argentina), e os brasileiros Flávio Carvalho Ramos, Jayme Martinelli, José Alberto Thiers e Sebastião Guimarães Filho. Na reserva, o juiz Gutenberg Vilar.

Trabalho técnico

Sobre o papel do handler no evento, o presidente do KCEC confirma a importância dos profissionais. “É fundamental. Isto porque os handlers conhecem bem os regulamentos das exposições, as técnicas de apresentação, o processo de preparação dos cães e as etapas sequenciais de julgamento (classe, raças, grupos e finais). O sucesso no transcorrer de uma exposição depende da cooperação desses profissionais, seguindo as normas da Superintendência e acatando as determinações do árbitro, que se constitui na figura central da Exposição”, afirma.

Wladyr Uchoa estará nas provas apresentando cerca de 15 cães como o Beagle, entre outras raças. Ele atua há 25 anos, com experiências em São Paulo, Rio de Janeiro e Estados Unidos FOTO: Nilton Novaes
Wladyr Uchoa participa das provas apresentando cerca de 15 cães como o Beagle, entre outras raças. Ele atua há 25 anos, com experiências em São Paulo, Rio de Janeiro e Estados Unidos FOTO: Nilton Novaes

Criador de cão desde a infância, o handler Wladyr Uchoa atua profissionalmente há 25 anos, apresentando as raças Boxer, Fila brasileiro, Fox Terrier, Beagle, Cocker Spaniel Inglês, Golden Retriever e Bulldog Francês, entre os principais.

“Em 1989, sempre buscava informações com os profissionais que já estavam em atividade. Em 1994, fui trabalhar com dois grandes profissionais em São Paulo, Flávio Werneck e Marcelo Chagas. Com eles aprendi grande parte do que sei. Após um período de 15 meses, retornei a Fortaleza”, conta Wladyr, que reúne um currículo extenso na atividade.

“Logo em seguida recebi um convite para gerenciar e apresentar os cães do canil Lóriga Boxers em Itaipava, no Rio de Janeiro. Fui e fiquei mais 6 meses longe de casa. Depois desse período, retornei de vez a Fortaleza, onde trabalho até hoje. Sempre viajo aos grandes centros do Brasil e para os Estados Unidos para participar de eventos e adquirir novos conhecimentos”, afirma ele, para explicar como é a sua formação numa área que ainda não oferece cursos formais.

Outro handler de referência, Jean Carnib é profissional há 9 anos, mas está na cinofilia apresentando os próprios cães e de amigos há cerca de 18 anos. Trabalha com o Fila Brasileiro, como principal raça, mas também desfila com Golden Retriever, Australian Catle Dog, Rottweiler, Collie de pelo longo, Welsh Terrier, Whipet, American Stafordshire, Bulldogs Iinglês e Francês.

“Mostro as raças que posso fazer um bom trabalho de trimming e grooming no meu entendimento. Contudo, como sou um profissional, aceito os desafios e estou pronto para mostrar qualquer outra raça antes nunca mostrada”, afirma ele, que explica que sua formação foi amparada na própria experiência.

“Nunca fiz um curso teórico ou prático com instrutor com algum handler. Parto do princípio de que, quando se tem interesse, há pesquisa, informações práticas para ir se aperfeiçoando. Sou formado em Direito e em Engenharia Agrônoma, e sempre optei mais pela pesquisa para melhorar meu aprendizado”, diz, complementando que, na formação, não há segredo. “É pesquisar e praticar sempre, dentro da legalidade que as regras da disputa nos impõe. Daí o resto vai do talento e da vontade de cada um”, aconselha.

Pablo Henrique mostrará Golden Retriever, entre outros cães, nas provas do domingo FOTO: Nilton Novaes
Pablo Henrique apresenta Golden Retriever, entre outros cães, nas exposições organizadas pelo KCEC
FOTO: Nilton Novaes

Outro handler que faz história na cinofilia cearense é Pablo Henrique. Ele iniciou na atividade quando tinha 16 anos, por incentivo do irmão, Mauro Studart, que também é handler. No início, só mostrava os próprios cães da raça American Staffordshire. Daí, foi “tomando gosto” pelas exposições e logo apareceram cães de outras raças para apresentar. “Trabalhei com alguns handlers no início, para me aperfeiçoar. Acho que o melhor curso se chama interesse por aprender mais, sempre procurei aprender com quem está há mais tempo na profissão, escutando os mais antigos”, revela.

Na sua avaliação, um bom handler é aquele que conhece o animal, sabendo enaltecer as qualidades do cão, estudando os padrões das raças que está apresentando. “O bom profissional está em sintonia com o cão e sabe todos os limites de cada exemplar apresentado”.

Pensando da mesma forma, Wladyr Uchoa diz que um bom profissional da área é, antes de tudo, um apaixonado por cães. “Além disso, é aquele que busque conhecer os padrões das raças que deseja trabalhar e as técnicas para desenvolver um bom trabalho com essas raças. Ele deve saber como lidar também com os proprietários, deixando tudo muito claro e tirando todas as dúvidas que possam surgir, passando segurança”.

Roberto C.F. Bezerra é presidente do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) FOTO: Nilton Novaes
Roberto C.F. Bezerra é presidente do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) FOTO: Nilton Novaes

O presidente do KCEC, Roberto Bezerra, reconhece a importância do handler nas exposições. “Avalio positivamente, pelo espírito de cooperação com o KCEC, não apenas nas exposições, mas também contribuindo com a nossa criação de cães de raça pura e, principalmente, pelo trabalho deles na preparação e apresentação dos cães. A vitória de um cão numa exposição depende inicialmente das características do próprio animal e complementarmente do handler, na habilidade em ressaltar o que é positivo no cão, como também no domínio do espaço físico do ringue de apresentação”.

Mais Informações: Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC)
Telefones: 3265.5040/ 3265.1533

19:00 · 14.04.2013 / atualizado às 19:00 · 14.04.2013 por

Foto-0796Sempre é bom lembrar: Os cães de exposição não se classificam como pets. Estão numa categoria especial, com padrões de raça invejáveis. Muitos são verdadeiras estrelas de primeira grandeza nas pistas e classificam-se como campeões. Merecem toda a nossa consideração, pois seus donos levam muito a sério a arte de criar animais. Exemplos assim foram vistos nas exposições do Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) deste fim de semana. Mais uma vez, o KCEC bate recorde: 215 cães inscritos!

Presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra
Presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra

O presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra, foi só sorrisos! Motivos não faltam. “O KCEC vem liderando, tradicionalmente, as exposições no Norte e Nordeste”, me disse ele. E completou: “Nossas exposições primam pela organização. O sucesso deve-se ao trabalho exemplar da equipe do KCEC e ao apoio integral das Organizações Farias Brito na realização dos eventos”. Ele também me disse que, em 2012, o KCEC destacou-se no Norte e Nordeste com o maior número de registro de cães. Vem crescendo o número de novos canis no Ceará.

Foto-0801Passei a manhã de domingo nas quadras do Farias Brito (FB Central) me deliciando com a beleza das raças caninas: Boxer, Bulldog Francês, Golden Retriever, Labrador, Rottweiler, Beagle, Bulldog Inglês, Cocker Spaniel e tantos outros. É bonito ver como muitas pessoas cuidam de seus animais com amor, dedicação e respeito. Os cães são as “estrelas da festa”. Eles mostram-se muito felizes em desfilar para os juízes, que são muito competentes em suas avaliações.

Encontrei dois professores universitários que levaram seus alunos para “aulas de campo” nas exposições do KCEC. O professor Antônio Cavalcante, do Curso de Veterinária das Faculdades Inta, em Sobral, levou seus alunos para a parte prática da disciplina de Cinotecnia. Já o professor Marcus Muniz, que ministra a disciplina de Psicologia da Aprendizagem e Memória na FIC-Estácio de Sá, levou seus alunos também para uma aula de campo. Os universitários pesquisaram sobre quais as estratégias utilizadas para a aprendizagem animal. Fantástico tudo isso! Adorei!

Alexandre Rodrigues, do Canil Urbana Legio, e o professor Antônio Cavalcante, da Veterinária/Inta
Alexandre Rodrigues, criador de Cocker, e o professor Antônio Cavalcante, do Curso de Veterinária das Faculdades Inta
15:29 · 03.09.2012 / atualizado às 07:13 · 04.09.2012 por
Excelente Bulldog Francês nas exposições do KCEC/ FOTOS: Nilton Novaes

Olá, amigos, apaixonados por cães, gatos e afins! Retorno das férias mais feliz do que antes. Mesmo porque já recomeço com ótimas notícias. A cinofilia cearense  esteve em festa no último fim de semana, com grandes exposições organizadas pelo Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) e o Kennel Clube de Sergipe. E o que é melhor: meu grande amigo Liduino Barros, adestrador e handler de primeira grandeza, foi homenageado pelo KCEC pelos relevantes serviços prestados à cinofilia cearense.

No domingo à tarde, o presidente do KCEC, Roberto Cláudio Bezerra, entregou a placa de homenagem a Liduíno. “Me sinto muito honrado com a homenagem”, disse ele, um profissional muito competende, mas que cativa a todos com sua simplicidade e honestidade. Uma pessoa de bem! Um grande amigo que tenho para assuntos caninos. Ele adestrou dois cães meus, o adorável Joca, boxer que já está com 11 anos, e a inesquecível Crystal, minha Bulldog Francês que, em vida, participou de exposição no KCEC. A linda já mora no céu do animais. Nas pistas do fim de semana, excelentes exemplares da raça participaram dos desfiles, como se vê na foto do competente Nilton Novaes.

Para Liduíno Barros, a cinofilia cearense marca expressiva presença na cinofilia nacional. “O Ceará já conta com grandes canis, grandes criadores, destaquepara as raças Fila Brasileiro, Boxer, Pastor Alemão e Rottweiler. Não é mais preciso sair do Estado para adquirir cães de excelente qualidade”, avalia Liduíno, que exibe um trabalho de 35 anos na cinofilia cearense.

Não pude estar presente nas exposições do fim de semana, mas o grande fotógrafo Nilton Novaes nos dá a sua inigualável contribuição, com seus clicks pra lá de competentes. Professor Roberto Cláudio e toda a sua equipe estão de parabéns mais uma vez! Confiram!

As exposições tiveram como árbitros do evento Andrea Blumen (RJ); Carlos Flaquer (SP); Carlos Manso (RJ); Felicitas Mattosch (Paraguai); Ikuko Nagasako (RJ); Marco Faria Lima (RJ); Maria da Glória C. Real (RJ); e Maria Lúcia Pereira (RJ). Cássio Fonteles foi o superintendente da exposição, que teve como médico veterinário, Daniel Couto Uchôa.

Os cães de exposição não são considerados pets. Mesmo que muitos sejam companhia para seus donos, todos eles são mais que isso. São verdadeiros atletas nas pistas. Perseguem os melhores padrões de cada raça e buscam as melhores classificações na avaliação especializada dos juizes.

Ser um criador profissional de cães exige compromisso no incansável trabalho de aperfeiçoamento das raças. São necessários critérios e cuidados na escolha dos animais, seleção dos canis credenciados no Kennel Clube, respeito ao bem-estar dos cães e, acima de tudo, muito amor e responsabilidade.

14:36 · 17.05.2012 / atualizado às 14:36 · 17.05.2012 por
A raça Bulldog Francês está entre as participantes

Os cães de exposição não são classificados como pets. Mas… tudo bem! Eles também podem brilhar neste blog, com muito prazer! Assim, aqui vai uma dica para você que ama cães: Neste sábado e domingo, o Kennel Clube do Estado do Ceará (CBKC) realiza suas exposições. No sábado (19/05), haverá exposições especializadas das raças Rootweiler (8h30) e Pastor Alemão (14h) no campo de futebol do Colégio Militar de Fortaleza (Av. Santos Dumont, 485), com os juízes Sérgio Pizzorno e Celso Machado Pinto.

Cães da raça Boxer, de alta linhagem, também estarão na pista FOTO: Nilton Novais

No mesmo sábado, acontecem mais especializadas das raças Pit Bull terrier (15h), Fila Brasileiro (16h), Bulldog Francês (15h) e American Staffordshire (16), no Colégio Farias Brito (FB Central, na Rua Barão do Rio Branco, 2680), tendo como juízes José Alberto Thiers e Sérgio Pizzorno.

No domingo, a partir das 8h30, também no FB Central, acontecem as exposições gerais das raças com a 10ª Exposição com outorgue da Cacib, a 75ª Exposição Panamericana e a 76ª Exposição Panamericana. Nestas etapas, também participam como juízes José Arnaldo Medeiros e Cláudio Rossi. Vale a pena participar ou, simplesmente, conferir. É muito show!

09:34 · 15.02.2012 / atualizado às 09:34 · 15.02.2012 por
Dalila é uma Boxer meio fora do padrão, mas é super amorosa comigo!

Antes do feriadão do carnaval, recebi uma notícia triste: minha Boxer Dalila, de 8 anos, está com câncer. Tudo começou com um nódulo que apareceu na parte superior da pata traseira. No início, era pequeno, parecia um cisto de gordura. Nas três semanas anteriores à cirurgia, cresceu bastante, ficando do tamanho de um limão grande. Daí corri ao veterinário para tirar. Ao mandar fazer biópsia, não deu outra. Era um câncer!

Ela está sendo acompanhada pelo Dr. Márcio Araújo (Pronto Socorro Veterinário, Av. Visconde do Rio Branco, 3305/ 3252.4171). Já fez uma sessão de quimioterapia e, graças a Deus, aguentou bem a primeira injeção. Serão mais duas. Também está tomando corticoide e Leucogen, para melhorar a imunidade do organismo. A biópsia foi feita no Laboratório Biociências, que fica na Rua 24 de Maio, 1441 (3254.3002). As dicas com os endereços valem, caso você precise algum dia.

A Boxer Dalila desenvolveu instinto de guarda no sítio onde mora

Mas a Dalila está bem! Fezes normais e apetite inalterado. Ganhei ela, já com 10 meses, do amigo Marcelo Santiago. Ela é uma Boxer meio fora do padrão, pois desenvolveu um instituto de guarda que não é tão mansa, como a maioria dos Boxers. Na primeira casa que morou, ficou presa e parece que andou apanhando. Daí ser diferente. Mas comigo e com o tratador Zé, ela é um amor! Também fica mansa durante as consultas veterinárias. O caso da Dalila serve de alerta para qualquer criador: se aparecer algum caroço no seu cãozinho, corra logo ao veterinário! Diagnósticos precoces dão mais chances de cura! Estou confiante que minha Boxer vai se recuperar! Vou passar o feriadão bem pertinho dela. A Dalila adora massagens e o cheirinho inebriante do incenso Breuzinho (diretamente da floresta amazônica!).

18:47 · 11.12.2011 / atualizado às 18:47 · 11.12.2011 por

Os cães de exposição não se classificam como pets, mas também brilham neste blog! Confiram:

Governador Cid Gomes e presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Roberto Cláudio, prestigiam exposições de cães de raça

Handler Wladir Uchoa apresenta cão da raça Boxer durante a exposição. Foto: Viviane Pinheiro

Fortaleza. A Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) e o Kennel Clube do Estado do Ceará (KCEC) realizaram no fim de semana o 1º Evento Cinófilo Conjugado, com a participação de 200 cães de todo o Brasil, no Colégio Farias Brito (FB Central), na Capital.
O presidente do KCEC, Roberto Cláudio Frota Bezerra, avaliou que o evento fecha o calendário de grandes exposições do Kennel em 2011. Deste vez foram exposições internacionais e panamericanas, com os juízes Pedro Teja (Guatemala), Fernando Madeira (Portugal), Mauro Anselmo Alves (Brasil), Daniel Ceres Rubio (Brasil).

A imponência dos Dogues Alemães: Odijas Frota, do Canil Gigantes do Sertão, é o primeiro à esquerda

Pela primeira vez, a CBKC realiza evento fora do Rio de Janeiro. Roberto Cláudio avalia como um reconhecimento da cinofilia cearense, de grande destaque no cenário nacional.
Entre os cães participantes, havia exemplares importados da Rússia, Espanha, Hungria, Inglaterra, numa prova de que os criadores do Estado estão dispostos a aperfeiçoar, cada vez mais, as respectivas raças. Destaque para os cães das raças Boxer, Fila Brasileiro, Bulldog Francês, Bulldog Inglês, Rottweiler, Pastor Alemão e Dogue Alemão.
O diretor de exposições do KCEC, Luís Eduardo Mendes, avalia que a cinofilia cearense registra crescimento expressivo, tanto em relação aos animais participantes das exposições, como na quantidade de registros de pedigree no âmbito do Kennel Clube do Ceará.
Convênio

Os Bulldogs Franceses brilharam na pista! Tem coisa mais fofa?!?

Um grande incentivo para o setor é o convênio assinado entre o KCEC e a Universidade Estadual do Ceará (Uece), para oferta da disciplina obrigatória de Cinotecnia na Faculdade de Veterinária daquela instituição.
O convênio foi assinado no gabinete do governador Cid Gomes, que no sábado, visitou a exposição, acompanhado do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Roberto Cláudio, que também é criador de Boxer.
Durante as exposições, empresas como a Guabi e a Avipec apresentaram produtos.

Se você gostou desta informação, deixe seu comentário!