Busca

Tag: medicina veterinaria


12:35 · 08.09.2018 / atualizado às 12:35 · 08.09.2018 por
Dra. Rosania Ramalho está entre os homenageados na Câmara Municipal de Fortaleza (CMF)

Neste domingo, 9 de Setembro, comemora-se o Dia do Médico Veterinário! Este profissional que tanto faz bem aos nossos amados animais. Sem eles, o que seriam de nossos bichinhos? A atuação do “Dr. Veterinário” é ampla e vem crescendo cada vez mais, com a explosão do chamado “fenômeno pet” em todo o mundo, bem como com os avanços das novas áreas científicas, tais como o Bem-Estar Animal e a Antrozoologia.

Com as pesquisas científicas comprovando cada vez mais que os animais, especialmente os mamíferos, são seres sencientes, ou seja, têm capacidade de sentir sensações e sentimentos de forma consciente (dor, prazer, alegrias e tristezas), aumentam as nossas responsabilidades para com as espécies, muitas consideradas “anjos de quatro patas” por todos nós. E o que será dessa responsabilidade, se não tivermos os valorosos serviços dos médicos veterinários? Eles conhecem, como ninguém, os seus clientes, nossos amados bichinhos, sejam de grande ou pequeno porte, peludos ou com penas, quatro ou duas patas.

E para destacar esta data tão importante no calendário nacional, a Câmara Municipal de Fortaleza, por iniciativa do vereador Márcio Martins, realizará na terça-feira, 11, às 19h, Sessão Solene para homenagear alguns nomes da categoria veterinária. São eles: Rosania Ramalho, Marilac Alencar, Alexandre Rodrigues, Marcone Sampaio, Érica Lage, Maria Nilza Saraiva, José Carlos Cruz, Antônio Sérgio Pessoa, Karina Roberta da Silva, Marcondes Chaves e Flora Dutra.

Dr. Alexandre Rodrigues também ilustra a lista de homenageados pelo Dia do Médico Veterinário

Alguns destes homenageados são parceiros de nosso trabalho em favor do Bem-Estar Animal. Entre eles, a Dra. Rosania Ramalho. A homenagem é um reconhecimento nacional e internacional dos trabalhos que ela vem realizando na vida profissional, tanto na saúde pública como no bem-estar animal. Como reconhecimento internacional, ela foi indicada como profissional em destaque ao 2° Prêmio de Bem-Estar Animal pela World Veterinary Association (WVA), a maior Associação de Veterinários do mundo, representando mais de 500 mil veterinários através de 95 associações de membros veterinários em seis continentes.

“Sinto-me muito honrada pela indicação, principalmente pela parte profissional através do trabalho que exerci no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e agora na Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-Estar Animal (Coepa), como também pelo reconhecimento social e dos colegas de profissão. Quero muito agradecer não apenas à Câmara Municipal de Fortaleza, pela indicação de meu nome, mas também à minha família, amigos, Prefeito Roberto Cláudio, Dr. Nélio Moraes, Toinha Rocha e a todos que tornam possível que eu realize meu trabalho da melhor maneira possível”, afirma Dra. Rosania Ramalho.

No requerimento para a Sessão Solene, o vereador Márcio Martins trouxe esta bela poesia em homenagem ao médico veterinário, de autoria de Sandra Mamede! Confiram:

Dra. Marilac Alencar é mais um nome dos profissionais veterinários a receberem homenagem na Sessão Solene da CMF

Profissionais dedicados
Dos animais muito amigos
Conhecem a sua realidade
E também quando estão em perigo
Não tem galo ou papagaio
Periquito ou cachorro
Todos são seus pacientes
E tratados como gente
Como amor e afeição
Carinho e muita atenção.
Cuidando dos nossos “bichinhos”
Eles também cuidam de nós
Pois quando os vemos sadios
Ficamos felizes lambem
É uma profissão linda
E também abençoada
E a sua clientela
É um pouco complicada
Pois não sabem falar
Muito menos escrever
Mas nem por isso eles deixam
De se fazer compreender.
Parabéns veterinários
Pela sua profissão
Pelo seu dom divino
E a sua dedicação.

 

MAIS INFORMAÇÕES: Câmara Municipal de Fortaleza – (85) 3444.8300.

23:39 · 20.06.2018 / atualizado às 23:39 · 20.06.2018 por
Professor Ricardo Figueredo e participantes da formação em Liderança Solidária no recente encerramento da disciplina

Em geral, o modelo de ensino tradicional envolve a transmissão de informações teóricas feitas pelo professor aos alunos, em sala de aula, seguidas pelo processo de memorização (decoreba) de extensos conteúdos pelos alunos, visando a realização de provas escritas para obter notas com a finalidade de aprovação em uma determinada disciplina. Inovando em relação a este pouco estimulante modelo tradicional de ensino, o curso de Medicina Veterinária da Favet-Uece lançou, de forma inédita, a disciplina optativa denominada Liderança Solidária e Ação Social.

O diferencial desta disciplina é poder associar ensino teórico dinâmico com ações sociais beneficentes além dos muros da universidade, permitindo aos alunos envolvidos o conhecimento e a vivência de contrastes sociais.
Além do professor responsável pela disciplina, Ricardo Figueredo, participam desse processo de ensino colaboradores membros da ONG Grupo Cristão Mãos de Luz (GCML) – voltada para a realização de projetos sociais – bem como empresários especializados em planejamento estratégico (Plataforma Canvas) e “Coaching”, e ainda representantes de instituições caritativas beneficentes.

Os universitários apresentaram os resultados das Caravanas Solidárias

Como responsável pela disciplina e também presidente do GCML, o professor Ricardo Figueiredo afirma que o objetivo principal da disciplina é capacitar os alunos na área de liderança com foco na elaboração de projetos, planejamento e execução de ações sociais, voltadas para públicos vulneráveis (seres humanos e animais), contribuindo para a formação humanística dos alunos na prática, despertando o senso de responsabilidade social.
Diferentemente de outras disciplinas tradicionais, não há prova escrita. Ao contrário, os alunos são avaliados pela sua capacidade em aspectos como: 1- elaborar um projeto de ação social de curta duração; 2-liderar, executar e apresentar os resultados da ação social planejada no período da disciplina.

Para tanto, são ministrados e discutidos com os alunos conteúdos relativos à educação integral (intelectual, emocional e social) e sua relação com a ética, bem como princípios e hábitos eficazes de liderança (incluindo “Coaching”) e estratégias para elaboração e execução de projetos (incluindo o Canvas). Há também aulas práticas de ações sociais bimestrais promovidas pelo GCML, as chamadas Caravanas Solidárias, que são abertas ao público (www.maosdeluz. org.br) nas quais os alunos têm a oportunidade de participar e ver na prática como funciona uma ação social, incluindo a importância da interação humanitária com o público vulnerável assistido.

Fornecida esta base, o aluno é desafiado a redigir o seu próprio projeto e, de forma interdependente, liderar a ação social, escolhendo uma instituição carente a ser beneficiada, determinando e executando estratégias para o recrutamento de voluntários e posterior arrecadação de recursos financeiros e outros produtos. Finalmente, o aluno realiza uma caravana para entrega dos itens arrecadados na instituição escolhida e interação da sua equipe (calor humano) com público alvo vulnerável.

“O resultado da disciplina foi impressionante e superou em muito as nossas expectativas, tanto da coordenação do curso de Veterinária, bem como as minhas, como professor responsável. É importante ressaltar que, por se tratar de uma proposta inovadora e experimental, alguns alunos matriculados ficaram temerosos e optaram por trancar a matrícula. Entretanto, 13 alunos aceitaram o desafio e fizeram história”, afirma o professor Ricardo Figueredo.  “Além dos dois créditos da disciplina, os alunos receberam também da coordenação da Veterinária e do GCML um certificado de coordenador de projeto de ação social que, certamente, fará diferença em seus currí­culos”, completa o professor.

O Lar Tintin foi uma das instituições beneficiadas neste semestre

As Caravanas Solidárias organizadas pelos alunos da Favet obtiveram êxito. Os 13 alunos formaram seis duplas e um aluno ficou inicialmente só. Cada dupla beneficiou uma instituição carente, totalizando sete caravanas: quatro para abrigos de crianças, uma para abrigo de idosos, uma para abrigo de moradores de rua e uma para abrigo de animais.

O encerramento da disciplina ocorreu no dia 6 passado, na sala de aula do Lamofopa (Favet- Uece), com a apresentação de sete seminários organizados pelos alunos. Eles relataram as suas experiências e resultados obtidos na realização das ações sociais.

O propósito agora é estimular outros cursos da Uece, bem como de outras universidades/faculdades, públicas ou privadas, a também ofertarem tal disciplina. “Vale ressaltar que um dos objetivos do planejamento estratégico do GCML é facilitar a implantação da disciplina de Liderança Solidária em instituições de ensino. Por meio do GCML, teremos grande prazer em auxiliar neste propósito“, afirma o professor Ricardo Figueredo.

MAIS INFORMAÇÕES: Disciplina “Liderança Solidária e Ação Social”. Professor Ricardo Figueiredo, (85) 9 9998.4056.

10:46 · 14.09.2017 / atualizado às 11:09 · 14.09.2017 por
No I Seminário para Gestão Animal  foi criado o Pacto de Proteção Animal

O Pacto pela Saúde e Proteção Animal da Cidade de Fortaleza faz logo mais às 14h de hoje, 14, sua primeira reunião na Sala de Comissões da Câmara Municipal de Fortaleza. O Pacto foi criado no dia 28 de agosto último, durante o I Seminário sobre Políticas e Estratégias para Gestão Animal de Fortaleza, numa iniciativa da vereadora Cláudia Gomes, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará (CRMV-CE) e da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais do Ceará (Anclivepa-CE).

A vereadora Cláudia Gomes destaca que o Seminário foi realizado com o objetivo de propor ações, programas e projetos, a partir de experiências de outros Estados. O Pacto atuará neste sentido e em parceria com a Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal, da Prefeitura de Fortaleza. Nesta primeira reunião de hoje, a nova titular da Coordenadoria, Toinha Rocha, estará presente.

Toinha Rocha diz que quer conhecer os objetivos do Pacto. “Vamos apoiar tudo que seja de interesse dos animais como prioridade absoluta”, afirmou.

A coordenadora do CCZ, Rosânia Ramalho, observa que um dos compromissos do Pacto é propor ações de controle populacional de cães e gatos, daí a importância de definir um programa permanente de castração de animais. “É com muita felicidade que nós participamos deste Pacto. Precisamos urgente definir meios de castração em massa de animais em Fortaleza. Daí ser fundamental a participação da nova Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal, com sua titular Toinha Rocha”, afirma Rosania, destacando que a Coordenadoria será oficializada no fim deste mês.

O Pacto pela Saúde e Proteção Animal de Fortaleza tem como integrantes: Faculdade de Veterinária da Uece (Favet-Uece), Lorena de Oliveira; Universidade de Fortaleza (Unifor), Marília Taumaturgo; Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Rosânia Ramalho; Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Thaís Câmara; Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará (CRMV-CE), Adriana Wanderley; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE), Lucíola Maria Aquino; Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais do Ceará (Anclivepa-CE), Alice Gonçalves; Câmara Municipal de Fortaleza, vereadora Cláudia Gomes; e a represente das ONGs de Proteção, Ana Tereza Mattos Marques de Sousa Ponte.

Vale destacar que já existe na Câmara Municipal de Fortaleza a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Animais, presidida pelo vereador Célio Studart; tendo na vice-presidência da vereadora Cláudia Gomes; na relatoria,  a vereadora Larissa Gaspar e como membros os vereadores Ésio Feitosa e Márcio Martins.

“A Frente Parlamentar em Defesa dos Animais da Câmara Municipal de Fortaleza congrega um grupo plural de vereadores. Os parlamentares reuniram-se nesta iniciativa, posto o interesse na garantia da defesa do bem-estar animal. Neste sentido, os vereadores deverão deliberar, fazer proposições, operacionalizar ações, nos mais diversos campos de atuação de defesa animal. Desta forma, a Frente auxiliará na realização dos trabalhos da Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal, assim como outras iniciativas as quais tenho como finalidade a defesa da causa animal”, destaca o vereador Célio Studart. “O nosso objetivo é a união para dar celeridade às ações da causa e, assim, também esperamos estar juntos nas ações, como as do Pacto e as demais que promovam o bem- estar animal”.

MAIS INFORMAÇÕES: Pacto pela Saúde e Proteção Animal da Cidade de Fortaleza. Reunião hoje, 14,  14h, na Sala de Comissões da Câmara Municipal de Fortaleza. (85) 3444.8351/ 3444.8300

21:33 · 08.09.2017 / atualizado às 21:33 · 08.09.2017 por

9 de Setembro é o Dia do Médico Veterinário! Vivas para este profissional que traz tantas felicidades para nós e nossos queridos animais, sejam eles cães, gatos, pássaros, peixes, roedores, cavalos, bovinos, caprinos, ovinos… e tantas outras espécies de bichos que tanto amamos. E como não poderia deixar de ser, o Blog Bem-Estar Pet e a Revista Bem-Estar Animal, do Diário do Nordeste, rendem homenagens a todos os veterinários!

Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará (CRMV-CE), Célio Pires Garcia

Nesta segunda-feira, dia 11, a partir das 19h, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará (CRMV-CE), presidido pelo Dr. Célio Pires Garcia, e a Associação Nacional de Clínicas Veterinárias de Pequenos Animais do Ceará (Anclivepa-CE), presidida pela Dra. Alice Gonçalves,  realizam a Semana do Veterinário, com um ciclo de palestras, na sede da Anclivepa. A Revista Bem-Estar Animal, com sua segunda edição, estará presente ao evento, entregando exemplares a todos os profissionais.

O presidente do CRMV-CE, Célio Pires, destaca que a categoria só tem a comemorar na data alusiva aos profissionais. A Medicina Veterinária é uma das áreas do conhecimento que mais cresce no País, especialmente no Ceará. Acompanhando esta tendência, já existem oito Cursos de Veterinária no Estado: Favet-Uece (Fortaleza), Faculdades Inta (Sobral), Fatene (Caucaia), Faculdade Cisne (Quixadá), Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Fortaleza (Unifor), Unileão (Juazeiro do Norte), UJN (Juazeiro do Norte) e o curso da Universidade Federal do Cariri (os dois últimos já regulamentados mas ainda não iniciados).

No Ceará, atuam cerca de três mil médicos veterinários nas mais diversas áreas, não só diretamente no cuidado de pequenos ou grandes animais, mas em atividades de inspeção e afins da saúde pública.

Presidente da Anclivepa-CE, Dra. Alice Gonçalves

Com a explosão do fenômeno pet, pelo qual os animais de estimação ganharam o status de membro das famílias, a área de pequenos animais é uma das que mais crescem. “Quero, em nome da Anclivepa-CE, parabenizar todos os nossos colegas médicos veterinários pelo Dia 9 de Setembro. Desejo sucesso profissional a todos, enaltecendo o crescimento das clínicas veterinárias, dando mais oportunidade à população no atendimento do seu animal de estimação. Hoje contamos com colegas especializados em tratamentos específicos. Deixo aqui o nosso abraço Anclivepeano a todos os colegas”, destaca a Dra. Alice Gonçalves.

Na sede da Anclivepa-CE, a Semana do Veterinário começa às 19h, com a Palestra “Raiva – Etiopatogenia, Aspectos Epidemiológicos e Avanços no Controle”, proferida pelo Dr. Nélio Batista, médico veterinário e coordenador de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza. Em seguida, às 20h30, acontece a palestra “Animais Silvestres – Aspectos Legais e Principais Doenças na Clínica”, apresentada pelo Dr. Reinaldo Leite Viana Neto, médico veterinário membro da Comissão de Pequenos Animais.

HISTÓRIA

O presidente do CRMV-CE, Dr. Célio Pires, traz a história da profissão no País e no Ceará. Data de 1913, a primeira Faculdade Nacional de Medicina Veterinária, hoje Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Segunda edição da Revista Bem-Estar Animal será distribuída na Anclivepa-CE, durante a Semana do Veterinário

A data de 9 de Setembro como Dia do Veterinário foi instituída em 1932, pelo então presidente Getúlio Vargas, por meio do Decreto 23.133, onde ele oficializa a profissão. No ano seguinte, a data é reconhecida por todos os profissionais veterinários.

No dia 23 de outubro de 1968, com a Lei Federal 5.517, a profissão é regulamentada, sendo criados os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária. Cinco anos antes, porém, no Estado, já funcionava o ensino desta área do conhecimento, com a Faculdade de Medicina Veterinária do Ceará, encampada pela UECE, com a sua criação em 1975.

O presidente do CRMV-CE, Dr. Célio Pires, destaca que a instituição tem visitado  todos os cursos no Estado e constatado a qualidade dos mesmos, tanto em infraestrutura, equipamentos e recursos humanos.

MAIS INFORMAÇÕES: Semana do Veterinário, segunda-feira, 11 de setembro, na sede da Anclivepa, a partir das 19h.

23:54 · 16.12.2015 / atualizado às 23:54 · 16.12.2015 por

Hospital Fatene castração 12376606_10153731126049259_4088510771933653731_nA Policlínica Veterinária Metropolitana (HVM), do Curso de Medicina Veterinária da Fatene (Campus Caucaia), realiza no sábado, 19, o Mutirão de Natal para castração de cães e gatos. A triagem dos animais e entrega das senhas serão feitas nesta sexta-feira, 18, de 8 às 15h. Segundo destaca um dos professores do curso, o médico veterinário Antônio Mota, nessa triagem serão feitos avaliação clínica do animal e hemograma. O público-alvo são os pets da comunidade de Caucaia.

“Este é o primeiro mutirão de castração. Nosso objetivo é auxiliar a comunidade mais carente. Faremos um mutirão por mês. O próximo será em janeiro, com a data a confirmar”, explica ele.

Do mutirão participam os veterinários de Cirurgia e Clínica, Cynthia Barata e Richard Ferraz (além de Antônio Mota), e a veterinária de Patologia Clínica Michelle Costa. Também participam cerca de 20 alunos do curso da Fatene.

A Policlínica Veterinária Metropolitana funciona para o público desde junho passado, no bairro Parque Soledade, em Caucaia, no horário de 8 às 17h, de segunda a sexta-feira. Os veterinários que atuam são professores da Fatene.  O atendimento destina-se a cães, gatos, equinos, e também bovinos, ovinos, suínos e animais silvestres (a unidade possui serviços terceirizados).

Mais informações: Policlínica Veterinária Metropolitana (HVM) – Rua Francisco Djalma Soares, 1130, Bairro Parque Soledade, Caucaia. Horário de Funcionamento, de 8 às 17h, de segunda à sexta-feira. (85) 3368.9359 www.hvm.vet.br

Saiba mais:

A Policlínica Veterinária Metropolitana mantem os seguintes serviços:

– Atendimento Clínico ambulatorial especializado em cães, gatos e animais de grande porte. Realiza diversos procedimentos como: consultas, vacinas, colheita e envio de material para laboratório, emergência ambulatorial, dentre outros.

– Antedimento Cirúrgico: O Centro Cirúrgico do HVM é considerado atualmente como um dos melhores da região. Com uma estrutura física ampla, dispõe de equipamentos e materiais modernos, equipe cirúrgica especializada para propiciar aos pacientes um tratamento cirúrgico adequado e seguro.

– Exames Laboratoriais: O Laboratório de Análises Clínicas propõe-se a auxiliar o diagnóstico clínico, realizando um número variado de exames nas áreas de hematologia, bioquímica clínica, parasitologia e microbiologia. Oferece aos pacientes laudos rápidos e confiáveis.

– Reprodução Animal: O Laboratório de Reprodução Animal realiza atendimentos a animais de pequeno e de grande porte, nas áreas de Ginecologia, Andrologia e Obstetrícia Veterinária, com uma completa infraestrutura que possibilita o desenvolvimento de diversas técnicas de reprodução.

Sobre a Fatene:

– A Faculdade de Tecnologia do Nordeste (Campus Fortaleza) e a Faculdade Terra Nordeste (Campus Caucaia) são instituições de Ensino Superior, mantidas pela Sociedade Universitária de Desenvolvimento Profissionalizante S/S – Sudep Fatene. A Sudep é formada por um grupo de professores universitários com larga experiência na gestão educacional nas áreas de Informática, Gestão e notadamente na educação superior como um todo.

14:23 · 27.05.2014 / atualizado às 14:23 · 27.05.2014 por

A criadora de cães, Adriana Ribeiro, diz que a casa dela está infestada de ratos.”Tenho dois cães adultos e estou com muito medo da leptospirose,pois os cachorros mordem os ratos”, diz ela, que quer saber quais as vacinas para combater a possível doença. Confira o que o médico veterinário, Márcio Araújo, do Pronto Socorro Veterinário, orienta sobre o assunto!

Dr. Márcio Araújo, do Pronto Socorro Veterinário
Dr. Márcio Araújo, do Pronto Socorro Veterinário

Márcio Araújo*: “A leptospirose é uma doença transmitida pela urina de ratos contaminados para os nossos cães e, eventualmente, para as pessoas. Para evitar a contaminação, temos que vacinar os nossos cães anualmente. E no caso da possível presença de ratos, temos que tomar algumas medidas de manejo, como recolher as fezes dos animais, não deixar alimento exposto nos potes ou mesmo armazenar os sacos de ração em local protegido. O controle de ratos é essencial para o controle da leptospirose. A incidência da doença aumenta nos meses de chuva devido às enchentes e enxurradas que acabam espalhando a bactéria presente na urina do rato. Assim, mesmo aquela urina que ficava fora da área do cão, pode chegar até ele através da água de chuva. A vacinação anual com as vacinas polivalentes protegem contra dois sorotipos (Octupla) ou quatro sorotipos (Dectupla) mais comuns no Brasil, porém a sua eficácia é somente de 6 a 8 meses. Por esse motivo, animais que vivem em casas ou em áreas com presença de ratos devem ser vacinados a cada 6 meses contra a leptospirose (uma vez junto com a vacina anual e 6 meses depois somente contra a leptospirose). As outras vacinas continuam a ser feitas anualmente, de acordo com a indicação do Médico Veterinário. Lembre-se que cada animal pode ter um protocolo de vacina”.

*Médico veterinário formado pela Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará e proprietário do Pronto Socorro Veterinário, Rua Visconde do Rio Branco, 3305, Fortaleza (CE) – (85) 3252.4171

10:45 · 09.04.2014 / atualizado às 10:45 · 09.04.2014 por

Na Coluna Dr. Vet desta semana, o médico veterinário Alisson Ximenes fala sobre uma doença degenerativa crônica em cães! Confiram:

Médico veterinário Alison Ximenes
Médico veterinário Alison Ximenes

Alisson Ximenes* : “O osteoartrose é uma doença degenerativa progressiva crônica, geralmente de evolução lenta, associado ao envelhecimento natural e sem tratamento curativo.

Os principais fatores predisponentes para a lesão articular são a sobrecarga mecânica ou a instabilidade articular. Portanto, a osteoartrose é conse-quência de uma carga anormal sobre uma articulação normal ou de uma carga normal sobre uma articulação anormal.

Os sinais clínicos são dores articulares, alterações posturais, dificuldade de locomoção, diminuição da amplitude de movimento articular, derrame articular e inflamação local que pode ter graus variáveis. Nas fases iniciais as dores são pouco manifestadas, de forma que, quando o animal chega para o atendimento, em geral, as articulações estão em fase adiantada de degeneração. Portanto, se torna extremamente importante o acompanhamento veterinário para animais geriátricos, pois esta e outras doenças podem ser diagnosticadas e tratadas mais precocemente.

Animais obesos, afecções associadas, cirurgias ortopédicas ou traumatismos anteriores, locais com excesso de escadas ou com piso liso contribuem para a instabilidade ou sobrecarga articular. Normalmente durante a avaliação física, a articulação comprometida mostra-se dolorosa a palpação e mobilização, apresentando crepitação nos estágios mais avançados, discreto aumento de volume articular, diminuição da amplitude de movimento, podendo ou não haver atrofia muscular e deformidades.

O diagnóstico é feito com base nos exames clínico e físico, sendo confirmado com exames radiográficos específicos.

Os objetivos do tratamento são: aliviar a dor, retardar o processo de evolução da doença, minimizar os sintomas, aumentar a amplitude de movimento articular e fortalecer a musculatura. A fisioterapia associada ou não com o uso de antiinflamatórios específicos vem a colaborar no tratamento.

Se o seu animal sofre com os problemas decorrentes do envelhecimento, ofereça a ele a qualidade de vida necessária para que esteja ao seu lado por mais tempo”.

* Médico Veterinário formado pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Favet-Uece) e pós-graduado pela Universidade Paulista (Unip) em Fisioterapia e Ortopedia Veterinária. Trabalha na empresa Reabilipet – (85)9699.1547 /30633835 www.Facebook.Com/reabilipet http://reabilipet.Blogspot.Com.Br

 

15:37 · 06.03.2014 / atualizado às 15:37 · 06.03.2014 por

Na Coluna Dr. Vet desta semana (também publicada na Página de bem-Estar Animal do Diário do Nordeste), o médico veterinário Alison Ximenes, fala sobre o problema de pets muito gordos (obesos)! Confiram!

Médico veterinário Alison Ximenes
Médico veterinário Alison Ximenes

Dr. Alison Ximenes*: A obesidade é a forma mais comum de má nutrição de cães e gatos. Seu tratamento é necessário como qualquer outra enfermidade. A obesidade trata-se de uma condição patológica caracterizada por um acúmulo de gordura maior que o necessário para otimização das funções do corpo. É mais comum em fêmeas do que em machos.

Os efeitos físicos de carregar um excesso de peso colaboram para o aparecimento de problemas articulares e locomotores e para o desenvolvimento de artrite, contribuindo para que o animal venha a apresentar intolerância ao exercício. Estudos mostram forte associação entre o excesso de gordura e a osteoartrite coxofemoral em cães com predisposição à displasia.

A prevenção da obesidade deve ser o objetivo principal da alimentação de cães e gatos (principalmente os castrados). Devendo propiciar menor consumo diário de calorias pelo animal e/ou aumentar o seu gasto energético diário.

Seu tratamento é feito através de alimentação específica. Grande parte dos cães obesos que vão à clínica estão comendo alimento inadequado para sua fase de vida e por isso acabam se tornando obesos.

Atentem sempre para isso: animal adulto não pode comer ração de filhote!

Assim como em qualquer dieta, a prática de exercícios é fundamental. No entanto, o animal deve passar por uma avaliação com um veterinário especialista ou que trabalhe com obesidade.

Perda gradual

As orientações devem ser seguidas e a perda de peso não pode ser brusca, e sim gradual. Exames complementares são necessários mesmo nos animais jovens. A causa da obesidade deve ser sempre investigada, visto que, doenças metabólicas podem cursar com obesidade.

Os exercícios e brincadeiras ajudam a diminuir a ansiedade do animal que é muitas vezes descontada na comida.

A principal causa do insucesso do tratamento é a desistência do proprietário. Por isso, o ideal é que o monitoramento do paciente seja realizado de forma regular, para que cão e, principalmente o dono, se mantenham motivados.

O exercício físico, quando usado em combinação com terapia dietética promove perda de gordura e pode ajudar na preservação do tecido magro durante a terapia de perda de peso. Um bom programa de exercícios deve ser iniciado lentamente. O objetivo básico do tratamento da obesidade é criar uma situação de balanço energético negativo. A fisioterapia veterinária apresenta exercícios físicos como uma forma mais eficiente de aumentar o gasto energético em cães com sobrepeso.

* Médico veterinário formado pela Universidade Estadual do Ceará (Uece) e pós-graduado pela Universidade Paulista (Unip) em Fisioterapia e Ortopedia Veterinária. Trabalha atualmente na empresa Reabilipet. (85) 9699.1547 / (85) 30633835 www.facebook.com/reabilipet http://reabilipet.blogspot.com.br/

15:34 · 12.02.2014 / atualizado às 15:34 · 12.02.2014 por

Na Coluna Dr. Vet desta semana, o médico veterinário Dr. Wesley Lyeverton Correa Ribeiro fala sobre prevenção de verminoses em cães e gatos! Confira!

Médico veterinário Wesley Ribeiro
Médico veterinário Wesley Ribeiro

Dr. Wesley Ribeiro* : Cães e gatos podem albergar uma grande variedade de vermes gastrintestinais que comprometem sua saúde. Alguns desses parasitos podem ser transmissores de doenças zoonóticas, isto é, aquelas que acometem os seres humanos.

Os parasitos do gênero Toxocara spp, por exemplo, que tem como hospedeiros definitivos o cão e o gato, podem comprometer a saúde do homem que, após ingestão de ovos, as larvas eclodem na luz e penetram na mucosa intestinal, migram pelo sangue para vários órgãos, podendo ocasionar febres intermitentes, perda de peso, diarreias, tosse, falta de ar, problemas neurológicos e de visão.

Os animais com verminose podem apresentar: comprometimento na digestão e absorção dos alimento, falta de apetite, perda de peso, fraqueza, pelos eriçados e sem brilho, aumento

de volume e dor abdominal, vômitos e diarreia e anemia. Com frequência, os animais “arrastam” a região perianal em superfícies, denotando a presença de prurido (coceira).

Dentre as várias manifestações de verminose, a observação pelo proprietário da presença devermes nas fezes é o quadro mais frequentemente relatado.

Em cães e gatos existem várias vias de infecção por nematoides, tais como a via oral, quando a infecção se dá pela ingestão de ovos, oocistos ou larvas infectantes encontradas no solo e/ou pela ingestão de hospedeiros intermediários infectados (pequenos roedores, aves,

insetos e parasitas externos), via percutânea, quando as larvas penetram através da pele do animal, a via trans-uterina e a via galactogênica (através do aleitamento).

Algumas medidas gerais de controle devem ser atentadas pelos proprietários: exames de fezes devem ser realizados nos animais ao menos duas vezes ao ano, vermifugar fêmeas antes da cobertura, com 42 dias de gestação e 21 dias após o parto. Em filhotes oriundos de ninhada muito infectada, a vermifugação de ser realizadas aos 15, 30, 45 e 60 dias de vida, com reforço sempre a cada quatro meses.

Em filhotes de gatos, deve-se iniciar o procedimento na 3ª ou 4ª semanas de vida, repetindo aos 60 e 120 dias, com reforço a cada quatro meses.

Mesmo que o tratamento de animais acometidos por verminose seja relativamente fácil, é importante o acompanhamento periódico do animal pelo médico veterinário para que esse institua uma estratégia específica para cada caso, ao avaliar de forma correta as condições do ambiente em que o animal vive e determinar a frequência com que a vermifugação deve ser feita e quais vermífugos devem ser utilizados.

* Médico veterinário, mestre em Ciências Veterinárias e, atualmente, é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Estadual do Ceará (Uece). wesleylyeverton@yahoo.com.br

16:13 · 21.08.2013 / atualizado às 16:13 · 21.08.2013 por
Veterinária Annice Cortez é uma das coordenadoras do Grupo de Estudos de Pequenos Animais, e professora da Faculdade de Veterinária da Uece
Veterinária Annice Cortez é uma das coordenadoras do Grupo de Estudos de Pequenos Animais, e professora da Faculdade de Veterinária da Uece

Fortaleza. Estudantes de Medicina Veterinária do Ceará terão oportunidade de aprofundarem os conhecimentos sobre pequenos animais (cães e gatos) durante evento marcado para o período de hoje a sábado (21 a 24 de agosto), no Campus do Itaperi, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), nesta Capital.

Professora Annice Cortez (à esquerda) é uma das coordenadoras do Grupo de Estudos que reúne estudantes da Favet-Uece. Ela também atende no Hospital Veterinário, onde os alunos aprendem os procedimentos clínicos FOTO: JOSÉ LEOMAR

Nestes dias, acontece o I Ciclo de Palestras promovido pelo Grupo de Estudos de Pequenos Animais (Gepa), coordenado pelas professoras Annice Cortez, da disciplina de Prática de Clínica Médica de Pequenos Animais; e Ana Karine Leite, da área de Patologia Clínica, ambas da Faculdade de Medicina Veterinária, da Uece (Favet).

O professor Erasmo Miessa fará a palestra de abertura hoje, às 17h, sobre o tema “Tanatologia Veterinária”, aberta ao público interessado. Na quinta-feira, a programação segue de 17h30 às 21h, com o foco nos dagnósticos por imagem.

Na sexta-feira, as palestras têm início às 13h30, e prosseguem até as 19h. No sábado, o horário de trabalho será a partir das 8h até as 17h. Annice Cortez explica que nestes dois últimos dias os participantes conhecerão diversos aspectos relacionados às cirurgias em pequenos animais. “O evento a dirigido a estudantes e profissionais da Medicina Veterinária de todo o país”, afirma a professora.

As inscrições podem ser feitas até mesmo no primeiro dia do evento. Para os estudantes, o valor da participação é R$ 40,00, ficando em R$ 80,00 para os profissionais. O evento objetiva aprofundar os conhecimentos da Medicina Veterinária de pequenos animais.

O Gepa existe há um ano e reúne alunos da Faculdade de Veterinária da Uece. Eles se encontram periodicamente para discussão de casos clínicos e estudos de artigos científicos.

Mais informações:

I Ciclo de Palestras sobre pequenos Animais, promovido pelo Gepa
De 21 a 24 de agosto, auditório da Uece, Campus do Itaperi
(85) 8828.3513/ 8628.3711