Busca

Categoria: Cinema Cearense


09:10 · 17.10.2017 / atualizado às 09:11 · 17.10.2017 por
Cineteatro São Luiz, em Fortaleza

O Cineteatro São Luiz, em Fortaleza, abre chamada para seleção e contratação de 20 curtas-metragens brasileiros de ficção, documentário e animação produzidos no período de 2007 a 2017.

Os filmes receberão cada um o valor bruto de R$ 1.000,00 (hum mil reais) pelo direito de exibição em mostra específica no Cineteatro São Luiz, no período de 22 a 24 de novembro de 2017. Após esse período, os filmes selecionados serão incorporados ao acervo permanente do Cineteatro São Luiz, que poderá dispor de novas exibições, desde que com entrada gratuita, sem fins lucrativos.

A inscrição para a 1ª Mostra São Luiz de Filmes de Curta-metragem Brasileiros é gratuita e se realizará entre os dias 16 de outubro a 19 de novembro de 2017, pelo site, sendo facultada a inscrição de mais de um filme por proponente, desde que o material de inscrição seja encaminhado separadamente (para cada filme uma inscrição).

Segundo o programador e curador do Cinema do Cineteatro São Luiz, Duarte Dias, a 1ª Mostra São Luiz de Filmes de Curta-metragem Brasileiros tem por finalidade exibir a diversidade temática e de gênero de obras nacionais no Cineteatro São Luiz, havendo ainda, caso haja aquiescência dos detentores dos direitos patrimoniais das obras, a possibilidade das mesmas virem a compor o acervo da PROGRAMADORA CEARÁ, iniciativa prevista no Programa Estadual de Desenvolvimento do Audiovisual e da Arte e Cultura Digital, Ceará Filmes, lançado em maio desse ano e que visa disponibilizar gratuitamente, para o conjunto dos cineclubes cearenses, produções brasileiras de curta, média e longa duração.

 

10:12 · 09.10.2017 / atualizado às 10:12 · 09.10.2017 por
Júri da crítica premiou o curta carioca “Mercadoria”, de Carla Villa-Lobos (UFRJ)

O 16º NOIA – Festival do Audiovisual Universitário, um dos mais importantes encontros culturais do País que dá espaço para a produção artística acadêmica, anunciou os vencedores do ano no último domingo (8), na CAIXA Cultural Fortaleza.

Integrante da Mostra Brasileira de Cinema Universitário, o curta-metragem paranaense “Luíza”, de Caio Baú (UNESPAR), foi eleito o melhor do ano pelo júri oficial, além de ter levado o Troféu Noia de melhor fotografia.

Destaque também para “Mercadoria”, de Carla Villa-Lobos (UFRJ), reconhecido pela direção, roteiro e prêmio da crítica. Fervendo, de Camila Gregório (UFRB), recebeu três troféus: montagem, melhor atriz e intérprete coadjuvante.

A Mostra Cearense de Cinema Universitário, que exibiu sete produções realizadas no Estado, passou pelo voto popular, que elegeu “O Vigia”, de Priscila Smiths e P. H. Diaz (IFCE), a melhor produção local desse ano.

LISTA COMPLETA DE PREMIADOS DO 16º NOIA:

MOSTRA BRASILEIRA DE CINEMA UNIVERSITÁRIO
Melhor Filme (Júri Oficial): Luíza, de Caio Baú (UNESPAR)
Melhor Filme (Júri Popular): Simbiótica, de Gabriel Marques e Letícia Medina (UFC)
Melhor Filme (Júri da Crítica): Mercadoria, de Carla Villa-Lobos (UFRJ)
Melhor Direção: Carla Villa-Lobos, por Mercadoria (UFRJ)
Melhor Atriz: Aíla Oliveira, por Fervendo (UFRB)
Melhor Ator: Tiago Rener, por Perambulação (UEG)
Melhor Intérprete Coadjuvante: Emanuele Macedo, por Fervendo (UFRB)
Melhor Roteiro: Mila Teixeira, por Mercadoria (UFRJ)
Melhor Montagem: Camila Gregório, por Fervendo (UFRB)
Melhor Fotografia: Murilo Lazarin, por Luíza (UNESPAR)
Melhor Direção de Arte: Victória Bastos e Carolina Aleixo, por Vazio do Lado de Fora (UFF)
Melhor Trilha Sonora: Enquanto Calam-me os Agudos, de Laís Perini, Laysa Elias e Letícia Bina (SENAC)
Melhor Edição de Som: Fora de Quadro, de Txai Ferraz (UFPE)
Melhor Figurino: Algum Romance Transitório, de Caio Casagrande (UFRJ)
Melhor Maquiagem: Simbiótica, de Gabriel Marques e Letícia Medina (UFC)

MOSTRA CEARENSE DE CINEMA UNIVERSITÁRIO
Melhor Filme (Júri Popular): O Vigia, de Priscila Smiths e P.H. Diaz (IFCE)

MOSTRA CEARENSE DE BANDAS UNIVERSITÁRIAS
Melhor Banda (Júri Oficial): Forria (UECE/UFC)
Melhor Música Autoral (Júri Oficial – empate): O Lobisomem do Jangurussu, de Pedro Anderson, Jefferson Luan, Wilker Andrade e Jefferson Castro, da banda Caixeiros Viajantes (UECE/FANOR), e Topique Psicossensorial, de Igor Gonçalves, da banda Terceiro Olho de Marte (UNIFOR)
Melhor Banda (Júri Popular): Vento Mareia (FANOR/UECE)

MOSTRA CEARENSE DE FOTOGRAFIA UNIVERSITÁRIA
Melhor Fotografia (Categoria Individual): Protesto da Juventude, de Alex Gomes (Estácio de Sá)
Melhor Fotografia (Categoria Série): Transparência, de Renan de Oliveira (UFC)

10:18 · 04.10.2017 / atualizado às 10:18 · 04.10.2017 por
Filme dirigido por Márcio Del Picchia faz parte da programação da Semana do Audiovisual Cearense

O curta-metragem “Diz a Lenda”, dirigido por Márcio Del Picchia, será lançado no próximo dia 11 de outubro, às 19h, no Cineteatro São Luiz, durante a Semana do Audiovisual Cearense, com mostras de filmes locais.

O filme conta uma história ficcional que traz como base um desafio de cordel, ácido e bem humorado. O cordel que inspirou o roteirista e diretor Márcio Del Picchia é “Cantoria de Excelência”, do escritor, poeta, cordelista, compositor e juiz federal cearense, Marcos Mairton. O juiz ficou famoso ao proferir a primeira sentença em formato de cordel e logo se notabilizou por outras publicações.

De acordo com Del Picchia, a intenção foi levar através da sétima arte, o que pensam e dizem os nossos poetas populares sobre o cotidiano da política. “É um dos poucos filmes nacionais que se inspiram na literatura de cordel como mote. E ainda mais um cordel que aborda as mazelas dos nossos políticos, quer dizer, dos políticos em geral de um país fictício”, enfatiza.

Sem financiamento público, “Diz a Lenda” teve um custo de R$ 30 mil e o enredo se passa na Câmara Municipal de Aracati, no Litoral Leste do Estado, prédio histórico do Poder Legislativo, palco da política real do Município e da trama ficcional do curta.

A escolha do cenário, além de representar a atmosfera que o filme requer, tem a ver com as próprias preferências do cineasta. Marcio Del Picchia é um paulistano erradicado em Canoa Quebrada, apaixonado pelo Ceará, intelectual inquieto que sente a necessidade de popularizar o cinema, propondo reflexões a partir dos temas que apresenta, além de contribuir para o desenvolvimento cultural da terra que o acolheu.

07:55 · 04.10.2017 / atualizado às 07:55 · 04.10.2017 por
“António Um Dois Três”, longa-metragem de Leonardo Mouramateus, ganha primeira exibição em Fortaleza

Filmes inéditos no Ceará são destaques na Mostra Cinema e Resistência, que exibirá 11 obras de importantes realizadores nacionais e internacionais, de 5 a 11 de outubro de 2017, no Cinema do Dragão, sempre às 19h30. As entradas poderão ser retiradas gratuitamente na bilheteria do cinema a partir das 17h. Serão liberadas até duas entradas por pessoa.

Entre os filmes está o aguardado “Zama”, de Lucrecia Martel, uma das mais importantes realizadoras do cinema contemporâneo e uma das maiores representantes do cinema latino-americano. É o primeiro longa adaptado da literatura que Lucrecia dirige, além de ser o representante argentino para as premiações no Oscar e no Goya.

“António, Um, Dois, Três”, do realizador cearense Leonardo Mouramateus, que retrata três momentos diferentes da vida do jovem António, que passa por uma fase complicada: ao mesmo tempo, está tendo que lidar com o desemprego, a falta de moradia em Lisboa e, principalmente, um reencontro inesperado com sua ex-namorada, o que o faz iniciar um rico processo de construção de memórias. No dia da exibição, estarão presentes o desenhador de som do filme, Tomás von der Osten, e a produtora, Clara Bastos, para um debate com o público.

“São filmes feitos da forma que se quer fazer, há uma visão clara do que se busca e são obras imensamente lúcidas. Não há concessões quanto ao tema de indústria ou por qualquer parâmetro comercial”, conta o curador Pablo Arellano.

Outra produção de estreia em terras alencarinas é “Era uma vez Brasília”, dirigido por Adirley Queirós. O filme é um híbrido de ficção e documentário. A história começa mostrando o agente intergaláctico WA4 recebendo a missão de chegar ao planeta Terra e matar o presidente Juscelino Kubitschek no dia da inauguração da capital federal. A nave se perde no tempo e aterriza em 2016, em Ceilândia.

Na programação também estão os curtas-metragens “Baunilha” (PE), de Leo Tabosa; “Nanã” (PE), de Rafael Amorim; “Ameaçados” (RJ), de Julia Mariano, e “Os Cuidados que se Tem com o Cuidado que os Outros Devem Ter Consigo Mesmos” (SP), de Gustavo Vinagre. Completam a Mostra os longas “Samuray-S” (Argentina), de Raul Perron; “Caribbean Fantasy” (República Dominicana), de Johanne Gomez; “Todos Vos Sodes Capitans” (Espanha), de Oliver Laxe, e “A Parte do Mundo que me Pertence” (MG), de Marcos Pimentel.

07:24 · 03.10.2017 / atualizado às 07:32 · 04.10.2017 por
Curta-metragem baiano “Fervendo”, de Camila Gregório, integra competição de filmes do NOIA

Até domingo (8), o 16º NOIA – Festival do Audiovisual Universitário reúne a produção universitária brasileira nas linguagens artísticas cinema, fotografia e música na CAIXA Cultural Fortaleza. Durante seis dias, o evento promoverá a exposição dessas obras, o diálogo com os realizadores e a realização de atividades formativas.

Os curtas-metragens serão divididos em dois programas. A Mostra Brasileira de Cinema Universitário exibirá 21 produções de nove estados e o Distrito Federal. Já a Mostra Cearense de Cinema Universitário apresentará, em competição especial, sete curtas-metragens locais. Os filmes selecionados concorrerão ao Troféu Noia nas seguintes categorias: melhor curta-metragem (júri oficial, júri popular e júri da crítica), direção, roteiro, montagem, edição de som, trilha sonora, fotografia, direção de arte, figurino, maquiagem, atriz, ator e intérprete coadjuvante. A Mostra Cearense também premiará o melhor filme de acordo com o voto popular.

Compõem o júri oficial da Mostra Brasileira de Cinema Universitário: Marcelo Dídimo, professor do curso de Graduação em Cinema e Audiovisual e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC), Salomão Santana, cineasta e programador, e Verônica Guedes, cineasta e produtora. O júri da crítica será organizado, mais uma vez, pela Associação Cearense de Críticos de Cinema, e contará com a jornalista Adriana Martins, o crítico Ailton Monteiro e o crítico e programador Pedro Azevedo.

Já a Mostra Cearense de Bandas contará com apresentação de nove grupos, marcados pela diversidade de ritmos e gêneros, entre eles rock alternativo, indie rock e MPB. Os vencedores serão escolhidos por voto popular e pelo júri oficial. O Troféu NOIA será concedido nas categorias: melhor banda (júri oficial e júri popular) e melhor música autoral (júri oficial). O júri oficial será formado pelo músico Berg Menezes, pelo professor e compositor Daniel Escudeiro e pela produtora cultural Nádia Sousa.

Além disso, dez trabalhos fotográficos compõem a Mostra Cearense de Fotografia, sendo seis na categoria individual e quatro na categoria coletiva. O júri, composto pelo professor e fotógrafo Carlos Gibaja e pela gestora cultural e coordenadora do Fórum Cearense de Fotografia, Glícia Gadelha Teixeira, concederá o Troféu Noia na categoria de Melhor Fotografia e Melhor Série.

Seminário e Fórum

Dois importantes encontros serão sediados durante o Noia. O Seminário do Audiovisual Universitário acontece dia 05 de outubro, também na CAIXA Cultural Fortaleza, com palestra de professores locais e presença especial de bolsistas de diversas faculdades e cursos técnicos de Fortaleza, dos alunos selecionados para o Festival, além do público em geral interessado, com foco na discussão do fazer audiovisual na academia.

Já o Fórum do Audiovisual Universitário acontecerá dia 06 de outubro, com a presença de estudantes representantes das faculdades e cursos técnicos do Ceará, junto com os cineastas nacionais e locais selecionados, com o objetivo de construir uma pauta de reivindicações para aprimorar a formação, produção e difusão do audiovisual universitário nacional nos ambientes acadêmicos e culturais.

Os interessados devem realizar inscrição prévia no site oficial do Festival Noia.

12:38 · 18.08.2017 / atualizado às 12:40 · 18.08.2017 por

II Mostra Sesc de Cinema está com inscrições abertas para produções cinematográficas até o dia 1º de outubro de 2017 pelo site oficial. A Mostra avalia obras já prontas, curtas e longas-metragens de produtores nacionais, divulgando trabalhos em todo o Brasil.

A avaliação dos trabalhos é realizada por uma comissão formada por profissionais e especialistas das áreas de cultura e de cinema que escolhem, além dos melhores trabalhos, os destaques de cada categoria: melhor roteiro, filme, direção de fotografia, desenho de som, direção de arte, direção de elenco, montagem, atriz e ator.

A seleção dos trabalhos é dividida em duas fases: a primeira vai exibir os filmes selecionados de cada estado e definir aqueles que concorrerão na segunda etapa de seleção, para participar da Mostra Nacional, que será composta por 30 filmes, sendo dois longas-metragens e quatro curtas-metragens de cada região do país.

Incentivando a propagação de iniciativas culturais, a Mostra contribui para o lançamento de artistas de todo País e, como prêmio, os classificados para a segunda fase assinam um contrato de licenciamento para exibição pública nos projetos do Sesc, em âmbito estadual. A visibilidade é ainda maior para os escolhidos para a Mostra Nacional, que assinam um contrato de licenciamento para exibição pública em todo o Brasil.

12:58 · 14.08.2017 / atualizado às 12:58 · 14.08.2017 por

A sétima edição do FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias está com inscrições abertas para as mostras competitivas de Longas e Curtas-Metragens e serão recebidas até o dia 15 de novembro através do site oficial. O evento homenageia nesta edição a atuação da mulher na cinematografia, valorizando seus trabalhos em diversas áreas do audiovisual.

As produções inscritas participarão da seleção para serem exibidas em suas mostras competitivas de longas e curtas metragens, Mostra Rodolfo Teófilo e Mostra Novas Mídias. O7º FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias acontecerá de 21 a 25 de novembro, no Cineteatro Dorian Sampaio, em Maracanaú, Ceará. Além das mostras competitivas o festival também promoverá palestras e seminários durante o evento.

Podem ser inscritos filmes e vídeos de estados, de cidades do estado do Ceará, municípios brasileiros e também qualquer país, produzidos a partir de 2014, finalizados no formato digital. Para a Mostra Rodolfo Teófilo, podem ser inscritos filmes e vídeos de realizadores da Região Metropolitana de Fortaleza, com duração de até 20 minutos.

12:50 · 12.08.2017 / atualizado às 12:56 · 14.08.2017 por
Longa argentino se destaca em festival cearense

O longa-metragen argentino “Ninguém Está Olhando”, dirigido por Julia Solomonoff, foi eleito o Melhor Filme da Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem do 27° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, encerrado na noite desta sexta-feira, 11 de agosto, no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza. O longa leva para casa o prêmio em dinheiro no valor de 10 mil dólares e o Troféu Mucuripe nesta e em mais duas categorias: Melhor Ator para Guillermo Pfening e Melhor Montagem para Andrés Tamborino, Karen Sztanjberg e Pablo Barbieri.

A coprodução Cuba/França “Santa e Andrés”, escrita e dirigida por Carlos Lechuga, faturou dois troféus no festival, Melhor Atriz para Lola Amores e Melhor Roteiro para Lechuga. Já o prêmio de Melhor Direção foi para Fernando Pérez por “Últimos Dias em Havana”, longa que também leva para casa o troféu de Melhor Fotografia para Raúl Pérez Ureta.

O chileno “Uma Mulher Fantástica”, de Sebastián Lelio, conquistou os prêmios de Melhor Trilha Sonora Original para Matthew Herbert, e Melhor Som para Isaac Moreno. Já o brasileiro “Malasartes e o Duelo com a Morte”, de Paulo Morelli, venceu na categoria Direção de Arte, assinada por Tulé Peake.

Na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem, “Festejo Muito Pessoal”, de Carlos Adriano, ficou com o prêmio de Melhor Filme. Os demais agraciados foram: “Memórias do Subsolo ou o Homem que Cavou até Encontrar uma Redoma”, de Felipe Camilo, venceu na categoria Melhor Roteiro; Estevão Meneguzzo foi eleito Melhor Diretor por “Valentina”; e “Caleidoscópio”, de Natal Portela, como Melhor Produção Cearense.

A Mostra Olhar do Ceará, composta por 23 curtas cearenses, teve como Melhor Curta eleito pelo júri oficial “A Lenda Cotidiana”, de Bárbara Moura e S. de Sousa.

PREMIADOS

Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem:
Melhor Longa-metragem – Ninguém está olhando, de Julia Solomonoff
Melhor Direção – Últimos dias em Havana – Fernando Pérez
Melhor Fotografia – Últimos dias em Havana – Raúl Pérez Ureta
Melhor Montagem – Ninguém está olhando – Andrés Tamborino, Karen Sztanjberg e Pablo Barbieri.
Melhor Roteiro – Santa e Andrés – Carlos Lechuga
Melhor Som – Uma mulher fantástica – Isaac Moreno
Melhor Trilha Sonora – Uma mulher fantástica – Matthew Herbert
Melhor Direção de Arte – Malasartes e o Duelo com a Morte – Tulé Peake
Melhor Ator – Ninguém está olhando – Guillermo Pfening
Melhor Atriz – Santa e Andrés – Lola Amores
Prêmio da Crítica (Abraccine) – Ninguém está olhando, de Julia Solomonoff

Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem:
Melhor Curta-metragem – Festejo Muito Pessoal, de Carlos Adriano
Melhor Direção – Valentina – Estevão Meneguzzo e André Félix.
Melhor Roteiro – Memórias do subsolo ou o homem que cavou até encontrar uma redoma, de Felipe Camilo.
Melhor Produção Cearense – Caleidoscópio, de Natal Portela
Prêmio da crítica (Abraccine) – Filó a fadinha Lésbica, de Sávio Leite

Mostra Olhar do Ceará:
Melhor Curta-metragem – A Lenda Cotidiana, de Bárbara Moura e S. de Sousa

Prêmio Olhar Universitário:
Melhor Curta-metragem – Simbiose, de Júlia Morim
Melhor Longa-metragem – Últimos dias em Havana, de Fernando Pérez

PRÊMIOS ESPECIAIS

Troféus Samburá:
Melhor Curta-metragem – Valentina, de Estevão Meneguzzo e André Félix
Melhor Diretor – Vando Vulgo Vedita, de Andreia Pires e Leonardo Mouramateus

Prêmio Unifor de Audiovisual:
Melhor Curta-metragem – A Lenda Cotidiana, de Bárbara Moura e S. de Sousa

Prêmio CiaRio:
Curta-metragem Brasileiro – Festejo Muito Pessoal, de Carlos Adriano

Prêmio Mistika (Masterização em DCP)
Melhor Produção Cearense da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem –
Caleidoscópio, de Natal Portela
Melhor Curta-metragem da Mostra Olhar do Ceará – A lenda cotidiana, de Bárbara Moura e S. de Sousa

Prêmio Aquisição Canal Brasil:
Melhor filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem (R$ 15.000,00) – Memórias do subsolo ou o homem que cavou até encontrar uma redoma, de Felipe Camilo

Mostra Curta Cocó:
Melhor Curta-metragem – O que é Parque do Cocó?, de Marilia Alencar

18:58 · 31.07.2017 / atualizado às 18:59 · 31.07.2017 por
Curta-metragem “Jonas Banhado em Sangue”, de Mateus Bandeira, é um dos 23 filmes cearenses que concorrem ao Prêmio Unifor de Audiovisual

A Universidade de Fortaleza (Unifor) vai conceder pelo segundo ano consecutivo o Prêmio Unifor de Audiovisual ao melhor curta-metragem da Mostra Olhar do Ceará, que faz parte da programação do 27º
Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, que acontecerá de 5 a 11 de agosto, em Fortaleza.

O Prêmio Unifor de Audiovisual é no valor de R$ 5.000,00 e tem o objetivo de incentivar os jovens realizadores cearenses. Ano passado, o grande vencedor do prêmio foi a obra “Antes da Encanteria”, dirigida coletivamente por Lívia de Paiva, Paulo Victor Soares, Gabriela Pessoa, Elena Meirelles e Jorge Polo.

Concorrem ao Prêmio Unifor de Audiovisual 23 filmes de curta-metragem selecionados para a Mostra Olhar do Ceará, criada na edição de 1999 como espaço para ver e discutir o audiovisual cearense. São dez filmes de ficção, nove documentários e quatro produções experimentais. Além do Prêmio Unifor, a melhor obra eleita pelo júri receberá também o Troféu Mucuripe. A exibição dos filmes acontecerá no Cinema do Dragão, entre os dias 7 e 10 de agosto, às 14h30, sempre com entrada gratuita.

A coordenadora do curso Cinema e Audiovisual da Unifor, professora Bete Jaguaribe, ressalta que o encontro do mais antigo festival do Ceará e a primeira graduação de Cinema do estado é uma parceria inspiradora e importantíssima para o fortalecimento do campo audiovisual cearense. “O Prêmio Unifor é uma iniciativa que se insere neste propósito de contribuir com os processos de invenção e formação audiovisual. A premiação de curtas dá visibilidade ao momento inicial da trajetória do realizador. É um momento importantíssimo, que nos interessa enquanto Universidade, porque é revelador de processos de criação”, frisa.

A curadoria da Mostra Olhar do Ceará desse ano foi realizada por André Bloc, Beatriz Saldanha, Camila Vieira, Diego Benevides e Érico Araújo Lima, membros da Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine), e buscou expressar uma heterogeneidade de formas e desejos na relação com o cinema.

16:11 · 10.07.2017 / atualizado às 16:29 · 10.07.2017 por
Cineasta Glauber Filho

O cineasta cearense Glauber Filho (“Bezerra de Menezes – O Diário de um Espírito”) iniciou as gravações de seu novo projeto, intitulado “Bate Coração”, nesta segunda-feira (10), em Fortaleza. A comédia de costumes gira em torno de um transplante de coração. A produção abre espaço para um saudável debate com leveza a respeito da conscientização ​para a doação de órgãos ​como forma de melhorar a realidade dos transplantes no País​ e salvar vidas.

Com distribuição da Downtown Filmes, “Bate Coração” apresenta dois núcleos narrativos. O primeiro do publicitário Sandro, interpretado pelo ator André Bankoff, e o segundo tem à frente Isadora, uma travesti interpretada pelo ator Aramis Trindade.

Sandro, com 40 anos, é solteiro e “metido” a conquistador, só pensa em trabalho e aproveitar a boa vida. O personagem apresenta uma série de preconceitos, mas tenta dissimulá-los por meio de uma postura politicamente correta. Heterossexual, Sandro prova a todo custo a sua virilidade de macho que se apaixona por sua médica de transplante, doutora Cláudia.

Já Isadora é uma travesti de aproximadamente 50 anos e dona de um salão de beleza localizado na periferia. Isadora já é vivida, passou por vários obstáculos na vida e conseguiu vencê-los sem perder sua dignidade.

Na noite de Ano Novo, Sandro sofre um ataque do coração e precisa fazer um transplante de urgência e acaba recebendo o coração de Isadora, que ​havia morrido poucos momentos antes, na mesma noite​, vítima de um acidente. Após o transplante, Isadora, em espírito e contra sua vontade, passa a seguir os passos do publicitário. Enquanto isso, Sandro passa a perceber algumas mudanças de comportamento e tenta se envolver com a doutora Cláudia.