Busca

Categoria: Listas


14:59 · 13.04.2017 / atualizado às 14:59 · 13.04.2017 por
Sofia Coppola integra a competição oficial com “O Estranho que Nós Amamos”, estrelado por Nicole Kidman

O Festival de Cannes divulgou a seleção oficial da 70ª edição, que acontece de 17 a 28 de maio, na França, e terá como presidente do júri o cineasta Pedro Almodóvar (“Julieta”).

Nomes importantes do cinema mundial serão destaques no evento, como François Ozon, Yorgos Lanthimos, Naomi Kawase, Hong Sangsoo, Todd Haynes, Michael Haneke e Sofia Coppola, entre outros.

A seleção, no entanto, não traz nenhuma produção da América Latina. O Brasil participará com o curta-metragem “Vazio do Lado de Fora”, de Eduardo Brandão Pinto, na mostra estudantil.

Veja a lista completa:

FILME DE ABERTURA
Les Fantomes D’Ismael, de Arnaud Desplechin

COMPETIÇÃO OFICIAL
Loveless, de Andrei Zvyagintsev
Good Time, de Benny e Josh Safdie
You Were Never Really Here, de Lynne Ramsay
L’Amant Double, de Francois Ozon
A Gentle Creature, de Sergei Loznitsa
The Killing of a Sacred Deer, de Yorgos Lanthimos
Hikari, de Naomi Kawase
Geu-Hu, de Hong Sangsoo
Le Redoutable, de Michel Hazanavicius
Wonderstruck, de Todd Haynes
Happy End, de Michael Haneke
O Estranho que Nós Amamos, de Sofia Coppola
120 Battements par Minute, de Robin Campillo
Okja, de Bong Joon-Ho
Aus dem Nichts, de Fatih Akin
The Meyerowitz Stories, de Noah Baumbach

FORA DE COMPETIÇÃO
How to Talk to Girls at Parties, de John Cameron Mitchell
Visages, Villages, de Agnes Varda & JR
Mugen Non Junin, de Takashi Miike

UN CERTAIN REGARD
Barbara, de Mathieu Amalric
La Novia Del Desierto, de Cecilia Atan & Valeria Pivato
Tesnota, de Kantemir Balagov
Aala Kaf Ifrit, de Kaouther Ben Hania
L’Atelier, de Laurent Cantet
Fortunata, de Sergio Castellito
Las Hijas de Abril, de Michel Franco
Western, de Valeska Grisebach
Posoki, de Stephan Komandarev
Out, de Gyorgy Kristof
Sanpo Suru Shinryakusha, de Kiyoshi Kurosawa
En Attendant Les Hirondelles, de Karim Moussaoui
Lerd, de Mohammad Rasoulof
Jeune Femme, de Leonor Serrraille
Wind River, de Taylor Sheridan
Apres La Guerre, de Annarita Zambrano

SESSÕES ESPECIAIS
Claire’s Camera, de Hong Sangsoo
12 Jours, de Raymond Depardon
They, de Anahita Ghazvinizadeh
Promised Land, de Eugene Jarecki
Napalm, de Claude Lanzmann
Demons in Paradise, de Jude Ratman
Sea Sorrow, de Vanessa Redgrave
An Inconvenient Sequel, de Bonni Cohen e Jon Shenk

SESSÕES DA MEIA-NOITE
Ak-Nyeo, de Jung Byung-Gil
Bulhandang, de Byun Sung-Hyun
A Prayer Before Dawn, de Jean-Stephane Sauvaire

SESSÃO EM REALIDADE VIRTUAL
Carne y Arena, de Alejandro G. Inarritu

EVENTOS ESPECIAIS PARA O 70º ANIVERSÁRIO
Top of the Lake: China Girl, de Jane Campion & Ariel Kleiman
24 Frames, de Abbas Kiarostami
Twin Peaks, de David Lynch
Come Swim, de Kristen Stewart

17:32 · 25.02.2017 / atualizado às 17:32 · 25.02.2017 por

Se você vai trocar a folia dos bloquinhos por uma programação mais tranquila, nada melhor do que mergulhar no catálogo diversificado da Netflix. Pensando nisso, o Blog de Cinema organizou uma lista com 20 filmes para todos os tipos de público, passando por dramas, suspense, comédias e documentários.

Prepara a pipoca e se liga nas dicas!

Longe do confete e da serpentina: dicas culturais durante o Carnaval
Cinema oferece promoção de meia entrada para todos no Carnaval

1. Beira-Mar (2015, Drama, Brasil), de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Martin (Mateus Almada) e Tomaz (Maurício José Barcellos) viajam para o litoral gaúcho. Martin precisa encontrar um documento para o pai na casa de parentes, e Tomaz decide acompanhá-lo. Os dois acabam abrigando-se em uma casa de vidro à beira-mar, a fim de fugir da rejeição familiar de Martin e da estranha distância que surgiu entre os dois.

2. Docinho da América (2016, Drama/Comédia, EUA/Reino Unido), de Andrea Arnold
Star (Sasha Lane), uma adolescente que busca viver aventuras, decide se juntar a um caixeiro viajante e cruzar o território do meio-oeste dos Estados Unidos vendendo assinaturas de revistas. No meio da viagem, ela entra em uma loucura de festas, crimes e amores junto com um grupo de desajustados.

3. Sicario: Terra de Ninguém (2015, Suspense/Policial, EUA), de Denis Villeneuve
A CIA está preparando uma audaciosa operação para deter o grande líder de um cartel de drogas mexicano. Kate Macy (Emily Blunt), policial do FBI, decide participar da ação, mas logo descobre que terá de testar todos os seus limites morais e éticos nesta missão.

4. Branco Sai, Preto Fica (2014, Drama, Brasil), de Adirley Queirós
Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

5. A Caça (2012, Drama, Dinamarca/Suécia), de Thomas Vinterberg
Lucas (Mads Mikkelsen) trabalha em uma creche. Simpático e amigo de todos, ele tenta reconstruir a vida após um divórcio complicado, no qual perdeu a guarda do filho. Tudo corre bem até que, um dia, a pequena Klara (Annika Wedderkopp), de apenas cinco anos, diz à diretora da creche que Lucas lhe mostrou suas partes íntimas. Klara na verdade não tem noção do que está dizendo, apenas quer se vingar por se sentir rejeitada em uma paixão infantil que nutre por Lucas. A acusação logo faz com que ele seja afastado do trabalho e, mesmo sem que haja algum tipo de comprovação, seja perseguido pelos habitantes da cidade em que vive.

6. Loucamente apaixonados (2011, Drama/Romance, EUA), de Drake Doremus
A autora Maddie Toung (Kate Siegel) vive uma vida isolada desde que perdeu sua audição quando era adolescente, se colando em um mundo de total silêncio.Porém, quando um rosto mascarado de um assassino psicótico aparece em sua janela, Maddie precisa ir além dos seus limites físicos e mentais para conseguir sobreviver.

7. Hush: A Morte Ouve (2016, Terror/Suspense, EUA), de Mike Flanagan
A autora Maddie Toung (Kate Siegel) vive uma vida isolada desde que perdeu sua audição quando era adolescente, se colando em um mundo de total silêncio.Porém, quando um rosto mascarado de um assassino psicótico aparece em sua janela, Maddie precisa ir além dos seus limites físicos e mentais para conseguir sobreviver.

8. Em Nome de Deus (2001, Drama, Irlanda/Reino Unido), de Peter Mullan
Irlanda, década de 60. Margaret (Anne-Marie Duff) foi estuprada num casamento por seu primo. Bernardette (Nora-Jane Noone) é muito bonita e por isso representa um perigo para os homens da vizinhança. Rose (Dorothy Duffy) e Crispina (Eileen Walsh) são mães solteiras. Por causa disso essas quatro mulheres são mandadas para um convento por seus familiares, com o intento de “pagar por seus pecados”. Essa punição é por tempo indeterminado, o que significa uma vida de trabalhos forçados na lavanderia do asilo católico. As internas são conhecidas como “as irmãs Magdalena”. Elas são humilhadas regularmente pelas madres, que não toleram desobediência, muitas vezes usando até mesmo castigos físicos.

9. Ida (2013, Drama, Polônia/Dinamarca), de Pawel Pawlikowski
A jovem noviça Anna (Agata Trzebuchowska) está pronta para prestar seus votos e se tornar freira, só que antes disso, por insistência da Madre Superiora (Halina Skoczynska), vai visitar a única familiar restante: tia Wanda (Agata Kulesza), uma mulher cínica e mundana, defensora do Partido Comunista, que revela segredos sobre o seu passado. O nome real de Anna é Ida, e sua família era judia, capturada e morta pelos nazistas. Após essa revelação, as duas resolvem partir em uma jornada de autoconhecimento, para descobrir o real desfecho da história da família e onde cada uma delas pertence na sociedade.

10. O Silêncio do Céu (2015, Drama/Suspense, Brasil/Chile), de Marco Dutra
Diana (Carolina Dieckmann) carrega consigo um grande trauma: ela foi vítima de um estupro dentro de sua própria residência. Entretanto, ele prefere esconder o caso e não contar para ninguém. Mario (Leonardo Sbaraglia), seu marido, também tem seus próprios segredos – mistérios que, ocultos, estão matando aos poucos a relação do casal.

11. Sing Street: Música e Sonho (2016, Comédia/Drama/Musical, Irlanda/Reino Unido/EUA), de John Carney
Dublin, Irlanda, 1985. Conor (Ferdia Walsh-Peelo) é um jovem obrigado a mudar de colégio, devido à difícil condição financeira de seus pais, que ainda por cima brigam sem parar. Logo ele tem problemas com um valentão local, que passa a persegui-lo, e também com o padre que coordena a escola, devido à sua disciplina rigorosa. Desiludido, Conor tem um sopro de esperança ao conhecer Raphina (Lucy Boynton), uma garota que está sempre à espera na porta da escola. Disposto a conquistá-la, ele diz que está montando uma banda de rock e a convida para estrelar um videoclipe. Com o convite aceito, agora ele precisa fazer com que a banda exista de verdade.

12. Saneamento Básico – O Filme (2007, Comédia, Brasil), de Jorge Furtado
Os moradores de Linha Cristal, uma pequena vila de descendentes de colonos italianos localizada na serra gaúcha, reúnem-se para tomar providências a respeito da construção de uma fossa para o tratamento do esgoto. Eles elegem uma comissão, que é responsável por fazer o pedido junto à sub-prefeitura. A secretária da prefeitura reconhece a necessidade da obra, mas informa que não terá verba para realizá-la até o final do ano. Entretanto, a prefeitura dispõe de quase R$ 10 mil para a produção de um vídeo. Este dinheiro foi dado pelo governo federal e, se não for usado, será devolvido em breve. Surge então a idéia de usar a quantia para realizar a obra e rodar um vídeo sobre a própria obra, que teria o apoio da prefeitura. Porém a retirada da quantia depende da apresentação de um roteiro e de um projeto do vídeo, além de haver a exigência que ele seja de ficção. Desta forma os moradores se reúnem para elaborar um filme, que seria estrelado por um mostro que vive nas obras de construção de uma fossa.

13. A 13ª Emenda (2016, Documentário, EUA), de Ava DuVernay
Documentário que discute a décima terceira emenda à Constituição dos Estados Unidos – “Não haverá, nos Estados Unidos ou em qualquer lugar sujeito a sua jurisdição, nem escravidão, nem trabalhos forçados, salvo como punição de um crime pelo qual o réu tenha sido devidamente condenado” – e seu terrível impacto na vida dos afro-americanos.

14. Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes (1999, Policial, EUA/Reino Unido), de Guy Ritchie
Eddy (Nick Moran) é famoso por sua habilidade nas cartas desde criança. Ele e seus três amigos, Soap (Dexter Fletcher), Tom (Jason Flemyng) e Bacon (Jason Statham), resolvem colocar cada um a quantia de 25 mil libras para que Eddy possa participar de uma partida de cartas ilegal, organizada por Hatched Harry (P.H. Moriarty). Só que Eddy, além de não se sair bem na partida, a termina devendo 500 mil libras para Harry. Caso não pague a quantia em uma semana, ele perderá os dedos da mão, um a um. Os amigos discutem diversas formas de ganhar dinheiro, todas ilegais, até que decidem roubar uma gangue de ladrões locais, que está planejando uma grande operação de drogas clandestina.

15. O Escafandro e a Borboleta (2007, Drama/Biografia, França/EUA), de Julian Schnabel
Jean-Dominique Bauby (Mathieu Amalric) tem 43 anos, é editor da revista Elle e um apaixonado pela vida. Mas, subitamente, tem um derrame cerebral. Vinte dias depois, ele acorda. Ainda está lúcido, mas sofre de uma rara paralisia: o único movimento que lhe resta no corpo é o do olho esquerdo. Bauby se recusa a aceitar seu destino. Aprende a se comunicar piscando letras do alfabeto, e forma palavras, frases e até parágrafos. Cria um mundo próprio, contando com aquilo que não se paralisou: sua imaginação e sua memória.

16. The Act of Killing (2012, Documentário, Dinamarca/Noruega/Reino Unido), de Joshua Oppenheimer
Na Indonésia, são considerados como heróis os homens que comandaram o genocídio de milhões de pessoas no passado. Sem remorso nenhum sobre suas ações, eles foram convidados a reencenarem seus assassinatos para as câmeras, com os novos habitantes do vilarejo onde moram.

17. Abracadabra (1993, Fantasia/Comédia/Terror, EUA), de Kenny Ortega
Winnie (Bette Midler), Sarah (Sarah Jessica Parker) e Mary (Kathy Najimy) são três bruxas do século XVII, que chegam ao século XX após seus espíritos serem evocados no Dia das Bruxas. Banidas há 300 anos devido à prática de feitiçaria, elas estão dispostas a tudo para garantir sua juventude e imortalidade. Porém precisarão enfrentar três crianças e um gato falante, que podem atrapalhar seus planos.

18. Ponyo – Uma Amizade que Veio do Mar (2008, Animação/Aventura, Japão), de Hayao Miyazaki
Sosuke (Hiroki Doi) é um garoto de cinco anos que mora em um penhasco, com vista para o Mar Interior. Um dia, ao brincar na praia, encontra Ponyo (Yuria Nara), uma peixinho dourado cuja cabeça está presa em um pote de geleia. Ele salva a peixinho e a coloca em um balde verde. Trata-se de amor à primeira vista, já que Sosuke promete que irá cuidar dela. Só que Fujimoto (Jôji Tokoro), que um dia foi humano e hoje é feiticeiro no fundo do mar, exige que Ponyo retorne às profundezas do oceano. Para ficar ao lado de Sosuke, Ponyo toma a decisão de tornar-se humana.

19. Na Natureza Selvagem (2007, Aventura/Drama, EUA), de Sean Penn
Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após dois anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.

20. The Babadook (2014, Terror/Suspense/Drama, Austrália), de Jennifer Kent
Seis anos já se passaram desde a morte de seu marido, mas Amelia (Essie Davis) ainda não superou a trágica perda. Ela tem um filho pequeno, o rebelde Samuel (Noah Wiseman), e tem dificuldades para amá-lo. O garoto sonha diariamente com um monstro terrível e ao encontrar um livro chamado “The Babadok” reconhece imediatamente seu pesadelo. Certo de que Babadok deseja matá-lo, o menino começa a agir irracionalmente, para desespero de Amélia.

08:56 · 27.01.2017 / atualizado às 08:56 · 27.01.2017 por
"Elle", de Paul Verhoeven, foi eleito o melhor filme estrangeiro de 2016
“Elle”, de Paul Verhoeven, foi eleito o melhor filme estrangeiro de 2016

A Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul em voto de protesto sagrou a Fundação Piratini como o destaque mais importante do cenário cultural do Rio Grande do Sul em 2016. Sendo contrária ao Projeto de Lei (PL) 246, que foi aprovado e prevê a extinção da fundação, a ACCIRS reafirma a importância da comunicação pública para o desenvolvimento social dos gaúchos e defende a manutenção da gestora das emissoras públicas de TV e rádio – TVE e FM Cultura.

Reconhecida com o Prêmio Luiz César Cozzatti, a fundação foi apontada ao lado dos filmes “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho, e “Elle”, de Paul Verhoeven, como os favoritos da mais recente temporada. Mais de 40 críticos de cinema – entre jornalistas, pesquisadores e estudiosos – membros da entidade apontaram os melhores do último ano em três categorias: Destaque Gaúcho, Filme Nacional e Filme Internacional.

Tradicionalmente, a ACCIRS escolhe o filme, profissional, lugar ou evento que mais movimentou, contribuiu, colaborou ou incentivou o desenvolvimento, a fruição e a promoção da cultura cinematográfica no Rio Grande do Sul. Em 2016, os críticos de cinema dedicam o Prêmio Luiz César Cozzatti – Destaque Gaúcho à Fundação Piratini, que controla a TVE e FM Cultura. “A TVE e a FM Cultura sempre dedicaram espaços generosos à divulgação do cinema, seja em programas, entrevistas, coberturas ou exibição de filmes e séries. Com absoluta maioria dos votos dos seus associados, a ACCIRS escolheu entregar o Prêmio Luiz Cesar Cozzatti para estas duas emissoras públicas em reconhecimento ao seu apoio para o desenvolvimento e fortalecimento do nosso cinema e também de toda a produção cultural do Rio Grande do Sul”, afirma Mônica Kanitz, vice-presidente da ACCIRS.

“’Aquarius’ e ‘Elle’ foram, indiscutivelmente, os filmes de 2016. O primeiro foi a grande sensação do cenário nacional, desde a manifestação política que o diretor Kleber Mendonça Filho e os atores, entre eles a protagonista Sonia Braga, fizeram durante o Festival de Cannes, até a passagem pelo Festival de Gramado e pelas telas de todo o país, gerando uma comoção como há muito não se via relacionada a uma produção brasileira. Já ‘Elle’ é uma obra polêmica, que tem dividido opiniões, porém todas muito apaixonadas e intensas. E isso é um caminho saudável para o cinema, provocando, mas não no vazio, e sim voltado à discussão e a reflexão. Por fim, é importante destacar que se tratam de dois longas bastante femininos, com mulheres muito fortes como protagonistas, o que representa uma mudança de visão mais do que necessária”, afirma o presidente da ACCIRS, Robledo Milani

Os Melhores de 2006 de acordo com os membros da ACCIRS são:
Prêmio Luiz César Cozzatti – Destaque Gaúcho: Fundação Piratini
Melhor Longa Brasileiro: “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho
Melhor Longa Estrangeiro: “Elle”, de Paul Verhoeven

11:46 · 16.01.2017 / atualizado às 11:48 · 16.01.2017 por
O curta-metragem mineiro "Estado Itinerante", de Ana Carolina Soares, foi eleito o melhor de 2016
O curta-metragem mineiro “Estado Itinerante”, de Ana Carolina Soares, foi eleito o melhor de 2016

A Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) acaba de anunciar os ganhadores de seu prêmio anual, relativo aos Melhores Filmes de 2016.

Na categoria Longa Metragem concorreram todos os filmes lançados em circuito comercial no Brasil, tanto brasileiros como estrangeiros, entre 17 de dezembro de 2015 e 29 de dezembro de 2016, totalizando mais de 400 produções. Na categoria Curta Metragem concorreram somente filmes brasileiros exibidos durante o ano de 2016 em mostras, festivais e demais eventos cinematográficos.

Veja os vencedores:

MELHOR LONGA METRAGEM BRASILEIRO:
“Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho.

MELHOR LONGA METRAGEM ESTRANGEIRO:
“Elle”, de Paul Verhoeven.

MELHOR CURTA METRAGEM:
“Estado Itinerante”, de Ana Carolina Soares.

Paulo Henrique Silva, Presidente da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, afirma que “chegando agora à sua sexta edição consecutiva, e pelo fato da Associação ter forte atuação em todo o território nacional, o Prêmio Abraccine se consolida cada vez mais como o Grande Prêmio representativo do pensamento crítico brasileiro”.

Diferente da maioria das premiações cinematográficas, o Prêmio Abraccine não é apenas uma enquete numérica entre os votantes, mas sim o resultado de um rigoroso processo seletivo realizado a partir de uma intensa discussão e troca de ideias, via internet, de seus associados em todo o Brasil.

Fundada em julho de 2011, a Abraccine tem hoje cerca de uma centena de associados em praticamente todos os estados brasileiros. Sua missão é promover formas de pensamento crítico, reflexão e debate sobre o Cinema.

09:05 · 09.01.2017 / atualizado às 09:30 · 09.01.2017 por
Ryan Gosling e Emma Stone estrelam comédia musical
Ryan Gosling e Emma Stone estrelam comédia musical

Com sete indicações e sete prêmios recebidos, o musical “La La Land – Cantando Estações” foi o grande premiado do Globo de Ouro 2017, batendo o recorde de troféus recebidos do evento. A cerimônia foi realizada no domingo (8) e apresentada por Jimmy Fallon. Na categoria Televisão, o destaque foi “The Night Manager”, com três troféus.

Veja a lista completa de vencedores (em negrito):

CINEMA

Melhor Filme – Drama
“Até o Último Homem”
“A Qualquer Custo”
“Lion: Uma Jornada Para Casa”
“Manchester à Beira-Mar”
“Moonlight”

Melhor Filme – Comédia ou Musical
“20th Century Women”
Deadpool
“Florence: Quem é Essa Mulher”
“La La Land – Cantando Estações”
“Sing Street”

Melhor Diretor
Damien Chazelle (“La La Land – Cantando Estações”)
Tom Ford (“Animais Noturnos”)
Mel Gibson (“Até o Último Homem”)
Barry Jenkins (“Moonlight”)
Kenneth Lonergan (“Manchester à Beira-Mar”)

Melhor Atriz – Drama
Amy Adams (“A Chegada”)
Jessica Chastain (“Miss Sloane”)
Isabelle Huppert (“Elle”)
Ruth Negga (“Loving”)
Natalie Portman (“Jackie”)

Melhor Ator – Drama
Casey Affleck (“Manchester À Beira-Mar”)
Joel Edgerton (“Loving”)
Andrew Garfield (“Até o Último Homem”)
Ryan Gosling (“La La Land – Cantando Estações”)
Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico”)
Denzel Washington (“Fences”)

Melhor Atriz – Comédia ou Musical
Annette Bening (“20th Century Women”)
Lily Collins (“Rules Don’t Apply”)
Hailee Steinfeld (“The Edge of Seventeen”)
Emma Stone (“La La Land – Cantando Estações”)
Meryl Streep (“Florence: Quem é essa mulher?”)

Melhor Ator – Comédia e Musical
Colin Farrell (“O Lagosta”)
Ryan Gosling (“La La Land: Cantando Estações”)
Hugh Grant (“Florence: Quem é Essa Mulher?”)
Jonah Hill (“Cães de Guerra”)
Ryan Reynolds (“Deadpool”)

Melhor Atriz Coadjuvante
Viola Davis (“Fences”)
Naomie Harris (“Moonlight”)
Nicole Kidman (“Lion – Uma Jornada Para Casa”)
Octavia Spencer (“Hidden Figures”)
Michelle Williams (“Manchester”)

Melhor Ator Coadjuvante
Mahershala Ali (“Moonlight”)
Jeff Bridges (“A Qualquer Custo”)
Simon Helberg (“Florence: Quem é Essa Mulher?”)
Dev Patel (“Lion: Uma Jornada Para Casa”)
Aaron Taylor-Johnson (“Animais Noturnos”)

Melhor Filme estrangeiro
“Divines” (França)
“Elle” (França)
“Neruda” (França)
“O Apartamento” (Irã/França)
“Toni Erdmann” (Alemanha)

Melhor Animação
“Kubo e as Cordas Mágicas”
“Moana”
“My Life as a Zucchini”
“Sing”
“Zootopia”

Melhor Roteiro
“La La Land – Cantando Estações”
“Animais Noturnos”
“Moonlight”
“Manchester à Beira-Mar”
“A Qualquer Custo”

Melhor Canção Original
“Can’t Stop This Feeling” (“Trolls”)
“City of Stars” (“La La Land”)
“Faith” (“Sing”)
“Gold” (“Gold”)
“How Far I’ll Go” (“Moana”)

Melhor Trilha original
Hans Zimmer, Pharrell Williams e Benjamin Wallfisch (“Estrelas Além do Tempo”)
Nicholas Britell (“Moonlight”)
Justin Hurwitz (“La La Land – Cantando Estações”)
Johann Johannsson (“A Chegada”)
Dustin O’Halloran, Hauschka (“Lion”)

TELEVISÃO

Melhor Série – Drama
“Stranger Things”
“The Crown”
“Game of Thrones”
“Westworld”
“This Is Us”

Melhor Série – Comédia ou Musical
“Atlanta”
“Blackish”
‘Mozart in the Jungle”
“Transparent”
“Veep”

Melhor Minissérie ou Filme feito para a TV
“American Crime”
“The Dresser”
“The Night Manager”
“The Night Of”
“The People v. O.J. Simpson: American Crime Story”

Melhor Ator em Série Dramática
Rami Malek (“Mr. Robot”)
Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
Matthew Rhys (“The Americans”)
Liev Schreiber (“Ray Donovan”)
Billy Bob Thornton (“Goliath”)

Melhor Ator em Comédia
Anthony Anderson (“Black-ish”)
Gael Garcia Bernal (“Mozart in the Jungle”)
Donald Glover (“Atlanta”)
Nick Nolte (“Graves”)
Jeffrey Tambor (“Transparent”)

Melhor Atriz de Série Dramática
Caitriona Balfe (“Outlander”)
Claire Foy (“The Crown”)
Kerry Russell (“The Americans”)
Winona Ryder (“Stranger Things”)
Evan Rachel Wood (“Westworld”)

Melhor Ator em Minissérie ou Filme feito para a TV
Riz Ahmed (“The Night of”)
Bryan Cranston (“All the Way”
Tom Hiddleston (“The Night Manager”)
John Turturro (“The Night of”)
Courtney B. Vance (“The People v. O.J. Simpson: American Crime Story”)
Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical
Rachel Bloom (“Crazy Ex-Girlfriend”)
Julia Louis Dreyfus (“Veep”)
Sarah Jessica Parker (“Divorce”)
Issa Rae (“Insecure”)
Gina Rodriguez (“Jane the Virgin”)
Tracee Ellis Ross (“Black-ish”)Melhor Ator em Série Dramática
Rami Malek (“Mr. Robot”)
Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
Matthew Rhys (“The Americans”)
Liev Schreiber (“Ray Donovan”)
Billy Bob Thornton (“Goliath”)

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme feito para a TV
Felicity Huffman (“American Crime”)
Riley Keough (“The Girlfriend Experience”)
Sarah Paulson (“People v. O.J. Simpson: American Crime Story”)
Charlotte Rampling (“London Spy”)
Kerry Washington (“Confirmation”)

Melhor Atriz Coadjuvante de TV
Olivia Colman (“The Night Manager”)
Lena Headey (“Game of Thrones”)
Chrissy Metz (“This Is Us”)
Mandy Moore (“This Is Us”)
Thandie Newton (“Westworld”)

Melhor Ator Coadjuvante de TV
Sterling K. Brown (“The People v. O.J.: American Crime Story”)
Hugh Laurie (“The Night Manager”)
John Lithgow (“The Crown”)
Christian Slater (“Mr. Robot”)
John Travolta (“The People v. O.J.: American Crime Story”)

18:08 · 01.01.2017 / atualizado às 18:14 · 01.01.2017 por
"Aquarius" lidera a lista entre os longas nacionais
“Aquarius” lidera a lista entre os longas nacionais

Muito além das comédias descartáveis que chegam às salas comerciais, o cinema brasileiro esbanja uma excelente fase de buscar alternativas para contar suas histórias. O Blog de Cinema separou os 10 longas-metragens nacionais que estrearam em circuito durante 2016, além dos 10 curtas-metragens que se destacaram nos festivais de cinema pelo Brasil.

Leia no Caderno 3 a retrospectiva do cinema brasileiro em 2016

MELHORES LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS DE 2016

1. “Aquarius” (Brasil/França), de Kleber Mendonça Filho
2. “O Silêncio do Céu” (Brasil/Chile), de Marco Dutra
3. “Boi Neon” (Brasil/Uruguai/Holanda), de Gabriel Mascaro
4. “Mate-me Por Favor” (Brasil), de Anita Rocha da Silveira
5. “Para Minha Amada Morta” (Brasil), de Aly Muritiba
6. “Sinfonia da Necrópole” (Brasil), de Juliana Rojas
7. “Cinema Novo” (Brasil), de Eryk Rocha
8. “Campo Grande” (Brasil/França), de Sandra Kogut
9. “Ela Volta na Quinta” (Brasil), de André Novais Oliveira
10. “Ponto Zero” (Brasil), de José Pedro Goulart

Estado Itinerante
Curta-metragem mineiro “Estado Itinerante” está no topo da lista

MELHORES CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS DE 2016

1. “Estado Itinerante” (MG), de Ana Carolina Soares
2. “O Delírio é a Redenção dos Aflitos” (PE), de Fellipe Fernandes
3. “Os Cuidados que se Tem com o Cuidado que os Outros Devem Ter Consigo Mesmos” (SP), de Gustavo Vinagre
4. “Abissal” (CE), de Arthur Leite
5. “Quando os Dias Eram Eternos” (SP), de Marcus Vinicius Vasconcelos
6. “Antes da Encanteria” (CE/RJ), de Elena Meirelles, Gabriela Pessoa, Jorge Polo, Lívia de Paiva e Paulo Victor Soares
7. “Procura-se Irenice” (SP), de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça
8. “Balada Para os Mortos” (RS), de Lucas Sá
9. “Rosinha” (DF), de Gui Campos
10. “Janaina Overdrive” (CE), de Mozart Freire

A lista geral dos melhores filmes de 2016, incluindo brasileiros e estrangeiros, será divulgada nos próximos dias.

15:03 · 12.12.2016 / atualizado às 15:05 · 12.12.2016 por
Musical de Damien Chazelle somou sete indicações
Musical de Damien Chazelle somou sete indicações

A Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood anunciou os indicados de cinema e TV do Globo de Ouro 2017. O romance musical “La La Land – Cantando Estações” e o drama “Moonlight” lideraram a lista, com sete e seis indicações, respectivamente. A premiação serve de termômetro dos melhores filmes da temporada, que podem se destacar no Oscar.

A 74ª edição da cerimônia acontece no dia 8 de janeiro, no hotel Beverly Hilton, com apresentação de Jimmy Fallon e homenagem à atriz Meryl Streep, que vai receber o Cecil B. DeMille Award pelo conjunto da obra.

Veja a lista completa de indicados:

CINEMA

Melhor Filme – Drama
“Até o Último Homem”
“A Qualquer Custo”
“Lion: Uma Jornada Para Casa”
“Manchester à Beira-Mar”
“Moonlight”

Melhor Filme – Comédia ou Musical
“20th Century Women”
“Deadpool”
“Florence: Quem é Essa Mulher”
“La La Land – Cantando Estações”
“Sing Street”

Melhor Diretor
Damien Chazelle (“La La Land – Cantando Estações”)
Tom Ford (“Animais Noturnos”)
Mel Gibson (“Até o Último Homem”)
Barry Jenkins (“Moonlight”)
Kenneth Lonergan (“Manchester à Beira-Mar”)

Melhor Atriz – Drama
Amy Adams (“A Chegada”)
Jessica Chastain (“Miss Sloane”)
Isabelle Huppert (“Elle”)
Ruth Negga (“Loving”)
Natalie Portman (“Jackie”)

Melhor Ator – Drama
Casey Affleck (“Manchester À Beira-Mar”)
Joel Edgerton (“Loving”)
Andrew Garfield (“Até o Último Homem”)
Ryan Gosling (“La La Land – Cantando Estações”)
Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico”)
Denzel Washington (“Fences”)

Melhor Atriz – Comédia ou Musical
Annette Bening (“20th Century Women”)
Lily Collins (“Rules Don’t Apply”)
Hailee Steinfeld (“The Edge of Seventeen”)
Emma Stone (“La La Land – Cantando Estações”)
Meryl Streep (“Florence: Quem é essa mulher?”)

Melhor Ator – Comédia e Musical
Colin Farrell (“O Lagosta”)
Ryan Gosling (“La La Land: Cantando Estações”)
Hugh Grant (“Florence: Quem é Essa Mulher?”)
Jonah Hill (“Cães de Guerra”)
Ryan Reynolds (“Deadpool”)

Melhor Atriz Coadjuvante
Viola Davis (“Fences”)
Naomie Harris (“Moonlight”)
Nicole Kidman (“Lion – Uma Jornada Para Casa”)
Octavia Spencer (“Hidden Figures”)
Michelle Williams (“Manchester”)

Melhor Ator Coadjuvante
Mahershala Ali (“Moonlight”)
Jeff Bridges (“A Qualquer Custo”)
Simon Helberg (“Florence: Quem é Essa Mulher?”)
Dev Patel (“Lion: Uma Jornada Para Casa”)
Aaron Taylor-Johnson (“Animais Noturnos”)

Melhor Filme estrangeiro
“Divines” (França)
“Elle” (França)
“Neruda” (França)
“O Apartamento” (Irã/França)
“Toni Erdmann” (Alemanha)

Melhor Animação
“Kubo e as Cordas Mágicas”
“Moana”
“My Life as a Zucchini”
“Sing”
“Zootopia”

Melhor Roteiro
“La La Land – Cantando Estações”
“Animais Noturnos”
“Moonlight”
“Manchester à Beira-Mar”
“A Qualquer Custo”

Melhor Canção Original
“Can’t Stop This Feeling” (“Trolls”)
“City of Stars” (“La La Land”)
“Faith” (“Sing”)
“Gold” (“Gold”)
“How Far I’ll Go” (“Moana”)

Melhor Trilha original
Hans Zimmer, Pharrell Williams e Benjamin Wallfisch (“Estrelas Além do Tempo”)
Nicholas Britell (“Moonlight”)
Justin Hurwitz (“La La Land – Cantando Estações”)
Johann Johannsson (“A Chegada”)
Dustin O’Halloran, Hauschka (“Lion”)

TELEVISÃO

Melhor Série – Drama
“Stranger Things”
“The Crown”
“Game of Thrones”
“Westworld”
“This Is Us”

Melhor Série – Comédia ou Musical
“Atlanta”
“Blackish”
‘Mozart in the Jungle”
“Transparent”
“Veep”

Melhor Minissérie ou Filme feito para a TV
“American Crime”
“The Dresser”
“The Night Manager”
“The Night Of”
“The People v. O.J. Simpson: American Crime Story”

Melhor Ator em Série Dramática
Rami Malek (“Mr. Robot”)
Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
Matthew Rhys (“The Americans”)
Liev Schreiber (“Ray Donovan”)
Billy Bob Thornton (“Goliath”)

Melhor Ator em Comédia
Anthony Anderson (“Black-ish”)
Gael Garcia Bernal (“Mozart in the Jungle”)
Donald Glover (“Atlanta”)
Nick Nolte (“Graves”)
Jeffrey Tambor (“Transparent”)

Melhor Atriz de Série Dramática
Caitriona Balfe (“Outlander”)
Claire Foy (“The Crown”)
Kerry Russell (“The Americans”)
Winona Ryder (“Stranger Things”)
Evan Rachel Wood (“Westworld”)

Melhor Ator em Minissérie ou Filme feito para a TV
Riz Ahmed (“The Night of”)
Bryan Cranston (“All the Way”
Tom Hiddleston (“The Night Manager”)
John Turturro (“The Night of”)
Courtney B. Vance (“The People v. O.J. Simpson: American Crime Story”)

Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical
Rachel Bloom (“Crazy Ex-Girlfriend”)
Julia Louis Dreyfus (“Veep”)
Sarah Jessica Parker (“Divorce”)
Issa Rae (“Insecure”)
Gina Rodriguez (“Jane the Virgin”)
Tracee Ellis Ross (“Black-ish”)

Melhor Ator em Minissérie ou Filme feito para a TV
Riz Ahmed (“The Night Of”)
Bryan Cranston (“All the Way”)
John Turturro (“The Night Of”)
Tom Hiddleston (“Night Manager”)
Courtney B. Vance (“The People v. O.J. Simpson: American Crime Story”)

Melhor Ator em Série Dramática
Rami Malek (“Mr. Robot”)
Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
Matthew Rhys (“The Americans”)
Liev Schreiber (“Ray Donovan”)
Billy Bob Thornton (“Goliath”)

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme feito para a TV
Felicity Huffman (“American Crime”)
Riley Keough (“The Girlfriend Experience”)
Sarah Paulson (“People v. O.J. Simpson: American Crime Story”)
Charlotte Rampling (“London Spy”)
Kerry Washington (“Confirmation”)

Melhor Atriz Coadjuvante de TV
Olivia Colman (“The Night Manager”)
Lena Headey (“Game of Thrones”)
Chrissy Metz (“This Is Us”)
Mandy Moore (“This Is Us”)
Thandie Newton (“Westworld”)

Melhor Ator Coadjuvante de TV
Sterling K. Brown, (“The People v. O.J.: American Crime Story”)
Hugh Laurie (“The Night Manager”)
John Lithgow (“The Crown”)
Christian Slater (“Mr. Robot”)
John Travolta (“The People v. O.J.: American Crime Story”)

Melhor Ator  de Comédia ou Musical
Anthony Anderson (“Black-ish”)
Gael Garcia Bernal (“Mozart in the Jungle”)
Donald Glover (“Atlanta”)
Nick Nolte (“Graves”)
Jeffrey Tambor (“Transparent”)

12:21 · 10.12.2016 / atualizado às 12:21 · 10.12.2016 por
Sonia Braha
Filme pernambucano é reconhecido pelos críticos americanos

Para quem gosta de listas, esse é o período perfeito para saber quais foram os melhores filmes do ano. Dessa vez, a San Diego Film Critics Society, que reúnem os críticos de San Diego, nos Estados Unidos, indicaram Sonia Braga a melhor atriz pelo filme “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho.

A obra também está na lista de melhor filme estrangeiro, competindo com nomes de peso como “Neruda”, de Pablo Larraín, e “As Montanhas Se Separam”, de Jia Zhang-ke.

Sonia Braga também concorre com nomes fortes, como Annette Bening, por “20th Century Woman”, e Natalie Portman, por “Jackie”.

Veja a lista completa dos indicados no site oficial.

09:39 · 08.12.2016 / atualizado às 09:39 · 08.12.2016 por
Paul Verhoeven e Isabelle Huppert no set de "Elle"
Paul Verhoeven e Isabelle Huppert no set de “Elle”

A Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ) anunciou a lista dos melhores filmes de 2016. “Elle”, de Paul Verhoeven, foi o principal destaque. O pernambucano “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho, foi eleito o melhor filme brasileiro. A lista completa traz 12 produções, que serão exibidas em janeiro em uma mostra retrospectiva no CCBB do Rio.

Veja a lista completa:

Melhor Filme do Ano: “Elle”, de Paul Verhoeven
Melhor Filme Brasileiro do Ano: “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho
Demais Melhores Filmes do Ano (ordem alfabética):
“Anomalisa”, de Duke Johnson e Charlie Kaufman
“A Bruxa”, de Robert Eggers
“Café Society”, de Woody Allen
“Carol”, de Todd Haynes
“O Cavalo de Turim”, de Béla Tarr e Ágnes Hranitzky
“Certo Agora, Errado Antes”, de Hong Sang-soo
“Filho de Saul”, de László Nemes
“As Montanhas se Separam”, de Jia Zhang-ke
“Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino
“Táxi Teerã”, de Jafar Panahi
Reconhecimento por Iniciativa Cinematográfica: Cavi Borges
Homenageados: Hector Babenco, Abbas Kiarostami e José Carlos Avellar

23:22 · 07.12.2016 / atualizado às 23:22 · 07.12.2016 por
"I Am Not Your Negro" é um dos principais candidatos da temporada
“I Am Not Your Negro” é um dos principais candidatos da temporada

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou uma lista com 15 documentários que devem ser avaliados para concorrer às cinco vagas finais do Oscar 2017. Os filmes foram selecionados de um total de 145 produções e prometem acirrar a disputa na temporada de ouro.

Entre os destaques estão os elogiados “O.J.: Made in America”, “Fogo no Mar” e “I Am Not Your Negro”, que podem garantir uma vaga na premiação do dia 26 de fevereiro. A lista de indicados da Academia deve ser anunciada no dia 24 de janeiro.

Veja os documentários finalistas:

“Cameraperson”, de Kirsten Johnson
“Command and Control”, de Robert Kenner
“The Eagle Huntress”, de Otto Bell
“Fogo no Mar”, de Gianfranco Rosi
“Gleason”, de Clay Tweel
“Hooligan Sparrow”, de Nanfu Wang
“I Am Not Your Negro”, de Raoul Peck
“The Ivory Game”, de Kief Davidson e Richard Ladkani
“Life, Animated”, de Roger Ross Williams
“O.J.: Made in America”, de Ezra Edelman
“A 13ª Emenda”, de Ava DuVernay
“Tower”, de Keith Maitland
“Weiner”, de Josh Kriegman e Elyse Steinberg
“The Witness”, de James D. Solomon
“Zero Days”, de Alex Gibney