Busca

Categoria: Mostras e Festivais


10:15 · 22.01.2018 / atualizado às 10:21 · 22.01.2018 por
Mark Wahlberg foi indicado a pior ator por “Transformers: O Último Cavaleiro” e “Pai em Dose Dupla”

Como já virou costume, um dia antes das indicações ao Oscar acontece a divulgação dos indicados ao Framboesa de Ouro, que “premia” as piores produções do ano. “Transformers: O Último Cavaleiro” foi citado oito das nove categorias, enquanto “A Múmia” teve sete indicações. Completam a lista de piores do ano “Baywatch”, “Cinquenta Tons Mais Escuros” e “Emoji: O Filme”.

A atriz Jennifer Lawrence apareceu no Framboesa, pela atuação em “Mãe!”. Darren Aronofsky, que dirigiu o drama, também foi lembrado ao lado de Michael Bay, James Foley, Alex Kurtzman e Tony Leondis.

Os vencedores 38º Framboesa de Ouro serão anunciados no dia 3 de março.

Veja a lista completa de indicados:

PIOR FILME
Baywatch
Emoji: O Filme
Cinquenta Tons Mais Escuros
A Múmia
Transformers: O Último Cavaleiro

PIOR ATRIZ
Katherine Heigl (Paixão Obsessiva)
Dakota Johnson (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Jennifer Lawrence (Mãe!)
Tyler Perry (Boo 2! A Madea Halloween)
Emma Watson (O Círculo)

PIOR ATOR
Tom Cruise (A Múmia)
Johnny Depp (Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar)
Jamie Dornan (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Zac Efron (Baywatch)
Mark Wahlberg (Pai em Dose Dupla 2 e Transformers: O Último Cavaleiro)

PIOR ATOR COADJUVANTE
Javier Bardem (Mãe! e Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar)
Russell Crowe (A Múmia)
Josh Duhamel (Transformers: O Último Cavaleiro)
Mel Gibson (Pai em Dose Dupla 2)
Anthony Hopkins (Collide e Transformers: O Último Cavaleiro)

PIOR ATRIZ COADJUVANTE
Kim Basinger (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Sofia Boutella (A Múmia)
Laura Haddock (Transformers: O Último Cavaleiro)
Goldie Hawn (Viagem das Loucas)
Susan Sarandon (Perfeita é a Mãe 2)

PIOR COMBO
Qualquer combinação de dois personagens, brinquedos sexuais ou posições sexuais (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Qualquer combinação entre dois humanos, dois robôs ou duas explosões (Transformers: O Último Cavaleiro)
Qualquer encontro de dois emojis (Emoji: O Filme)
Johnny Depp e seu estilo bêbado de atuar (Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar)
Tyler Perry e qualquer vestido velho ou peruca ruim (Boo 2! A Madea Halloween)

PIOR REFILMAGEM/CÓPIA/SEQUÊNCIA
Baywatch
Boo 2! A Madea Halloween
Cinquenta Tons Mais Escuros
A Múmia
Transformers: O Último Cavaleiro

PIOR DIRETOR
Darren Aronofsky (Mãe!)
Michael Bay (Transformers: O Último Cavaleiro)
James Foley (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Alex Kurtzman (A Múmia)
Tony Leondis (Emoji: O Filme)

PIOR ROTEIRO
Baywatch
Emoji: O Filme
Cinquenta Tons Mais Escuros
A Múmia
Transformers: O Último Cavaleiro

10:59 · 12.01.2018 / atualizado às 10:59 · 12.01.2018 por
“Rifle”, de Davi Pretto, foi eleito o melhor longa-metragem gaúcho

Foram divulgados hoje os melhores de 2017 na opinião dos associados da ACCIRS – Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul. E o grande vencedor foi o documentário  “No Intenso Agora”, de João Moreira Salles, que foi eleito o melhor filme brasileiro do ano. Já o melhor filme estrangeiro foi o alemão “Toni Erdmann”, de Maren Ade.

Os críticos gaúchos escolheram também as melhores produções realizadas no Rio Grande do Sul. O melhor longa do ano foi “Rifle”, de Davi Pretto, enquanto que o melhor curta foi “Secundas”, de Cacá Nazário. Por fim, foi apontado como Destaque Gaúcho do ano o Programa de Alfabetização Audiovisual, que irá receber o Prêmio Luiz César Cozatti. A Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul completa, em 2018, dez anos de existência, e agrega mais de 40 profissionais da crítica cinematográfica.

Melhores Filmes de 2017 segundo a ACCIRS

Melhor Longa-metragem Brasileiro
“No Intenso Agora”, de João Moreira Salles (40,5% dos votos)
“Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzky (37,8% dos votos)
“Bingo: O Rei das Manhãs”, de Daniel Rezende (18,9% dos votos)

Melhor Longa-metragem Estrangeiro
“Toni Erdmann”, de Maren Ade (43,2% dos votos)
“Dunkirk”, de Christopher Nolan (29,7% dos votos)
“Mãe!”, de Darren Aronofsky (21,6% dos votos)

Melhor Longa-metragem Gaúcho
“Rifle”, de Davi Pretto (48,6% dos votos)
“Mulher do Pai”, de Cristiane Oliveira (37,8% dos votos)
“Cidades Fantasmas”, de Tyrell Spencer (8,1% dos votos)

Melhor Curta-metragem Gaúcho
“Secundas”, de Cacá Nazario (43,2% dos votos)
“Mãe dos Monstros”, de Julia Zanin de Paula (35,1% dos votos)
‘Yomared”, de Lufe Bollini (10,8% dos votos)

Destaque Gaúcho – Prêmio Luiz César Cozatti
Programa de Alfabetização Audiovisual (77,8% dos votos)
Projeto Raros (14,8% dos votos)
30 Anos da Casa de Cinema de Porto Alegre (7,4% dos votos)

10:51 · 12.01.2018 / atualizado às 10:51 · 12.01.2018 por
“O Ornitólogo” foi eleito como melhor longa-metragem estrangeiro

A Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine) elegeu os curtas e longas-metragens que mais se destacaram em 2017. Foram citados 64 filmes no primeiro turno de votação, entre curtas, médias e longas, nas cinco categorias, reflexo da pluralidade e da qualidade das obras lançadas no último ano. No segundo turno, os votantes definiram os vencedores de cada categoria. A entidade é composta por profissionais de cinema e audiovisual que atuam como críticos no Ceará, conectados com a efervescência da produção contemporânea.

Para os prêmios de melhor longa-metragem estrangeiro e brasileiro, os associados consideraram produções lançadas em circuito comercial no Ceará entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017 e que permaneceram em cartaz pelo menos uma semana. Os escolhidos foram “O Ornitólogo” (Portugal/França/Brasil), dirigido por João Pedro Rodrigues, e “Corpo Elétrico”, de Marcelo Caetano, respectivamente.

Concorriam na categoria de melhor longa-metragem cearense os filmes que estrearam nas salas de cinema, no mesmo período, ou obras inéditas em circuito que tiveram uma primeira exibição pública no Ceará decorrer do ano. O prêmio foi para “Corpo Delito”, de Pedro Rocha.

Os curtas-metragens também foram avaliados pelos associados. O critério para o prêmio de melhor curta/média brasileiro contemplava filmes, independente do ano de produção, que tiveram uma primeira exibição pública em mostras e festivais do Brasil em 2017. O escolhido foi a produção baiana “Mamata”, de Marcus Curvelo. Já para os curtas cearenses, concorriam obras que tiveram uma primeira exibição pública no Ceará no mesmo período. O vencedor foi “Vando Vulgo Vedita”, de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus.

Melhores Filmes de 2017 segundo a Aceccine

Melhor Longa-metragem Cearense:
“Corpo Delito”, de Pedro Rocha

Melhor Longa-metragem Brasileiro:
“Corpo Elétrico”, de Marcelo Caetano

Melhor Longa-metragem Estrangeiro:
“O Ornitólogo” (Portugal/França/Brasil), de João Pedro Rodrigues

Melhor Curta-metragem Cearense:
“Vando Vulgo Vedita”, de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus

Melhor Curta-metragem Brasileiro:
“Mamata” (BA), de Marcus Curvelo

14:28 · 10.01.2018 / atualizado às 14:28 · 10.01.2018 por
O elogiado “Corra!” é um dos filmes disponíveis no NOW

Realizado no último domingo (7), o Globo de Ouro 2018 abriu a temporada das grandes premiações de Hollywood. Se você perdeu alguns dos principais destaques da noite, o NOW reúne filmes e episódios das séries indicadas, como “Corra!”, “Em Ritmo de Fuga”, “Game of Thrones”, “Insecure”, “Ray Donovan”, “The Deuce” e “Black-ish”.

Grande premiada da noite, “Big Little Lies” levou para casa quatro estatuetas: Melhor série limitada ou filme para a TV; Melhor atriz de minissérie ou filme feito para TV para Nicole Kidman; Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV para Laura Dern e Melhor ator coadjuvante para série, minissérie ou filme feito para TV para Alexander Skarsgård.

“This is Us”, uma das séries mais comentadas do momento, concorria em três categorias no Globo de Ouro 2018 e proclamou Sterling K. Brown como Melhor ator de série – Drama, também pode ser acessada na plataforma, para assinantes FOX Premium.

09:46 · 08.01.2018 / atualizado às 09:46 · 08.01.2018 por
Frances McDormand também foi premiada por “Três Anúncios para um Crime”

Foram anunciados na noite de ontem (7) os vencedores da 75ª edição do Globo de Ouro, prêmio concedido pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood. A cerimônia foi marcada por discursos sobre assédio, que virou pauta em Hollywood nos últimos meses.

Veja a lista completa de premiados:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Me Chame Pelo Seu Nome
The Post – A Guerra Secreta
A Forma da Água
Dunkirk
Três Anúncios para um Crime

MELHOR FILME – COMÉDIA/MUSICAL
Corra!
Lady Bird – A Hora de Voar
Artista do Desastre
Eu, Tonya
O Rei do Show

MELHOR DIRETOR
Christopher Nolan (Dunkirk)
Ridley Scott (Todo o Dinheiro do Mundo)
Guillermo del Toro (A Forma da Água)
Steven Spielberg (The Post – A Guerra Secreta)
Martin McDonagh (Três Anúncios para um Crime)

MELHOR ATOR – DRAMA
Gary Oldman (O Destino de uma Nação)
Daniel Day-Lewis (Trama Fantasma)
Timothée Chalamet (Me Chame Pelo Seu Nome)
Tom Hanks (The Post – A Guerra Secreta)
Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Frances McDormand (Três Anúncios Para um Crime)
Meryl Streep (The Post – A Guerra Secreta)
Sally Hawkins (A Forma da Água)
Jessica Chastain (A Grande Jogada)
Michelle Williams (Todo o Dinheiro do Mundo)

MELHOR ATOR – COMÉDIA/MUSICAL
Daniel Kaluuya (Corra!)
James Franco (Artista do Desastre)
Hugh Jackman (O Rei do Show)
Steve Carell (A Guerra dos Sexos)
Ansel Elgort (Em Ritmo de Fuga)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA/MUSICAL
Margot Robbie (Eu, Tonya)
Emma Stone (A Guerra dos Sexos)
Judi Dench (Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha)
Saoirse Ronan (Lady Bird – A Hora de Voar)
Helen Mirren (The Leisure Seeker)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sam Rockwell (Três Anúncios Para um Crime)
Richard Jenkins (A Forma da Água)
Willem Dafoe (Projeto Flórida)
Armie Hammer (Me Chame Pelo Seu Nome)
Christopher Plummer (Todo o Dinheiro do Mundo)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Laurie Metcalf (Lady Bird – A Hora de Voar)
Allison Janney (Eu, Tonya)
Mary J. Blige (Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi)
Hong Chau (Pequena Grande Vida)
Octavia Spencer (A Forma da Água)

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Viva – A Vida é uma Festa
Com Amor, Van Gogh
The Breadwinner
O Poderoso Chefinho
O Touro Ferdinando

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Square – A Arte da Discórdia (Suécia)
First They Killed My Father (Camboja)
Em Pedaços (Alemanha)
Uma Mulher Fantástica (Chile)
Loveless (Rússia)

MELHOR ROTEIRO
Greta Gerwig (Lady Bird – A Hora de Voar)
Guillermo del Toro e Vanessa Taylor (A Forma da Água)
Martin McDonagh (Três Anúncios para um Crime)
Liz Hannah e Josh Singer (The Post – A Guerra Secreta)
Aaron Sorkin (A Grande Jogada)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
A Forma da Água
Dunkirk
The Post – A Guerra Secreta
Trama Fantasma
Três Anúncios para um Crime

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Remember Me”, Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez (Viva – A Vida é uma Festa)
“Mighty River”, Raphael Saadiq, Taura Stinson e Mary J. Blige (Mudbound)
“This Is Me”, Justin Paul e Benj Pasek (O Rei do Show)
“Home”, Nick Jonas, Justin Tranter e Nick Monson (O Touro Ferdinando)
“The Star”, Mariah Carey e Marc Shaiman (A Estrela de Belém)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DE TV – DRAMA
The Crown
The Handmaid’s Tale
Game of Thrones
Stranger Things
This is Us

MELHOR SÉRIE DE TV – COMÉDIA/MUSICAL
Black-ish
SMILF
Master of None
Will & Grace
The Marvelous Mrs. Maisel

MELHOR MINISSÉRIE/TELEFILME
Big Little Lies

Feud: Bette & Joan
Top of the Lake: China Girl
The Sinner
Fargo

MELHOR ATOR – DRAMA
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Jason Bateman (Ozark)
Sterling K. Brown (This Is Us)
Freddie Highmore (The Good Doctor)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Caitriona Balfe (Outlander)
Claire Foy (The Crown)
Maggie Gyllenhaal (The Deuce)
Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale)
Katherine Langford (13 Reasons Why)

MELHOR ATOR – COMÉDIA/MUSICAL
Aziz Ansari (Master of None)
Anthony Anderson (Black-ish)
Eric McCormack (Will & Grace)
Kevin Bacon (I Love Dick)
William H. Macy (Shameless)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA/MUSICAL
Alison Brie (Glow)
Issa Rae (Insecure)
Frankie Shaw (SMILF)
Pamela Adlon (Better Things)
Rachel Brosnahan (The Marvelous Mrs. Maisel)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE/TELEFILME
Robert De Niro (O Mago das Mentiras)
Jude Law (The Young Pope)
Kyle MacLachlan (Twin Peaks)
Ewan McGregor (Fargo)
Geoffrey Rush (Genius)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE/TELEFILME
Nicole Kidman (Big Little Lies)
Reese Witherspoon (Big Little Lies)
Jessica Lange (Feud: Bette & Joan)
Susan Sarandon (Feud: Bette & Joan)
Jessica Biel (The Sinner)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE DE TV/MINISSÉRIE/TELEFILME
Alfred Molina (Feud: Bette & Joan)
Alexander Skarsgard (Big Little Lies)
Christian Slater (Mr. Robot)
David Thewlis (Fargo)
David Harbour (Stranger Things)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE DE TV/MINISSÉRIE/TELEFILME
Laura Dern (Big Little Lies)
Ann Dowd (The Handmaid’s Tale)
Shailene Woodley (Big Little Lies)
Chrissy Metz (This Is Us)
Michelle Pfeiffer (O Mago das Mentiras)

09:55 · 04.01.2018 / atualizado às 09:56 · 04.01.2018 por
Recentemente, Cate Blanchett criou a fundação Time’s Up, ao lado de outras atrizes, para ajudar vítimas de assédio sexual

A atriz australiana Cate Blanchett, uma das estrelas de Hollywood que mais se empenha na luta contra o assédio sexual, presidirá o júri do 71º Festival de Cannes (8 a 19 de maio), anunciaram os organizadores.

Blanchett acaba de criar uma fundação, a Time’s Up, ao lado de outras estrelas como Natalie Portman e Meryl Streep, para ajudar as vítimas do assédio sexual.

A atriz de 48 anos será a 12ª mulher a presidir o júri de Cannes, quatro anos depois da diretora neozelandesa Jane Campion. Ano passado a honraria coube ao cineasta espanhol Pedro Almodóvar. O ganhador da Palma de Ouro foi “The Square”, filme que pode levar neste fim de semana o Globo de Ouro.

Vencedora do Oscar por “O Aviador” (2004), de coadjuvante, e “Blue Jasmine” (2013), de atriz principal, Blanchett nunca foi premiada no festival francês.

“Vou a Cannes há anos como atriz, produtora e para as festas de gala e sessões de competição, inclusive pelo mercado. Mas ainda não fui pelo mero prazer de aproveitar a abundância de filmes deste grande festival”, afirmou a atriz em um comunicado.

“Estamos muito felizes de acolher uma artista rara e singular, cujo talento e convicções preenchem as telas de cinema e os palcos de teatro. Nossas conversas com ela nos prometem que será uma presidente comprometida, uma mulher apaixonada e uma espectadora generosa”, afirmaram, por sua parte, Pierre Lescure, presidente do Festival de Cannes, e Thierry Frémaux, delegado-geral.

Com informações da Folhapress.

14:39 · 27.12.2017 / atualizado às 14:41 · 27.12.2017 por
“Toni Erdmann” é uma das atrações da Faixa Retrospectiva

A tradicional Mostra Retrospectiva/ Expectativa do Cinema do Dragão chega rebatizada à quarta edição. Agora, será Mostra Retroexpectativa, unindo numa só palavra os dois conceitos básicos da seleção especial de filmes.

De 11 a 24 de janeiro de 2018, a mostra exibirá, nas duas salas do cinema, 63 filmes divididos nas faixas Retrospectiva, Expectativa, Clássicos e a de cinema brasileiro, neste ano, sob o nome Estado de Emergência, temática-chefe da programação.

“Programar a Mostra Retroexpectativa é colocar-se diante do ano que passou e revê-lo através das imagens e dos filmes. É quando podemos re-exibir títulos que marcaram o Cinema do Dragão, mas também fazer descobertas, propor novas experiências, utilizar a sala de cinema como espaço de deslocamento, discussão e debate”, define o programador do Cinema do Dragão, Pedro Azevedo.

Ele destaca ainda que, para esta edição, a mostra tenta traduzir um “sentimento comum” ao cinema brasileiro, na faixa Estado de Emergência. “Trata-se de um recorte pequeno de nove longas-metragens que dão várias pistas sobre a experiência que foi viver no Brasil em 2017. A seleção traz filmes bastante distintos entre si que, como num jogo de baralho, conferem ao espectador a autonomia de propor combinações, diálogos possíveis”, explica.

Com quatro anos a pleno funcionamento, desde a reinauguração em 2013, o Cinema do Dragão segue forte enquanto único cinema da cidade com programação que foge ao circuito do grande mercado cinematográfico mundial e nacional. Com duas modernas salas de exibição 4K e com uma seleção de filmes festejada pelos amantes do cinema, foram 30.557 ingressos vendidos, em 2017, fora os mais de 6.000 espectadores de sessões gratuitas. Nesse período, foram exibidos 220 longas-metragens de 31 países diferentes. Desse total, 62 são títulos brasileiros. Na faixa Conversa de Cinema, somam-se 32 debates com realizadores brasileiros e um argentino, ao longo do ano.

Veja a lista de filmes programados para a Mostra Retroexpectativa:

FAIXA RETROSPECTIVA

Aquarius
Kleber Mendonça Filho // Brasil // 145 min // 2016

120 Batimentos por minuto
Robin Campillo // França // 144 min // 2017

A Cidade Onde Envelheço
Marília Rocha // Brasil // 99 min // 2017

Blade Runner 2049
Denis Villeneuve // Estados Unidos da América // 105 min // 2017

Corra!
Jordan Peele // Estados Unidos da América // 104 min // 2017

O estranho que nós amamos
Sofia Coppola // Estados Unidos da América // 93 min // 2017

Fragmentado
M. Night Shyamalan // Estados Unidos da América // 117 min // 2017

Bom Comportamento
Benny Safdie e Joshua Safdie // Estados Unidos da América // 105 min // 2017

Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois
Petrus Cariry // Brasil // 80 minutos // 2017

Com Amor, Van Gogh
Dorota Kobiela e Hugh Welchman // Estados Unidos da América // 95 min // 2017

Corpo Delito
Pedro Rocha // Brasil // 74 min// 2017

Corpo Elétrico
Marcelo Caetano // Brasil // 94 min // 2017

David Lynch: a vida de um artista
Jon Nguyen, Olivia Neergaard Holm e Rick Barnes // Dinamarca // 93 min // 2016

De canção em canção
Terrence Malick // Estados Unidos da América // 129 min // 2017

Divinas Divas
Leandra Leal // Brasil // 110 min // 2017

Em ritmo de fuga
Edgar Wright // Estados Unidos da América // 118 min // 2017

Eu não sou seu negro
Raoul Peck // Bélgica // 93 min // 2016

Eu, Daniel Blake
Ken Loach // Inglaterra // 97 min // 2016

Invisível
Pablo Giorgelli // Argentina, Brasil // 90 min // 2017

Joaquim
Marcelo Gomes // Brasil // 97 min // 2017

John Wick – Um novo dia para matar
Chad Stahelski // Estados Unidos da América // 132 min // 2017

Jovem Mulher
Léonor Serraille // França // 97 min // 2017

Lucky
John Carroll Lynch // Estados Unidos da América // 88 min // 2017

Lumière! A aventura começa
Thierry Frémaux // França // 90 min // 2017

Mãe!
Darren Aronofsky // Estados Unidos da América // 115 min // 2017

Meu corpo é político
Alice Riff // Brasil // 71 min // 2017

Mistério na Costa Chanel
Bruno Dumont // França // 122 min // 2017

Muito romântico
Melissa Dullius e Gustavo Jahn // Alemanha, Brasil // 72 min // 2017

Na praia à noite sozinha
Hong Sang-Soo // Coreia do Sul // 101 min // 2017

No intenso agora
João Moreira Salles // Brasil // 130 min // 2017

O formidável
Michel Hazanavicius // França // 107 min // 2017

O futuro perfeito
Nele Wohlatz // Argentina // 65 min // 2016

O ornitólogo
João Pedro Rodrigues // Brasil, Portugal // 118 min // 2016

Os pobres diabos
Rosemberg Cariry // Brasil // 98 min // 2017

Paterson
Jim Jarmusch // Estados Unidos da América // 118 min // 2016

Patti Cake$
Geremy Jasper // Estados Unidos da América // 109 min // 2017

Roda Gigante
Woody Allen // Estados unidos da América // 102 min // 2017

T2 Trainspotting
Danny Boyle // Reino Unido // 120 min // 2017

The Square – A arte da discórdia
Ruben Östlund // Suécia, Alemanha // 142 min // 2017

Toni Erdmann
Maren Ade // Alemanha // 162 min // 2016

Verão 1993
Carla Simón // Espanha // 98 min // 2017

“Cidade dos Sonhos”, de David Lynch, ganhará novas exibições

FAIXA CLÁSSICOS

Acossado
Jean-Luc Godard // França // 90 min // 1960

Stromboli
Roberto Rosselini // Itália // 107 min // 1950

A bela da tarde
Luís Buñuel // França // 100 min // 1967

Mulholland Drive – Cidade dos Sonhos
David Lynch // Estados Unidos da América // 147 min // 2001

A primeira noite de um homem
Miche Nichols // Estados Unidos da América // 105 min // 1967

Dirigido por Lucrecia Martel, “Zama” integra a Faixa Expectativa com filmes inéditos

FAIXA EXPECTATIVA

Antes que tudo desapareça
Kyoshi Kurosawa // Japão // 129 min // 2017

Western
Valeska Grisebach // Alemanha, Bulgária // 119 min // 2017

Os Iniciados
John Trengove // África do Sul // 88 min // 2017

O caminho dos sonhos
Angela Schanelec // Alemanha // 86 min // 2017

O dia depois
Hong Sang-soo // Coréia // 92 min // 2017

Esplendor
Naomi Kawase // Japão // 101 min // 2017

Zama
Lucrecia Martel // Argentina // 115 min // 2017

A luta do século
Sergio Machado // Brasil // 78 min // 2017

Vencedor do Festival de Brasília, o inédito “Arábia” é destaque na Faixa Estado de Emergência

FAIXA ESTADO DE EMERGÊNCIA

Baronesa
Juliana Antunes // Brasil // 73 min // 2017

Arábia
Affonso Uchoa e João Dumans // Brasil // 97 min // 2017

Modo de produção
Dea Ferraz // Brasil // 75 min // 2017

O nó do diabo
Ramon Porto Mota, Gabriel Martins, Ian Abé e Jhesus Tribuzi // Brasil // 75 min // 2017

O animal cordial
Gabriela Amaral Almeida // Brasil // 96 min // 2017

Era uma vez Brasília
Adirley Queirós // Brasil // 100 min // 2017

A moça do calendário
Helena Ignez // Brasil // 86 min // 2017

Em nome da América
Fernando Weller // Brasil // 96 min // 2017

Camocim
Quentin Delaroche // Brasil // 76 min // 2017

12:52 · 26.12.2017 / atualizado às 12:52 · 26.12.2017 por
David Bowie em “Labirinto – A Magia do Tempo”

A CAIXA Cultural de Fortaleza recebe de 10 e 14 de janeiro de 2018, a mostra itinerante de cinema O Homem que Caiu na Terra, que reunirá produções do cantor, compositor, multi-instrumentista, produtor, pintor, mímico, ator de cinema e teatro David Bowie.

Bowie escreveu roteiros, dirigiu videoclipes, assinou trilhas sonoras e atuou em dezenas de filmes e programas de TV em seus mais de 40 anos de carreira. Esse período de quase meio século da cultura pop é percorrido na programação da mostra O Homem que Caiu na Terra, que reúne 17 filmes de ficção provocadores e com música de primeira qualidade, em curta, média e longa duração.

Os 17 títulos apresentados englobam desde clássicos como o longa-metragem que dá nome à mostra, O Homem que Caiu na Terra (1976), até obras mais obscuras, como curtas-metragens nos quais Bowie atuou nos anos 1960 e 1970, e também três filmes infantis.

Entre os destaques, estão os sucessos de público como “Labirinto – A magia do tempo” (1986) e “Eu, Christiane F., 13 anos, drogada e prostituída” (1981); e o clássico cult de David Lynch, “Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer” (1992); além de curtas-metragens raros, como “The Image” (1969), que é o primeiro filme da carreira de Bowie nas telas, e dois outros com atuação e roteiro de David Bowie, “Pierrot in Turquoise or The Looking Glass Murders” (1970) e “Jazzin’ for Blue Jean” (1984). “Fome de Viver” (1983), que reúne David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon no elenco, conta com legendagem descritiva para deficientes auditivos em sua exibição.

Em Fortaleza, os debates com participação dos convidados Ari Areia, Cadu Bezerra e Helena Vieira abordam diferentes aspectos sobre orientação sexual e liberdade de gênero, tendo sempre como ponto de partida a obra de Bowie. Já a oficina prática com Fran Pimentel (UVA) investiga os elementos mais marcantes da identidade visual de Bowie, para criar maquiagens e figurinos com os participantes. Essa programação paralela é gratuita (por ordem de chegada, sujeito à lotação do teatro), e os debates contam com tradução simultânea em LIBRAS.

Programação por dia:

Quarta-feira – 10 de janeiro
14h00 – Basquiat – Traços de Uma Vida – Classificação: 18 anos
16h00 – A Última Tentação de Cristo – Classificação: 14 anos
19h00 – Sessão de Abertura – O Homem que Caiu na Terra – Classificação: 14 anos

Quinta-feira – 11 de janeiro
14h00 – Apenas um Gigolô – Classificação: 14 anos
16h00 – Furyo, Em Nome da Honra –– Classificação: 14 anos
19h00 – Atividades Paralelas: Ciclo de debates sobre gênero e sexualidade – Tema 1 – A quebra contemporânea da divisão binária dos papéis sexuais

Sexta-feira – 12 de janeiro
14h00 – Absolute Beginners – Classificação: 14 anos
16h00 – Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída – Classificação: 18 anos
19h00 – Atividades Paralelas – Ciclo de debates sobre gênero e sexualidade – Tema 2 – Na contramão do conservadorismo: direito ao corpo e à liberdade de expressão sexual

Sábado – 13 de janeiro
10h00 – Atividades Paralelas – Oficina de maquiagem criativa e figurino – Oficineiro: Profa. Fran Pimentel
14h00 – Arthur e os Minimoys – Classificação: Livre
16h00 – Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer – Classificação: 18 anos
19h00 – O Grande Truque – Classificação: 14 anos

Domingo – 14 de janeiro
14h00 – Labirinto – A Magia do Tempo – Classificação: 12 anos
16h00 – The Snowman; (Livre)
The Image; (18 anos)
Pierrot in Turquoise or The Looking Glass Murders; (18 anos)
Jazzin’ for Blue Jean; (12 anos)
Empty; (18 anos)
19h00 – Fome de Viver – Classificação: 14 anos

09:34 · 20.12.2017 / atualizado às 09:47 · 20.12.2017 por
Suspense brasileiro “O Animal Cordial”, de Gabriela Amaral Almeida, é um dos filmes confirmados na Mostra Retrospectativa

Consolidado como um dos espaços de cinema mais importantes de Fortaleza, o Cinema do Dragão deve anunciar nos próximos dias a programação completa da Mostra Retrospectativa (antiga Mostra Retrospectiva/Expectativa), que acontecerá de 11 a 24 de janeiro, nas duas salas de projeção.

O panorama oferecerá exibições de dezenas de filmes de todas as partes do mundo que marcaram o circuito comercial no ano de 2017 (faixa retrospectiva); lançamentos e pré-estreias de títulos importantes ainda inéditos (faixa expectativa), sessões especiais de clássicos em cópias restauradas DCP 2K e 4K (faixa clássicos) e debates com realizadores.

Entre os destaques já confirmados estão o clássico “Acossado”, de Jean Luc-Godard, em nova cópia DCP 4K; “Blade Runner 2049”, de Denis Villeneuve (exibição em 4K); o aguardado suspense nacional “O Animal Cordial”, de Gabriela Amaral Almeida; e os inéditos “Zama”, da cineasta argentina Lucrecia Martel, e “Western”, de Valeska Grisebach.

Os ingressos custarão R$14 (inteira) e R$7 (meia). Às terça-feiras, o valor é promocional: R$10 (inteira) e R$5 (meia).

09:59 · 15.12.2017 / atualizado às 09:59 · 15.12.2017 por

“Ex-Pajé”, escrito e dirigido por Luiz Bolognesi (“Uma História de Amor e Fúria”), terá sua estreia mundial no próximo 68º Festival Internacional de Cinema de Berlim (15-25 de fevereiro 2018), na Alemanha, como parte da mostra Panorama.

“Num momento em que as casas de reza indígenas estão sendo queimadas e os pajés demonizados pela violência evangélica, ter o filme Ex-Pajé selecionado para Berlim significa levar as vozes dos espíritos da floresta mundo afora através do cinema. Por isso, estou feliz.”, comentou o diretor.

O longa mostra o drama contemporâneo dos povos indígenas a partir da história de Perpera, um índio Paiter Suruí que viveu até os 20 anos num grupo isolado na floresta onde se tornou pajé. Após o contato com os brancos, um pastor evangélico afirma que os atos e saberes do pajé são coisas do Diabo e Perpera passa a viver um conflito interno. Apesar de se dizer evangélico e se definir como ex-pajé, continua tendo visões dos espíritos da floresta.

“O mais comovente neste cinema verdade que o Luiz Bolognesi se propôs a filmar com toda a delicadeza que o tema exige é a transformação de nós espectadores em testemunhas dos últimos minutos de existência de uma cultura milenar cheia de sabedoria que não foi registrada na história deste planeta e nem passada para as novas gerações. O último suspiro.”, conta a produtora Laís Bodanzky.

“É com grande emoção que Caio e eu recebemos a notícia da seleção oficial do ‘Ex-Pajé’ no Festival de Berlim, pela nossa aliança com o Luiz Bolognesi e a Laís Bodanzky que são nossos parceiros de cinema e de vida e pela relevância do assunto que estamos tratando. Acreditamos que a história do Ex-Pajé dialoga com muitas histórias de minorias em todo mundo e foi isso que Berlim soube ver com muita precisão.”, comentou Fabiano Gullane.