Blog de Cinema

Busca


MEU NAMORADO É UM ZUMBI/Crítica – diversão para adolescentes

Publicado em 19/02/2013 - 7:34 por | 13 Comentários

Categorias: CRÍTICAS DE FILMES

  • Enviar para o Kindle

Um olhar um tanto ranzinza em torno de Meu Namorado É um Zumbi (Warm Bodies, 2013), comédia romântica com zumbis do diretor de 50% (50/50, 2011), que é sucesso junto ao público jovem

Nicholas Hoult, como o zumbi de bom coração, ao lado do blu-ray de ZOMBIE, de Lucio Fulci

Nicholas Hoult, o zumbi de bom coração, ao lado do Blu-ray de ZOMBIE, de Lucio Fulci

Essa moda de fazer filmes que trazem romances de pessoas normais com criaturas sobrenaturais que começou com A Saga Crepúsculo já está incomodando. Falo por mim, claro, mas sei que muitas pessoas dividem comigo essa insatisfação. E olha que Meu Namorado É um Zumbi até tem um diretor decente no comando, Jonathan Levine, que dirigiu a bonita dramédia 50% e faz o possível para compor um bom trabalho. Mas o problema é que, uma vez que não se compra a premissa do filme, fica difícil ir adiante e se divertir.

Quem compra, ótimo: vai ter mais de uma hora e meia de um misto de filme romântico gótico com comédia apocalíptica. Como zumbis estão na moda, nada como dar mais uma mexidinha. Por que não colocar em cena um zumbi que se apaixona e começa a ganhar de volta a vida? E por que não transformar essa história em mais uma paródia de Romeu e Julieta para as novas plateias?

Um ponto positivo do filme é a possibilidade de acompanhar uma narrativa do ponto de vista de um zumbi, com direito a narração em voice-over e tudo. O tal zumbi (vivido por Nicholas Hoult, o Fera de X-Men – Primeira Classe (X-Men – First Class, 2011)) não lembra do próprio nome; só sabe que começa com “R”. Tem até outro amigo, com quem troca olhares e grunhidos. Há, nesse cenário apocalíptico, outro tipo de zumbis: os esqueletos, versões ainda mais perversas e famintas que os zumbis que ainda têm carne sobre os ossos.

E é nesse cenário que surge a personagem de Julie (Teresa Palmer, de Eu Sou o Número Quatro, 2011), a responsável por fazer o coração de R bater. E, aos poucos, o que eram apenas algumas palavras acabam se tornando frases na boca desse zumbi que a salva da morte. Não sem antes comer o cérebro de seu namorado, o que faz com que ele ganhe as memórias do rapaz. Não dá para dizer que esses escritores não têm imaginação. Agora, até que ponto essa é uma boa ideia?

Teresa Palmer e Nicholas Hoult em cena de MEU NAMORADO É UM ZUMBI

Teresa Palmer e Nicholas Hoult em MEU NAMORADO É UM ZUMBI (2012), de Jonathan Levine

Para não dizer que estou sendo ranzinza, enumeremos mais pontos positivos do filme: os créditos iniciais são bonitos, emulando romances femininos; o ator que vive o zumbi do bem, Nicholas Hoult, como já fez um sujeito desajeitado antes, o Fera, acabou servindo para compor o personagem; Teresa Palmer é uma bela e carismática jovem que pode ainda ter futuro – está no elenco de um dos próximos filmes de Terrence Malick, Knight of Cups.

Quanto a Meu Namorado É um Zumbi, é mais uma diversão dirigida principalmente ao público adolescente. E não há nada de errado com isso. Mas seria interessante que filmes que se dirigem a esse público também sejam tão bons a ponto de conquistar públicos maiores, como foi o caso de Jogos Vorazes (Hunger Games, 2012). Não por acaso, ambos os filmes são adaptações de livros juvenis. Se servem para incentivar a leitura neste país, esses livros e suas adaptações até que são bem-vindos.

Ficha técnica

MEU NAMORADO É UM ZUMBI (Warm Bodies, EUA, 2013), de Jonathan Levin. Com Nicholas Hoult, Teresa Palmer, John Malkovich, Analeigh Tipton, Rob Corddry, Dave Franco. 98 min. Paris Filmes. 10 anos.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Comentários

Ronald Luis

em 19 de fevereiro de 2013

Comentei em meu Blog que ‘Meu Namorado é um Zumbi’ não é um ‘Jogos Vorazes’, mas passa longe de ser um ‘Crepúsculo’… A trilha sonora é muito boa, e a mensagem final, sobre o poder do amor de mudar as pessoas, acabar com guerras, achei sensacional para o público alvo: os adolescentes…

Ailton Monteiro

em 19 de fevereiro de 2013

Eu ainda prefiro CREPÚSCULO, Ronald. Não a franquia toda, mas o primeiro filme. Acho os personagens mais vivos do que neste filme. Mas MEU NAMORADO É UM ZUMBI tem a vantagem de não se levar a sério. E tem a boa trilha, como você muito bem destacou.

mari

em 22 de fevereiro de 2013

Concordo, esse filme nāo tem a pretençāo de se comparar a crepusculo ou a Jogos vorazes, é mais como se fosse uma satira zuando os zumbi verdadeiros. Pra quem nāo tem pretençoes de comparaçoes é um otimo filme

tainara

em 22 de fevereiro de 2013

eu acho que o filme crepúsculo e o filme meu namorado é um zumbi são um pouco parecidos mas crepúsculo parece mais real mais o filme meu namorado é um zumbi é romance como toda saga crepúsculo
eu amo os dois filmes.

tainara

em 22 de fevereiro de 2013

ah e o comentario 2 é muito idiota
otário

Fernando

em 6 de março de 2013

Esse filme é feito para meninas – que coisa de romance fora da realidade, está virando moda, torna os seres maus das trevas, como vampiro,zumbi em coisas boa, como os gays vampiro do crepúsculo e agora esse filme medonho, fico preocupado com esse diretores, estão perdendo a criatividade… Olha se o Master Steven Spielberg, faz um filme sem noção e medonho como esse. já basta vampiro que engravida e agora zumbir que se apaixona
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…..

Quero meu filme de terror de volta.. volta jason..

Ailton Monteiro

em 10 de março de 2013

Oi, Mari. Sim, é uma sátira. Mas é que ultimamente os zumbis estão em tantas mídias e já foram, inclusive, feitos filmes unindo terror e comédia com zumbis, como o excelente A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS (1985), que mais uma sátira chega a cansar um pouco. Ainda mais sendo uma história de amor.

Tainara, também acho que CREPÚSCULO é bem mais vivo, embora mereça ser escarnecido pela sua trajetória como “saga”.

Fernando, nessa horas dá mesmo saudade de SEXTA-FEIRA 13.

Ananda lima

em 2 de abril de 2013

Eu amei meu namorado e um zumbi e uma historia muito bem elaborada e nao foge em nada dos filmes de zumbi horriveis e sem centimento na verdade ele vem pra da um disfecho esperancoso aos zumbi afinal em os filmes de zumbi nunca tem um desfecha ninguem sabe oque vai acontence com os zumbis ele vem mostrando que os zumbi podem volta a vida ele olha de forma otimista eu amei

Ailton Monteiro

em 5 de abril de 2013

A questão foi mesmo eu não ter visto graça no senso de humor do filme, Ananda. E nem houve identificação ou comoção com relação ao relacionamento entre os protagonistas. Foi questão de sintonia, creio eu.

ketlen

em 18 de abril de 2013

esse filme é muito bom as pessoas que nao gostam nao sabe o que é filme bom

Jéssy Alvess

em 3 de agosto de 2013

EU AMO ESSE FILME.
EU SÓ NAO GOSTEI DA TRILHA SONORA.
EU GOSTEI MUITO DO FILME.
TENHO 13 ANOS.
TALVEZ VOCE SEJE MUITO VELHO POR ISSO NAO GOSTOU! KKKK

Equipe Blog de Cinema

em 6 de agosto de 2013

Talvez seje este mesmo o problema.

jéssica

em 14 de outubro de 2013

eu gostei bastante do filme, realmente viaja um pouquinho(nao pera, muiito) nessa historia do “r” se apaixonar(a primeira vista rsrs) e tal, mas gostei porque todos os filmes de zumbi que eu já assisti não incluem romance, alguns comedia, mas nada de romance, bem eu que sou fã do gênero gostei da combinação final e da mensagem que o filme passou… não entendi o motivo de mencionarem “sexta feira 13″ nos comentários, gente “meu namorado é um zumbi” não é terror portanto não segue os mesmos padrões é uma comedia romântica\ drama, não esperem terror desse filme…enfim, acabei de assistir, o filme realmente é um pouco “viajão”, mas vale a pena, o enredo é bom, trilha sonora, atuação dos personagens,elenco, direção… ótimo para assistir em dias chuvosos comendo brigadeiro ;)


Páginas

Facebook

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999

teste