Busca

Festival de Gramado-2012 – no 4º dia, COLEGAS

09:14 · 14.08.2012 / atualizado às 09:14 · 14.08.2012 por

O quarto dia da 40ª edição do Festival de Cinema de Gramado marcou a estreia da Mostra Especial Cinema Gaúcho, teve exibição de um filme argentino sobre a causa indígena chilena e uma aventura sobre três amigos com Síndrome de Down pela estrada afora. Além disso, no tapete vermelho, houve apresentação especial de integrantes do Cirque du Soleil

Elenco e equipe de produção de CONTOS GAUCHESCOS (foto: Ailton Monteiro)

Depois de três dias de muito calor para uma cidade que é famosa pelo frio, ainda mais no inverno, eis que a segunda-feira começou com chuva e muito frio. Ao fim da tarde uma neblina tomou conta da cidade e todos pareciam estar fumando, soltando fumaça pela boca.

O primeiro filme do dia foi dedicado às crianças. A exibição especial de Antes que o Mundo Acabe (2009), de Ana Luiza Azevedo, atraiu o público infantil. E além de o filme ser muito bonito (já passou, inclusive, no Cinema de Arte, em Fortaleza), é uma bela contribuição para a formação de público.

Em seguida foi exibido o primeiro filme da Mostra Especial Cinema Gaúcho, com a apresentação de Contos Gauchescos, de Henrique Freitas Lima, que adapta contos de uma obra importantíssima para a formação da identidade gaúcha. O curioso do filme é que a sua primeira parte é um pequeno documentário, a fim de apresentar o escritor João Simões Lopes Neto. As demais partes são adaptações de contos, com momentos de tragédia.

Cirque du Soleil em Gramado (foto: Ailton Monteiro)

Sem muito tempo para respirar e na correria para não perder as mostras competitivas da noite, deu tempo de comer um sanduíche e tomar um café. Enquanto isso, no tapete vermelho da Rua Coberta, um grupo saído do Cirque du Soleil atraiu a atenção de quem estava por perto, com suas roupas estranhas e coloridas.

A noite começa com um curta muito bem humorado e inteligente, que mostra um cineasta que, por falta de verbas, utiliza a própria equipe técnica como atores e figurantes de seu filme. Trata-se de Meta, de Rafael Baliu.

Em seguida, o longa-metragem argentino Diez Veces Venceremos, de Cristian Dure, deu prosseguimento à mostra de filmes estrangeiros. Trata-se de um trabalho que lida com a questão de um índio mapuche, da região do Chile, que estuda Comunicação Social na Argentina e tem o sonho de conseguir reconstruir o que ele chama de uma grande nação. É um filme de contestação pelos maus tratos que os índios sofrem pelos governantes, tratados como terroristas.

O curta-metragem gaúcho Casa Afogada, de Gilson Vargas, ganhador de dois prêmios na noite de domingo foi exibido na mostra competitiva e já foi comentado aqui no blog, na postagem anterior.

Mas a grande atração da noite e que foi ovacionado pela plateia, com gritos de “bravo!”, foi a comédia Colegas, de Marcelo Galvão. Muita gente ficou emocionada com a história do trio de amigos com Síndrome de Down que resolve fugir da instituição em que vivem em busca de seus sonhos. Um dos atores principais, o líder da gangue de meninos, feliz com a recepção calorosa da plateia ao final do filme, disse: “imagina como está lá fora”, com um sorriso estampado no rosto. Foi a grande noite de fama desse jovem e ator.

Colegas já tem distribuição assegurada pela Europa Filmes e deve estrear nos cinemas brasileiros em novembro. O filme foi exibido com áudio-descrição para deficientes visuais.

Conheça o trailer de Colegas.

YouTube Preview Image

 

Comentários 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nazira

19/01/2012 as 13:0819

Muito criativo e de bom senso o tema abordado nesta película que emociona desde o primeiro momento. Pois todos nós temos uma criança adormecida ou reprimida dentro do coração!!!