Busca

Tag: Entrevista


13:15 · 23.10.2017 / atualizado às 13:15 · 23.10.2017 por

Em vídeo inédito, a ganhadora do Oscar Judi Dench, protagonista de “Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha”, comenta a experiência de voltar a interpretar a personagem-título, vinte anos depois de tê-la vivido em “Sua Majestade, Mrs. Brown”, papel que rendeu a atriz o Globo de Ouro de melhor atuação em 1998.

Tocada pela história, Dench confessa que se animou ao descobrir que iria interpretá-la novamente no cinema, agora ao lado do ator indiano Ali Fazal: “Pensei: Que maravilha poder revisitar isso! […] Há muitas coisas notáveis nessa amizade extraordinária. Acho que foi como uma maravilhosa injeção de juventude, entusiasmo e algo novo a aprender. Foi vital para ela”, explica a atriz.

Com direção de Stephen Frears, o filme apresenta a história real de uma amizade inesperada entre uma monarca e um jovem empregado que viaja para participar do Jubileu de Ouro e é surpreendido ao conhecer a própria Rainha. Ao se aproximarem, eles criam uma aliança improvável de dedicação e lealdade mútua, que afrontará o circulo doméstico da Rainha. Quando a amizade se aprofunda, Victoria começa a ver um mundo de mudanças através dos olhos de Abdul.

A estreia em circuito comercial está marcada para 16 de novembro no Brasil.

10:18 · 13.09.2017 / atualizado às 10:18 · 13.09.2017 por

Integrante da mostra competitiva do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o drama “Pendular” mistura linguagens do cinema, da escultura e da dança. A primeira inspiração para o filme deu-se a partir da performance Rest Energy, de Marina Abramovic e seu marido Ulay, em 1980. Nesta encenação, ambos seguravam um arco tensionado somente pelo peso de seus corpos, apontando uma flecha para o coração de Abramovic, explorando a confiança e a vulnerabilidade inerentes às relações humanas. A diretora Julia Murat e o elenco falam sobre as inspirações no vídeo abaixo:

Premiado no Festival de Berlim desse ano, o longa chega aos cinemas em circuito comercial em 21 de setembro, com distribuição da Vitrine Filmes. No filme, um jovem casal se muda para um grande galpão industrial abandonado. Uma fita laranja colada no chão divide o espaço em duas partes iguais: à direita o ateliê de escultura dele, à esquerda o estúdio de dança dela. O filme acontece neste ambiente onde arte, performance e intimidade se misturam; e onde os personagens perdem aos poucos a capacidade de distinguir entre seus projetos artísticos, o passado de cada um e sua relação amorosa.

14:45 · 14.08.2017 / atualizado às 14:45 · 14.08.2017 por

Um projeto desafiador, que exigiu algumas diárias de dublagem, em meio às gravações da novela “A Força do Querer”. Assim foi a participação da atriz Juliana Paes em “Uma Família Feliz”, produção alemã que chega nesta quinta (17) aos cinemas brasileiros contando as aventuras de uma família cheia de problemas que ainda por cima recebe uma maldição de uma bruxa.

Em um vídeo de bastidor recém-divulgado, Juliana Paes, que dubla a mãezona Emma, revela os desafios do projeto e sua identificação com a personagem. “Os dubladores profissionais têm o meu aplauso, porque é uma tarefa muito difícil, mas muito estimulante. É um exercício para o ator também”, admite.

Após um feitiço que transformou sua família em monstros, Emma luta ao lado de seus filhos, Max e Fay, e seu marido Frank, para voltar à forma humana. “Eu me vi na Emma. Ela é uma mãe que preza pelos filhos, pelo marido, pela família e tem uma energia que me cativou”, ressalta Juliana.

O filme narra a história dos Wishbones, uma família que está longe de ser feliz. A mãe, Emma, possui uma loja de livros e está profundamente endividada. Papai Frank trabalha demais e sofre sob o comando de seu chefe tirano. A filha, Fay, é uma adolescente autoconsciente e apaixonada por sua primeira paixão no Ensino Médio. Já o garotinho, Max, está sendo intimidado na escola. E não termina por aí – em uma festa a fantasia, uma bruxa malvada, Baba Yaga, transforma toda família em monstros.

Com o feitiço, Emma se torna um vampiro, Frank se transforma no monstro Frankenstein, Fay vira uma múmia e Max um lobisomem. Juntos, essa família de monstros deve perseguir a bruxa para reverter a maldição. Durante esta aventura casual, os Wishbones entram em conflito com alguns monstros da vida real, e o encantador conde Drácula, que declara seu eterno amor por Emma.

13:32 · 05.04.2017 / atualizado às 13:32 · 05.04.2017 por

O cineasta Michael Bay, responsável pela franquia “Transformers”, se classifica como um defensor da experiência cinematográfica. Em vídeo sobre os bastidores de “Transformers: O Último Cavaleiro”, exibido junto a uma prévia de 20 minutos inéditos da sequência, ontem durante os Fan Events, no Rio de Janeiro e em São Paulo, ele justifica a definição ao explicar como filmou o quinto longa-metragem da franquia.

O diretor garante que a nova superprodução da Paramount Pictures, que estreia no Brasil em 20 de julho, foi rodada com os melhores recursos de som, projeção e, pela primeira vez, câmeras IMAX – tudo porque foi pensada especialmente para ser exibida em grandes telas.

“Para que tenham uma melhor experiência, filmamos em 3D nativo”, diz Michael Bay ao mostrar a sala de edição de sua casa, em Miami. “Converter essas imagens é impossível. Bilhões de partículas teriam que ser capturadas e colocadas em espaços diferentes. Mas o 3D nativo já faz isso”, explica o cineasta ao exibir algumas cenas de ação e explosões.

Na nova trama, a chave para salvar nosso futuro está enterrada nos segredos do passado, na história oculta dos Transformers na Terra. A salvação de nosso mundo recai sobre os ombros de uma aliança improvável: Cade Yeager (Mark Wahlberg), Bumblebee, um lorde inglês (Anthony Hopkins) e uma professora da Universidade de Oxford (Laura Haddock). Em “Transformers: O Último Cavaleiro”, os procurados se tornarão heróis. Os heróis se tornarão vilões. Somente um mundo sobreviverá: o deles ou o nosso.

15:06 · 22.03.2017 / atualizado às 15:06 · 22.03.2017 por

O cineasta Rupert Sanders (“Branca de Neve e o Caçador”) já era fã de “Ghost in the Shell” muito antes de sonhar em dirigir a versão live-action inspirada no mangá de Masamure Shirow e no anime de Mamoru Oshii.

Em vídeo, o diretor conta que “A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell” foi criado a partir dos elementos mais emblemáticos dessas obras. Mesmo assim, Scarlett Johansson (“Lucy”), que protagoniza o live-action, garante que o cineasta soube ser fiel às origens da obra e, ao mesmo tempo, inserir sua assinatura ao projeto. “Rupert é um visionário”, garante a atriz.

A trama da produção, que estreia no dia 30 de março, se passa em um futuro próximo e gira em torno da caminhada de Major. Ela é a primeira de sua espécie: uma humana que foi ciberneticamente melhorada, com a função de deter os avanços de crimes tecnológicos e cibernéticos. Na medida em que se prepara para enfrentar um novo inimigo, ela passa a se questionar cada vez mais sobre a sua verdadeira origem.

13:40 · 13.03.2017 / atualizado às 13:40 · 13.03.2017 por

Em “A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell”, que se passa em um futuro próximo, Major é a primeira de sua espécie: uma humana que foi ciberneticamente melhorada, com a função de deter os mais perigosos criminosos. Quando o terrorismo atinge um novo nível, que inclui a habilidade de invadir a mente das pessoas e controlá-las, ela é designada a deter os avanços dessa prática.

Interpretada por Scarlett Johansson (“Lucy”), a personagem central do filme começa a se questionar cada vez mais sobre a sua origem ao perseguir um perigoso hacker. A atriz revelou mais detalhes sobre  a produção baseada na série mangá “Ghost in the Shell” e no famoso anime homônimo de Mamoru Oshii. A estreia acontece dia 30 de março.

Com direção de Rupert Sanders (“Branca de Neve e o Caçador”), o elenco também inclui Beat Takeshi Kitano, Juliette Binoche, Michael Pitt, Pilou Asbæk, Kaori Momoi, Chin Han, Danusia Samal, Lasarus Rtuere, Yutaka Izumihara e Tuwanda Manyimo.

18:32 · 23.02.2017 / atualizado às 18:34 · 23.02.2017 por

A Paramount Pictures divulgou uma entrevista com Denzel Washington (“Incontrolável”) e Viola Davis (“Histórias Cruzadas”) falando sobre o drama “Um Limite Entre Nós”, que entra em cartaz dia 2 de março nos cinemas brasileiros. O longa-metragem foi indicado a quatro estatuetas do Oscar, incluindo Melhor Filme.

A trama retrata a vida de Troy Maxson e os conflitos que permeiam suas relações sociais e familiares. Casado com Rose, ele leva uma vida difícil, em uma América hostil aos negros. Quando seu filho Cory decide seguir carreira no beisebol – antigo sonho do pai – a convivência entre eles começa a ficar cada vez mais complicada.

Assista:

14:44 · 10.01.2017 / atualizado às 14:45 · 10.01.2017 por
Emma Stone interpreta uma aspirante a atriz no romance musical de Damien Chazelle
Emma Stone interpreta uma aspirante a atriz no romance musical de Damien Chazelle

Depois de vencer sete prêmios no Globo de Ouro 2017, incluindo o de Melhor Filme Comédia ou Musical, o romance “La La Land – Cantando Estações” ganhará sessões de pré-estreia a partir desta quinta-feira (12) nos cinemas brasileiros. As sessões antecipadas já estão confirmadas em complexos das redes Cinemark, UCI, Kinoplex, Cinépolis, entre outras. A estreia oficial está marcada para a próxima semana, dia 19.

O filme abriu o Festival de Veneza em 2016 e foi premiado com o Leão de Ouro pela atuação de Emma Stone. A produção também integrou a programação do Festival Internacional de Toronto e levou o prêmio de melhor filme.

A ficção apresenta a história de Mia, papel de Emma Stone (“Birdman”), uma aspirante a atriz, e Sebastian, interpretado por Ryan Gosling (“Drive”), um músico de jazz dedicado, que estão lutando para sobreviver em uma cidade conhecida por esmagar as esperanças e quebrar os corações. Ambientado na moderna Los Angeles, este musical original fala sobre a vida cotidiana e explora a alegria e a dor de um casal que persegue os seus sonhos.

12:26 · 28.12.2016 / atualizado às 12:26 · 28.12.2016 por
Amy Adams estrela suspense ao lado de Jake Gylenhaal
Amy Adams estrela suspense ao lado de Jake Gylenhaal

Com três indicações ao Globo de Ouro 2017, “Animais Noturnos” estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (29). O estilista e agora diretor de cinema Tom Ford revelou suas expectativas em relação à reação do público. Ao lado dos atores Jake Gyllenhaal (“O Homem Duplicado”) e Amy Adams (“Encantada”) contam um pouco mais sobre o enredo do filme.

Para a atriz Amy Adams, o filme entretém, mas também assusta. “Você vai ficar apavorado e entretido. Você definitivamente vai falar sobre o que viu”. Já o ator Armie Hammer (“Espelho, Espelho Meu”), que interpreta o atual marido de Susan na história, conta que a produção mescla suspense e drama. “É assombroso, triste, lindo, tem momentos de energia frenética e muitas coisas acontecendo”, explica.

Assista ao vídeo completo:

“Animais Noturnos” apresenta a história de um casal separado há 20 anos. Susan é uma negociante de arte de Los Angeles que vive uma vida privilegiada, mas incompleta, ao lado do atual marido, Hutton Morrow (Hammer). Em um final de semana em que Hutton deve partir para uma de suas frequentes viagens de negócios, ela recebe um pacote inesperado: um livro escrito pelo ex, Edward (Gyllenhaal), e dedicado a ela. Uma publicação violenta e perturbadora.

13:44 · 23.12.2016 / atualizado às 14:05 · 23.12.2016 por
Animação está em cartaz nos cinemas
Animação está em cartaz nos cinemas

Wanessa Camargo é uma das dubladoras de “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”, que já está em cartaz nos cinemas. A animação ainda conta com as vozes de Fiuk, Sandy, Marcelo Serrado e Mariana Ximenes. Em vídeo inédito de making of, a cantora fala sobre a personalidade forte de Ash e conta como foi gravar a canção original escrita para a porco-espinho no estúdio de dublagem.

“Foi amor à primeira vista”, diz Wanessa sobre Ash. A roqueira conquistou o coração da cantora por seu jeito único: “ela tem um tom irônico, um humor meio debochado típico de adolescente, mas ao mesmo tempo ela é muito doce”, explica Wanessa, a única dubladora brasileira que canta na animação.

Durante o filme, a porco-espinho passa por um processo difícil que a ajuda a crescer como pessoa e também dentro da competição de canto. Quando se vê mais forte do que antes, Ash compõe uma música e surpreende Buster Moon: “É uma música que tem tudo a ver com a historia dela, é onde ela descobre a liberdade de se expressar, de ser, de fazer. É uma música que tem uma mensagem muito legal”, conta Wanessa.