Busca

17:36 · 22.07.2016 / atualizado às 17:36 · 22.07.2016 por

27836504184_fdce2fb52c_zCrato. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, entregou, nesta sexta-feira (22), 596 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) para famílias deste município. As moradias são destinadas às pessoas com renda familiar mensal de até R$ 1,8 mil. Esta é a segunda entrega que o ministro realiza nesta semana.

No início da solenidade, o ministro Bruno Araújo afirmou que hoje é um dia de festa, dia de comemorar essa entrega de unidades na cidade. “Quero dizer ao governador, aos deputados e, sobretudo, aos cearenses que se preparem, pois nós vamos fazer mais residências no Ceará. No mês passado, R$ 20 milhões de recursos foram anunciados para dar continuidade às obras no Estado. E ontem autorizei o pagamento de mais de R$ 6 milhões para obras importantes”, destacou.

Segundo Araújo, o programa está sendo aprimorado e segue firme e forte. “Nós estamos tocando milhares de unidades no Brasil todo. Havia 50 mil unidades que estavam paralisadas no governo anterior e o presidente Michel Temer autorizou a retomada dos recursos de aproximadamente R$ 1 bilhão e 200 milhões de reais para as obras. Vamos lançar também a faixa 1,5 do MCMV nas próximas semanas. Antes de qualquer lançamento de novas obras, faremos o pagamento para a conclusão das obras que estão sendo executadas com recursos do Governo Federal”, afirmou.

De acordo com o ministro, há no Brasil mais de 500 mil obras como essa em andamento. “A construção desse conjunto habitacional teve uma grande participação coletiva. O MCMV não é mais programa de governo, mas sim de toda a sociedade brasileira. Gostaria de lembrar o que já foi dito anteriormente em outras entregas sobre a importância de pagar as prestações. Quando nós pagamos em dia as prestações, ninguém corre o risco de perder o direito de sua casa por ficarem inadimplentes e isso é muito importante”, frisou.

O ministro Bruno Araújo disse ainda que, em breve, será lançado um novo programa social para ajudar no déficit de qualidade habitacional. “Com o anúncio desse programa, as famílias que já possuem a sua casa própria poderão receber recursos do Governo Federal para a reforma habitacional, ou seja, reforma do reboco, do teto e da parte hidráulica e sanitária, por exemplo”, finalizou.

Com investimento de R$ 40,23 milhões, o Residencial Monsenhor Montenegro conta com casas geminadas avaliadas no valor de R$ 59 mil, e cada unidade possui 42,78 m² de área privativa. Ao todo, 18 imóveis são adaptados para pessoas com deficiência. Além disso, atendendo às exigências de qualidade do programa, o empreendimento é equipado com infraestrutura completa, pavimentação, rede de água, esgotamento sanitário, drenagem e energia elétrica.

Investimentos – Desde 2003, o governo federal mantém, por meio do Ministério das Cidades, uma carteira de investimentos de R$ 255,45 milhões somente em Crato. Desse total, R$ 171,86 milhões para a contratação de 2.556 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida. No Estado do Ceará, os investimentos totalizam R$ 19,86 bilhões, sendo R$ 8,70 bilhões para a contratação de 127.865 unidades. Em todo o país, os valores ultrapassam R$ 572,11 bilhões, com a contratação de mais de quatro milhões de unidades habitacionais e entrega de aproximadamente três milhões de moradias.

15:00 · 22.07.2016 / atualizado às 14:00 · 22.07.2016 por

romaria 2Juazeiro do Norte. O turismo religioso ganha força ano após ano, movimentando a economia e gerando novos postos de emprego diretos ou indiretos neste município. No Nordeste, Juazeiro fica atrás apenas da cidade de Canindé, que atrai quase três milhões de religiosos por ano. Os atrativos vão além da estátua do “Padim Ciço” de 27 metros de altura, erguida no alto da Colina do Horto.

O terceiro maior monumento do mundo em concreto armado divide espaço com as igrejas da Matriz, Salesianos, Franciscanos e Socorro, local onde está sepultado o corpo do Padre Cícero. As peregrinações em Juazeiro acontecem há cerca de 120 anos, quando a cidade era apenas um vilarejo com poucas casas. Curiosos passaram a vir de todos os lugares atraídos pela notícia de que hóstias consagradas estavam se transformando em sangue na boca da beata Maria de Araújo.

JUAZEIRO DO NORTE, CE, BRASIL, 29/03/2013, REGIONAL: MILHARES DE PESSOAS REPETEM A TRADI«√O DE SUBIREM AO HORTO, A P…, E PAGAREM PROMESSAS NA SEXTA-FEIRA SANTA. CREDITO - ELIZANGELA SANTOS/AGENCIADIARIO, 09RE0229, 09/04/2014, REGIONAL, ELIZANGELA SANTOS,

Infraestrutura
As condições de acolhimento dos peregrinos, no entanto, é alvo de constante crítica. A infraestrutura da cidade se mostra inadequada para atender a grande quantidade de católicos. A Secretária de Turismo e Romaria, Marli Bezerra, reconhece os problemas, mas justifica dizendo que “uma série de ações estão sendo realizadas ao longo do ano para atender os romeiros da melhor forma possível”.

A titular da pasta informou que as áreas da saúde e seguranças foram “fortalecidas”. A vigilância Sanitária passou a atuar com maior rigor na fiscalização de pousadas, hotéis, ranchos e restaurantes, no tocante às condições de higiene, manuseio de alimentos e acomodações dos ambientes.

Nordeste em alta
Conforme levantamento realizado pelo Ministério do Turismo, o Nordeste reúne pelo menos 250 manifestações religiosas que mobilizam turistas, sendo a região brasileira com o maior número de procissões, romarias e celebrações religiosas do país. De acordo com dados do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, cerca de 18 milhões de brasileiros viajaram pelo País motivados pela fé no ano passado.

O turismo religioso caracteriza-se pelas atividades turísticas decorrentes da busca espiritual e da prática religiosa em espaços e eventos relacionados às religiões institucionalizadas. O segmento é – juntamente com o Turismo Cívico, o Turismo Étnico, e o Turismo Místico e Esóterico – um dos nichos do Turismo Cultural no Brasil.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

13:48 · 22.07.2016 / atualizado às 13:48 · 22.07.2016 por

hortoJuazeiro do Norte. Terra do Padre ou Capital da Fé. As duas denominações inerentes a este município simbolizam bem o quão presente está a religiosidade neste povo que parece ter uma fé inabalável. Aliado a religião, está à cultura, outra marca desta terra. Portanto, as significativas mudanças conquistadas nestes 105 anos não se resumem à economia com tentáculos em diversos setores e uma educação ascendente.

A trajetória de Juazeiro é marcada, sobretudo, pelas manifestações culturais e religiosas. A cultura popular vive em constante efervescência. São dezenas de grupos de Reisado, Lapinha, Maneiro-Pau, bandas cabaçais, Bumba-meu-boi e outras tantas manifestações que pluralizam a cultura local. Criado em 1983 a partir do Encontro de Produção de Artesanato Popular e Identidade Cultural, o Centro de Cultura Popular Mestre Noza hoje é uma das referências na produção de artesanatos em todo o Estado.

Foto André Costa
Foto André Costa

Referência mundial
São 40 mil peças expostas e 80 artesãos cadastrados que comercializam para todas as regiões do Brasil, além de países de diferentes continentes. Em muitas dessas peças, principalmente as de madeiras, a religião está talhada, seja na figura do mítico Padre Cícero, patriarca de juazeiro, ou na representatividade de capelas e igrejas. A religião, inclusive, está intrinseca na cultura desta cidade em que mais de 88% da população se denomina católica, segundo dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A figura mítica do sacerdote aclamado como Santo pelos romeiros nordestino trouxe não somente desenvolvimento à cidade, mas uma peculiaridade ao seu povo. Durante todo o ano, romeiros de vários estados preenchem as ruas da cidade, hibridizando a cultura aqui existente. São cerca de 2,5 milhões de fiéis que se misturam aos mais de 200 mil católicos residentes na cidade.

1Para o professor universitário de filosofia e ex-pro reitor de cultura da UFCA, Ivânio Azevedo Júnior, “a cultura é exatamente isso, convivência e tencionamento”. Conforme lembra, nos períodos de romaria em Juazeiro do Norte, “há um enorme cruzamento entre pessoas e visões de mundo, logo entre culturas diversas” o que gera miscigenação, importante instrumento de construção de uma sociedade plural. Múltiplo como tem sido a cidade neste século de criação.

Surgimento das Romarias
Juazeiro do Norte completa hoje 105 anos de emancipação política, mas as romarias remontam há 120 anos, quando era apenas um vilarejo com poucas casas e uma gente já sob a liderança espiritual do Padre Cícero. Em 1º de março de 1889, aconteceu no então povoado um fato que mudaria para sempre a história da região. Milhares de fiéis peregrinaram de todos os lugares atraídos pela notícia de que hóstias consagradas estavam se transformando em sangue na boca de uma beata.

A religiosa era Maria de Araújo, sendo que a primeira e várias outras consagrações da hóstia se deu pelas mãos do Padre Cícero. “Quando dei à beata Maria de Araújo a sagrada forma, logo que a depositei em sua boca imediatamente transformou-se em porção de sangue, que uma parte ela engoliu, servindo-lhe de comunhão, e a outra correu pela toalha, caindo algum no chão…”, narrou, na época, o sacerdote que preferiu optar pelo silêncio naquele momento.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

12:00 · 22.07.2016 / atualizado às 12:25 · 22.07.2016 por

1Juazeiro do Norte. A cidade da fé também passou a ser referência na educação. São 10 instituições de ensino superior que, juntas, ofertam mais de 65 cursos de graduação e 62 cursos de especialização, além das graduações ministradas à distância. Com mais de 25 mil acadêmicos, Juazeiro se tornou um dos mais importantes polos do Nordeste.

A influência das 10 instituições de ensino superior, sendo três universidades, seis faculdades e um centro educacional, é estimada sobre uma população de dois milhões de habitantes do Cariri – composto por 27 cidades – e estados vizinhos, conforme estimativa da Secretaria de Educação municipal.

Atraídos pela educação
O crescimento educacional gera desenvolvimento e atrai alunos e profissionais de outros centros. O professor universitário José Anderson Freire Sandes, foi um dos vários docentes que trocou a capital cearense pela Terra do Padre Cícero. Residindo em Juazeiro há seis anos, ele diz ter sido atraído não somente pelo mercado promissor que começara a se formar no início desta década, mas, sobretudo pelo hibridismo cultural existente no Cariri.

Especial 105 anos: Construção Civil impulsiona crescimento de Juazeiro do Norte

Alunos de cidades vizinhas também enxergam, em Juazeiro, a oportunidade de guinarem suas carreiras. Letícia Amaral, 24, se mudou de Exu(PE) há um ano com o objetivo de cursar direito, curso inexistente em sua terra natal. “Para realizar meu sonho de infância, tive que sair da minha terra. Hoje vejo Juazeiro uma cidade preparada para receber universitário de diferentes cursos. As opções são variadas e o ensino é de qualidade”, contou.

Educação que transforma
Sandes lembra que toda grande potência é nascedora da educação. Ele destaca, por exemplo, a criação da Universidade Federal do Cariri (UFCA) como grande impulsionadora nas esferas educacional, cultural e econômica da cidade. “Os nove curso no campi de Juazeiro tem dado novas expectativas aos jovens da região. A universidade qualifica a mão de obra, forma cidadãos pensantes e incrementa a renda da cidade”, concluiu.

UFCA estima ter seis mil alunos até o próximo ano
UFCA estima ter seis mil alunos até o próximo ano

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-Ceará), Freitas Cordeiro, coaduna tal pensamento do docente e compara Juazeiro à cidade de Sobral, como exemplos de sucesso a partir da educação. “Sobral cresceu sobremaneira depois que passou a investir na educação fortemente. Não há segredo, educação gera desenvolvimento. Obviamente não minimizo a importância das romarias, do turismo religioso, do comércio ou indústrias, mas o grande salto de Juazeiro veio junto a implantação das diversas faculdades”, pontuou.

Especial 105 anos: Comércio de Juazeiro cresce além da média nacional

Criada há três anos, a UFCA possui 14 cursos, distribuídos em cinco campi. São mais de 2.500 alunos com meta de atingir, até o próximo ano, o número de seis mil universitários. Na esfera particular, destaca-se o Centro UniLeão, com quase 10 mil alunos em 13 cursos de graduação e 26 de especialização. O diretor do centro educacional, Jaime Romero, destaca que o maior impacto que essas universidades estão causando na região é a inserção de profissionais qualificados no mercado de trabalho.

Segundo avalia, além de formar profissionais, as faculdades transformam a realidade local, com “pessoas mais preparadas e a mudança de mentalidade daqueles que passam a compor o cenário de produção e pesquisa”. Ainda de acordo com Romero, a região como um todo é diretamente beneficiada, uma vez que 70% dos 13 cursos atende uma demanda de alunos do Cariri, a maioria de Juazeiro do Norte.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

10:45 · 22.07.2016 / atualizado às 10:14 · 22.07.2016 por

Comercio Jauzeiro Natal (7)Juazeiro do Norte. Uma das maiores forças econômicas deste município é o comércio varejista. A cidade conta com a peculiaridade de receber, todos os anos, 2,5 milhões de romeiros que, consequentemente, mantém a economia em constante movimentação. Com o intenso fluxo de pessoas durante quase todos os meses do ano, o comércio – sobretudo o varejista – de Juazeiro se fortificou. Atualmente, a projeção no crescimento das vendas no setor gira em torno de 3,5% ao ano, segundo dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Juazeiro.

Comércio em alta

Manter tal crescimento mesmo diante da retração econômica brasileira mostra a força e singularidade da economia local. Para Michel Araújo, presidente da CDL de Juazeiro, a cidade não foi afetada pela crise pois tem uma “demanda retraída muito grande”. Ele lembra que Juazeiro atende diversas cidades caririenses e, ainda, recebe com frequência, consumidores de três estados: Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

Comercio Jauzeiro Natal (1)“Costumo dizer que aqui é um Oásis. É uma cidade bem localizada, com periódica movimentação por consequência das inúmeras romarias e a economia está pulverizada, diferente do que aconteceu no tempo do ouro e do couro, por exemplo. Se um setor passa por uma dificuldade, esta crise não atinge o todo”, acrescentou Araújo. O retrato deste cenário é o crescimento econômico. O primeiro semestre do ano, se comparado ao mesmo período de 2015, cresceu 3%.

Especial 105 anos: Construção Civil impulsiona crescimento de Juazeiro do Norte

Este número, conforme avalia Michel, é ainda mais relevante se lembrado que para os mesmos seis meses de 2016, houve retração de 4% no varejo nacional. “Olhar para o primeiro semestre e ver um crescimento acima das expectativas anima, pois o segundo semestre é tradicionalmente mais forte, devido as datas festivas”, acrescentou.

Diante de um comércio tão promissor e diversificado, o Produto Interno Bruto (PIB) se destaca dentre as outras cidades cearenses, inclusive a capital Fortaleza. No ano passado, enquanto se registrou queda na economia em todo o país e discreto crescimento de 0,9% no PIB do Estado, os números de Juazeiro foram além. Em 2015, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o PIB da cidade cresceu 3,5%.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018