Categoria: Cidades


13:42 · 25.06.2019 / atualizado às 13:51 · 25.06.2019 por
Foto: Carlos Lourenço

A programação junina em Juazeiro do Norte segue, até o próximo domingo (30), com 30 arraiás espalhados pelos bairros e pelas comunidades da zona rural do Município. A festa também acontece na Alameda Juazeiro, próximo a Praça Padre Cícero, no antigo terminal de ônibus intermunicipal, onde terá o encerramento com o show de Coco Raízes, de Arcoverde (PE).

Os arraiás, promovidos pelas quadrilhas das próprias comunidades, estarão no Sítio Carais do Umari, Brejo Seco, Sítio São Gonçalo, Jardim Gonzaga, Limoeiro, Pio XII, Sítio Palmeirinha, Timbaúbas, Horto, Vila Santo Antônio, João Cabral, Vila Três Marias, Franciscanos, Sítio Taquari, Carité, Triângulo, Salesianos e Novo Juazeiro. A programação completa está AQUI.

A partir de amanhã (26), a Alameda Juazeiro se transformará num grande arraiá, com apresentações de diversas quadrilhas juninas e shows de forró pé-de-serra. Isso tudo acontece até o domingo, sempre a partir das 18 horas.

O encerramento acontece no domingo (30), na Alameda Juazeiro, com mais apresentações das quadrilhas, forró e show com o grupo pernambucano Coco Raízes, de Arcoverde.

Todos os eventos terão apoio das secretarias municipais que contribuirão para a organização das festas e garantirão segurança para a população presente, além de atendimentos médicos em casos de urgência.

19:54 · 24.06.2019 / atualizado às 23:38 · 24.06.2019 por

Diante do sonho de concluir o Ensino Superior, um grupo com cerca de 50 universitários da cidade de Aurora, na região do Cariri, iniciaram os cursos semipresenciais em Ciências Contábeis e Pedagogia. Mais de um ano após as aulas serem concluídas, os estudantes ainda não receberam seus diplomas e temem que isso não possa acontecer. A instituição, que seria responsável pela emissão, nega qualquer envolvimento com o caso.

O vestibular foi feito em abril de 2014, com previsão para colação de grau e entrega dos diplomas em maio do ano passado. As aulas aconteceram todos os terceiros finais de semana de cada mês na Escola Municipal Romão Sabiá. O investimento de cada aluno girou em torno R$ 9 mil.

Segundo um dos concludentes, que pediu para não se identificar, a coordenação do polo ficou por conta da professora Terezinha de Jesus Frazão Lira, popularmente conhecida como Tereza de Marculino, que seria a responsável por intermediar a relação entre os alunos e a Cardan, instituição que emitiria os diplomas. Um contrato teria sido assinado pelos discentes e a empresa de ensino.

Porém, sem prestar muitos esclarecimentos, os alunos foram acolhidos pela Sapiens, mas sem firmar nenhum acordo formal com a instituição. Pouco tempo depois, ainda sem qualquer motivo apresentado por Terezinha, a Faculdade Kurios (FAK), de Maranguape, passou a ser responsável pela diplomação.

“A FAK é reconhecida pelo Ministério da Educação, mas não para ofertar curso semipresencial”, observou a concludente e vendedora, Amanda Oliveira Amorim. “Sem os diplomas, estamos impossibilitados de exercer a profissão”, completa.

“Procuramos a coordenadora de polo e exigimos dela um contrato, mas ela disse que não teria contrato. A partir daquele momento seria a palavra dela e todos deveriam acreditar. Muitos desistiram, mas outros continuaram”, conta um dos concludentes que aguarda o diploma.

Certidão emitida sem sequer havido colação de grau. (Foto: VC Repórter)

Uma certidão, com validade de um ano, foi entregue aos concludentes, que teria sido emitida pela FAK em 29 de março de 2019. Nela, informa que os alunos colaram grau no dia 28 de julho de 2018. No entanto, a colação de grau nunca aconteceu. O próprio documento apresenta erro ortográfico, escrevendo a palavra “Pedagogia” errada. Um histórico também foi entregue com disciplinas que nunca foram cursadas e com a data de conclusão incorreta.

Depois disso, uma série de datas para a cerimônia de conclusão e entrega dos diplomas foram marcadas. A última estabelecida foi 11 de maio deste ano, mas nada aconteceu. Isso vem se arrastando desde agosto de ano passado.

Em 2016, uma nova turma ainda entrou no decorrer do curso, que, segundo um dos concludentes, teve que pagar quase R$ 4 mil, referentes aos dois anos anteriores que já haviam sido cursados. O dinheiro foi depositado na conta da coordenadora do polo, Terezinha, que alegou que já tinha pago a instituição e que aquele valor seria para ressarci-la. “Ela nunca mostrou o comprovante de que havia pago a instituição com o dinheiro dela”, conta o estudante.

Contrato assinado por estudantes que entraram no curso em 2016. (Foto: VC Repórter)

Por último, mais uma vez sem explicar os motivos, os alunos foram apresentados a uma nova instituição que seria responsável pelo diploma: a Universidade Brasil.

Contudo, o Diário do Nordeste entrou em contato com a Universidade Brasil, através de sua assessoria de imprensa, que informou que a instituição não firmou nenhum contrato e não tem qualquer vínculo com o polo mencionado para registro de certificados ou diplomas.

A equipe de reportagem também tentou contato com Terezinha Frazão ao longo da última semana. As ligações não foram atendidas. Por aplicativo de mensagens, ela disse que estava viajando e quando retornasse, entraria em contato. O motivo do contato foi esclarecido. Quatro dias depois, tentamos novamente o contato, mas a professora não atendeu e também não respondeu as novas mensagens.

15:25 · 24.06.2019 / atualizado às 15:25 · 24.06.2019 por
Foto: Helio Filho

O Sesc de Juazeiro do Norte está com inscrições abertas, até o preenchimento das vagas, para o curso de Iniciação Teatral, oferecida pelo Núcleo de Estudos Teatrais (NET), mantido pela unidade há mais de 15 anos. Ao todo, são três turmas, com até 20 alunos em cada.

As inscrições são gratuitas e presenciais, e podem ser feitas das 8h às 19h na sede da unidade, na sala de Relacionamento com o Cliente. O curso é oferecido por meio da Sesc de Desenvolvimento Artístico-Cultural, presente em todas as unidades do Sesc no Ceará, incluindo do Sesc Ler.

As vagas são destinadas a jovens e adultos, com idade mínima de 12 anos, matriculados ou que tenham concluído o ensino médio na rede pública de ensino; ou comerciário ou não, desde que com renda familiar de até três salários mínimos.

Não é necessário ter experiência prévia em teatro, pois o curso é focado nos fundamentos da linguagem, com aspectos teóricos e práticos, por meio de jogos de interação, dinâmicas de atuação, interpretação e encenação.

Na linguagem das artes cênicas, que inclui teatro e circo, o Sesc Juazeiro do Norte mantém um total de nove turmas – três do NET, voltadas para iniciantes, e outras seis cujo conteúdo e direcionamento são mais aprofundados.

No caso do NET, mesmo para jovens e adultos que não vislumbram o teatro como possibilidade de carreira ou atuação profissional, o curso pode ser interessante, ao constituir uma possibilidade de acesso à cultura e de fruição da arte.

Os benefícios vão desde aqueles mais gerais – como ampliação de repertório sociocultural e sensibilização do olhar sobre o mundo – até outros mais específicos, como técnicas de memorização, aprimoramento de habilidades para convívio social e trabalho em equipe e melhora na dicção e oratória.

Inscrições

Das 8h às 19h, até o preenchimento das vagas, na sala de Relacionamento com o Cliente do Sesc Juazeiro do Norte (Rua São Luis, S/N – São Miguel; Rua Vicente Patu, 782 – Franciscanos).

Dias e horários

T1 NET – Todas as terças-feiras, das 18h às 21h

T2 NET – Todas as quartas-feiras, das 18h às 21h

T3 NET – Todas as quintas-feiras, das 18h às 21h

08:39 · 24.06.2019 / atualizado às 15:04 · 24.06.2019 por
Foto: Alana Soares

Na última semana, técnicos iniciaram a montagem do mega palco do Festival Expocrato. A estrutura receberá mais de 100 horas de shows dos principais artistas nacionais, entre os dias 13 a 21 de julho. Com novo design, a plataforma, projetada e montada pela Arte Produções, tem 21 metros de altura e 60 metros de comprimento, capaz de suportar até 100 toneladas de equipamentos de som, luz e cenografia.

“Este ano as expectativas são maiores e o Festival Expocrato 2019 está sendo comentado em todo o Brasil!”, afirma o sócio diretor Marcelo Rocha, que promete novidades para animar tanto o público quanto os artistas.

Junto a este mega palco também foi implementada uma passarela que permitirá o artista ficar mais próximo do público. “Todo este investimento, dedicação e transpiração fez com que o Festival ficasse tão perfeito que Gusttavo Lima, um dos maiores artistas do Brasil, escolheu o Festival Expocrato para gravar seu DVD 2019”, ressalta.

Estará de volta todo o conforto e segurança inaugurado na edição 2018, primeira sob o comando da Multi Entretenimento e Mega Som, para garantir nove dias de muita diversão e alegria com mais de 50 atrações, incluindo as principais bandas, duplas sertanejas e cantores da música nacional em seus mais diversos estilos, neste que é o maior Festival de Música do Norte e Nordeste.

Mais informações

Festival Expocrato 2019: 13 a 21 de julho

Local: Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti, Crato

Onde comprar: Site da Bilheteria Virtual; Loja Oficial Festival Expocrato, na Rua Doutor Miguel Lima Verde, 503, no Centro, Crato; Cariri Garden Shopping, Loja 71, Juazeiro do Norte, Ceará ; Ticket Shop, nos shoppings Iguatemi e RioMar Kennedy, em Fortaleza, Ceará.

Confira a programação completa AQUI

18:59 · 21.06.2019 / atualizado às 21:42 · 21.06.2019 por

O Crato completa 255 anos de emancipação política nesta sexta-feira (21). A data marca o dia que a povoação de Miranda elevou-se à categoria de vila, como Vila Real do Crato, instalada em 21 de junho de 1764, sendo desmembrada de Icó. Depois, se tornou cidade pela Lei Provincial nº 628, de 17 de outubro de 1853.

Com uma rica história, belezas naturais, personagens marcantes e manifestações populares pulsantes, o Município é batizado como “A cidade da cultura”. Por tudo isso, é um excelente destino turístico cearense. A cidade fica a uma distância de 19 quilômetros do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, na cidade vizinha, Juazeiro do Norte.

Abaixo, você conhece alguns lugares marcantes do Crato:

Caldeirão da Santa Cruz do Deserto

Localizado a 33 quilômetros da sede do Município, a comunidade do Caldeirão da Santa Cruz, liderada pelo Beato José Lourenço, acolheu cerca de 1700 pessoas que fugiram da seca. Lá havia fartura, riqueza espiritual e abundância de comida. As tarefas, seja no campo ou nas oficinas, eram distribuídas igualmente, assim como a produção. Temendo que a comunidade se tornasse um movimento messiânico, o Governo Federal, em 1937, ordenou que as Forças Armadas e a Polícia Militar do Ceará invadissem o local e o destruíssem. 

Parte dos moradores foram mortos e os sobreviventes expulsos de suas terras. O beato José Lourenço e seus seguidores fugiram. Até hoje, muitos corpos não foram encontrados e não há nenhum registro oficial do número exato de vítimas. Anualmente, o lugar recebe milhares de pessoas, no mês de setembro, em Romaria. 

Romaria no Caldeirão da Santa Cruz. (Foto: Antonio Rodrigues)

Museu Histórico do Crato J Figueiredo Filho

Além de importante acervo, o Museu Histórico de Crato funciona na antiga Casa de Câmara e Cadeia do Município. É um das poucas edificações deste tipo que estão de pé no Ceará. Há registros que o início da construção foi em 1817. Como peculiaridade, o prédio possui uma enxovia em forma de abóbada, onde ficavam os presos mais perigosos. Está localizado em frente a Praça da Sé.

Porém, o prédio encontra-se com problemas estruturais, apresenta rachaduras e o piso da parte superior, onde funcionava o Museu de Artes, foi retirado. A Secretaria de Cultura de Crato tem um projeto de reforma para o local. Os técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) fizeram visitas e produziram uma planta arquitetônica.

Museu Histórico do Crato foi antiga Casa de Câmara e Cadeia e ainda preserva o brasão do Império. (Foto: Antonio Rodrigues

Capela de São Sebastião

Em 1862, o surto de cólera chegou no Cariri, matando cerca de 2 mil pessoas. No Crato, foram 1.100 pessoas. Importante ressaltar que o centro urbano do Município tinha, na época, entre 6 a 8 mil moradores. Dois anos depois, o surto voltou a acontecer, mas matando cerca de 500 pessoas.

O Major Felipe Teles de Mendonça, temendo que a doença chegasse ao Sítio Riacho Seco – atual Sítio Currais -, prometeu que ergueria uma capela para São Sebastião caso ninguém de sua família e de seus moradores morressem. E assim aconteceu. Em 1863 começou a construção, que só foi finalizada em 1888, após sua morte. O pequeno templo fica nas margens da CE-386, a seis quilômetros do Centro da cidade.

Capela de São Sebastião erguida há 151 anos. (Foto: Antonio Rodrigues)

Sítio Chico Gomes

Cultura, culinária, agroecologia e aventura. No sopé da Chapada do Araripe, a 7,5 quilômetros da sede de Crato, fica a comunidade de Chico Gomes, que trabalha, há 10 anos, com turismo rural. A localidade conta com trilhas, levadas de água, mirante e nascentes. Além disso, com forte ligação com a cultura indígena, preserva um grupo de meizinheiras que utilizam plantas medicinais e técnicas seculares na fitoterapia.

A organização comunitária começou com seu grupo de jovens articulado, desde 2006, na quadrilha junina. Depois, sentiu a necessidade de resgatar as manifestações culturais tradicionais, como as danças e canções de seus antepassados. Deste trabalho, surgiu o grupo Urucongo de Artes, que já realizou apresentações em várias partes do  Cariri.

As trilhas do Chico Gomes contam com pequenas quedas d’água que atraem turistas do Brasil e de outros países. (Foto: Antonio Rodrigues)

Casarão dos Esmeraldo

No Sítio Bebida Nova ainda permanece de pé uma das construções mais imponentes do Cariri, o casarão da família Esmeraldo, construído entre das décadas de 1870 e 1880, por Antônio Esmeraldo da Silva. O complexo também era formado por um engenho, que chegou a ser um dos mais ativos da região.

Sua localização, dá uma privilegiada visão do vale do Cariri e auxiliava na proteção do imóvel contra possíveis invasores ou ataques de famílias rivais. Seu estado de conservação é muito bom. O imóvel fica a cerca de 6 quilômetros da sede do Município.

Casarão chama atenção por seu estado de conservação. (Foto: Antonio Rodrigues)

Santa Cruz da Baixa Rasa

Com 105 anos de tradição, a Festa da Santa Cruz da Baixa Rasa é uma das principais celebrações de Crato e acontece, anualmente, no dia 25 de janeiro. A pé ou a cavalo, centenas de pessoas percorrem quilômetros, vindos até de cidades vizinhas, para participar do evento que ganha, cada vez mais, o caráter de romaria.

Tombada como Patrimônio Material e Imaterial do Município, a festa reconta a história de um suposto vaqueiro, vindo de Pernambuco, que montado a cavalo se perdeu de seu grupo na atual Floresta Nacional do Araripe. Os mais velhos contam que ele passou dias sem rumo e morreu de fome e de sede. Dias depois, foi enterrado ali mesmo, onde faleceu.

Uma missa no seu túmulo foi realizada e, com o tempo, a peregrinação cresceu. Ao lado de sua cova, várias outras surgiram, na medida que os fiéis pediam para ser enterradas por lá. Um verdadeiro cemitério popular no meio da floresta.

Santa Cruz onde estaria sepultado o homem que morreu de fome e de sede na Floresta Nacional do Araripe. (Foto: Antonio Rodrigues)

Museu Luiz Gonzaga

Mesmo falecido há 30 anos, Luiz Gonzaga ainda inspira muitas pessoas. Não foi diferente com o menino Pedro Lucas Feitosa, 14, que criou sozinho, no distrito de Dom Quintino, a 27 quilômetros do Centro de Crato, um museu dedicado ao “Rei do Baião”.

Inspirado no Parque Aza Branca, em Exu (PE), o garoto inaugurou seu museu aos oito anos de idade. Lá, reúne objetos antigos como rádio, ferramentas, máquina de escrever e, claro, fotos, cartazes, jornais, folhetos, discos e CD’s de Luiz Gonzaga. A maioria dos objetos foram doados a partir da divulgação do seu trabalho. A média de visitantes é de cinco mil por ano.

Pedro Lucas inaugurou o museu aos oito anos de idade. (Foto: Antonio Rodrigues)

Baixio das Palmeiras

O distrito de Baixio das Palmeiras, distante 7 quilômetros da sede Crato, fica próxima do limite com Barbalha. Em território de vale, vários riachos cortam o sítio que se tornou uma importante área agrícola. Lá, também foi território de povos indígenas e é possível encontrar escrituras e pedras usadas na fabricação de ferramentas. Por causa disso, foi identificado um sítio arqueológico batizado com o mesmo nome do distrito.

O lugar possui trilhas como a do Riacho do Pinga que, no período das chuvas, forma uma bela cachoeira. Também  preserva uma casa de taipa do Século XIX, que pertenceu a dona Quitéria e foi importante rota dos cangaceiros no último século, principalmente os “Marcelinos”, que rondavam a região. Já no Baixio do Muquém, que também pertence ao distrito, há uma casa de farinha de 80 anos ainda com sua estrutura mecânica manual preservada.

Casa de Farinha no Sítio Muquém, no distrito Baixio das Palmeiras, tem 80 anos e ainda preserva estrutura mecânica manual. (Foto: Antonio Rodrigues)

Primeira usina hidrelétrica do Cariri

Inaugurada em 4 de dezembro de 1938, a primeira usina hidrelétrica do Cariri foi feita na nascente do Rio batateira. Ela foi responsável por fornecer, pela primeira vez, energia elétrica ao Crato, que funcionava apenas durante a noite. No local, na década de 1980, foi criado o Balneário da Nascente.

De lá para cá, houve pouca manutenção física e, atualmente, está abandonado. A antiga casa de força da usina está em ruínas e o maquinário largado ao tempo. O mato tomou de conta. A Secretaria Municipal de Cultura planeja que o local seja tombado pelo IPHAN e tem um projeto para sua restauração. Mesmo assim, o prédio mantém seu formato original e vale a pena conhecer por sua importância histórica.

Casa de força da antiga usina está em ruínas, mas ainda preserva sua estrutura original. (Foto: Antonio Rodrigues)

Cascata do Lameiro

Abaixo da usina, ainda no Rio Batateira, está a Cascata do Lameiro, que fica a aproximadamente 3 quilômetros da sede de Crato. Entre pedras e vegetação, se forma uma queda d’água de aproximadamente oito metros de altura. Nos primeiros meses do ano, quando mais chove, o local atrai muitos visitantes.

O acesso é livre por uma escada ou por uma pequena trilha, na beira da estrada. Abaixo da principal queda d’água, forma-se uma área ideal para banho com aproximadamente 2,5 metros de profundidade. Alguns banhistas se arriscam pulando de árvores e rochas dentro do rio.

A Cascata do Lameiro é um dos principais destinos turísticos do Crato. (Foto: Antonio Rodrigues)
14:49 · 20.06.2019 / atualizado às 12:51 · 21.06.2019 por
Foto: Matheus Nicolas Arrais

Um gato-mourisco, também conhecido como jaguarundi, morreu atropelado na CE-292, na comunidade do Sítio Teixeiras, em Araripe, na manhã de ontem (19). Segundo testemunhas, o animal tentava atravessar a rodovia ao lado de outro exemplar de sua espécie, quando foi atingido por um caminhão, morrendo no local. A carcaça foi extraviada.

O veículo seguia de Campos Sales, município vizinho, até Araripe, quando aconteceu o acidente. Os pneus atingiram abaixo do tórax e cortou parte do rabo do felino. A outra espécime que, segundo os moradores, tinha um tamanho maior que a atingida, conseguiu escapar e correu para a mata. O motorista do caminhão seguiu o trajeto sem tentar socorrê-lo.

A população suspeitou que o animal seria uma onça parda, porém, o biólogo Charles Sousa identificou que se trata de Herpailurus yagouaroundi, conhecido como jaguarundi, gato-mourisco ou gato azul. Considerado um felino de pequeno porte, ele possui corpo alongado, a cabeça é pequena e achatada, orelhas pequenas e arrendadas, pernas curtas e cauda longa, podendo medir cerca de 70 cm de altura e pesar 8 quilos.

Charles acredita que o exemplar atropelado era jovem. “Este animal não oferece risco ao ser humano. Eles não atacam. Em geral, eles fogem para evitar contato com a nossa espécie”, completa.

“O gato mourisco naturalmente possui três padrões de coloração uniforme: amarelo, cinza mesclado com branco e cinza mesclado com amarelo. Essa espécie possui uma dieta generalista, com preferência à pequenos vertebrados terrestres como roedores, marsupiais ou tatu-peba. Ocasionalmente, eles também podem a vir se alimentar de pequenas aves ou répteis, como serpentes ou teiú”, explica Charles.

O biólogo, que também é pesquisador da Universidade Regional do Cariri (URCA), lamenta o extravio da carcaça, pois, serviria para estudos dentro da instituição. “Se conseguíssemos (a carcaça) seria muito bom para conhecer mais sobre a biologia desse animal. Tenho colegas que trabalham com mamíferos e que iam adorar ter esse bicho para estudos de dieta, reprodução e parasitismo”, justifica.

Com ampla distribuição nas Américas, a espécie ocorre desde o sul dos Estados Unidos, passando pelo México, América Central até a América do Sul, do leste dos Andes até o Atlântico, descendo até o centro da Argentina. No Nordeste, o gato-mourisco possui registros nos estados do Ceará, Pernambuco e da Paraíba, em áreas de Caatinga e Mata Atlântica.

Quanto ao seu status de conservação, conforme a IUCN (União Internacional da Conservação da Natureza) a espécie foi avaliada como pouco preocupante (LC – Least concern).

12:57 · 20.06.2019 / atualizado às 12:57 · 20.06.2019 por
Foto: Divulgação/Prefeitura

A Secretaria da Saúde de Juazeiro do Norte iniciou, a partir desta semana, o atendimento noturno na Unidade Básica de Saúde do bairro Pirajá (UBS 34/42/68/70). O equipamento está de portas abertas de 18h às 22h, com dois médicos, enfermeira e técnico de enfermagem.

Com isso, já são sete unidades funcionando no período noturno de segunda à sexta-feira. As demais UBS são as dos bairros Vila Nova, Limoeiro, São José, Franciscanos, Salesianos e Triângulo. Nas três últimas há ainda atendimento odontológico. Os atendimentos são destinados a toda a população do Município, independente do bairro de origem.

Além dessas UBS o Hospital Estephânia Rocha Lima também está com funcionamento ampliado, de domingo a domingo, das 7h às 22h.

“A população tem aprovado esse atendimento, então a gente estendeu”, afirmou a secretária da Saúde, Francimones Albuquerque, ao explicar que a Prefeitura de Juazeiro se antecipou ao que foi estabelecido em uma Portaria do Ministério da Saúde, que habilita os municípios a implantarem o atendimento noturno.

A secretária ressalta ainda que o funcionamento noturno nesses locais estratégicos dá condições de atendimento à população que trabalha durante o dia.

12:50 · 20.06.2019 / atualizado às 12:50 · 20.06.2019 por
Foto: Lino Fly

O Departamento Municipal de Trânsito de Juazeiro do Norte (Demutran) está ampliando a implementação de faixas de retenção de motocicletas nos semáforos do Município. A nova sinalização, adotada desde o último mês de abril, foi iniciada pela Avenida Castelo Branco com a Rua José Marrocos.

Segundo o diretor do Departamento, José Pedro Cipriano, outras áreas já estão recebendo a nova faixa, como forma de garantir melhor fluxo no trânsito com o espaço destinado aos motociclistas. A finalidade é oferecer, principalmente, segurança aos condutores.

As áreas que receberão a faixa são: Rua São Pedro com a Leão XIII; Rua São Pedro com Rua do Seminário; Rua Alencar Peixoto com a Rua São Pedro; Rua São Paulo com a Rua São Luiz; Rua Alencar Peixoto com a Rua São Paulo e a Rua São Luiz com a Rua São Paulo.

Com quase 56 mil motos registradas no Município, a terra do Padre Cícero se tornou pioneiro no interior do Estado a implantar a faixa. Inicialmente as faixas foram fixadas em cinco locais, em caráter experimental, para garantir maior fluidez, possibilitando a organização no trânsito.

Frota

Até o mês de março, Juazeiro do Norte contava com 122.734 veículos registrados no Município, sendo a maioria motocicletas (55.928) e automóveis (39.535), segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN-CE). O número de pessoas habilitadas em Juazeiro do Norte é um pouco acima da metade da frota: 78.234.

Em 2012, a frota de veículos de Juazeiro do Norte chegava a 80.686 veículos. Até 2017, em quase 90 mil, com salto representativo e crescente. Já o número atual representa que um a cada 2,2 habitantes possui um meio de transporte privado.

17:05 · 19.06.2019 / atualizado às 17:09 · 19.06.2019 por
Foto: Gabriel Jabur/MEC

O professor Ricardo Luiz Lange Ness foi empossado, na tarde desta quarta-feira (19), como reitor da Universidade Federal do Cariri (UFCA). A cerimônia aconteceu na sede do Ministério da Educação, em Brasília (DF). Reitor pro tempore da instituição desde 2016, Ness encabeçava a lista tríplice encaminhada para a apreciação do Governo Federal, sendo o mais votado pelos membros do Conselho Universitário (Consuni), na sessão extraordinária de 7 de dezembro de 2018.

Nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro no último mês de maio, Ness vinha se manifestando publicamente contra os cortes nas instituições federais de ensino, anunciados pelo governo. Mesmo assim, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, oficializou a posse do professor, que é doutor em Ciências Agrárias.

Durante a solenidade de posse do reitor da UFCA e de outros sete reitores, o ministro Weintraub ressaltou o desafio que todos os empossados terão pela frente. “Eles vão entregar o resultado e plantar a semente para o futuro: o Brasil vai ser o principal país da América Latina em termos de pesquisa acadêmica, em termos de eficiência na formação de alunos”, disse. “Um instituto federal, uma universidade federal muda a realidade regional de onde está. Muda a realidade nacional”, continuou o ministro.

Segundo o reitor da UFCA, a universidade na região sul do Ceará vem transformando a vida de muitos jovens. “Hoje, já formamos 2.100 alunos na graduação, 200 na pós-graduação. É um local onde a maioria dos alunos, 77% são da escola pública, então estamos dando a oportunidade do jovem ter um curso superior”, disse.

Ness tomou posse com outros sete representantes de universidades federais. (Foto: Gabriel Jabur/MEC)

Em relação às dificuldades do ensino superior no governo Bolsonaro, Ness ressaltou que o melhor instrumento para avançar é o diálogo. “Precisamos mostrar a realidade e o que de fato uma universidade faz pelo desenvolvimento do país. 95% das pesquisas de ponta são feitas nas universidades e a elite profissional brasileira é formada nas universidades publicas”, explicou o reitor.

Sobre os cortes no orçamento da Universidade, o professor disse que a verba de quase R$ 10 milhões continua bloqueada e esse bloqueio pode impactar nos projetos da instituição.

“Estamos com um orçamento ainda bloqueado e esperamos que seja desbloqueado no segundo semestre para continuarmos avançando com nossos projetos”, explicou Ness. Entre os projetos da universidade, estão a expansão do campus para outras áreas e a criação de novos cursos. “Se esse recurso não for liberado, a universidade congela e para em seus propósitos”, lamentou o reitor.

Ness adiantou que pretende voltar à Brasília na próxima semana para discutir o desbloqueio do recurso com o setor responsável do MEC.

Perfil

Ricardo Luiz Lange Ness é natural de Pelotas (RS) e radicado no Ceará desde 1980. É graduado em Agronomia (1985) pela Universidade Federal do Ceará (UFC), tem mestrado (1989) em Agronomia – Solos e Nutrição de Plantas pela UFC e doutorado (1998) em Ciências Agrária pela Georg-August Universität – Göttingen, Alemanha.

Foi professor da Faculdade de Tecnologia CENTEC – FATEC de Limoeiro do Norte, hoje campus de Limoeiro do Instituto Federal do Ceará (IFCE), e da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Ingressou na UFC por concurso para o campus Cariri em agosto de 2006. Em agosto de 2013, assumiu o cargo de vice-reitor Pro tempore na então recém-criada UFCA.

(Com informações da repórter Ana Carolina Curvello, de Brasília)

13:43 · 19.06.2019 / atualizado às 13:43 · 19.06.2019 por
Foto: Antonio Rodrigues

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) finalizou a instalação de aproximadamente 1,5 quilômetro de nova tubulação de rede de abastecimento de água nos bairros Jardim Gonzaga e Frei Damião, em Juazeiro do Norte. O serviço beneficia diretamente cerca de 820 pessoas com água tratada e de qualidade nas torneiras.

O trabalho executado abrange os bairros que fazem parte do Posto de Operações Oeste da Cagece e proporciona melhorias no sistema de distribuição, bem como garante maior qualidade no abastecimento de água para a população beneficiada. Além disso, o serviço permite maior continuidade do abastecimento e evita ocorrências de ligações clandestinas.

De acordo com a gestora do Posto Operacional Oeste da Cagece, Juliana Filgueiras, a área beneficiada com este serviço não era atendida anteriormente com rede de água. “A obra otimizou consideravelmente a distribuição de água no Jardim Gonzaga e Frei Damião. Agora, com as ampliações de redes que foram executadas, houve melhora significativa no fornecimento de água e conseguimos também regularizar e evitar ligações clandestinas”, explica.

Durante o trabalho de ampliação da rede, a companhia também realizou o processo de cadastramento dos clientes e realizou as novas ligações. Para a execução da obra, a Cagece investiu em torno de R$ 66 mil provenientes de recursos próprios.

Descentralização

O Posto de Operações Avançadas (POA) Oeste trata-se de um equipamento da companhia lançado em 2018, implantado no Plano de Melhorias para Juazeiro, cuja finalidade é dar maior dar mais fluidez e agilidade na execução dos serviços, já que dispõe de equipes que atuam especificamente em áreas delimitadas da cidade, contando com um supervisor que acompanha o andamento da programação dos serviços diários. Além do POA Oeste a Cagece também dispõe dos postos Central e Leste.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Cariri

Belezas naturais, fé, trabalho e cultura. Sob os pés da Chapada do Araripe, aqui você encontra as principais notícias dos municípios da região. Por Antônio Rodrigues.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags