Categoria: Educação


14:16 · 18.04.2019 / atualizado às 14:17 · 18.04.2019 por
Foto: Divulgação/Centec

O Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) está com inscrições abertas, até o dia 30 de maio, para o vestibular e processo seletivo 2019.2 na Faculdades de Tecnologia Centec (Fatec), em Juazeiro do Norte, e no Centro Vocacional Técnico (CVTEC), em Crato. Ao todo, são 270 vagas disponíveis. Para participar, o cadastro acontece pelo site.

Na Fatec Cariri, os participantes podem escolher entre os cursos técnicos em Eletrotécnica, Eletroeletrônica, Mecânica e Meio Ambiente. Já no CVTEC Crato há vagas para o curso técnico em Cozinha. Todos cursos são gratuitos e contam com a parceria da Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece).

Em Juazeiro do Norte, todos os cursos acontecem no período noturno e estão disponíveis 45 vagas cada. Já no Crato, a capacitação em Cozinha acontece pela manhã, tarde e noite. Cada turma, terá 30 alunos.

Cerca de 50% das vagas são destinadas a candidatos que cursaram todo o Ensino Médio em escolas públicas; e 3% são reservadas para pessoas com necessidades especiais. A taxa de inscrição custa R$ 25 e é possível solicitar isenção do pagamento. A prova será dia 9 de junho das 9h às 13h; e as aulas estão previstas para iniciar no dia 5 de agosto.

09:33 · 11.04.2019 / atualizado às 15:49 · 11.04.2019 por
Foto: Divulgação/IFCE

O campus de Crato do Instituto Federal do Ceará (IFCE) promove, nesta sexta-feira (12), às 10 horas, a segunda edição do ciclo de palestras Café com Bytes. Desta vez, o tema será Inteligência Artificial aplicada a jogos, que terá como convidado o professor Adalberto Bosco, participando do encontro através de videoconferência. O profissional atua nas áreas de desenvolvimento de jogos digitais e seu uso na educação.

Haverá ônibus gratuito saindo da Praça da Prefeitura, no Centro do Crato, às 9h30. A participação é aberta a todos os interessados.

O objetivo do Café com Bytes é desmistificar a inteligência artificial, conceito que pode assustar ou até parecer algo de um futuro distante, mas que já é aplicado em áreas como diagnóstico por imagem, prevenção de fraudes, games, sistemas bancários e personalização do marketing online, entre outras. Os encontros do evento são mensais.

O convidado

O professor e pesquisador Adalberto Bosco Castro atua no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em São Paulo. Graduado em Engenharia da Computação, ele também possui mestrado e doutorado em Ciências da Computação. Seu trabalho desenvolve inovações pedagógicas e tecnológicas para apoiar o desenvolvimento cognitivo.

Atualmente, Adalberto trabalha com pesquisa em Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Mobile Learning, Game-Based Learning e ambientes virtuais colaborativos. Também é Editor-chefe da Revista de Iniciação Científica do Senac e líder da área de pesquisa de tecnologia aplicada do Senac.

11:18 · 09.04.2019 / atualizado às 12:04 · 09.04.2019 por

A chuva de 70 milímetros registrada em Santana do Cariri – a maior do Estado entre as 7h de ontem e as 7h de hoje (04) – fez com que as aulas da rede municipal de ensino fossem suspensas por uma semana por conta das péssimas condições nas estradas vicinais. Na segunda-feira pela manhã, estudantes ficaram ilhados e não conseguiram chegar nas escolas.

O decreto assinado ontem pelo prefeito Pedro Henrique Correia suspende as aulas de 9 a 17 de abril. Com o feriado de Semana Santa, os estudantes só retornam no dia 22. No entanto, o prazo pode ser estendido por mais 15 dias, caso as chuvas não diminuam e as condições das estradas não melhorem.

“Temos muitas escolas na zona rural. Aqui mesmo, na sede, temos alunos que vêm dos sítios. Há um tempo eles estão perdendo aula por conta da estrada, do acesso. Alguns até por 20 dias. Os motoristas estão reclamando. Há perigo de haver acidentes. Nossa preocupação maior é com a vida desses alunos”, justifica a secretária de Educação, Gerlanny Freire.

O agricultor Claudiano Pereira Brito, pai de Matheus Brito, de 10 anos, explica que, sem as aulas, a rotina da família pode se alterada e a criança deve passar este período na casa da avó. “Aluno deveria estar no colégio, mas as estradas estão estragadas. Espero que a chuva dê uma trégua para ajeitar as estradas”, conta.

Matheus e outros alunos foram pegos de surpresa, porque, nesta semana, aconteceriam as provas. “Como vão fazer prova se já estavam perdendo aula?”, pondera Gerlanny. A expectativa é que a primeira semana após o retorno seja de revisão de conteúdo para, na semana seguinte, iniciarem as avaliações. Já a reposição, deve acontecer no próximo ano letivo, entre os dias 6 e 15 de janeiro.

Prejuízo

As aulas em Santana do Cariri já haviam sido suspensas semana passada, por dois dias, pela falta de abastecimento de água na cidade. Na última quinta-feira (04), a chuva de 65 milímetros foi suficiente para formar uma forte correnteza no Rio Cariús, que quebrou cerca de 12 metros de tubulação que passava entre seu leito. O recurso hídrico é captado na fonte Prata, no Sítio Palmeira.

13:15 · 01.04.2019 / atualizado às 13:29 · 01.04.2019 por
Ciswal embarcou na manhã desta segunda-feira. (Foto: Lorena Tavares/SVM)

O grande dia na vida de Ciswal Santos, de 31 anos, chegou. O professor embarcou de Juazeiro do Norte, na manhã desta segunda-feira (01), para Cambridge, estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, onde vai estudar na Universidade de Harvard – uma das mais conceituadas no mundo. Ex-catador de latinhas, em setembro do ano passado, ele teve projeto aprovado pela instituição.

Leia Mais: Ex-catador de latinhas, professor tem projeto aprovado em Harvard

Ciswal foi responsável por criar um projeto que fornece energia elétrica, água e internet, de maneira sustentável e por um baixo preço, para famílias do Semiárido nordestino. Hoje, o equipamento custa, aproximadamente, R$ 2 mil, mas a expectativa é diminuir para R$ 960.

Placas solares serão responsável pela energia elétrica e ajudará na captação de água através de um poço artesiano. Já a internet, seria disponibilizada por satélite. O professor ficará dez dias nos Estados Unidos apresentando seu trabalho para os pesquisadores de lá. A visita deve acontecer a cada seis meses nos próximos três anos. No entanto, desde novembro de 2018, ele já assiste aulas através de videoconferência.

“Estou um pouco apreensivo, pois, sei as dificuldades que terei. Tenho amigos lá e estou confiante nisso, nesse apoio. Sozinho, ninguém chega a lugar nenhum. Quanto ao projeto, rezo a Deus que se popularize, não que se comercialize. Atinja as pessoas que mais precisam”, contou antes do embarque.

Segundo o professor, ele recebeu ligação do presidente de Angola, João Lourenço, que mostrou interesse em implantar o projeto em seu país. Outras duas nações africanas, Moçambique e Zimbábue, também podem ser comtempladas através de um incentivo de uma empresa japonesa. “A população da África é que mais sofre. No Nordeste sofre, mas precisa, principalmente, que as autoridades enxergam essas pessoas”, acredita.

Em dezembro de 2018, Ciswal foi convidado para ser embaixador de Direitos Humanos da Noble Order for Human Excellence (NOHE), organização presente em 17 países, ligada a Organização das Nações Unidas (ONU). “É um trabalho voluntário, mas que vai ser algo que vai trazer melhorias. Podemos fazer denuncias, trazer projetos de empresas internacionais. É muito trabalho a se fazer”, descreve.

Trajetória

Nascido em Palmares (PE), Ciswal, de 31 anos, se mudou para Juazeiro do Norte quando seu pai, também professor, foi transferido para Serra Talhada (PE). Com família devota do Padre Cícero, optaram por ficar na terra do sacerdote. Com o tempo e a separação de seus pais, as dificuldades financeiras apareceram. Sua mãe, ganhava R$ 15 por faxina, mas era pouco. Por isso, o jovem resolveu trabalhar em um mercantil entregando as feiras de bicicleta.

Quando entrou na faculdade, com apenas 15 anos e meio, teve que buscar no lixo a solução para seu sonho de continuar estudando. Foi aí que Ciswal resolveu catar latinhas de para reciclagem. O quilo do material custava R$ 2. Em uma semana, o professor conseguia três quilos e meio. “Era com isso que pagava xerox, apostila, conseguia pegar um livro e imprimir”, confessa. Ele concluiu Ciências da Computação e também é graduado em Física.

13:02 · 29.03.2019 / atualizado às 13:02 · 29.03.2019 por
ESMP fica no Edifício Central Park, na Rua Catulo da Paixão Cearense, 135 – 12º andar. (Foto: Divulgação)

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) promove, na próxima sexta-feira (05) o Curso Prático sobre Previdência Própria dos Municípios. O evento acontece no auditório da Escola Superior do Ministério Público (ESMP), em Juazeiro do Norte, das 8h30min às 11h30min. A qualificação é gratuita e dá direito a certificado. As inscrições podem ser feitas no site.

Ministrada pelo promotor de Justiça Silderlândio do Nascimento, o curso abordará aspectos práticos de análise financeira e atuarial dos regimes próprios, bem como a repercussão dos parcelamentos previdenciários na sustentabilidade dos regimes e os planos de equacionamento de déficit atuarial, além de outros pontos referentes aos RPPS. O evento é destinado a membros, servidores, estagiários, demais colaboradores, estudantes e sociedade em geral.

Segundo o promotor de Justiça Silderlândio do Nascimento, o curso se destina à compreensão do funcionamento dos regimes próprios dos municípios (Previdências Públicas) a fim de buscar soluções referentes aos graves déficits atuariais de tais regimes, situação que, no futuro breve, pode acarretar em graves crises fiscais e ausência de capacidade dos municípios de pagarem os benefícios previdenciais.

“O assunto é muito importante para as populações dos municípios, para que os cidadãos e servidores públicos conheçam o funcionamento de seus regimes próprios de forma a evitar a insolvência de tais fundos em um futuro próximo, considerando os graves déficits atuariais de regimes próprios recentemente instalados, fato injustificável e muito preocupante, já que tais regimes possuem atualmente muitos servidores ativos custeando poucos inativos”, detalha o promotor.

A atividade integra um ciclo de ações promovidas com o intuito de proporcionar melhor compreensão das atividades desenvolvidas pelo MP sob o enfoque nas mais diversas áreas do direito. A palestra inaugural aconteceu em 22 de março e tratou do tema “O poder de polícia do MP no direito do consumidor”.

Segundo a coordenadora da ESMP em Juazeiro do Norte, promotora de Justiça Juliana Mota, a ideia do ciclo surgiu da necessidade de aproximação entre o MP e a sociedade, auxiliando o cidadão no conhecimento de seus direitos

09:39 · 27.03.2019 / atualizado às 19:55 · 27.03.2019 por
Clínica-escola fica no campos sede, no bairro Lagoa Seca. (Foto: Divulgação/CRC)

O Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão), em Juazeiro do Norte, está disponibilizando atendimento gratuito de Fisioterapia às crianças com Síndrome de Down. O atendimento é feito na sua clínica-escola e podem ser realizados pelo menos três vezes por semana, chegando até ser diariamente, dependendo do caso.

A clínica-escola da Unileão também conta com o projeto “Pediatria Itinerante”, que trabalha em parceria com algumas unidades básicas de saúde. Nele, os estagiários dos cursos da Instituição buscam identificar as crianças com deficiência, levar informação às famílias e, quando necessário, realizar o encaminhamento para a clínica-escola do Centro Universitário.

Segundo a professora Gardênia Martins, coordenadora do curso de Fisioterapia, as alterações no desenvolvimento psicomotor que as crianças com Síndrome de Down apresentam são o principal motivo que levam os pais a procurarem atendimento na clínica-escola. Entre as alterações, estão: tônus diminuído (hipotonia), frouxidão ligamentar, força muscular diminuída, alteração na apresentação dos reflexos, além de alterações visuais, auditivas e as cardiopatias congênitas.

“Todas essas alterações levam ao atraso motor e a Fisioterapia irá contribuir dentro do processo de estimulação precoce, que minimiza essas complicações por meio de técnicas específicas da neuropediatria. O objetivo principal é promover o aprimoramento do desenvolvimento motor próximo ao normal”, explica Gardênia Martins.

A professora acredita que as famílias estão mais informadas, uma vez que foi quebrado o paradigma de que a pessoa com a síndrome não pudesse ser produtiva, participar do mercado de trabalho e nem ter uma vida independente. “Durante muito tempo, esses mitos rondaram as crianças com Síndrome de Down e sentenciaram algumas famílias. Com a informação mais acessível, as mães puderam compreender muito mais sobre as potencialidades das crianças”, conta.

A síndrome

A Síndrome de Down ou trissomia do cromossomo 21 é a cromossomopatia mais comum deste século. Não se trata, portanto, de doença, mas sim de uma mutação do material genético humano. Os motivos para a ocorrência ainda são desconhecidos, mas o que se sabe é que começa na gestação, quando as células do embrião são formadas com 47 cromossomos, sendo que o comum seriam 46 cromossomos.

08:09 · 27.03.2019 / atualizado às 19:27 · 27.03.2019 por
(Foto: Divulgação)

A rede municipal de ensino de Juazeiro do Norte terá um novo material didático e paradidático para alunos dos 5º e 9º anos. Publicado pela Editora FTD, os instrumentos de educação são composto por livros de sete disciplinas diferentes. Além disso, há um sistema on-line com diversos recursos que acompanha o trabalho dos professores para além da sala de aula. A previsão para sua utilização é para o início de abril.

Os alunos do 5º ano receberão livros de Português, Matemática, Ciências e Geografia. Já para os estudantes do 9º anos, serão entregues publicações das disciplinas de Português, Matemática, Ciências, História, Geografia e Arte.

Inicialmente, a Secretaria de Educação de Juazeiro do Norte (Seduc) realizou uma fase de implantação desse projeto com o acompanhamento de técnicos da Editora FTD, junto aos professores e coordenadores pedagógicos, com o objetivo de explicar o funcionamento do sistema on-line.

De acordo com a gerente do Ensino Fundamental da Seduc, Socorro José de Sousa, esse material entra como fator determinante para contribuir com um melhor desempenho e aprendizagem dos alunos em sala de aula e deve refletir, consequentemente, nos resultados das avaliações externas como a Prova Brasil, que compõe o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Estas avaliações serão aplicadas no mês de outubro em Juazeiro do Norte e em todo país para alunos destas duas séries contempladas. “Esse é um sistema que vai trazer melhores oportunidades de trabalhar e dinamizar melhor todas essas disciplinas com novas possibilidades”, destaca Socorro.

12:03 · 22.03.2019 / atualizado às 12:03 · 22.03.2019 por
Foto: Antonio Rodrigues

A Universidade Regional do Cariri (URCA) foi condenada a contratar um profissional intérprete para assistir a um aluno com deficiência auditiva. A decisão da 1ª Vara Cível da Comarca de Juazeiro do Norte decorreu após uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). Na sentença, o magistrado estabeleceu um prazo de 30 dias para o cumprimento da determinação judicial.

Segundo os autos do procedimento extrajudicial instaurado para investigar os fatos, o aluno requereu junto a Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (PROGRAD) da URCA, a disponibilização de um profissional “intérprete” em virtude da necessidade de ter ao seu alcance todos os recursos necessários para que pudesse gozar dos direitos de um discente daquela Instituição.

Sem a devida assistência educacional, o aprendizado daquele aluno ficava prejudicado, não obstante tenha recebido o silêncio como resposta.

Segundo o promotor de Justiça responsável pelas atribuições extrajudiciais de proteção a pessoa com deficiência em Juazeiro do Norte, José Carlos Félix da Silva, após a recusa da Universidade em solucionar o problema na esfera extrajudicial, não restou alternativa senão acionar o Poder Judiciário.

“O aluno conseguiu com muitos esforços ser aprovado no difícil e concorrido vestibular da URCA, efetuou sua matrícula, e por descaso da Universidade em não disponibilizar um profissional em Língua Brasileira de Sinais para acompanhá-lo durante as aulas, impede seu efetivo acesso à educação. Não bastasse sua limitação pela deficiência, é frustrante e depressivo o quadro psicológico sentido e vivido pelo substituído em face da omissão da Instituição”, disse o promotor.

O representante do MPCE acrescentou que o aluno encontra-se em grave situação de risco educacional, de profissionalização, inclusão social e de futura inserção no mercado de trabalho.

A URCA alegou em sua contestação que por diversas ocasiões tentou mais foi frustrada na pretensão de contratar profissional habilitado, o que se deu em virtude da escassez deles no mercado local. “Por esta razão, em face da impossibilidade fática de conseguir profissional com a necessária habilitação, e exclusivamente por este motivo, não foi possível atender à reconhecida necessidade do aluno” afirmou o coordenador jurídico da Universidade.

No entanto, na decisão judicial, o juiz determinou a instituição de ensino superior que disponibilize profissional intérprete para assistir o aluno com deficiência auditiva nas aulas do curso de licenciatura de ciências matemáticas, inclusive acompanhando o aluno em eventuais aulas extraclasse. Inclusive, para o cumprimento da medida, não exige necessariamente que a Instituição terá que realizar concurso, podendo se valer de servidores efetivos qualificados em libras para atender à situação.

“A educação tem sua relevância positivada na Constituição da República. E, com vistas ao pleno exercício da cidadania, prevê como seu instrumento fundamental, a universalização da educação. De fato, a instituição educativa, a serviço do bem-estar social, complementa, ao lado da família, o desenvolvimento pessoal, social e econômico das pessoas e contribui decisivamente para a melhoria de vida de cada cidadão, mormente quando estamos a falar de uma pessoa com deficiência”, concluiu o promotor de Justiça.

15:00 · 21.03.2019 / atualizado às 15:07 · 21.03.2019 por
Foto: Divulgação

Um novo gênero de perereca fóssil, com cerca de 110 milhões de anos, foi descoberto em Nova Olinda, na Bacia do Araripe. Batizado de Cratopipa Novaolindesis, ele foi encontrado em 2017 na Formação Santana, membro Crato, e pertenceu ao período Cretáceo. Sua descrição foi publicada no último dia 15, na revista ScienceDirect.

A pesquisa foi coordenada pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que trabalha na região desde a década de 1960.

A nova espécime consiste de um esqueleto quase completo, com parte da pele e dos músculos ainda preservados, que mostra várias semelhanças anatômicas com outros fósseis da América do Sul. O animal habitava a água doce e não possuía língua. “A primeira questão que nos chama atenção é que ela é de um grupo muito semelhante com as pererecas atuais. Este fóssil é quase que um ancestral”, explica o professor Ismar Carvalho, que coordenou a pesquisa.

A nova análise filogenética reforça hipóteses biogeográficas anteriores que sustentam a dispersão do gênero Pipimorpha entre a África e a América do Sul através de uma cadeia insular ou ponte continental através do Oceano Atlântico. Além disso, como habitava água doce, a existência do Cratopipa Novaolindesis indica que em determinados momentos houve grande incidência de água doce e a presença de uma boa quantidade de chuvas na Região.

Ilustração: Deverson Silva

“Naquele período, começa o rompimento da América do Sul com a África. Nesse momento, há muitos eventos de extinção, em que novos espaços ecológicos estão surgindo. Isso torna o Araripe muito importante. Ele acaba marcando esse momento de transformação na Terra. Vão surgindo novas espécimes”, explica o pesquisador.

Ismar acredita que a Bacia Sedimentar do Araripe faz um registro do momento de grandes transformações no clima, na fauna e na flora do Planeta. “Se quer conhecer esse mundo, a gente tem que ter um olhar nas rochas que se encontra no Araripe”, reforça.

Outro aspecto destacado pelo pesquisador é a preservação dos fósseis. “Você dificilmente encontra um animal e uma planta por completo. O animal não sofreu apodrecimento. A análise que a gente faz é que a matéria orgânica conseguiu preservar. A gente ainda tem resquícios da pele e músculos do animal. Isso mostra as condições que reinavam onde esse organismo se fossilizou”, completa Ismar.

14:41 · 01.03.2019 / atualizado às 14:41 · 01.03.2019 por
(Foto: Divulgação/IFCE)

O campus de Crato do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) está com processo seletivo aberto para contratação de professor substituto de Física Geral e Experimental. As inscrições acontecem até 04 de março, exclusivamente pelo site em que também está disponível o edital.

A taxa de inscrição é de R$150,00 e pode ser paga até o dia 06 de março. É possível solicitar isenção, também pelo site, nos dias 25 e 26 de fevereiro. O cronograma completo está disponível no site.

O processo seletivo é simplificado e será realizado em duas etapas: prova de desempenho didático e prova de títulos. O regime de contratação do candidato selecionado é de 40 horas semanais. A remuneração varia de acordo com os títulos do candidato aprovado. A tabela está disponível no mesmo site da inscrição.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Cariri

Belezas naturais, fé, trabalho e cultura. Sob os pés da Chapada do Araripe, aqui você encontra as principais notícias dos municípios da região. Por Antônio Rodrigues.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags