Busca

Categoria: Esporte


14:09 · 28.07.2017 / atualizado às 14:29 · 28.07.2017 por
Da moto a casa. Tudo na vida de Jorge remete ao Flamengo (Fotos André Costa)

São mais de 40 milhões de torcedores e 122 anos de fundação do Clube de Regatas Flamengo. Dentre essa multidão rubro-negra, inúmeros fanáticos que dariam a vida pelo “Mengo”, como eles chamam o time de coração. Em Juazeiro do Norte, cidade a mais de 2.500 km de distância da sede da Gávea, no Rio de Janeiro, um ilustre torcedor. Ele também ostenta um título: “sou o maior símbolo aqui do Cariri”, diz orgulhoso.

Cícero Jorge Rodrigues, de 45 anos, já foi o “Romário”, mas hoje é conhecido como “Maradona”. O juazeirense vive Flamengo. Literalmente. Sua história de amor com o time carioca surgiu há mais de duas décadas. Antes, porém, o pai de Jorge, “flamenguista fanático”, viu “perder” sua outra filha para o arquirrival. “Minha irmã torce Botafogo”, diz, em meio a uma sorriso amarelo. “Não teve jeito. Ele [pai] até tentou, mas não conseguiu fazer com que ela torcesse o Mengão”, completa.

Maradona exibe orgulhoso as tatuagens e a carteira de sócio torcedor (Foto André Costa)

O desejo de ver os dois filhos vibrando com o Flamengo foram catalisados ao Jorge. E deu certo. “Sou apaixonado pelo Flamengo. É minha maior paixão”, diz, ostentando, com orgulho, a réplica da camisa utilizada pela geração campeã do Mundo, em 1981. “Foi um título incrível”, comemora, como se em uma fração de segundo ele revivesse em sua memória aquele jogo, contra o Liverpool, em 13 de dezembro, vencido por 3 x 0, numa rara superioridade de uma equipe brasileira sobre um time europeu numa decisão de Mundial.

“O Nunes jogou como nunca antes tinha jogado”, diz ele, recordando os dois gols marcados pelo jogador. “Zico foi um monstro”, acrescenta o fanático torcedor. O que torna Maradona um ícone na região não é, no entanto, não é apenas sua memória impressionante. Nas ladeiras da rua do Horto, bairro tradicional da cidade, cuja fé parece está mais viva do que em outros locais, as casas costumam ter, já na sala de entrada, inúmeros quadros e imagens de santos.

Centenas deles compõem o ambiante sui generis daquela comunidade. Na residência de Jorge, ou melhor, do Maradona, como ele corrige sempre que é chamado de forma diferente, a composição do cenário ganha um novo arranjo.

As molduras são em preto e vermelho. Ao lado das imagens santas, incontáveis ícones que remetem ao clube carioca. Posteres, fotos e camisas se misturam entre os santos, num hibridismo “sacro-futebolistico”. “Aqui vocês podem ver minhas duas grandes paixões, o Flamengo e o Padim Ciço”, aponta, mostrando a imagem do patriarca juazeirense, também cercado por uma moldura rubro-negra. A casa respira Flamengo. O local já virou ponto turístico, afirma Maradona.

Ponto Turístico
“Na Semana Santa, período em que a cidade recebe milhares de romeiros, eu não consigo dormir direito. Minha casa é invadida pelos turistas. São dezenas todos os dias”, diz orgulhoso. Não podia ser diferente. Quem sobe as ladeiras rumo a estátua de 27 metros do Padre Cícero Romão Batista, no alto da Colina do Horto, logo avista, ao lado esquerdo da estreita rua com paralelepípedos, a casa com pintura chamativa, nas cores preto e vermelha. Até a árvore, que sombreia o imóvel, carrega as cores do time de coração. “Pintei tudo”, pontua Maradona.

Se pelo lado de fora a residência chama a atenção e desperta curiosidade de quem passa, dentro, o ambiente é um espécie de Museu, ou santuário, como ele brinca. São incontáveis peças. Quase tudo nas cores preto e vermelho. O turista que visita a casa de Maradona pode escolher se quer descansar o corpo em cadeiras vermelhas ou em um puff preto e branco, com um grande escudo do time. As televisões da sala e da cozinha foram personalizadas. Assim como a moto, o capacete, a geladeira, o guarda-roupa, as pernas da cama e tantas outros móveis e eletrodomésticos.

Geladeira personalizada com as cores do Flamengo (Foto André Costa)

“Tudo começou aos 19 anos. Ganhei um quadro de presente e coloquei na parede. Daí em diante, comecei a colecionar imagens, revistas, quadros e tudo que seja do Flamengo. Hoje perdi as contas de tudo que tenho. São milhares”, conta Maradona, sentado na sala de estar da casa, aos olhares atento da irmã botafoguense Lídia Rodrigues. Entre uma pergunta e outra, Lídia interrompe a entrevista e diz: “Quero ver como ele vai ficar na próxima semana. O fogão vai eliminar o flamengo na semifinal da Copa do Brasil”.

Maradona responde a provocação de forma fraterna. Apenas sorri e rebate “Ela gosta de sonhar”. Não satisfeita, Lídia entrega o irmão. “No último jogo, contra o Santos [válido pelas quartas de final da Copa do Brasil, que rendeu a classificação ao time carioca] ele teve que rezar muito”. Maradona mais uma vez sorri e ironiza: “Quem não reza?!” As orações são direcionadas ao Padim Ciço, considerado Santo pelo católicos romeiros. “Já rezei para ser campeão, já rezei para não perder, rezo sempre sim”, brinca.

A reação amigável, inclusive, é uma marca de Maradona. Ao notar a presença de “um rival em sua casa”, ele brinca. “Você é vascaíno, né?! Reparei sua tatuagem no braço, mas tenho certeza que hoje você vira flamenguista”, ironiza ele, olhando para mim. “Você deve está lembrado do gol do Petkovic, na final do Carioca de 2001”, pegunta-me. Aceno positivamente com a cabeça e ele retruca. “Padre Cícero ajudou a bola a entrar”, completa Maradona em meio a uma gargalhada de satisfação.

Parede da casa divide espaço com imagens sacras e artigos do time rubro-negro (Foto Andre Costa)

O amor pelo flamengo, inclusive, foi parar na pele do juazeirense ilustre. A cada foto, ele faz questão de expor suas imponentes tatuagens, em cada um dos braços. “O amor aqui é para vida toda”. Questionado se vestiria a camisa de um outro clube, ainda que por brincadeira, Maradona não titubeia. “Nem por muito dinheiro. Nunca ninguém vai me ver com outra camisa. Só visto o manto do mengão”, retruca com bom humor, que lhe é peculiar.

Ídolos
Uma das paredes da sala é destinada apenas as fotos. São dezenas, entre anônimos e famosos, ele mostra a mais recente, tirada na semana passada, com o “Papai Joel”. “Ele esteve aqui em casa”, diz, referindo-se ao técnico Joel Santana, que teve cinco passagens pelo Flamengo, a última delas, em 2012. Entre milagres e vexames, o técnico fez história no Flamengo e Maradona reconhece. “Ele foi um grande treinador, acertou e errou, como todo mundo, é um cara super do bem”, diz. Joel e Maradona se encontraram na semana passada.

O treinador estava no Cariri para disputar um amistoso, com a equipe norte-americana que comanda, o Black Gold Oil, contra o Icasa, time de Juazeiro do Norte. “Ele fez questão de vir conhecer minha casa”, conta orgulhoso. “A gente tomou café, conversamos e rimos muito. Levei até ele para conhecer a estátua do Padre Cícero”, completa Maradona, mostrando o registro fotográfico feito aos pés do Padim. Além de Joel, o zagueiro Ronaldo Angelim, filho de Juazeiro do Norte, foi outro atleta a já ter visitado a “casa rubro-negra”. Os ídolos vêm até Maradona, mas ele também vai até os ídolos.

Sonho e morte
Já foram inúmeras visitas a Gávea, a principal sede do Clube de Regatas do Flamengo, onde a maioria dos atletas do clube treinam. Apesar das viagens, um sonho ainda não foi realizado. “Todas as vezes que fui o clube estava em período de férias. Nunca assisti um jogo do Mengão lá no Rio. Meu grande sonho é ver, ao lado do meu pai, o Flamengo jogar no Maracanã”, conta emocionado, deixando um pouco de lado o tom de humor. “Meu pai foi o grande incentivador disso tudo. Eu tenho muito orgulho dele. Assim como tenho pelo Flamengo. Um dia ainda vou realizar esse desejo”, pontua.

Ao ter seu sonho realizado, Maradona diz que já pode morrer “tranquilo”. Mas nem mesmo o assunto fúnebre afasta a temática do clube. “Quero ser enterrado num caixão com as cores e o escudo Mengão, com o hino tocando”. Apesar do desejo, ele humoriza: “Mas não precisa ser agora. Quero viver ainda muitos e muitos anos para ver o Mengão ser campeão”, conclui.

Na despedida, ele faz o pedido de uma foto, seguido por uma mensagem. “Sou apaixonado pelo Flamengo, mas sou contra qualquer violência. Temos que respeitar todo mundo. Minha irmã, por exemplo, torce pelo Botafogo e nem por isso deixo de amá-la. Você é vascaíno e nem por isso deixei de lhe receber bem na minha casa e de tirar uma foto. O futebol não tem mais espaço para intolerância”, finaliza Maradona, “o torcedor flamenguista mais fanático do Cariri”.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:56 · 28.07.2017 / atualizado às 10:56 · 28.07.2017 por

A Arena Romeirão, que será construída em Juazeiro do Norte, poderá chegar a 16.400 assentos, 3 mil lugares a mais do que a margem inicial proposta no projeto, que está sendo elaborado pelo Governo do Estado, com a parceria do Município.

O Prefeito Arnon Bezerra anunciou a conquista do projeto para o Município na última semana, juntamente com o Secretário Executivo da Casa Civil do Estado do Ceará, Quintino Vieira. O estádio será um dos mais belos e modernos do Nordeste, se tornando espaço para realização de grandes shows, área de shopping, gastronomia, museu e eventos da região do Cariri.

O secretário de Esporte e Juventude de Juazeiro do Norte, Luciano Basílio, participou, nesta quinta-feira, 27, em Fortaleza, de reunião com técnicos, arquitetos e engenheiros do Governo do Estado, que estão elaborando o projeto do novo estádio. Ele esteve acompanhado da assessora especial da Secretaria, Carla Fernandes.

Na ocasião, a proposta de aumentar a capacidade de público levada pelo Prefeito Arnon Bezerra, foi acatada pela equipe do Governo Estadual, e, ao invés de 13.400 assentos, agora o projeto da Arena Romeirão passa a contemplar mais 3 mil lugares, o que o secretário Luciano Basílio considera uma conquista importante, sendo um ganho significativo para o estádio, que receberá grandes eventos do Município e Região.

A Arena Romeirão contempla Museu do Futebol, que contará a história do esporte no Município, região e Estado, além de camarotes, e cinco vestuários, um deles para os árbitros. Conforme o secretário Luciano, a imprensa será privilegiada, com área de cabines modernas para transmissão dos jogos. O estádio contará ainda com dois telões e placar eletrônico, além das torres de led, para iluminação. A expectativa é que o projeto seja finalizado em novembro deste ano, por conta das alterações que devem ser feitas, e o lançamento aconteça em seguida, com obras a serem iniciadas em janeiro do próximo ano.

Segundo o secretário Luciano Basílio, esse é um momento de grande importância, para definir pontos relevantes do que a Arena Romeirão irá proporcionar em termos de estrutura para o público. O projeto será realizado no mesmo local, onde atualmente está construído o Estádio Romeirão. O Prefeito destacou a importância de preservar o nome do Estádio Municipal Mauro Sampaio, que será mantido.

O secretário Luciano Basílio está bastante empolgado com a conquista do novo espaço, que irá proporcionar o fortalecimento do esporte na região, além de estimular a realização de shows e eventos no Cariri. Segundo ele, a meta é trazer grandes times para a inauguração do novo estádio, ou mesmo a seleção brasileira. Os contatos já estão sendo feitos nesse sentido.

09:57 · 05.04.2017 / atualizado às 10:02 · 05.04.2017 por
Guarani se prepara para o duelo contra o Ceará (Foto André Costa)

Toda a logística para a primeira partida da melhor de três, válida pela semifinal do Campeonato Cearense de 2017, já está definida. O Guarani Esporte Clube, representante de Juazeiro do Norte, receberá o Ceará Sporting Clube hoje a noite, às 21h45, no Estádio Mauro Sampaio, o Romeirão.

O Guarani terminou a fase classificatória em quarto colocado, com 15 pontos. Nas quartas de final, eliminou o Maranguape, empatou a primeira partida em 1×1. No jogo de volta, o leão do mercado venceu 5×1. Junto com Guarani e Ceará, Fortaleza e Ferroviário completam o quarteto que buscam chegar na grande final da competição. Por ser o único representante do interior do Estado, o Guarani já é o Campeão do Interior e receberá a taça Padre Cícero.

A reunião aconteceu no Romeirão na última quinta-feira, 30, e contou com a participação de membros da Secretaria de Esporte, Juventude e Cultura (Sejuc), integrantes da diretoria do Guarani, representantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Civil Municipal, Demutran, Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária e Conselho Tutelar. Todas estas entidades estarão envolvidas de forma direta com a realização do evento.

O principal objetivo do plano de ação é garantir que o espetáculo ocorra dentro da lei, de forma segura antes, durante e após o jogo. Destaca-se a vinda de 25 homens do Batalhão de Eventos da Polícia Militar para reforçar a segurança dentro e no entorno do Estádio.

Para a partida, serão disponibilizados 5.425 ingressos. 1.680 para arquibancada social, 3.280 para arquibancada geral, 75 para cadeiras cativas, 200 gratuidades e 200 cortesias. Apenas 10% dos ingressos serão destinados para a torcida visitante, assim como regulamenta o Estatuto do Torcedor.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

07:51 · 25.02.2017 / atualizado às 07:51 · 25.02.2017 por

Juazeiro do Norte. No próximo dia 12 de março, a Associação Juazeirense de Skate (Ajusk) realiza o Campeonato Juazeirense de Skate, neste município. A competição, que conta com o apoio da Secretaria de Esporte, Juventude e Cultura (Sejuc), tem caráter beneficente e envolverá atletas de toda região do Cariri. Competidores das cidades vizinhas como Nova Olinda, Brejo Santo, Jardim, Crato já confirmaram presença no evento. Skatistas da capital cearense também participarão.

São ofertadas as categorias mirim, iniciante, aberto e master. Cada modalidade tem um valor simbólico de R$ 5,00, R$ 10,00, R$ 15,00 e R$ 15,00, além de um quilo de alimento não perecível, que será doado para uma instituição. Ao todo, R$ 2 mil em prêmios serão distribuídos para os vencedores de cada categoria.  O evento acontece a partir das 15 horas, na pista de skate do Parque Ecológico de Juazeiro do Norte.

A SEJUC entrará com toda a parte de estrutura do evento. Som, palco, luz e banheiros químicos são alguns dos equipamentos que serão disponibilizados pela secretaria. É desejo do poder público apoiar todas as atividades esportivas que acontecem na nossa cidade, promovendo o esporte e oferecendo lazer para a nossa população.

Além da competição de skate, após as provas, acontecerá a apresentação de alguns grupos de rap da cidade, com a batalha de rimas, uma das atrações é o grupo Tony GDf. Quem quiser realizar a inscrição para o evento, pode procurar a loja Porão Rock. Até o dia 10 de março será cobrado apenas 50% do valor, e na hora do evento, o valor normal.

23:48 · 15.02.2017 / atualizado às 00:04 · 16.02.2017 por
O goleiro Fábio foi um dos destaques da partida

Juazeiro do Norte. Invicto dentro de seus domínios este ano, vice-líder do campeonato estadual e único time cearense a avançar de fase na Copa do Brasil. O ano não poderia começar melhor para o Guarani de Juazeiro. Com time bem treinado pelo técnico Washington Luiz e mostrando muita disposição, o Guaraju despachou o Náutico por 1 a 0 no estádio do Romeirão na noite desta quarta-feira (15), com gol marcado no segundo tempo pelo atacante Italo. Com a vitória, a equipe avançou, pela primeira vez, para a segunda fase da competição.

Jogo
Apesar de ter a vantagem do empate, a equipe pernambucana não ficou na retranca e saiu para o jogo, ameaçando o Leão do Mercado algumas vezes. Bem posicionado, a equipe cearense conseguiu impedir as investidas do Timbú. Nos primeiros minutos da partida o atacante e destaque do time Leilson buscou o gol, mas parou nas boas defesas de Tiago Cardoso. Em seguida o Náutico reagiu e foi para cima tentar um gol que aumentaria sua vantagem. Nos minutos finais da primeira etapa, o Timbú melhorou e tomou conta da partida. Porém, a superioridade não foi revertida em gol.

O segundo tempo começou com pressão do Náutico. Guaraju se defendeu bem e investiu em jogadas rápidas e envolventes. Em um dos ataques, o goleiro adversário deu rebote e a bola sobrou para Ítalo finalizar com precisão e abrir o placar aos 8 minutos. Sete minutos mais tarde, Leílson cabeceou com firmeza dentro da área e mandou a bola para o fundo da rede, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Após o gol do Guaraju, o time pernambucano teve boas chances, mas o time da casa conseguiu segurar a vitória. O próximo adversário do Leão do Mercado na Copa do Brasil será o Sampaio Correia, equipe do Maranhão que eliminou o São José/RS. As outras equipes cearenses não conseguiram avançar de fase. O estreante Uniclinic esbarrou na Portuguesa; a o Ceará perdeu para o Boavista com um gol de pênalti nos acréscimos do segundo tempo e o Fortaleza foi derrotado de virada pelo São Raimundo.

Escalação do Guaraju
1 Fabio
2 Talisson
3 Regineldo
4 Pedro Lucas
6 Zé Aquiraz
5 Dim
8 Da Silva
10 Adenilson
7 Leílson
11 Ronda
9 Italo

Guarani 1 X 0 Náutico
Público pagante: 2.803
Público não pagante 234
Público total de 3.037 torcedores.
Renda: R$ 31.430,00

08:30 · 02.02.2017 / atualizado às 10:10 · 02.02.2017 por

Juazeiro do Norte. De 29 a 12 de fevereiro os apaixonados por futebol e pelo Icasa poderão conhecer melhor a história de um time que, ao longo dos quase 54 anos, emocionou e encantou milhares de pessoas. A exposição do Verdão do Cariri é uma verdadeira viagem no tempo.

Fotos preto em branco relembram os primeiros passos do que um dia se tornaria o orgulho de uma cidade. O passeio pelas lembranças do time tem uma data marcante, o ano de 2013 quando o Icasa ficou a um ponto da série A do Campeonato Brasileiro, a elite do futebol. Hoje, o time alviverde luta para retornar a série A do Campeonato Cearense e quem sabe ao brasileirão.

Para voltar a empolgar a torcida, o Icasa irá apresentar no próximo sábado, 4 de fevereiro, às 19h, o novo uniforme da equipe num desfile, com participação dos jogadores. Outra novidade será a apresentação do time feminino de futebol do Icasa. Tudo no espaço localizado próximo a loja Sérgios.

Já neste domingo, dia 5, os apaixonados por futebol poderão participar do Campeonato de Embaixadinha. A programação gratuita está marcada para começar às 15h. As inscrições podem ser feitas na própria exposição e quem fizer mais embaixadinha, tem premiação. O terceiro e o segundo lugar irão ganhar uma bola de futebol oficial, já o primeiro lugar, além da bola, leva também uma camisa oficial do Verdão do Cariri.

Serviço
Exposição Icasa – A Fé nos Conduz a Vitória
Local: Cariri Garden Shopping
Data: De 29 a 12 de fevereiro
Entrada Gratuita

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:28 · 30.11.2016 / atualizado às 08:57 · 07.12.2016 por

cjb

A grande paixão nacional, sem dúvida, ainda é o futebol. Outros esportes, no entanto, tem conseguido ganhar adeptos a cada dia. Mas não é uma tarefa simples. Essas modalidades enfrentam incontáveis dificuldades, como por exemplo, a falta de incentivo poder público. Em Juazeiro do Norte, o handebol amador sofre com a ausência total de apoio financeiro. O time Crajubar Handebol Clube (CJB), fundado há mais de 15 anos, sente na pele – ou no uniforme vestido por 19 mulheres – a falta de incentivo.

Uma vez por semana, as atletas se reúnem no ginásio Poliesportivo da cidade para treinarem. Entretanto, o objetivo da criação do time vai além do desporto. Com a maioria das mulheres participantes de baixa renda, o projeto quando foi pensado tinha por objetivo a “educação e integração social”. Passados uma década e meia, a busca por vitórias dentro e fora das quadras continua, apesar das dificuldades para que o time se mantenha ativo.

Dificuldades
Segundo o professor João Gutenbergue, as aulas não dispõem de materiais básicos para a prática do esporte. Ele conta que as dificuldades são inúmeras. “Falta lugar para treinar, pois os horários sempre estão reservados para o futsal, falta materiais básicos, e as vezes falta até a bola. Além disso, o apoio do governo é zero, as empresas não querem patrocinar, isso mesmo para os times oficiais da cidade”, lamenta.

Superação
Apesar das dificuldades, o CJB se mantém firme há mais de uma década, transformando a realidade das participantes. De acordo com a atleta Jordania Mattos, o esporte lhe ajudou a superar a depressão. “Eu já sofria essa doença há uns três anos. Uma vez vendo os jogos das olimpíadas, eu senti vontade de voltar para handebol, desde então, não sinto mais os sintomas da doença”, comemora.

Para Renata Marques, outra integrante da equipe, o Crajuar Handebol Clube veio “para mudar sua visão de mundo e lhe mostrar um novo caminho”. Ela acrescenta que o esporte melhorou, inclusive, seu desempenho escolar. “Quando comecei a jogar, eu não ia bem nos estudos e não andava com boas companhias, tudo isso mudou com o handebol, minhas notas melhoraram e meu futuro também”.

Enquanto o apoio financeiro não entra em quadra, elas vão demonstrando, a cada jogo, que são vitoriosas dentro e fora das quatro linhas, colecionando histórias de superação e aprendizado por meio do esporte, ainda que invisibilizado pelo poder público e empresas privadas.

A reportagem do Diário do Nordeste, tentou contato com a Secretaria de Esporte, Juventude e Cultura de Juazeiro, no entanto, as ligações não foram atendidas.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

07:33 · 29.11.2016 / atualizado às 10:19 · 29.11.2016 por
Foto Reprodução
Foto Reprodução

A Polícia de Medellín, na Colômbia, já confirmou a morte de 76 pessoas que estavam no avião com a delegação da equipe catarinenses de Chapecó. Seis pessoas foram socorridas – quatro jogadores e dois jornalistas. O goleiro Danilo, socorrido com vida, não resistiu e morreu no hospital. No voo, estavam 81 pessoas, incluindo 72 passageiros e nove tripulantes. No total, eram 48 membros da Chapecoense, incluindo 22 jogadores, 21 jornalistas da Fox TV, TV Globo, RBS e rádios, além de três convidados, e tripulação.

Momento do embarque da delegação (Foto: reprodução do facebook do jornalista Rafael Henzel)
Momento do embarque da delegação (Foto: reprodução do facebook do jornalista Rafael Henzel)

A tripulação saiu de Guarulhos, em São Paulo, para Bolívia em voo comercial. Após escala técnica, deixou Santa Cruz de La Sierra em direção a Medellín. Quando sobrevoava a região de Antióquia perdeu contato com o aeroporto, que confirmou o acidente. A causa do acidente teria sido uma pane elétrica. Ainda de acordo com a imprensa local, o piloto teria liberado combustível para evitar explosão após o pouso forçado. Essa já é a maior tragédia envolvendo um clube de futebol no mundo.

Segundo noticiou a imprensa colombiana, o local em que o avião caiu seria de difícil acesso. Além disso, o mau tempo na região metropolitana de Medellín atrapalharia ainda mais o resgate. Dois helicópteros da força aérea do país sobrevoam a área para auxiliar no trabalho das equipes de resgate. Dentre as mortes já confirmadas, está o atacante e ex-jogador do Icasa, Lucas Gomes. Ele passou pelo time juazeirense em 2014, com 22 jogos e seis gols.

Entre as mortes já confirmadas, alguns tiveram passagens pelo futebol cearense, além de Lucas Gomes. O também atacante Kempes, passou pelo Ceará em 2007; o zagueiro Thiego, jogou no Vovô em 2012 e fez um gol em 31 jogos, e o ex-treinador, e agora comentarista, Mário Sérgio, treinou a equipe alvinegra em 2010.

O modelo do avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, produzido pela British Aerospace. A equipe disputaria, na quarta-feira, a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o colombiano Atlético Nacional.

lucas
Atacante Lucas Gomes

Jogadores da Chapecoense que estavam no voo:
Goleiros: Danilo e Follman (sobrevivente)
Laterais: Gimenez, Dener, Alan Ruschel (sobrevivente) e Caramelo
Zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto (sobrevivente)
Volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco
Meias: Cleber Santana e Arthur Maia
Atacantes:: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel, Canela

Com informações Uol e AFP.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

09:48 · 05.07.2016 / atualizado às 14:48 · 06.07.2016 por

catsOs dois principais times do Cariri trocaram, nesta semana, a comissão técnica. Após os péssimos resultados nos primeiros jogos da série D do Campeonato Brasileiro, o treinador português Paulo Morgado pediu demissão do Icasa.

A diretoria do Verdão agiu rápido e anunciou Luís Carlos Mendes que já se apresenta hoje (05). Só este ano, o Icasa já teve cinco comandantes. Além de Morgado, passaram pelo clube Júnior Caruaru, Zanata, Bittencourt e, agora, Luís Carlos.

Já o Guarani de Juazeiro, que ainda tem chances matemáticas de classificação para a próxima fase da Série D, demitiu o então treinador Jorge Luís e contratou Washington Luís, que volta ao clube após conquistar a terceira posição do estadual do ano passado com o Leão do Mercado.

O ex-técnico do Leão, Jorge Luís, assume o comando do Crato, na disputa da taça Fares Lopes.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

13:43 · 07.06.2016 / atualizado às 10:00 · 11.06.2016 por
Reunião aconteceu de portas fechadas (Foto: André Costa)
Reunião aconteceu de portas fechadas (Foto: André Costa)

Juazeiro do Norte. Durante quase três horas os membros do Conselho Deliberativo do Icasa estiveram reunidos na noite de ontem, no Centro de Treinamentos Praxedão, para decidirem se a empresa M9 Sports teria ou não seu contrato rescindindo com o clube.  Após longo debate com ânimos acirrados entre os conselheiros e os representantes da empresa, os gestores do clube optaram, por maioria de votos, pela permanência da M9. A votação obteve dez votos favoráveis à manutenção, nove contras e cinco abstinências.

A reunião foi motivada após o fraco desempenho técnico da equipe apresentado há menos de uma semana da estreia do time na série D do Brasileirão. Além disso, para alguns membros do Conselho, algumas promessas dos gestores da M9 não estão sendo cumpridas.  Os sócios-proprietários da empresas foram chamados para prestarem esclarecimentos, mas não ficaram até o fim da reunião.

Tiago dos Santos criticou a atitude dos conselheiros e disse que iria acionar a justiça caso o contrato fosse rescindindo (Foto André Costa)
Tiago dos Santos criticou a atitude dos conselheiros e disse que iria acionar a justiça caso o contrato fosse rescindindo (Foto André Costa)

Tiago dos Santos, um dos proprietários da M9, reconheceu que o elenco não esteja respondendo conforme o esperado, mas criticou a forma como o Conselho “quis resolver a situação”. “Nunca vi isso em canto algum, parece cidade sem lei”, desabafou. “Colocamos muito dinheiro aqui dentro, por baixo, R$ 180 mil. Trouxemos jogadores, melhoramos as condições dos atletas que alguns deles dormiam no chão, reforçamos o elenco e nas vésperas de começar a competição um grupo de conselheiros querem nos tirar?! Não, não trabalho dessa forma e por isso não fiquei lá dentro [da reunião]”, completou.

Questionado sobre a demora em regularizar parte dos atletas no Campeonato Brasileiro, um dos pontos debatidos pelos conselheiros durante a reunião, Tiago explicou que “já está com toda documentação em mãos, junto com as taxas”. “Fomos no banco fazer o pagamento mas já estava fechado, amanhã [hoje, terça-feira], isso será normalizado”, acrescentou Tiago.

Veja como cada conselheiro votou:
Favoráveis à permanecia: Celso Pontes, Nacelio Santos, Robério Silva, Marcos Oliveira, José Ivan, Lano Fumê, Betinho Silva, Sebastião Galvão, Léo da Sangue Alviverde e Célio da Silva). Contrários à M9: Júnior Feitosa, Júnior Gonçalves, Luiz Agra, Atson Rodrigo, Holon Neto, Eduardo Ramalho, Edson da Fúria, Ramon Souza e Argemiro.
Abstinências: Demontier Agra, Renato Cabral, Marilene Secundo, João Dario e José Pereira.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018