Busca

Categoria: Juazeiro do Norte


14:27 · 21.07.2017 / atualizado às 14:27 · 21.07.2017 por

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) iniciou neste mês de julho ações de melhoria para prevenção de vazamentos em bairros da cidade de Juazeiro do Norte. A iniciativa, que faz parte do projeto piloto do Plano de Ações para Melhorias de Juazeiro, conta com investimento estimado em aproximadamente R$ 100 mil até dezembro deste ano. Inicialmente, quatro bairros receberão a melhoria.

A elaboração do plano foi baseada nos bairros com maior número de ocorrências de vazamento atendidas pela companhia. A medida começou a ser realizada nos bairros João Cabral e Romeirão, e prevê um número de cerca de 250 ligações que serão substituídas somente nesses locais. Outros dois bairros que também estão no plano são Pio XII e Frei Damião. O trabalho se estenderá aos demais bairros da cidade, priorizando os que apresentam maior incidência de vazamentos.

A ação consiste na substituição dos ramais antigos que ligam a rede de abastecimento da Cagece ao hidrômetro dos imóveis. Além da substituição, a companhia também está padronizando a instalação dos ramais numa profundidade de 50cm do solo, isto evita que fiquem muito próximos a superfície e sofram pressões maiores.

“Esse trabalho é importante porque evita perdas de água, diminui o número de intervenções nas vias, além de evitar o desperdício. Quanto menos vazamento, melhor”, afirma Caio Mastielly, responsável pelo núcleo da Cagece em Juazeiro do Norte.

Saiba Mais
Para relatar vazamentos ou qualquer outra ocorrência, a Cagece disponibiliza atendimento 24 horas por dia, através do telefone 0800 275 0195. Além disso, através do Cagece Mobile (aplicativo gratuito, disponível para iOS e Android) qualquer cidadão pode acionar a empresa de forma imediata, pelo celular ou por meio do chat online, no portal da Cagece (www.cagece.com.br).

14:23 · 21.07.2017 / atualizado às 14:23 · 21.07.2017 por

O Parque Ecológico das Timbaúbas recebeu, nesta quinta-feira, 20, a visita de Técnicos Ambientais da Secretaria de Meio Ambiente do Estado (SEMA), para realização de estudos de sua área, com o objetivo de transformar o parque em uma Unidade de Conservação (UC), espaço natural passível de proteção pelas suas características especiais. Durante a visita a Secretária Executiva da SEMA, Maria Dias, reforçou o apoio do Governo do Estado para a requalificação do Parque Ecológico, entendendo se tratar de um ecossistema representativo para a região.

Os estudos definirão a categoria em que o Parque se enquadrará no Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), lei de proteção ambiental. De acordo com a Gestora Ambiental da SEMA, Andreia Moreira, o Parque se enquadra na categoria de Área de Proteção Integral (API), que busca a manutenção dos ecossistemas livres de alterações causadas por interferência humana, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus atributos naturais de forma contemplativa ou voltada à pesquisa científica. “Ao ser definida a categoria, faz-se necessário um trabalho educativo, afim de divulgar todas as atividades que serão permitidas na área, um processo transparente realizado em parceria com a sociedade”, ressalta Andreia.

O projeto propõe que toda a área municipal do Parque se torne API, e as demais áreas no entorno se tornarão Áreas de Proteção Ambiental (APA), sendo também Unidade de Conservação protegida pelo SNUC, mas que permite alguns usos sustentáveis, como a morada de família de forma sustentável, degradando o mínimo possível.

Após a Criação da UC, iniciará o processo de gestão da Unidade, a ser realizado por um Conselho Gestor formado por representantes da Sociedade Civil, posterior a isso será realizado o Plano de Manejo que define o que deve existir no parque e as condutas permitidas e proibidas em suas áreas.

09:23 · 21.07.2017 / atualizado às 14:25 · 21.07.2017 por

Histórias do mundo, de liberdade, da magia de cantar e encantar o público fazem parte do repertório da turnê “Silencia”, recente trabalho da cantora Ceumar, que o Sesc leva a Juazeiro do Norte. A apresentação, que integra o projeto Sesc Sonoridades, acontece no dia 28/7 (sexta-feira), a partir das 19h30, no Teatro Sesc Patativa do Assaré. A entrada é gratuita.

Na companhia do seu violão e do pandeiro, a cantora natural de Minas Gerais se apresenta pela primeira vez em Juazeiro do Norte com um show intimista e cheio de canções de compositores contemporâneos, alguns deles nunca antes gravados por outros artistas.

Em seus shows, Ceumar aprecia a simplicidade de entregar ao público um olhar de verdade, por meio das suas letras canções. A apresentação é um relato de amor e saudade, sentimentos traduzidos em trechos musicais.

SERVIÇO
Sesc Sonoridades – Juazeiro do Norte
Show com Ceumar
Local: Teatro Sesc Patativa do Assaré (Rua da Matriz, 227,Centro)
Data: 28/7
Horário: 19h30
Entrada: Gratuita
Informações: (88) 3512.3355

11:33 · 20.07.2017 / atualizado às 15:12 · 20.07.2017 por
Foto: Elizangela Santos

Juazeiro do Norte. Cerca de 30 mil fiéis participaram, na manhã desta quinta-feira, da missa em em louvor aos 83 anos da morte do Padre Cícero, patriarca deste Município. Após a celebração eucarística, aconteceu apresentação da Banda de Música Municipal e distribuição de caldo para os romeiros, pelo programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A romaria do Padre Cícero iniciou na última segunda-feira, integrando a Semana do Município pelos 106 anos de Emancipação Política, que acontece até o próximo sábado, 22, com hasteamento das bandeiras e encerramento das comemorações.

30 mil fiéis participaram da missa em memória a Padre Cícero.

Todo dia 20 de cada mês fieis lotam a Praça do Socorro, em frente á capela onde o religioso foi sepultado, para relembrar a morte do Padim. Em julho, porém, a data é celebrada de forma ainda mais especial, pois relembra o aniversário de morte do patriarca juazeirense, Padre Cícero Romão Batista, falecido em 20 de julho de 1934, há 83 anos. A missa foi presidida pelo bispo Dom Gilberto Pastana de Oliveira e teve participação de mais de 100 padres.

A missa foi presidida pelo bispo Dom Gilberto Pastana de Oliveira e teve participação de mais de 100 padres.

Para Cícero José da Silva, pároco da Basílica Nossa Senhora das Dores, a morte do patriarca juazeirense é vista de uma forma diferenciada pelos próprios romeiros. “Os fiéis não consideram a morte do Padre Cícero como um acontecimento ruim. A data é comemorada a passagem do Padim desse mundo para o céu, por isso todo dia 20 essa multidão se reúne para reafirmar o compromisso de fidelidade a Jesus”. Conforme explica, a fé católica acredita “na vida eterna, ao lado de Deus, portanto, Padre Cícero está no alto, olhando e intercedendo por todos os devotos e, é dessa forma que o Romeiro enxerga esse acontecimento”, pontua.

“A Romaria que marca os 83 anos de morte do Padre Cícero é de grande importância, até porque a cidade vive, respira romaria. Juazeiro do Norte é a referência que é hoje por causa das romarias. Junto com o aniversário do Município, essa data carrega uma grande responsabilidade e queremos acolher cada vez melhor os nossos romeiros, para que eles sintam-se confortáveis para retornar sempre à nossa Juazeiro”, pontuou o secretário de Turismo e Romarias, Júnior Feitosa.

Família na Praça

Às 17 horas, haverá abertura do projeto “Família na Praça”, na praça do Giradouro, com brinquedos e brincadeiras típicas; pintura em papel e em rosto; apresentação artística de palhaços; contação de histórias; Piquenique literário; oficina de brinquedo com material reciclado; aula de zumba; aula de capoeira e apresentações de grupos tradicionais. A intenção é promover de forma saudável a ocupação dos espaços públicos, e tornar os vínculos mais forte na sociedade. Esse trabalho será realizado em praças da cidade.

Entre outras atividades, haverá Aferição de Pressão; massagem; Terapeuta Ocupacional; Acupuntura; desfile de roupas confeccionada com materiais reciclado; apresentação cultural de grupo infantil do CRAS Horto; apresentação do coral de idosos do Centro de Referência do Idoso (CRI). No Clube dos Comerciários, das 18 às 21 horas, será realizada programação com Ação Social Infantil com cortes de cabelo e brinquedos e Aula de Ginástica, além de Torneio de Futsal e Futebol Society

12:48 · 19.07.2017 / atualizado às 13:23 · 19.07.2017 por
Criança teve morte imediata (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. Uma criança de apenas cinco anos de idade morreu atropelada por um micro-ônibus na Avenida Padre Cícero, neste Município, por volta do meio-dia desta quarta-feira (19). De acordo com a mãe do jovem, ela estava parada no semáforo, com a criança na garupa da motoneta, uma Yamaha Crypton 50 cilindradas, quando ao sair, foi colhida pelo veículo. “Assim que o sinal ficou verde, nós saímos pelo acostamento e eu senti a pancada da batida”, contou Marciele Botelho, em estado de choque.

O jovem Jorchua Botelho, teve morte imediata. Ele usava capacete e um cinto de segurança infantil para moto. “Após a pancada, o micro-ônibus passou por cima do garotinho”, acrescentou uma testemunha. A mãe da vítima sofreu apenas escoriações leves pelo corpo e foi atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Jorchua era o único filho dela.

Apesar dos equipamentos de segurança, segundo o Código Brasileiro de Trânsito, é proibido “conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor transportando criança menor de sete anos ou que não tenha, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança”.

O motorista do micro-ônibus de placas OCJ-5027, pertencente a Cooperativa dos Transportes Alternativos de Santana do Cariri. (Coopertasc), identificado como Cícero Alcione Soares, permaneceu dentro do veículo até a chegada da polícia. Ele temia ser linchado por populares. O condutor foi encaminhado a Delegacia Regional de Juazeiro do Norte (20ª Região). Questionado sobre como teria ocorrido o acidente, Cícero disse que só falaria ao Delegado plantonista.

De acordo com agentes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) de Juazeiro do Norte, será feito uma perícia para identificar as reais causas do acidente. “Não podemos afirmar, de imediato, quem estava errado”, pontuou o agente.

Mortes no trânsito
No Brasil, o trânsito é a principal causa de morte “acidental” entre crianças de zero a 14 anos de idade. De acordo com dados do Ministério da Saúde, há três anos, 1.654 crianças dessa faixa etária morreram devido a esse tipo de incidente no país. A ONG Criança Segura mostrou, através de estudo, que, naquele ano, a média nacional de mortes no trânsito desse segmento da população foi de 3,76 a cada 100 mil crianças e adolescentes de zero a 14 anos.

“No Brasil, aproximadamente quatro crianças morrem todos os dias vítimas de acidentes de trânsito. Esse número poderia ser muito menor se algumas medidas de prevenção fossem adotadas, como a redução do limite máximo de velocidade nas vias e o aumento da fiscalização do uso da cadeirinha”, explica Mariana Lorencinho, coordenadora de projetos da Criança Segura.

Entre 2014 e 2015, no entanto, houve discreta redução nos dados. Ainda conforme a ONG, a redução foi de 16,02%. Entretante, apesar dos números alcançado diante o trabalho de prevenção e conscientização acerca da importância da segurança, o trânsito ainda continua sendo a principal causa de morte de crianças e adolescentes até 14 anos. Entre 2001 e 2015, por exemplo, a redução foi de 42%.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

09:08 · 19.07.2017 / atualizado às 09:08 · 19.07.2017 por
Vaquejada em Juazeiro do Norte movimentou mais de R$ 1 milhão (Fotos André Costa)

Juazeiro do Norte. Arenas lotadas, premiações milionárias e competidores que podem ganhar até R$ 150 mil vencendo uma única prova, muitos deles tratados como celebridades. A primeira vista, o cenário desenhado pode remeter ao futebol, mas o esporte em questão, já considerado paixão nacional, é a vaquejada. Com ganho de força nas últimas duas décadas, a vaquejada, presente com força sobretudo na região do Nordeste, passou a ser “uma mina de dinheiro”. No entanto, para alcançar a glória e acumular cifras, é preciso muita transpiração.

Anonimato a fama
Para eles o dia começa bem antes de surgirem os primeiros raios de sol. A jornada até chegarem nos grandiosos eventos, que envolvem premiações suntuosas, é árdua e mobiliza uma cadeia de inúmeros profissionais. Do surgimento da vaquejada, entre os séculos XVII e XVIII, até os dias atuais, muita coisa mudou. Do tímido público restrito aos sítios e fazendas, sobretudo no Nordeste, região onde o esporte ganhou força, às arenas lotadas, com públicos que se equiparam as grandes partidas de futebol.

Em Juazeiro do Norte, na região do Cairiri cearense, a história de vida de alguns vaqueiros se confunde com a vaqueja. Gilson Sampaio, de 39 anos, nascido em uma família humilde, cresceu na roça, de onde surgiu, ainda na adolescência, a paixão por cavalos e bois. Sem estudo, ele se dedicou a cuidar de animais caros, cujo preço de mercado pode chegar até R$ 1 milhão. Após quase um década como tratador, o vaqueiro entrou no mundo das vaquejadas. Junto ao esporte, Gilson viu a vida prosperar.

Gilson, um vaqueiro de “incontáveis” vitórias

Campeões
Passados mais de 20 anos desde sua primeira disputa, Gilson hoje é conhecido no meio, e considerado um dos vaqueiros mais experientes do Ceará. “Perdi as conta de quantas vaquejadas fui campeão”, diz ele. Dentre as conquistas, Gilson acumula dois carros, várias motos, e inúmeras premiações em dinheiro. Ele não está só. A cidade hoje atrai os olhares dos grandes eventos. Juazeiro orgulha-se de ter alguns dos melhores vaqueiros do Estado. Ao lado de Gilson, está Davi. Nascido em uma família abastada, o estudante de medicina herdou o amor do pai, Daíta, pela vaquejada. Hoje divide a rotina de estudo, com o prazer pelo esporte.

Davi e Gilson são amigos. O primeiro é proprietário do Haras em que Gilson cresceu e hoje trabalha. O segundo, serve de inspiração para o “patrão”. Ambos, acumulam premiações Brasil a fora. No último evento realizado no Cariri, encerrado há duas semanas, o prêmio ficou em casa. Davi Rolin foi o vencedor de uma das três categorias da 41ª Vaquejada de Juazeiro do Norte, que teve duração de quatro dias e foi considerada, por organizadores e participantes, “sucesso de público e premiação”. Foram R$ 200 mil em prêmios. O evento reuniu mais de 100 mil pessoas e teve quase duas mil senhas vendias, o que representa mais uma estimativa de 600 vaqueiros.

Cifras milionárias
O negócio é lucrativo. São milhões movimentados todos os anos, em mais de 600 eventos, de acordo com a Associação Nacional de Vaquejadas (ANV). Há mais de 40 anos atuando no mundo das vaquejadas, Daíta Rolim Rocha, confirma, o esporte é, de fato, uma mina de ouro. “Não podemos falar em vaquejada e pensar apenas nos eventos, no dia das disputas. Vai muito além disso. São milhares de pessoas envolvidas para organizar uma vaquejada e outras centenas para cuidar dos cavalos, por exemplo. É um esporte que emprega milhões de pessoas e movimenta diversas cadeias da economia”, avalia.

Arenas Brasil a fora ficam lotadas durante os grandes evento (Foto da festa em Barreto: Felipe Albertoni)

Carlos André Ferreira da Cunha, organizador de eventos de vaquejada acrescenta que o fomento na economia de onde a festa está sendo realizada é significativo. “Tratadores de animais, vaqueiros, pessoal de curral, locutores, vendedores ambulantes, vendedores de arreios, as bandas que animam as festas entre vários outros. São várias pessoas e setores envolvidos”, disse. Entre exposições, as corrida em si, os shows e muitos outros negócios que vão desde a compra e venda de animais, a vaquejada de Juazeiro movimentou mais de R$ 1 milhão, afirma André. No Ceará, além de Juazeiro, destacam-se as vaquejadas de Fortaleza, Aquiraz, Brejo Santo, Farias Brito, Missão Velha, Itapebussu e Jaguaribe.

Quarto-de-milha: os melhores
Somente em sua fazenda, no Haras Davi, em Juazeiro do Norte, são mais de 100 animais, 20 deles cavalos já prontos para correrem nas vaquejadas. Todos da raça quarto-de-milha, a mais utilizada para a prática do esporte. “É uma raça de muita explosão. Atinge altas velocidades em um curto espaço. Além disso, é muito dócil”, explica o veterinário Vinícius Tenório Máximo, 26.

O preço de cada cavalo, segundo Daíta, pode variar entre R$ 10 mil até um milhão de reais. “Depende da linhagem, de quantos torneios já ganhou, tudo isso interfere no preço do cavalo”, conta. Para cuidar de um único equino corredor, são demandados, conforme explica Rolin, cerca de três profissionais. “Temos o tratador, vaqueiro, veterinário”, pontua.

Catatau cuida, há oito anos, de cavalos que podem custar até um milhão de reais

Renato Pereira, conhecido como Catatau, é um dos responsáveis por cuidar dos equinos no Haras Davi. No meio há oito anos, ele conta que a vaquejada transformou sua vida. “Se não fosse a vaquejada, não saberia como sustentar minha família”. Entre os planos futuros, acrescenta, está seguir os passos de Gilson. “Também corro vaquejada, ainda não categoria amadora, diferente do Gilson que é profissional e vive exclusivamente disso, mas espero um dia evoluir e passar a ser um bom vaqueiro”, conclui.

Temor da proibição
Tratadores, criadores, vaqueiros, comerciantes e organizadores de eventos. Todos temem a proibição definitiva da vaquejada. A avaliação entre eles é consensual: “Se acabar, milhões de pessoas vão perder o emprego. Uma infinidade de famílias vão ficar sem o sustento”, afirma Daíta. Para o comércio, segundo atesta o empresário iguatuense Jair Victor de Souza, 42, “seria devastador”. Com loja especializada em suplementos agrícolas e estabelecida em Iguatu, na região Centro-Sul do Estado, Jair detalha que durante o imbróglio do Supremo Tribunal Federal (STF), iniciado no ano passado, as vendas caíram consideravelmente.

“Não se trata só da ração. Aliás, a alimentação é apenas uma pequena parte do que é consumido por esses animais de alta performance. Existem os equipamentos de corrida, tanto para os vaqueiros, quanto para os animais; suplementação, remédios e tantas outras coisas que, caso fosse proibido a vaquejada, teriam o fluxo de vendas reduzidas quase a zero. Ou seja, seria um impacto muito grande para o Brasil”, relata Jair, que também é criador. Segundo ele, por mês, cada animal pode custar aos criadores em média de R$ 1 mil.

Vaquejada impacta, diretamente, em diversos setores da economia

Para Vinícius Tenório, além do impacto econômico, tem a questão da destinação desses cavalos “O que seria feito com esse animais?”, questiona. “A gente sabe que acabando a vaquejada, os bois continuaram sendo abatidos nos matadouros e nada mudaria. Agora e os cavalos? O que seriam feitos? Criar, arcar com o investimento mensal altíssimo para deixá-los parados nas fazendas? Muitos criadores e fazendeiro não iriam fazer isso, eles destinariam, provavelmente, o local onde os cavalos ficam, para criação de gado e os cavalos acabariam parando nas ruas. Isso sim é maltrato”, pondera o veterinário.

“Se a vaquejada fosse realmente proibida seria uma perda muito significativa, aumentaria ainda mais o número de desempregados no nosso pais. Vaqueiro é um profissional e além dele várias outras pessoas que acompanham o evento como: tratadores, locutores, vendedores, comerciantes e toda uma gama de profissionais que acompanham as vaquejadas e que dependem delas para sobreviverem”, adverte Carlos André.

Sofrimento e maus tratos
Em outubro do ano passado, quando decidiu derrubar a lei que regulamentava a vaquejada no Estado do Ceará, ministros do STF consideram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente. A justificativa é amplamente rechaçada por quem vive no meio.

Cavalos passam por rigoroso tratamento e recuperação após as provas
Cavalos passam por rigoroso tratamento e recuperação após as provas

“Não existe isso. Nos últimos anos o esporte avançou bastante. Há um rígido controle tanto com os bois, que agora têm os rabos protegidos e não sofrem qualquer maltrato, quanto com os animais, que passam por cuidados específicos após cada vaquejada”, detalha Máximo.

O tratador Catatau pondera que, após as corridas, os cavalos passam por uma triagem. “Os mais cansados, recebem aplicação de soro e compressas de gelo, além de receberem repouso especial”, pontua. “Tratamos como se fossemos nossos filhos, por isso investimentos tanto dinheiro e tempo de nossas vidas nesses equinos”, finaliza Daíta.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

08:19 · 19.07.2017 / atualizado às 08:19 · 19.07.2017 por

O Município de Juazeiro do Norte foi contemplado com duas emendas parlamentares encaminhadas por deputados da Câmara Federal. As verbas são para incremento de custeio da alta e média complexidade (MAC) e para aquisição de equipamentos na atenção básica. Os valores devem ser repassados de forma parceladas ao Município.

A emenda destinada para a Alta e Média Complexidade (portaria n º1.717 de 7 de julho de 2017) é no valor de R$ 913 mil reais e foi encaminhada pelo Deputado Cabo Sabino (PR). O valor deverá ser utilizado para custear despesas relacionadas ao setor.

A outra emenda (portaria nº1.652 de 4 julho de 2017) é destinada a aquisição de equipamentos para a Atenção Básica do Município, no valor de R$ 400 mil. Foi destinada pelo deputado Chico Lopes (PC do B). As duas portarias devem começar a ser repassadas para o Município a partir do mês de agosto.

09:52 · 18.07.2017 / atualizado às 09:52 · 18.07.2017 por

O Sistema FIEC e o Sebrae realizam em Juazeiro do Norte, hoje a noite, no auditório do Sebrae, nova rodada de negócios de soluções e recursos para micro e pequenas indústrias. O objetivo é orientar os participantes a como ter mais rentabilidade em suas empresas.

Para isso, o evento contará com palestra, apresentação de casos de sucesso, rodadas de soluções em design, inovação, produtividade, qualidade e sustentabilidade, além de mesas de atendimento e diagnóstico inicial. Poderão participar da rodada micro e pequenas empresas formalizadas, sendo consideradas microempresas aquelas com receita bruta anual de até R$ 360 mil e empresas de pequeno porte aquelas com faturamento superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 3,6 milhões.

O evento em Juazeiro é o último de uma série de quatro que vem acontecendo desde o dia 4, já tendo sido realizados em Fortaleza, Sobral e Limoeiro do Norte. As rodadas fazem parte de parceria entre o Sistema FIEC e o Sebrae Ceará. De acordo com o diretor Regional do SENAI Ceará, Paulo André Holanda, “o Sistema FIEC tem buscado parcerias para beneficiar o empresariado.

Uma delas é com o Sebrae que disponibiliza recursos com subsídios de até 70% para inovar nos negócios melhorando os processos e estimulando a transferência tecnológica”. O articulador da unidade setorial da indústria do Sebrae Ceará, Herbart dos Santos, e o gestor do programa no Ceará, Régis Dias, fizeram balanço da parceria Sistema FIEC e Sebrae.

“Nos últimos 24 meses as duas instituições construíram o desejo de atender todas as indústrias de micro, pequeno e médio portes. Construímos uma forma de atuação a partir das informações das Rotas Estratégicas da FIEC e até o fim do ano esperamos atender duas mil indústrias.”, enfatizou Herbart.

Serviço:
Rodada de Negócios de Soluções e Recursos
Data: 18 de julho
Horário: 18h30
Local: Auditório do Sebrae (CE-060, 200 – Centro)
Informações: (88) 3512-3322

12:23 · 14.07.2017 / atualizado às 12:23 · 14.07.2017 por

Entre os dias 18 e 20 de julho, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) vai operar de forma especial para garantir o abastecimento de água em Juazeiro do Norte durante a Romaria de morte do Padre Cícero.

Os bairros Triângulo, João Cabral, Romeirão, Pirajá, Jardim Gonzaga, Lagoa Seca, Timbaúbas, Pio XII, Limoeiro, Vila Fátima e Antônio Vieira terão seu abastecimento reduzido. A medida é necessária uma vez que a cidade deverá receber um número expressivo de fiéis durante o evento.

Durante a redução nos bairros, a Cagece orienta a população que a água seja consumida com moderação, sempre priorizando as atividades essenciais e o consumo humano.

Para qualquer esclarecimento ou solicitação, os clientes podem entrar em contato com a Cagece pelos canais de comunicação disponíveis como o Cagece Mobile (aplicativo gratuito, disponível para iOS e Android), a Central de Atendimento por telefone (0800.275.0195) ou pelo chat online disponível no site www.cagece.com.br.

12:07 · 14.07.2017 / atualizado às 12:07 · 14.07.2017 por

Em solenidade a ser realizada na praça Padre Cícero, no próximo sábado, às 9 horas, o Governados do Estado, Camilo Santana, estará entregando aos municípios da região, novas e modernas viaturas para fortalecer o trabalho da segurança nos municípios. Na ocasião, estará presente o Prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra.

Durante a entrega, serão repassadas as cidades da região, 32 viaturas militares. Em Juazeiro do Norte, do total de viaturas do Governo, estarão sendo entregues 15 veículos. Com isso, dando melhores condições de atuação para a segurança no interior do Estado, com maior aparato de trabalho por parte dos agentes, beneficiando a população de Juazeiro do Norte e do Cariri.