Categoria: Segurança


16:20 · 17.05.2019 / atualizado às 16:20 · 17.05.2019 por
Foto: Relações Públicas 2ºBPM

Os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) indicam que, de janeiro a abril deste ano, a Área Integrada de Segurança 19 (AIS 19), que abrange 25 municípios da Região do Cariri, registrou a apreensão de 405 quilos de drogas. O número é bem superior ao mesmo período de 2018, quando foram apreendidos 131 quilos de entorpecentes.

A maior apreensão foi de derivados da cannabis, como maconha e haxixe, totalizou 389,66 kg, seguida pelas de cocaína, que totalizaram 10,39 kg e as de crack que somaram 5,84 kg.

De acordo com o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar (2º BPM), major Luciano Rodrigues de Oliveira, a integração entre as forças de segurança é um fator importante no combate a criminalidade no Cariri, principalmente no que diz respeito à redução de homicídios e apreensões de armas e drogas. “Estamos comprometidos com uma segurança pública de qualidade, cujo objetivo maior é garantir o bem estar da sociedade”, destaca o oficial.

Reforço policial

Há um ano, o Cariri recebeu uma série de pacotes de investimentos em segurança. Em Juazeiro do Norte, foi criada a Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) e lançado o sistema de videomonitoramento. Com isso, o policiamento foi ampliando em dez bairros, identificados como mais carentes de segurança pública. O Município também viu seu efetivo ser reforçado com 191 policiais militares, 10 viaturas, 9 motos e uma unidade móvel comunitária.

No mês de junho de 2018, o município de Brejo Santo recebeu uma unidade do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), com equipamentos e 37 policiais militares. Além disso, também foi implantado o Sistema de Videomonitoramento com 15 câmeras com giro de 360 graus espalhadas por vários pontos da cidade.

Já no mês seguinte, foi a vez de Barbalha ser contemplada com uma unidade do BPRaio. Ao todo, o Município recebeu 37 policiais, com o apoio de 16 motos e uma viatura 4×4.

19:30 · 11.05.2019 / atualizado às 19:32 · 11.05.2019 por
Foto: Relações Públicas/2º BPM

Os dados divulgados pela Secretaria de Segurança e Defesa Social (SSPDS) apontam que das 22 Áreas Integradas de Segurança, nas quais o Estado está dividido, a AIS 19, que abrange 25 municípios do Cariri, lidera a apreensão de armas de fogo. De janeiro a abril deste ano, 207 armas já foram retiradas de circulação na região. O segundo melhor índice apresentado foi da AIS 14, que compreende 29 municípios da região Norte do Ceará, com 195 apreensões.

Até agora, o Estado contabiliza 1.827 retiradas de circulação. Só no Cariri, no último mês de abril foram apreendidas 46 armas; em março esse total chegou a 51; já no mês  fevereiro aconteceram 58 apreensões dessa natureza; e em janeiro esse número chegou a 52.

Segundo o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar (2º BPM), Major Luciano Rodrigues de Oliveira, responsável pela atuação da Polícia Militar na região, a apreensão de armas de fogo decorre, entre outros fatores, do trabalho intensivo da tropa policial através de abordagens, da parceria entre a polícia e a sociedade através de denúncias anônimas, bem como de ações integrada entre as forças de segurança.

Reforço

Há um ano, o Cariri recebeu uma série de pacotes de investimentos em segurança. Em Juazeiro do Norte, foi criada a Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) e lançado o sistema de videomonitoramento. Com isso, o policiamento foi ampliando em dez bairros, identificados como mais carentes de segurança pública. O Município também viu seu efetivo ser reforçado com 191 policiais militares, 10 viaturas, 9 motos e uma unidade móvel comunitária.

No mês de junho de 2018, o município de Brejo Santo recebeu uma unidade do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), com equipamentos e 37 policiais militares. Além disso, também foi implantado o Sistema de Videomonitoramento com 15 câmeras com giro de 360 graus espalhadas por vários pontos da cidade.

Já no mês seguinte, foi a vez de Barbalha ser contemplada com uma unidade do BPRaio. Ao todo, o Município recebeu 37 policiais, com o apoio de 16 motos e uma viatura 4×4.

14:23 · 08.05.2019 / atualizado às 14:23 · 08.05.2019 por
Em março, representantes de Juazeiro do Norte visitaram e conheceram experiência pioneira em Curitiba. Foto: Divulgação

A Secretaria de Segurança Pública e Cidadania de Juazeiro do Norte (SESP) iniciou, nesta quarta-feira (08), a capacitação da Guarda Civil Metropolitana (GCM), que atuará na Patrulha Maria da Penha, no Município, projeto inédito no Ceará. Inicialmente, serão preparados 40 guardas civis.

O primeiro treinamento será com a titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Juazeiro do Norte, Débora Gurgel, no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST). Amanhã, no mesmo local, a formação será com uma equipe do Centro de Referência da Mulher.

Os agentes vão replicar o modelo de patrulhamento de Curitiba (PR), que realiza um trabalho considerado humanizado, ágil e eficaz na prevenção e no combate à reincidência de agressão às mulheres com medidas protetivas concedidas pela Justiça.

Em março, representantes da gestão municipal visitaram a capital paranaense para vivenciar a teoria e a prática deste trabalho, incluindo palestras e visitas às vítimas. No mês seguinte, o projeto foi aprovado pela Câmara de Vereadores de Juazeiro do Norte.

Além da patrulha está sendo desenvolvido um aplicativo de celular para facilitar as denúncias. A SESP deve adquirir também uma viatura exclusiva para o patrulhamento.”A população juazeirense e os órgãos que fazem parte da rede de proteção e enfrentamento às mulheres estão ansiosos”, declarou a secretária Ivoneide Antunes.

09:38 · 07.05.2019 / atualizado às 11:54 · 07.05.2019 por
Reprodução/Redes Sociais

O equipe do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) apreendeu, na manhã desta segunda-feira (06), uma espingarda, que estava escondida dentro de um colhão, e drogas que estavam enterradas no quintal de uma residência, no bairro Malvinas, em Barbalha. O proprietário do imóvel, Cícero Romário Fidélis Santos, de 24 anos, foi preso.

A operação aconteceu após denúncia anônima dando conta que o proprietário da casa estava com posse de arma de fogo. Chegando ao local, a mãe de Cícero Romário permitiu a entrada da equipe da polícia para realizar uma busca no interior da residência.

Após uma vistoria minuciosa, foi encontrada uma espingarda calibre 12 de fabricação caseira. Além disso, os agentes localizaram 23 gramas de cocaína e 14 gramas de crack enterrados no quintal da casa. A mãe do suspeito informou que o material ilícito pertencia ao seu filho, que estava trabalhando no momento da ação. Ela foi conduzida para a Delegacia Municipal de Barbalha para prestar esclarecimentos.

O suspeito foi localizado e também levado à Delegacia. Cícero vai responder por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e tráfico de drogas.

09:56 · 30.04.2019 / atualizado às 14:16 · 30.04.2019 por
Foto: Antonio Rodrigues

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) expediu, na última sexta-feira (26), uma Recomendação para solucionar a permanência inadequada de adolescentes nas celas da Delegacia Regional de Polícia Civil de Juazeiro do Norte. A ação se deu após o órgão estadual tomar conhecimento que a permanência dos jovens supera o prazo de cinco dias após terem sido apreendidos em flagrante pela prática de atos infracionais graves, infringindo o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Segundo os promotores de Justiça Juliana Mota e Flávio Corte, a Delegacia não é local adequado para a manutenção de qualquer indivíduo encarcerado, pois, não dispõe de condições mínimas de higiene e salubridade, nem fornece alimentação ou atendimento médico, possuindo duas celas para o alojamento de pessoas somente enquanto são finalizados os procedimentos investigativos e flagranciais respectivos.

Assim, o MPCE recomendou à Delegacia que, após o cumprimento das formalidades legais referentes à apreensão de adolescente infrator do sexo masculino, nos casos em que o jovem não seja liberado e entregue aos pais ou responsáveis legais, que ele seja encaminhado imediatamente para o Centro Socioeducativo José Bezerra de Menezes, junto com documentação mínima exigida. Portanto, a Delegacia deve se abster de manter o indivíduo no estabelecimento policial, por prazo além do necessário ao procedimento policial.

Já à Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas), as Promotorias recomendam que seja instalado, de forma imediata e sob pena de responsabilidade, uma Unidade de Recepção no Centro Socioeducativo José Bezerra de Menezes a fim de receber os adolescentes do sexo masculino apreendidos em flagrante durante a prática de ato infracional até que a Vara Única da Infância e Juventude decida sobre a manutenção ou não da internação do adolescente.

O órgão ministerial também recomendou ao Centro Socioeducativo que receba, sem qualquer embaraço, os adolescentes encaminhados pela Delegacia, desde que respeitada a documentação mínima necessária.

12:35 · 24.04.2019 / atualizado às 12:41 · 24.04.2019 por
Foto: Divulgação/Prefeitura

A instalação da Casa da Mulher Cearense em Crato foi tema de audiência pública, realizada ontem (23), na Câmara de Vereadores. O projeto, que já está em funcionamento em Fortaleza, atua no atendimento humanizado e especializado para mulheres em situação de violência. No último dia 8 de março, o governador Camilo Santana anunciou a criação do equipamento no interior – o primeiro, será instalado no Cariri.

O encontro contou com a participação do vice-prefeito, André Barreto, de vereadores e representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher do Crato, da Delegacia de Defesa da Mulher de Crato, do Núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher (Nudem), ligado à Defensoria Pública, da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), da OAB de Crato, do Centro de Referência da Mulher.

A Casa da Mulher Cearense seguirá o modelo da Casa da Mulher Brasileira, experiência do Governo Federal, instalada em julho do ano passado, em Fortaleza. Hoje, o equipamento reúne serviços de Defensoria Pública, Delegacia da Mulher, Ministério Público, Juizado Especial e capacitação. Desde a implantação, já foram realizados mais 11 mil atendimentos, tendo uma média de 54 por dia. Lá, funciona 24 horas e oferece serviços multidisciplinar.

A professora Verônica Isidório, presidenta do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher do Crato, acredita que deve haver mais agilidade nas questões relacionadas às mulheres e apoia que o equipamento ofereça auxílio, proteção e amparo. Já a educadora Tammy Alencar ressaltou que a educação estará a postos para auxiliar nesse aspecto. “Nossas crianças necessitam de uma educação direcionada para a cultura da não violência para que saibam discernir entre o que é correto ou não no parâmetro de respeito e convívio harmonioso”, explicou.

“As políticas públicas precisam ser eficientes e eficazes, estamos trabalhando cotidianamente, reforçando o compromisso da nossa gestão para com as mulheres e a comunidade em geral”, disse o vice-prefeito e secretário de Saúde, André Barreto.

10:30 · 22.04.2019 / atualizado às 14:23 · 22.04.2019 por
A Pirc tem seu efetivo 62% maior que a capacidade total do espaço. (Foto: Antonio Rodrigues)

A partir desta segunda-feira (22), a Defensoria Pública do Estado do Ceará fará uma força-tarefa de análise processual dos internos que estão na Penitenciária Industrial Regional (PIRC), localizada, em Juazeiro do Norte. O esforço concentrado ocorre em parceria com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e segue até sexta-feira (26), na terra do Padre Cícero.

Maior unidade prisional do Cariri, a PIRC tem seu efetivo 62% maior que a capacidade total do espaço. Em março, o prédio tinha 894 presos, porém, ele foi construído originalmente para 549 internos. Esse será a realidade encontrada pela força-tarefa. A proposta é avaliar a situação processual e os benefícios legais que podem ser requeridos ao Poder Judiciário.

O grupo de trabalho será composto por defensores públicos atuantes no Núcleo Especializado em Execuções Penais (Nudep) e os defensores titulares de Juazeiro do Norte. Além disso, o grupo também conta com auxílio de advogados designados pela SAP.

Segundo a defensora pública Marylene Venâncio, supervisora do Nudep, a escolha da PIRC atende a uma solicitação dos defensores da região. “Após realizarmos várias etapas na Região Metropolitana de Fortaleza, recebemos o pedido do Cariri, diante da crescente demanda encontrada na PIRC”, pontua.

O defensor público Célio Saraiva, supervisor do núcleo defensorial em Juazeiro do Norte, explica que muitos familiares de internos procuraram a Defensoria para avaliar os processos judiciais a que estão submetidos os parentes encarcerados bem como tem trazido denúncias de violações de direitos na unidade.

“Dada essa grande demanda, solicitamos esse apoio neste momento. Sabemos que há internos que já atingiram tempo de pena cumprida e podem ter benefícios previstos na Lei de Execuções Penais, como remissão de pena e direito ao trabalho. Sem falar dos presos que vieram de outras comarcas e o processo ainda não chegou à Vara de Execuções de Juazeiro do Norte. Então, é uma realidade preocupante que exige um trabalho reforçado e que, a partir disso, peticionaremos ao judiciário”, afirma Célio Saraiva.

A força-tarefa entra agora na quinta etapa. Iniciada em fevereiro deste ano, já analisou processos de quatro unidades prisionais cearenses: Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Jucá Neto (CPPL III), Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima (CPPL I) e Unidade Penitenciária Francisco Adalberto de Barros Leal (CPPL Caucaia). Os pedidos protocolados, bem como a situação processual dos internos, passam a integrar um relatório, encaminhado ao Governo do Estado.

16:55 · 11.04.2019 / atualizado às 16:58 · 11.04.2019 por
Foto: Henrique Macedo

O município de Aurora, na região do Cariri, completou oito meses sem registrar homicídio – Crime Violento Letal e Intencional (CVLI), segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS). A última ocorrência aconteceu no dia 10 de agosto de 2018, quando um adolescente de 15 anos foi encontrado morto com marcas de perfuração a bala.

Segundo o titular da Delegacia de Policia Civil de Aurora, Paulo Hernesto Pereira, os trabalhos de inteligência contra o tráfico de drogas e as operações policiais tem contribuído de forma significativa para inibir os homicídios na cidade. “As polícias Civil e Militar vem atuando com firmeza, dentro da lei, e sempre avançando em busca de acabar com a criminalidade”, acredita o delegado.

Ano passado, houveram seis crimes desta natureza no Município. Destes, apenas dois ainda não foram elucidados. Assim, a taxa de resolutividade atinge 66,66%. O número é acima da média estadual de 25% e de média nacional que não ultrapassa 20%.

“Os números expressivos demonstram o empenho da equipe, mas reconhecemos que nossos resultados também são atuação de terceiros. Nesse sentido, destacamos o trabalho desenvolvido pelo Judiciáro e pelo Ministério Público, que nos fornecem os meios jurídicos necessários para efetivar as ações policiais. Agradecemos também o apoio da Polícia Militar e do Departamento Municipal  de Trânsito que tem contribuído”, completa Paulo.

Último caso

Aurora registrou seu último homicídio no dia 10 de agosto do ano passado. Por volta das 10 horas da manhã, o corpo do adolescente Luiz Felipe Coelho Torres, de 15 anos, conhecido como “Sabiá”, foi encontrado em um terreno próximo à Escola Antônio Landim de Macêdo, no bairro Mororó. A vítima apresentava marcas de perfuração a bala. O garoto não tinha passagens policiais. Exatos dois meses, a polícia prendeu um suspeito de praticar o crime.

(Colaborou: Henrique Macedo)

11:30 · 10.04.2019 / atualizado às 14:16 · 10.04.2019 por
Severo Manoel Dias Neto foi preso na noite de ontem. (Foto: Lorena Tavares/SVM)

A Polícia Civil prendeu preventivamente, na noite de ontem (09), o entregador Severo Manoel Dias Neto, 39, suspeito de matar a tiros sua ex-companheira, a costureira Maria Rosemeire de Santana, de 38 anos, na frente de seus dois filhos e da mãe da vítima. O crime aconteceu no último dia 2 de abril, no bairro Brejo Seco, em Juazeiro do Norte. Ele estava foragido, escondido na casa de familiares, na zona rural de Caririaçu, município vizinho. 

A prisão aconteceu por volta das 21h30. A Polícia recebeu uma denúncia que Severo estava escondido na propriedade de sua mãe. De dia, ficava escondido no matagal e, à noite, se recolhia para dormir. “Desde que consegui o mandado de prisão preventiva, a gente vem fazendo diligências, procurando sua localização”, afirma a delegada Débora Gurgel, titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Juazeiro do Norte.

Os pais do suspeito estavam viajando quando a Polícia o localizou. A casa foi cercada pelos agentes, que o capturaram. Severo não estava armado. “A arma do crime não foi localizada. Ele alega que jogou em um lixão, mas acreditamos que ainda esteja nesse sítio. A propriedade é grande”, conta a delegada.

Ontem mesmo, Severo chegou a confessar o crime para os policiais. “Ele conta que tinha bebido no dia e soube que ela estava se relacionando. Ele não aceitava a separação. Disse que cometeu o crime num ‘momento de loucura'”, narra Débora. Porém, durante interrogatório, na manhã de hoje, o suspeito se manteve em silêncio.

Rosemeire havia terminado o relacionamento há sete meses. (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Severo ficará preso na Cadeia Pública de Juazeiro do Norte. O inquérito será concluído em até 10 dias. A Polícia Civil aguarda mais algumas provas técnicas, como o laudo cadavérico. As testemunhas já foram ouvidas. “Felizmente, conseguimos dar essa resposta aos familiares. Ele permanecerá preso, aguardando seu julgamento”, completa a delegada. Se for condenado por feminicídio, a pena é de 12 a 30 anos de reclusão.

O caso

O crime aconteceu por volta das 20 horas do último dia 2 de abril. A vítima estava sentada na calçada, conversando com vizinhos, quando percebeu a chegada do ex-marido. Imediatamente, ela correu e se trancou dentro de sua casa. Então, Severo invadiu o imóvel e atirou em Rosemeire na frente de seus dois filhos dois filhos, de 7 e 13 anos, e da mãe da vítima. O casal estava separado há sete meses.

O suspeito, que é pai das crianças, já havia ameaçado a vítima diversas vezes. No dia 21 de junho de 2018, Rosemeire havia registrado o crime de ameaça. Através da Justiça, ela conseguiu uma medida protetiva, que foi descumprida, pelo menos duas vezes, no dia 21 de novembro do ano passado e no dia 15 de janeiro deste ano.

Histórico

Este é o primeiro caso de feminicídio em Juazeiro do Norte em 2019. Nos últimos quatro anos, cinco crimes desta natureza foram registrados na terra do Padre Cícero. Já no município vizinho de Crato, uma mulher foi morta a tiros, em pleno Centro da cidade, no último dia 28 de fevereiro. A vítima, Geanne Tavares Souza, de 28 anos, foi assassinada pelo seu ex-companheiro, que não aceitou o fim do relacionamento.

11:46 · 08.04.2019 / atualizado às 11:48 · 08.04.2019 por
Base móvel comunitária, entregue há um ano, reforçou segurança de Juazeiro do Norte. (Foto: Antonio Rodrigues)

O Cariri registrou uma redução de 38% no índice de homicídios no mês de março em relação ao mesmo período do ano passado. Em março de 2018 foram contabilizados 21 homicídios sendo que em 2019 esse número caiu para 13. Os dados divulgados correspondem a Área Integrada de Segurança 19 (AIS 19), que abrange 25 municípios da Região.

De acordo com o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, Major Luciano Rodrigues de Oliveira, os dados estatísticos relativos aos Crimes Violentos Letais Intencionais referentes ao mês de março ainda não foram consolidados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), no entanto, o acompanhamento diário desse tipo de ocorrência pelo comando do Cariri revela a positividade dos resultados obtidos.

Reforço

Há um ano, o Cariri recebeu uma série de pacotes de investimentos em segurança. Em Juazeiro do Norte, foi criada a Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) e lançado o sistema de videomonitoramento. Com isso, o policiamento foi ampliando em dez bairros, identificados como mais carentes de segurança pública. O Município também viu se efetivo ser reforçado com 191 policiais militares, 10 viaturas, 9 motos e uma unidade móvel comunitária.

No mês de junho de 2018, Brejo Santo recebeu uma unidade do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), com equipamentos e 37 policiais militares. Além disso, o também foi implantado o Sistema de Videomonitoramento com 15 câmeras com giro de 360 graus espalhadas por vários pontos da cidade.

Já no mês seguinte, foi a vez de Barbalha ser contemplada com uma unidade do BPRaio. Ao todo, o Município recebeu 37 policiais, com o apoio de 16 motos e uma viatura 4×4.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Cariri

Belezas naturais, fé, trabalho e cultura. Sob os pés da Chapada do Araripe, aqui você encontra as principais notícias dos municípios da região. Por Antônio Rodrigues.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags