Busca

Tag: banda cabaçal


12:00 · 13.02.2018 / atualizado às 13:10 · 13.02.2018 por
Mestre Aldernir comandou o reisado no terceiro dia de Carnaval. (Fotos: Antonio Rodrigues)

Crato. Os grupos de tradição popular não ficaram de fora do Carnaval cratense. Na noite de ontem (12), o reisado do Mestre Aldenir coloriu a Praça Siqueira Campos, antes da roda de coco e a banda de frevo. O Grupo Quinteto encerrou a noite com muito samba e axé dos anos 90, até a meia noite. Hoje (13), a partir das 18h, um grande encontro de tambores encerra a festa junto com apresentações de bandas locais.

Os grupos, selecionados pelo projeto “Tambores do Cariri”, que vai até abril de 2018, reuniu maracatus e afoxés, desde a última sexta-feira. Para o secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê, houve um considerável aumento de público e, também, de participação de grupos, em relação ao ano passado. “A festa está muito acima do esperado. Desde a sexta-feira, já foram mais de 20 grupos”, pontua o titular da Pasta.

O estudante Franklin Arruda acredita que o poder público, finalmente, viu o potencial do carnaval de rua no Município. “O Carnaval do Crato tá sendo muito bom. Se tocaram que dá certo, é legal, é interessante. Enfim, é felicidade, brincadeira e alegria”, completa o folião.

Nestes quatro dias de festa não foram identificados nenhum incidente, até agora. A celebração da festa acontecerá com um grande encontro de tambores, reunindo banda cabaçal, maracatu e afoxés. “Vamos prezar pela africanidade presente no Crato que sempre esteve na periferia. Pela primeira vez, ela veio para o coração da cidade”, exalta Wilton Dedê. Além disso, cinco bandas encerrarão a festa.

 

10:47 · 10.01.2018 / atualizado às 10:47 · 10.01.2018 por
Mais de duas mil pessoas são esperadas. (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Crato. Tombado em 2015, por lei municipal, como Patrimônio Cultural e Imaterial, a festa da Santa Cruz da Baixa Rasa chega a sua 104ª edição, no próximo dia 25 de janeiro. Fixada no calendário cultural da cidade e da Região do Cariri, o evento terá início às 7h com concentração de fiéis em frente à Capela do Lameiro, seguido da missa às 9h e posterior cavalgada.

O Secretário de Cultura do Crato, Wilton Dedê esteve ontem (9), na Chapada do Araripe, local onde é realizada a festa, junto dos parceiros, Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial Brito Júnior; O Diretor do Demutran Daniel Aquino e Verônica Maria Figueiredo, Chefe da Flona Araripe-Apodi, para juntos moldarem a programação desse dia especial onde se celebra a fé nordestina.

Ao todo, são esperadas mais de duas mil pessoas para a festividade, dentre estas 500 vaqueiros. Entre as apresentações culturais da festa, estão o Reisado do Mestre Aldenir, a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto e a Lapinha da Mestra Zulene.

Há mais de 100 anos a festa reconta a história de coragem e fé do vaqueiro que passava pela região montado em seu cavalo, quando se perdeu na Chapada do Araripe. Pedindo ajuda aos céus, o homem parou para descansar e rezou para que alguém aparecesse. Os mais velhos contam que ele ficou perdido por dias e apenas em seu último sopro de vida foi notado por outros vaqueiros que ali passavam. Infelizmente, era tarde demais. O vaqueiro foi enterrado ali mesmo, junto de seu cavalo. Hoje, ao redor de seu túmulo, milhares de devotos fazem suas preces no intuito de homenagear sua fé e pedir milagres ao Criador.

07:57 · 04.01.2018 / atualizado às 07:57 · 04.01.2018 por
Quatro terreiradas acontecem nos próximos dois dias. (Foto Samuel Macedo)

Juazeiro do Norte. Com dez dias de festas, o projeto Ciclo de Reis já realizou, até o dia 3 de janeiro, 16 terreiradas em diversos bairros da cidade, totalizando, 48 apresentações de grupos entre guerreiros, reisados, bandas cabaçais, lapinhas e cocos. Realizada pela Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com a Ong Zaíla Lavor, as festa chega nos seus últimos três dias. No sábado (06), Dia de Reis, um grande cortejo percorrerá o centro.

Ao todo, o projeto Ciclo de Reis realizará 20 terreiradas. Elas acontecem de forma descentralizada em diversos bairros da cidade onde há a incidência de grupos da tradição popular em Juazeiro do Norte. A ideia dos eventos é estimular a economia criativa e a interação entre os grupos.

A Coordenadora do Ciclo de Reis, Maria Gomide, explica que o Projeto também vem buscando proporcionar uma fraternidade entre os brincantes. Exemplo disso, é a visita que os Mestres e seus brincantes tem feito aos terreiros dos amigos mediante convite do próprio anfitrião. O objetivo também é proporcionar momentos de paz, uma vez que nesse período do ano, aconteciam algumas rivalidades entres os grupos.

O Projeto Ciclo de Reis foi construído democraticamente com a participação dos grupos, de forma que pudesse contemplar a todos da melhor forma possível. A programação e os locais de apresentação foram determinados a partir do desejo dos grupos.

“Os Mestres escolheram os dias de suas apresentações e também quais os outros grupos que queriam convidar para os seus terreiros. Isso é uma integração e é muito bonito de ver a presença das comunidades assistindo as brincadeiras, com pessoas de todas idades. A gente vê o brilho nos olhos das crianças e dos adultos, todo mundo assistindo a cultura com grande encantamento”, comenta Maria Gomide.

Outra característica marcante das terreiradas é a produção e distribuição de alimentos para os brincantes e para aqueles que vão assistir. Entre os mais populares, está o mugunzá que é servido enquanto as brincadeiras acontecem. Para enfeitar o ambiente, os terreiros estão sendo ornamentados com bandeirolas, palhas de coqueiros e iluminação artificial.

Programação das Terreiradas

04/01 (quinta-feira)
Mestre Valdir e Reisado Arcanjo Gabriel. Convidados: Reisado São Luiz, Reisado Manoel Messias, Reisado Santo Expedito.
Local: Avenida 31 de março, 2117, Jardim Gonzaga
Mestre Dede e Reisado Santa Helena. Convidada: Reisado Frei Damião.
Local: Cras Frei Damião
Horários: 18 horas

05/01 (sexta-feira)
Mestre Tarcisio e Reisado São Miguel. Convidado: Reisado Renascer a Tradição.
Local: Travessa Pio Norões
Mestre Bagaceira e Reisado São Jorge. Convidado: Reisado Nossa Senhora das Dores.
Local: Rua Jos´´e Mauricio Alves de Moreira, 52, Aeroporto

13:05 · 17.01.2014 / atualizado às 13:05 · 17.01.2014 por

Crato. As comemorações em torno do centenário da Santa Cruz, evento que reúne milhares de pessoas na comunidade da Baixa Rasa, terão início amanhã, 18, com a escolha da Rainha da Festa e da Rainha do Vaqueiro. A festa acontece em plena área da Chapada do Araripe e tem acompanhamento de órgãos ambientais. No dia 25, data de aniversário do centenário, haverá apresentações artísticas com a banda cabaçal dos Irmãos Aniceto, a Lapinha da Mestra Zulene,o Maneiro-pau do Mestre Cirilo e o Reisado do Mestre Aldenir.

No entorno do local das apresentações serão instaladas barracas para a vendas de comidas típicas. Ações preventivas serão efetuadas por meio das secretarias municipais de Saúde, Meio Ambiente e Controle Urbano, do ICMbio e Ibama.

O governo municipal anunciou que irá disponibilizar transporte para locomoção dos portadores de necessidades especiais e também dos idosos à Floresta Nacional do Araripe. Os interessados deverão com as secretarias de Cultura, de Meio Ambiente para solicitar o serviço.

Também está sendo solicitado à quem possua quaisquer informações sobre a criação da festa, que acabou se transformando em evento tradicional na localidade, que entrem em contato com a Secretaria Municipal de Cultura, em função da realização do processo de patrimonialização da Festa da Santa Cruz da Baixa Rasa.

Programação da Festa da Santa Cruz da Baixa Rasa:
06h – Concentração no Bar do Wilson – Sítio Rosto
07h – Saída do cortejo
09h – Missa
12h: Reza tradicional do Terço
12h30 às 13h30: Apresentações Artísticas (Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto, Lapinha de Mestre Zulene, Coco do SCAN, Maneiro Pau do Mestre Cirilo, Reisado do Mestre Aldenir).