Busca

Tag: Cariri


10:22 · 19.08.2017 / atualizado às 10:22 · 19.08.2017 por
Camilo Santana participou da solenidade de inauguração da segunda maior ciclovia do Ceará (Fotos André Costa)

Dezessete quilômetros de extensão. Três cidades cortadas. A segunda maior ciclovia do Ceará foi inaugurada neste sábado, data em que é comemorada o dia nacional do Ciclista. A solenidade aconteceu no início da manhã e contou com a presença do Governador do Estado, Camilo Santana (PT). O chefe do executivo destacou que a obra atende uma demanda antiga da população. “É um compromisso meu com o povo do Cariri. O corredor será bem iluminado e contemplará quem fizer o deslocamento entre o Crato, Juazeiro e Barbalha. Além disso, será um estímulo para a prática de atividade física”, disse. Ainda segundo Camilo, os órgãos de trânsito farão constante fiscalização na ciclovia para garantir a segurança dos ciclistas.

Iniciada em abril de 2016, a obra teve investimento total de R$ 2.925.429,43, oriundos do Tesouro Estadual.  Com a conclusão do projeto da Secretaria das Cidades que fora executado pelo Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran), o governo objetiva que seja facilitado o descolamento entre estas cidades de pessoas que utilizam a bicicleta como transporte, por lazer ou a trabalho. De acordo com a pasta, quase 500 mil pessoas serão beneficiadas com a nova ciclovia.

A via liga as cidades de Barbalha, Juazeiro do Norte e Crato, no canteiro central da CE 060 e CE 292, conhecidas como Avenidas Leão Sampaio e Padre Cícero, respectivamente. A ciclovia conta com pavimento asfáltico, sinalização vertical e horizontal. A ciclovia do Cariri fica atrás apenas do equipamento em  Fortaleza, na Avenida Whasington Soares, com 30 km de extensão, e ao lado da ciclovia de Sobral, que também 17 km.

457.253 pessoas na região do Cariri serão beneficiadas com a Ciclovia, de acordo com a Secretaria de Cidades do Estado

Ciclofaixa
Os adeptos carirenses a este tipo de transporte já contam, desde o ano de 2015, com uma ciclofaixa, a primeira do interior do Estado. A ciclofaixa de lazer corresponde a um trecho de seis quilômetros da CE-060, na avenida Leão Sampaio, que liga os municípios de Juazeiro do Norte a Barbalha. Aos domingos, os ciclistas ganham uma faixa exclusiva na Rodovia, separada por cones. Estima-se que cerca de 500 pessoas usufruam do espaço todos os domingos.

Mudança
Para João Almeida, vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Juazeiro do Norte e ciclista há seis anos, a ciclovia irá “fomentar o uso desse modal de transporte, expandido seu uso para além do lazer, mas também para transporte”. João lembra que “a ciclofaixa, apesar de importante, é algo pontual, portanto a região já necessitava há muito tempo da criação de uma ciclovia”. Conforme avalia, a estrutura física vai possibilitar maior segurança a quem utiliza a bicicleta, “fazendo assim com que novas pessoas, outrora receosas com a falta de segurança nas avenidas, comecem a praticar o esporte”.

Somente em Juazeiro do Norte, são pelo menos, cinco grandes grupos de ciclistas. Com tanta gente pedalando e, agora, dispondo de equipamentos com ofertam segurança ao ciclista, Almeida acredita que o comércio irá se beneficiar.  A vendedora Valéria Cristine Santiago, que além de praticar ciclismo trabalha numa loja especializada na venda bicicletas, diz que a procura pelas bikes aumentou muito nos últimos anos. “As pessoas compram principalmente para o lazer”, afirma. Para João Almeida, “os lojistas estimam um crescimento nas vendas com a conclusão da ciclovia e a consolidação dessa prática”.

08:53 · 07.08.2017 / atualizado às 08:53 · 07.08.2017 por

A Área Integrada de Segurança 19 (AIS 19), que abrange a Região do Cariri, registrou uma redução de 21% no número de homicídios durante o mês de julho. Nesse período, foram contabilizados 18 crimes dessa natureza enquanto em julho de 2016, o total foi de 23 homicídios.

O atual comandante do 2º BPM, Tenente-Coronel Cícero Nelson Cordeiro de Brito, que assumiu o cargo no dia 18 de julho, vem adotando novas estratégias no emprego do policiamento ostensivo geral nas cidades do Cariri cearense. O objetivo é dinamizar as ações da Polícia Militar e garantir uma segurança púbica de qualidade em toda a AIS 19.

14:09 · 28.07.2017 / atualizado às 14:29 · 28.07.2017 por
Da moto a casa. Tudo na vida de Jorge remete ao Flamengo (Fotos André Costa)

São mais de 40 milhões de torcedores e 122 anos de fundação do Clube de Regatas Flamengo. Dentre essa multidão rubro-negra, inúmeros fanáticos que dariam a vida pelo “Mengo”, como eles chamam o time de coração. Em Juazeiro do Norte, cidade a mais de 2.500 km de distância da sede da Gávea, no Rio de Janeiro, um ilustre torcedor. Ele também ostenta um título: “sou o maior símbolo aqui do Cariri”, diz orgulhoso.

Cícero Jorge Rodrigues, de 45 anos, já foi o “Romário”, mas hoje é conhecido como “Maradona”. O juazeirense vive Flamengo. Literalmente. Sua história de amor com o time carioca surgiu há mais de duas décadas. Antes, porém, o pai de Jorge, “flamenguista fanático”, viu “perder” sua outra filha para o arquirrival. “Minha irmã torce Botafogo”, diz, em meio a uma sorriso amarelo. “Não teve jeito. Ele [pai] até tentou, mas não conseguiu fazer com que ela torcesse o Mengão”, completa.

Maradona exibe orgulhoso as tatuagens e a carteira de sócio torcedor (Foto André Costa)

O desejo de ver os dois filhos vibrando com o Flamengo foram catalisados ao Jorge. E deu certo. “Sou apaixonado pelo Flamengo. É minha maior paixão”, diz, ostentando, com orgulho, a réplica da camisa utilizada pela geração campeã do Mundo, em 1981. “Foi um título incrível”, comemora, como se em uma fração de segundo ele revivesse em sua memória aquele jogo, contra o Liverpool, em 13 de dezembro, vencido por 3 x 0, numa rara superioridade de uma equipe brasileira sobre um time europeu numa decisão de Mundial.

“O Nunes jogou como nunca antes tinha jogado”, diz ele, recordando os dois gols marcados pelo jogador. “Zico foi um monstro”, acrescenta o fanático torcedor. O que torna Maradona um ícone na região não é, no entanto, não é apenas sua memória impressionante. Nas ladeiras da rua do Horto, bairro tradicional da cidade, cuja fé parece está mais viva do que em outros locais, as casas costumam ter, já na sala de entrada, inúmeros quadros e imagens de santos.

Centenas deles compõem o ambiante sui generis daquela comunidade. Na residência de Jorge, ou melhor, do Maradona, como ele corrige sempre que é chamado de forma diferente, a composição do cenário ganha um novo arranjo.

As molduras são em preto e vermelho. Ao lado das imagens santas, incontáveis ícones que remetem ao clube carioca. Posteres, fotos e camisas se misturam entre os santos, num hibridismo “sacro-futebolistico”. “Aqui vocês podem ver minhas duas grandes paixões, o Flamengo e o Padim Ciço”, aponta, mostrando a imagem do patriarca juazeirense, também cercado por uma moldura rubro-negra. A casa respira Flamengo. O local já virou ponto turístico, afirma Maradona.

Ponto Turístico
“Na Semana Santa, período em que a cidade recebe milhares de romeiros, eu não consigo dormir direito. Minha casa é invadida pelos turistas. São dezenas todos os dias”, diz orgulhoso. Não podia ser diferente. Quem sobe as ladeiras rumo a estátua de 27 metros do Padre Cícero Romão Batista, no alto da Colina do Horto, logo avista, ao lado esquerdo da estreita rua com paralelepípedos, a casa com pintura chamativa, nas cores preto e vermelha. Até a árvore, que sombreia o imóvel, carrega as cores do time de coração. “Pintei tudo”, pontua Maradona.

Se pelo lado de fora a residência chama a atenção e desperta curiosidade de quem passa, dentro, o ambiente é um espécie de Museu, ou santuário, como ele brinca. São incontáveis peças. Quase tudo nas cores preto e vermelho. O turista que visita a casa de Maradona pode escolher se quer descansar o corpo em cadeiras vermelhas ou em um puff preto e branco, com um grande escudo do time. As televisões da sala e da cozinha foram personalizadas. Assim como a moto, o capacete, a geladeira, o guarda-roupa, as pernas da cama e tantas outros móveis e eletrodomésticos.

Geladeira personalizada com as cores do Flamengo (Foto André Costa)

“Tudo começou aos 19 anos. Ganhei um quadro de presente e coloquei na parede. Daí em diante, comecei a colecionar imagens, revistas, quadros e tudo que seja do Flamengo. Hoje perdi as contas de tudo que tenho. São milhares”, conta Maradona, sentado na sala de estar da casa, aos olhares atento da irmã botafoguense Lídia Rodrigues. Entre uma pergunta e outra, Lídia interrompe a entrevista e diz: “Quero ver como ele vai ficar na próxima semana. O fogão vai eliminar o flamengo na semifinal da Copa do Brasil”.

Maradona responde a provocação de forma fraterna. Apenas sorri e rebate “Ela gosta de sonhar”. Não satisfeita, Lídia entrega o irmão. “No último jogo, contra o Santos [válido pelas quartas de final da Copa do Brasil, que rendeu a classificação ao time carioca] ele teve que rezar muito”. Maradona mais uma vez sorri e ironiza: “Quem não reza?!” As orações são direcionadas ao Padim Ciço, considerado Santo pelo católicos romeiros. “Já rezei para ser campeão, já rezei para não perder, rezo sempre sim”, brinca.

A reação amigável, inclusive, é uma marca de Maradona. Ao notar a presença de “um rival em sua casa”, ele brinca. “Você é vascaíno, né?! Reparei sua tatuagem no braço, mas tenho certeza que hoje você vira flamenguista”, ironiza ele, olhando para mim. “Você deve está lembrado do gol do Petkovic, na final do Carioca de 2001”, pegunta-me. Aceno positivamente com a cabeça e ele retruca. “Padre Cícero ajudou a bola a entrar”, completa Maradona em meio a uma gargalhada de satisfação.

Parede da casa divide espaço com imagens sacras e artigos do time rubro-negro (Foto Andre Costa)

O amor pelo flamengo, inclusive, foi parar na pele do juazeirense ilustre. A cada foto, ele faz questão de expor suas imponentes tatuagens, em cada um dos braços. “O amor aqui é para vida toda”. Questionado se vestiria a camisa de um outro clube, ainda que por brincadeira, Maradona não titubeia. “Nem por muito dinheiro. Nunca ninguém vai me ver com outra camisa. Só visto o manto do mengão”, retruca com bom humor, que lhe é peculiar.

Ídolos
Uma das paredes da sala é destinada apenas as fotos. São dezenas, entre anônimos e famosos, ele mostra a mais recente, tirada na semana passada, com o “Papai Joel”. “Ele esteve aqui em casa”, diz, referindo-se ao técnico Joel Santana, que teve cinco passagens pelo Flamengo, a última delas, em 2012. Entre milagres e vexames, o técnico fez história no Flamengo e Maradona reconhece. “Ele foi um grande treinador, acertou e errou, como todo mundo, é um cara super do bem”, diz. Joel e Maradona se encontraram na semana passada.

O treinador estava no Cariri para disputar um amistoso, com a equipe norte-americana que comanda, o Black Gold Oil, contra o Icasa, time de Juazeiro do Norte. “Ele fez questão de vir conhecer minha casa”, conta orgulhoso. “A gente tomou café, conversamos e rimos muito. Levei até ele para conhecer a estátua do Padre Cícero”, completa Maradona, mostrando o registro fotográfico feito aos pés do Padim. Além de Joel, o zagueiro Ronaldo Angelim, filho de Juazeiro do Norte, foi outro atleta a já ter visitado a “casa rubro-negra”. Os ídolos vêm até Maradona, mas ele também vai até os ídolos.

Sonho e morte
Já foram inúmeras visitas a Gávea, a principal sede do Clube de Regatas do Flamengo, onde a maioria dos atletas do clube treinam. Apesar das viagens, um sonho ainda não foi realizado. “Todas as vezes que fui o clube estava em período de férias. Nunca assisti um jogo do Mengão lá no Rio. Meu grande sonho é ver, ao lado do meu pai, o Flamengo jogar no Maracanã”, conta emocionado, deixando um pouco de lado o tom de humor. “Meu pai foi o grande incentivador disso tudo. Eu tenho muito orgulho dele. Assim como tenho pelo Flamengo. Um dia ainda vou realizar esse desejo”, pontua.

Ao ter seu sonho realizado, Maradona diz que já pode morrer “tranquilo”. Mas nem mesmo o assunto fúnebre afasta a temática do clube. “Quero ser enterrado num caixão com as cores e o escudo Mengão, com o hino tocando”. Apesar do desejo, ele humoriza: “Mas não precisa ser agora. Quero viver ainda muitos e muitos anos para ver o Mengão ser campeão”, conclui.

Na despedida, ele faz o pedido de uma foto, seguido por uma mensagem. “Sou apaixonado pelo Flamengo, mas sou contra qualquer violência. Temos que respeitar todo mundo. Minha irmã, por exemplo, torce pelo Botafogo e nem por isso deixo de amá-la. Você é vascaíno e nem por isso deixei de lhe receber bem na minha casa e de tirar uma foto. O futebol não tem mais espaço para intolerância”, finaliza Maradona, “o torcedor flamenguista mais fanático do Cariri”.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:39 · 12.07.2017 / atualizado às 10:41 · 12.07.2017 por

A Área Integrada de Segurança 19 (AIS 19), localizada na Região do Cariri, lidera as apreensões de armas de fogo no Estado do Ceará durante o primeiro semestre do ano. De janeiro a junho, já foram retiradas de circulação 391 armas de fogo, segundo os dados estatísticos divulgados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Os dados apontam que o mês de março teve o maior índice de apreensão, ou seja, 96 armas de fogo foram retiradas das ruas. Em janeiro foram registradas 73 apreensões, em fevereiro foram contabilizadas 77, em abril o total foi de 52, em maio e junho foram apreendidas 45 e 48 armas, respectivamente. Entre os principais tipos de armas apreendidos pela Polícia Militar estão os revólveres, pistolas e espingardas.

De acordo com o comandante do 2º BPM, Tenente Coronel Paulo Hermann Fernandes Macedo, o trabalho da Polícia Militar em 2017 tem sido intenso no sentido de combater a criminalidade e garantir a tranquilidade da população. Segundo o Oficial, as ações de combate ao porte ilegal de arma de fogo são realizadas através de abordagens e saturações em locais e horários estratégicos, além da averiguação de denúncias por parte da população.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:37 · 10.07.2017 / atualizado às 07:23 · 12.07.2017 por

Crato. As redes e mídias sociais têm se constituído numa importante ferramenta no resgate cultural e artístico. Neste Município, na região do Cariri, o documentarista Laerto Xenofonte, 48, lançou no mês passado um canal no YouTube cujo objetivo “é resgatar, disseminar e fortalecer a cultura regional e nacional, distribuindo e exibindo conteúdos audiovisuais informativos, culturais e educativos”.

No canal Museu de Arte Kariri, o internauta pode conferir inúmeros vídeos de grandes shows que marcaram época na região, além de documentários e entrevistas com personalidade da terras, como por exemplo Patativa do Assaré e Abdoral Jamacaru. “São centenas de vídeos que carrego comigo ao longo da minha trajetória iniciada na década de 80 e hoje decidi divulgá-los por entender que essas obras pertencem ao grande público. Além disso, os vídeos servirão para que as novas gerações conheçam o que marcou época”, completa Xenofonte.

O canal já conta com quase 30 vídeos publicados e, segundo Laerto, a expectativa é lançar pelo menos dois novos vídeos a cada semana. “O acervo é grande. Tenho quase uma milhar de gravações em meus arquivos. Relíquias que até então estavam privadas somente a mim, passarei a compartilhar com o Cariri e com o mundo, através do YouTube”, disse.

Dentre as publicações, algumas pérolas, como no dia em que Naná Vasconcelos saiu de Nova York diretamente para o Cariri. O canal conta ai com trechos de shows de Cassia Eller, Engenheiros do Hawaii, Paralamas do Sucesso, Caviar com Rapadura, Fagner, João do Crato, Irmãos Aniceto. “O internauta também poderá ver a qualidade das gravações. Mesmo que naquela época os equipamentos não fossem tão sofisticados e tecnológicos como são hoje, conseguíamos atingir um excelente grau de profissionalismo”, recorda Laerto Xenofonte

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

09:31 · 05.07.2017 / atualizado às 12:12 · 05.07.2017 por


Juazeiro do Norte.
A partir desta quinta-feira, dia 06, o longa-metragem cearense “Os Pobres Diabos”, dirigido por Rosemberg Cariry, estreia no cinema do Orient Cariri Garden Shopping, em Juazeiro do Norte, trazendo a magia e as lutas de uma trupe circense que viaja pelo interior do Ceará. A obra venceu os troféus de Melhor Filme pelo Júri Popular e Prêmio TV Brasil no 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Com um elenco de estrelas formado por Chico Diaz, Sílvia Buarque, Everaldo Pontes, Gero Camilo, Zezita Matos e Sâmia Bittencourt, entre outros nomes, o filme apresenta ao público o Gran Circo Teatro Americano, uma companhia mambembe e muito pobre, que perambula por pequenas cidades do sertão nordestino até armar a tenda em Aracati, no litoral do Ceará.

Cariry mostra-se sereno e atento aos mínimos detalhes, na condução do seu modo de fazer cinema, com um toque autoral. Embora se veja favorecido pela revolução tecnológica em curso na área, explora a sua faceta humana, natural e artesanal. Sabe que depende sempre ainda da expressão dramática de atores e atrizes, do rigor da fotografia, da generosidade da luz solar, da criatividade diligente e inspirada da direção de arte.

Sob o rigor de uma narrativa que se propõe simples, a exemplo das narrativas da literatura de cordel, o filme recria e funde artes e artimanhas, saberes e sentimentos, arquétipos e sonhos, tradições perdidas e relidas, tempo presente e pretérito, em busca de um sentido estético capaz de vencer o vazio individualista e globalizante, na era do desfazimento de tudo, em especial, da dissolvência cultural da chamada pós-modernidade.

“A discussão sobre o significado de cultura e especificidade cultural é um desafio para o qual devemos estar sempre atentos. Nesse sentido, como artistas de circo, os personagens têm em comum a característica de viajantes e nômades: com o passar do tempo, eles vão adquirindo características de tantos lugares por onde passaram e/ou viveram, que já não é possível identificar de onde eles vieram, ou que lugar ou cultura representam. Esta decisão está refletida na escolha que fizemos dos atores e atrizes de ‘Os Pobres Diabos’, vindos de várias regiões do país”, conta.

SINOPSE
O “Gran Circo Teatro Americano” perambula por pequenas cidades dos sertões, até chegar à cidade de Aracati, onde monta uma peça teatral. No cotidiano do circo, acontecem aventuras, nas quais os personagens agem ao modo picaresco dos anti-heróis do romanceiro popular. As dificuldades se acumulam, mas a arte ajuda a superar desventuras e tragédias. O espetáculo não pode parar.

SOBRE O DIRETOR
O cineasta Rosemberg Cariry nasceu em Farias Brito – Ceará, no ano de 1953. Realizou doze filmes de longa-metragem como, Corisco e Dadá (1996), Patativa do Assaré, Ave Poesia (2007) e Siri-Ará (2008). Para a TV realizou dezenas de seriados, documentários e programas.

É jornalista, escritor, poeta e pesquisador das culturas populares brasileiras, tendo publicado vários livros. Participou de várias entidades nacionais de cineastas e lutou pela diversidade do cinema brasileiro, sendo um dos responsáveis pelo processo de “regionalização” dos meios de produção audiovisual, que tem mudado o panorama do cinema brasileiro.

10:14 · 03.07.2017 / atualizado às 10:14 · 03.07.2017 por

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) firmou acordo com o município de Barbalha, localizado na região do Cariri, e com o Hospital São Vicente de Paulo para garantir o atendimento e tratamento de pacientes com câncer inseridos na fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS).

O acordo, proposto pelo procurador da República Rafael Ribeiro Rayol, do MPF em Juazeiro do Norte, tem como objetivo assegurar o cumprimento da lei 12.732/12, que estabelece prazo máximo de 60 dias após o diagnóstico para o início do tratamento de pacientes com neoplasia maligna.

Nos termos do documento, o Hospital São Vicente de Paulo assume o compromisso de atualizar constantemente a fila de espera e de torná-la pública para todos os pacientes nela inseridos. O hospital também se compromete a estabelecer uma data pré-fixada para o início do tratamento de cada uma das pessoas presentes na fila. Já a prefeitura de Barbalha se comprometeu a repassar R$ 300 mil mensais para a unidade de saúde e mais R$ 200 mil excedentes conforme a necessidade de atendimento apresentada.

No acordo, o procurador da República Rafael Ribeiro Rayol lembra que, segundo a Política Nacional de Prevenção e Controle do câncer, a doença é reconhecida como prevenível e que é necessária a oferta de cuidado integral aos portadores. O Hospital São Vicente de Paulo é o único centro de oncologia habilitado pelo Ministério da Saúde na região do Cariri e faz parte da rede de assistência oncológica do estado do Ceará.

A previsão é de que os tratamentos dos pacientes inseridos na lista de espera estejam regularizados até 20 de agosto. Também está prevista uma reunião com todas as partes do TAC, no dia 25 de setembro, para verificar, analisar e discutir a situação e realizar eventuais ajustes que se façam necessários.

08:39 · 14.06.2017 / atualizado às 10:35 · 14.06.2017 por
Foto: André Costa

Juazeiro do Norte. A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (14), a operação intitulada “Cadeia de Comando“, cujo objetivo é desarticular uma organização criminosa especializada em tráfico de drogas. O grupo criminoso, segundo a PF em Juazeiro do Norte, atua há seis anos na região do Crajubar, além de possuir ramificações nas cidades de Icó e Milagres.

Ao todo, estão sendo cumpridos 42 mandados judiciais expedidos pela 1a Vara Criminal da Comarca de Juazeiro do Norte. Dentre as medidas, há mandados de buscas e apreensões em imóveis residenciais e comerciais, mandados de prisão preventivas e temporárias, sequestro de bens móveis e imóveis e bloqueio de contas bancárias.

As investigações tiveram início em setembro do ano passado. Somente na fase sigilosa da investigação, foram apreendidos mais de 110kg de drogas, desarticulados dois locais para guarda e preparação de entorpecentes, além de apreensão de armas e munições com integrantes da organização criminosa. Dentre os investigados há presidiários, empresários, profissionais liberais e advogado.

A ação policial conta com a participação de cem Policiais Federais, além do apoio do Ministério Público Estadual do Ceará e Secretaria de Segurança Pública.

 

12:07 · 12.06.2017 / atualizado às 12:07 · 12.06.2017 por

Após quase sete meses parado, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Cariri volta a operar a partir de hoje. O modal retoma a operação, interligando as cidades de Crato e Juazeiro do Norte, na região sul do Ceará. A operação conta com dois trens operando de 6h às 19h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados de 6h às 14h, contemplando as 9 estações do sistema (ver quadro abaixo), e com tarifa a R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia).

A operação havia sido suspensa para viabilizar a continuidade das obras da Avenida do Contorno, projeto executado pela Secretaria das Cidades. Devido à existência de dois pontos de encontro da nova avenida com a linha do VLT, foi necessária a construção de dois viadutos sobre a via férrea. Optando por operar somente nas condições adequadas de segurança, e considerando a importância do projeto da Secretaria das Cidades para a mobilidade da região, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos interrompeu temporariamente a circulação do VLT.

Durante a pausa na operação, foram realizadas algumas intervenções. Entre elas, a instalação de duas novas passagens de nível, que foram necessárias para abrir o fluxo de veículos na Rua das Flores e Rua São Pedro. As novas PNs foram fruto de articulações com a Prefeitura de Juazeiro do Norte. Também foram realizadas reformas em trechos da via férrea afetados pelas obras dos viadutos, uma obra de drenagem e a construção de um muro de contenção entre as estações Escola e São José, entre outras intervenções.

Arte no VLT
Os trens do VLT do Cariri voltam a circular levando arte às ruas da região. Através do projeto Wholetrain, liderado pelos irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo – OSGEMEOS – e também pelo grafiteiro paulista ISE, uma equipe de artistas grafitou os dois trens que fazem a operação comercial do sistema. O trabalho busca valorizar a cultura local.

Além do Cariri, o projeto passou por Fortaleza e Sobral, grafitando parte da frota de trens em operação da Cia Cearense de Transportes Metropolitanos. Para a empresa, pintura dos trens estimula a relação entre o público e o sistema metroviário, ao agregar uma linguagem artística que se comunica com as ruas e com a cidade, e assim contribui para a valorização e preservação do patrimônio público.

SERVIÇO:
Operação do VLT do Cariri
A partir de 12/6 (segunda-feira)
Segunda-feira a sábado, de 6h às 19h

Veja a localização das estações:

ESTAÇÃO CRATO
Avenida Horácio Jácome, em frente ao número 696, na esquina com a CE-386 (Rua Monsenhor Esmeraldo).

ESTAÇÃO PADRE CÍCERO
Rua Antônio Leite Saraiva, nº 1859, no encontro com a rua Chiquinha Macedo, bairro São Miguel (Crato).

ESTAÇÃO MURITI
Rua Pedro Gomes Norões, nº 501, bairro Muriti (Crato).

ESTAÇÃO SÃO JOSÉ
Rua Geraldo Esmeraldo de Melo, nº 60, bairro São José (Crato).

ESTAÇÃO ESCOLA
Av. Paulo Maia, s/n, bairro São José (Juazeiro do Norte).

ESTAÇÃO ANTÔNIO VIEIRA
Avenida Paulo Maia, S/N, Bairro Salesiano (Juazeiro do Norte).

ESTAÇÃO TEATRO
Avenida Paulo Maia, nº 35, quase na esquina com a rua Alzira Alves de Lima. Bairro Salesiano (Juazeiro do Norte).

ESTAÇÃO JUAZEIRO
Rua São Bernardo, em frente ao número 1439, quase na esquina com rua Vicente Patu.

ESTAÇÃO FÁTIMA
Av. Carlos Cruz, nº 01, Bairro Fátima (Juazeiro do Norte).

09:40 · 31.05.2017 / atualizado às 09:40 · 31.05.2017 por

Os seis Municípios que compõem a 21ª Regional de Saúde – Barbalha, Caririaçu, Granjeiro, Jardim e Missão Velha – participaram, em Juazeiro do Norte, da 1ª Conferência Municipal de Saúde da Mulher. As Secretárias de Saúde de todos os Municípios, a Coordenação da Regional e representantes dos Conselhos de Saúde Estadual e Municipal participaram do encontro, que debateu o tema “Desafios para a Integralidade com Equidade”.

A Secretária de Saúde de Juazeiro do Norte, Nizete Tavares, fez a abertura dos trabalhos falando a respeito do início do debate sobre saúde da mulher a nível nacional, e explicando como aconteceu a articulação para o evento no Cariri. Sobre o tema, Nizete explicou a necessidade de envolvimento de outras secretarias e outros órgãos, e da iniciativa privada, além da parceria do controle social e da câmara municipal para fortalecer a atenção à saúde da mulher.

A Secretária também ressaltou que entre os grandes desafios da Saúde, está a Saúde da Mulher, que também é uma das prioridades. Dentre as questões, estão a prevenção do câncer de colo de útero e de mama e a garantia da isonomia dentro da Saúde, entre os mais variados grupos de mulheres negras, em situação de rua e outras condições.

O mesmo tema já foi debatido em cada um dos Municípios, e a partir dos 4 eixos (o papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres; o mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres; vulnerabilidades e equidades na vida e na saúde das mulheres; e políticas públicas para as mulheres e a participação social) foram estabelecidas as suas propostas que deverão ser levadas para a Conferência Estadual, e em seguida para a Conferência Nacional.