Busca

Tag: chuva


09:57 · 22.03.2017 / atualizado às 09:57 · 22.03.2017 por
Alimentos já arrecadados (Foto Divulgação)

O Sesc, através da sua Unidade Crato, está em campanha para receber doações de alimentos, vestimentas e acessórios de cama e banho para a população atingida pela enchente em Assaré, na região do Cariri. A unidade está em plantão 24h para facilitar as contribuições.

O material arrecadado é distribuído diariamente na Secretaria de Ação Social de Assaré e na paróquia da cidade. Até o momento, foram obtidos 500 kg de alimentos, mais de 1.500 peças de vestuários, como roupas e calçados, além de toalhas e lençóis.

A enchente aconteceu por conta do rompimento na barragem do Açude dos Montes, devido às fortes chuvas do dia 17 de março. Na cidade, várias casas e prédios públicos foram atingidos, deixando mais de 200 famílias desabrigadas.

SERVIÇO
Campanha de doação de alimentos e itens de vestuário para a população de Assaré
Local: Unidade Crato do Sesc (Rua André Cartaxo, 443)
Informações: (88) 3586.9150

10:01 · 18.03.2017 / atualizado às 10:09 · 18.03.2017 por
Foto VcRepórter

Assaré. O medo de que uma nova enchente inunda ruas e casas, deste município, é latente. Após a precipitação de 88 milímetros registrada ontem, pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), que culminou no rompimento do açude dos Montes, choveu forte novamente. O volume observado de70 mm foi o maior do Estado entre sexta-feira e hoje, dia 18. O acumulado nos primeiros 18 dias de março em Assaré já supera a média histórica para todo o mês, que é de 182.3 mm.

Pluviômetros registraram chuvas de quase 170 mm

Ontem, por volta das 5h30, uma tromba d’água caiu sobre a cidade causando o rompimento do açude. A força da água inundou ruas e bairros próximos ao reservatório que não estourada há quase duas décadas. De acordo com o gestor municipal, Evanderto Almeida, “mais de 50 famílias estão desabrigadas”. Segundo conta, a correnteza destruiu plantações, arrastou animais e veículos e inundou diversas casas.

Chuvas de março já atingem 71% da média histórica no CE

Açudes estratégicos ainda sem aporte significativo

“Acima do açude dos Montes, existem várias outras barragens e pequenos açudes. A gente ainda não tem a noção exata de como eles estão, mas o temor é de que um ou vários deles possa estourar e o estrago ficar ainda maior”, completa o prefeito. De acordo com ele, o Governador do Estado, Camilo Santana, enviou ontem a Defesa Civil do Estado para auxiliar os trabalhos de recuperação das áreas mais afetadas. Em algumas localidades, como o Centro Comunitário e bairro Laranjeiras, o nível da água em casas chegou a quase 1 metro.

Evanderto ressalta que, apesar de a Funceme ter registrado de forma oficial volume de 88 mm ontem e 70 mm hoje, os números são bem superiores. “Vários agricultores têm instalados em suas casas pluviômetros que apontaram ontem chuvas com volume entre 170 e 180 milímetros”, diz. A prefeitura disponibilizou veículos para remoção de móveis e objetos e um galpão para que estes fossem guardados. “As famílias que tiveram que sair de casas estão sendo abrigadas em casas de familiares”, conclui o prefeito. Não houve feridos.

Estado
Entre as 7 horas desta sexta-feira e 7 horas de hoje, a Funceme registrou chuvas em pelo menos 52 municípios. O maior volume foi observado em Assaré (70 mm), seguido por Granja (44 mm); Pires Ferreira (42 mm); Crato (35 mm); Arneiroz (32.3 mm) e Pedra Branca (31 mm). No decorrer do dia, a previsão é de nebulosidade variável com eventos de chuva em todas as regiões do estado. Amanhã, dia de São José, padroeiro do Estado, a Funceme aponta possibilidade de chuvas isoladas em todas as regiões cearenses.

O volume dos 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh) segue subindo, ainda que timidamente. Hoje o nível chegou a 8,52%, melhor índice dos últimos cinco meses. Quatro açudes estão sangrando (Acaraú Mirim, Caldeirões, Maranguapinho e Tijuquinja) e 122 estão com capacidade abaixo dos 30%, dentre os quais 46 estão no volume morto e 22 estão secos.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

 

12:19 · 17.03.2017 / atualizado às 16:03 · 17.03.2017 por
Foto VcRepórter

Assaré. As fortes chuvas que caem sobre este município, na região do Cariri, desde o início da madrugada de hoje (17) causaram o rompimento do açude dos Montes, no bairro Populares. Ruas de pelo menos três bairros ficaram embaixo d’água. Carros foram arrastados pela correnteza e dezenas de famílias estão desalojadas. Esta foi a segunda vez que o reservatório rompeu. A última ocorreu em 1989.

De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), nas últimas 24 horas já choveu cerca da metade da média histórica do mês de março, que é de 182,3mm. Embora o pluviômetro do órgão tenha registrado 88 milímetros entre as 7 horas de ontem e 7 horas desta sexta-feira, na sede do município, “os medidores da zona rural apontam chuva acima dos 150 mm”, conforme afirma o radialista Jocélio Leite. Nos primeiros 15 dias do mês, a Funceme observou o acumulado de 87.5 mm.

As áreas mais afetadas são os bairros Populares, Alto do Zé Dodô e Pedra de Fogo. “Essas localidades ficam próximos ao açude e consequentemente a força da água foi mais intensa. Muitas famílias perderam tudo. A cidade está um caos”, acrescenta Jocélio. Não há informações sobre feridos. O município não confirmou o número de famílias que estão desalojados. Militares do Corpo de Bombeiros da cidade do Crato foram acionados e estão nas áreas mais afetadas.

Reservatórios
Com as intensas chuvas de março, já são quatro açudes sangrando no Estado. Hoje o Acaraú Mirim, em Massapê, atingiu 100% de sua capacidade e se juntou aos reservatórios dos Caldeirões, na cidade de Saboeiro; Maranguapinho, em Maranguape; e o Tijuquinja, na cidade de Baturité. Segundo dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh), o volume dos açudes subiu de 8,06% na quarta-feira para 8,5% nesta sexta. Em contrapartida, outros 123 reservatórios ainda estão com volume inferior a 30%.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

09:30 · 17.03.2017 / atualizado às 09:40 · 17.03.2017 por
Em Juazeiro do Norte amanheceu mais uma vez chovendo. A chuva de 31 milímetros deixou novamente algumas ruas alagadas durante a manhã desta sexta-feira (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. Choveu em mais de cem municípios cearenses nas últimas 24 horas conforme dados do boletim diário da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Todas as regiões do Estado foram banhadas, com destaque para o Cariri, Litoral Norte e Sertão Central. Os três maiores volumes foram observados nestas regiões. Missão Velha, com 74 milímetros, liderou, seguido por Cruz (56 mm) e Ibaretama (56 mm).

Na região da Ibiapa, a cidade de Pires Ferreira teve o maior índice, com 51 mm. Na Jaguaribana, o município de Jaguaretama liderou com 33.4 mm e no Maciço do Baturité, Redenção, com 50.4 mm, foi o destaque. Já no Cariri, além de registrar a maior chuva do Estado, outros 15 municípios foram banhados pelas chuvas.

Este é o quinto dia consecutivo que amanhece chovendo na região. Abaiara (38 mm), Juazeiro do Norte (31 mm), Cariús (31 mm), Jucás (20 mm), Barbalha (18 mm) e Crato (16.4 mm), foram as cidades com maiores índices pluviométricos das últimas horas no Cariri. A previsão para hoje, segundo a Funceme, é de nebulosidade variável com eventos de chuva ao longo do dia no maciço de Baturité e nos litorais do Pecém e Fortaleza. Nas demais regiões, céu nublado com chuva. O fim de semana também deve ter chuvas isoladas em todo o Estado.

Açudes
Ainda que esteja em situação crítica, o nível dos reservatórios cearenses continua a apresentar elevação com as chuvas de março. Segundo dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh), o volume subiu de 8,06% na quarta-feira para 8,5% nesta sexta. Já são quatro açudes sangrando: Acaraú Mirim, em Massapê; Caldeirões, na cidade de Saboeiro; Maranguapinho, em Maranguape; e o Tijuquinja, na cidade de Baturité. Em contrapartida, outros 123 reservatórios ainda estão com volume inferior a 30%.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

11:56 · 13.03.2017 / atualizado às 12:02 · 13.03.2017 por
Temperatura despencou após forte chuva (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. A chuva que caiu com intensidade no final da madrugada e início da manhã desta segunda-feira (13) fez com que a temperatura no município despencasse. Por volta das 10h30, alguns termômetros registram 21º Celsius. Neste horário, a média de temperatura das últimas semanas, segundo o site ClimaTempo, girou em torno dos 29ºC, com sensação térmica que ultrapassou a casa dos 30ºC.

A última vez que a temperatura tinha caído a este ponto foi em janeiro último. Naquele mês, em duas ocasiões, os termômetros registram 20ºC ao meio-dia. Já segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a média histórica da cidade nos primeiros meses do ano gira em torno dos 33ºC, com picos que podem chegar a 35ºC, com sensação térmica acima dos 38ºC.

>>Juazeiro do Norte amanhece sob forte chuva; veja vídeo

Essas quedas se aproximam das mais baixas temperaturas registradas durante todo o ano passado na região do Cariri. Em agosto de 2016, o órgão registrou em 17.6ºC em Barbalha, com sensação térmica de 15ºC e 18.7ºC em Campos Sales, com sensação abaixo dos 17ºC.

A diferença, no entanto, se dá pela época em que as temperaturas foram registras. Em Campos Sales e Barbalha, aconteceu durante “uma época do ano que é comum haver redução de temperatura devido ao período de inverno no hemisfério sul, região do planeta onde o Ceará está situado, iniciado em junho”, explicou Raul Fritz, meteorologista da Funceme.

A explicação para a redução na temperatura em Juazeiro, portanto, está associação a intensidade dos ventos somadas ao volume pluviométrico verificado durante o final da madrugada e início de toda a manhã.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br