Busca

Tag: funceme


09:53 · 12.04.2017 / atualizado às 09:53 · 12.04.2017 por
Foto: Reprodução/Funceme

Juazeiro do Norte. Choveu em mais de 15 municípios do Cariri pelo segundo dia consecutivo, de acordo com dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A maioria dos índices ultrapassou a marca dos 20 milímetros, volume considerado satisfatório pelo órgão.

A cidade de Aurora, com 46 mm, obteve o maior volume na região nas últimas 24 horas. Em seguida, aparecem Crato (39.2 mm), Juazeiro do Norte (30 mm), Missão Velha (25 mm) e Barro (24 mm). Em Barbalha choveu 21.5 milímetros. O menor volume foi apontado em Jati, com apenas 1.4 mm.

A média observada entre as 7 horas de ontem e 7 horas desta quarta-feira para o Cariri foi de 11 milímetros, ficando a frente apenas das médias do Maciço do Baturité (9.9 mm), Litoral Norte (8.1 mm) e Sertão Central (5.7 mm). Em contrapartida, a maior média do Estado para as últimas horas foi no Litoral de Fortaleza (29 mm).

Em todo o Estado, a Funceme registrou chuva em mais de 100 cidades. Os maiores volumes pluviométricos ocorreram em Itapipoca (75.2 mm), São Gonçalo do Amarante (72.4 mm), Tabuleiro do Norte (69 mm), Boa Viagem (65 mm) e Ubajara (62 mm).

A previsão para hoje é de nebulosidade variável com chuva no noroeste, centro-sul e leste do estado. Nas demais áreas, há possibilidade de chuva, principalmente no período da noite. Para amanhã, o órgão prevê chuva em todas as regiões.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

08:30 · 11.04.2017 / atualizado às 08:30 · 11.04.2017 por
Juazeiro do Norte amanhece com céu nublado e chuva fina (Foto André Costa)

Voltou a chover em mais de 15 municípios do Cariri após cinco dias. O maior volume na região nas últimas 24 horas, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), foi registrado na cidade de Ipaumirim, com 61.4 milímetros. Em seguida aparecem Cedro (33 mm), Lavras da Mangabeira (31.6 mm), Mauriti (30 mm) e Milagres (24 mm).

Em Juazeiro do Norte choveu, ainda conforme o órgão, 7 milímetros. No entanto, essa marca tende a aumentar devido às chuvas que continuam caindo na cidade desde as primeiras horas desta terça-feira. Não há, até o fechamento desta matéria, registro de pontos de alagamento na cidade. Várias cidades da região amanheceram com céu nublado e, em algumas delas, chuva fina.

>> Saiba por que mesmo chovendo em algumas cidades não há registro oficial na Funceme

Em todo o Estado, entre as 7 horas de ontem e 7 horas de hoje, a Funceme apontou chuva em mais de 75 cidades. Os maiores registros foram verificados no Litoral do Pecém, com destaque para os municípios de Paracuru (109 mm), São Gonçalo do Amarante (104 mm), Pacatuba (84.8 mm) e Paraipaba (83 mm).

A previsão para esta terça é de céu nublado com chuva no centro-sul. Nas demais regiões, nebulosidade variável com chuva ao longo do dia. Amanhã, a Funceme prevê nebulosidade variável com chuva em todas as regiões do estado.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

08:13 · 03.04.2017 / atualizado às 08:13 · 03.04.2017 por
A chuva em Juazeiro do Norte ficou 21.6% abaixo da média (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. O mês de março terminou com chuvas um pouco acima da média histórica para o período. Em 31 dias, choveu 205.4 milímetros, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O desvio foi de 1% frente ao volume normal para o mês que é de 203.4 mm. Apesar disso, algumas regiões do Estado não obtiveram  bons índices.

No Cariri, apenas duas cidades ultrapassaram o volume esperado para o mês. Em Farias Brito, choveu 254.2 mm, o que representa desvio positivo de 1.7%. Já a cidade de Altaneira apresentou os melhores volumes da região. A média de 219 milímetros foi ultrapassada em 39.7%, com as chuvas observadas de 305.9 mm. No geral, o Cariri teve desvio negativo de 7.3% com os 137.5 milímetros observados. No ano passado, a Funceme observou 227.1 mm em março, desvio positivo de 4%.

Os maiores déficits de chuva foram registrados em Jardim (- 77.4%) e Jati (- 67.6%). O mês de março também não foi bom para as cidades do Crajubar. Em Juazeiro do Norte, choveu 185 mm, o que significa desvio negativo de 21.6%. Na cidade do Crato, foi observado em 31 dias 147.5 mm (- 40.1%) e, em Barbalha, choveu 138.5 milímetros em março, o que configura desvio negativo de 45.2%.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

15:49 · 31.03.2017 / atualizado às 15:49 · 31.03.2017 por
Embora o site da Funceme não tenha registrado, choveu nos últimos dois dias em Juazeiro do Norte (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. Nos últimos dois dias, uma discreta chuva caiu sobre a cidade. Na quarta-feira, a precipitação veio pela manhã. Ontem, dia 30, choveu por volta das 9 horas e também a noite, próximo das 20 horas. Apesar destes eventos, o site oficial da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), órgão estadual incumbido, dentre outras atribuições, por registrar as chuvas nos 184 municípios cearenses, não apontou nenhum volume de chuva em Juazeiro.

De acordo com a Funceme, a última precipitação na terra do Padre Cícero aconteceu há seis dias. Em 25 de março, choveu 11 milímetros. De lá para cá, escassez completa, isso segundo o órgão. A diferença pode ser explicada por dois fatores. O primeiro deles, a intensidade da chuva. O segundo, a localidade onde caiu a precipitação. Isso porque, a Funceme registra o volume através de pluviômetros, que são aparelhos de meteorologia usados para recolher e medir, em milímetros, a quantidade de líquidos precipitados durante um determinado tempo e local.

Em caso de chuva com pouca duração, a quantidade de água caída do céu não é suficiente para que o pluviômetro registre tal precipitações. Em outros casos, o equipamento está instalado em um ponto distante de onde caiu os maiores volumes. Quando isso acontece, a chuva pode não ser registrada ou ter seu volume alterado, conforme aconteceu em Assaré.

No último dia 17, as fortes chuvas romperam a parede de um açude, deixando bairros e casas alagadas. De acordo com a Funceme, choveu 87.5 milímetros naquele dia. Entretanto, medidores instalados por moradores na zona rural da cidade, registraram volumes superiores a 150 milímetros num intervalo de 24 horas.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:01 · 18.03.2017 / atualizado às 10:09 · 18.03.2017 por
Foto VcRepórter

Assaré. O medo de que uma nova enchente inunda ruas e casas, deste município, é latente. Após a precipitação de 88 milímetros registrada ontem, pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), que culminou no rompimento do açude dos Montes, choveu forte novamente. O volume observado de70 mm foi o maior do Estado entre sexta-feira e hoje, dia 18. O acumulado nos primeiros 18 dias de março em Assaré já supera a média histórica para todo o mês, que é de 182.3 mm.

Pluviômetros registraram chuvas de quase 170 mm

Ontem, por volta das 5h30, uma tromba d’água caiu sobre a cidade causando o rompimento do açude. A força da água inundou ruas e bairros próximos ao reservatório que não estourada há quase duas décadas. De acordo com o gestor municipal, Evanderto Almeida, “mais de 50 famílias estão desabrigadas”. Segundo conta, a correnteza destruiu plantações, arrastou animais e veículos e inundou diversas casas.

Chuvas de março já atingem 71% da média histórica no CE

Açudes estratégicos ainda sem aporte significativo

“Acima do açude dos Montes, existem várias outras barragens e pequenos açudes. A gente ainda não tem a noção exata de como eles estão, mas o temor é de que um ou vários deles possa estourar e o estrago ficar ainda maior”, completa o prefeito. De acordo com ele, o Governador do Estado, Camilo Santana, enviou ontem a Defesa Civil do Estado para auxiliar os trabalhos de recuperação das áreas mais afetadas. Em algumas localidades, como o Centro Comunitário e bairro Laranjeiras, o nível da água em casas chegou a quase 1 metro.

Evanderto ressalta que, apesar de a Funceme ter registrado de forma oficial volume de 88 mm ontem e 70 mm hoje, os números são bem superiores. “Vários agricultores têm instalados em suas casas pluviômetros que apontaram ontem chuvas com volume entre 170 e 180 milímetros”, diz. A prefeitura disponibilizou veículos para remoção de móveis e objetos e um galpão para que estes fossem guardados. “As famílias que tiveram que sair de casas estão sendo abrigadas em casas de familiares”, conclui o prefeito. Não houve feridos.

Estado
Entre as 7 horas desta sexta-feira e 7 horas de hoje, a Funceme registrou chuvas em pelo menos 52 municípios. O maior volume foi observado em Assaré (70 mm), seguido por Granja (44 mm); Pires Ferreira (42 mm); Crato (35 mm); Arneiroz (32.3 mm) e Pedra Branca (31 mm). No decorrer do dia, a previsão é de nebulosidade variável com eventos de chuva em todas as regiões do estado. Amanhã, dia de São José, padroeiro do Estado, a Funceme aponta possibilidade de chuvas isoladas em todas as regiões cearenses.

O volume dos 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh) segue subindo, ainda que timidamente. Hoje o nível chegou a 8,52%, melhor índice dos últimos cinco meses. Quatro açudes estão sangrando (Acaraú Mirim, Caldeirões, Maranguapinho e Tijuquinja) e 122 estão com capacidade abaixo dos 30%, dentre os quais 46 estão no volume morto e 22 estão secos.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br