Busca

Tag: Fundação Casa Grande


10:24 · 22.03.2017 / atualizado às 10:24 · 22.03.2017 por

Nova Olinda.  Será realizado nesta quarta-feira, 22, às 16 horas, na Fundação Casa Grande, neste município, o funeral da arqueóloga Rosiane Limaverde Vilar Mendonça, presidente do Conselho Científico da entidade, falecida na última segunda-feira, em Crato. A cerimônia acontece na sala do Coração de Jesus, do Memorial do Homem Kariri. Rosiane  morreu no início da manhã da última segunda-feira em sua própria residência, na cidade do Crato. Ela lutava contra um câncer no ovário há cinco anos.

Rosiane Limaverde, Doutora em Arqueologia pela Universidade de Coimbra (Portugal), foi uma das idealizadoras e fundadora da Organização não Governamental, juntamente com Alemberg Quindins, seu marido, presidente da entidade e Secretário de Cultura de Juazeiro do Norte.

>> Morre arqueóloga e idealizadora da Fundação Casa Grande, Rosiane Limaverde

Na oportunidade, serão realizadas homenagens à arqueóloga, que iniciou estudos importantes relacionaos à pesquisa em arqueologia na Chapada do Araripe, deixando relevante contribuição nesse campo da ciência, além de criação do Instituto de Arqueologia do Cariri – IAC, em parceria com a Universidade Regional do Cariri – URCA. Rosiane foi recentemente reconhecida pela Universidade de Coimbra com nome de comenda, por realizar trabalho inédito de arqueologia inclusiva e pelo seu legado humanitário na área.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

 

11:12 · 20.03.2017 / atualizado às 16:02 · 20.03.2017 por
Foto Cariri Revista

Juazeiro do Norte. Morreu aos 51 anos, na manhã desta segunda-feira (20), a arqueóloga e idealizadora da Fundação Casa Grande-Memorial do Homem Kariri, em Nova Olinda, Rosiane Limaverde. Ela lutava contra um câncer no ovário há cinco anos.

A mestre em Arqueologia e Preservação do Patrimônio pela Universidade Federal do Pernambuco e doutora em Arqueologia pela Universidade de Coimbra era casada com o ativista cultural e atual secretário de Cultura de Juazeiro do Norte, Alemberg Quindis. O velório está marcado para 16 horas, no Teatro Violeta Arraes, em Nova Olinda. O corpo dela será cremado.

O Governador do Estado, Camilo Santana (PT), lamentou a morte da arqueóloga em sua pagina oficial do Facebook. O chefe do executivo diz ter recebido com pesar a morte “de uma pessoa muito querida e que deu relevante contribuição para a cultura e a arte do Ceará”.

Em seu post, Camilo ressaltou ainda que Fundação Casa Grande, desempenha “trabalho de valorização da nossa história e da nossa cultura e tem sido referência para o Brasil e para o mundo, com um importante trabalho social junto às crianças e jovens cearenses, já tendo sido reconhecida e homenageada por entidades como o UNICEF e o Ministério da Cultura”.  Camilo Santana encerrou a nota de pesar dizendo que, “através do Alemberg Quindins, da família e amigos de Rosiane, deixo meu abraço de afeto, respeito e gratidão”.

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) manifestou profundo pesar pela partida de Rosiane, “responsável por uma inestimável contribuição a várias gerações de pessoas que frequentaram a Casa, tendo suas vidas transformadas pela força da cultura, da arte, da comunicação, da educação em seu sentido mais amplo e cidadão”.

De acordo com a nota de pesar, “o trabalho de Rosiane Limaverde também foi fundamental para garantir legitimidade científica e acadêmica às experiências promovidas pela Casa Grande. Além de tudo, Rosiane sempre recebia com um sorriso todos que visitavam a Casa Grande, demonstrando todo interesse em recontar a história, acolher os visitantes , compartilhar os conhecimentos e realizações dessa longa e bela trajetória. Sua partida precoce entristece e comove todos os cearenses. Nossa solidariedade a Alemberg Quindins, aos filhos Ana e Pedro, aos parentes, amigos e a todos os atuais e eternos “meninos da Casa Grande”. Sigamos inspirados pelo exemplo de uma vida dedicada à arte, à cultura, à comunicação, à educação, ao encontro e ao aprendizado com o outro”.

O prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, lamentou, com profundo pesar, o falecimento de Rosiane Limaverde destacou a “importante contribuição dela, como uma das fundadoras, juntamente com Alemberg, da Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, com sede em Nova Olinda, obra de referência nacional e internacional, com trabalhos pautados na linha da educação social e inclusiva, da arte e da comunicação, para crianças e adolescentes, reconhecida por órgãos como o Ministério da Cultura e o Unicef”. Segundo Arnon, “Rosiane deixa inestimável contribuição para a cultura e a arte do Cariri”.

O presidente do Sistema Fecomércio-CE, Luiz Gastão Bittencourt, também lamentou o falecimento da arqueóloga que “dedicou-se às crianças de Nova Olinda ajudando-as e compartilhando o seu saber, que expressava acima de tudo a essência da ética, da moral e da cidadania”. Luiz Gastão expressou ainda a irreparável perda para todos os que conviviam com Rosiane e a tinham como exemplo de doação e amor ao próximo.

O Reitor da URCA, José Patrício Pereira Melo, emitiu nota reconhecendo “a contribuição significativa do trabalho da pesquisadora Rosiane Limaverde Vilar Mendonça para os estudos arqueológicos no Brasil e no mundo e, ainda, para a valorização da educação, da literatura popular, para a promoção da cultura, das manifestações culturais, da valorização e do resgate à identidade regional do Cariri e fomento ao desenvolvimento regional” e decretou luto oficial de três dias na Universidade.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

14:50 · 29.01.2016 / atualizado às 16:55 · 29.01.2016 por
O ministro fez o anúncio e disse que a rádio irá se locar em área estratégica, podendo chegar a estados mais próximos e região Centro-Sul Foto Elizangela Santos
O ministro fez o anúncio e disse que a rádio irá se localizar em área estratégica, podendo chegar a estados mais próximos e região Centro-Sul Foto Elizangela Santos

O Ministro das Comunicações, André Figueiredo,  anunciou, durante reunião realizada na Universidade Regional do Cariri (URCA), na manhã de hoje, a conquista de uma geradora de tv educativa para o Crato. Ele disse que já acertou com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), por meio da emissora oficial do Governo Federal, a TV NBR, e a TV Ceará, os canais da cidadania, e o primeiro município que vai ter uma nova geradora é o Crato. “Vamos trazer para cá e já acertei com a presidência da EBC, essa semana, para que ainda este ano haja a instalação dessa emissora, que vai ter de 3 a 4 horas de conteúdo sendo gerado localmente, para toda a região do Cariri e Centro-Sul”, disse o ministro André Figueiredo.

Também será realizada chamada pública para implementação de uma tv em Nova Olinda, pleiteada pela Fundação Casa Grande, entidade parceria da URCA. O Ministro afirma que o edital foi lançado em dezembro do ano passado.

Ele declarou, na ocasião, o seu empenho em atuar junto à Câmara dos Deputados, na liberação da Rádio FM Universitária da URCA. A instituição já teve a concessão autorizada pelo Ministério, com assinatura da Presidente Dilma Rousseff, e publicação no Diário Oficial da União. A emissora será instalada no prédio do Centro de Interpretação Ambiental do Geopark Araripe, no Parque de Exposições, em Crato, e já conta com local de instalação da antena. Os equipamentos estão sendo adquiridos pela universidade, aguardando apenas a aprovação do congresso para ser instalada, inicialmente, em caráter experimental.

00:35 · 13.12.2015 / atualizado às 00:35 · 13.12.2015 por
A arqueologia na área da Chapada do Araripe avança com a criação de um Instituto regional, voltado para a sistematização dos estudos, e o fortalecimento do ensino, pesquisa e extensão fotos Elizangela Santos
A arqueologia na área da Chapada do Araripe avança com a criação de um Instituto regional, voltado para a sistematização dos estudos, e o fortalecimento do ensino, pesquisa e extensão Foto: Elizangela Santos

Será criado no próximo dia 19, em Nova Olinda, o Instituto de Arqueologia do Cariri, numa parceria da Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri e a Universidade Regional do Cariri (Urca). A valorização da pré-história do homem Kariri ganhará um novo capítulo, com o fortalecimento da arqueologia, por meio da criação do órgão, que terá solenidade de criação, nos 23 anos da Casa Grande.

No local já funcionam o Memorial do Homem Kariri e um laboratório de arqueologia, onde há uma reserva técnica na área. Com isso, a arqueologia entra para um processo de sistematização acadêmica, mais amplo, nos segmentos de ensino, pesquisa e extensão, e a contar no Estado do Ceará com primeiro órgão no âmbito do ensino superior, voltado para esse segmento de estudo.

A entidade, desde que iniciou o seu trabalho de educação social na área da comunicação, para crianças e adolescentes na região, além de desenvolver uma arqueologia com cunho social, tem desenvolvido atividades de educação para conservação e preservação dos sítios arqueológicos da região. Doutora em arqueologia pela Universidade de Coimbra, em Portugal, Rosiane Limaverde, diretora da entidade, comemora a conquista da Casa Grande e da Urca e afirma que esse é um grande passo, numa região que possui um rico acervo arqueológico, proporcionando a abertura para novas pesquisas no âmbito acadêmico.

Segundo ela, com a criação do Instituto já nasce a parceria com outras universidades importantes, como a Universidade de Coimbra e Universidade Federal do Piauí (UFPI), com a proposta de iniciar um curso de especialização ou mestrado em arqueologia. O sonho, segundo ela, é que o Cariri venha ter um curso na área. E material, conforme a pesquisadora, é o que não falta para desenvolver importantes pesquisas e descobertas sobre os primeiros habitantes da região, além de ampliar os trabalhos no campo da arqueologia histórica.

“O Instituto de Arqueologia do Cariri vem atender uma demanda antiga da região e consolida um pleito específico nas áreas de pesquisa e extensão”, afirma o reitor da Urca, Patrício Melo. A Casa Grande já está inserida no território do Geopark Araripe, e, com isso, conforme ele, amplia a atuação da universidade no Município. Para Rosiane, o instituto vem fortalecer a extensão, por meio da parceria, trazendo a comunidade para a academia, assim como acontece com o Museu de Paleontologia, em Santana do Cariri,

O presidente da fundação, Alemberg Quindins, destaca todo um processo de crescimento e amadurecimento da entidade. A Casa Grande, ao longo dos anos, tem desenvolvido projetos para crianças e jovens da instituição, além das suas famílias, a exemplo das pousadas familiares, fortalecendo o turismo comunitário na região. Ele destaca meninos que chegaram ao local, e hoje se encontram na universidade. “Então, a fundação chega junto da maioridade dos meninos”, afirma.

A entidade atua internacionalmente com diversas parcerias, incluindo países que falam a língua portuguesa, na Europa e na África, e já desenvolveu ações junto ao Unicef, além de apoios importantes com entidades nacionais, a exemplo do Sesc, fundamental nos últimos anos para a fundação. São várias premiações em nível nacional e no exterior e um reconhecimento que poucas entidades no Brasil tem obtido, inclusive pelo Ministério da Cultura. Inspirou a criação do projeto das casas de patrimônio, adotado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A Fundação Casa Grande e a Gestão do Patrimônio Cultural da Chapada do Araripe’, amplia o contexto de atuação da entidade, com uma abordagem diferenciada, como forma de inclusão social e participação das comunidades, além de ter as crianças como protagonistas do processo, e suas famílias, o que Rosiane chegou a denominar de arqueologia da afetividade, com um novo olhar.

A pesquisadora destaca que a pauta da arqueologia no Cariri foi iniciada por meio da Fundação Casa Grande. “Até então, o que estava relacionado aos índios era coisa de gente inculta e sem instrução. Era assim que a historiografia do Cariri tratava o assunto”, afirma.

 

A Dra. em arqueologia, Rosiane Limaverde, estará à frente do Instituto, que será criado por meio da Pró-Reitoria de Extensão da Urca e Fundação Casa Grande, em Nova Olinda Foto Hélio Filho
A Dra. em arqueologia, Rosiane Limaverde, estará à frente do Instituto, que será criado por meio da Pró-Reitoria de Extensão da Urca e Fundação Casa Grande, em Nova Olinda Foto Hélio Filho
21:46 · 02.09.2015 / atualizado às 22:58 · 02.09.2015 por

Começa nesta quinta-feira, 03, em Nova Olinda, a Mostra Cine Cariri, reunindo nomes nacionais da dramaturgia e do cinema. O evento será realizado pela Fundação Casa Grande, e trará o diretor Guel Arraes, a cineasta Carolina Jabor, a atriz Luisa Arares e o ator Jorge Furtado, entre outros. Eles participarão de palestras e apresentações até o próximo domingo, dia 6. Serão exibidos vários trabalhos, com trocas de experiências entre os profissionais e os meninos da fundação. A mostra contará com 180 inscritos.

O evento irá promover a articulação e o intercâmbio com diretores e produtores de cinema e vídeo, cinéfilos, estudantes e comunidade em geral para dialogar sobre a produção cinematográfica brasileira por meio de ciclos de conversa e exibições de filmes, no período de 3 a 6 de setembro, na Fundação Casa Grande, em Nova Olinda.

Com o elenco formado pelos atores George Sauma, Luisa Arraes, João Pedro Zappa, Carlos Adriano e André Sigaund, o evento será finalizado com a apresentação da peça “Pedro Malazarte e a Arara Gigante”, no domingo, às 19 horas. A mostra tem sido responsável por uma grande mobilização nos últimos dias e debates entre os integrantes da entidade. Incluindo o grupo de estudo de cinema da fundação.

A entidade que atua no campo vasto da comunicação, enquanto formação cidadã e educacional, irá também compartilhar e levar ao público as suas experiências. A TV Casa Grande e Programa 100 CANAL são espaços à parte no modelo de trabalho desenvolvido pela fundação. Os integrantes da entidade, Aécio Diniz (produtor) e Hélio Filho (fotógrafo), dividem a mesa no primeiro dia da Mostra Cine Cariri para falarem um pouco sobre a TV da entidade e suas produções.
A TV Casa Grande produz a série documental “100 CANAL”, que vai ao ar antes das sessões de cinema e espetáculos no Teatro Violeta Arraes – Engenho de Arte Cênicas. Hoje, funciona como um estúdio de produção de vídeos, curtas e documentários que são exibidos pelas TV’s comerciais e espaços culturais alternativos. A equipe é formada por crianças e jovens que recebem formação nas áreas de gestão, produção, iluminação, câmera e edição.

A Mostra terá quinta-feira o coquetel de lançamento da revista Sétima, edição 24, editada no Cariri, com o cinéfilo Elvis Pinheiro, falando sobre o Cine Café Volante e Cinematógrafo. Na sexta-feira, às 9 horas, acontece a abertura oficial, com representantes institucionais, e, às 10 horas, haverá a palestra de abertura, com os produtores, João Paulo Maropo e Aécio Diniz, da Casa Grande. Eles vão abordar o trabalho da TV Casa Grande – Círculo de Conversa – Documentário 100 CANAL.

O diretor da Fundação Casa Grande, Alemberg Quindins, destaca sustentabilidade e gestão da entidade, na tarde do dia 6, durante palestra. Os círculos de conversa serão iniciados a partir das 9 horas deste dia.
Veja programação completa no site da mostra:
http://mostracinecariri.wix.com/cinecariri

12:52 · 15.05.2015 / atualizado às 16:33 · 15.05.2015 por

20150515_114515
Juazeiro do Norte. A banda Dona Zefinha retorna a região do Cariri para duas apresentações neste final de semana. Os shows acontecem hoje (15), a partir das 19h30, na Fundação Casa Grande, em Nova Olinda , e amanhã (16), no Centro Cultural Banco do Nordeste, em Juazeiro do Norte, a partir das 18h30. A programação é gratuita e faz parte do projeto “Invocado”, que a banda lança em parceria com o escritor Flávio Paiva. Durante as apresentações, estão previstas participações especiais de músicos já consagrados no Cariri.

Com mais de duas décadas de estrada, e shows realizados em quase todo o Brasil, além de apresentações na Guiana Francesa, Alemanha, Coreia do Sul, África do Sul, Portugal e Estados Unidos, a banda inova ao lançar na região do Cariri um livro/CD, onde as músicas interpretadas pelo grupo se juntam aos textos do escritor Flávio Paiva, contando um pouco da história da musicalidade cearense e o jeito “invocado” que os artistas locais esboçam durante suas performances e apresentações.

“Esse livro compõe um CD que será apresentado como uma mostra que faz referência a música cearense. O livro conta um pouco da história da musicalidade cearense e o jeito de artistas como Alberto Nepomuceno, por exemplo, até os mais contemporâneos”, explicou o músico Paulo Orlando, que integra a banda.

Segundo ele, o material pode ser encontrado em livrarias da capital do estado, ou através da internet. “O livro foi lançado em Fortaleza e já se encontra a disposição em livrarias da cidade, bem como através do site da banda e pelo blog do Flávio Paiva, na internet. O projeto, na verdade, acaba sendo formado por um trio composto pelo livro, o CD e os espetáculos. Quem estiver interessado, basta encaminhar um e-mail que a gente disponibiliza o material para todo o Brasil”, informou.

Durante os shows que acontecerão no Cariri, a banda promete manter a forma que garante a Dona Zefinha um estilo próprio de fazer forró. “ A Dona Zefinha vem trazendo um trabalho meio que diferencial para o mercado atual. O formato se reinventa e isso oportuniza que as apresentações nunca sejam iguais uma das outras. Quem participar dos shows vai gostar bastante do que a gente pretende apresentar”, concluiu o músico.

No vídeo abaixo, um pouquinho do que a Dona Zefinha preparou para as apresentações de hoje e amanhã.

11:08 · 10.03.2015 / atualizado às 11:08 · 10.03.2015 por

visita do ministro 01Crato. O Ministro da Cultura, Juca Ferreira, esteve ontem neste município para lançar o Curso de Formação de Gestores na área da cultura, a ser iniciado em junho deste ano, em parceria com a Universidade Federal do Cariri (UFCA). A vinda do ministro marcou o início das caravanas de cultura pelo Brasil. Durante o encontro com o Ministro, a secretária de Cultura do Crato, Dane de Jade, entregou a Carta Proposta do Cariri, em nome de municípios da região, em que estão destacados três pontos: a instalação da Casa Patrimônio, Escritório Regional do Ministério da Cultura e também do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), regional.

Projetos relacionados à requalificação de espaços como o Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva e a RFFSA, além do Caldeirão do Beato José Lourenço, foram encaminhados pela secretária da Cultura do Crato junto à equipe do Ministro. Após visitar equipamentos culturais na cidade de Nova Olinda, como a Fundação Casa Grande e o Museu do Couro, do Mestre da Cultura Espedito Seleiro, o ministro, juntamente com sua comitiva de técnicos e secretários, além do secretário de Cultura do Estado, Guilherme Sampaio, se dirigiu ao Crato no início da tarde de ontem.

Juca Ferreira foi recepcionado pelo prefeito do Crato, Ronaldo Sampaio Gomes de Mattos, no Hotel Pasárgada, onde houve um encontro com diversos prefeitos e gestores de cultura. Em seguida, acompanhou a comitiva do ministro para conhecer o projeto da Sociedade Lírica do Belmonte, do Monsenhor Àgio Moreira. A culminância do evento foi realizada na Escola Violeta Arraes, onde gestores de cultura, mestres, e artistas de toda a região e do Município cratense, estiveram presentes para participar dos Diálogos Culturais do Cariri. Na ocasião, artistas fizeram reivindicações e apresentaram demandas.

A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto realizou a execução dos hinos do Crato e do Brasil, emocionando a todos. O ministro também foi surpreendido com apresentações dos grupos de reisado do Mestre Aldenir, Dedé de Luna do São Miguel, em Juazeiro do Norte. O prefeito do Crato, Ronaldo Sampaio, ainda destacou a importância de se debater políticas culturais e, ao mesmo tempo, ressaltou a dificuldade investimentos para a área. “Temos que fazer o melhor para o nosso povo, com o reconhecimento desses valores culturais”, disse ele.

A democratização da cultura e o fortalecimento de projetos, como os Pontos de Cultura, instituídos pelo Minc, estão entre as propostas a serem direcionadas pelo Ministério. O curso de gestores terá edital lançado em 27 de março próximo. Nesta terça-feira, o ministro da Cultura estará participando, na Assembleia Legislativa do Estado, em Fortaleza, da entrega do Plano Estadual de Cultura, juntamente com o secretário Guilherme Sampaio. O gestor estadual destacou a elaboração conjunta do plano, e disse que a ideia é promover o fortalecimento da cultura. Além disso, ressaltou o Cariri como a reserva cultural do Estado e sua importância para o Ceará.