Busca

Tag: Greve


11:00 · 25.01.2017 / atualizado às 23:14 · 24.01.2017 por

Crato. Após 15 meses em greve, os Agentes Comunitários de Saúde decidiram voltar a atender a população durante o turno da manhã em seus respectivos postos. A decisão veio após assembleia realizada na semana passada. À tarde, durante os próximos 45 dias, os agentes irão realizar capacitações nas áreas de dengue, chikungunya, zika vírus, vacinação, E-SUS, PSE, informações sobre os setores da secretaria e seus responsáveis.

De acordo com o Secretário de Saúde do Crato, André Barreto, será apresentado uma nova proposta para a categoria, e, caso seja aceita, o trabalho dos ACS será totalmente normalizado. “Nesse primeiro momento nossa maior preocupação é com o início do período chuvoso com risco do aumento do mosquito Aedes Aegypti. Vamos realizar as capacitações para que eles possam retornar ao trabalho e continuaremos trabalhando juntos para que em breve a situação esteja regularizada”, pontuou o titular da pasta.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

16:55 · 11.01.2017 / atualizado às 17:08 · 11.01.2017 por

greveBarbalha. Servidores municipais da área da saúde desta cidade encerraram hoje, dia 11, a greve iniciada há mais de 630 dias. De acordo com a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Barbalha (Sindmub), Maria Jacqueline Ferreira de Sá Barreto , a paralisação  de 21 meses “foi a mais longa registrada no país em âmbito municipal”.

Os profissionais reivindicavam reajuste salarial, concurso público e melhores condições de trabalho. “A classe já acumula perda salarial de 130% ao longo dos últimos dez anos”, pontuou a sindicalista. Na manhã desta quarta-feira, os servidores grevistas se reuniram com o prefeito Argemiro Sampaio Neto e, a tarde, durante assembleia, os servidores deliberam pelo fim da greve.

Conquistas
Os servidores em greve conquistaram boa parte das pautas reivindicadas. Ficou acordado aumento de 20% de insalubridade para todas as categorias; 18% de reposição salarial de forma escalonada: 4,5% a cada ano mais o índice inflacionário; criação da lei do PENAC; implantação do anuênio e melhorias das condições de trabalho. Para Jaqueline, a categoria sai vitoriosa.

“Primeiro vale ressaltar que a luta não era apenas por dinheiro. Lutamos e resistimos pelo aumento, mas também por melhores condições de trabalho. O Diário do Nordeste esteve aqui ano passado, visitou vários e vários postos de saúde e viu o quão precário é a situação. Então, após esse longo período de greve, a população de Barbalha será a grande vitoriosa”, explicou Jaqueline.

Efeitos
Ao longo da paralisação, mais de 100 profissionais, entre médicos, dentistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem cruzaram os braços em protesto.  Por um ano e nove meses, o atendimento ficou comprometido em todos os 22 Postos de Saúde do município, nas unidades do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), no Centro Materno Infantil e no Serviço de Verificação de Óbitos (SVO).

Neste período, entretanto, os 17 médicos do Programa Mais Médicos, continuaram atendendo normalmente. Já entre enfermeiros, dentistas, atendentes de consultórios e outras oito categorias, 50% do efetivo se mantiveram prestando serviços à sociedade.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:15 · 20.12.2016 / atualizado às 10:16 · 20.12.2016 por

Juazeiro do Norte. Os servidores técnico-administrativos em educação da Universidade Federal do Cariri (UFCA) retornam às atividades ontem, dia 19, após encerramento da greve que já durava quase dois meses. A decisão foi tomada durante assembleia realizada no último dia 14, no campus Juazeiro do Norte da UFCA.

Em nota, o coletivo local de greve dos servidores técnico-administrativos da UFCA afirmou que “o movimento paredista esteve alicerçado no descumprimento do acordo de greve estabelecido em 2015 e no posicionamento contra a Proposta de Emenda Constitucional no 55 (PEC 55) apresentada pelo atual governo federal”.

De acordo com os servidores, mesmo diante do forte movimento nacional de combate à PEC 55 e a outras medidas do governo, os servidores técnico-administrativos tinham ciência da dificuldade de barrar a Proposta. “No entanto, compreendia-se a importância de haver posicionamento e resistência, e a greve foi o instrumento encontrado para tal”, acrescenta a nota.

Ainda de acordo com o informe, nos dias de greve, foram realizados debates, assembleias, oficinas, reuniões, visitas aos setores, e houve participação nas atividades organizadas pelos estudantes do Movimento Ocupa UFCA. “Além disso, os técnicos participaram de atos e manifestações nas ruas de Juazeiro do Norte e Brasília, e de sessão popular na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte”.

Após o encerramento da greve, os servidores pretendem “dar continuidade às atividades que promovam o diálogo entre estudantes, técnicos, docentes e a comunidade externa, no que concerne às políticas nacionais que afetam o cotidiano da UFCA, pois acreditamos que pensar o mundo é pensar a universidade, e que pensar a universidade é criar um novo paradigma de mundo”.

Os técnico-administrativos estavam de greve desde o dia 1° de novembro, após decisão em assembleia realizada no dia 27 de outubro, no pátio do campus Juazeiro do Norte.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

09:26 · 07.11.2016 / atualizado às 09:26 · 07.11.2016 por

Juazeiro do Norte. Os servidores técnico-administrativos em educação da Universidade Federal do Cariri (UFCA) estão em greve desde a última terça-feira (1º), após decisão em assembleia realizada no dia 27 de outubro, no pátio do campus Juazeiro do Norte.

Na pauta da greve está a luta contra a PEC 241/PEC 55, que altera o regime fiscal do país, congelando os gastos públicos. A PEC 241 foi aprovada pela Câmara dos Deputados e seguiu para o Senado como PEC 55 para votação.

Bibliotecas
Devido à mobilização dos servidores, as bibliotecas estão com horários de funcionamento alterados: as bibliotecas dos campi Juazeiro do Norte e Icó estão fechadas; a biblioteca do campus Barbalha está funcionando apenas no período da manhã; e as bibliotecas dos campi Crato e Brejo Santo estão funcionando normalmente.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018

14:30 · 07.10.2016 / atualizado às 14:33 · 07.10.2016 por

filaJuazeiro do Norte. Os transtornos causados pela paralisação das agências bancárias por mais de um mês não se encerraram com o fim da greve, anunciado na noite de ontem, após os bancários aceitaram as propostas da Federação Nacional do Bancos. Clientes deste município tiveram que enfrentar longas filas e alguns caixas eletrônicos bloqueados ou sem dinheiro ao longo desta manhã.

Em uma agência localizada no centro de Juazeiro, a fila dobrou o quarteirão. Os que conseguiram atendimento, reclamaram da superlotação no interior das agências e demora no atendimento. Ansioso pelo fim da greve, o autônomo Bruno Lucas Barreto da Silva, de 37 anos, foi um dos primeiros a chegar na agência do centro, onde foram registrados as maiores filas. Apesar da longa espera, ele afirma ter sido um “mal necessário”.

“Estava há duas semanas esperando o desenrolar de um pedido de empréstimo e com o banco em greve, o processo estava parado e eu sem dinheiro para renovar minha mercadoria. Espero que até o fim do dia eu possa sair daqui com alguma posição concreta e o dinheiro na mão”, torceu.

Fim da paralisação
Ontem, os bancários aceitaram as propostas da Federação Nacional do Bancos, durante assembleia-geral. Com a decisão, bancários de empresas privadas, Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal retomaram as atividades na manhã de hoje, paralisadas desde 6 de setembro.

A Federação Nacional do Bancos ofereceu aos bancários um reajuste de 8% neste ano e abono de R$ 3.500. A proposta também inclui aumento de 10% no vale refeição e no auxílio-creche-babá e de 15%, no vale alimentação. Os bancos também se comprometeram a garantir aumento real de 1% em todos os salários e demais verbas.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018