Busca

Tag: Música


16:01 · 14.03.2018 / atualizado às 16:31 · 14.03.2018 por
Grupo traz três espetáculos, uma palestra e uma vivência. (Foto: Divulgação/Dégagé Assessoria)

Juazeiro do Norte. Comemorando 25 anos de carreira, o grupo Dona Zefinha circula por cidades da Paraíba e Ceará. Na terra do Padre Cícero, o projeto “Dona Zefinha Volante – Programação Cultural Intenerante” traz ao Cariri três espetáculos, uma palestra e uma vivência, entre os dias 22 e 24 de março. Tudo gratuito. A vinda veio através do edital de chamada pública do Programa de Patrocínios Banco do Nordeste Cultural 2016/2018.

Na quinta-feira (22), o grupo apresenta “O casamento de Tabarim”, às 19h30, no Anfiteatro do Centro Cultural Marcus Jussier (Pirajá).  Na sexta-feira (23), às 19h, no mesmo local, leva ao palco o espetáculo “Ch@furdo”. E no sábado (24), às 19h30, é a vez de “O circo sem teto da Lona Furada dos Bufões”, no Centro Cultural Banco do Nordeste.

Ações formativas

A primeira atividade na cidade será a palestra “Arte, Mercado Cultural e Gestão de Carreira”, proferida por Orlângelo Leal, músico, ator e diretor do grupo, no dia 22, às 9 horas, no Auditório do Teatro da Marquise Branca, com duração de 60 minutos.

Na sexta-feira, 23, o grupo estará na Escola de Ensino Fundamental Demóstenes Ratts Barbosa, às 9 horas, para a Vivência Cenomusical, conduzida por Vanildo Franco, com duas horas de duração. A vivência compartilha a pesquisa que o grupo Dona Zefinha vem desenvolvendo para montagem de seus espetáculos a partir do jogo cômico e musical através de jogos rítmicos e melódicos, com a utilização de material reciclado para ressignificação e construção de instrumentos sonoros. O conteúdo pode ser aplicado para sonorização cênica, educação musical e artística.

Estas duas ações são destinadas a profissionais da cultura (educadores/professores e estudantes) com participação mediante inscrição.

O projeto

“Dona Zefinha Volante – Programação Cultural Itinerante” é um projeto de difusão, circulação e intercâmbio cultural que passa por cinco cidades. Começou em Sousa, na Paraíba, de 9 a 11 de março. Depois, de Juazeiro do Norte acontece em Fortaleza, nos dias 27 de março, 17 e 18 de abril; Jaguaribe, de 6 a 8 de abril; e Itapipoca, cidade-sede do grupo, com espetáculos e atividades formativas entre os dias 11 e 13 de maio.

Esta é a quarta edição do projeto Dona Zefinha Volante, que teve início em 2013 com circulação no Nordeste, em 2015 passou por bairros de Itapipoca e teve sua terceira etapa na região Sul do Brasil em 2016. Apresentada pelo do Ministério da Cultura e realizada pela Casa de Teatro Dona Zefinha, a nova circulação tem, além do Banco do Nordeste, o patrocínio das empresas Grande Moinho Cearense, Rubberloss e DASS.

Programação

22 de Março | Quinta-Feira

Palestra “Arte, Mercado Cultural e Gestão de Carreira”

Local: Auditório do Teatro da Marquise Branca

Horário: 9h

Espetáculo “O casamento de Tabarim”

Local: Anfiteatro do Centro Cultural Marcus Jussier (Pirajá)

Horário: 19h30

23 de Março | Sexta-Feira

Vivência Cenomusical

Local: Escola de Ensino Fundamental Demóstenes Ratts Barbosa

Horário: 9h

Espetáculo Ch@furdo

Local: Anfiteatro do Centro Cultural Marcus Jussier (Pirajá)

Horário: 19h

24 de Março | Sábado

Espetáculo” O circo sem teto da Lona Furada dos Bufões”

Local: Centro Cultural Banco do Nordeste

Horário: 19h30

15:38 · 02.02.2018 / atualizado às 15:40 · 02.02.2018 por

Juazeiro do Norte. O projeto Sesc Folia, promovido pela unidade local do Serviço Social do Comércio, irá encerrar as atividades com um grande cortejo de carnaval, que partirá da Praça da Prefeitura. A festa acontece na próxima quinta-feira (08), a partir das 16h, e contará com a participação da dançarina Sheila Mello, ex-bailarina do grupo É o Tchan. Ela irá ensinar coreografias para os foliões.

O baile começa na Praça da Prefeitura e segue até a Unidade de Juazeiro do Norte do Sesc, onde a bailarina Sheila Mello vai dançar com todo o público presente e participar de sessão de fotos. Além dela, a programação também conta com a orquestra de frevo e aulão de ritmos. A criançada também pode participar, pois o Sesc promove atividades de recreação e concurso de fantasias para os pequenos.

O projeto Sesc Folia promove programação gratuita com aulas de ginástica e ritmos no mês de janeiro, preparando o público para o carnaval com coreografias e muita diversão. As atividades desenvolvem a coordenação motora e promovem a qualidade de vida dos participantes. Ao final, todos são convidados a festejar no baile de carnaval.

Programação

08 de fevereiro (quinta-feira)

16h – Concentração na Praça da Prefeitura – cortejo até a Unidade Juazeiro do Norte do Sesc

17h – Orquestra de Frevo – Baile das marchinhas

18h – Aulão de ritmos com a banda Namoro Novo e sessão fotográfica com Sheila Mello

19h – 1 hora de músicas do grupo É o Tchan com a dançarina Sheila Melo

08:56 · 20.12.2017 / atualizado às 08:56 · 20.12.2017 por
O projeto tem estimulado a interação das crianças em sala de aula. (Foto Divulgação/Prefeitura)

Juazeiro do Norte. O projeto “Canto, encanto e aprendo com música”, da professora Sebastiana Mariana de Oliveira, tem favorecido a socialização e aprendizado dos alunos do 2º ano da Escola de Ensino Fundamental Isabel da Luz. O objetivo do trabalho é, de forma transversal, apresentar os conteúdos voltados para escrita e leitura, além do conhecimento de mundo. As músicas escolhidas priorizaram o contexto social, discutindo assuntos relacionados à realidade das crianças como, por exemplo, moradia e meio ambiente.

A professora Sebastiana Maria comenta que a ideia surgiu quando ela começou a cantar algumas canções para acalmar a inquietação dos alunos que retornavam do recreio. Ela percebeu que elas iam se acalmando conforme as músicas eram cantadas e, com o tempo, elas passaram a cantar junto.

O projeto teve início no mês de outubro. A partir de então, algumas aulas e disciplinas foram trabalhadas de acordo com os temas propostos nas letras das músicas. Ela acreditou na capacidade dos alunos e optou trabalhar músicas que não fossem apenas infantis. O repertório utilizado possui trabalhos de Arnaldo Antunes, Guilherme Arantes e outros.

Segundo a professora, o convívio entre os alunos melhorou consideravelmente. Ela destaca, principalmente, a interação e o desenvolvimento dos alunos com necessidades especiais. “Todos os alunos tiveram uma boa participação, aprenderam sobre assuntos importantes, escreveram cartas, tudo dentro das atividades propostas através das músicas”, comenta a professora.

A coordenadora pedagógica da Escola, Silvanda Brito, definiu que o projeto tem ajudado no aprendizado da fala e da escrita e no desenvolvimento cognitivo da criança, além de ter dado a oportunidade das crianças trabalharem vários gêneros textuais, de forma diferenciada.

Já a coordenadora das turmas de 2º ano da Escola Isabel da Luz, professora Ana Paula Pinheiro, disse que o projeto atuou de forma decisiva para melhorar a autoestima das crianças. “Elas demonstraram mais interesse pela escrita e produção de textos, ficaram mais entusiasmados e prestavam mais atenção nas aulas e isso ajudou melhorar as notas e diminuir a timidez”, ressalta a professora Ana Paula Pinheiro.

06:58 · 24.10.2017 / atualizado às 12:10 · 24.10.2017 por

Juazeiro do Norte/Barbalha. No próximo final de semana, entre os dias 28 e 29, acontecerá o evento “Gaia dentro de mim”, um espaço artístico e espiritual que terá terapias, shows e feiras. No primeiro dia, o evento será no Clube dos Comerciários, em Juazeiro do Norte. Já no segundo, as atividades acontecerão na Aldeia da Luz, em Barbalha. A atividade é uma realização do movimento Sementes da Luz, com patrocínio do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB).

Nos dois dias, o espaço servirá  para confraternização dos participantes da especialização em permacultura da Universidade Federal do Cariri (UFCA), mas também está aberto para todo o público inscrito. De acordo com o terapeuta Anderson Lima, um dos organizadores, o movimento começou a partir do trabalho com terapias com constelações, que atua na Aldeia da Luz. ” O objetivo é alavancar essa questão da luz, da conscientização de terapias, da alimentação, de se cuidar e de despertar o amor. De reverencia e gratidão aos quatro elementos: terra, fogo, agua e ar”, explica. 

No sábado (28), o Clube dos Comerciários receberá o show do músico e compositor Ale de Maria, bacharel em Composição e Regência, que trabalhou como arranjador, compositor, regente e professor de música. Hoje se dedica ao projeto do disco “Mãe D’Água”, lançado em Lisboa, Portugal, com canções devocionais, celebrações com rezas e contos. Também, no mesmo dia, acontecerá as feiras de alimentação e ecológica.

Já no domingo (29), na Aldeia da Luz, terá a terapia das constelações familiares com a consteladora Naradhi Biachi, com participação de Ale de Maria, canalizando musicas. Ela trabalha, há mais de 18 anos, como especialista na técnica do Renascimento, Constelação Sistêmica Familiar, Del Hipnoterapia e Tantra. Realiza atendimentos individuais e em grupo por várias cidades do Brasil.

O ingressos para o show custam o valor do lote promocional R$80. Mas estudantes poderão pagar meia entrada. Enquanto para a terapia das constelação familiar, o valor é de R$350, com apenas dez vagas.

Vendas Ingressos: 

Aldeia da Luz: (88) 9-9770-7477 (Fanka)

Sementes de Luz: (85) 9-9164-8728 (Naradhi)

Espaço Ananda: (88) 9-9609-2921 (Sandra)

Sindicato dos Comerciários: (88) 9-8801-3306 (Toinha)

Instituto novo Sol: (88) 9-9663-5447 (Batista)

Etc Zen: (88) 9-8806-4651 (Miguel)

Mais informações: 

Anderson Lima: (85) 9-9824-6189 (cel)

(81) 9-9818-9558 (WhatsApp)

10:59 · 17.10.2017 / atualizado às 11:03 · 17.10.2017 por
Os debates foram a partir do eixos do programa Ceará Música (Foto: Antonio Rodrigues)

Crato. Ontem (16) foi a vez da região do Cariri receber o Encontro Ceará Música, na Vila da Música Sociedade Lírica de Belmonte (Solibel), que reuniu cantores, compositores, músicos, produtores culturais, donos de estúdios, professores, regentes, técnicos de som e donos de casa de shows para discutir ações que fomentem a música em articulação com todo Estado. A ação foi realizada pela Secretaria de Cultura do Ceará, o Fórum de Música e o Instituto Dragão do Mar de Arte e Cultura.

O objetivo do encontro é desenvolver a produção musical cearense no programa Ceará Música, que é uma política pública cultura para o fortalecimento dos arranjos criativos e produtivos do setor no Estado. As reuniões já foram realizadas em Viçosa do Ceará, dentro do Festival de Música local, e, também, em Sobral, na semana passada.

De acordo com Valéria Cordeiro, coordenadora do núcleo de Artes e Diversidade da Secretaria de Cultura do Estado, a intenção é que as contribuições obtidas nesses debates contemplem o documento Ceará Música, que possa conduzir as entidades e agentes da cadeia produtiva musical. “O documento será apresentado ao Governo do Estado, para que possa ser encampadas as ações propostas nesse programa. Esse encontro é para ouvir e levantar as principais questões e demandas do setor para que se possa trabalhar o plano de desenvolvimento no Ceará”, explica.

A partir da reunião, os agentes convidados criaram propostas, como parcerias entre instituições como a Universidade Federal do Cariri (UFCA), Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) e Serviço Social do Comércio (Sesc), em suas unidades locais, e empresários que trabalham no setor artístico. Uma delas apresentou a criação de um laboratório de grupos culturais que criariam um show com o suporte técnico destes agentes.

Outra ação muito discutida foi a formação de técnicos na região do Cariri, desde a capacitação de estúdios, técnicos de som e cenógrafos. De acordo com o cantor e produtor cultural João do Crato, o debate conseguiu mapear algumas necessidades do Cariri. “A gente tem os mestres de cultura aqui, na zona rural, que tem dificuldade de receber informações. A passagem do saber é difícil, principalmente, na questão de tocar instrumentos dos grupos de tradição como uma viola, rabeca, zabumba, uma caixa. Não tem uma coisa específica para a comunidade”, pontuou João.

O cantor também acredita que a formação técnica tem que atender os mestres da cultura e que o plano possa formar uma cadeia musical no estado que construa uma programação contemplando todas as regiões com intercâmbios, troca de saberes e oficinas. “É uma reivindicação que as pessoas não fazem. O pessoal evidenciam a cena em cima do palco, mas e o que está por traz de tudo? A técnica? O som? A produção?”, provoca João do Crato.

O próximo Encontro Música Ceará acontecerá nos dias 23 e 24 de outubro, em Quixadá, na Casa de Saberes Cego Aderaldo. No mês de novembro, entre os dias 2 e 4, terá uma reunião geral dos grupos de trabalho de todas as regiões, em Fortaleza, mas o local ainda não foi definido.

15:19 · 14.10.2017 / atualizado às 15:19 · 14.10.2017 por
O calor não foi obstáculo e a Praça 7 de Setembro recebeu centenas de pessoas. ( Fotos: Antonio Rodrigues)

Milagres. Nem mesmo o sol forte afastou a população, que compareceu em grande número para a Ação Verdes Mares, realizada na manhã deste sábado (14), na Praça 7 de Setembro. Mais de mil pessoas tiveram acesso aos diversos serviços gratuitos de entretenimento, saúde, beleza e educação. Ao todo, cinco tendas trabalharam na atividade que tem iniciativa da TV Verdes Mares Cariri, com patrocínios da Prefeitura Municipal e Unimed, além do apoio da Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Nesta edição, a última da região do Cariri este ano, a Ação Verdes Mares dispôs, por mais de quatro horas, os serviços de aferição de pressão, teste de glicemia, massagem, manicure, pedicure, corte de cabelo, vacinação e distribuição de kits odontológicos e preservativos. Além disso, os mascotes divertiam e educavam as crianças sobre os cuidados com o mosquito da dengue, economia de água e saúde dos dentes.

Paralelo aos serviços, uma série de atrações locais se apresentaram no palco da Ação Verdes Mares: grupo de capoeira, bandas musicais, palhaços, fanfarra, entre outros. Uma tenda também expôs o trabalho dos artesãos locais. “Como a atividade tem um cunho social, a gente tem a obrigação de está mostrando os talentos da terra. Cada município tem os seus e a gente busca valorizar”, garante o produtor da Ação Verdes Mares, Julio César Costa.

O prefeito de Milagres, Lielson Landim, esteve presente no evento e destacou o desejo da população para que a Ação Verdes Mares acontecesse no Município. “Assim que tivemos a oportunidade de trazer, nós abraçamos, imediatamente, celebrando essa parceria. O Município tem muito a ganhar, além das ações sociais, está dando visibilidade ao que Milagres tem de bonito, a arte, a cultura e a religiosidade. Além do que tem de acolhedor, a receptividade desse povo”, exalta o chefe do Executivo.

A aposentada Maritânia Leonel aproveitou a Ação Verdes Mares para verificar a pressão arterial e realizar teste de glicemia. “Minha saúde está mais ou menos (risos). Depois que verifiquei a pressão, agora vou começar a fazer exercícios”, explica. Enquanto a dona de casa Carla Giovana, grávida há sete meses, experimentou a massagem pela primeira vez. “Achei muito bom, estava com uma dor nas costas, aliviou mais”, conta a gestante. Enquanto o aposentado Manoel Lourenço levantou cedo para cortar o cabelo. “Achei que tava grande, agora fiquei mais lindo”, brinca Manoel.

A Ação Verdes Mares em Milagres foi a última realizada este ano na região do Cariri. Em 2017, a atividade social também passou por Barbalha, Juazeiro do Norte e Nova Olinda. Cerca de seis mil pessoas foram atendidas. Para o ano que vem já estão sendo articuladas novas parcerias em outros municípios.

06:35 · 28.09.2017 / atualizado às 09:46 · 28.09.2017 por
Reunindo artistas de vários segmentos, o Conselho foi eleito na manhã de ontem, 27. (Foto: Helio Filho)

Juazeiro do Norte. Os novos membros do Conselho Municipal de Cultura foram eleitos na manhã de ontem (27), no Memorial Padre Cícero. Em clima de tranquilidade, os artistas de cada segmento presente puderam participar de debates e das reuniões que elegeram por aclamação os novos conselheiros. O Conselho é um órgão colegiado com caráter deliberativo e consultivo, vinculado ao Poder Executivo, que tem o poder de controle sobre as ações públicas, ou seja, sobre os planos e orçamentos.

O Secretário de Cultura, Alemberg Quindins, avaliou de forma positiva o resultado da Assembleia. Ele destacou a intenção do Prefeito Municipal Arnon Bezerra em retomar os debates sobre a Cultura de Juazeiro do Norte e do Cariri. “Nós temos o pensamento de uma plataforma menos festiva e mais estrutural e uma responsabilidade que é transformar nossa realidade em algo melhor do que ela está. Para isso, precisamos de integração entre o poder público e os segmentos artísticos”, destaca o Secretário

O novo Conselho Municipal de Cultura é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura e terá vigência de 2 anos. Seu objetivo é garantir a participação da sociedade civil, no planejamento das ações culturais do Município em parceria com o Estados e a União.

De acordo com a Diretora de projetos e políticas culturais da Secult, Maria do Carmo Carvalho, o próximo passo é que cada segmento artístico crie seu fórum para a realização de reuniões e estudos das leis que regem as políticas culturais. “A Secretaria de Cultura está dando início a um processo. O papel do Conselho é manter o controle das ações culturais do Município. Ele está formado e agora seus membros devem dar sequência aos trabalhos”, comenta Maria do Carmo Carvalho.

Sistema Municipal de Cultura

O Conselho Municipal de Políticas Culturais é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura, advindos do Sistema Nacional de Cultura -MinC, que visa garantir a participação da sociedade civil, no planejamento e orçamento para as ações de municípios e estados, em parceria com a União. Assim é criada e organizada a política de Estado da Cultura no país.

O Sistema Municipal de Cultura foi criado através da lei municipal de nº 4001 de 14 de maio de 2012. Essa lei define os princípios, objetivos, estrutura, organização e gestão da cultura municipal e reforça a institucionalidade dos componentes que definem a estrutura do sistema municipal, podendo citar a Secretaria de Cultura e o Conselho Municipal de Política Cultural como já instituídos, bem como o fundo municipal, que faz parte do programa de incentivo à Cultura do município, o PAIC.

Novos Conselheiros

Os novos membros do conselho, titulares e suplente, são representantes de vários segmentos artísticos. Entre eles:

Artes Cênicas

Membro titular: Lucion Caeira

Suplente: João Alves

Artes Visuais

Membro titular: Petrônio Sampaio Alencar

Suplente: José Stênio Diniz

Associações

Membro titular: Josiel Bernardo da Silva

Suplente: Francisco Josué Farias da Silva

Literatura

Membro titular: Maria do Rosário Lustosa

Suplente: Arnaldo Damásio da Silva

Música

Membro titular: Lindemberg Alves Costa

Suplente: Luciano Pimentel Brayner

Tradição popular

Membro titular: Carlos Alberto Gomide de Freitas

Suplente: José Nilton do Nascimento de Souza

08:42 · 22.09.2017 / atualizado às 08:44 · 22.09.2017 por
Representantes de grupos de Tradição Popular também poderão compor o conselho (Foto: Antonio Rodrigues)

Juazeiro do Norte. Na próxima quarta-feira (27), às 8 horas, irá acontecer a Assembleia geral para a reativação do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). A reunião será realizada no Memorial Padre Cícero e foi articulada pela Secretaria de Cultura, que convida todos os setores culturais da cidade para eleger seus representantes da sociedade civil. O Conselho é um órgão colegiado com caráter deliberativo e consultivo, vinculado ao Poder Executivo, que tem o poder de controle sobre as ações públicas, ou seja, sobre os planos e orçamentos.

O Conselho Municipal de Política Cultural de Juazeiro do Norte foi criado pela Lei Municipal de nº 3259, de 04 de abril de 2008, e regulamentado pelo Decreto 383 de 26/01/2010, e rege-se pelo Regimento Interno de 14/02/2010. Este espaço tem como objetivo promover a participação democrática dos vários segmentos da sociedade, que integram a ação cultural no Município, visando garantir a todos o pleno exercício dos direitos culturais e o acesso às fontes da cultura nacional, além de apoiar e incentivar a valorização e a difusão das manifestações culturais.

O Conselho é paritário, com seis representantes da Sociedade civil, que representam as linguagens da Cultura: artes cênicas (teatro, dança, circo), literatura, música, artes Visuais (desenho, pintura, escultura, gravura, design, artesanatos, fotografia, vídeo, produção cinematográfica e arquitetura) tradição (cultura popular, patrimônio)  e associações culturais; e seis  do Poder Público. Sendo um titular e um suplente em cada representação, conforme a Lei 4.313 de 22 de maio de 2014.

O Conselho Municipal de Políticas Culturais é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura, advindos do Sistema Nacional de Cultura – MinC, que visa garantir a participação da sociedade civil, no planejamento e orçamento para as ações de municípios e estados, em parceria com a União. Assim é criada e organizada a política de Estado da Cultura no país. O papel importante para a construção de políticas públicas é a implantação do CPF da Cultura, que se dá através do Conselho, do Plano e do Fundo Municipal de Cultura.

Com a reativação do Conselho, a principal meta a se cumprir será a regulamentação do Fundo Municipal de Cultura e a atualização e monitoramento do Plano Municipal de Cultura, os quais garantirão a formação, a criação, a produção e a difusão das políticas culturais em Juazeiro do Norte.

11:02 · 08.09.2017 / atualizado às 11:05 · 08.09.2017 por

Barbalha. A sede do Instituto Escola de Saberes de Barbalha (ESBA) receberá, entre os das 12 e 16 de setembro, o I Encontro de Culturas, Artes e Saberes dos Sertões. A programação reunirá professores e pesquisadores da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e Universidade Regional do Cariri (URCA), além de artistas, escritores e fotógrafos. Serão 14 mesas de debates, rodas de conversas, exposições, mostra de cinema e apresentações culturais. A abertura oficial acontecerá na próxima terça-feira, a partir das 19 horas.

Nos cinco dias de encontro, os debates terão os seguintes temas: cultura, música, políticas públicas, cordel, cinema, arqueologia, antropologia, literatura e fotografia. O objetivo do evento é fazer um diálogo entre a oralidade, as artes, os saberes e as pesquisas acadêmicas. Além disso, o espaço busca discutir e pensar o significado cultural e artístico dos sertões para a formação histórica das tradições e vanguardas presentes nas artes brasileiras.

Um dos organizadores do encontro é o cineasta Rosemberg Cariry, que estará em uma das mesas de debate. Ele acredita que a “cultura nordestina”, que estará em discussão, se trata de um espaço que mescla e sincretiza culturas ocidentais, orientais com a diversidade indígenas e afro-brasileiras. “O evento busca compreender o sertão como espaço onde se deu o encontro e desencontro de mundos; nações, povos e culturas que se enfrentaram e se fundiram”.

Além da Escola de Saberes de Barbalha, o evento movimentará outros locais da cidade, como a Praça Engenheiro Dória,  o Instituto José Bernardo e a Rede de Escolas Públicas e comunidades rurais. A programação completa você encontra no site da instituição.

As inscrições são gratuitas, com direito a emissão de certificado aos participantes. Para se inscrever, é necessário baixar e preencher o formulário através do link e enviar para o e-mail: escoladesaberescariri@gmail.com.

09:33 · 30.05.2017 / atualizado às 09:33 · 30.05.2017 por

O estudo de música apenas ganhou espaço nas escolas brasileiras entre as décadas de 1930 a 1960, com base na proposta de Villa-Lobos que previa a prática de canto amador (orfeônico) nas escolas. Mas foi em 2008, com a Lei 11.769, que o ensino de música tornou-se obrigatório em todas as escolas públicas e particulares do país.

No Cariri, com o objetivo de contribuir para a formação dos novos professores, o curso de Licenciatura em Música iniciou as atividades em 2010, quando a instituição era parte da Universidade Federal do Ceará (UFC). Desde 2014, depois da criação da Universidade Federal do Cariri (UFCA), em 5 de junho de 2013, o curso faz parte do Instituto Interdisciplinar de Sociedade, Cultura e Artes (IISCA), no campus Juazeiro do Norte, ofertando 50 vagas por ano.

No âmbito da graduação, além das atividades de ensino, pesquisa e extensão, os estudantes também atuam na dimensão cultural. São diversos projetos desenvolvidos em parceria com a Pró-reitoria de Cultura (PROCULT) da UFCA. Entre as iniciativas, destaca-se a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Cariri, coordenada pelos professores Marco Antonio Silva (regente e maestro) e Cláudio Mappa. O projeto é ligado ao programa Música e Educação, da Coordenadoria de Artes da PROCULT. Atualmente conta também com a participação do professor do curso de Música Ricardo Castro, que auxilia, entre outras atividades, na regência da orquestra.

Criada em 2011, a orquestra, surgiu com o intuito de proporcionar aos estudantes do curso de Música e aos instrumentistas da região do Cariri uma vivência musical coletiva e a possibilidade de ampliar e desenvolver a prática em música instrumental. Formada por 40 integrantes, divididos entre discentes de Música, professores e participantes da comunidade externa, o grupo dispõe, atualmente, de dez bolsistas, e os demais são instrumentistas voluntários.

Em seu repertório, a orquestra busca fazer um diálogo entre peças do cancioneiro regional, popular e moderno com o estilo erudito, sendo executadas por instrumentos de cordas, metais, madeiras e percussão. As peças mais executadas são dos compositores Edvard Grieg, Tomaso Giovanni Albinoni, Richard Wagner, Luiz Gonzaga e, fazendo parte das peças modernas, a trilha sonora do seriado Game of Thrones.

Regente da orquestra, o professor Marco Silva explica que a escolha do repertório procura atender a todos os tipos de público de maneira democrática, abraçando estilos de músicas eruditas, grandes musicais do cinema, música popular brasileira, música regional e peças autorais elaboradas pelos próprios professores do curso de Música e estudantes.

“A ideia inicial que eu e o professor Cláudio Mappa tivemos foi de criar uma orquestra, que não só atendesse aos nossos alunos, mas que pudesse proporcionar aos participantes e ao público a vivência não só de estilos já conhecidos, mas de estilos aos quais não costumam ter acesso, de maneira a possibilitar que a experiência fosse não só eclética, mas também de descoberta de compositores e músicas novas”, ressalta Marco.

O professor ainda destaca a importância da prática de música de maneira coletiva, pois os exercícios em grupo proporcionam estímulo contínuo do aprendizado.

Para o professor Cláudio Mappa, o projeto também é relevante para o público externo. “A importância de uma orquestra aberta à participação da comunidade é fundamental não só para a construção musical dos alunos, mas também, para a formação de plateias. O projeto tem conseguido atingir um público considerável com em média 15 a 20 concertos por ano, levando cultura e o gosto pela música com apresentações realizadas em parceria com o SESC [Serviço Social do Comércio], CCBNB [Centro Cultural Banco do Nordeste] e eventos culturais abertos ao público”.

O estudante Victor Hugo Gomes, que compõe a orquestra como violinista desde 2011, e, por vezes, atua também como regente auxiliar, diz que participar do grupo é uma oportunidade de desenvolver as técnicas instrumentais. Ele conta que projetos como o da orquestra e das escolas de música dão possibilidade para as pessoas que não têm contato com a música ou com instrumentos tenham outra vivência.

Apresentações
Antes de se apresentarem, os membros da orquestra fazem um estudo sobre as obras, os autores, a atmosfera e o ambiente em que estavam submetidos quando compuseram seus trabalhos, justamente para poder provocar no músico a sensação de total imersão na peça que será absorvida por eles e devolvida ao público em suas interpretações.

“A música tem esse viés social. Você aprende a respeitar mais o colega, dar espaço, ouvir e saber calar. A gente não só simplesmente pega as músicas e toca as notas musicais que tem lá. Tem que ter uma intenção. É como amanhecer um dia triste, um dia alegre ou chateado. Nas músicas a gente têm que trabalhar os sentimentos, ora tem que ser incisivo, ter raiva ou ter força. Temos que aprender a decifrar os códigos e nos moldamos para aquilo, porque é necessário naquele caráter de música. O que se torna sublime. A arte é sublime por si só”, comenta o estudante do 5º semestre Julius Patrício, contrabaixista da orquestra.

Ele ingressou no grupo desde que entrou na Universidade há dois anos. Começou a frequentar a orquestra como um lazer, mas logo passou a entender os processos de formação mais intensos do projeto.

A orquestra se apresenta em eventos abertos ao público e culturais, inclusive em outras cidades. Quando os estudantes precisam viajar para as apresentações, contam com auxílios da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE). Entre as últimas apresentações de destaque, está a participação na abertura da Reunião Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, ocorrida no dia 2 de maio, no Centro de Convenções do Crato.

O evento, realizado pela SBPC e a Universidade Regional do Cariri (URCA), em parceria com todas as Instituições de Ensino Superior com atuação nas regiões Cariri e Sul Cearense, incluindo a UFCA, teve como tema “Território, Biodiversidade, Cultura, Ciência e Desenvolvimento”.

Na ocasião a apresentação da Orquestra surpreendeu o público não só pela execução do repertório variado, como também pela apresentação da música Libertango do compositor argentino Astor Piazzolla com a presença de um casal dançando tango no palco. Além disso, o grupo incluiu na seleção de músicas apresentadas homenagem ao cantor e compositor cearense Belchior, que morreu no último dia 29 de abril.